quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Honduras confirma mais de 350 mortos em incêndio em prisão

A secretaria de Segurança de Honduras confirmou nesta quarta-feira que são mais de 350 os mortos no incêndio na fazenda penitenciária de Comayagua, no centro do país, e confirmou a morte de 272 presos. O número é igual ao de presos que não responderam ao chamado na recontagem que aconteceu durante a manhã. Mais cedo, o Ministério Público estimava em 357 o número de vidas perdidas na tragédia. Havia cerca de 800 detentos no local. Não se sabe se estão todos mortos ou se alguns conseguiram fugir durante o incidente. O presidente de Honduras, Porfirio Lobo, anunciou que o incidente será investigado com "total transparência" e "observação internacional". O presidente pediu à secretaria de Segurança a suspensão dos responsáveis pela Fazenda Penitenciária de Comayagua, na região central do país, e da diretoria da administração das prisões em todo o país para garantir "um processo de total transparência". As autoridades ainda investigam as causas do incêndio, que ocorreu à meia-noite de quarta-feira. Os bombeiros e a secretaria de Segurança suspeitam que um curto-circuito tenha provocado as chamas. Defensores dos direitos humanos de Honduras pediram a investigação das denúncias de que os guardas teriam demorado a abrir as celas durante o incidente.

Ministra “abortista” é destaque em site internacional

As controvérsias sobre as posições da nova ministra de Políticas Para as Mulheres, Eleonora Menicucci, já não se resumem ao Brasil. Criticada por ter interrompido a gestação de dois filhos e por ter feito um curso de aborto na Colômbia, ela atraiu a rejeição de grupos cristãos dentro e fora do país. O Life Site News, um dos principais portais do movimento intitulado “pró-vida” nos Estados Unidos, dedica a sua manchete desta quarta-feira à nova integrante da equipe de Dilma Rousseff. A reportagem também cita o jornalista Reinaldo Azevedo, blogueiro do site de VEJA. O portal exibe ainda uma matéria a respeito da posição do governo brasileiro em um debate sobre a legalização do aborto na Organização das Nações Unidas, neste mês. Nesta quarta-feira, o jornal espanhol ABC também dá destaque à figura de Eleonora Menicucci.

CSN e Votorantim Cimentos são autuadas por crime ambiental no Rio de Janeiro

Cinco pessoas foram presas em flagrante e quatro empresas (CSN, Votorantim Cimentos, BR Metais e Companhia Fluminense de Refrigerantes) foram autuadas nesta quarta-feira por crime ambiental no Estado do Rio de Janeiro. As companhias foram autuadas por armazenar um total de 540 mil toneladas de lixo industrial de maneira irregular. Os locais de descarte estavam a céu aberto e a menos de meio quilômetro do leito do rio Paraíba do Sul, a principal fonte de abastecimento de água do Estado. Segundo as autoridades, há risco iminente de contaminação do rio. Entre os presos estão gerentes e surpervisores de algumas das empresas envolvidas. As multas ainda não foram definidas, mas o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, afirmou que as sanções não deverão ultrapassarão R$ 2 milhões cada. As autoridades deram um prazo de 15 dias para que as empresas apresentem um plano detalhado para o destino desses rejeitos. Os custos de transporte e armazenagem dos resíduos ficarão a cargo das próprias empresas. O flagrante foi feito durante uma operação do Gabinete de Gestão Integrada do Estado do Rio de Janeiro (GGIE/RJ), grupo de trabalho que reúne representantes da secretaria Estadual do Ambiente e as polícias Federal, Civil e Militar.

Governo petista gaúcha segura área e já atrasa obras do Cais Mauá em três meses

O Porto Madero de Porto Alegre, o Cais Mauá, corre risco, porque os grupos Munné e Bertin ameaçam levantar acampamento e ir embora, já que atribuem a demora à má vontade do governo estadual petista. Passados três meses da cerimônia pública que ele mesmo promoveu, o governo petista gaúcho ainda não publicou no Diário Oficial o ato de imissão de posse da área e dos 26 armazéns do porto de Porto Alegre, onde o grupo espanhol de José Munné e o grupo brasileiro Bertin investirão R$ 550 milhões. O governo petista de Tarso Genro não explica o que acontece. Em um trecho de 3,7 quilômetros, que vai da usina do Gasômetro até a Rodoviária, sairão shopping center, hotel 5 estrelas, marinas, casas noturnas, restaurantes, equipamentos culturais e lojas de utilidades. O chamado muro da Mauá, que separa a zona central da cidade do rio Guaíba, permanecerá no local, mas sumirá sob uma perene cachoeira artificial. Há 20 anos, desde o governo Britto, governo estadual e prefeitura tentavam tocar o projeto Cais Mauá, mas manifestações devastadoras protagonizadas pelos esquerdopatas filopetistas impediram o empreendimento. Até o momento, 13 dos 26 armazéns do porto foram totalmente desocupados, mas a Cais Mauá Brasil não consegue sequer instalar seus escritórios, o que esperava ter feito em dezembro. O início imediato das obras renderia um trunfo eleitoral para o prefeito José Fortunatti. Evidentemente, isto não é o interesse eleitoral do PT.

Bancada ruralista pretende rever 67 pontos do Código Florestal

A bancada ruralista da Câmara quer mexer em 67 pontos do Código Florestal acrescentados pelo Senado ao texto original dos deputados. A conta foi apresentada nesta quarta-feira, em um seminário da Frente Parlamentar da Agropecuária. Representantes do agronegócio disseram que há "95%" de consenso entre deputados e senadores no texto de 504 itens que veio do Senado e que a Câmara deve votar no próximo dia 6. O principal é a consolidação das áreas produtivas já desmatadas. A questão que gerou polêmica na votação do texto na Câmara no ano passado e fez o governo intervir no Senado para evitar um código que anistiasse desmatadores e que a presidente Dilma Rousseff tivesse de vetar. O texto do Senado estabelece que terras desmatadas até 2008 nas chamadas áreas de preservação permanente (margens de rio, encostas e topos de morro) precisam ser parcialmente recompostas. Novos desmatamentos nessas áreas estão vedados.

Segundo ano do governo Dilma vai pagar R$ 57,2 bilhões de exercícios anteriores

Como o Contas Abertas já havia estimado no começo de 2012, o primeiro ano do governo Dilma Rousseff deixou R$ 57,2 bilhões em pagamentos pendentes só de investimentos em estradas, aeroportos e projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Os restos a pagar são despesas programadas para um ano que, por não serem pagas no mesmo exercício, são remanejadas para o ano seguinte. O número estimado é maior que o antigo recorde deixado pelo governo Lula. Os compromissos rolados para este ano representam 71,2% dos R$ 80,3 bilhões previstos no orçamento de investimentos do governo federal para 2012, já aprovado pela presidente no mês passado. Desta forma, caso opte por quitar os débitos, Dilma Rousseff terá apenas R$ 23,1 bilhões para aplicar em novos projetos de infraestrutura no País. Em 2011, por exemplo, foram gastos R$ 25,3 bilhões na quitação de faturas pendentes. Mas apenas R$ 16,6 bilhões foram destinados a novos projetos autorizados no ano. No total, os investimentos somaram R$ 41,9 bilhões no ano passado; em 2010, chegaram a R$ 44,7 bilhões. No final do ano passado, quando o Contas Abertas divulgou a estimativa de restos a pagar para 2012, a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, se mostrou muito calma com o fato de o primeiro ano do mandato ter terminado com R$ 57,2 bilhões em restos a pagar. “Não nos preocupa, o orçamento de investimento é plurianual”, respondeu. Só no mês de dezembro, foram registrados pelo Tesouro Nacional mais de R$ 17 bilhões de compromissos gastos com investimentos. O último mês do ano concentrou 35% dos chamados “empenhos”, ou seja, valores reservados em orçamento para poderem ser utilizados.

