sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Relatora da Comissão de Ética reafirma palavras na decisão que recomenda demissão de Carlos Lupi

Apesar de o relatório da Comissão de Ética sobre o ministro Carlos Lupi (Trabalho) ter desagradado a presidente Dilma Rousseff, a autora do documento, Marília Muricy, afirmou nesta sexta-feira que reafirma sua posição "palavra por palavra, vírgula por vírgula, ponto e vírgula por ponto e vírgula". No relatório, ela apontou "inequívoca falta de zelo na conduta do denunciado" e "certa dose de arrogância" do ministro ao lidar com as acusações em sua pasta. A relatora afirmou ainda que o documento não foi um "desafio" à presidente. "Em primeiro lugar, a presidente não está subordinada à Comissão de Ética. Ao contrário, a Comissão de Ética é criada por um decreto presidencial, os membros são nomeados pela presidenta da República e a Comissão de Ética assessora a Presidência", disse.

Sérgio Guerra defende prévias e renovação do PSDB em São Paulo

O presidente nacional do PSDB, deputado federal Sérgio Guerra (PE), disse nesta sexta-feira, em Recife, que é a favor das prévias e da renovação no partido para as eleições municipais em São Paulo. "Não é uma má ideia, é uma boa ideia a renovação, gente nova para disputar a eleição", afirmou. "O PSDB não pode viver de dois ou três quadros só, que vão se repetindo e sucedendo", reiterou o tucano. Segundo Sérgio Guerra, ser favorável à renovação não significa ser contra a eventual candidatura do ex-governador de São Paulo, José Serra. "Se ele quiser ser candidato, é muito bom para o Brasil, muito bom para São Paulo, mas o partido não pode ser prisioneiro de duas ou três alternativas sempre", disse ele: "Tem que achar outras candidaturas e desenvolver. Sou a favor da renovação sempre". As prévias do PSDB em São Paulo deverão ser disputadas pelos secretários estaduais Andrea Matarazzo (Cultura), Bruno Covas (Meio Ambiente) e José Aníbal (Energia), além do deputado federal Ricardo Tripoli. Para Guerra, a demora na definição do candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo não vai causar danos ao partido, mesmo com o PT quase fechado em torno do nome do ministro da Educação, Fernando Haddad, como seu candidato.

Estados Unidos exigem que Cuba liberte americano Alan Gross

Os Estados Unidos pediram nesta sexta-feira a Cuba que liberte o cidadão americano Alan Gross, de 62 anos, que no sábado completa dois anos de prisão em Cuba por ter distribuído material de comunicação a grupos civis. Cuba deve "ouvir os pedidos da família de Gross e libertá-lo imediatamente", declarou o porta-voz da Casa Branca, Jay Carner. "Gross é um marido, pai e profissional comprometido, com um longo histórico de dar assistência e apoio a comunidades em mais de 50 países", explicou Mark Toner, porta-voz do Departamento de Estado. Gross foi detido em 3 de dezembro de 2009 e condenado, em março deste ano, a 15 anos de prisão. A ditadura cubana o acusa de ser um espião e estimular a desestabilização política na ilha, enquanto o Departamento de Estado, que o contratou através de um de seus múltiplos programas de promoção da democracia, assegura que Gross só foi à ilha para distribuir material de comunicação entre a comunidade judaica. A saúde do americano, que sofre de diabetes, é precária, segundo os testemunhos de vários concidadãos que o visitaram na prisão. Personalidades como o ex-presidente Jimmy Carter também pediram sua libertação e, na quinta-feira, um grupo de senadores democratas e republicanos enviou uma incomum carta ao chefe da seção de Interesses Cubanos em Washington, Jorge Bolaños, no mesmo sentido.

Cúpula da América Latina e Caribe aprova cláusula democrática

Os chanceleres da América Latina e do Caribe aprovaram uma cláusula democrática que integrará os estatutos da nova Celac (Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos), embora não tenha havido consenso sobre a tomada de decisões. "A reunião ministerial foi muito boa, é uma grande coisa o que estamos conseguindo", comemorou Antônio José Simões, subsecretário do Brasil para Assuntos da América do Sul e do Caribe, referindo-se ao encontro de chanceleres na quinta-feira em Caracas para preparar a cúpula de sexta-feira e sábado realizada para a criação da Celac. Simões anunciou que foi estabelecida uma cláusula democrática, que é "calcada" na ibero-americana. "Prevê que se em um país houver violação da ordem democrática, serão iniciadas consultas e este país poderá ser suspenso" da organização, ressaltou o subsecretário, indicando que "prevalecerão as cláusulas sub-regionais" como, por exemplo, a da Unasul que "é mais profunda e não pode ser diluída". Apesar disso, Simões afirmou que não houve acordo sobre a tomada de decisões. "Isso fica com os presidentes" dos 33 países que integrarão a Celac, organismo americano sem Estados Unidos e Canadá. Segundo o diplomata, o Brasil "prefere o consenso", esclarecendo que se trata de uma "unanimidade construída" com negociações políticas. "O consenso busca equilíbrio, tem um sentido mais agregador", acrescentou. Dessa forma, o Brasil considera que "é preciso deixar o organismo funcionar por algum tempo, talvez não será necessário votar, já que todos os mecanismos na região trabalham com consenso". "Temos que testar para depois verificar", acrescentou o subsecretário brasileiro. A Declaração de Caracas, base constitutiva da Celac, foi aprovada pelos chanceleres na quinta-feira, assim como um documento de procedimentos e um plano de ação. Também foi decidido que a Celac terá "uma estrutura leve", sem "orçamento próprio, nem uma secretaria" permanente, segundo o diplomata brasileiro.

Professores encerram greve de duas semanas no Rio Grande do Sul

Sem ter nenhuma de suas reivindicações atendidas, a direção petista pelêga do sindicato Cpers, dos professores da rede estadual do Rio Grande do Sul, encerraram nesta sexta-feira uma greve que durou duas semanas e que foi seguida por pouquissimas professoras no Estado. O sindicato pelêgo CPERS (Centro dos Professores do Estado do Rio Grande do Sul) cobrava do governo do petista Tarso Genro (PT) o pagamento do piso nacional da categoria, fixado em R$ 1.187,00 para 40 horas, e o adiamento de uma reforma na estrutura da rede que muda o currículo no ensino médio já em 2012. O governo do petistas humilhou a direção petista pelêga do sindicato, afirmando que só negociaria com o fim da paralisação. Disse ainda que já havia concedido reajustes à categoria em abril e que se compromete a pagar o piso até 2014. Segundo a direção petista pelêga do CPERS, a mobilização continua e a greve pode ser retomada no início do próximo ano letivo.

Oi atenderá mais 100 cidades em plano de banda larga do governo

A Oi iniciou a oferta de internet rápida dentro do PNBL (Plano Nacional de Banda Larga) em mais 100 municípios, informou a companhia nesta sexta-feira. Com a entrada nas novas localidades, a operadora agora oferece acesso à Internet pelo PNBL a 300 municípios em 24 Estados. "No primeiro semestre de 2012, mais 900 municípios serão beneficiados e, até o fim de 2014, as ofertas estarão disponíveis em todos os 4.800 municípios da área de atuação da Oi", disse a companhia em nota. Em meados deste ano, o governo lançou oficialmente o PNBL, que será operado pela Telebrás e já conta com a participação de outras grandes operadoras de telefonia, Telefônica, TIM e Claro, seja por acordos com a estatal ou com o Ministério das Comunicações. A meta do governo é levar o acesso à internet rápida a baixos custos em todo o Brasil até 2014, buscando preços por 1 mbps (megabit por segundo) entre R$ 29,90 (onde há isenção estadual de ICMS) e R$ 35,00.

