sábado, 5 de novembro de 2011

Supremo blinda políticos e mantém sob sigilo identidade de 152 investigados

O Supremo Tribunal Federal mantém em sigilo a identidade de 152 autoridades suspeitas de cometer crimes. Um procedimento adotado no ano passado como exceção, que visava a proteger as investigações, acabou tornando-se regra e passou a blindar deputados, senadores e ministros de Estado. Levantamento feito pelo jornal O Estado de S. Paulo em aproximadamente 200 inquéritos mostrou que os nomes dos investigados são ocultados. Apenas suas iniciais são expressas, mesmo que o processo não tramite em segredo de Justiça, o que torna praticamente impossível descobrir quem está sendo alvo de investigação. O inquérito aberto contra a deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF), flagrada recebendo dinheiro do esquema do Mensalão do Distrito Federal, aparece no site do Supremo apenas com as iniciais da parlamentar: JMR (Jaqueline Maria Roriz). Outros seis inquéritos trazem as iniciais L.L.F.F. Só foi possível identificar que o investigado era o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) porque outra investigação com a mesma sigla foi levada ao plenário do tribunal recentemente. Em outros casos, é possível inferir quem é o investigado por meio de uma pesquisa. Sabendo que a investigação foi aberta em um Estado específico, é necessário cruzar as iniciais com todos os nomes de deputados e senadores eleitos por esse mesmo Estado. Por esse procedimento é possível inferir que um inquérito aberto contra L.H.S. em Santa Catarina envolve o senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC). Mas na maioria das vezes essa pesquisa não é suficiente para saber quem está sob investigação no Supremo.

Shimon Peres, presidente de Israel, diz que Irã está perto de sofrer ataque

O presidente de Israel, Shimon Peres, disse nesta sexta-feira (04-11-2011) que a comunidade internacional "está mais perto de chegar a uma solução militar para o impasse sobre o programa nuclear do Irã do que pela via diplomática". Em um tom de ameaça incomum para o presidente e Nobel da Paz, a declaração, feita a um canal de TV israelense, foi recebida com surpresa. Shimon Peres disse que os líderes mundiais deveriam "cumprir as promessas" de conter o Irã "a qualquer custo". "Há um longo menu de opções sobre o que pode ser feito", disse ele. Na última quarta-feira, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, tentou persuadir seu gabinete a usar a força militar para tentar conter o programa nuclear iraniano. No dia seguinte, o jornal britânico The Guardian noticiou que Londres se prepara para enviar navios de guerra ao Golfo Pérsico para dar apoio a uma ofensiva contra Teerã. A Inglaterra também franquearia a sua base aérea de Diego Garcia no Oceano Índico (veja sua localização na imagem do mapa abaixo)
Exibir mapa ampliado para as operações das aeronaves dos Estados Unidos. Israel, Estados Unidos e Grã-Bretanha, entre outros países, têm convicção de que o objetivo do Irã é desenvolver a bomba atômica. Negociações diplomáticas e sanções econômicas aplicadas contra o país até agora não foram suficientes para persuadir o governa nazista islâmico de Teerã a abrir mão de suas ambições atômicas. Na França, o presidente Nicolas Sarkozy disse que a "obsessão" do Irã em obter material nuclear fere as leis internacionais. Questionado sobre uma possível intervenção militar no país, Sarkozy reiterou que a comunidade internacional deve manter foco nas sanções, mas acrescentou que, se houver uma ameaça à existência de Israel, "a França não ficará de braços cruzados".