Creches de Dilma não saem do papel, são creches de papel

Uma das promessas da campanha da presidente Dilma Rousseff foi a construção de seis mil creches nos quatro anos de gestão. A ação destinada a desempenhar o compromisso eleitoral é denominada “Implantação de Escolas para Educação Infantil”, cuja meta, agora, é construir quase 1,7 mil creches por ano. Em 2011, a promessa não saiu do papel. Dos R$ 891 milhões autorizados para o ano, cerca de R$ 308,3 milhões foram pagos e nenhuma obra foi concluída. Em encontro da Associação Contas Abertas com secretários de educação de municípios goianos e representantes da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (UNDIME), algumas razões para a baixa execução foram apontadas. A principal é a demora causada pelo processo burocrático necessário para a construção dos estabelecimentos. Desde o oferecimento de recursos por parte do governo federal até o funcionamento efetivo da creche, passam-se em média quase três anos. Além disso, na construção das creches ocorrem inúmeros problemas. Em Goiás, por exemplo, a mesma empreiteira venceu diversas licitações, em diferentes municípios, com preços inexeqüíveis. Desta forma, ficaram inviáveis as construções. A empreiteira quebrou, deixando problemas nas creches de Hidrolância, Buriti Alegre, Brazabrantes, Senador Canedo e Goiânia, entre outras localidades. Agora, para cumprir a promessa de campanha será necessário acelerar o passo nos próximos anos, quando o Ministério da Educação terá que inaugurar pelo menos 178 creches por mês, ou cinco por dia, até o fim de 2014. Recursos para alcançar a meta não devem faltar. Apesar de apenas 34,6% das verbas de 2011 não terem sido desembolsadas, todo o valor previsto foi empenhado, isto é, reservado em orçamento. Assim, a ação virou o ano com cerca de R$ 582,3 milhões em restos a pagar (compromissos assumidos em gestões anteriores) e que devem ser usados em 2012. Somados o montante de restos a pagar com a dotação inicial deste ano (R$ 1,8 bilhão), a rubrica deve contar com R$ 2,4 bilhões em recursos. Principal aposta do PT nas eleições de 2012, o ex-ministro da Educação, Fernando Haddad, saiu do ministério para se candidatar à Prefeitura de São Paulo sem entregar nenhuma das creches prometidas pela presidente. Nas últimas campanhas em São Paulo, as creches têm sido destaque. No Brasil, o déficit é de 19,7 mil creches. Para se alcançar uma das metas do Plano Nacional de Educação é preciso triplicar o número de matrículas nessas unidades. O plano propõe aumentar a oferta de educação infantil para que 50% da população até três anos esteja em creches até 2020. Atualmente, esse índice está em 16,6%.

Tenho algumas perguntas a fazer a Lula, a Kassab e aos vereadores que querem doar patrimônio público para o falso “Memorial da Democracia” do PT

