quarta-feira, 25 de julho de 2012

MEMBRO DE QUADRILHA PETISTA DE ESTÂNCIA VELHA QUE CONTRATOU PISTOLEIRO PARA MATAR ADVERSÁRIOS TENTA ASSASSINAR TESTEMUNHA

No início da noite de domingo, em uma lanchonete do bairro Rincão, em Estância Velha (cidade localizada na Região Metropolitana de Porto Alegre, ao lado de Novo Hamburgo), Claci Campos, acompanhada de por seu companheiro, tentou assassinar Vera Canzian. Aos gritos, descontrolada, ela dizia que ia matar Vera, por causa da denúncia que esta fez na Polícia Civil e Ministério Público, e que resultou no indiciamento de toda a quadrilha de quatro membros responsável pela contratação do pistoleiro Alexsandro Ribeiro, para matar o jornalista Mauri Martinelli e o então vereador João Waldir Godoy, o Duduzinho (PMDB). No dia 17 de agosto de 2006, a tentativa de assassinato foi consumada. O pistoleiro Alexsandro Ribeiro atacou o jornalista Mauri Martinelli pelas costas, quando este chegava em casa, deu uma coronhada na sua cabeça, e disse: "Você vai ver agora quem manda na cidade". Recuou e começou a esvaziar o pente de 15 balas da pistola austríaca Glock. Sete balas perfuraram o corpo de Martinelli. Por muita sorte ele escapou com vida. O mesmo pistoleiro rondou nos dias seguintes o vereador João Waldir de Godoy, com a ajuda de Claci Campo. Duduzinho escapou de duas emboscadas. O pistoleiro foi descoberto porque Vera Canzian denunciou que ele tinha sido contratado e recebido a arma em uma reunião feita em sua casa, onde Claci Campos morava, como pensionista. Na reunião para contratação do pistoleiro, na casa e Vera Canzian, estiveram presentes quatro pessoas: o jornalista Jaime Schneider, ex-chefe de gabinete do então prefeito petista Elivir Desiam (o "Toco"), atual presidente da Fenac (Feira Nacional do Calçado), estatal de Novo Hamburgo, e secretário municipal de Planejamento; Jauri de Mattos, "laranja" de Schneider na propriedade do jornal deste; Claci Campos e o vereador Luis Carlos Soares, conhecido pelo vulgo de "Viramato", do PT, que na época era presidente do partido na cidade. No ataque de domingo à noite, na lanchonete do bairro do Rincão, Claci Campo invocava o nome do vereador "Viramato". As pessoas que estavam no local socorreram Vera Canzian, que desmaiou pela garrafada e demais golpes que recebeu. Ela está com um profundo corte na cabeça, e com um olho muito emaciado. O companheiro dela acabou apanhando das testemunhas. Conduzida para o hospital de Estância Velha, Vera Canzian precisou se esconder na cozinha, porque Claci Campos e seu companheiro foram atrás, e queriam matá-la dentro do hospital. A intenção só foi abortada com a chegada da Brigada Militar. Conduzida até a delegacia de Polícia Civil, o escrivão se negou a tomar o seu depoimento, e só o fez muito a contragosto, e suprimindo todos os detalhes importantes da comunicação, conforme Vera Canzian. Na segunda-feira, Vera Canzian procurou o promotor Marcelo Tubino, o qual tomou seu depoimento e avisou que ia pedir a prisão preventiva de toda a quadrilha por ameaça grave a testemunha de crime. O processo por contratação de assassino e encomenda de assassinato contra os quatro está na Vara de Estância Velha, esperando pela manifestação da juíza Rosali Terezinha Chiamati Libardi quanto ao envio da quadrilha ao Tribunal do Juri. Inacreditavelmente, apesar de toda machucada de tanta pancada, Vera Canzian não recebeu até agora nenhuma proteção policial, e seus agressores desfilam impávidos pela cidade. A quadrilha petista tem assim tanta certeza de impunidade?

