domingo, 15 de janeiro de 2012

Dois sobreviventes são encontrados dentro de navio naufragado na Itália

Um homem e uma mulher foram encontrados com vida dentro do navio de cruzeiro de luxo Costa Concordia, que naufragou na noite de sexta-feira na costa da Itália, próximo à ilha de Giglio, matando ao menos três pessoas. A informação foi divulgada na noite de sábado. Os dois sobreviventes foram ouvidos pela equipe de resgate que continua fazendo buscas no local. O navio não afundou completamente e parte da embarcação ainda pode ser vista a partir da costa. O número de desaparecidos é estimado em 40. Eles estão dois andares abaixo do local em que as buscas estão sendo feitas no momento e ainda não foram retirados da embarcação. O comandante do Costa Concordia, Francesco Schettino, foi interrogado e depois levado à prisão de Grosseto, onde deve aguardar uma audiência judicial. Schettino e o primeiro oficial do navio, Ciro Ambrósio, foram detidos após o navio, que levava 4.229 pessoas, ter encalhado a 500 metros da ilha toscana, na cidade de Grosseto. Durante o interrogatório policial, o comandante disse que a rocha contra a qual o navio da empresa italiana Costa Cruzeiros se chocou não estava indicada nas cartas de navegação usadas no navio. Já a procuradoria de Grosseto afirma que Schettino realizou uma manobra errada e acusa o comandante de ter abandonado o navio quando ainda havia um grande número de passageiros dentro da embarcação aguardando o resgate. Uma fonte próxima à equipe de investigação das causas do acidente afirmou que o navio da Costa Cruzeiros seguia "uma rota errada, não deveria estar no local em que se chocou contra a rocha", mas a empresa declarou que o navio podia passar entre a ilha de Giglio e o porto de Santo Stefano, na cidade de Grosseto. O navio transportava 53 brasileiros entre os 4.229 a bordo, segundo informações do Ministério das Relações Exteriores. Desse total, havia 47 passageiros e seis tripulantes. Anteriormente, o ministério havia informado que 46 brasileiros estavam no acidente. Segundo o Itamaraty, os 53 brasileiros foram identificados e retirados da área, na região da Toscana. O ministério disse ainda que a origem das informações, até o momento, é a "companhia de cruzeiros que organiza os resgate e distribui os resgatados pelos hotéis da região da Toscana, ao norte da Itália". Entre os mortos confirmados, há dois turistas franceses e um peruano, membro da tripulação. A equipe médica que realiza o resgate das vítimas afirmou que as três pessoas teriam se afogado. Os corpos se encontram no necrotério de Orbetello, próximo ao porto de São Stefano. O prefeito de Grosseto, Giuseppe Linardi, confirmou a morte de apenas três pessoas e afirmou que há 14 feridos. Mais cedo, a empresa Costa Cruzeiros, dona do Costa Concordia, havia informado em comunicado no sábado que oito pessoas morreram após a tragédia e ao menos 80 estavam desaparecidas. O arquipélago onde está situada a Ilha de Giglio fica a cerca de 80 quilômetros de distância de Roma. Segundo relatos da imprensa européia, após o encalhe da embarcação pequenas barcos tentaram ajudar no resgate dos passageiros e tripulantes. A Guarda Costeira chegou a informar que "os passageiros não corriam perigo" e eram retirados em botes salva-vidas do navio Costa Concordia. Porém, ao retirar os últimos membros da tripulação uma fenda se abriu, causando vazamentos internos. De acordo com o site do Costa Concordia, a embarcação "é o maior e mais imponente navio de toda a frota Costa com 112 mil toneladas, mais de 500 varandas privativas nas 1.500 cabines".

Chico Anysio é submetido a cirurgia de emergência

O humorista Chico Anysio, internado desde o dia 22 de dezembro, foi submetido na noite de sábado a uma cirurgia no abdomen, informou o Hospital Samaritano, em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro. Segundo o boletim médico, foi retirado um segmento do intestino delgado em uma laparotomia exploradora, cirurgia para esclarecer um diagnóstico (o hospital não revelou qual era a suspeita que levou à intervenção nem se ela já foi confirmada). O boletim diz que o quadro clínico do humorista de 80 anos é grave e inspira cuidados. Ele respira com ajuda de aparelhos. Leia a íntegra do boletim médico divulgado pelo hospital: "Francisco Anysio Paula Filho permanece internado no CTI do Hospital Samaritano, em Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Segundo o médico Luiz Alfredo Lamy, o paciente precisou ser submetido hoje à tarde a uma laparotomia exploradora (cirurgia abdominal para esclarecer um diagnóstico), onde foi retirado um segmento do intestino delgado. O quadro clínico do paciente é grave e inspira cuidados. No momento ele respira com ajuda de aparelhos. Não há previsão de alta. Luiz Alfredo Lamy - Clínico Geral Intensivista; José Reinan Ramos - Cirurgião Geral em Coloproctologista".

