sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Bancos Centrais compram volume recorde de ouro

A ameaça de um calote da dívida norte-americana e a piora da crise na Europa, no terceiro trimestre deste ano, intensificaram a corrida de bancos centrais ao ouro. Bancos Centrais de vários países compraram, juntos, 148 toneladas do metal entre julho e setembro, segundo relatório do WGC (Conselho Mundial do Ouro), divulgado na última quinta-feira. É o maior volume registrado desde 1988, quando as instituições compraram 180 toneladas. No segundo trimestre deste ano, as compras foram de 69 toneladas e, há um ano, somaram 21 toneladas. Os maiores compradores foram Rússia, Bolívia e Tailândia. Os dados referem-se a compras líquidas, ou seja, já descontadas eventuais vendas por alguns Bancos Centrais. A escolha dos bancos centrais por aplicar em ouro reflete uma busca pela redução do risco e por alta liquidez, ou seja, facilidade na venda do ativo financeiro. Os títulos de dívida da Europa e dos Estados Unidos eram os prediletos pela maioria dos Bancos Centrais para compor suas reservas. E os países perceberam que existe risco no que era considerado como risco zero, por isso a procura pelo ouro.

IBGE aponta existência de mais de 600 agências de publicidade em atividade

O IBGE mapeou o setor de publicidade no Brasil e identificou 626 agências em atividade em 2009 que, juntas, registraram um faturamento de R$ 4,974 bilhões. Desse total, 65% foram provenientes de bonificação sobre veiculação de publicidade, de acordo com o IBGE. Pelas regras do setor, 20% do que o cliente paga para colocar um anúncio em jornais e revistas ou colocá-lo no ar em rádios e TVs são destinados às agências. Os serviços de produção próprios ou comissão de serviços contratados de terceiros corresponderam a 15,3% da receita do setor. Mas, as agências aumentam em muito o seu faturamento pela negociação com os veículos de comunicação, chamada de bonificação de volume. Os serviços prestados pelas agências de publicidade foram direcionados principalmente para a indústria (32,7% da receita), seguida do comércio varejista (16,1%), serviços financeiros (9,8%) e telecomunicações (8,8%). Segundo o IBGE, as campanhas para o setor privado corresponderam a 83,9% da receita das agências ou R$ 4,178 bilhões. Desse valor, 56,5% foram em serviços para empresas nacionais e 27,4% para multinacionais. As campanhas de governos, inclusive para estatais, representaram 13,7% do faturamento. Já as campanhas de publicidade legal e campanhas políticas representaram 2,4%.

Distribuidoras de energia serão alvo de megablitz trabalhista

As 63 distribuidoras de energia elétrica do País serão alvo de uma megablitz do Ministério Público do Trabalho em 2012. O objetivo é reduzir a terceirização de atividades-fim das concessionárias. Os primeiros alvos dessa ação foram a Coelba (da Bahia) e a Celpe (de Pernambuco). A próxima será a Cosern (do Rio Grande do Norte), e todas distribuidoras do grupo Neoenergia. O Ministério Público do Trabalho já obteve uma liminar obrigando a Coelba a contratar todos os terceirizados em 180 dias. Números da Funcoge (Fundação Comitê de Gestão Empresarial), entidade que reúne 67 empresas públicas e privadas, mostram que o total de trabalhadores terceirizados no setor (127,5 mil) supera o de empregados próprios (104,8 mil). A relação de acidentes entre trabalhadores próprios e terceirizados, no entanto, não respeita essa proporção. Em 2010, enquanto sete funcionários diretos das concessionárias morreram em serviço, 72 óbitos de funcionários terceirizados foram registrados. No ano passado, o número de acidentes com perda de tempo entre os terceirizados foi de 1.280. Entre os funcionários próprios, o total ficou em 741.

Vereadores paulistanos querem aumento, mais empregados e 13º salário

Os vereadores de São Paulo querem aumentar seus próprios salários, passar a receber 13º e criar 39 cargos na Câmara Municipal e no Tribunal de Contas do Município com remunerações que chegam a R$ 11.505,00. Isso tudo está previsto em um pacote de projetos apresentado nos últimos dias. Aprovados os pacotes, eles implicarão um custo extra de ao menos R$ 13,9 milhões por ano, o suficiente para construir três escolas. Eles passarão a ganhar R$ 15.031,00 mensais. Hoje o salário é de R$ 9.288,00. Já os vereadores da atual legislatura passariam a receber R$ 11.393,00 pois um dos projetos fixa reajuste de 22% retroativo a março. Além de salário, todos têm verbas mensais para pagar assessores e cobrir despesas de gabinete. O Tribunal de Contas do Município, órgão ligado à Câmara, também terá a sua cota de novos cargos. O projeto foi elaborado pelo próprio tribunal e encaminhado à Mesa da Câmara. Serão 30 novos servidores com salários que variam de R$ 4.060,68 (assessores) a R$ 11.505,47 (para o futuro diretor da instituição). O aumento vai custar cerca de R$ 8,7 milhões por ano ao tribunal. A Câmara tem hoje 1.708 funcionários. A maioria (1.046) é escolhida pelos 55 vereadores, sem necessidade de concurso público. É um enorme cabidão político.