França pede mais pressão internacional contra a Síria

A França pediu nesta sexta-feira que os países aumentem a pressão sobre a Síria "para que cesse a repressão e para instaurar uma transição democrática no país", após o Conselho de Direitos Humanos da ONU aprovar uma resolução condenando o regime do ditador Bashar Assad pela repressão às manifestações populares no país. O ministro francês das Relações Exteriores, Alain Juppé, pediu mais agilidade à comunidade internacional, ao afirmar que a aprovação do documento da ONU "condena sem ambiguidade a repressão na Síria, que causou mais de 4.000 mortes em oito meses, e o conjunto de violações dos direitos humanos perpetrados pelo regime" de Assad. Por meio de um comunicado, o chefe da diplomacia francesa destacou que a resolução das Nações Unidas foi adotada "com uma ampla maioria" de 37 países, com rejeição de quatro e abstenção de seis, e chamou atenção para a "gravidade da situação". A França está adotando medidas para proteger opositores do governo sírio em seu território depois que o principal grupo, o Conselho Nacional Sírio (cujo líder, Burhan Ghalioun, está em Paris), recebeu ameaças, disse o ministro francês do Interior, Claude Guéant, nesta sexta-feira. Diplomatas sírios em capitais estrangeiras estão promovendo campanhas de intimidação contra dissidentes exilados que protestam diante de embaixadas da Síria, segundo a Anistia Internacional.

Governo aumenta capacidade em aeroportos contra caos no fim do ano

A Secretaria de Aviação Civil afirmou nesta sexta-feira que não haverá "overbooking" nem caos nos aeroportos neste fim de ano. Segundo o governo, o Decea (Departamento de Controle do Espaço Aéreo) realizou procedimentos para aumentar em 47% a capacidade do espaço aéreo nos principais centros de controle do País. No período, o movimento de passageiros deve ser 12% maior que a média do ano e 13,6% superior em relação a dezembro de 2010. São esperados este mês mais de 16 milhões de embarques nos aeroportos operados pela Infraero. "As medidas foram definidas em conjunto entre Infraero, Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e operadoras e, porisso, devem resolver os problemas da demanda maior de passageiros nos aeroportos", disse ministro-chefe da Secretaria da Aviação Civil, Wagner Bittencourt. A Infraero contratou 321 empregados de segurança aeroportuária, operação, navegação aérea e manutenção, além de mais 200 atendentes para prestar informações aos passageiros. A Anac irá mobilizar 240 funcionários para trabalhar nos turnos de maior fluxo nos aeroportos de Brasília, Confins (Minas), Guarulhos, Congonhas, Galeão e Santos Dumont. Para possibilitar um maior número de aeronaves em vôo, o Decea implantou em 20 de outubro um novo sistema de rotas aéreas, que permite a redução do espaço entre as aerovias, de 10 milhas para 5 milhas. "Esse planejamento existe há bastante tempo e viabiliza o aumento do número de aeronaves", disse o brigadeiro Ramon Borges. Foram implementadas novas rotas entre as regiões Sudeste, Nordeste e a Europa, para otimizar o fluxo do tráfego aéreo. Por parte das companhias aéreas, foi firmado compromisso de redução do tempo de espera de check-in e de restituição de bagagens. E a prática do "overbooking" está proibida. As empresas também devem manter aeronaves reservas durante os horários de pico. A operação especial deve funcionar até o Carnaval de 2012, segundo Bittencourt.

Deputado processa Dilma na Justiça por não demitir Lupi

O deputado tucano Fernando Francischini (PR) protocolou nesta sexta-feira uma ação popular na 5ª Vara Cível da 4ª Região da Justiça Federal, do Paraná, contra a presidente Dilma Roussef, contra o ministro Carlos Lupi (Trabalho) e contra a União. O deputado argumenta que Dilma se omitiu no dever de exonerar Lupi. Ele diz que o ministro, por sua vez, cometeu atos de improbidade administrativa. Francischini pede que Lupi devolva aos cofres da União o salário que recebeu ao acumular dois cargos públicos distintos, na Câmara, em Brasília, e na Câmara Municipal do Rio de Janeiro. A "acumulação remunerada de cargos públicos" é proibida pela Constituição e pode levar a ações judiciais por improbidade administrativa e peculato, com cobrança da devolução dos recursos recebidos de maneira irregular. Francischini afirmou que sua iniciativa se justifica na aversão que a população brasileira tem manifestado contra a corrupção e a impunidade, e se reforça na recomendação da Comissão de Ética Publica da Presidência da República de afastamento do ministro Lupi, sugerido à presidente. "O caso do ministro Lupi é uma vergonha. Quero que ele devolva todo salário que recebeu da Câmara dos Deputados sem trabalhar. Dinheiro público deve voltar para o bem público", disse o deputado.

Vice-presidente do PSB diz que novo partido de Kassab é "frágil"

Apesar do "flerte" entre as duas legendas, o vice-presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, criticou nesta sexta-feira o PSD, partido criado pelo prefeito Gilberto Kassab. Ele classificou a nova sigla como "frágil" e disse que ela "simboliza o fracasso do sistema partidário brasileiro". Amaral chegou a comparar o PSD com as vans do Rio de Janeiro, "que só existem por causa do fracasso do sistema do transporte coletivo no Estado": "É a mesma coisa com o PSB, um ajuntamento de pessoas não necessariamente com interesses comum, que estão juntas por insatisfações pontuais. Ele representa o fracasso do sistema partidário do país". Mesmo assim, Amaral defendeu alianças pontuais com a legenda de Kassab. Segundo ele, isso deve acontecer por causa de objetivos comuns em alguns lugares do País. O presidente nacional da legenda e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, também admitiu que as alianças devem surgir "naturalmente", já que os formadores do PSD já tinham objetivos comum com o PSB.

Autorretrato "perdido" de Rembrandt é achado sob pintura

Aquele que é possivelmente um autorretrato nunca terminado pelo pintor holandês Rembrandt, que viveu entre 1606 e 1669, foi descoberto através de técnicas científicas avançadas escondido sob uma camada de tinta de outra pintura. Embora o rosto não tenha sido captado com detalhes, os especialistas afirmam que ele se parece com uma gravura de 1633 que representaria o pintor, segundo a inscrição contida nela. A "obra perdida" foi descoberta sob a pintura "Velho com Barba", através do uso de um equipamento de Raio-X capaz de detectar pigmentos escondidos sob camadas de tinta. A identificação foi feita por meio de um mapeamento utilizando luz fluorescente no Laboratório Nacional de Brookhaven, em Nova York, e no centro de pesquisas ESFR de Grenoble, na França. O especialista Ernst van de Wetering, diretor do projeto Rembrandt, disse estar convencido da autenticidade do autorretrato, por causa das similaridades com o estilo do mestre holandês verificado em obras datadas dos anos 1630. O coordenador da identificação, Koen Janssens, da Universidade da Antuérpia, na Bélgica, disse que o retrato está sendo considerado como uma obra da fase inicial de Rembrandt. "Por isso documenta um pouco melhor a maneira como ele trabalhava em seu ateliê", afirmou. Ele disse que a descoberta é animadora e pode revelar mais sobre o processo criativo de Rembrandt. "Quantos projetos ele começou e não terminou? Quantos ainda existem que ele mudou de idéia e recomeçou?" - questionou.