Do jornalista Reinaldo Azevedo: "O Instituto Lula quer construir no Centro de São Paulo, num terreno que fica na antiga Cracolândia, o que chama “Memorial da Democracia”, que reunirá, com especial ênfase, um acervo de documentos e objetos dos oito anos de mandato do Apedeuta. Os petistas agora dizem que pretendem dar atenção também a outros momentos importantes da história, como a luta contra a escravidão, a proclamação da República etc. Para tanto, pediram à Prefeitura de São Paulo a cessão do tal terreno, com o que concordou o prefeito Gilberto Kassab (PSD), que já enviou o pedido à Câmara, onde tem folgada maioria. Então ficamos com o roteiro completo para o triunfo da mistificação: Lula, um ex-presidente bastante popular, pede um terreno ao prefeito; este, que vive uma fase de aproximação com o PT, acha a idéia boa e envia a mensagem à Câmara, onde tem maioria. A maioria dos vereadores tende a concordar: quem não é fiel a Lula é fiel a Kassab. Resta ao Ministério Público demonstrar se tem ou não vergonha na cara e memória histórica ou se também está rendido a um partido político. E por que escrevo assim? O escracho já começa no nome do empreendimento. O inspirador do “Instituto Lula” — que quer privatizar uma área de mais de 4 mil metros quadrados, que pertence a todos os moradores de São Paulo — decidiu, como se vê, privatizar também a democracia. Julga-se no papel de quem pode ser o inspirador de um “memorial”. É uma piada grotesca, típica de asininos enfatuados, de exploradores da boa-fé pública. Se Lula é o senhor de um “Memorial da Democracia”, o que devemos a Ulysses Guimarães, por exemplo? A canonização? Estamos diante de uma pantomima histórica, de uma fraude. Tenho algumas perguntas a fazer a Lula, a Kassab e aos vereadores que estão doidos para cair de joelhos. 1: Constituição - A negativa dos petistas em participar da sessão homologatória da Constituição de 1988, uma das atitudes mais indignas tomadas até hoje por esse partido, fará parte do “Memorial da Democracia”, ou esse trecho será aspirado da historia, mais ou menos como a ministra da Mulher diz que aspirava úteros na Colômbia? 2: Expulsões - A expulsão dos três deputados petistas que participaram do Colégio Eleitoral que elegeu Tancredo Neves, pondo fim à ditadura - Airton Soares, José Eudes e Bete Mendes - fará parte do “Memorial da Democracia”, ou isso também será aspirado da história, como a Universidade Federal de Santa Catarina aspirou a entrevista da agora ministra da Mulher? Em tempo: vi dia desses Soares negar na TV Cultura que tivesse sido expulso. Diga o que quiser, agora que fez as pazes com a legenda. Foi expulso, sim! 3: Governo Itamar - A expulsão de Luíza Erundina do partido porque aceitou ser ministra da Administração do governo Itamar, cuja estabilidade era fundamental para a democracia brasileira, entra no Memorial da Democracia, ou esse fato será eliminado da história junto com os fatos, os fetos, as fotos e os homens que não são do agrado do petismo? 4: Voto contra o Real - A mobilização do partido contra a aprovação do Plano Real integrará o acervo do Memorial da Democracia, ou os petistas farão de conta que sempre apostaram na estabilidade do país? 5: Guerra contra as privatizações - As guerras bucéfalas contra as privatizações — o tema anda mais atual do que nunca — e todas as indignidades ditas contra a correta e necessária entrada do capital estrangeiro em setores ditos “estratégicos” merecerá uma leitura isenta, ou o Memorial da Democracia se atreverá a reunir como virtudes todas as imposturas do partido? 6: Luta contra a reestruturação dos bancos - A guerra insana do petismo contra a reestruturação dos bancos públicos e privados ganhará uma área especial no Memorial da Democracia, ou os petistas farão de conta que aquilo nunca aconteceu? Terão a coragem, já que são quem são, de insistir na mentira e de tratar, de novo, um dos pilares da salvação do país como um malefício, a exemplo do que fizeram no passado? 7: Ataque à Lei de Responsabilidade Fiscal - Os petistas exporão os documentos que evidenciam que o partido recorreu à Justiça contra a Lei de Responsabilidade Fiscal, tornada depois cláusula pétrea da gestão de Antônio Palocci no Ministério da Fazenda? 8: Mensalão - O Memorial da Democracia vai expor, enfim, a conspiração dos vigaristas, que tiveram o desplante de usar dinheiro sujo para tentar criar uma espécie de Congresso paralelo, alimentado por escroques de dentro e de fora do governo? O prédio vai reunir os documentos da movimentação ilegal de dinheiro? 9: Duda Mendonça na CPI - Haverá no Memorial da Democracia o filme do depoimento de Duda Mendonça na CPI do Mensalão, quando confessou ter recebido numa empresa no exterior o pagamento da campanha eleitoral de Lula em 2002? O museu de Lula terá a coragem de evidenciar que ali estava motivo o bastante para o impeachment do presidente? 10: Dossiê dos aloprados - O Memorial da Democracia que tanto entusiasma Lula e Kassab trará a foto da montanha de dinheiro flagrada com os ditos aloprados, que tentavam fraudar as eleições — para não variar —, buscando imputar a José Serra um crime que não cometera? Exibirá a foto do assessor de Aloizio Mercadante, que disputava com Serra, carregando a mala preta? 11: Dossiê da Casa Civil - Esse magnífico Memorial da Democracia trará os documentos sobre o dossiê de indignidades elaborado na Casa Civil contra FHC e contra, pasmem!, Ruth Cardoso, quando a titular da pasta era ninguém menos do que Dilma Rousseff, e sua lugar-tenente, ninguém menos do que Erenice Guerra? 12: Censura à imprensa - Kassab, que quer doar o terreno, se comprometeria a pedir a Lula que o Memorial da Democracia reunisse as evidências das muitas vezes em que o PT tentou censurar a imprensa, seja tentando criar o Conselho Federal de Jornalismo, seja introduzindo no Plano Nacional de Direitos Humanos mecanismos de censura prévia? 13: Imprensa comprada e vendida - Teremos a chance de ver os contratos de publicidade do governo e das estatais com pistoleiros disfarçados de jornalistas, que usam o dinheiro público para atacar a imprensa séria e aqueles que o governo considera adversários nos governos dos Estados, no Legislativo e no Judiciário? 14 - Novo dossiê contra adversário - O Museu da Democracia do Instituto Lula reunirá as evidências todas das novas conspiratas do petismo contra o candidato da oposição em 2010, com a criação de bunker para fazer dossiês com acusações falsas e a quebra do sigilo fiscal de familiares do candidato e de dirigentes tucanos? 15 - Uso da máquina contra governos de adversários - A mobilização da máquina federal contra o governo de São Paulo em episódios como o da retomada da Cracolândia e da desocupação do Pinheirinho entrará ou não no Memorial da Democracia como ato indigno do governo federal? 16 - Apoio a ditaduras - O sistemático apoio que os petistas empenham a ditaduras mundo afora estará devidamente retratado no Memorial da Democracia? Veremos Lula a comparar presos de consciência em Cuba a presos comuns no Brasil? Veremos Dilma Rousseff a comparar os dissidentes da ilha a terroristas de Guantánamo? 17: Boxeadores cubanos - O Memorial da Democracia do Apedeuta, com terreno NOSSO, doado por Gilberto Kassab, trará a imagem dos boxeadores cubanos que fugiram da ditadura dos Irmãos Castro e foram indignamente devolvidos à ilha? Não custa lembrar: o avião que os reconduziu ao presídio, embora formalmente pertencente a uma empresa espanhola, tem registro na Venezuela e presta serviços a Hugo Chávez. Tratou-se de uma conspiração de ditaduras contra dois pobres-coitados. 18: A mulher do terrorista - Terá o Memorial da Democracia a coragem de exibir num quadro, logo à entrada, uma reprodução ampliada do ofício em que a então ministra Dilma Rousseff pede a transferência para Brasília da mulher do terrorista Olivério Medina? A agora Soberana, então chefe da Casa Civil, a colocou no Ministério da Pesca. 19: O e-mail do terrorista - Ao lado do ofício, haverá a exposição do e-mail em que o terrorista Medina, de próprio punho, relata a um dos chefões da organização a ajuda do governo petista para protegê-lo e à sua mulher? 20: Estripulias de Lulinha - No Museu da Democracia, haverá o acordo que Fábio Luiz da Silva, o “Ronaldinho dos negócios” de Lula, celebrou com a então Telemar, que injetou R$ 10 mihões da Gamecorp? O ex-monitor de Jardim Zoológico, tornado empresário célebre, vai deixar registrado no memorial esse verdadeiro milagre da ascensão social e profissional? 21: Primeiro o negócio, depois a lei - Veremos no memorial aquele momento histórico, quando Lula, ao arrepio da Lei de Telecomunicações, põe o BNDES para financiar a compra da Brasil Telecom pela Oi (ex-Telemar, aquela da empresa de Lulinha…)? A lei foi mudada só depois de celebrado o acordo. O evento levou este blog a sintetizar assim a operação: “Nas democracias, fazem-se negócios de acordo com as leis; no petismo, fazem-se leis de acordo com os negócios.” 22: O terrorista é nosso - Trará o Memorial da Democracia, que terá a assinatura de Lula e de Kassab, a decisão do governo petista de manter no Brasil o assassino italiano Cesare Battisti ao arrepio do Tratado de Extradição, da decisão do STF e do Conselho Nacional de Refugiados? Veremos aquele momento lindo em que Tarso Genro trata a democracia italiana como se fosse uma ditadura, alegando que Battisti, o assassino, correria riscos na Itália? Sim, Tarso foi o mesmo que não pensou no risco que os boxeadores cubanos correriam em Cuba. 23: Amor pelas Farc - Veremos, afinal de contas, nesse memorial as simpatias reiteradas dos petistas pelos terroristas das Farc? Merecerá destaque a fala de Marco Aurélio Top Top Garcia, que, em entrevista ao jornal francês Le Figaro, afirmou que o Brasil era “neutro” no debate sobre se as Farc eram ou não terroristas? 24: Farc e Venezuela - O Memorial da Democracia de Lula exporá os visitantes à nojeira dita por Celso Amorim quando armas do Exército venezuelano foram encontradas em poder dos terroristas das Farc, na Colômbia? Amorim, o megalonanico, afirmou que não havia provas de que fossem, de fato, venezuelanas. O próprio Chávez admitiu que eram, mas inventou a cascata de que tinham sido roubadas. 25: Democracia até demais - Merecerá o devido destaque no Memorial da Democracia a frase de Lula, tornada célebre, segundo a qual na Venezuela de Chávez “existe democracia até demais”? 26: Fogo em livros - O magnífico memorial lulista trará a bagunça promovida em São Paulo por sindicatos petistas, como a Apeoesp, que tentou liderar uma greve de professores anunciando, abertamente, que o objetivo era “quebrar a espinha” do então presidenciável tucano, José Serra? Seguindo o exemplo dos nazistas na Alemanha, os militantes queimaram livros em praça pública. 27: Greves nas polícias - Lula vai reunir em seu memorial o apoio que ele próprio deu às greves da PM na Bahia em 1991 e 2001, ao lado de companheiros como Jaques Wagner? O arquivo trará gravações e vídeos em que Wagner incentiva a bagunça na Bahia, e Ideli Salvatti, em Santa Catarina? O PT vai se orgulhar do apoio descarado que deu a um movimento de uma minoria na Polícia Civil de São Paulo, em 2008, que tentou fazer um protesto no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, de arma na mão? Um oficial da PM chegou a levar um tiro. Kassab tem o direito de doar uma área pública para aquilo que será, necessariamente, um monumento à versão da história de um só partido, com especial ênfase no trabalho de um líder? Não! Essa conversa de que será uma instituição suprapartidária é mentirosa desde a origem. Supor que Paulo Vannuchi — JUSTAMENTE O RESPONSÁVEL POR AQUELE PLANO SINISTRO QUE DIZIA SER DE DIREITOS HUMANOS E QUE PREVIA CENSURA PRÉVIA — e Paulo Okamotto possam ter qualquer iniciativa que não traga um viés petistas é tolice ou má fé. Ou, então, o prefeito transforme o centro de São Paulo numa espécie de Esplanada dos Partidos. Por que só para Lula? Fique de olho, leitor! Se você for petista, deve achar a doação de um terreno a Lula a coisa mais normal do mundo, um presente merecido. Se não for, veja lá o que vai fazer o vereador. Se ele disser “sim” à proposta, estará sendo generoso com o seu dinheiro, com aquilo que lhe pertence. Herói é você, que sobrevive no Brasil mesmo com a classe política que aí está, não Lula. Ele é só um contumaz sabotador de governos alheios, que agora pretende, com a ajuda do prefeito e dos vereadores, tomar um terreno que pertence à população de São Paulo para erguer no lugar o Museu das Imposturas. De resto, basta que ele estale os dedos, e haverá empresários em penca dispostos a lhe encher as burras de grana. Que compre o terreno! E Kassab que transforme esse dinheiro em creches".

Gilberto Carvalho se encontra com evangélicos, acusa a imprensa de distorcer suas palavras, ajoelha, mas não reza!