Standard & Poor´s rebaixa rating de países da zona do euro

A agência de qualificação de risco Standard & Poor´s rebaixou na sexta-feira os "ratings" dos países que fazem parte da zona do euro. Dos 17 países que compõem o bloco, nove tiveram suas "notas" rebaixadas, com destaque para algumas das maiores economias da região. E com exceção de Alemanha e Eslováquia, a S&P advertiu que a "perspectiva" para todos os "ratings" alterados é de "negativa", isto é, há maior probabilidade de um novo rebaixamento dessas "notas" na próxima revisão, que pode ocorrer em um prazo de dois anos. Em seu relatório, a equipe de analistas da S&P justificou as alterações por julgar que "as iniciativas que foram tomadas pelas autoridades da União Européia nas últimas semanas devem ser insuficientes para lidar integralmente com o estresses sistêmicos da zona do euro". O ministro francês da Economia, François Baroin, esteve reunido com o presidente francês Nicolas Sarkozy, mas contestou que o governo prepara um novo plano de austeridade fiscal ante a notícia. A imprensa internacional havia antecipado o rebaixamento da segunda maior economia da zona do euro logo pela manhã, provocando quedas nas Bolsas de Valores, principalmente as européias.

Usina de Lixo de Taquara volta a funcionar sete anos após ser desativada

A usina de lixo de Taquara foi reinaugurada na sexta-feira. Segundo o secretário de Planejamento e Meio Ambiente de Taquara, Jeferson Corá Lorenzão, um do grandes entraves que a atual administração teve que enfrentar para que a usina voltasse a funcionar foi a documentação ambiental, a qual foi entregue à Fundação Estadual de Proteção Ambiental. Depois, veio a etapa das obras, que recebeu investimento de 250 mil reais, em recursos do Fundo Municipal do Meio Ambiente e dinheiro próprio da prefeitura. Continua pendente, segundo Jeferson Corá, o repasse de R$ 125.000,00 da Fundação Nacional de Saúde destinado à obra. Além da reforma, a usina também recebeu novos equipamentos, como esteira e compactador. Segundo o secretário de Planejamento e Meio Ambiente, Jeferson Corá Lorenzão, o início do serviço está previsto a partir da resolução da licitação para contratação de empresa responsável pela coleta de lixo. O Tribunal de Contas do Estado anunciou a suspensão da licitação por conta de supostas irregularidades no processo. O secretário Jeferson diz que a coleta seletiva é um serviço extremamente necessário e será implantado. Para o titular do Planejamento, a inauguração da usina de lixo na sexta-feira é um marco para Taquara. Jeferson Corá ressalta que também é um importante investimento social, uma vez que propicia trabalhos a dezenas de catadores do município.

"Governador Tarso Genro quer ajuda da União para pagar o piso dos professores: ele não conhece a lei?"