Vereadora do Rio de Janeiro exonera Willian da Rocinha após suspeitas da polícia

A vereadora Andrea Gouvêa Vieira (PSDB) exonerou nesta sexta-feira o seu assessor de gabinete William de Oliveira, ex-presidente da associação de moradores da Rocinha, após tomar conhecimento das suspeitas da Polícia Civil que levaram à prisão dele, pela manhã, na Rocinha, zona sul do Rio de Janeiro. "Eu exonerei o William do meu gabinete hoje. Todo mundo que tem alguma suspeita sobre a conduta deve ser afastado da vida pública. Vamos aguardar para ver as investigações, o que a polícia vai apresentar além das imagens. Estou bastante abalada com isso. Caso se confirme de que houve uma negociação, um benefício de uma associação, essa terá sido a maior decepção da minha vida pública", afirmou a vereadora. A polícia divulgou uma imagem reproduzida de um vídeo que teria sido gravado por uma moradora, onde William participa de uma reunião com o ex-chefe do tráfico da Rocinha, Antônio Bonfim Lopes, o Nem, durante negociação de um fuzil AK 47 com Alexandre Leopoldino Pereira, conhecido como Perninha (ex-chefe de campanha de William para deputado estadual pelo PRB-RJ em 2010 e funcionário do Palácio Guanabara). A vereadora Andrea Vieira disse que apesar da "forte imagem" divulgada pela polícia, ela vai aguardar o resultado das investigações para se manifestar sobre o episódio. "O William tem uma vida absolutamente legal. É uma pessoa que goza da minha mais absoluta confiança não só como meu assessor. Sou amiga pessoal da família do William. Convivi com ele durante muitos anos. Sei que dentro da Rocinha ele era considerado inimigo do Nem, por isso eu quero que seja investigada a afirmação dele", destacou.

CNI afirma que crise afeta indústria e 42% de empresas cancelam investimentos

O percentual de empresas brasileiras que adiaram ou cancelaram investimentos em 2011 chegou a 42,2%, segundo estudo divulgado nesta sexta-feira pela CNI (Confederação Nacional da Indústria). De acordo com a CNI, a crise externa é o principal risco aos investimentos do setor no próximo ano. Apesar do descontentamento com o cenário externo, os dados revelam que 86,6% das empresas devem investir em máquinas e equipamentos em 2012. Dessas, 73,3% pretendem importar tecnologia do Exterior. O número é inferior ao registrado em 2010, quando 92% das empresas que responderam ao questionário da confederação declararam intenção de investimento. A principal fonte de financiamentos dos investimentos ainda será o capital próprio, porém, ainda assim a participação do uso dos recursos próprios deve cair de 58,2%, registrada em 2011, para 52,9% em 2012. A parcela média de participação dos bancos oficiais, como o BNDES, deve crescer de 21,8%, em 2011, para 29,3%, em 2012. O estudo revelou também que 74,6% das indústrias pretendem focar os investimentos no mercado doméstico. O percentual de empresas pretendem apostar os investimentos principalmente ou exclusivamente no mercado externo é de apenas 3,7%.

Reino Unido prende 20 suspeitos de pertencer a grupo ilegal

Vinte pessoas suspeitas de pertencerem a um grupo ilegal no Reino Unido foram detidas nesta sexta-feira durante uma manifestação diante da embaixada dos Estados Unidos em Londres, anunciou a polícia. A Scotland Yard acrescentou que além das 20 detenções "para investigar se pertenciam a um grupo ilegal", realizou outras duas prisões, uma por obstrução e outra por desordem violenta. "Estão todos detidos em delegacias do centro de Londres", disse um porta-voz da polícia metropolitana. Acredita-se que as 20 primeiras pessoas pertençam ao grupo islamita "Muçulmanos Contra as Cruzadas", considerado ilegal desde 11 de novembro. Segundo a agência de imprensa britânica Press Association, a manifestação foi organizada por um grupo autodenominado United Ummah para protestar contra o uso de drones (avião não tripulados) americanos no Paquistão. Ao anunciar a proibição no mês passado, a ministra do Interior, Theresa May, indicou que o grupo "Muçulmanos Contra as Cruzadas" era simplesmente "outro nome para uma organização já ilegal sob outra denominação". "A organização foi proibida em 2006 por exaltação do terrorismo e estamos certos de que não pode continuar com estas atividades simplesmente mudando de nome", acrescentou a ministra. Em resposta a esta proibição, os "Muçulmanos Contra as Cruzadas" anunciaram sua dissolução, embora tenham declarado que "o chamado em favor do islã nunca será silenciado por nenhuma proibição".

Itália e Unesco buscam capital privado internacional para salvar Pompéia

O Ministério de Cultura italiano assinou um acordo com a Unesco para impulsionar o mecenato privado internacional com o objetivo de restaurar e preservar a jazida arqueológica de Pompéia, depois dos danos sofridos por várias construções. A Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) se compromete no documento a buscar patrocinadores privados para o Projeto Extraordinário e Urgente de Restauração e Conservação de Pompéia, segundo o embaixador e conselheiro italiano dessa agência da ONU, Francesco Caruso. O acordo também prevê que a Unesco colabore com seus analistas científicos na execução do plano de preservação da Pompéia, e que ajude a traçar um plano que supere os dez anos que contempla o projeto atual. "Há cerca de 150 'domus' (casas) em perigo" em Pompéia", afirmou Caruso. A zona arqueológica em questão já sofreu desmoronamentos e diversos danos nos últimos dois anos. Alguns dos casos mais famosos foram a queda de um dos muros do pátio da Casa do Moralista e o da Casa dos Gladiadores, em 2010, que datava do ano 62 d.C. Para frear a deterioração da cidade romana engolida pela cinza vulcânica depois da erupção do Vesúvio no ano 79 d.C., o novo plano conta com 105 milhões de euros (R$ 256,2 milhões) provenientes de fundos da União Européia, que se somam aos 25 milhões euros (R$ 61 milhões) que o governo italiano destina anualmente à preservação do lugar.

PIB de Cuba deve crescer 2,7% no ano, abaixo do esperado pela ditadura

A economia de Cuba registrou um crescimento de 2,7% em 2011, abaixo dos 3% esperados para o período. Para o jornal oficial "Granma", essa queda decorreu "principalmente por conta do não cumprimento do plano de construção e instalação de investimentos". Dados analisados no último Conselho de Ministros da ditadura cubana, cujos resultados foram divulgados pelo diário, apontaram que "produções como as de feijão, banana, carne de porco e leite fresco" foram menores que o planejado. Desta forma, a ditadura cubana foi "obrigada" a "aumentar suas importações de alimentos", sendo que "somente para comprar leite em pó, foi necessário desembolsar mais de US$ 15 milhões (cerca de R$ 26,88 milhões) além do previsto", publicou o "Granma". As autoridades cubanas buscam desde 2008 aumentar a produção de alimentos para diminuir as importações por meio de medidas como uma distribuição de terras ociosas a fazendeiros e aumento de tarifas. A economia de Cuba é um desastre total. A ditadura comunista é incapaz de assegurar uma produção que seja suficiente para alimentar o povo. Os cubanos são mantidos em racionamento extremo, sobrevivendo com uma caderneta de alimentos que garante a eles uma ração diária de 1.000 calorias, o que é praticamente estado de fome.