Cobrado por suas declarações recentes sobre as igrejas protestantes, o secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, pediu desculpas à bancada evangélica nesta quarta-feira, em reunião na Câmara dos Deputados. Como era de se esperar, ele acusou a imprensa de distorcer suas palavras. Os parlamentares, entretanto, queriam mais: por iniciativa do deputado Anthony Garotinho (PR-RJ), propuseram que o ministro assinasse um documento confirmando por escrito o desmentido. O petista não aceitou. Depois do encontro, os dois lados garantiram que a paz foi selada: “Ele se retratou de forma sincera e honesta”, disse o deputado João Campos (PSDB-GO), presidente da Frente Parlamentar Evangélica. O ministro afirmou que suas desculpas não significam uma retratação sobre o que ele declarou no Fórum Social Mundial, quando pregou o confronto com os evangélicos. “O pedido de desculpas que eu fiz não foi pelas minhas palavras, mas sim pelos sentimentos que elas provocaram”, afirmou. “Como ele disse que não falou, eu entreguei um DVD com a fala dele, para ele ver em casa”, disse o senador Magno Malta (PR-ES), ironizando o recuo do ministro. Gilberto Carvalho também admitiu que a nota emitida pelo governo para justificar suas declarações foi insuficiente e se comprometeu a divulgar um novo comunicado nesta quarta-feira. Sobre o documento não-assinado, ele se esquivou: “O diálogo foi muito maduro. A gente sai daqui com a questão encaminhada”. A reação dos parlamentares evangélicos se dá por causa das declarações feitas por Gilberto Carvalho durante o Fórum Social Mundial, em janeiro. Na ocasião, ele afirmou que era preciso que o governo se preparasse para um confronto ideológico com os evangélicos, o que incluiria a formação de uma rede de comunicação para aplacar a força de igrejas que usam a televisão para propagar sua mensagem. As críticas mais exaltadas ao ministro vieram do senador Magno Malta (PR-ES), que chegou a chamar Gilberto Carvalho de “safado”, em discurso feito em plenário. Assim como Malta, a maior parte dos deputados e senadores evangélicos fazem parte da base de apoio do governo. Gilberto Carvalho também foi cobrado sobre a posição do governo a respeito do aborto. A nova ministra da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, tem um longo histórico de defesa da legalização da prática, e chegou a fazer um curso de aborto por sucção na Colômbia. Gilberto Carvalho disse que o Planalto não apoia mudanças na legislação neste aspecto: “A presidente pediu que eu reafirmasse para a bancada que a posição do governo sobre o aborto é a posição que ela assumiu já na campanha eleitoral”, garantiu o ministro. A reunião se deu a portas fechadas e durou cerca de duas horas e meia. Diz o jornalista Reinaldo Azeveo: "É a reação esperada. E sabem o que isso significa? Absolutamente nada! OS PETISTAS FATALMENTE ENTRARÃO EM CONFRONTO COM AS IGREJAS PORQUE ESSA É SUA NATUREZA. Explico aqui os motivos. Ora, vejam o caso da nova ministra das Mulheres, a senhora Eleonora Menicucci (e seus absurdos). Dilma deixou claro que a escolheu pelo “conjunto da obra”, e isso significa um “sim” à sua militância ensandecida em favor do aborto, por exemplo. Quanto ao confronto com os evangélicos, os interessados devem ler o texto a que remete o link acima. A natureza do PT é se estabelecer como único ente de intermediação entre os indivíduos e a sociedade. É claro que nenhuma guerra aberta será declarada. É BOM NÃO ESQUECER QUE, EM SUA FALA, CARVALHO DEFENDEU A CRIAÇÃO DE UMA ESTRUTURA DE COMUNICAÇÃO ESTATAL PARA REALIZAR O TAL CHOQUE DE VALORES".

Em nota, deputados estaduais do PSDB pedem candidatura Serra

Com 22 deputados, a bancada do PSDB na Assembleia Legislativa de São Paulo divulgou nesta quarta-feira uma nota para pedir ao ex-governador José Serra que dispute a eleição à Prefeitura de São Paulo. De acordo com os deputados, Serra deve entrar na eleição sem precisar disputar as prévias. "Reconhecemos a grandeza dos que pleiteiam a candidatura e destacamos que todos são homens públicos de respeito e de grande contribuição ao nosso partido. Uma das principais marcas do PSDB sempre foi a unidade e não será diferente nessas eleições municipais", afirma o deputado Orlando Morando, líder do PSDB na Assembléia, que assina a nota. Na terça-feira, o governador Geraldo Alckmin indicou que a definição do candidato tucano terá que esperar Serra decidir seu futuro político. Na última semana, os dois passaram a negociar as condições para uma possível candidatura de Serra a prefeito. O novo cenário deixou alarmados os quatro pré-candidatos inscritos para as prévias convocadas pelo partido para o dia 4 de março. "Se ele quiser ser, é um ótimo candidato. Essa é uma decisão pessoal do Serra que nós devemos aguardar", afirmou Alckmin. Uma das condições apresentadas pelo ex-governador para considerar a disputa é que Alckmin desarme a disputa interna, pacificando o partido para sua campanha. Serra recebeu uma romaria de tucanos nos últimos dias. Avaliou que seria "um desastre" para qualquer projeto político do PSDB uma aliança entre o PT e o PSD, do prefeito Gilberto Kassab. Para o ex-governador, isso seria a vitória de um projeto do ex-presidente Lula e transformaria a oposição numa "minoria absoluta". "Se o Serra quiser ser candidato, terá que disputar as prévias. Estamos trabalhando nisso há seis meses", afirmou o secretário estadual de Energia, José Aníbal, um dos quatro candidatos às prévias. O secretário de Cultura, Andrea Matarazzo, que é amigo de Serra e também está inscrito para as prévias, disse apenas que "quem define a questão é o PSDB e o governador". O deputado Ricardo Trípoli disse que as prévias não podem ser canceladas. Outro pré-candidato é o secretário do Meio Ambiente, Bruno Covas.

Brasil deve perder R$ 45 bilhões com feriados em 2012

Os feriados nacionais e estaduais este ano vão gerar perdas de R$ 45 bilhões ao Brasil, 21% a mais do que no ano passado, segundo estudo divulgado nesta quarta-feira pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro. Junto com o Acre, o Rio de Janeiro é o Estado que reúne o maior número de feriados estaduais que caem este ano em dias da semana. O crescimento em relação ao ano passado é explicado pelo maior número de feriados na terça e na quinta-feira, que abrem espaço para pontos facultativos e para que as pessoas emendem o feriado "enforcando" os dias úteis que ficam espremidos com os finais de semana. O conceito utilizado pela Firjan é o Produto Interno Bruto Industrial diário, que mede a perda que a indústria teria com um dia útil a menos no calendário. "A paralisação excessiva da atividade econômica gerada pelo excesso de feriados impõe enormes custos ao parque produtivo e à competitividade nacional, não só em termos de produção como também de negócios que deixam de ser realizados", afirmou a Firjan no estudo. A proposta da entidade é que os feriados sejam todos transferidos para as segunda-feiras, menos os da Confraternização Universal (1º de janeiro); Independência (7 de setembro) e Natal (25 de dezembro). Ao todo o Brasil tem 12 feriados nacionais. Segundo o estudo, os Estados com forte parque industrial são os que mais perdem com as paradas. Por isso mesmo, São Paulo lidera com perdas de R$ 14,6 bilhões, seguido pelo Rio de Janeiro, com R$ 5 bilhões, Minas Gerais, com R$ 3,6 bilhões, e Rio Grande do Sul, com R$ 2,9 bilhões. São Paulo tem apenas um feriado estadual em dia da semana em 2012, assim como Rio Grande do Sul, Paraná, Bahia, Espírito Santo, Ceará, Pará, Mato Grosso, Amazonas, Mato Grosso do Sul, Alagoas, Tocantins e Roraima. Sem nenhum feriado estadual este ano estão o Estado de Minas Gerais, Santa Catarina, Goiás, Pernambuco, Maranhão, Paraíba e Sergipe.

Retrato de Francis Bacon alcança quase US$ 34 milhões em Londres

O retrato de um nu feminino do pintor Francis Bacon foi vendido por 21,3 milhões de libras (US$ 33,7 milhões) na Christie's na terça-feira, elevando o total da venda de pinturas pós-guerra e contemporânea nessa noite em Londres para 80,6 milhões de libras (127,5 milhões de dólares). O "Retrato de Henrietta Moraes", pintado em 1963, ficou abaixo da média das estimativas, que eram de 18 milhões a 25 milhões de libras (US$ 28,5 milhões a US$ 39,5 milhões), se o prêmio do comprador for levado em conta.

Deputados pedem relaxamento de prisão de policiais militares grevistas do Rio de Janeiro

Um grupo de parlamentares da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara dos Deputados apresentou nesta segunda-feira um pedido de habeas corpus para os 11 bombeiros e dez policiais grevistas que estão detidos no Presídio de Segurança Máxima Bangu 1. O pedido, com caráter de liminar (provisório), foi apresentado na tarde desta quarta-feira ao Supremo Tribunal Federal e é assinado pelos deputados Mendonça Prado (DEM-SE), Protógenes Queiroz (PCdoB-SP), Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), Chico Alencar (PSOL-RJ), Cabo Juliano Rabelo (PSB-MT) e Anthony Garotinho (PR-RJ). "Na nossa avaliação, essas prisões são arbitrárias e têm motivação política. Isso cria um precedente muito perigoso. Essas prisões remetem aos tempos da ditadura militar, quando não se reconhecia o direito à manifestação", disse o deputado federal Mendonça Prado. Além de considerar a prisão arbitrária, o pedido ainda cita que os presos foram levados para uma unidade prisional destinada a presos comuns. "Eles não poderiam ficar presos em um presídio comum. O aceitável seria se fossem levados ou para o Quartel General dos Bombeiros ou para o Quartel General da Polícia Militar", enfatizou o deputado federal Protógenes Queiroz (ex-delegado federal, exonerado da carreira devido às ilegalidades que cometeu na famigerada Operação Satiagraha, anulada na íntegra pelo Superior Tribunal de Justiça). De acordo com o deputado Alessandro Molon (PT-RJ), também integrante da comissão, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, chegou a ser contatado na terça-feira pelos parlamentares da comissão e admitiu a necessidade de transferência dos presos para prisões especiais. "Deixar esses militares junto com traficantes em Bangu 1 significa preparar um banho de sangue. O governador, após o contato feito por deputados, teve bom-senso e disse que pedirá hoje as transferências desses presos para outra unidade", informou o deputado.