Mariza Abreu
Há um conflito forte entre o governo do Estado do Rio Grande do Sul, administrado pelo PT e pelo petista Tarso Genro, e o sindicato pelêgo Cpers, também petista. No centro da disputa está o pagamento do piso nacional salarial do magistério, obrigação por mandamento constitucional. Essa confusão deixa em pânico os pais de alunos da rede pública do Estado, que temem começar o ano letivo com o magistério em greve novamente, o que se tornou hábito nos últimos 30 anos. No artigo a seguir, Mariza Abreu, ex-secretária da Educação, no governo Yeda Crusius, explica as contradições do petismo. Diz ela: "Toda vez que algum integrante do governo, dessa vez o próprio governador Tarso Genro, manifesta-se sobre o piso do magistério, mas evidentes tornam-se as contradições do PT. Repercute a entrevista do governador Tarso Genro que afirmou na última sexta-feira não ser contra o piso para o magistério, mas que o governo federal deve auxiliar os Estados com recursos do Orçamento da União. Afirmou também que espera a votação pelo Congresso Nacional da alteração do critério de reajuste do valor do piso, do atual percentual de crescimento do valor anual mínimo por aluno referente aos anos iniciais do ensino fundamental urbano para o INPC. Para o governador, ao fixar esse critério de reajuste a lei modifica o conceito de piso que, segundo ele, é de um patamar mínimo atualizado pela inflação. Pela Lei 11.738/08 em vigência, que criou o piso nacional dos professores, somente os governos estaduais e municipais dos Estados que já recebem complementação da União ao Fundeb podem pleitear tais recursos federais para o pagamento do piso do magistério, que, em 2011 e 2012, foram apenas nove: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco e Piauí. Isto porque os recursos federais destinados a ajudar governos que não podem pagar o piso nacional correspondem a 10% da complementação da União ao Fundeb, a qual foi de R$ 7.925.200,60 em 20110 e estimada em R$ 9.440.373,9 para 2012, conforme portarias interministeriais disponíveis no site do FNDE. Portanto, respectivamente R$ 795 milhões e R$ 944 milhões para a integralização do piso em todo o País. Sempre muito menos do que precisa só o Rio Grande do Sul para pagar o piso no atual plano de carreira do magistério gaúcho. Segundo o próprio governo Tarso Genro, R$ 1,7 bilhão em 2011 e, em 2012, de R$ 2,07 bilhões, se o valor do piso fosse reajustado pelo INPC, como propôs o ex-presidente Lula no Projeto de Lei 3776, de 23/07/08, ou de R$ 2,96 bilhões, segundo o critério da lei vigente. Portanto, para que o Rio Grande do Sul possa obter apoio da União, é preciso mudar a lei do piso, o que pode ultrapassar o governo Tarso Genro. Lembre-se que o Projeto de Lei 3776, que o PT gaúcho agora parece apoiar, está tramitando no Congresso Nacional desde julho de 2008, ou seja, três anos e meio, mais do que os três anos restantes do governo Tarso Genro. Em 19 de dezembro de 2011, o deputado Nelson Marchezan Junior (PSDB/RS) apresentou o Projeto de Lei 3020, que altera a lei federal do piso, a fim de viabilizar que Estados e Municípios não beneficiados pela complementação da União ao Fundeb possam receber complementação do governo federal para integralização do piso nacional para o magistério público da educação básica. Enquanto o PT fala, o PSDB age em favor do Rio Grande do Sul e do magistério, sem abrir mão da coerência e de suas convicções. Foi o que fez na situação, com a governadora Yeda Crusius, é o que faz na oposição, com seu presidente estadual, o deputado federal Nelson Marchezan Junior. Entretanto, além desse Projeto de Lei poder não ser transformado em lei antes do final do governo Tarso Genro, dificilmente a União aportará para o Rio Grande do Sul o volume de recursos necessários, segundo as estimativas da Secretaria da Fazenda do governo Tarso Genro. Portanto, mesmo essa possibilidade de aporte federal não resolverá o problema sem a adequação do plano de carreira, prevista na própria lei do piso. Isto porque membros do PT, integrantes do MEC e da CNTE, parecem ter consciência da defasagem do plano de carreira do magistério gaúcho. Se não, como entender a posição da CNTE ao reconhecer que "de pouco vale um plano com vencimento inicial irrisório e com grande dispersão entre os níveis e as classes”? Esta não é a “fotografia” da