Lei reabre polêmica sobre "dupla porta" em hospitais paulistas

A Assembléia Legislativa de São Paulo aprovou na última quarta-feira um projeto que transforma o Hospital das Clínicas em autarquia especial, com mais flexibilidade para contratar funcionários e aumentar os salários. O projeto enfrentou críticas de opositores que acreditam que ele poderá aumentar a "dupla porta" no hospital e estendê-la para o Icesp (Instituto do Câncer do Estado de SP Octavio Frias de Oliveira), que hoje atende só o SUS. Segundo eles, a "dupla porta", sistema que diferencia o atendimento de quem tem plano de saúde, prejudica os que dependem do SUS. Há, por exemplo, forma diferenciada de marcação de consultas; quem têm plano passa na frente dos demais. Para o promotor Arthur Pinto Filho, incluir o Icesp foi uma forma de o governo "burlar a decisão judicial". "É uma insistência para se vender leito público para planos de saúde", afirma. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse que "não tem nada a ver o projeto de autarquia especial com a questão de dupla porta": "A autarquia especial possibilita ao HC mais agilidade para contratar, pagar salários de mercado".

Limpeza de edifícios em Fukushima começará em dezembro

O Exército do Japão começará em dezembro uma operação de limpeza de edifícios municipais dentro da zona de exclusão em torno da usina de Fukushima Daiichi. A limpeza servirá para estabelecer uma base de operações onde será iniciado, em janeiro, o trabalho de descontaminação das áreas no entorno da usina. Cerca de 300 soldados participarão da operação, que será coordenada com o Ministério do Meio Ambiente japonês, que antes avaliará os níveis de radiação na região. A missão promoverá a limpeza de edifícios das povoações de Namie, Tomioka e Naraha, na província de Fukushima, que servirão como acampamento base para eliminar os materiais radioativos da área afetada pela crise nuclear originada na central de Daiichi após o terremoto e o tsunami de 11 de março. As Forças de Autodefesa do Japão prevêem completar a limpeza dos edifícios antes do final do ano, e contarão com uma unidade química especializada em radiação. A crise da central de Fukushima Daiichi, a pior dos últimos 25 anos desde Chernobyl, obrigou o governo japonês a decretar uma zona de exclusão em um raio de 20 quilômetros da usina pelos altos índices de radioatividade. O anúncio sobre as operações de limpeza aconteceu um dia depois que o Executivo japonês comunicou que proibirá a venda de arroz de uma área da cidade de Fukushima, a 70 quilômetros da central atômica, após detectar níveis de césio acima do recomendado.

Odebrecht e Technip vencem contrato de US$ 1 bilhão da Petrobras

A joint-venture entre a francesa Technip e a brasileira Odebrecht venceu um contrato de US$ 1 bilhão da Petrobras pelo frete e operação de dois navios de instalação de tubulações por cinco anos. O contrato, que tem a opção de cinco anos adicionais, cobre a ligação de poços submarinos na costa brasileira que têm até 2,5 mil metros de profundidade, disseram Technip e Odebrecht em comunicado nesta sexta-feira. Os navios estão sendo construídos na Coréia do Sul, onde a Odebrecht também está supervisionando a construção de unidades de perfuração. A fornecedora francesa de serviços e equipamentos para extração de petróleo Technip tinha dito em outubro que o preço do petróleo, embora abaixo do pico do segundo trimestre, continua alto o suficiente para garantir exploração e investimentos. A Petrobras planeja aumentar a capacidade de produção de petróleo e gás em 23% até o fim de 2012, disse nesta semana o diretor financeiro Almir Barbassa. No entanto, a companhia, que planeja ser a maior petrolífera listada do mundo até 2020, enfrentará as atuais demoras para início de produção, atrasos, campos maduros e paradas não previstas que já prejudicaram no passado os esforços para aumentar a produção.

