domingo, 25 de dezembro de 2011

Netanyahu descarta diálogo com Hamas no governo palestino

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, afirmou neste domingo que não negociará com a Autoridade Palestina se este governo incluir representantes do Hamas. Em entrevista à rádio estatal de Israel, Netanyahu declarou que "se o Hamas entrar no governo palestino bloqueará as negociações de paz com a Autoridade Palestina". Segundo a rádio, o primeiro-ministro fez tais declarações durante a conferência anual dos diplomatas israelenses em Jerusalém. Netanyahu acrescentou que "os progressos nas negociações de paz com os palestinos deverão levar em conta as necessidades de segurança de Israel, que se tornam mais importantes diante da situação regional". O premier de Israel garantiu que "não tolerará que a situação reinante no Líbano e na Faixa de Gaza seja reproduzida nos territórios controlados pela Autoridade Palestina", do presidente Mahmud Abbas. Segundo a rádio, Netanyahu espera que os palestinos reconheçam Israel como "o Estado nação do povo hebreu", mas destacou "que isto não é uma condição prévia às negociações de paz", bloqueadas desde a operação defensiva de Israel na Faixa de Gaza, no inverno de 2008/09.

Bolívia entrega à Argentina ex-repressor Baraldini

O governo boliviano entregou neste domingo à Argentina o ex-militar Luis Enrique Baraldini, procurado por violações dos direitos humanos durante a ditadura militar, informou o ministro do Interior, Wilfredo Chávez, em La Paz. "Na madrugada deste domingo concretizamos a expulsão do senhor Baraldini. Foi entregue às autoridades argentinas em Bermejo", na fronteira com a Argentina, disse o ministro Chávez. Baraldini foi detido no sábado, na cidade de Santa Cruz, 900 quilômetros a leste de La Paz. O ex-militar vivia na Bolívia desde meados da década passada, sob nome falso, o que provocou sua imediata expulsão do país. Baraldini é acusado na Argentina de violações dos direitos humanos quando exercia o cargo de chefe da polícia da Província de La Pampa, até 1980, quando passou a adido militar da embaixada da Argentina em La Paz. A página do ministério argentino da Justiça exibe uma foto de Baraldini como "procurado" por violações dos direitos humanos, e oferece uma recompensa de 100 mil pesos (US$ 23 mil) por sua captura. Baraldini tinha documentos falsos de identidade com o nome de Marco Antonio Aponte, com o qual violou as normas bolivianas de migração.

Arqueólogos descobrem antigo carimbo em Jerusalém

Arqueólogos israelenses disseram neste domingo ter descoberto um carimbo de argila de 2 mil anos, perto do Muro Ocidental, também conhecido como Muro das Lamentações, de Jerusalém, confirmando relatos escritos de rituais que eram realizados no templo sagrado judaico. Mas o objeto do tamanho de um botão tem as palavras inscritas em aramaico "puro para Deus", indicando que era usado para certificar alimentos e animais usados para cerimônias de sacrifício. O Muro Ocidental faz parte de um complexo conhecido pelos judeus como o Monte do Templo e pelos muçulmanos como o Nobre Santuário, onde a mesquita islâmica al-Awsa e o Domo da Rocha estão localizados. "Parece que o objeto era usado para marcar produtos ou objetos que eram trazidos para o Templo, e era imperativo que fossem puros segundo rituais", disse a Autoridade de Antiguidades de Israel, em comunicado para divulgar a descoberta.

Peluso nega pedido para suspender decisão que limita poder do CNJ

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Cezar Peluso, negou no sábado pedido feito pela Advocacia-Geral da União para que fosse suspensa decisão liminar sobre o poder de investigação do Conselho Nacional de Justiça. Na segunda-feira, último dia do ano judiciário, o ministro Marco Aurélio Mello concedeu uma liminar para impedir que o conselho investigue juízes antes que os tribunais onde eles atuam analisem sua conduta, o que, na prática, suspendeu todas as apurações abertas por iniciativa do Conselho Nacional de Justiça.