Exército colombiano mata terrorista líder máximo das Farc

O líder máximo das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, organização terrorista e traficante de cocaína), o narcotraficante Guillermo León Sáenz Vargas, também conhecido como "Alfonso Cano", foi morto por tropas do Exército colombiano, anunciou na noite de sexta-feira o governador do departamento de Cauca. "As forças militares da Colômbia alcançaram um de seus objetivos militares mais importantes. Alfonso Cano foi abatido precisamente no oeste do departamento de Cauca", disse o governador Alberto Gonzalez Mosquera. Ainda não há maiores detalhes da operação que terminou com a morte do chefe terrorista e traficante de cocaína, porém, especula-se que ela tenha acontecido há duas semanas, mas só agora foi confirmada plenamente a identidade do rebelde. Cano era o substituto do chefe e fundador das Farc, o terrorista Manuel Marulanda (Tirofijo), que morreu de ataque do coração em março de 2008. Em setembro de 2010, Jorge Briceno (Mono Jojoy), terrorista número dois das Farc e chefe militar da organização, foi abatido pelos militares. Fundada em 1964 e hoje com ainda cerca de 8 mil combatentes, as Farc também perderam outros dois dirigentes históricos nos últimos anos: Raul Reyes, morto em um ataque aéreo em um acampamento dentro do território do Equador, e Ivan Rios, assassinado por outro rebelde. Os dois integravam o bureau político das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia. Mais cedo na sexta-feira, as autoridades haviam anunciado a prisão de "El Indio Efraín", chefe da segurança de "Cano", capturado após intensas operações militares em Cauca. Com "El Indio Efraín" foram detidos outros três membros da segurança de Cano, e no local da ação morreram uma mulher e o operador de rádio do grupo, conhecido por "El Zorro". A captura de "El Indio" ocorreu na zona montanhosa entre os municípios de Suárez e Buenos Aires, onde prosseguiam intensos combates entre tropas do Exército e terroristas e traficantes das Farc.

Metalúrgicos de São Paulo fecham acordo e garantem aumento de 10%

O comando de negociação dos Metalúrgicos da Força Sindical no Estado de São Paulo fechou acordo com quatro grupos patronais e garantiu aumento salarial de 10% para a categoria, com aumento real próximo de 3%, segundo a assessoria econômica dos sindicatos. Os quatro grupos que aceitaram o acordo representam cerca de 80% da categoria no Estado (800 mil trabalhadores) e tem data-base em 1º de novembro. "Foram negociações difíceis, permeadas pela crise mundial, mas a mobilização garantiu o resultado positivo e vamos pressionar para estender o mesmo acordo para toda a categoria", disse o presidente da Federação dos Metalúrgicos de São Paulo, Claudio Magrão. Miguel Torres, integrante do comando de negociação e presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, disse estar "na expectativa" de fechar acordo com os demais grupos patronais, entre eles o comandado pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) até terça-feira. Torres voltou a afirmar, no entanto, que haverá paralisação nas fábricas caso isso não aconteça, conforme decisão tomada em assembléia.

Petista estréia programa de rádio com Chalita como convidado

Em busca de aproximar as pastorais sociais ao movimento carismático, ambas da Igreja Católica, a TV Canção Nova estreou o programa semanal "Justiça e Paz", comandado pelo presidente do PT paulista, deputado estadual Edinho Silva. O programa ratifica ainda o "namoro" entre o PT de Edinho Silva e o PMDB paulista, cujo pré-candidato ao governo de São Paulo é o deputado federal Gabriel Chalita, uma das estrelas da emissora de TV católica. Chalita, aliás, foi um dos convidados do programa da última quinta-feira, juntamente com Gilberto Carvalho, ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Wellington da Silva Jardim, presidente da Canção Nova, e o deputado federal Eros Biondini (PTB-MG). "As pastorais sociais são minha origem, veio o convite e será um espaço interessante na televisão", disse Edinho Silva. O parlamentar ainda não tem uma avaliação se o programa lhe trará dividendos eleitorais no futuro. "Ainda não sei como minha base vai reagir, mas o setor de pastorais sociais é muito grande no PT", disse ele. "Mas, como aconteceu na estréia, o programa terá convidados de outros partidos", completou o presidente do PT paulista.

Exército mata líder máximo das Farc, Alfonso Cano

O líder máximo da guerrilha comunista das Farc, Guillermo León Sáenz Vargas, também conhecido como Alfonso Cano, foi morto por tropas do Exército colombiano, anunciou nesta sexta-feira o governador do departamento de Cauca à Rádio Caracol. "As forças militares da Colômbia alcançaram um de seus objetivos militares mais importantes", Alfonso Cano, que "foi abatido precisamente no ocidente do departamento" de Cauca, disse o governador Alberto Gonzalez Mosquera.