sábado, 14 de julho de 2012

Programa Ciência sem Fronteiras já mandou mais de 6,7 mil estudantes para o exterior

Lançado em dezembro de 2011, o Programa Ciência sem Fronteiras apresenta saldo positivo para o Brasil. Mais de 6,7 mil estudantes brasileiros já estão no Exterior, em universidades de excelência, como bolsistas do programa. Em setembro, mais 12 mil alunos embarcam para o Exterior para fazer um ano da graduação em instituições de 12 países: Alemanha, Austrália, Bélgica, Canadá, Coréia do Sul, Espanha, Estados Unidos, França, Holanda, Itália, Portugal e Reino Unido. O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, adiantou que os próximos editais do Ciência sem Fronteiras serão lançados no final deste mês. Serão oferecidas bolsas para graduação sanduíche nos 12 países que receberão os bolsistas em setembro, e também na China. A meta do programa é oferecer 101 mil bolsas de graduação e pós-graduação até 2015, sendo 75 mil bancadas pelo próprio governo federal. As demais virão de parcerias com a iniciativa privada. Para este ano, a previsão é a concessão de 20 mil bolsas.

Assinatura de contratos para construção de seis sondas de perfuração

A Petrobras informa que aprovou a assinatura dos contratos com a empresa Sete Brasil para a construção de seis plataformas flutuantes de perfuração a serem construídas no Brasil, no Estaleiro Brasfels, em Angra dos Reis (RJ) com percentuais de conteúdo local entre 55 e 65%. Estas sondas de perfuração, do tipo semissubmersível, fazem parte do pacote de 21 sondas negociadas com a Sete Brasil, conforme divulgado em 9 de fevereiro de 2012, e serão entregues a partir de 2016. As sondas se destinam à perfuração de poços no Pré-sal da Bacia de Santos e poderão operar em profundidade d'água de 3 mil metros, com capacidade de perfurar poços de até 10 mil metros. Após a construção, as sondas serão afretadas à Petrobras por um período de 15 anos. Três sondas serão operadas pela empresa Petroserv SA, duas pela empresa Queiroz Galvão Óleo e Gás SA e a outra pela empresa Odebrecht Óleo e Gás SA. A Petrobras fez uma análise crítica prévia no estaleiro e comprovou sua potencial capacidade para o atendimento dos compromissos contratuais de construção das seis plataformas, com o conteúdo local e nos prazos exigidos. Foram também verificadas a adequação das instalações e evidências de compromissos com fornecedores dos insumos e principais pacotes de equipamentos das sondas, licenciamento ambiental, gestão de SMS (Segurança, Meio Ambiente e Saúde), gestão contratual, além de aspectos jurídicos e financeiros.

Alta do diesel impulsiona receita da Petrobras

A alta do diesel de 6% nas refinarias do Brasil, anunciada pela Petrobras, combinada com um outro aumento no preço do combustível ao final de junho, deverá impulsionar as receitas da estatal, disse na sexta-feira a presidente da companhia, Maria das Graças Foster. "Tivemos um aumento de 3,8% há duas semanas e agora mais 6%. Isso significa 50% das receitas. Isso ajuda bastante. O óleo combustível também subiu 10%. É bom, muito bom", declarou a executiva após cerimônia de batismo da plataforma P-59, na Bahia. A Petrobras reajustará o preço do diesel em 6% a partir desta segunda-feira, em um movimento para reduzir a defasagem do combustível em relação ao mercado internacional, diferença essa que ainda persiste. Antes do anúncio de quinta-feira, a defasagem do diesel era de 23% em relação ao produto cotado nos Estados Unidos.

Pressionados pelo Planalto, líderes convocam base para aprovar Plano Brasil Maior

Pressionada pelo Executivo, a base aliada está sendo convocada por seus líderes a comparecer em Brasília na próxima semana e aprovar na Câmara dos Deputados as duas Medidas Provisórias que instituem o Plano Brasil Maior. O presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), está enviando telegramas aos parlamentares cobrando a presença e líderes governistas também estão telefonando aos colegas para repassar a orientação. "Estou convencido de que nós não podemos retornar às nossas bases para campanha eleitoral sem votar essas medidas provisórias. A MP 563 representa prejuízo de R$ 10 bilhões para o Brasil e para o setor industrial já que pressupõe desonerações de folhas de pagamento e outras desonerações fiscais", disse Maia na sexta-feira. As duas MPs correm o risco de perder a validade devido ao impasse político em que se encontra a Câmara. A oposição está em obstrução cobrando a liberação de recursos de emendas parlamentares prometida pelo governo. Desmobilizada, a base não conseguiu avançar na votação das MPs e também não obteve sucesso na discussão da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), o que colocaria o Congresso em recesso a partir da próxima quarta-feira.