Ganha força na mídia israelense a tese de que explosões no Irã foram "sabotagem"

Depois das explosões em uma base militar próxima a Teerã e na região da instalação nuclear de Isfahan, crescem as especulações em Israel sobre uma suposta sabotagem por parte de agências de inteligência contra o programa nuclear iraniano. Nos últimos dias os principais veículos de comunicação em Israel têm dado destaque a boatos e especulações sobre supostos atos de sabotagem que teriam provocado as recentes explosões no Irã. As explosões podem ter afetado significativamente o programa nuclear do país que, segundo o último relatório da Agencia Internacional de Energia Atômica (AIEA), tem fins militares. A explosão, no dia 12 de novembro em uma base de mísseis a 45 quilômetros de Teerã, foi tão forte que o impacto foi sentido na capital iraniana. Ao todo, 17 militares iranianos morreram no incidente, qualificado por Teerã como "acidente". Entre os mortos está o general Hassan Moghaddam, chefe do projeto de desenvolvimento de mísseis do Irã. De acordo com analistas militares, a explosão causou a destruição de uma grande quantidade de mísseis de longo alcance, do tipo Shihab, que também teriam a capacidade de levar uma bomba nuclear. A segunda explosão, no dia 28 de novembro, ocorreu na região da instalação nuclear de Isfahan, onde é realizado o enriquecimento de urânio. Para o analista de assuntos de Inteligência do jornal "Haaretz", Yossi Melman, "a luta sigilosa entre agências de inteligência ocidentais e Teerã já começou, e é uma luta que não deixa impressões digitais, mas os resultados são claros". Melman também menciona o ataque cibernético à indústria nuclear iraniana, em 2010, quando um vírus denominado Stuxnet causou danos ao sistema de computadores em Natanz. Para o analista, "existe uma ligação clara" entre os três ataques, pois os alvos seriam parte fundamental do programa nuclear iraniano. Melman cita fontes estrangeiras que atribuem ao Mossad, à CIA americana e ao MI6 britânico a possível autoria da sabotagem. O analista do canal 10 da TV israelense, Nadav Eyal, chega a afirmar que a "guerra contra o Irã já começou". Moshe Yaalon, ex-chefe do Estado Maior do Exército israelense e atual ministro para assuntos estratégicos, afirmou que as instalações nucleares iranianas estão "sob a mira" de agências de Inteligência ao redor de mundo e que "de fato, a guerra contra o Irã já começou". Para Soli Shahvan, diretor do Instituto de Estudos Iranianos da Universidade de Haifa, o governo iraniano se viu obrigado a afirmar que as explosões foram acidentais, porque se admitisse que as instalações mais sigilosas e estratégicas do país foram atingidas por ataques estrangeiros, "poderia expor a fraqueza do regime e uma possivel colaboração interna com agências estrangeiras".

Professor de Direito do Rio Grande do Sul encaminha pedido formal de impeachment de Lupi

Um professor de Direito do Rio Grande do Sul enviou um pedido de impeachment do ministro Carlos Lupi (Trabalho) ao Congresso. Sérgio Borja, de 62 anos, de Porto Alegre, fez uma petição à direção da Câmara tendo como base a declaração da Comissão de Ética da Presidência, que sugeriu a exoneração do ministro. A comissão apontou que Lupi deu "explicações não satisfatórias" e "resposta inconveniente" a suspeitas de irregularidades em convênios firmados com membros do PDT. Sérgio Borja diz que incluiu como testemunhas no pedido os integrantes da própria comissão da Presidência. Ele juntou ainda uma certidão de sua ficha na Justiça Eleitoral e enviou tudo pelo correio para Brasília na quinta-feira. "Qualquer cidadão pode fazer, não precisa nem ter inscrição como advogado", disse. O professor leciona na Universidade Federal do Rio Grande do Sul e na PUC-RS e participou de passeatas contra a corrupção, como a promovida no último feriado de 7 de setembro.

Desembolsos do BNDES ficarão abaixo do previsto, diz Luciano Coutinho

O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, disse nesta sexta-feira que os desembolsos do banco neste ano ficarão abaixo do previsto. Ele afirmou que, no início de 2011, era esperado que o BNDES emprestasse ao setor produtivo entre R$ 143 bilhões e R$ 144 bilhões. Mas, agora, com 11 meses já cumpridos, a avaliação de Coutinho é de que ficará pouco abaixo dessa marca. "Vai depender de dezembro, mas vai ficar um pouquinho abaixo disso", afirmou. Luciano Coutinho disse ainda que os desembolsos do banco aumentam nos últimos dois meses do ano, o que ajudará a impulsionar o investimento e a economia como um todo. Coutinho disse ainda que é "é viável e desejável" que a economia brasileira cresça mais de 4% no ano que vem. Mas evitou responder a questões sobre possíveis aumentos de desembolsos do banco como resposta à crise, assim como foi feito em 2009. Ele afirmou apenas que o BNDES deve elevar em 10% o aporte em projetos de infraestrutura no ano que vem, carteira que deverá fechar 2011 com empréstimos da ordem de R$ 52 bilhões.

"Ah tá, já sei", disse o operador do Mensalão do PT, MarcosValério, para a polícia ao anunciarem sua prisão

A operação que culminou na prisão do publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza, operador do escândalo do Mensalão do PT, na manhã desta sexta-feira, em Belo Horizonte, começou com uma campana da polícia iniciada na segunda-feira. Segundo o delegado Denilson dos Reis Gomes, da Polícia Civil de Minas Gerais, uma equipe ficou observando a movimentação de Marcos Valério durante a semana toda. Nesta sexta-feira, por volta das 6 horas, a polícia interfonou e o próprio Marcos Valério atendeu e perguntou quem era. Disseram que era da polícia da Bahia e que investigavam o esquema. Ele respondeu: "Ah tá, já sei". E pediu para entrarem para que pudesse tomar um banho e se arrumar para ser levado. A polícia esperou cerca de 30 minutos na mansão de dois andares do empresário, que tinha três carros na garagem: dois da marca Mitsubishi (Pajero e Outlander), e uma Toyota SW4. Ao deixar a sua casa, Marcos Valério deixou a filha e a mulher que olhavam da porta.

Dilma prepara pacote de proteção ao consumidor

Depois das medidas de incentivo ao crédito, com expectativa de repercussão nas compras de Natal, Dilma Rousseff prepara pacote de proteção ao consumidor. Dois projetos já avalizados pela Casa Civil estão na mesa da presidente: um confere aos Procons estaduais poderes para finalizar acordos entre compradores insatisfeitos e fornecedores, sem necessidade de recurso judicial, e outro dá autonomia aos órgãos regionais para aplicação de multas coletivas e por reincidência. O Planalto também planeja tirar do papel a Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor, acoplada ao Ministério da Justiça e fruto da reformulação do Cade.

