domingo, 10 de junho de 2012

Tribunal de Contas vai investigar cancelamento de consultas em Porto Alegre por causa do feriado de Fortunatti

Paciente desesperada com porta fechada do posto
O Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul irá investigar o cancelamento de consultas nos postos de saúde de Porto Alegre, ocorrido na sexta-feira. Mas é uma iniciativa quase para inglês ver, porque será feita somente durante a próxima auditoria na prefeitura, que não tem data divulgada. O prefeito da capital gaúcha, José Fortunati, endossando a opinião do secretario de Saúde do município, pediu desculpas à população pelo fechamento de postos na sexta-feira. Fortunati afirmou ter tomado uma decisão irrefletida na quarta-feira, de dar folga aos servidores municipais na sexta-feira. O decreto saiu na quarta-feira à tarde, o que fez com que todos os pacientes agendados para consultas na sexta-feira não fossem avisado. Foi um terror, na manhã gélida de sexta-feira, com quase um grau abaixo de zero, pacientes que vieram de muito longe, e esperaram por tanto tempo, deram com a cara nas portas fechadas dos postos de saúde da capital gaúcha. Se tivesse pensado nesses pacientes como pensou na galinha que ele acudiu quando estava no meio da rua, em frente à Câmara Municipal, no centro de Porto Alegre, Fortunatti não teria cometido a besteira que cometeu. Há uma curiosidade para se ver o que a Promotoria de Defesa de Direitos Humanos do Ministério Público irá fazer.

Transposição de água do rio Jacuí salva Passo Fundo

A Corsan finalizou na sexta-feira as obras de transposição de águas do rio Jacuí, em Passo Fundo, no norte do Rio Grande do Sul. A operação, para transferirência de água até um dos pontos de captação para auxiliar no abastecimento dos 184,8 mil moradores, iniciou na manhã de sábado. A obra faz parte de um conjunto de medidas para evitar o racionamento de água no município, previsto para iniciar nesta terça-feira. O superintendente regional da Corsan, Paulo Berta, explica que a água percorre quatro quilômetros por adutoras e outros três quilômetros via gravidade, para reforçar o ponto de captação, cujo nível vem caindo nos últimos meses devido à falta de chuva. Ele ressalta que o sistema foi aprovado em testes preliminares feitos na última quarta-feira. Mais de R$ 2 milhões em obras emergenciais já foram investidos pela Corsan para tentar evitar o racionamento no município. Entre as ações estão a perfuração de poços e a transposição de água de um poço para outro ponto de captação.

Senador tucano Alvaro Dias sentencia, "Lula é ex-presidente decadente"

O senador Álvaro Dias (PSDB-PR) disse na manhã deste domingo, no Rio de Janeiro, que o ex-presidente Lula é "decadente" e criticou a tentativa dele de interferir no julgamento do processo do Mensalão do PT pelo Supremo Tribunal Federal. Presente ao lançamento da candidatura do deputado Otávio Leite (PSDB) à prefeitura do Rio de Janeiro, Alvaro Dias criticou também o ex-ministro José Dirceu, deputado federal petista cassado por corrupção e chefe da "quadrilha do mensalão", conforme o Procurador-Geral da República. O petista, em encontro da UJS (União da Juventude Socialista), no sábado, pediu que a juventude proteste nas ruas pedindo a absolvição dos acusados no processo do Mensalão do PT. Disse Alvaro Dias: "O Supremo Tribunal Federal não será derrubado. Durante a ditadura, cassaram mandatos, fecharam o Congresso, mas não derrotaram o Supremo. Não é agora que um ex-presidente decadente irá derrotar o Supremo Tribunal Federal, que haverá de realizar um julgamento sério, rigoroso, para colocar na cadeia aqueles que lá devem estar. E não pelas ruas do País pedindo o apoio da nossa juventude". Durante encontro dos estudantes no sábado no Rio de Janeiro, o "chefe da quadrilha" do Mensalão do PT, José Dirceu, chamou o julgamento de "a batalha final" e criticou também a imprensa. "Todos sabem que este julgamento é uma batalha política. E essa batalha deve ser travada nas ruas também porque senão a gente só vai ouvir uma voz, a voz pedindo a condenação, mesmo sem provas. É a voz do monopólio da mídia. Eu preciso do apoio de vocês", disse ele aos estudantes. Para AlvaroDias, "os estudantes têm que ir para as ruas em defesa do Brasil e não dos mensaleiros".