carreira dos professores do Rio Grande do Sul? Ou como entender a posição do MEC, na Nota Técnica enviada à Câmara dos Deputados para fundamentar as metas do PNE, onde afirma: "....no entanto, todo esse arcabouço (CF/88, LDB/96, ECs do Fundef/06 e Fundeb/08, e Resoluções da Câmara de Educação Básica do Conselho Nacional de Educação de 1987 e 2009) não tem sido suficiente para que os planos de carreira se consolidem nos termos das normatizações em vigor, especialmente quanto à 'elaboração ou adequação de seus planos de carreira até 31/12/09' (Res. CNE/CEB nº 02/09, art. 2º, e Lei 11.738/08). Comprova-se isto pelo levantamento realizado nas legislações estaduais, onde, considerando os 26 Estados e o Distrito Federal, quatro PCCR (planos de carreira) são anteriores à LDB/96, com destaque para o do Rio Grande do Sul, cuja legislação data de 1974;..." Concordo integralmente com a posição do governador Tarso Genro segundo a qual o piso, à medida que entendido como vencimento inicial das carreiras, deve ter reajuste anualmente pela inflação, cabendo aos governos sub-nacionais a iniciativa de aumento real dos vencimentos de seus professores, por meio de negociação com os respectivos sindicatos e legislativos. Temos aqui dois problemas. Primeiro, será que o governador não conhecia a lei federal do piso que ele mesmo assinou, como Ministro da Justiça do governo Lula? Por que, à época, não agiu junto ao ex-presidente para que esse dispositivo fosse vetado pela Presidência da República, como ocorreu com outros dispositivos da lei? Por que não agiu de forma mais firme junto ao Congresso Nacional anteriormente, especialmente depois de assumir o governo do Rio Grande do Sul e haver se comprometido na campanha eleitoral com o pagamento do piso aos professores sem qualquer condicionamento? Em segundo lugar, será que o governador desconhece que foi firmado acordo entre o governo Dilma e a CNTE, em meados de dezembro de 2011, para que o Projeto de Lei do ex-presidente Lula não fosse votado e não se alterasse o critério de reajuste do piso, pelo menos para 2012? Será que não sabe que esse acordo foi liderado internamente no governo federal pelo ministro da Educação, Fernando Haddad, o assessor do MEC, Carlos Abicalil (ex-dep federal do PT/MS e ex-presidente da CNTE), a deputada federal Fátima Bezerra, do PT/RN (presidente da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados e ex-dirigente da CNTE), e a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, do PT/SC (ex-presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação - SINTE/SC)? Será que um recuo neste acordo não desgastaria a candidatura de Fernando Haddad à prefeitura de São Paulo, hoje a prioridade das prioridades eleitorais do ex-presidente Lula e do PT nacional? Sinceramente, ou a aposta do governador é muito alta ou é mais uma manobra para protelar e construir as condições políticas para tomar a única iniciativa que está ao seu alcance: enfrentar o Cpers e adequar o plano de carreira do magistério gaúcho. Não é ele mesmo quem diz que o governo não pode restringir sua pauta à seca e às corporações? Pois então, está nas mãos do governador Tarso Genro fazer o que o PT não deixou fazerem os governos do PDT, de Collares; do PMDB, de Britto; e do PSDB, de Yeda Crusius: a mudança e aperfeiçoamento da carreira dos professores estaduais, condição imprescindível para a valorização, inclusive salarial, do magistério e para a melhoria da qualidade da educação estadual gaúcha. Afinal, o governo Tarso tem condições políticas favoráveis para isso, pois se antes o PT apoiava o Cpers em suas posições corporativas, conservadoras e atrasadas, contra os governos dos outros partidos, hoje o Cpers está fragilizado, ao não contar com o apoio do PT nem da oposição. Em 1998, quando da aprovação de novo plano de carreira do magistério, revogado pelo governo Olívio no ano seguinte, foi na Assembléia Legislativa que ocorreu a negociação do projeto de lei enviado por Britto. Naquela ocasião, o PP liderou a oposição nesse processo, apresentando mais de uma dúzia de emendas ao projeto do Executivo. Foram, pois, os deputados de oposição que então representaram a parcela dos professores que já àquela época não se identificavam com as posições da direção do Cpers. Por que não pode o Rio Grande do Sul experimentar o mesmo processo em 2012?"