Ex-presidente da Caixa Econômica Federal agora assessora ditador venezuelano Hugo Chávez

O Brasil enviou à Venezuela uma ajuda ao ditador Hugo Chávez para fazer decolar a sua versão do Minha Casa, Minha Vida, bandeira do presidente na busca da reeleição. A ex-presidente da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Coelho, assessora o principal órgão gestor do programa desde agosto. A parceria em habitação foi um dos principais temas da reunião de quinta-feira entre Chávez e a presidente Dilma Rousseff. A missão da ex-presidente da Caixa Econômica Federal no programa chavista foi acertada entre Chávez e Dilma em junho, no Brasil. Enviada por meio de um convênio com a ABC (Agência Brasileira de Cooperação), Maria Fernanda Coelho viaja uma vez por mês a Caracas acompanhada de uma técnica de alto nível para participar das reuniões do Grande Órgão de Habitação, um colegiado de ministros, incluindo o poderoso presidente da PDVSA, Rafael Ramírez, criado para gerir a política habitacional.

Royal Bank of Scotland vende pubs à Heineken por US$ 662 milhões

O Royal Bank of Scotland vendeu seus negócios britânicos de aluguel de pubs para a Heineken, a terceira maior cervejaria do mundo, por 422 milhões de libras (US$ 661,8 milhões). A instituição financeira, em que o governo britânico tem uma participação de 83% depois de um resgate na crise de crédito, disse que a venda esteve em linha com a estratégia de reduzir ativos não essenciais para o banco, o que somou 105 bilhões de libras desde o fim de setembro. O banco adquiriu os 918 pubs em 1999, um deles sendo o londrino Punch Bowl, parcialmente administrado pelo cineasta Guy Ritchie. O negócio fará da Heineken um dos maiores operadores de pubs no Reino Unido, com 1.380 lojas, entre elas a rede Globe, cujo controle assumiu em 2008 após a compra da Scottish e Newcastle com a Carlsberg. A Heineken vê nos pubs um canal vital para vender suas cervejas, como a Foster's e a Heineken, a cerveja mais vendida da Europa, assim como as sidras Strongbow e Bulmer's, que estão crescendo em meio ao mercado em queda de cerveja.

Governador cearense Cid Gomes propõe "rolo" com empreiteiras usando o Estado

Durante a confraternização anual da Cooperativa de Construção Civil do Ceará (Coopercon-CE), o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), foi gravado em vídeo negociando os espaços desapropriados do metrô de Fortaleza com donos de grandes construtoras. O diálogo é constrangedor. Nele, Cid Gomes propõe "um rolo" com os empreiteiros. Veja o video e constate a proposta vexaminosa de "rolo" com a obra pública em benefício para a iniciativa privada.

Banco Central decreta liquidação da São Paulo Corretora de Valores

O Banco Central decretou nesta sexta-feira a liquidação extrajudicial da São Paulo Corretora de Valores Ltda, com sede em São Paulo. O ato assinado pelo presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, explica que a decisão foi tomada diante do comprometimento patrimonial e financeiro da corretora e da existência de graves violações às normas legais que disciplinam a atividade da instituição. José Moretsohn de Castro foi nomeado pela autoridade reguladora como liquidante, com amplos poderes de administração e liquidação.

O misto de pistolagem com realpolitik um dia terminaria em chantagem. O dia chegou!

Do site do jornalista Reinaldo Azevedo: "Dêem-me um só motivo razoável para a presidente Dilma Rousseff não demitir Carlos Lupi, seu ministro do Trabalho. Convenham: ele já não está mais na categoria dos demissíveis, mas do enxotáveis. É tão ridícula, é tão constrangedora, é tão absurda a situação desse ministro que não há alternativa possível: Dilma só fica com Lupi porque, por enquanto, demití-lo provocaria mais estragos do que mantê-lo. Até que ele próprio não seja convencido de que tem de sair ou que não lhe seja oferecida alguma boa compensação, ele fica. Empregando uma palavra de seu vocabulário e gosto pessoais, o fato é que ele tem “bala” para decidir se e quando vai sair. Um governo que se estabeleceu do modo como se estabeleceu o do PT, desde a era Lula, cairia, um dia, vítima de alguma grande chantagem. Até agora, todos os aliados operaram com a contenção própria de pistoleiros da “realpolitik”: todos brigam muito, mas ninguém atira. Em 2005, quando um contrariado decidiu disparar, Roberto Jefferson, nós vimos bem as conseqüências. Com um pouco mais de coragem das oposições, Lula teria sido impichado. O deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), em entrevista concedida ao Estadão, limitou-se à chantagem eleitoral. É pouco para manter Lupi. O ministro que afirmou que só sairia a bala, mas tinha de ser coisa grande…, é, no momento, dono de seu cargo. E tem um grande trunfo que lhe permite dizer a Dilma o que ela deve ou não deve fazer nesse particular. Lupi, como se diz na minha terra, “de bobo, só tem o andado…”.

Desaba obra do aeroporto de Cumbica que tinha inauguração marcada para o dia 20 de dezembro