Grupo radical islâmico reivindica ataques a igrejas na Nigéria

Uma seita radical islâmica assumiu a responsabilidade pelos ataques perpetrados perto de igrejas católicas na Nigéria, neste domingo, que deixaram ao menos 25 pessoas mortas. O anúncio foi feito pelo porta-voz do grupo Boko Haram na cidade de Maiduguri, sede do movimento. Uma explosão em uma igreja católica na Nigéria deixou ao menos 25 mortos neste domingo de Natal, informaram as autoridades do país. O incidente ocorreu durante uma missa em celebração às festividades natalinas em uma cidade próxima à capital, Abuja. Pouco tempo depois, uma segunda explosão foi relatada perto de uma igreja na cidade central de Jos. Mais três novas explosões foram registradas no nordeste da Nigéria: duas na cidade de Damaturu e uma terceira, no sábado à noite, contra uma igreja em Gadaka, segundo testemunhas. O porta-voz da Agência de Gerenciamento de Emergências Nacional, Yushau Shuaib, e o porta-voz da polícia local, Richard Oguche, afirmaram que a primeira explosão aconteceu na igreja de Saint Theresa, na cidade de Madalla. Equipes de resgate haviam conseguido retirar 25 corpos dos destroços da igreja perto de Abuja, enquanto dezenas de feridos eram levados a hospitais, disse Slaku Luguard, coordenador da agência. Shuaibu afirmou que as autoridades nigerianas estavam tendo dificuldade para lidar com o incidente e que não havia ambulâncias suficientes para socorrer todas as vítimas. Segundo ele, a explosão aconteceu no lado de fora da igreja, mas afetou muito o edifício. "Estamos retirando os mortos e feridos do local, mas infelizmente não temos ambulâncias suficientes. A maior parte de nossas ambulâncias foram realizar operações nas rodovias maiores do país", disse. O Boko Haram, cujo nome significa "a educação não islâmica é um pecado", luta para impor a Lei Islâmica (Sharia) na Nigéria, país de maioria muçulmana no norte e cristã no sul. O grupo, que já admitiu vínculos com a rede terrorista Al Qaeda, assumiu a autoria de vários ataques recentes no norte do país.

Senado contrata 246 com salários de até R$ 23,8 mil

Um dia depois de o Congresso barrar o reajuste dos funcionários públicos no Orçamento de 2012, o Senado abriu na sexta-feira um concurso para contratar 246 novos servidores, com salário inicial de até R$ 23,8 mil. A remuneração do grupo deve custar R$ 53,3 milhões por ano aos cofres da União. O edital com as vagas foi publicado no Diário Oficial na sexta-feira. O Senado espera que 80 mil candidatos participem do concurso. Foram abertas nove vagas de consultor (salário inicial de R$ 23,8 mil), 133 de analista (R$ 18,4 mil) e 104 de técnico (R$ 13,8 mil). O Senado informou que o objetivo do concurso é preencher vagas abertas pela aposentadoria de servidores.

Crise no CNJ reabre debate sobre falta de transparência na Justiça

A crise que abalou a cúpula do Judiciário nesta semana trouxe novamente à tona a discussão sobre a transparência da Justiça brasileira. O debate foi deflagrado na segunda-feira, quando dois ministros do Supremo Tribunal Federal, em decisões provisórias, esvaziaram os poderes de investigação do Conselho Nacional de Justiça. As liminares atenderam a pedidos feitos por três associações de juízes. Elas afirmam que o CNJ atuava de forma inconstitucional. A polêmica é tão antiga quanto a própria criação do conselho, instalado em 2005 como órgão de controle externo do Poder Judiciário. Ex-secretário de Reforma do Judiciário, Sérgio Renault estava no cargo quando foi aprovada a criação do órgão. "O CNJ surgiu para investigar juízes de forma autônoma", diz ele: "A resistência à época foi grande, e agora ela renasce, talvez porque ele estivesse cumprindo o seu papel". A primeira decisão contra o CNJ foi do ministro Marco Aurélio Mello. Ele avaliou que o órgão não pode tomar a iniciativa de investigar juízes antes das corregedorias locais. Depois, seu colega Ricardo Lewandowski suspendeu apuração sobre a folha de pagamento de servidores do Judiciário em 22 tribunais. O CNJ averiguava movimentações financeiras atípicas. Para o cientista político Cláudio Gonçalves Couto, as decisões são "uma reação corporativa de uma instituição historicamente fechada e que está em descompasso com o resto da sociedade". O advogado Ives Gandra da Silva Martins também contesta as liminares: "Admiro, respeito e reconheço a idoneidade dos ministros, mas as decisões foram equivocadas".

Banrisul compra 49,9% da financeira do grupo Matone

Há quase dez anos trabalhando em operações de crédito consignado com o Banco Matone, de Porto Alegre, o que valeu até mesmo forte denúncia feita pelo ex-vice-governador Paulo Feijó, que depois se desmentiu, o Banrisul acaba de comprar 49,9% do capital da financeira Bem Vindo, controlada pela MatoneInvest Holding. A financeira tem sede no Rio de Janeiro. O Banrisul será sócio da empresa, que é e continuará privada. Na ocasião da denúncia, Paulo Feijó revelou que as direções do Matone e do Banrisul na ocasião (2008, governo de Yeda Crusius) eram muito próximas. A financeira tem 73 filiais distribuídas por todos os Estados brasileiros, conforme a seção Relação com Investidores do Banrisul.