O peremptório Tarso Genro assina nota para o fim de concessões de estradas pedagiadas no Rio Grande do Sul

Em uma cerimônia política na Palácio Piratini, nesta terça-feira, o governador do Rio Grande do Sul, o peremptório governador petista Tarso Genro assinou a notificação extrajudicial com a decisão do seu governo de não prorrogar os atuais contratos do programa gaúcho de concessões rodoviárias. A solenidade foi marcada pelos ataques ao ex-governador Antonio Britto, o grande diabo na mitologia petista. Foi ele quem assinou os contratos das concessões e pedágios em 1998. "As peremptórias alegações atuais são de que as concessões se mostraram lesivas ao interesse da população ao prever tarifas altas e investimentos quase nulos. "As empresas fizeram bem em pegar esse serviço. Quem não gostaria de pegar aquela mamata?" — afirmou o peremptório petista Tarso Genro, em tom de deboche. Também foi confirmado o entendimento do governo de que o término dos contratos das sete concessionárias que hoje exploram praças no Estado se dará no primeiro semestre de 2013. Antes, a previsão é de que o encerramento ocorreria somente no segundo semestre do próximo ano. O governador petista afirmou peremptória que as decisões foram tomadas com segurança jurídica. Os gaúchos, então, podem começar a tremer, porque cada vez que Tarso Genro fala em certeza jurídica é muito forte a chance de que ele perderá processos e gerará grandes dívidas para os cidadãos. O presidente da Associação Gaúcha de Concessionárias de Rodovias (AGCR), Egon Schunck Júnior, já afirma que a antecipação do término dos contratos é ilegal. Ele entende que a data de referência é a da ordem de início dos serviços, o que levaria a extinção dos contratos no segundo semestre. Mas, o peremptório governador se baseia na assinatura dos contratos e na ordem de início de obras, fator que antecipou o prazo de permanência das empresas nas praças. "Tudo está sendo feito dentro da legalidade. Vamos discutir quando for oportuno para ver se há alguma resíduo de pagamento. Eu acredito que não tem nada", afirmou peremptóriamente o petista Tarso Genro, referindo-se ao suposto passivo cobrado pelas concessionárias, baseado principalmente por reajustes de tarifas não concedidos, questão que também irá parar na Justiça. Entre março e junho de 2013, as sete concessionárias que hoje controlam os polos deixarão de ter essa prerrogativa. No lugar delas, assumirá a Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), estatal que ainda precisa ter diretoria constituída, além do cumprimento de outras etapas, como a contratação de servidores pelo regime CLT, a instalação física da entidade e a sua composição estatutária. Tarso Genro ainda negou que a consultoria Dynatest-SD, que será responsável por estudos acerca dos pedágios, não foi contratada até o momento, quase dois meses após ter vencido licitação, porque a Secretaria da Fazenda não empenhou os R$ 7,4 milhões cobrados pelo serviço. Uma coisa é certa: ninguém fala em obras nessas estradas, alargamento, novas faixas de rodagem. Investimento é assunto desconhecido. O calendário de encerramento das concessões antecipado para o primeiro semestre de 2013, baseado na data de assinatura dos contratos e de ordem de início de obras, conforme o entendimento jurídico do peremptório Tarso Genro, é o seguinte: 6 de março de 2013 - Pólo de Carazinho; 16 de abril de 2013 - Póolos Metropolitano, Lajeado e Caxias do Sul; 25 de maio de 2013 - Pólo de Gramado; 29 de maio de 2013 - Pólo de Santa Cruz; 22 de junho de 2013 - Pólo de Vacaria. A iniciativa do governo confirma que, nas administrações do PT, peremptoriamente, a grande preocupação é sempre a de desfazer o que os outros fizeram.