Extrema-direita da Hungria exige saída da União Européia

Milhares de húngaros marcharam contra a União Européia em um protesto do partido de extrema direita Jobbik, pedindo a saída da Hungria do bloco e pressionando o governo a procurar um acordo de financiamento com a União Européia e o FMI para evitar a insolvência. Dois deputados do Jobbik, o segundo maior partido de oposição no parlamento húngaro, queimaram uma bandeira da União Européia no protesto em frente aos escritórios da Comissão Européia, em Budapeste. "Esta semana a União Européia declarou guerra à Hungria de maneira muito dura e aberta," disse Csanad Szegedi, um dos membros do Jobbik no Parlamento Europeu a cerca de 2.000 manifestantes. Após as conversas com os credores desandarem no último mês, uma série de leis contestadas e a desvalorização da moeda do país forçaram o governo conservador do primeiro-ministro Viktor Orban a recuar e procurar um rápido acordo. Orban agora está relutante em tentar fazer as pazes com os credores para garantir um acordo para refinanciar as dívidas da Hungria, no momento em que a economia caminha para uma recessão.

Seca faz governo petista gaúcho colocar Rio Grande do Sul em programa voltado para Nordeste

O governo federal vai incluir o Rio Grande do Sul em um programa voltado para a construção de cisternas no Nordeste. O "Água para Todos', lançado dentro do programa "Brasil Sem Miséria", tem a meta de construção de 750 mil cisternas até 2014. O anúncio foi feito no sábado pelo ministro da Integração, Fernando Bezerra Coelho, que visitou o interior gaúcho atingido pela estiagem. O governador petista gaúcho Tarso Genro (que tirou férias em paradisíacas praias cubanas enquanto os agricultores do Estado sofriam com a estiagem) e os ministros Mendes Ribeiro Filho (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e Afonso Florence (Desenvolvimento Agrário) inspecionaram no sábado os estragos provocados pela estiagem, no município de Jóia (a 424 quilômetros de Porto Alegre). Tarso Genro anunciou a liberação de R$ 26,4 milhões do governo estadual para ações emergenciais em cidades atingidas. Também foi assinado um decreto coletivo de situação de emergência. Mais da metade das prefeituras do Estado já havia decretado estado emergência nas últimas semanas devido à falta de chuvas. As perdas da seca são superiores a 10 bilhões de reais.

Líderes da direita cristã nos Estados Unidos declaram apoio a Santorum

O ex-senador Rick Santorum ganhou no sábado o cobiçado apoio de um grupo de 170 líderes evangélicos e ultraconservadores, que deve dar fôlego à sua campanha pela candidatura republicana à Presidência dos Estados Unidos. O político da Pensilvânia, que surpreendeu ao ficar em segundo lugar por uma diferença de apenas oito votos em Iowa, primeira prévia do calendário, tenta derrubar o favoritismo de Mitt Romney, ex-governador de Massachusetts, apelando à ala mais à direita do eleitorado. Para tanto, porém, precisa pelo menos atrair a direita cristã, que se mostra refratária a Romney mas ainda se divide entre Santorum, o ex-presidente do Congresso Newt Gingrich e o governador do Texas, Rick Perry, após a desistência da deputada Michelle Bachmann.

Cientistas criam a menor memória de computador até hoje

Cientistas nos Estados Unidos e na Alemanha construíram o menor HD de computador do mundo. Cada bit, que é a menor unidade de armazenamento de dado, é guardado em só 12 átomos. É um salto tão absurdo que a tecnologia, se vingar, pode revolucionar o armazenamento de memória em dispositivos digitais. Para ter uma ideia, um HD (disco rígido) moderno usa cerca de 62,5 milhões de átomos por bit armazenado. A inovação foi desenvolvida por cientistas da IBM, nos Estados Unidos, e do Centro para Ciência de Laser de Elétrons Livres, na Alemanha. Assim como os HDs convencionais, o novo dispositivo funciona a partir da magnetização de unidades. O campo magnético, quando detectado, indica qual é a informação contida ali, em código binários (número zero ou um). A diferença é que os pesquisadores estão usando um novo tipo de material, descrito como antiferromagnético. São átomos de ferro magnetizados, em uma superfície com magnetização oposta. Para conseguir a precisão necessária para ler (e alterar) o campo magnético dos átomos desse nanodispositivo, os pesquisadores usaram microscópio de tunelamento. O instrumento mudava a orientação dos átomos para gravar neles a informação desejada e também fazia a leitura. Eles experimentaram diversos arranjos de átomos e descobriram que o ideal, naquelas condições, era ter 12 átomos por bit. Para armazenar a informação em tão pouco espaço é preciso que os átomos individuais estejam num nível de energia extremamente baixo. Resultado: o armazenamento só pode ser mantido a 268 graus Celsius negativos. Contudo, os pesquisadores não antecipam dificuldades para levar a tecnologia à temperatura ambiente. "Estamos usando baixas temperaturas para tornar nossa vida mais fácil na montagem desses bits antiferromagnéticos", disse Andreas Heinrich, pesquisador da IBM e autor do estudo: "Para levar tudo que sabemos com certeza até a temperatura ambiente teremos de usar 150 átomos por bit". Ainda assim, seria uma revolução descomunal na capacidade de armazenamento.