Mantega encoraja emergentes a disputar presidência do Banco Mundial

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta quarta-feira que a decisão de Robert Zoellick de não renovar seu mandato como presidente do Banco Mundial (BM) deve encorajar os países emergentes a apresentar um candidato para disputar esse cargo. É tudo que "elles" querem, uma vez que já dominaram os escalões técnicos da instituição. "Haverá um conflito de interesses, porque no passado os países emergentes tinham muito pouca presença e as nações avançadas dividiam todos os organismos internacionais e reservavam o Banco Mundial para os Estados Unidos", declarou Mantega em entrevista coletiva depois que Zoellick anunciou que no próximo dia 30 de junho abandonará seu cargo. Mantega afirmou que hoje a realidade econômica mundial "é outra" e assegurou que os países emergentes agora "pleiteiam mudar essas regras", pois "não há razão para que o presidente do Banco Mundial tenha uma nacionalidade específica", embora o principal acionista dessa entidade seja os Estados Unidos. "Vamos trabalhar para que isso não ocorra", declarou em alusão à possível eleição de outro americano para o cargo, e apontou que o objetivo do Brasil é que "algum representante dos países emergentes esteja nas mesmas condições de pleitear um cargo nesses organismos". Quem sabe o Palocci? O Lula? Ou o José Dirceu? Quem sabe o José Genoíno? Ou o Delúbio Soares?

Procuradoria pede demissão de envolvidos no Mensalão do Distrito Federal

O Ministério Público Federal no Distrito Federal ajuizou ação civil pública nesta semana pedindo a demissão do ex-procurador-geral de Justiça, Leonardo Bandarra, e da promotora de Justiça, Deborah Guerner. Na ação, proposta em 10 de fevereiro, o Ministério Público também solicita o imediato afastamento de ambos das funções e a sustação dos vencimentos do cargo. A ação foi ajuizada para dar cumprimento à decisão tomada pelo Conselho Nacional do Ministério Público no final de 2011, após processo administrativo disciplinar que condenou Leonardo e Deborah à perda dos cargos. A legislação em vigor determina que os membros vitalícios do Ministério Público da União só poderão ser demitidos por decisão judicial transitada em julgado. Eles são acusados pelo Ministério Público de violação de sigilo profissional, concussão (extorsão praticada por funcionário público) e formação de quadrilha. Os dois respondem criminalmente por envolvimento no esquema de corrupção que ficou conhecido como Mensalão do Distrito Federal e foram acusados pelo delator Durval Barbosa de participar de pagamentos de propina descobertos em 2009, a partir de operação conhecida como Caixa de Pandora. A ex-servidora Cláudia Marques e o marido de Deborah, Jorge Guerner, também responderão a ação pelos crimes de concussão e formação de quadrilha.

Robert Zoellick deixa presidência do Banco Mundial em junho

O atual presidente do Banco Mundial, Robert Zoelick, anunciou nesta quarta-feira que sairá do cargo em 30 de junho, após cinco anos de mandato e não tentará se reeleger. "Estou honrado de ter liderado essa instituição mundial com tanta gente excepcional", afirmou Zoellick, em comunicado em que destaca suas conquistas durante o seu mandato, dentre elas a transformação da instituição durante a crise econômica. Este é o presidente que deixou o Banco Mundial ser aparelhado pelo petismo e colocou como programa da instituição o esquema petista do "orçamento participativo". Este é um esquema que permite a roubalheira de recursos públicos em larga escala, na proporção de mais e 40% de cada obra, conforme foi constatado pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul no processo das obras da Rua Pitoresca, do Bairro Partenon, em Porto Alegre, durante a gestão petista de Raul Pont (o Tribunal de Contas se negou a examinar outras obras do Orçamento Participativo, até mesmo as do ano em curso da denúncia que foi apresentada; até hoje a Delegacia Fazendária, da Polícia Civil gaúcha, não conluiu inquérito sobre as roubalheiras da obra da Rua Pitoresca, e jamais se dignou a investigar qualquer obra do Orçamento Participativo; se investigasse, ia encontrar monumentais desvios de recursos públicos). "O Banco Mundial agora é forte, saudável e está bem posicionado para novos desafios", diz Zoellick, que substituiu Paul Wolfovitz em 2007. O atual presidente, que foi subsecretário de Estado durante o mandato de George W. Bush (não é uma ironia que um membro do staff de Bush tenha sido o grande amigo do petismo dentro do Banco Mundial?), comunicou sua decisão na manhã desta quarta-feira no Banco Mundial, que terá de fazer uma seleção entre os nomes propostos pela Casa Branca. Nos cinco anos em que Zoellick esteve à frente da instituição, o banco forneceu um montante recorde de empréstimos, de US$ 247 bilhões, para áreas como infraestrutura, agricultura, comércio, educação, saúde e meio ambiente. No período, também ocorreu a maior ampliação de capital dos últimos 20 anos, com a contribuição de países emergentes, que deram mais da metade dos recursos. Do ponto de vista organizacional, o Banco Mundial aumentou "a transparência e o aumento da participação de mulheres em cargos de confiança".

Juiz rejeita ação contra site que divulgou supersalários de servidores

O juiz Ruitemberg Nunes Pereira, substituto do 6º Juizado Especial Cível de Brasília, negou pedido de indenização por danos morais de uma funcionária do Senado contra o site Congresso em Foco por ter divulgado seu salário. Em sua decisão, o juiz afirmou que o fato de se divulgar o salário de um servidor não é motivo para danos morais. O trabalho do site tem sido prejudicado por dezenas de ações judiciais motivadas por uma série de reportagens que revelaram quais servidores do Senado receberam, em 2009, salários acima do teto constitucional (R$ 26,7 mil). Os dados (nome e ganhos de 464 funcionários) foram levantados pelo Tribunal de Contas da União. O site os publicou em agosto do ano passado. Desde então, servidores da Casa moveram 43 ações contra o site Congresso em Foco, cada uma pedindo uma indenização de R$ 21,8 mil. Eles argumentam que tiveram sua intimidade e privacidade invadidas pela publicação de seus ganhos. Todos os 43 pedidos na Justiça são idênticos e foram propostos pela mesma advogada, mas distribuídas a juízes diferentes. Ruitemberg Nunes Pereira é juiz de outras nove ações. Em decisão preliminar, o mesmo juiz já entendeu que todas as ações devem ser unidas em uma só e receber uma decisão única. O Congresso em Foco diz que as ações foram orquestradas pelo Sindicato dos Servidores do Poder Legislativo Federal e do Tribunal de Contas da União. Na internet, a associação propôs que "sindicalizados que foram prejudicados com a disponibilização de tais informações" o procurassem. Esses sindicaleiros petistas querem silenciar a imprensa e os jornalistas por meio de ações cíveis cobrando valores absurdos por supostos danos morais. Mesmo que as ações não progridam na Justiça, já causam uma enorme aflição aos jornalistas, além de perdas de tempo e de recursos próprios. Jornalistas não têm o dinheiro público dos sindicatos para usar em sua defesa.