PT não quer Força Nacional de Segurança protegendo STF durante o julgamento do Mensalão

Agentes da Força Nacional de Segurança poderão atuar na vigilância do Supremo Tribunal Federal durante o julgamento do Mensalão do PT, marcado para começar em 2 de agosto. O pedido foi feito pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Carlos Ayres Britto, ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo. O ministro confirmou que colocou a Força à disposição do STF, mas lembrou que o Supremo pode acionar a Polícia Militar do Distrito Federal para essa missão. O pessoal da Força de Segurança teria a incumbência de policiar a área externa do prédio do Supremo. A Praça dos Três poderes, em frente ao tribunal, é um espaço onde ocorrem manifestações em dias de votações polêmicas. O governo prefere que não sejam recrutados soldados da Força. Como o escândalo envolve o governo Lula, o uso desses agentes daria um caráter de acirramento e de clima de guerra entre opositores e governistas. Os agentes atuariam para evitar confrontos entre manifestantes e também na defesa do prédio do Supremo. Cardozo se reuniu com Ayres Britto para discutir o assunto.

União Européia nega incluir Hizbollah em "lista negra"

A União Européia rejeitou o pedido de Israel de incluir o Hizbollah em sua lista de organizações terroristas. O pedido aconteceu após o atentado, no dia 18 de julho, que matou cinco turistas israelenses na Bulgária. "Não houve consenso para a inclusão do Hizbollah", disse o ministro das Relações Exteriores do Chipre, Erato Kozaku-Marcullis, cujo país preside atualmente o conselho de ministros da União Européia: "O Hizbollah é uma organização que inclui um partido e um braço armado e que está ativo na política libanesa". Para o porta-voz da chancelaria israelense, Yigar Palmor, Israel levou durante anos à Europa informações sobre a participação direta do Hizbollah em ataques terroristas. No domingo, os serviços de inteligência de Israel acusaram o Irã e o Hizbollah de planejar atentados em "mais de 20 países" contra cidadãos israelenses. Segundo Binyamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel, "é muito importante mostrar ao mundo que o Irã e o Hizbollah são os responsáveis pela onda de atentados em todos os continentes".

Grécia diz que irá eliminar ou fundir 213 organismos estatais

O governo grego anunciou nesta terça-feira a eliminação ou fusão de 213 organismos e agências estatais. Juntos, eles possuem um orçamento anual de 39 milhões de euros e empregam 5.265 funcionários. Esses 213 organismos ficarão reduzidos a 34, anunciou em comunicado o Ministério da Reforma Administrativa. A medida é o primeiro passo dentro dos planos de redução do número de agências estatais no país, que alguns meios de comunicação gregos acreditam ser mais de mil. "O trabalho dos organismos eliminados pode ser realizado pelos serviços dos ministérios responsáveis", detalhou o comunicado, especificando que os empregados dessas agências não serão despedidos, mas realocados segundo sua formação. Entre as fusões destacam-se a dos 63 organismos públicos dedicados à proteção de menores e as agências de controle de espaços protegidos, que passarão de 29 para 14.

Brasil quer vacinar 95% dos jovens contra a hepatite B até 2015

Levantamento do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, indica que 71,3 milhões de pessoas foram vacinadas contra a hepatite B de 1998 até julho deste ano. O número representa 75,3% da população com idade até 29 anos. A meta do governo é ultrapassar 95% de cobertura até 2015. A pasta destacou que a vacina é a melhor forma de prevenir a doença e é recomendada para pessoas até 29 anos, profissionais de saúde e populações consideradas vulneráveis, como prostitutas e usuários de drogas. No caso de recém-nascidos, a orientação é que a primeira dose seja administrada logo após o nascimento, preferencialmente nas primeiras 12 horas de vida. Se a gestante tiver a doença, a criança deverá receber, além da vacina, a imunoglobulina contra a hepatite B também nas primeiras 12 horas de vida. O medicamento serve para evitar a transmissão de mãe para filho. Dados do ministério indicam que, no Brasil, a doença é mais frequente na faixa etária de 20 a 49 anos.