Sakineh vai morrer na forca ou a pedradas, diz chefe de Justiça

A iraniana Sakineh Ashtiani, condenada à morte por ter cometido o suposto crime de adultério, será executada a pedradas ou por enforcamento, segundo Malek Ajdar Sharifi, chefe do Departamento de Justiça da província onde a mulher está detida. Sakineh recebeu pena de morte por apedrejamento, mas sua sentença havia sido suspensa depois de uma mobilização global de reprovação à Justiça iraniana por parte de uma série de governos. Sharifi afirmou que as autoridades da Justiça do Irã ainda estão discutindo se vão executar Sakineh por apedrejamento ou enforcamento. A presa foi condenada por adultério em 2006 e sentenciada a morrer a pedradas, sentença que causou grande comoção internacional. Pouco tempo depois, ela foi considerada culpada também por ter ajudado no assassinato do marido. Além da pena por adultério, Sakineh foi punida com 99 chibatadas pelas "relações ilícitas com estranhos", pena que lhe foi aplicada diante do seu filho, ainda em 2006.

Policiais do Distrito Federal devassam a vida do governador

A Polícia Civil do Distrito Federal investiga, em caráter reservado, onze integrantes da corporação, entre delegados e agentes, que criaram uma “força-tarefa informal” para investigar o governador Agnelo Queiroz e seus familiares. Já foram identificados os policiais, que seriam ligados a adversários políticos do governador, mas seus nomes são mantidos sob sigilo para que as investigações não sejam prejudicadas. A “força-tarefa informal” da Polícia Civil do Distrito Federal é suspeita inclusive de quebrar ilegalmente o sigilo fiscal da família do governador petista do Distrito Federal. Durante a recente greve, com a Polícia Civil esvaziada, a Inteligência descobriu que policiais faziam investigações “não contabilizadas”. A Polícia Civil não descarta o envolvimento de ex-policiais na “força-tarefa informal” que devassa a vida do governador e familiares. Bem paga e bem treinada, a Polícia Civil do Distrito Federal também tem recursos mais modernos que a Polícia Federal, inclusive na área de inteligência.

Pela terceira vez, Bento 16 celebrou a Missa do Galo antes de meia-noite

Pela terceira vez em sete anos de seu pontificado, o papa Bento 16 celebrou, na noite de sábado, a tradicional Missa do Galo na Basílica de São Pedro, no Vaticano, às 22 horas locais (19 horas de Brasília), duas horas antes do normal. A medida visou evitar o cansaço de Bento 16, de 84 anos, devido à sua idade, e porque ele teria de estar à frente dos ritos de Natal neste domingo. Em uma noite chuvosa e fria no Vaticano, o papa celebrou a missa na qual a igreja lembra o nascimento de Jesus. Bento 16 chegou ao templo no papamóvel, o qual já vem utilizando nos últimos meses para se deslocar pela Basílica, evitando esforços físicos. O rito começou com um momento de preparação, em silêncio e recolhimento, seguido das calendas, antigo texto que anuncia o nascimento de Cristo, que foi cantado ao princípio da missa, em latim, por um cantor da Capela Sistina. Junto ao altar maior, da Confissão, foi colocado um menino Jesus e uma estátua de Nossa Senhora de Montserrat, dada pelo ex-presidente brasileiro João Goulart a Paulo 6º quando foi escolhido papa, em 1963. A estátua é brasileira, do século 18, e representa a Virgem de Montserrat pintada em ouro com policromia original e prata dourada.

Islâmicos obtêm dois terços dos votos no segundo turno no Egito

Os dois principais partidos islâmicos do Egito obtiveram cerca de dois terços dos votos para as listas eleitorais no segundo turno da eleição para um Parlamento que vai elaborar uma nova Constituição, depois de décadas de governo autocrático, anunciou a comissão eleitoral no sábado. A votação foi liderada pelo Partido da Justiça e Igualdade, da Irmandade Muçulmana, que obteve 36,3% dos votos, enquanto o partido ultraconservador Salafi al-Nour obteve 28,8%, empurrando o partido liberal Wafd para o terceiro lugar. A votação, que durou mais de seis semanas, é a primeira eleição livre que o Egito realiza após o governo de 30 anos do presidente Hosni Mubarak, que constantemente manipulava as eleições, antes de ser derrubado por um levante popular, em fevereiro.