Governo anuncia corte de R$ 55 bilhões no Orçamento de 2012

O governo Dilma decidiu bloquear o uso de R$ 55 bilhões previstos no Orçamento da União para este ano. Com o corte nas despesas, a equipe econômica acredita que será possível economizar ao longo de 2012 quantia equivalente a R$ 139,8 bilhões, dinheiro que servirá para ajudar a pagar os juros da dívida pública. O valor bloqueado é 10% maior que o contingenciamento anunciado no início de 2011, de R$ 50 bilhões. Dos R$ 55 bilhões anunciados, a redução efetiva de despesas soma R$ 35 bilhões, já que outros R$ 20 bilhões são de redução de estimativas de despesas obrigatórias. Só na Previdência, o governo reviu para baixo R$ 7,7 bilhões nos gastos da área. Segundo os ministros Guido Mantega (Fazenda) e Míriam Belchior (Planejamento), com essa economia será possível assegurar a manutenção da queda dos juros, estimulando um crescimento da economia de 4,5%. Durante apresentação dos números, os ministros se empenharam para garantir que investimentos prioritários para o governo, como as obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), do MCMV (Minha Casa Minha Vida) e programas sociais serão preservados. "Nosso objetivo é garantir o crescimento econômico do país de 4,5% em 2012, apesar das dificuldades no cenário internacional", afirmou Mantega. O ministério da Saúde perdeu R$ 5,5 bilhões em relação ao Orçamento aprovado no final do ano passado pelo Congresso. O Ministério das Cidades, que comanda o programa de construção de casas populares sofreu um corte de R$ 3,3 bilhões na verba prevista. O mesmo aconteceu com o Ministérios dos Transportes, que é responsável por grandes obras do PAC e perdeu R$ 1,9 bilhão. Além disso, a área de Educação ficou sem R$ 1,94 bilhão para gastos este ano. Além disso, foram bloqueadas todas as emendas parlamentares previstas no Orçamento no valor de R$ 20,3 bilhões (dinheiro da corrupção).

Ditador Ahmadinejad ordena construção de quatro reatores no Irã

O ditador do Irã, o nazista islâmico Mahmoud Ahmadinejad,ordenou a construção de quatro novos reatores para pesquisa no país. Em cerimônia nesta quarta-feira ele colocou a primeira placa de combustível nuclear de fabricação nacional no reator de pesquisa para uso médico de Teerã. A placa de urânio enriquecido a 20% foi colocada no reator em cerimônia oficial na qual estiveram presentes o ministro de Relações Exteriores, Ali Akbar Salehi; o diretor da OEAI (Organização da Energia Atômica do Irã), Fereydun Absi, e o principal assessor da Presidência, Mojtaba Samareh Hashemi. O processo de produção das placas e do próprio reator de Teerã estão, segundo a fonte, sob observação da AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica). A colocação da placa de fabricação iraniana foi "bem-sucedida" e o reator de Teerã funcionou com normalidade, após ter sido submetido a todas as provas de segurança necessárias, segundo a OEAI. Segundo a OEAI, a colocação da placa nuclear completa o ciclo de pesquisa, produção e utilização da energia nuclear no Irã. A placa, explicou a agência, foi produzida na usina nuclear de Isfahan, no centro do país, com urânio enriquecido a 20% procedente das centrífugas do Irã.

Família de Whitney Houston não quer ex-marido em funeral

O ex-marido da cantora Whitney Houston, o rapper Bobby Brown, ficou "extremamente desapontado" após pessoas próximas da família da artista informarem que não querem sua presença no funeral que acontecerá no sábado, em Newark. De acordo com o site TMZ, o ex-marido de Houston está "irritado e frustrado" porque viajou para Los Angeles no último domingo para ficar ao lado da filha Bobbi Kristina e, no entanto, não teria conseguido ainda. Kristina, de 18, foi internada duas vezes após a morte da mãe, no último sábado. O site diz que Brown acha que a mãe de Houston, Cissy, está bloqueando o encontro de pai e filha, mas que ele espera que ambas as partes deixem as diferenças de lado para a última homenagem a Whitney Houston. Ela foi introduzida no mundo das drogas e foi várias vezes agredida por ele.

Dilma procura acalmar evangélicos dizendo que ministro não tem posição individual

A presidente Dilma Rousseff mandou recado à bancada evangélica no Congresso pelo ministro Gilberto Carvalho (Secretaria Geral): é contra o aborto e ministro não tem posição individual, mas de governo. Dilma tenta acalmar os ânimos da Frente Parlamentar Evangélica, que questiona a escolha de Eleonora Menicucci para a Secretaria de Política para as Mulheres. A nova ministra é defensora de mudança na legislação relativa ao aborto. Ela própria afirma já ter passado por dois. "A presidente pediu que eu reafirmasse para a bancada que a posição do governo sobre aborto é a posição que ela assumiu na campanha eleitoral e que nós ministros, as posições que sustentamos publicamente não são posições individuais, são posições do governo e a posição do governo sobre o aborto está absolutamente clara e assim vai continuar", disse Gilberto Carvalho ao participar de reunião com a frente, nesta quarta-feira, no Congresso. O ministro se reuniu com o segmento evangélico para explicar declarações durante o Fórum Social, em Porto Alegre, mês passado. Na ocasião, Gilberto Carvalho afirmou que o Estado deve fazer uma disputa ideológica pela "nova classe média", que estaria sob hegemonia de setores conservadores. "Lembro aqui, sem nenhum preconceito, o papel da hegemonia das igrejas evangélicas, das seitas pentecostais, que são a grande presença para esse público que está emergindo", disse durante o fórum. Na reunião com a Frente Parlamentar Evangélica, Carvalho disse que foi "mal interpretado" e pediu "perdão" pelo "sentimento" que suas declarações provocaram em alguns deputados e senadores. "Minha fala foi traduzida de maneira equivocada, houve interpretação de que o governo se armava para fazer uma guerra com as igrejas evangélicas. Vim aqui para dizer que isso não é verdade, não temos de maneira nenhuma essa intenção, pelo contrário, o governo considera as igrejas evangélicas parceiras e muito importantes. Seria uma loucura fazer uma rede para combater as igrejas evangélicas".

Ministério Público pede que notas de real não tragam a frase “Deus seja louvado”

O procurador substituto do Ministério Público Federal em São Paulo, Pedro Antonio de Oliveira, quer que a frase “Deus seja louvado” seja retirada das cédulas de Real. Em dezembro do ano passado, o procurador fez uma representação devido a uma suposta “ofensa à laicidade da República Federativa do Brasil”. Em outras palavras, ele pede que o Banco Central não imprima mais “Deus seja louvado” nas cédulas de dinheiro. Para o procurador, essa frase desrespeita o Estado laico e, portanto, não deveria estar nas cédulas. O Banco Central já iniciou um procedimento interno para tratar do caso. Em sua resposta ao procurador, divulgada na semana passada, o banco lembra que, a exemplo da moeda, até a Constituição foi promulgada “sob a proteção de Deus”. Também argumenta que “A República Federativa do Brasil não é anti-religiosa ou anti-clerical, sendo-lhe vedada apenas a associação a uma específica doutrina religiosa ou a um certo e determinado credo”. O Banco Central acredita que a ação do procurador “padece de vício de origem”, pois é atribuição do Conselho Monetário Nacional determinar como serão as cédulas e as moedas do País. É a primeira vez que existe uma ação clara de um órgão federal.

Chico Anysio faz fisioterapia respiratória e motora

O humorista Chico Anysio, de 80 anos, que continua internado no Hospital Samaritano, em Botafogo, na zona sul do Rio de Janeiro, está fazendo fisioterapia respiratória e motora. De acordo com o hospital, Chico Anysio está lúcido, respira sem ajuda dos aparelhos por algumas horas do dia, e a função renal está mantida. Hospitalizado em novembro por conta de uma infecção urinária, o humorista teve alta em 21 de dezembro, mas voltou ao hospital no dia seguinte para controlar uma hemorragia no estômago.

Parlamentares querem indicar integrantes da Comissão de Ética

Deputados federais defenderam nesta quarta-feira uma mudança na indicação dos integrantes da Comissão de Ética Pública da Presidência. A idéia é que o Congresso seja o responsável pelas indicações e não mais o Executivo. A proposta foi apresentada pelo líder do DEM na Câmara, ACM Neto (BA), e ganhou o apoio de deputados da base aliada da presidente Dilma Rousseff. ACM Neto explicou que a intenção é "evitar ingerências", já que, segundo ele, Dilma tem o objetivo de proteger o ministro de Desenvolvimento, Fernando Pimentel, a quem classificou de "amigo da presidente". "Dilma não ficou satisfeita com o trabalho da Comissão, que já havia recomendado a demissão do ex-ministro do Trabalho, Carlos Lupi. Ela ficou numa saia justa", disse ACM Neto. Além de Lupi, a comissão também abriu processo contra Fernando Pimentel. A idéia de ACM Neto foi bem recebida na Câmara dos Deputados. Para o deputado federal Eduardo Cunha (PMDB-RJ), as indicações tinham que ser feitas de uma maneira mista, assim como acontece com o Conselho Nacional de Justiça, sendo uma vaga do Senado, outra da Câmara e outra do Executivo, por exemplo: "Não vejo problema nenhum na mudança, por que não fazer?." Já o deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) lembrou que a competência constitucional de fiscalizar o Executivo é do Congresso. É de se perguntar a Miro Teixeira: então, por que não exerce a sua prerrogativa e fiscaliza o governo? Entregar a Comissão de Ética da Presidência para o parlamento equivale a entregar um instrumento de chantagem a desqualificados amorais.