Justiça Federal arquiva processo contra Erenice Guerra

Um ano e sete meses depois de aberto, o inquérito que apurou tráfico de influência na Casa Civil durante a gestão da ex-ministra Erenice Guerra foi arquivado pela Justiça Federal. O advogado Mário de Oliveira Filho afirmou que a Justiça não encontrou provas de que sua cliente e familiares cometeram crime. O juiz Vallisney de Souza Oliveira não comentou o assunto. A Justiça Federal em Brasília também não informou o conteúdo da decisão. O Ministério Público Federal no Distrito Federal e a Polícia Federal que, segundo o advogado, acompanharam a decisão do juiz, não se pronunciaram. Erenice perdeu o cargo de ministra da Casa Civil em 2010, em meio à disputa presidencial. A queda ocorreu no dia em que a Folha revelou que ela recebeu no gabinete um empresári o e o orientou a contratar a consultoria do seu filho para conseguir um empréstimo no BNDES.

Governo corta ponto de grevistas e irrita sindicalistas

O governo cumpriu a promessa e cortou o ponto de servidores federais que estão em greve. De acordo com sindicalistas, o contracheque deste mês tem 12 dias de ponto cortados, de 18 a 30 de junho. Diante do corte, representantes de sindicatos apelaram nesta terça-feira ao ministro da Secretaria Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, para que o governo reconsidere essa decisão. "Foi tensa a reunião, muito tensa. No início, quando o ministro falou que ele já teve ponto cortado, já foi demitido, nós falamos que isso faz parte do passado, antigamente as pessoas eram escravizadas e nem por isso é aceito isso hoje", afirmou o secretário geral do Sindisep-DF (Sindicato dos Servidores Públicos Federais), Oton Neves. De acordo com o Oton, diante do apelo, o governo teria feito a seguinte proposta: "Primeiro, que a gente faça uma trégua de 15 dias para poder devolver o salário que foi confiscado dos contracheques. Segundo, nesse período de 15 dias, o governo apresentará uma proposta às nossas reivindicações", explicou. A Secretaria-Geral, no entanto, nega que o Planalto tenha feito uma "proposta formal de trégua".

PSDB vai ao TSE contra CUT por apoio a réus do Mensalão do PT

O PSDB entrou nesta terça-feira com uma representação no Tribunal Superior Eleitoral contra a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil do governo Lula. O partido diz que a ação é motivada pelo discurso do seu atual presidente da central, Vagner Freitas, afirmando que mobilizaria os integrantes da CUT para defender os réus no processo de julgamento do Mensalão do PT pelo Supremo Tribunal Federal durante o mês de agosto. Segundo a legenda, a ação do seu presidente não é "puramente política-eleitoral", "desvinculada dos seus objetivos institucionais". No início do mês, Freitas afirmou que levaria às ruas a força da maior central do País para apoiar a defesa dos réus do julgamento. "Não pode ser um julgamento político. Se isso ocorrer, nós questionaremos, iremos para as ruas", afirmou Freitas. Quando o escândalo do mensalão surgiu em 2005, a CUT reuniu 10 mil pessoas em Brasília para uma manifestação em defesa do governo Lula. O protesto foi organizado após queda do então ministro da Casa Civil, José Dirceu, um dos réus do julgamento. Neste ano para apresentar sua defesa, Dirceu foi a congressos estaduais da central neste ano para falar sobre a conjuntura política e o julgamento. Foi também numa plenária da CUT do ano passado em Guarulhos, na Grande São Paulo, que o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, outro réu, lançou uma campanha para mobilizar militantes em sua defesa. Delúbio foi dirigente da CUT antes de cuidar das finanças do PT.