Após dez anos, crise volta a assombrar a Argentina

O momento histórico mais dramático vivido pela Argentina depois da ditadura militar (1976-1983) completou dez anos nesta semana. O chamado "estallido", crise econômica, política e social que culminou na renúncia do presidente Fernando De la Rúa (União Cívica Radical), segue vivo na memória local e é apontado por analistas como um dos fatores que ajudaram a reeleger Cristina Kirchner como presidente com 54% dos votos. "Em 2001, não havia emprego e o dinheiro primeiro ficou preso no banco, depois não valia mais nada. Hoje há emprego e os salários aumentam", diz Juan Gímenez, ex-trabalhador de uma indústria que quebrou nos anos 90 e que hoje tem um quiosque de venda de jornais no bairro portenho de Belgrano. "A sociedade ficou muito traumatizada. O desemprego, a violência, a perda do poder aquisitivo formam um pesadelo tão grande e tão recente que qualquer coisa melhor do que isso merece um voto", diz o jornalista econômico Martin Kanenguiser, autor de "El Fin de la Ilusión Argentina 2001-2011". A crise havia começado um pouco antes. Em 1998, o país entrou em recessão devido à política econômica aplicada pelo peronista Carlos Menem (1989-1999). Durante seu governo, dólar e peso valiam a mesma coisa, de acordo com a Lei de Conversibilidade, instaurada em 1991. Isso fez com que as importações ficassem baratas e muitas indústrias nacionais quebrassem. A paridade das moedas era muito popular, pois dava uma sensação de estabilidade econômica aos argentinos, mas aos poucos foi-se mostrando algo difícil de sustentar. O desemprego cresceu até atingir 20% da população, enquanto a dívida com o FMI, em 1999, era de US$ 128 bilhões. De la Rúa assumiu em 10 de dezembro de 1999, mas não conseguiu equilibrar a economia. Os ministros da área duravam meses. Passaram pela pasta José Luis Machinea, Ricardo López Murphy e Domingo Cavallo. Os distúrbios de rua começaram a ser comuns, assim como saques a lojas. Em novembro de 2001, os grandes investidores tiraram depósitos do país, e os bancos começaram a quebrar por conta da fuga de capitais. No começo do mês seguinte, Cavallo anunciou o "corralito", por meio do qual os investimentos da população ficavam congelados e os saques, limitados. Os piquetes e "cacerolazos" intensificaram-se, assim como choques com a polícia. No dia 19 de dezembro, De la Rúa decretou estado de sítio, e no dia seguinte, renunciou. O saldo dos distúrbios foi de 39 mortos. A Argentina teve mais três presidentes em menos de dez dias. Foi decretada a moratória, o maior calote da história (US$ 150 bilhões). Até que, em 2 de janeiro de 2002, assumiu o peronista Eduardo Duhalde. O governo de Néstor Kirchner, eleito no ano seguinte, logrou reerguer o país e reestruturar a dívida, beneficiado pela alta das commodities no período. Entre 2003-2007, a economia cresceu em uma média anual de 8,2%.

Ministra Eliana Calmon recebeu R$ 421 mil de auxílio-moradia

A ministra Eliana Calmon, corregedora do Conselho Nacional de Justiça, recebeu R$ 421 mil de pagamentos de auxílio-moradia atrasados. O valor foi repassado para Eliana em três parcelas. Duas foram pagas em 2008, somando R$ 226 mil, e a terceira e última em setembro deste ano, no valor de R$ 195 mil. A ministra é membro do Superior Tribunal de Justiça e estava entre os magistrados dessa corte que receberam o benefício.

Vale decide vender todos os bens no setor de petróleo e gás

Sete meses depois de assumir a presidência da Vale, Murilo Ferreira decidiu vender todos os ativos da mineradora no setor de petróleo e gás para se concentrar no principal negócio da companhia, a mineração. A decisão mostra uma mudança nos rumos que haviam sido traçados para a empresa pelo antecessor de Ferreira, Roger Agnelli. No início da semana, a empresa havia anunciado a decisão de vender supernavios, também adquiridos por Agnelli. A partir de agora, as embarcações serão afretadas. Nos dois casos, Ferreira poupa a Vale de desembolsos expressivos de capital em um momento de escassez de crédito. Isso permite que o caixa da segunda maior mineradora do mundo fique disponível para eventuais compras de ativos de mineração.

Supremo vai discutir se uso de droga é crime no País

O Supremo Tribunal Federal decidiu colocar em votação processo que questiona se usar droga é crime ou somente direito individual. No início do mês, os ministros do órgão decretaram a repercussão geral da discussão sobre o porte de drogas, o que significa que casos idênticos em todas instâncias da Justiça terão que seguir a decisão a ser tomada. Pela lei, usar droga é crime, embora, desde 2006, não haja cadeia para os punidos. Se o Supremo decidir que não há crime, o usuário, em tese, não poderá receber nem advertência, a mais branda das punições previstas na lei.