Kellogg compra Pringles por US$ 2,7 bilhões

A fabricante de alimentos Kellogg Company anunciou nesta quarta-feira que chegou a um acordo com a Procter & Gamble para comprar a batata Pringles por US$ 2,69 bilhões. "A Pringles é uma excelente estratégia para a Kellogg Company", diz a empresa em seu site: "Isso mostra os avanços significativos nos objetivos da companhia em construir uma marca global de aperitivos em paralelo a seu negócio global de cereais". A Kellogg espera que a aquisição valorize suas ações entre US$ 0,08 e US$ 0,10 no primeiro semestre. Em 2012, as sinergias devem somar pelo menos US$ 10 milhões. A partir de 2013, as sinergias podem chegar a US$ 75 milhões. Em novembro, a P&G anunciou a venda da Pringles para a Diamond Foods. A operação deveria ser concluída até junho de 2012, mas, na semana passada, a Diamond Foods divulgou um comunicado afirmando que os resultados dos anos fiscais de 2010 e 2011 teriam que ser revistos, e o negócio foi encerrado. A Kellogg vai incorporar os 1.700 funcionários da Pringles. As empresas esperam que o negócio seja aprovado pelos órgãos regulatórios até o verão, que começa em junho. As vendas da Pringles giram em torno de US$ 1,5 bilhão. As batatas são fabricadas nos Estados Unidos, na Europa e na Ásia e vendidas em 140 países. Líder em produção de cereais, o portfólio da multinacional americana conta com marcas famosas no Brasil, tais como Kellogg's, Corn Flakes, Special K, entre outras. A empresa fabrica em 18 países e está presente no varejo em mais de 180.

Site diz que Whitney Houston teve premonição sobre própria morte

Whitney Houston disse a alguns amigos nos dias que antecederam sua morte que "queria muito ver Jesus", e que sentia que o seu fim estava próximo. As informações são do site "TMZ". Na sexta-feira, depois de cantar "Yes Jesus Loves Me" na casa noturna Tru, em Hollywood, a diva pop disse a um de seus amigos que iria "ver Jesus... Eu quero ver Jesus". Na manhã seguinte, horas antes de morrer, Whitney debatia sobre uma passagem da Bíblia envolvendo João Batista e Jesus quando abriu um grande sorriso e comentou: "Sabe, ele é tão legal... Eu quero muito ver Jesus". Outra fonte contou ao "TMZ" que Whitney dizia aos amigos que sua hora estava chegando, e que queria passar o tempo louvando Deus sempre que pudesse. Isso parece qualquer coisa, menos premonição. O nome mais adequado para isso é a expressão do desejo suicida. O funeral privado da cantora pop norte-americana será realizado no sábado, ao meio-dia, na igreja New Hope Baptist Church de Newark, em Nova Jersey, onde ela cantava quando criança.

Seleção brasileira despenca no ranking da Fifa

A menos de dois anos e meio da Copa do Mundo de 2014, em sua casa, o Brasil é apenas o sétimo colocado no ranking da Fifa. A entidade divulgou uma nova atualização nesta quarta-feira. E a posição brasileira é a pior da história desde que a lista foi criada, em agosto de 1993, quando iniciou em oitavo lugar. A partir daí, nunca havia ficado aquém disso. O time de Mano Menezes figurava em sexto lugar desde a relação mensal de novembro. Mas agora terminou ultrapassado pela seleção de Portugal. A seleção nacional já havia caído para sétimo em setembro do ano passado, por exemplo. Outra mudança na parte de cima foi a subida da Alemanha, nova vice-líder, à frente da Holanda. O topo continua com a Espanha, atual campeã do mundo. As três melhores evoluções foram de equipes que disputaram a Copa Africana de Nações: o Gabão subiu 46 degraus e agora é o 45º, a Guiné Equatorial subiu 41 (110º) e a campeã Zâmbia ganhou 28 postos e está em 43º. Veja o top 15: 1 - Espanha - 1566 pontos; 2 - Alemanha - 1369; 3 - Holanda - 1359; 4 - Uruguai - 1317; 5 - Inglaterra - 1173; 6 - Portugal - 1155; 7 - Brasil - 1152; 8 - Itália - 1115; 9 - Croácia - 1101; 10 - Dinamarca - 1090; 11 - Argentina - 1081; 12 - Chile - 996; 13 - Rússia - 989; 14 - Grécia - 979; 15 - Costa do Marfim - 967.

Mantega nega plano de aumentar IR de aplicações financeiras

O ministro Guido Mantega (Fazenda) negou que o governo planeje aumentar a alíquota de Imposto de Renda cobrada em aplicações financeiras, após a imprensa divulgar que o governo estuda elevar a tributação sobre investimentos de renda fixa, como CDBs e fundos, para desestimular aplicações atreladas à taxa básica de juros (Selic). "Só pensamos em reduzir impostos neste momento. Não há aumento de imposto previsto", disse Mantega. Desde o início do governo Dilma Rousseff são estudadas formas de desindexar a economia e abrir mais espaço para a redução da Selic, mas não há decisão tomada nesse sentido. A presidente foi informada desses estudos e de outros com a mesma intenção, que alterariam, por exemplo, a remuneração da poupança, mas recomendou cautela, principalmente neste ano eleitoral. Há uma preocupação no governo de que o excesso de aplicações que rendem de acordo com a Selic limita a atuação do Banco Central, já que, quando ele eleva os juros para segurar o consumo e a inflação, acaba contribuindo para aumentar a riqueza de quem tem esses investimentos. O aumento da tributação de investimentos em renda fixa foi discutido por técnicos da área econômica, mas ainda não foi tratado pelos ministros da área. A medida teria que passar pelo Congresso e só valeria para o ano seguinte à aprovação.

ONU pressiona Israel por preso palestino em greve de fome

O relator especial da ONU para os Direitos Humanos nos territórios ocupados palestinos, Richard Falk, fez um apelo nesta quarta-feira à comunidade internacional para que intervenha "urgentemente" junto ao governo israelense em nome de um prisioneiro palestino em greve de fome. O palestino Khader Adnan mantém uma greve de fome há 60 dias em protesto por sua detenção administrativa sem que tenha sido acusado de nenhum crime, lembra o analista da ONU em comunicado. Segundo Falk, a vida do detido "está em perigo" e o relator reivindica de Israel "medidas imediatas e eficazes" para salvar a vida de Adnan e garantir seus direitos. "Faço um chamado à comunidade internacional, especialmente aqueles Estados com relações com Israel, que peçam ao governo israelense para cumprir suas responsabilidades com a lei internacional, mais urgentemente no que diz respeito ao caso de Adnan", acrescenta a nota. Falk também fez um apelo ao governo de Israel para que cumpra suas obrigações legais para com os milhares de palestinos presos. "O tratamento inadequado dos milhares de prisioneiros palestinos pelo governo de Israel deveria ser motivo de grande preocupação para a comunidade internacional, e é um problema que estou prestando muita atenção durante minha atual visita à região", afirmou Falk. Este relator é aquele mesmo que fez um relatório criminoso sobre a operação israelense contra a flotilha terrorista que pretendia violar o bloqueio naval contra a Faixa de Gaza, e depois se desculpou. Por que a ONU não protesta em altos brados contra os prisioneiros políticos que cumprem pena em Cuba, na ditadura dos facínoras irmãos Castro?

Caso PanAmericano racha antiga cúpula do banco

O fim das investigações do escândalo do PanAmericano gerou um racha na antiga cúpula do banco, indiciada pela Polícia Federal por crimes financeiros. Todos os ex-diretores devem entrar com processos na Justiça, exigindo o pagamento de indenização trabalhista, alegando que cumpriam ordens dos comandantes do esquema de fraudes contábeis que levou a um rombo de R$ 4,3 bilhões. A estratégia dos advogados é demonstrar à Justiça que os ex-diretores não foram cúmplices dos executivos Rafael Palladino (ex-presidente do banco), Wilson de Aro (ex-diretor financeiro) e Luiz Sandoval (ex-presidente do Grupo Silvio Santos), apontados como arquitetos da fraude, de quem recebiam ordens. Já moveram ações Carlos Roberto Vilani (ex-diretor comercial), Adalberto Savioli (ex-diretor administrativo e de crédito) e Antônio Carlos Quintas Carletto (ex-diretor da PanAmericano Administradora de Cartões). Os executivos do banco e alguns de outras empresas do Grupo Silvio Santos foram acusados pela Polícia Federal de manterem empresas de fachada para receber bônus e outras remunerações.