Socialite Marta Suplicy afirma que Lula errou, mas promete apoiar Haddad em 2012

Excluída pelo PT da corrida à prefeitura de São Paulo em 2012, a senadora socialite Marta Suplicy afirmou na quinta-feira que a escolha do ministro Fernando Haddad (Educação) foi "um erro" do ex-presidente Lula. Ela se disse "frustrada", mas prometeu guardar os sentimentos "no armário" para apoiar o pré-candidato do partido, que ganhou a chapa sem ter de disputar prévias. "Foi um erro ser assim. Agora vamos nos empenhar muito para que se transforme num acerto", disse a socialite petista. Marta Suplicy afirmou que o lançamento do ministro, inexperiente em eleições, deve-se apenas à vontade de Lula. E sugeriu que a presidente Dilma Rousseff se viu forçada a obedecer ao padrinho. "Foi uma decisão do Lula. Ninguém tinha tido essa idéia brilhante", disse a ex-prefeita, em tom de ironia. Ela se mostrou contrariada com a versão, difundida por integrantes do governo, de que teria pedido a Dilma que encenasse um apelo para justificar sua desistência: "Foi um apelo dela. Não sei se de coração ou seguindo algo combinado com o Lula". Entre petistas, "apelo de coração" significa enterrar o punhal no companheiro.

Dilma planeja trocar Lupi somente na reforma ministerial de 2012

Convencida de que terá mais margem de manobra para promover mudanças no Ministério do Trabalho se substituir Carlos Lupi na reforma do início de 2012, Dilma Rousseff conta com um argumento extra para insistir nesse roteiro: a permanência do pedetista por mais um ou dois meses seria, do ponto de vista da presidente, "indolor". Segundo a coluna, não há pauta relevante aos cuidados do ministro até o próximo ano e Lupi estaria, nas palavras de subordinados de Dilma, "esvaziado" e "controlado". O ministro do Trabalho é alvo de suspeitas após a revista "Veja" revelar que ele voou em jatinho "providenciado" por um empresário cujas ONGs eram contratadas pelo ministério, durante visita política a cidades do Maranhão. Após negar ter qualquer relação com o empresário, Adair Meira, dono da Fundação Pró Cerrado, Lupi afirmou na quinta-feira, em audiência no Senado, que sua memória "falhou" e admitiu que viajou no avião particular, embora não tenha dito quem pagou pelo taxi-aéreo.

Na Líbia, Irmandade Muçulmana realiza primeiro congresso público em 25 anos

A Irmandade Muçulmana líbia, reprimida sob o regime de Muammar Gaddafi, inaugurou nesta quinta-feira à noite em Benghazi seu primeiro congresso público em quase 25 anos. "É um dia histórico para nós e para o povo líbio", declarou Suleiman Abdel Kader, chefe da Irmandade Muçulmana na Líbia. Segundo autoridades da organização, é a primeira vez em quase 25 anos que realizam um congresso público na Líbia, onde se reuniam regularmente, mas em segredo, por medo de represálias. Organizavam congressos públicos somente no Exterior. Nos próximos três dias, a Irmandade Muçulmana líbia deve escolher um novo líder, ou renovar o mandato do atual, e discutir sua estratégia daqui para frente, decidindo particularmente se fundam um partido político, afirmou Abdel Kader. A organização apóia a idéia de um Estado "civil", mas fundado em valores islâmicos, explicou ele. "O Estado deve ser civil e sua identidade deve ser o islã. No islã não há Estado religioso. Nós vemos no Islã o fundamento da liberdade, da justiça e da igualdade", disse ele. Ou seja, ele está falando da instalação de uma teocracia, da imposição da sharia, a lei islâmica. Antes, uma responsável pela ala feminina da Irmandade, Majda al Fallah, chamou as mulheres "a se libertar". "Chamamos à libertação da mulher, mas sem exportar o modelo ocidental. Chamamos a um modelo islâmico", disse em uma sala cheia. "A mulher líbia deve participar da elaboração da nova Constituição, deve participar em todos os âmbitos, político, econômico, social", declarou ela. Essa declaração é de um cinismo atroz. O ditador Kadahfi era um bárbaro, mas o regime que ele impôs na Líbia era laico e as mulheres tinham liberdade que agora será totalmente restrita. A tal Primavera Árabe, saudada em todo o Ocidente pelos esquerdopatas de todos perfis como a inauguração da democracia no mundo árabe, está mostrando a sua verdadeira feição. A Irmandade Muçulmana está emergindo como a única força organizada em todos os países da tal "Primavera Árabe". A Irmandade Muçulmana é a organização mãe do terrorismo islâmico. É uma organização nazista, que foi aliada de Hitler durante a 2ª Guerra Mundial. O que a Irmandade Muçulmana deseja é atingir o poder nos países árabes, instaurar teocracias em todos eles, impor a sharia (lei religiosa), e promover a jihad (guerra islâmica) contra a cristandade, o que essa gente medieval chama de "cruzados". Abriram a caixa de pandora, e está saindo uma coisa muito feia de lá.