Gorbachev pede a Putin que deixe poder agora

O homem forte da Rússia, Vladimir Putin, deve deixar o poder "agora" diante dos protestos sem precedentes contra seu governo, declarou no sábado o ex-presidente soviético Mikhail Gorbachev. "Eu aconselharia Putin a partir agora", afirmou o pai da Perestroika. "Ele já teve três mandatos, dois como presidente (2000-2008) e um como primeiro-ministro. Três mandatos já bastam", disse Gorbachov. Sobre o impacto de uma eventual renúncia de Putin, o prêmio Nobel da Paz respondeu: "Isto não tem nada de dramático". O premiê Putin é candidato à presidência nas eleições de 4 de março de 2012. Gorbachov renunciou há 20 anos, no dia 25 de dezembro de 1991, após vários meses de protestos e agonia do regime soviético. O ex-presidente apoiou a grande manifestação deste sábado em Moscou, que reuniu mais de 120 mil pessoas. Gorbachov destacou que o poder deve "admitir que ocorreram muitas falsificações e manipulações" nas legislativas de 4 de dezembro passado, e defendeu a realização de novas eleições.

Juízes defendem corregedora do CNJ e expõem racha da categoria

Um grupo de juízes federais começou a coletar assinaturas para um manifesto público condenando as críticas feitas pela Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil) à atuação da corregedora nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon. "Entendemos que a agressividade das notas públicas da Ajufe não retrata o sentimento da magistatura federal. Em princípio, os juízes federais não são contrários a investigações, promovidas pela corregedora. Se eventual abuso investigatório ocorrer é questão a ser analisada concretamente", afirma o manifesto, para realçar que "não soa razoável, de plano, impedir a atuação de controle da corregedoria". A idéia surgiu em lista de discussão de magistrados federais na internet. Foi proposta pelo juiz federal Rogério Polezze, de São Paulo. Ganhou adesões após a manifestação do juiz Sergio Moro, do Paraná, especializado em casos de lavagem de dinheiro, não convencido de que houve quebra de sigilo de 200 mil juízes. "Não estou de acordo com as ações propostas no Supremo nem com as desastradas declarações e notas na imprensa", disse Moro: "É duro como associado fazer parte dos ataques contra a ministra". "Não me sinto representado pela Ajufe, apesar de filiado", afirmou o juiz federal Jeferson Schneider, do Paraná, em mensagem na lista de discussão dos juízes. Marcello Enes Figueira disse que "assinava em baixo do que afirmou o colega Sergio Moro". O juiz federal Odilon de Oliveira, de Campo Grande (MS), também aderiu, afirmando que "entregar" a ministra era um "absurdo" que a Ajufe cometia. "A atitude da Ajufe, em represália à ministra é inaceitável", diz o juiz Eduardo Cubas, de Goiás. O juiz Roberto Wanderley Nogueira, de Pernambuco, criticou as manifestações das entidades. E disse que "a ministra não merece ser censurada, e tanto menos execrada pelos seus iguais, pois seu único pecado foi ser implacável contra a corrupção".

Juízes defendem corregedora do CNJ e expõem racha da categoria

Um grupo de juízes federais começou a coletar assinaturas para um manifesto público condenando as críticas feitas pela Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil) à atuação da corregedora nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon. "Entendemos que a agressividade das notas públicas da Ajufe não retrata o sentimento da magistatura federal. Em princípio, os juízes federais não são contrários a investigações, promovidas pela corregedora. Se eventual abuso investigatório ocorrer é questão a ser analisada concretamente", afirma o manifesto, para realçar que "não soa razoável, de plano, impedir a atuação de controle da corregedoria". A idéia surgiu em lista de discussão de magistrados federais na internet. Foi proposta pelo juiz federal Rogério Polezze, de São Paulo. Ganhou adesões após a manifestação do juiz Sergio Moro, do Paraná, especializado em casos de lavagem de dinheiro, não convencido de que houve quebra de sigilo de 200 mil juízes. "Não estou de acordo com as ações propostas no Supremo nem com as desastradas declarações e notas na imprensa", disse Moro: "É duro como associado fazer parte dos ataques contra a ministra". "Não me sinto representado pela Ajufe, apesar de filiado", afirmou o juiz federal Jeferson Schneider, do Paraná, em mensagem na lista de discussão dos juízes. Marcello Enes Figueira disse que "assinava em baixo do que afirmou o colega Sergio Moro". O juiz federal Odilon de Oliveira, de Campo Grande (MS), também aderiu, afirmando que "entregar" a ministra era um "absurdo" que a Ajufe cometia. "A atitude da Ajufe, em represália à ministra é inaceitável", diz o juiz Eduardo Cubas, de Goiás. O juiz Roberto Wanderley Nogueira, de Pernambuco, criticou as manifestações das entidades. E disse que "a ministra não merece ser censurada, e tanto menos execrada pelos seus iguais, pois seu único pecado foi ser implacável contra a corrupção".