Justiça chilena condena 76 agentes da ditadura de Pinochet

Um total de 76 oficiais da ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990) foram condenados, desde maio, por violações a direitos humanos e 67 estão presos, segundo estudo da Universidade Diego Portales divulgado no sábado. Dos 67 agentes presos, 36 pertencem ao exército, 27 à polícia (carabineros), dois às Forças Armadas, um à Marinha e um à polícia civil. Dos nove condenados que estão soltos, seis foram beneficiados por medidas judiciais que lhes permitem cumprir a pena foram da prisão e três já morreram. Os tribunais chilenos mantiveram abertos 350 casos de desaparição, tortura, prisões ilegais e conspirações durante o período ditatorial que envolvem cerca de 700 militares e agentes civis. O estudo foi apresentado um dia antes da exibição de um polêmico documentário chamado "Pinochet", homenagem realizada por partidários do ditador em um teatro de Santiago, capital chilena. O filme causou repúdio de grupos de direitos humanos e familiares de presos políticos e desaparecidos. A ditadura chilena começou com o golpe de Estado que destituiu o presidente socialista Salvador Allende, em 11 de setembro de 1973. Allende se suicidou durante bombardeio ao Palácio de La Moneda.

ESTARÁ A SOCIALITE MARTA SUPLICY SAINDO DO PT E INDO PARA O PMDB EM SÃO PAULO? TUDO INDICA QUE SIM, E A PISTA É UM ARTIGO DELA

Artigo de Marta Suplicy gera rumor sobre saída dela do PT e ingresso no PMDB Um artigo publicado pela senadora Marta Suplicy na semana passada, intitulado “Travessia”, passou a ser encarado nos meios políticos como um enigma a ser decifrado. Marta falava em “abandonar as roupas usadas” e no “tempo da travessia”. Marta Suplicy falava, inclusive, da dor de um rito de passagem. “Não se chega à outra margem do rio sem respingos. Há risco de afogamento. O difícil é fazer o percurso, mas, se vislumbrada a chegada, não há força que segure a mudança e o crescimento”, afirma. De quem ela falava? De si própria? O rumor que se espalha nos meios políticos é o de que Marta Suplicy poderá trocar o PT pelo PMDB, empenhando seu apoio, na sucessão paulistana, ao candidato Gabriel Chalita. Seria um golpe duro na candidatura de Fernando Haddad, que tem custado a decolar e apresentado dificuldades para fechar alianças. Detalhe: o novo companheiro de Marta Suplicy, Márcio Toledo, é filiado ao PMDB. Leia o artigo “Travessia” de Marta Suplicy: "Escreveu Fernando Pessoa: 'Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já têm a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos". Travessias são sempre difíceis e revestidas de peculiaridades. Por isso há os ritos de passagem. Seja para celebrar com um bom choro a saída do útero materno para a vida, para tolerar os primeiros dias de um luto com cerimônias religiosas e presença da família e amigos, as festas de saída da adolescência para a vida adulta, a celebração do casamento, o trote na universidade... Essas são as travessias mais visíveis e que tomam formas diferentes dependendo das culturas. Sempre existiram no decorrer dos séculos. Mas existem outras. As que estão acontecendo nos costumes, nas regras de comportamento, nas leis que se aprimoram para acompanhar as mudanças das novas exigências, nas aspirações dos povos, nos sistemas de governo que conhecemos e no direito pleno de cidadania. Agora, com a rapidez desencadeada pela modernidade da comunicação digital globalizada. Influencia para o bem ou para o mal, com todas as notícias ou reflexões que mal temos tempo de digerir. Mas a mente vai se acostumando com as pérolas e o lixo, e o trator da vida segue seu caminho. São interessantes as contradições que brotam desses processos. Não se chega à outra margem do rio sem respingos. Há risco de afogamento. O difícil é fazer o percurso, mas, se vislumbrada a chegada, não há força que segure a mudança e o crescimento. Temos visto isso na exigência de transparência nos governos, na busca da ética nos políticos, no respeito, na tolerância, na sustentabilidade para o nosso planeta, no direito de os seres humanos se unirem de acordo com seus desejos, nas famílias se constituírem por amor. E com todas as contradições de interesses e crenças caminhando em luta feroz. Entretanto o avanço para um processo civilizatório com mais justiça e dignidade para todos é inexorável. Assim caminha a humanidade. Os movimentos de massa, que chegam na outra margem, começam com pessoas que percebem o novo, algumas que se inquietam, outras que não se conformam, com os milhares que sonham e que são visionários e com os poucos que captam o futuro e lançam fagulhas que, de tão fortes, incendeiam milhares de mentes e suscitam ações. Pessoas que fizeram suas travessias. Outras que pegam carona. As certezas e os sonhos a serem descartados são o mais difícil na travessia. A isto se refere Fernando Pessoa em poucas linhas. Largar as roupas que nos levam aos mesmos lugares".