Coronel Beltrami consegue habeas corpus e é solto no Rio de Janeiro

O tenente-coronel Djalma Beltrami, ex-juiz de futebol, foi libertado na madrugada de sábado. Ele havia sido preso pela segunda vez em menos de um mês, sob suspeita de participar de um suposto esquema de propinas cobradas de traficantes de drogas, denunciado pelo Ministério Público e pela Polícia Civil. O habeas corpus foi concedido na noite de sexta-feira, pelo plantão do Tribunal de Justiça do Rio de Justiça. O coronel deixou a prisão por volta das 3 horas de sábado. Ele estava preso no Quartel General da Polícia Militar, no centro do Rio de Janeiro. No habeas corpus, o desembargador Antônio Carlos dos Santos Bitencourt disse que as escutas telefônicas usadas como base da investigação e da denúncia não têm "qualquer captação de voz atribuível" ao coronel. "O que existe de concreto são diálogos de terceiro, que não mencionaram especificamente o nome do paciente (o coronel Beltrami)", afirmou Bitencourt. Para o desembargador, "não se pode confundir o indício" com "a simples suspeita", "um estado de ânimo, uma pura intuição". Na decisão, o magistrado aponta ainda o risco de se agir pela ótica do "Estado Policial", onde direitos são solapados, acusa-se primeiro para depois provar, e expõe-se apressadamente a vida de uma pessoa ao repúdio social". Que maravilha!!!....

TJ-SP quer corrigir privilégio em pagamentos a juízes

O presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, Ivan Sartori, propôs uma "compensação" para corrigir os pagamentos privilegiados que alguns desembargadores da corte receberam. Segundo Sartori, a proposta feita por ele foi aprovada pelo Conselho Superior da Magistratura e será avaliada pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça. Se passar, atingirá a princípio cinco desembargadores. Eles não terão necessariamente que devolver recursos. Provavelmente apenas deixarão de receber novas parcelas de atrasados, como férias e licença-prêmio, até igualar o antecipado. Isso porque ainda teriam créditos atrasados a receber do Tribunal de Justiça. Os nomes dos magistrados investigados não foram oficialmente divulgados. De acordo com Sartori, são cinco os "casos mais graves" de desembargadores que receberam "créditos anômalos". A apuração do Tribunal de Justiça aponta o ex-presidente da corte, Roberto Bellocchi, como um dos mais favorecidos. Ele teria liberado pagamento de cerca de R$ 1,5 milhão para si próprio. Como os magistrados paulistas recebem mensalmente algo próximo de R$ 5.000,00 em atrasados, a compensação demoraria 300 meses (25 anos) no caso de Bellocchi. Sartori, porém, enfatizou que as verbas recebidas, mesmo nos casos considerados mais graves, são créditos a que tinham direito. "Houve apenas quebra de igualdade entre os magistrados. Não há prejuízo à sociedade", disse: "O prejuízo por uns terem recebido a mais é dos próprios magistrados". É assim que o Judiciário faz interpretações da lei e da Justiça.

Dilma endurece regras para concessão de rádio e TV

A presidente Dilma Rousseff deverá assinar nesta segunda-feira o decreto que deixará mais rígidas as regras para concessões de rádio e televisão no Brasil. Na tarde de sexta-feira, a presidente chamou o ministro Paulo Bernardo (Comunicações), que está em férias, para fazer "ajustes" no decreto, em discussão no governo desde o ano passado. Pelas novas regras, os interessados em adquirir novas licenças terão de comprovar capacidade financeira para bancar a montagem das emissoras de rádio ou TV.

Gol vai operar sozinha novo terminal em Guarulhos

A Gol será a operadora exclusiva do novo terminal de passageiros de Guarulhos. O Terminal 4 terá capacidade para 5,5 milhões de passageiros e será dedicado exclusivamente a operações domésticas. A obra custou R$ 85,7 milhões e está prevista para ser entregue pela construtora Delta em 22 de janeiro. Mas a operação só deve começar em fevereiro, pois a Gol vai precisar de até dez dias para transferir suas instalações. Até semana passada, nenhuma companhia se dizia interessada no novo terminal. Mas depois de visitas ao espaço, as conversas avançaram com a Gol. "Ninguém quis se manifestar antes de ver para crer", diz Marçal Goulart, superintendente de gestão operacional da Infraero. Ele afirma que "todas as empresas" demonstraram interesse. Se ninguém se dispusesse a mudar para o novo terminal, a Infraero teria de ocupar a área aos poucos, destinando para lá vôos de fretamento e novos vôos que viessem a ser autorizados.