Cuba anuncia que vai soltar mais de 2.900 presos

A ditadura cubana anunciou na sexta-feira o perdão por "razões humanitárias" de mais de 2.900 presos que serão colocados em liberdade nos próximos dias, segundo informações do site oficial Cubadebate, citando um comunicado do Conselho de Estado. Segundo a nota oficial, a decisão veio em cumprimento à "política estabelecida e às numerosas requisições de familiares e diversas instituições religiosas" em um "gesto humanitário e soberano" da ditadura cubana. Os presos que serão soltos foram selecionados por conta do peso dos crimes que cometeram, da boa conduta na prisão, idade avançada, doenças e por tempo de cumprimento da pena a que foram condenados. "Entre aqueles que serão colocados em liberdade, destacam-se pessoas com mais de 60 anos, doentes, mulheres e jovens sem antecedentes criminais, que aprenderam um ofício ou elevaram seu nível cultural, e têm possibilidades de reinserção social", afirma a nota. O ditador cubano, Raúl Castro, disse que a visita programada do papa Bento 16 foi uma das motivações do perdão, e que há 86 estrangeiros de 25 países entre os presos que serão soltos.

Etta James é internada e ligada a respirador artificial

A cantora Etta James, diagnosticada com leucemia terminal, foi internada em um hospital na Califórnia e está ligada a um respirador artificial, na sexta-feira. Etta James, de 73 anos, mais conhecida por sua balada de blues "At Last", foi levada ao hospital perto de sua casa em Riverside, em Los Angeles, há cerca de uma semana, com dificuldades para respirar. "Eles a levaram ao hospital. Ela estava com dificuldades para respirar, então a entubaram. Ela está em um respirador artificial e está descansando", disse Lupe De-Leon, agente da cantora há 30 anos. A cantora está com uma saúde debilitada há alguns anos e sofre de leucemia, uma doença no rim e demência, mas até agora foi tratada em sua casa no sul da Califórnia. Seu médico disse na semana passada que Etta estava com uma doença terminal, e que ela se comunica principalmente com gestos e palavras simples. A vencedora de três Grammys lutou contra a obesidade e foi viciada em heroína durante muitos anos. "É muito triste. Ela é como minha irmã", disse Lupe De-Leon na sexta-feira. Etta James foi uma figura importante nos primórdios da música R&B, com canções de sucesso como "The Wallflower" e "Good Rockin' Daddy". Mas sua gravação de 1961 "At Last" foi seu grande marco.

Dilma afirma que País manterá 'luta contra corrupção'

Em seu último pronunciamento em rede nacional de rádio e TV em 2011, a presidente Dilma Rousseff afirmou que o País vai manter o combate à corrupção e a "qualquer tipo de desvio ou malfeito" no próximo ano. O primeiro ano de governo de Dilma foi marcado pela saída de políticos envolvidos em suspeitas de irregularidades. Ao todo, seis ministros deixaram a Esplanada dos Ministérios nessa condição: Antonio Palocci (Casa Civil), Alfredo Nascimento (Transporte), Wagner Rossi (Agricultura), Pedro Novais (Turismo), Orlando Silva (Esporte) e Carlos Lupi (Trabalho). "Teremos força também para continuar a luta incessante contra a corrupção e qualquer tipo de desvio ou malfeito. Juntos, nós brasileiros vamos continuar melhorando econômica, social e politicamente, e reforçando nossos valores morais e éticos", afirmou a presidente.

Congresso dos Estados Unidos deixa de renovar tarifa para etanol

Depois de mais de 30 anos de renovações periódicas, os Estados Unidos vão deixar pela primeira vez que a tarifa imposta à importação de etanol e os subsídios oferecidos ao produto expirem, no próximo dia 31. Na sexta-feira, a Câmara dos Representantes encerrou sua agenda de votações para o ano sem incluir nenhum projeto que renovasse as duas medidas. O fato de a Câmara não ter votado pela renovação indica que a partir de 1º de janeiro de 2012 deixará de ser cobrada a tarifa de US$ 0,54 por galão (ou US$ 0,14 por litro) para o produto importado e também chegará ao fim o subsídio de US$ 0,45 por galão (equivalente a 3,78 litros) oferecido ao etanol misturado à gasolina. A notícia é comemorada pelo setor de etanol brasileiro, que há vários anos luta pelo fim das medidas. O produto brasileiro também recebe o subsídio, mas esse benefício se perde com o pagamento da tarifa e o etanol nacional acaba pagando US$ 0,09 por galão para entrar no mercado americano. "O Brasil quer trabalhar com os Estados Unidos para fazer do etanol uma commodity global. Este é o primeiro passo", disse a representante da Unica (União da Indústria de Cana-de-Açúcar) em Washington, Leticia Phillips. "Também enviará um sinal aos investidores para expandir sua atuação no Brasil", afirma. Os Estados Unidos são o maior produtor mundial de etanol, que no país é produzido à base de milho. O Brasil, onde o produto é feito com cana-de-açúcar, ocupa o segundo lugar no ranking.