O novo terminal remoto do Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, cuja inauguração foi anunciada nesta sexta pela Infraero para o dia 20 de dezembro, sofreu um desabamento de estrutura da obra por volta das 14 horas. Segundo a Delta, responsável pelas obras, duas pessoas ficaram feridas sem gravidade. Com isso, a data da inauguração deverá ser reavaliada, segundo a empresa. Em nota, a Delta informou que “uma parte da estrutura auxiliar de sustentação dos dutos de ar condicionado cedeu na obra do novo terminal de passageiros domésticos do Aeroporto de Cumbica”. A data de inauguração do terminal no dia 20 foi anunciada também nesta sexta-feira pelo presidente da Infraero, Gustavo do Vale. Segundo ele, a previsão era de que o terminal fosse inaugurado ainda antes do término das obras, previsto para 23 de janeiro. Algumas companhias já iniciariam suas operações no local já no dia 20. “O terminal vai começando aos poucos a funcionar, como foi planejado”, disse Vale: “Esse terminal é um terminal de verdade. Só para vôos domésticos e a capacidade dele é de 5,5 milhões de pessoas por ano”. Construído onde ficava o antigo galpão de cargas da Vasp, o novo terminal é remoto, ou seja, desconectado do aeroporto. Fica a cerca de dois quilômetros de distância dos Terminais 1 e 2. Na prática, é o terceiro terminal de Cumbica, embora oficialmente o Terminal 3 propriamente dito ainda esteja em fase de terraplenagem. O Terminal 3 será uma obra da iniciativa privada, tocada pela empresa que ganhar a concessão de Cumbica. O leilão está marcado para o dia 22. Em setembro, as obras do terminal chegaram a ser paralisadas por determinação da Justiça Federal por “contratação sem licitação” da empresa responsável pelo serviço, a Delta Construções S/A. No dia 14 de setembro, entretanto, o Tribunal Regional Federal da 3ª Região determinou a retomada das obras por entender que a construção tem caráter emergencial, o que justifica a dispensa de licitação. O dono da empresa Delta, Fernando Cavendish, é um homem que tem amigos poderosos. Dois dos mais destacados são Sérgio Cabral e José Dirceu. No Rio de Janeiro, a Delta toca obras de R$ 600 milhões. Pelo menos R$ 164 milhões desse total foram contratados sem licitação. Naquele trágico fim de semana de junho, em que um acidente de helicóptero matou sete pessoas no litoral baiano, incluindo a nora de Cabral, o governador integrava o grupo que estava na Bahia para comemorar o aniversário de Cavendish. Cabral viajou àquele estado no avião particular de outro potentado do setor privado: Eike Batista. Cavendish cresceu muito durante o governo petista. Teve um “consultor” de peso: José Dirceu. No começo de maio, a revista Veja publicou uma reportagem sobre a meteórica ascensão de Cavendish. Em entrevista à revista, dois empresários, José Augusto Quintella Freire e Romênio Marcelino Machado, acusam o ex-ministro e chefão petista de fazer tráfico de influência em favor da Delta. Segundo os dois, José Dirceu foi contratado por Cavendish para facilitar seus negócios com o governo federal. E como eles sabem? Eles eram donos da Sigma Engenharia, empresa que seria incorporada pela Delta em 2008; os três se tornariam sócios. O negócio emperrou e foi parar na Justiça. Oficialmente, a Delta contratou José Dirceu como consultor para negócios junto ao Mercosul. Receberia modestos R$ 20 mil mensais pelo trabalho. De fato, dizem os denunciantes, a Sigma passou a ser usada por Cavendish para fazer transferências bancárias a José Dirceu. Um trecho da reportagem informa o desempenho da empresa de Cavendish no governo petista. Seu grande salto se dá a partir de 2009, ano da contratação de José Dirceu. Durante o governo do ex-presidente Lula, a Delta passou de empresa de porte médio a sexta maior empreiteira do País. É, hoje, a que mais recebe dinheiro da União. Sua ascensão vertiginosa chamou a atenção dos concorrentes. Em 2008, a Delta já ocupava a quarta colocação no ranking das maiores fornecedoras oficiais. Em 2009, houve um salto ainda mais impressionante: a empresa dobrou seu faturamento junto ao governo federal. Em 2011, apesar das expectativas de redução da atividade econômica, o faturamento da Delta deve bater os 3 bilhões de reais, puxado por obras estaduais e do PAC, o Programa de Aceleração do Crescimento". Informa ainda a revista Veja: “Em reunião com os sócios, no fim de 2009, quando discutia exatamente as razões do litígio, o empresário Fernando Cavendish revelou o que pensa da política e dos políticos brasileiros de maneira geral: “Se eu botar 30 milhões de reais na mão de políticos, sou convidado para coisas para ‘c…’. Pode ter certeza disso!”. E disse mais. Com alguns milhões, seria possível até comprar um senador para conseguir um bom contrato com o governo: “Estou sendo muito sincero com vocês: 6 milhões aqui, eu ia ser convidado (para fazer obras). Senador fulano de tal, se (me) convidar, eu boto o dinheiro na tua mão!” Diz o empresário Romênio Marcelino Machado: "A consultoria do ex-ministro José Dirceu para o grupo Delta é tráfico de influência. Com certeza, é tráfico de influência. O trabalho era aproximar o Fernando Cavendish de pessoas influentes do governo do PT. Isso, é óbvio, com o objetivo de viabilizar a realização de negócios entre a empresa e o governo federal. Hoje, praticamente todo o faturamento do grupo Delta se concentra em obras e serviços prestados ao governo". Ele ainda esclarece: "A contratação foi feita por debaixo do pano, através da nossa empresa, sem o nosso conhecimento. Um dia apareceram notas fiscais de prestação de serviços da JD Consultoria. Como na ocasião não sabia do que se tratava, eu me recusei a autorizar o pagamento, o que acabou sendo feito por ordem do Cavendish". Ele acrescenta: "A Delta começou a receber convites de estatais para realizar obras sem ter a capacidade técnica para isso. A Petrobras é um exemplo. No Rio de Janeiro, a Delta integra um consórcio que está construindo o complexo petroquímico de Itaboraí, uma obra gigantesca. A empresa não tem histórico na área de óleo e gás, o que é uma exigência Ainda assim, conseguiu integrar o consórcio. Como? Influência política". O empresário assegura que a Delta usa da "influência política": "Usa. E usa em tudo. O caso da reforma do Maracanã é outro exemplo. A Delta está no consórcio que venceu a licitação por 705 milhões. A obra mal começou e já teve o preço elevado para mais de l bilhão de reais. Isso é uma vergonha. O TCU questionou a lisura do processo de licitação. E quem veio a público fazer a defesa da obra? O governador Sérgio Cabral. O Cavendish é amigo último do Sérgio Cabral. A promiscuidade é total". Depois de tudo, em julho, na inauguração do teleférico no Complexo do Alemão, na presença de Dilma, o vice-governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, celebrou a obra e a “vitória sobre os Ministérios Públicos”, fazendo um agradecimento explícito à Delta. Em agosto, dois meses depois do acidente, o governador Sérgio Cabral voltou a celebrar acordos com a Delta sem licitação, no valor, desta vez, de R$ 37,6 milhões. Tudo para “obras emergenciais”. A Delta é mesmo a preferida do Rio de Janeiro e de Brasília. É a empresa que mais tem obras do PAC. Parte da obra de Cumbica, contratada sem licitação, desabou na tarde desta sexta-feira.

Petrobras confirma captação de US$ 2,49 bilhões

A Petrobras confirmou a precificação de títulos no mercado internacional por meio da subsidiária Petrobras International Finance Company, no montante de 1,85 bilhão de euros (US$ 2,49 bilhões), e com vencimento em seis e dez anos. A oferta foi realizada em duas tranches e a previsão é de que a operação seja concluída no dia 9. Os recursos captados serão utilizados para o financiamento dos investimentos previstos no plano de negócios da estatal para o período de 2011 a 2015. A companhia ressalta que a estrutura de capital e o grau de alavancagem financeira serão mantidas em linha com as metas. A emissão de títulos com vencimento em março de 2018 somou 1,25 bilhão de euros, com cupom de 4,875% e rendimento ao investidor de 5,066%. Os papéis com vencimento em março de 2022, no total de 600 milhões de euros, pagarão cupom de 5,875%, o que representa um rendimento de 5,977%. A operação foi conduzida por Bradesco BBI, Santander, BB Securities, Crédit Agricole, Deutsche Bank, London Branch e HSBC Securities, com participação do Banco IMI e Mitsubishi UFJ, como co-managers.