Coleta seletiva falha e lixo se acumula em diversos pontos de São Paulo

Caminhões da coleta seletiva de lixo deixaram de passar em diversos pontos de São Paulo nas últimas semanas, o que tem causado transtornos para os moradores. Na Aclimação, zona sul de São Paulo, edifícios já começam a levar as caçambas de lixo reciclável para dentro das garagens para tentar liberar as calçadas. O sumiço dos caminhões preocupa. O problema se repete em outras regiões. Há relatos de atrasos na Vila Mariana, Jabaquara, Santo Amaro, Vila Prudente e Cidade Ademar. Nestes locais, muitos já deixam de separar o material reciclável ou entregam os sacos com o lixo comum. A coleta seletiva nas áreas citadas é de responsabilidade da Ecourbis, uma das duas empresas contratadas pela prefeitura para fazer o serviço. O presidente da Ecourbis, Nelson Domingues, diz que o problema ocorre porque as centrais de triagem do lixo não têm mais espaço: "Os caminhões enchem e não tenho para onde levar. Não é falta de coleta. Estamos coletando demais". A prefeitura disse que está notificando as empresas e que irá implantar quatro novas centrais de triagem "a curto prazo". A falha acontece em plena negociação da revisão dos contratos das concessionárias, que está emperrada. A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas calculou em 21% o aumento para as duas empresas (Ecourbis e Loga), R$ 10,8 milhões por mês para cada uma. Com a renegociação, as empresas terão de fazer também coleta por contêineres e trabalhar aos domingos, além de construir 17 centrais de triagem. Sem o aumento, as empresas decidiram não dar início aos novos serviços.

Gigantes globais querem medir vendas de livros no Brasil

A Nielsen e a GfK, duas das maiores empresas de pesquisas de mercado do mundo, planejam começar a medir as vendas de livros no Brasil ainda neste ano. Hoje, o mercado brasileiro não é aferido de forma confiável por nenhum instituto do gênero e depende de dados de editoras e livrarias, que nem sempre informam os números verdadeiros. No momento em que o mercado editorial brasileiro chama a atenção internacionalmente, a exemplo da aquisição de 45% da Companhia das Letras pelo grupo britânico Penguin, a falta de dados concretos prejudica decisões editoriais e interfere em seu crescimento.

Caixas d'água apodrecem em reduto eleitoral de ministro

Reservatórios de água destinados a famílias que sofrem com a seca em Pernambuco estão abandonados em um terreno da estatal Codesvaf, em Petrolina (PE), base eleitoral do ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho. A Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba) é vinculada ao Ministério da Integração. Os reservatórios, comprados dentro do programa Água para Todos, fazem parte das ações do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), vitrine dos governos Lula e Dilma Rousseff. A Codevasf negou que os reservatórios estejam abandonados. De acordo com a empresa, os tanques estão "estocados" em um terreno em Petrolina porque a empresa contratada para instalá-los não o fez. Bezerra tem sido alvo nas últimas semanas por suspeitas de que teria beneficiado Pernambuco, Estado governado pelo seu partido e onde fica sua base política, com verbas para a prevenção de enchentes. Um dos programas do ministério teve 95,5% dos pedidos de verba sob a gestão Bezerra em favor de seu Estado. Dados da ONG Contas Abertas, divulgados pelo jornal "O Estado de S. Paulo", mostram que 90% dos recursos pagos no ano foram canalizados para Pernambuco. A partir daí, as acusações não pararam mais.

Chávez anuncia fechamento do consulado da Venezuela em Miami

O ditador da Venezuela, Hugo Chávez, ordenou na sexta-feira o fechamento do consulado venezuelano em Miami, dias depois de a responsável pela delegação diplomática na cidade norte-americana ser expulsa pelos Estados Unidos ao ser acusada de conspiração. O atual atrito entre ambos os países, que apesar da intensa relação comercial se enfrentam ideologicamente, deixará dezenas de milhares de venezuelanos que vivem na Flórida sem representação diplomática e complicará a possibilidade de votar nas eleições presidenciais de 2012. "O chanceler Nicolás Maduro me recomendou fechar o consulado venezuelano em Miami. Bom, então fecharemos. Não terá consulado em Miami", disse o ditador caribenho Hugo Chávez em discurso na vassala Assembléia Nacional.