Asteróide recebe nome de desaparecida durante regime militar na Argentina

A União Astronômica Internacional nomeou o asteróide 11441 em homenagem a Ana Teresa Diego. O corpo celeste, localizado em 1975 no Cinturão Principal entre Marte e Júpiter, ganhou o nome de uma desaparecida do regime militar argentino (1976-1983). Esta é a primeira vez que uma vítima do regime político tem seu nome colocado em um corpo celeste. A estudante de astronomia foi sequestrada em 30 de setembro de 1976, em La Plata, na Argentina. Ela tinha 22 anos na época e era reconhecida como uma formidável aluna do Observatório Astronômico na década de 1970. O professor da Faculdade de Astronomia de La Plata, Adrián Brunini, que apresentou a proposta do nome "Anadiego" em setembro, afirmou estar contente com a decisão: "Me pareceu meritório que uma estudante que desejava se tornar astrônoma e que lutou por seus ideais tenha um asteróide com seu nome". Ao saber da indicação, a mãe da desaparecida, Zaida Franz, que há 35 anos procura notícias da filha, declarou que gestos pequenos como este ajudam as famílias de vítimas do regime militar: "Nunca soube onde está o corpo de Ana, agora sei que está no asteróide com o nome dela. Não só ela, mas todos os desaparecidos".

MPF investiga atuação de milícias em empreendimento de Eike Batista

O Ministério Público Federal em Campos instaurou procedimento para investigar suposta formação de milícias e a violação de direitos humanos no município de São João da Barra, no Rio de Janeiro, onde está em construção o Porto do Açu, empreendimento do grupo EBX, do empresário Eike Batista. Segundo o Ministério Público Federal, seguranças privados e policiais militares estariam atuando de forma truculenta e arbitrária na desapropriação de agricultores e pescadores do 5º distrito da cidade. O Ministério Público Federal diz ainda que as denúncias recebidas dão conta de que cerca de 800 famílias que querem permanecer na região estão sofrendo diversas ameaças para deixar o local, com a presença ostensiva de policiais militares e seguranças. "Além disso, moradores que já foram removidos não teriam recebido indenização e alguns despejos foram realizados sem a apresentação de ordem judicial", diz a nota divulgada pelo Ministério Público Federal.

Juízes oficalizam pedido de investigação sobre corregedora do CNJ

Três das principais associações de juízes entraram na sexta-feira com um pedido para que a Procuradoria-Geral da República investigue possível crime de quebra de sigilo de dados cometido pela corregedora do Conselho Nacional de Justiça, Eliana Calmon. Uma varredura determinada pelo Conselho Nacional de Justiça na movimentação financeira de servidores e magistrados do Judiciário está na origem da guerra deflagrada no mundo jurídico. Na última segunda-feira, o ministro Ricardo Lewandowski, em decisão liminar, suspendeu as investigações feitas pelo conselho. Segundo as entidades, a quebra do sigilo de dados, sem ordem judicial, atingiu 231 mil pessoas, entre juízes, servidores e parentes destes. O pedido foi feito pela Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil), pela AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros) e pela Anamatra (Associação Nacional dos Magistrados Trabalhistas). As associações dizem ainda que pedirão ao presidente do Conselho Nacional de Justiça, ministro Cezar Peluso, que instaure uma correição imediata na corregedoria do CNJ. A corregedora do CNJ, ministra Eliana Calmon, disse que as entidades são corporativistas e acusou as associações de divulgar informações "desencontradas e absurdas" de que ela estaria investigando mais de 200 mil pessoas, com a intenção de fazer um "verdadeiro linchamento moral".

Após hemorragia intestinal, Chico Anysio tem quadro estável

Chico Anysio, de 80 anos, apresenta um quadro estável após ter uma hemorragia digestiva na última quinta-feira. De acordo com o boletim médico, Chico Anysio ainda não tem previsão de alta. O humorista havia recebido alta médica e voltado para casa na última quarta-feira. O artista está no hospital Samaritano, em Botafogo, zona sul da cidade. Internado desde o último dia 27 de novembro, com o mesmo problema, ele havia saído da unidade feliz com a notícia de que passaria o Natal em casa com a família. Até então, a informação era a de que o comediante tinha reagido bem ao tratamento, um ciclo de antibióticos que resultou em sua melhora. Chico Anysio já ficou internado por duas vezes este ano, durante 110 dias, devido a complicações cardiorrespiratórias.