Assusete Magalhães é nomeada para o cargo de ministra do STJ

A juíza federal Assusete Dumont Reis Magalhães, de 63 anos, foi nomeada por Dilma Rousseff, para o cargo de ministra do Superior Tribunal de Justiça. Ela foi escolhida para ocupar a vaga do ministro Aldir Passarinho Júnior que se aposentou. Assusete será a sétima mulher a ingressar no Superior Tribunal de Justiça. A nomeação foi publicada nesta terça-feira no Diário Oficial da União. Ela foi indicada para o cargo no final de maio, mas precisou passar por sabatina do Senado antes de ser nomeada. O Superior Tribunal de Justiça marcou a posse para o dia 21 de agosto. A nova ministra pode atuar no tribunal por sete anos antes de se aposentar compulsoriamente. Até a nomeação, a juíza atuou no Tribunal Regional Federal da 1ª Região por quase 20 anos. Ela nasceu em Serro (MG) e está na magistratura há 28 anos. Já atuou como corregedora-geral da Justiça e antes de tornar juíza, foi assessora jurídica, procuradora autárquica e procuradora da República, além de advogada. Também dirigiu a Escola de Magistratura Federal da Primeira Região. O tribunal, última instância de apelação para assuntos que não envolvem a Constituição, ainda tem uma vaga aberta devido à aposentadoria compulsória do ministro Hamilton Carvalhido em maio do ano passado e que deverá ser preenchida por membro do Ministério Público. A lista com três nomes --Sammy Barbosa Lopes (Acre), Sérgio Luiz Kukina (Paraná) e José Eduardo Sabo Paes (Distrito Federal), aprovada em maio pelo STJ, está em análise no Executivo.

Pagamento das dívidas por meio de Marcos Valério "deu errado", diz Delúbio Soares

O ex-tesoureiro nacional do PT, Delúbio Soares, disse nesta terça-feira que a engenharia financeira montada por ele para quitar as dívidas de partidos da base aliada "deu errado, deu essa confusão toda", mas negou que o partido tenha corrompido parlamentares. Segundo o ex-tesoureiro, o diretório nacional do PT o autorizou, em reunião, a captar recursos "junto à rede bancária" para quitar dívidas eleitorais contraídas durante a campanha eleitoral de 2002. Como "o partido não tinha lastro financeiro" para contrair empréstimos bancários no valor de R$ 60 milhões, disse Delúbio Soares, ele recorreu às empresas do publicitário Marcos Valério de Souza, que captaram o dinheiro nos bancos e o repassaram ao ex-tesoureiro. Delúbio Soares falou por cerca de 20 minutos durante um ato de apoio a ele convocado pela Juventude do PT do Distrito Federal, que reuniu cerca de cem pessoas na sede da CUT (Central Única dos Trabalhadores) do Distrito Federal. O ato ocorreu dez dias antes do início do julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal. Delúbio reconheceu os saques em dinheiro, os pagamentos a partidos e parlamentares e o repasse, ao PT, de recursos captados por Valério, mas disse que a operação se destinou a quitar dívidas contraídas por um caixa dois eleitoral. "O que houve foi pagamento de dívidas eleitorais que as direções regionais e os partidos aliados trouxeram ao diretório nacional e que o Partido dos Trabalhadores, durante uma reunião, pediu uma solução. Deu errado, deu essa confusão toda. E estamos pagando um preço", disse Delúbio Soares. O ex-tesoureiro foi saudado aos brados de "Delúbio guerreiro do povo brasileiro" por uma platéia formada por sindicalistas, militantes e funcionários públicos do governo do Distrito Federal. Estavam na plateia o presidente do BRB (Banco Regional de Brasília), Jacques Pena, o secretário de Administração Pública do Governo do Distrito Federal, Vilmar Lacerda, o deputado distrital Chico Vigilante (PT-DF) e o presidente do diretório regional do PT-DF, Roberto Policarpo.