Suspensão de áreas de petróleo esvazia venda da Vale

A indefinição do governo brasileiro quanto à exploração petrolífera em áreas próximas a reservas consideradas santuários ecológicos esvazia a venda de ativos da Vale. A mineradora indicou recentemente que quer se desfazer de alguns blocos, mas três concessões de áreas exploratórias com participação da maior produtora de minério de ferro do mundo estão suspensas. Os blocos ES-M-411, ES-M-436 e ES-M-437, operados pela Petrobras em parceria com Vale e Shell em uma área com potencial para gás e petróleo, estão suspensos por falta de licenciamento ambiental. O Ibama, responsável pelo licenciamento, disse que não há decisão sobre os blocos, apesar de o contrato de concessão dos blocos ter sido assinado há seis anos. "O processo de licenciamento da perfuração (das áreas) está em andamento regular no Ibama. No entanto, é um processo delicado por se tratar de exploração em área ambientalmente sensível, próxima à costa, com diversos fatores de vulnerabilidade à atividade petrolífera", informou o órgão ambiental. A mineradora informou no começo deste ano que colocaria à venda seus ativos de petróleo e gás, para se desfazer de empreendimentos que fogem às suas atividades principais de mineração. Mas, no final de junho, a empresa disse que decidiu remodelar a venda para manter blocos com potencial de gás com a justificativa de que precisa de energia própria para realizar suas atividades. A Vale informa que possui uma carteira de exploração composta por 19 blocos. Localizados no litoral em frente à divisa de Espírito Santo e Bahia, os blocos suspensos ficam entre duas áreas ambientalmente sensíveis. De um lado, o Parque Nacional Marinho de Abrolhos, considerado por especialistas a zona mais importante em biodiversidade marinha do Atlântico Sul. Segundo ambientalistas, estes são os mais emblemáticos dos blocos localizados no banco de Abrolhos porque estão mais próximos à costa, em zona de águas rasas, onde vazamentos de petróleo têm maior risco de prejuízos ambientais. De outro lado, na Foz do Rio Doce, a Reserva de Comboios, uma área de preservação ambiental permanente, abriga tartarugas marinhas. É a única região da costa brasileira com ocorrência de ninhos da tartaruga de couro, espécie com risco de extinção.

Ação do Ministério Público contra Maluf não afeta aliança, diz Haddad

O candidato do PT à prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, negou na sexta-feira que terá dificuldades em bancar a aliança formalizada no mês passado com o PP, do deputado Paulo Maluf, mesmo depois de o Ministério Público ter movido uma ação contra empreiteiras ligadas ao ex-prefeito, suspeitas por desviar dinheiro público para contas no Exterior. O ex-ministro classifica a questão como uma tentativa de estigmatizar um partido e de contestar um movimento natural, segundo ele, de manter os quadros de coalizão do plano nacional. "Esse assunto sequer vem à tona. As pessoas compreendem isso, muito bem. O PP está na base do governo Lula desde 2004. Eu não vejo razão para estigmatizar um partido que está colaborando o governo federal", argumentou, depois de uma passeata pelas ruas de Campo Limpo. No começo da semana, Haddad foi abordado por eleitor petista insatisfeito com a aliança.

Chávez volta às ruas e fala em recuperação "milagrosa"

Elogiando a sua recuperação do câncer como um "milagre" e alegrando seus partidários com uma retórica espiritual, o ditador da Venezuela, Hugo Chávez, caiu na estrada para fazer campanha para a reeleição em outubro. Iniciou uma série de comícios sob uma tempestade na cidade de Barcelona, no leste do país, procurando mostrar que a sua saúde está boa. "Estou na rua novamente, graças a Deus, depois de tudo o que aconteceu no ano passado. É um milagre!", bradou ele a milhares de partidários na noite da última quinta-feira na primeira de uma série de aparições planejadas ao redor do país. "O furacão bolivariano está de volta!", acrescentou Chávez, referindo-se ao herói da independência sul-americana Simon Bolivar cujos ideais --e persona-- ele procura imitar. Embora Chávez tenha dito que está completamente curado do câncer depois de três cirurgias em Cuba durante o ano passado para remover dois tumores malignos na região pélvica, as dúvidas persistem. Os médicos dizem que é impossível ser declarado livre do câncer até que dois anos se passem sem reincidência. E embora o líder de 57 anos esteja claramente desfrutando de um surto de energia, ele está longe de seu estilo famoso da política de rua. No comício de quinta à noite, Chávez subiu em um caminhão, mandando beijos e colocando a mão no coração, em vez de andar por entre a multidão. Ele caminhou devagar no palco e pareceu visivelmente cansado no final de um discurso de campanha de duas horas.