Presidente da Airbus abre investigação sobre rachaduras na fuselagem do superjato A380

O presidente da Airbus ordenou uma investigação interna sobre como a companhia permitiu o surgimento de rachaduras nas asas do A380, agindo após semanas de publicidade negativa para o maior avião de passageiros do mundo. O presidente-executivo Tom Enders reiterou que o superjumbo é seguro e que engenheiros repararam finas rachaduras nas asas do modelo. Ele afirmou ainda que quer evitar que as preocupações se espalhem para o futuro jato A350. "Cometemos um pequeno erro aqui e o estamos reparando o mais rápido possível", disse Enders durante a feira de aviação de Cingapura, nesta quarta-feira. "Este avião é absolutamente seguro", acrescentou. "Estamos aprendendo com isso. Com certeza. Estamos levando as lições do programa do A380 para o programa do A350", garantiu o executivo, referindo-se ao próximo projeto da companhia, um avião de médio porte projetado para competir com o Boeing 787 Dreamliner. "Temos uma investigação em andamento sobre como pudemos cometer esses erros, para erradicar as fontes destes equívocos", acrescentou. Uma série de revelações sobre as rachaduras, que a Airbus e autoridades afirmam que não afetam componentes cruciais para a segurança, constrangeu a fabricante e colocou uma sombra sobre a indicação de Enders para dirigir a controladora da Airbus, a EADS, a partir de junho. A Airbus afirmou que uma combinação de problemas de design e manufatura colocou muito estresse em alguns dos 2.000 suportes que fixam o exterior de cada asa à estrutura interna. O processo de reparo implica em tirar de circulação o avião de 525 lugares por vários dias, algo que a Airbus terá que compensar as companhias aéreas clientes. A frota de A380 em serviço é de 69 unidades.

Haddad vai sofrer com "kit gay", diz bispo da Igreja Universal

A polêmica sobre o chamado kit anti-homofobia, encomendado pelo Ministério da Educação durante a gestão de Fernando Haddad, fará o petista "sofrer" na eleição municipal de São Paulo. A previsão é de Marcos Pereira, bispo da Igreja Universal e presidente nacional do PRB, partido aliado ao PT no governo Dilma Rousseff. O dirigente afirma que o material, conhecido entre os evangélicos como "kit gay", será usado contra Haddad na campanha e vai fazê-lo perder votos neste segmento, estimado em cerca de 20% do eleitorado paulistano. "Vai ser difícil tirar essa mancha do Haddad. Ele vai sofrer muito com isso", diz. O petista tem procurado líderes de igrejas para tratar do assunto. Ele sustenta que o material vazou antes de ser distribuído e que o MEC vetaria seu uso em salas de aula. Marcos Pereira afirma que a explicação não o convenceu: "Se o kit chegasse às escolas, seria o pior dos mundos. Mas se o Haddad pagou por algo que seria vetado, mostrou ser um mau administrador. De um jeito ou de outro, ele vai apanhar". O bispo apóia o pré-candidato Celso Russomanno (PRB). Em 2011, a TV Record, controlada pela Universal, levou ao ar reportagens de mais de dez minutos sobre o kit, em tom crítico contra Haddad. Os petistas temem uma reprise da cruzada contra Dilma Rousseff na eleição presidencial de 2010, quando ela foi acusada de defender o aborto e ser contra a família. Na semana passada, o pastor Silas Malafaia e o senador Magno Malta (PR-ES) usaram o kit para atacar Haddad. O pré-candidato Gabriel Chalita (PMDB), católico, disse que o próximo prefeito precisará de "valores cristãos" para administrar a cidade.

Governo quer medidas para expansão do mercado de derivativos

Um grupo técnico para avaliar medidas que induzam a expansão do mercado de derivativos no País foi criado em portaria assinada pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, e pelo presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. A equipe terá ainda a participação da CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Conforme a portaria, o foco do grupo técnico será propor regras que promovam o "crescimento equilibrado do mercado de derivativos", que monitorem a evolução das exposições financeiras das empresas e instituições participantes neste mercado, "bem como realizar estudos e pesquisas objetivando maior eficiência e segurança às operações realizadas no mercado de derivativos". Haverá um comitê gestor coordenado pelo secretário-executivo da Fazenda, pelos diretores de política monetária e de regulação do sistema financeiro nacional do Banco Central e pelo presidente da CVM.

Rio de Janeiro abre processo para expulsar 73 policiais militares após greve

O comando da Polícia Militar do Rio de Janeiro abriu processo interno contra 73 policiais militares apontados como "simpatizantes da greve" iniciada na quinta-feira e encerrada na seguna-feira. A maioria desses policiais é composta de petistas que já promoveram greve antes junto com parlamentares e dirigentes petistas. Agora irão experimentar um pouco do seu próprio veneno. A medida pode resultar na expulsão dos policiais da corporação. Na terça-feira, o governador filo-petista Sérgio Cabral (PMDB, também conhecido como "Sérgio, o Ausente"), decidiu encaminhar à Justiça pedido para que os policiais militares e bombeiros presos em Bangu 1 sejam encaminhados para presídios militares. Ele afirmou, em nota, que "diante do fim das ameaças à manutenção da ordem pública" decidiu pedir à Justiça a transferência dos detidos. Dos 73 policiais militares que passarão pelo chamado conselho disciplinar, 71 eles emitiram em redes sociais ou blogs opiniões em favor da greve. Dois deles responderão por terem estacionado o carro de polícia para tomar banho de mar no Recreio dos Bandeirantes, zona oeste do Rio de Janeiro, no primeiro dia da greve. O comando da corporação entendeu que eles foram simpatizantes ao movimento. Dois casos serão conduzidos pelo secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, pois envolvem dois tenentes-coronéis. Um deles postou em uma rede social opinião favorável ao movimento. Apesar do fim do protesto, o setor de inteligência da Polícia Militar continua monitorando as redes sociais para acompanhar as opiniões dos policiais. "Isso é autoritarismo. Opinar é um direito legítimo e todos têm o direito de se manifestar de alguma forma. Eles não podem participar da greve, mas o comandante da Polícia Militar ganhou carta branca para agir e punir", afirmou Vanderlei Ribeiro, da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar do Rio de Janeiro. Todos os 73 policiais perdem a arma e a carteira de policial. A Polícia Militar emitirá uma carteira de identificação temporária para cada um deles. Por que não procuram a CUT petista para chorar suas mágoas?

Banco do Brasil paga R$ 442 milhões em dividendos no dia 29

O Banco do Brasil informou que vai distribuir R$ 442,5 milhões em dividendos aos acionistas, no dia 29 deste mês. O valor correspondia a R$ 0,156 por ação até terça-feira, dia 14, e até o pagamento efetivo terá correção monetária seguindo a variação da taxa básica de juros Selic. A distribuição corresponde ao resultado do banco público no quarto trimestre de 2011, quando registrou lucro líquido de R$ 2,9 bilhões. Em comunicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira, o vice-presidente de finanças, Ivan Monteiro, diz que a instituição já pagou R$ 803,57 milhões no dia 7, como remuneração aos acionistas sob a forma de juros sobre o capital próprio.

Estrangeiros retiram R$ 349,604 milhões da Bovespa

Os investidores estrangeiros retiraram R$ 349,604 milhões da Bolsa na segunda-feira. Naquele pregão, o Ibovespa fechou em alta de 2,65%, aos 65.691,53 pontos. O giro financeiro totalizou R$ 13,188 bilhões, sendo R$ 6,3 bilhões referentes ao exercício de opções. Foi o terceiro pregão de 2011 em que houve resgate líquido de recursos estrangeiros da Bovespa. Com o resultado, a Bolsa tem superávit de R$ 476,559 milhões em capital externo no mês fevereiro. A cifra é resultado de compras de R$ 29,207 bilhões e vendas de R$ 28,730 bilhões no período. No ano, o ingresso destes recursos supera a retirada em R$ 7,644 bilhões.