Obra inédita de Brahms será tocada pela primeira vez

Uma obra inédita de Brahms, descoberta cerca de 160 anos após sua composição, será tocada e transmitida mundialmente pela BBC nos próximos dias. Esta peça muito curta, de dois minutos, escrita por Brahms em 1853, quando ele tinha apenas 20 anos, foi encontrada por acaso pelo maestro e músico britânico Christopher Hogwood, enquanto consultava manuscritos em uma biblioteca de Princeton, nos Estados Unidos. A partitura de piano, intitulada "Albumblatt", é "uma pequena peça, mas perfeitamente construída", segundo a BBC. "É uma descoberta inacreditável que possibilita uma visão fascinante do trabalho deste grande compositor", ressaltou Roger Wright, diretor da Rádio 3, à estação de música clássica da BBC. Christopher Hogwood encontrou este trecho em um livro que pertenceu a um maestro de Göttingen, na Alemanha. "Ele viu a assinatura de vários músicos célebres que jantaram na casa do maestro, entre eles Liszt e Schumann, e ficou estupefato ao descobrir esta pequena peça completa de Brahms, escrita quando ele tinha 20 anos", explicou Tom Service, apresentador do programa Music Matters da BBC3, durante o qual será tocada a composição. O tema de Albumblatt foi utilizado por Brahms doze anos mais tarde no segundo movimento de seu Trio para Trompa, Violino e Piano, Op. 40. Interpretada pelo pianista húngaro Andras Schiff, esta obra será apresentada no dia 21 de janeiro às 12H15 GMT (10H15 de Brasília), na Rádio 3.

Lula manda diretório paulista "analisar" proposta de Kassab

O ex-presidente Lula deu ordem ao diretório municipal do PT paulista para realizar a discussão de um possível acordo com o PSD do prefeito Gilberto Kassab. Na última sexta-feira, em reunião com vereadores e o presidente do diretório municipal, vereador Antonio Donato, Lula confirmou a proposta feita na última semana por Kassab e sugeriu que o PT discuta o assunto "com tranquilidade". "O Lula disse que é um assunto que temos de discutir com tranquilidade e deixou o PT confortável para tomar uma decisão", contou Donato. Isso é um jogo de cena. Quando Lula manda discutir o assunto, é porque ele já está decidido. Lula é o caudilho do PT.

Órgão para transplante foi embarcado no vôo errado em São Paulo

Um voo da TAM entre São Paulo e Rio de Janeiro atrasou cerca de dez minutos, na manhã de sexta-feira, porque o comandante da aeronave percebeu que estava transportando um órgão vivo, para transplante, que deveria seguir para um hospital de Brasília. O piloto só percebeu o engano quando já preparava a decolagem da aeronave, que deveria deixar o aeroporto de Congonhas às 8h30 com destino ao Santos Dumont. Como o vôo para Brasília ainda não havia decolado, deu tempo de fazer a troca e o órgão chegou a tempo no Distrito Federal, por volta das 10h30. De acordo com a TAM, o transporte de órgãos é feito com frequência nas aeronaves devido a uma parceria da empresa com o Ministério da Saúde. Os órgãos são levados sempre na cabine, sem identificação de qual parte do corpo pertencem. A empresa afirma que o engano pode ter sido causado pelo reposicionamento das aeronaves, o que levou funcionários a embarcarem o recipiente no vôo errado.

Promotoria paulista recua e diz que ação na cracolândia não é "desastrosa"

O Ministério Público paulista recuou e disse, na sexta-feira, que não é possível afirmar, nesse momento, que a ação da polícia na cracolândia seja "desastrosa". Uma reunião de cerca de quatro horas entre o comando da Polícia Militar, representantes das secretarias de Assistência Social e da Justiça e promotores, foi realizada para discutir a operação iniciada no dia 3 pela Polícia Militar no centro de São Paulo. Na terça-feira passada, os promotores de Habitação, Direitos Humanos (Inclusão Social e Saúde) e da Infância e Juventude haviam caracterizado como "desastrosa" a ação, que teria "boicotado" o trabalho que já estava sendo feito na região. Um inquérito civil foi instaurado em conjunto por quatro promotorias para investigar a operação. A principal crítica dos promotores é que a operação foi realizada antes da inauguração do centro de acolhimento para usuários de drogas, localizado na rua Prates, região central. No entanto, após a reunião, os promotores mudaram de idéia. "A avaliação que nós tínhamos foi feita foi com base no que a imprensa publicou. Antes não tínhamos informações dos órgãos envolvidos na ação, agora temos. Por isso não dá para dizer se a ação foi desastrosa ou não", afirmou o promotor de Direitos Humanos e de Inclusão Social, Eduardo Valério. Ou seja, abre inquérito com estardalhaço quando uma autoridade público, um órgão público, está cumprindo seu dever, e depois volta atrás, fica tudo por isso mesmo? Fácil, assim?