Neozelandesa reencontra filhos levados pelo pai após 30 anos de buscas

Uma mulher neozelandesa recebeu nesta semana notícias de seus dois filhos, sequestrados em Londres pelo próprio pai há mais de 30 anos, após a publicação de um livro que conta o périplo de Paulette Moray em busca de seu paradeiro. Sasha, de 4 anos, e Naomi Moray, de 2, haviam desaparecido em julho de 1981 após serem levados pelo pai, Max Moray, que havia se separado de Paulette, em uma visita de fim de semana. Depois de uma batalha legal pelo divórcio, Paulette havia ganho a guarda das crianças na Justiça. Paulette, hoje com 64 anos, e o novo marido, George London, passaram as décadas seguintes procurando por Sasha e Naomi ao redor do mundo. Eles contrataram detetives particulares e gastaram o equivalente a quase de R$ 300 mil, sem grandes progressos até 2006. Durante todo esse período, a única pista que Paulette teve sobre os filhos foi uma carta enviada pelo pai das crianças a um diário britânico, dois anos após o sequestro, na qual dizia apenas que eles estavam bem. London conseguiu então, em 2006, descobrir o e-mail de Max Moray. Usando uma identidade falsa, ele fez contato com Moray dizendo ser um antigo amigo da família que queria retomar contato, e disse que Paulette havia morrido. Após ganhar a confiança de seu interlocutor, London finalmente descobriu que Sasha, hoje com 34 anos, e Naomi, com 32, haviam sido criados em Israel, para onde haviam sido levados pelo pai. A história da busca foi contada no livro "The Hunt", de autoria de London e do jornalista Ian Wishart, que está sendo lançado nesta semana na Nova Zelândia e no Reino Unido. "A incrível história por trás do livro é que George London conseguiu o que a Scotland Yard (a polícia metropolitana de Londres) não conseguiu, uma pista sobre o sequestrador das crianças", afirmou Wishart. Quando George London finalmente conseguiu descobrir os contatos de Sasha, na semana passada, eles enviaram ao rapaz, por e-mail, uma cópia do livro, que termina com um apelo pessoal de Paulette para que os filhos entrem em contato com ela. Três dias depois, Sasha enviou uma resposta, endereçada à "Querida Mamãe", fechando finalmente o ciclo das buscas de Paulettte. "Recebi o e-mail de Ian há três dias e passei o dia inteiro lendo e tentando digerir o que estava se desdobrando na frente de meus olhos", diz o rapaz, que hoje vive na Espanha, acrescentando que ele e a irmã, em Israel, haviam passado os dias anteriores em contato constante para discutir o assunto e como responder à mensagem da mãe. "Estamos ambos felizes, estupefatos, surpresos, tristes, intrigados e espantados por tudo isso, mas como você disse, o futuro pode ser nosso, e pretendemos fazê-lo assim", encerra o e-mail. Paulette ainda não se reuniu pessoalmente com os filhos, mas diz que não pode esperar por esse momento. "O e-mail deles foi o primeiro contato em 30 anos e foi a coisa mais emocionante que já me ocorreu. Não posso esperar pelo primeiro encontro. Deve ter sido um grande choque para eles descobrir que sua mãe os estava procurando por 30 anos", afirmou ela. "Eu pensava neles todos os dias. Você não sabe em que lugar do mundo eles estão e fica pensando se eles ainda estão vivos", disse.

China diz que não pode usar reservas para salvar Europa

A Europa não pode esperar que a China use uma grande porção de suas reservas internacionais de US$ 3,2 trilhões para salvar nações altamente endividadas, disse uma autoridade do Ministério das Relações Exteriores do país nesta sexta-feira. A vice-ministra do Exterior, Fu Ying, disse durante um fórum que o argumento de que a China deveria resgatar a Europa não é válido e que os europeus podem ter entendido mal como a China administra suas reservas. Ela não descartou explicitamente usar parte das reservas para medidas mais restritas, mas sugeriu que a China não entrará com grande parte de suas "economias" para socorrer a Europa em crise. "Nós não podemos usar esse dinheiro domesticamente para aliviar a pobreza", disse Fu: "Nós também não podemos levar esse dinheiro para o exterior para dar ajuda". Economistas estimam que Pequim já investiu um terço de suas reservas em ativos denominados em euro.

IBGE aponta que produção industrial caiu mais 0,6% em outubro

A produção industrial brasileira caiu 0,6% de setembro para outubro na taxa livre de influências sazonais, segundo pesquisa do IBGE divulgada nesta sexta-feira. Em setembro, o indicador havia caído 1,9%. Em outubro, o setor industrial registrou a terceira queda mensal consecutiva. Na média dos três meses findos em outubro, a produção mostra uma perda de 0,9% em relação ao período de três meses imediatamente anterior. Na comparação com outubro de 2010, houve queda de 2,2%. Nos 12 meses encerrados em outubro, a produção da indústria acumula variação positiva de 1,3%. De janeiro a outubro, o setor soma uma expansão de 0,7%. Segundo o IBGE, a perda de ritmo na relação mensal (de setembro para outubro) foi provocada pelo queda dos seguintes setores: edição e impressão (-6,7%), máquinas e equipamentos (-3,1%), alimentos (-5%), material eletrônico e equipamentos de comunicação (-5%), fumo (-12%) e metalurgia básica (-1%). Apresentaram altas os setores de refino de petróleo e produção de álcool (1,5%), celulose e papel (2,3%) e farmacêutica (1,6%). Dentre as categorias de uso, o pior desempenho ficou com a de bens de capital, com queda de 1,8% de setembro para outubro. A retração sinaliza uma freada nos investimentos em máquinas e equipamentos voltados à produção. Os bens de consumo semi e não duráveis recuaram 1,3% na esteira da queda dos alimentos. Ainda em terreno negativo, os bens intermediários, os de maior peso na composição da indústria, tiveram queda de 0,5%. A única categoria com resultado positivo foi a de bens de consumo duráveis (2,4%).

Nacionalização de carros poderá ter regras mais rígidas

O Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio estuda alterar a forma de aplicação dos 65% de nacionalização obrigatórios para as montadoras que quiserem ter direito ao desconto de 30 pontos percentuais no IPI. Em vez de o índice ser aplicado sobre o preço de venda dos carros (além do processo produtivo, estão embutidos custos com processos administrativos, marketing, mão de obra e o lucro da empresa), seria calculado com base unicamente no processo produtivo. Na prática, isso significaria regras mais rígidas para as montadoras do que as estabelecidas no decreto que alterou o IPI, publicado em setembro e que entra em vigor no próximo dia 16. Por isso, se a mudança for aprovada, as montadoras terão o prazo de um ano para se adaptar à norma, e a alteração na forma de aplicação valeria a partir de 2013. Outro ponto que está em discussão é o fato de o decreto original não fazer menção aos fornecedores de peças para as montadoras, o que é considerado uma incongruência por especialistas. Caso a indústria compre peças de importadores instalados no Brasil, elas são contabilizadas como conteúdo nacional, mesmo que tenham sido fabricadas no Exterior.

Operador do Mensalão do PT, Marcos Valério, é preso por fraude em registro de terra na Bahia

O publicitário Marcos Valério Fernandes de Souza, operador do esquema corruptor do Mensalão do PT, foi preso nesta sexta-feira, em Belo Horizonte, durante uma operação deflagrada pela Polícia Civil da Bahia contra suspeitos de grilagem de terras no oeste do Estado. Ao todo, 15 pessoas foram presas na Bahia, em São Paulo e em Minas Gerais. Marcos Valério e seus sócios da DNA Propaganda foram detidos em Minas Gerais, segundo o delegado Carlos Ferro, responsável pela investigação. Segundo a Polícia Civil de Minas Gerais, junto com Marcos Valério foram presos três ex-sócios das agências de publicidade envolvidas no esquema do Mensalão do PT: Margareth Freitas e Francisco Castilho (ex-sócios na DNA) e Ramon Hollerbach (ex-DNA). A Operação Terra do Nunca visava prender empresários e funcionários de cartórios envolvidos em falsificação de documentos para grilar terras. Segundo Ferro, Marcos Valério começou a ser investigado pela polícia baiana em 2010, após a Procuradoria da Fazenda Nacional de Minas Gerais requisitar informações sobre cinco fazendas apresentadas por ele em garantia em um recurso contra a execução de uma dívida de R$ 158 mil com o fisco. As fazendas Cristal 1, 2, 3, 4, 5 somavam 17.100 hectares, mas na verdade elas não existiam, segundo o delegado. "Era só no papel. A matrícula que originou o registro das cinco fazendas que o Marcos Valério apresentou como garantia era um terreno de 360 metros quadrados", contou o delegado. O esquema funcionava desde 2000 no tabelionato de notas de Barreiras e no cartório de registro de imóveis de São Desidério. A operação deflagrada reúne a apuração reunida em dez inquéritos. Segundo a polícia, funcionários dos cartórios emitiam escrituras falsas. Os papéis serviam tanto para legalizar terras griladas na região quanto para empresários usarem os "imóveis" inexistentes como garantias em financiamentos ou processos judiciais. Uma das presas na operação, segundo o delegado, foi Ana Elisabete Vieira dos Santos, mãe do piloto de testes da Lótus de Fórmula 1, Luiz Razia. Ela era titular do cartório de registro de imóveis de São Desidério e foi demitida a bem do serviço público, em junho deste ano, após processo administrativo disciplinar do Tribunal da Justiça da Bahia. De acordo com o promotor baiano André Milton Pereira, a operação quer acabar com uma indústria de fornecimento desses títulos. De posse deles os usuários do esquema os davam como garantia em dívidas. Durante a investigação do Mensalão do PT, descobriu-se que Marcos Valério utilizou esse esquema e adquiriu títulos falsos em cartórios do sul da Bahia. Eles eram a garantia para cobrir dívidas que as agências de publicidade DNA e SMPB tinham com o INSS.