Fundo de pensão pode perder R$ 1,5 bilhão no Cruzeiro do Sul

Fundos de pensão de estatais, Estados e municípios correm o risco de amargar prejuízos após terem investido pouco mais de R$ 1,5 bilhão no banco Cruzeiro do Sul. A instituição financeira está sob intervenção do Banco Central desde o dia 4, por problemas na contabilidade e no descumprimento de normas do sistema financeiro. O rombo detectado foi de R$ 1,3 bilhão. Entidades de previdência dos fundos de estatais aplicaram R$ 1,09 bilhão no banco. Instituições de servidores estaduais e municipais, por sua vez, creditaram R$ 426 milhões na instituição. Em São Paulo, o futuro do Cruzeiro do Sul pode afetar créditos feitos por fundos de 22 municípios, como São Bernardo do Campo, Bauru e Catanduva. Segundo o secretário de Previdência Social, Leonardo Rolim, apesar da ameaça, dificilmente o prejuízo para esses investidores será equivalente ao montante total aplicado. Segundo o secretário, um estudo mais detalhado sobre quanto cada fundo aplicou deve ser finalizado nesta próxima terça-feira.

Dilma desautoriza ministro Mendes Ribeiro Filho a falar sobre Código Florestal

A presidente Dilma Rousseff afirmou, por intermédio de sua assessoria, que o ministro Mendes Ribeiro Filho(da Agricultura) não está autorizado a falar sobre negociação do Código Florestal. Na última quinta-feira, após reunião com a presidente, Mendes Ribeiro Filho admitiu possibilidade de flexibilização do código. Segundo o porta-voz da Presidência, Thomas Traumann, o tema não foi objeto da audiência realizada no Palácio da Alvorada, onde a presidente e o ministro discutiram o plano safra que será anunciado no dia 30 de junho. "O ministro não está autorizado pela presidente a falar sobre negociação sobre Código Florestal", afirmou o porta-voz da Presidência. Mas que tal, hein? Se o ministro da Agricultura não está autorizado a tratar sobre Código Ambiental, que afeta todos os produtores rurais brasileiros, então quem estaria autorizado? O presidente do Banco Central?

Oposição tenta convocar suspeito de ser laranja da Delta

A oposição defende a convocação à CPI do Cachoeira do empresário Marcello Abbud, dono de uma empresa que diz alugar máquinas pesadas para obras públicas. Ele é suspeito de ser ligado a companhias de fachada que receberam dinheiro da construtora Delta. Alguns integrantes da comissão defenderam a quebra dos sigilos bancários e fiscal de Abbud e suas empresas. Segundo relatório do Coaf (órgão de inteligência financeira do governo federal), um grupo de três empresas ligadas a Abbud recebeu R$ 47,8 milhões da empreiteira Delta. A suspeita é que as empresas atuem como "laranjas" da construtora, simulando a prestação de serviços em um esquema de caixa dois. "O depoimento de Abbud é importante porque há indícios fortes de que o esquema não atinge só a Delta, mas pode alcançar outras empreiteiras que têm contrato com o governo", disse o deputado Rubens Bueno (PPS-PR). O senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) formulou um requerimento para tentar quebrar os sigilos bancários e fiscal das empresas ligadas a Abbud, mas diz que o relator da comissão, Odair Cunha (PT-MG), está retendo esses e outros pedidos sobre empresas relacionadas à Delta.