Chinesa Three Gorges quer acelerar presença no Brasil

A companhia chinesa Three Gorges assegurou em comunicado divulgado na sexta-feira que o acordo com a EDP (Energias de Portugal) deverá acelerar sua presença no Brasil, Estadps Unidos e Europa. Depois de anunciar na quinta-feira a compra de participação do Estado português na empresa, tornando-se sua maior acionista, a companhia avaliou positivamente a operação e afirmou que vai cooperar com a EDP no campo de energias alternativas. A empresa destacou ainda que a iniciativa significa a primeira compra de Three Gorges no mercado internacional.

Alupar vai emitir até R$ 202,5 milhões em títulos privados

O conselho da Alupar Investimentos aprovou a quarta emissão de debêntures da companhia, no valor de até R$ 202,5 milhões. Conforme a companhia, os recursos obtidos com a operação serão utilizados para refinanciar empréstimos e para reforço do capital de giro da empresa. Em série única, serão emitidos até 20.250 debêntures, com valor unitário de R$ 10 mil e vencimento em fevereiro de 2018. A distribuição será feita sob o regime de garantia firme de colocação para 15 mil certificados, enquanto as outras debêntures serão ofertadas sob o regime de melhores esforços. O consórcio formado pela Alupar Investimento juntamente com Furnas anunciou que pretende construir dez parques de geração eólica no município de Aracati, no Ceará, o que representa investimentos da ordem de R$ 800 milhões. Com o objetivo de expandir sua atuação na América Latina, em outubro, a empresa também anunciou que vai investir US$ 70 milhões na construção de três pequenas centrais hidrelétricas na Colômbia. A empresa se prepara também para participar do leilão de linhas de transmissão no Chile.

Novo prefeito de Campinas será escolhido por vereadores

A Justiça Eleitoral determinou que o novo prefeito de Campinas (SP) será escolhido por eleições indiretas, com o voto dos 33 vereadores. Ele substituirá Demétrio Vilagra (PT), que teve o mandato cassado na quarta-feira, em votação na Câmara Municipal. Será a quinta troca no comando da administração de Campinas em oito meses. Os vereadores consideraram que houve quebra de decoro por Vilagra ter supostamente participado de um esquema de corrupção. Ele nega participação. O juiz eleitoral de Campinas, Nelson Augusto Bernardes, disse que a Câmara precisa aguardar resolução do Tribunal Regional Eleitoral, para então definir os detalhes da eleição indireta, que deve ocorrer em até 90 dias. Não está definido quem poderá concorrer. Uma possibilidade é que qualquer pessoa elegível (filiada a um partido e com ao menos 21 anos, por exemplo) possa se candidatar. Outra é cada legenda indicar um representante. Por ora, quem assume a administração é o presidente da Câmara, Pedro Serafim (PDT). A previsão é que o pedetista tome posse na terça-feira.

Petrobras fecha acordo com Kuwait Petroleum para comprar diesel

A Petrobras irá adquirir diesel da estatal KPC (Kuwait Petroleum Corp) por meio de um acordo excepcional para o próximo ano, em meio a um aumento da demanda doméstica que forçou a petrolífera a buscar alternativas de fornecimento. A estatal brasileira assinou contrato de um ano com a KPC para compra de 25 mil toneladas de diesel por mês a partir de janeiro de 2012. O volume será adicionado a um contrato já existente entre ambas empresas, de 40 mil toneladas por mês, para fornecimento à Petrobras entre meados de 2011 e o final de 2012. A KPC era fornecedora de petróleo bruto e outros produtos à Petrobras na década de 1990.

Aécio Neves incentiva chapa com Chalita a prefeito de São Paulo

Em meio a um disputa no PSDB com o ex-governador José Serra, o senador Aécio Neves (MG) entrou nas negociações para sucessão do prefeito Gilberto Kassab (PSD) Ele passou a incentivar, nos bastidores, a candidatura do deputado federal Gabriel Chalita (PMDB) à prefeitura, sob o argumento de que ela evitaria um alinhamento dos peemedebistas ao pré-candidato do PT, ministro Fernando Haddad (Educação). Também se reuniu com o DEM para avaliar aliança com PMDB e PSDB no primeiro turno, com Chalita na cabeça de chapa, para isolar o PT. Chalita tem boas relações com o governador Geraldo Alckmin e já foi filiado ao PSDB.