Na favela da Rocinha, o líder comunitário era negociante de armas

A vereadora carioca Andréa Gouvêa Vieira certamente não tinha conhecimento do outro lado de William. Nem ela nem o vice-governador Luiz Fernando Pezão; o governador Sérgio Cabral; o senador Marcello Crivella (PRB); o apresentador de TV Luciano Huck; a presidente Dilma Rousseff; o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva; o tenista Gustavo Kuerten, o ator americano Ashton Kutcher e uma infinidade de pessoas que, em algum momento, abraçaram William À mesa, com o traficante Antônio Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, dois homens conversam, um deles exibe um fuzil AK-47 - uma arma de guerra, comumente vista nas cenas de conflitos no Afeganistão. É um armamento cobiçado por traficantes das favelas cariocas, pelo qual os criminosos pagam bem. Ao fundo, crianças brincam em uma quadra. Os dois interlocutores do traficante Nem são William de Oliveira, o William da Rocinha, lotado no gabinete da vereadora Andréa Gouvêa Vieira (PSDB), e Alexandre Leopoldino Pereira da Silva, o ‘Perninha’ - lotado na Casa Civil do Governo do Estado, como segurança do Palácio Guanabara, sede do governo. Um quarto homem, tesoureiro de Nem, ainda não identificado, organiza bolos de dinheiro. Os quadros do vídeo, exibidos pela Polícia Civil, mostram que, em certo momento, Nem confere a soma, passa o elástico e entrega uma bolada a Perninha. Outra bolada vai para William, que se põe a contar as cédulas. O vídeo, obtido pela Polícia Civil do Rio de Janeiro, levou à prisão, na manhã desta sexta-feira, o homem que, na Rocinha, era tão famoso quanto o bandido Nem. A diferença é que William também era conhecido fora dos limites da favela. E, a julgar pelas imagens que ele próprio exibe em sua página no Facebook, o conceito de líder comunitário comprometido com as causas da população da Rocinha convencia autoridades e famosos de diferentes segmentos. William foi preso em sua casa, na Rocinha, por policiais da Delegacia de Roubos e Furtos de Automóveis (DRFA). Na casa foram encontrados, entre outros itens, 10 telefones celulares. Documentos e arquivos de computador foram recolhidos para perícia. Na apresentação do caso e do próprio William, na manhã desta sexta-feira, a chefe de Polícia Civil do Rio de Janeiro, delegada Martha Rocha, fez um agradecimento às mulheres da Rocinha. Além da prisão de William e de Perninha, ainda procurado, o vídeo permitiu que a Polícia Civil obtivesse outra vitória importante. A prova representa mais um indiciamento contra o traficante Nem, e, para o delegado Márcio Mendonça, é prova “forte e segura” de que Nem comandava o tráfico no local. Na prática, isso representa chance de uma condenação mais dura contra o traficante, e dificulta uma tentativa da defesa de tirá-lo da cadeia, antes do julgamento. “Deu para perceber que ele, William, estava negociando a arma e recebendo o pagamento. Instauramos o inquérito e a prisão temporária dele está expedida. Os três foram indiciados por venda de armas e associação para o tráfico de drogas”, explicou Mendonça. Contra William, o que se tem é um vídeo que parece ser indefensável: ainda que não estivesse vendendo o fuzil para o bandido, ele terá que explicar como aceitou receber um maço de dinheiro e sentou, longamente, à mesa com o criminoso armado. A vereadora Andrea Gouvêa Vieira saiu em defesa de William no início da manhã. Pôs em dúvida a investigação da polícia. A partir da exibição de quadros do vídeo, Andréa mudou de discurso. Afirmou estar “absolutamente estupefata” e sentindo-se traída. Andréa, certamente, não tinha conhecimento do outro lado de William. Nem ela nem o vice-governador Luiz Fernando Pezão; o governador Sérgio Cabral; o senador Marcello Crivella (PRB); o apresentador de TV Luciano Huck; a presidente Dilma Rousseff; o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva; o tenista Gustavo Kuerten; o ator americano Ashton Kutcher e uma infinidade de pessoas que, em algum momento, abraçaram William. Crime e política andam juntos.

Até fantasmas votam na Assembleia Legislativa de Minas Gerais

O deputado estadual Antônio Lerin (PSB) estava, na última quarta-feira, a quase 500 quilômetros de distância de Belo Horizonte. Mesmo assim, teve um voto registrado pelo painel da Assembléia Legislativa de Minas Gerais, em Belo Horizonte, na votação de projeto de lei. Além de Lerin, que estava em Uberaba, Juninho Araújo (PTB) também teve seu voto computado mesmo sem estar em plenário. Os dois são da base do governador Antonio Anastasia (PSDB).

Ex-vereador Sami Jorge diz que Carlos Lupi foi desonesto

O ex-vereador Sami Jorge (PDT) classificou como “desonesta” a atitude do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, seu assessor legislativo na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, entre 2000 e 2005. Jorge disse não ter sido informado por Lupi, em nenhum momento, sobre o cargo ocupado por ele, durante o mesmo período, de assessor da liderança do PDT na Câmara dos Deputados, em Brasília. "Foi uma desonestidade por parte dele. Merece punição e correção. Eu não sabia desse outro emprego", afirmou Jorge: "Se houve erros, que seja punido. Tudo que foi feito de errado deve ser corrigido". Lupi foi nomeado no gabinete de Sami Jorge em 24 de outubro de 2000, onde ficou até 29 de novembro de 2005. No ano seguinte, o ministro deixou o cargo para disputar as eleições ao governo do Rio de Janeiro. Em 25 de novembro de 2006, Lupi voltou a trabalhar com o ex-vereador. Em 8 de fevereiro de 2007, foi nomeado no gabinete do então deputado Charbel Zaib, também do PDT. Lupi é funcionário concursado da prefeitura, com cargo na Secretaria da Pessoa com Deficiência, sendo contratado pelo antigo Fundo Rio, em 1985. O ex-parlamentar contou estar arrependido por ter contratado Lupi para o gabinete. Ele declarou que, se soubesse da irregularidade prevista pela Constituição não o nomearia: "Ele me pediu para ser nomeado. Todos nós, políticos, cumprimos uma relação de cordialidade com todos os partidos. Se eu soubesse que era irregular, não o nomearia. Sou um cumpridor da lei".