Regra da Anatel obriga a Polícia Federal a trocar sistema de comunicação de R$ 320 milhões

A Polícia Federal terá de trocar seu sistema de radiocomunicação que vinha sendo modernizado nos últimos anos, entre 2005 e 2010, e poderia durar até 20 anos. O investimento, que em valores atualizados correspondem a R$ 320 milhões, foi prejudicado por duas resoluções da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) do ano passado. A agência retirou a preferência de operação da frequência de 460 MHz e trocou para a de 380 MHz. Com isso, parte do gasto da Polícia Federal com o sistema terá de ser refeito.

Espanha pede ajuda financeira de 100 bilhões de euros para a zona do euro

O ministro de Finanças da Espanha, Luis de Guindos, pediu neste sábado ajuda financeira à zona do euro para fazer o resgate aos bancos do país. Guindos afirma que as condições e as taxas de juros serão "favoráveis" e que "as exigências de austeridade serão feitas apenas ao setor financeiro", sem afetar a sociedade espanhola. O representante do governo diz que o valor pedido é suficiente para conseguir recuperar as instituições financeiras e ter uma margem caso a crise financeira nos bancos piore. Guindos nega que a Espanha tenha pedido um resgate. "O que se pede é um apoio financeiro e não tem nada a ver com um resgate em absoluto. Irá dirigido ao FROB [Fundo de Reestruturação Ordenada Bancária] e este injetará nas entidades que o requiserem. Nem todos os bancos precisam de capitalização". O ministro ainda afirmou que o FMI (Fundo Monetário Internacional) prestará um apoio "estritamente de assessoramento do setor financeiro, de apoio e de implementação do programa". O titular das Finanças da Espanha disse que o país foi elogiado pelas medidas de austeridade e ajuste fiscal tomadas durante o governo do presidente de governo Mariano Rajoy, conseguindo o respaldo da zona do euro. Mais cedo, os ministros de Finanças da zona do euro aceitaram a concessão de um resgate financeiro de até 100 bilhões de euros ao governo espanhol para que possa socorrer os bancos do país. O resgate deverá ser autorizado pelo Fundo Europeu de Estabilidade Financeira e pelo grupo de ministros para que a verba total seja liberada. A diretora-geral do FMI (Fundo Monetário Internacional), Christine Lagarde, disse neste sábado que a instituição está pronta para cooperar no resgate de 100 bilhões de euros que a zona do euro vai prestar aos bancos da Espanha.

Morre em Londres o jornalista e escritor Ivan Lessa

O jornalista, cronista e escritor Ivan Lessa, filho do também escritor Orígenes Lessa, morreu na noite de sexta-feira, aos 77 anos, em Londres, onde estava radicado há mais de 30 anos. Lessa publicava três colunas semanais no site da BBC Brasil. Lessa foi um dos principais colaboradores do jornal O Pasquim, famoso pela oposição feita à ditadura militar, ao lado de nomes como Paulo Francis, Tarso de Castro e Millôr Fernandes. Ele escrevia, entre outras, a coluna "Gip Gip Nheco Nheco". Lessa sofria de enfisema pulmonar e tinha problemas respiratórios graves. Elizabeth contou que encontrou Ivan Lessa morto ao chegar à noite em casa e calcula que ele tenha morrido entre as 16 horas e as 18 horas pelo horário local. O jornalista publicou três livros: a coletânea de contos "Garotos da Fuzarca" (1986) e as seleções de crônicas "Ivan Vê o Mundo" (1999) e "O Luar e a Rainha" (2005). O jornalista e escritor também trabalhou na TV Globo e foi colaborador de publicações brasileiras como as revistas Senhor, Veja e Playboy, e os jornais Folha de S.Paulo, O Estado de S.Paulo e o Jornal do Brasil. A última crônica de Lessa na BBC Brasil, postada na sexta-feira, era sobre o escritor francês Roland Topor, conhecido como grande frasista, terminava fazendo referência a outro jornalista que morreu recentemente e fez história no jornalismo no Pasquim: "E assim, cada vez que um ‘frasista’ passar por perto de mim, leve uma nossa: minha e de Millôr. Dois contra um a gente ganha mole".