OGX Maranhão acha gás em poço na bacia do Parnaíba

A OGX Maranhão concluiu o teste de formação na bacia do Parnaíba, na acumulação de Bom Jesus, onde houve vazão de gás natural, segundo comunicado da companhia nesta terça-feira. "Tais resultados sustentam o futuro desenvolvimento da acumulação de Bom Jesus, permitindo a continuidade da perfuração de mais poços de delimitação nessa área", disse a companhia em nota. O poço OGX-88 é o primeiro poço de delimitação perfurado na acumulação de Bom Jesus e está a 1,4 quilômetro do poço descobridor da acumulação. Este teste é um importante passo para um melhor conhecimento do reservatório e para o desenvolvimento de futuros projetos de produção na região. O teste indicou gás seco, similares aos testes prévios no Campo de Gavião Real, que está em fase avançada de desenvolvimento da produção, segundo a OGX. "O resultado apresentado nesse teste nos deixa ainda mais confiantes com o potencial da bacia do Parnaíba, que além desse promissor prospecto conta também com o campo de Gavião Real, já declarado comercial, e cuja produção e geração de caixa se iniciará já em 2013", disse o novo diretor presidente da OGX, Luiz Carneiro, em nota. A OGX Maranhão é uma sociedade formada entre OGX, com 66,6%, e MPX Energia, com 33,3%. A OGX Maranhão é a operadora e detém 70% de participação neste bloco, enquanto a Petra Energia detém os 30% restantes.

Safras eleva em 4% projeção para cana do centro-sul

A estimativa de colheita de cana da região centro-sul do Brasil foi elevada para 520 milhões de toneladas no ciclo 2012/13, de acordo com projeção divulgada nesta terça-feira pela consultoria Safras & Mercado. É um aumento de 4% ante a estimativa anterior da Safras (500 milhões de toneladas) para a principal região produtora de cana no País. "O registro de chuvas em excesso sobre as mais importantes regiões produtoras do centro-sul, principalmente em maio, junho e também na primeira semana de julho, embora tenha provocado a interrupção da colheita durante vários dias, proporciona a contrapartida de um maior desenvolvimento para os canaviais", disse a consultoria, em nota. A Safras afirma que há uma tendência de crescimento no volume de cana disponível no fim da safra. As chuvas, por outro lado, prejudicaram a qualidade da cana que está perto de ser colhida, segundo a União das Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica). As empresas do setor acreditam ter condições de recuperar o atraso na moagem, disse na segunda-feira um representante da Unica à Reuters. O último levantamento da Unica, analisando o processamento até o final de junho, mostra que há uma queda de 28% no volume de cana moído, na comparação com o mesmo período do ano passado. A Safras & Mercado também revisou para cima a estimativa de produção geral no país. O Brasil deverá colher 613 milhões de toneladas de cana em 2012/13, crescimento de 3,9% ante a estimativa anterior, de 590 milhões de toneladas. Segundo a Companhia Nacional do Abastecimento (Conab), o centro-sul do Brasil colheu e moeu 501,3 milhões de toneladas de cana em 2011/12, enquanto a produção total do Brasil atingiu 602 milhões de toneladas, disse relatório da Safras.

Líder Payá é enterrado em Havana e dissidência denuncia prisões no funeral

O opositor cubano Oswaldo Payá, morto no domingo em um acidente de trânsito, foi enterrado nesta terça-feira, no Cemitério Colón de Havana, onde a dissidência interna denunciou várias prisões após o funeral. Mais de 300 pessoas acompanharam o corpo nos últimos momentos depois do velório oficiado pelo cardeal cubano, Jaime Ortega, na igreja que Payá costumava frequentar. Após o ato religioso, quando os presentes começaram a ir para o cemitério, ocorreram várias detenções ao redor da igreja, entre elas a do jornalista independente Guillermo Fariñas, informou Elizardo Sánchez, líder da Comissão Cubana de Direitos Humanos e Reconciliação Nacional (CCDHRN). O grupo registrou, até o momento, entre seis e dez detenções, embora não descarte que possa ter havido mais. Já no Cemitério de Colón, familiares, amigos, religiosos e membros da dissidência acompanharam o cortejo fúnebre da entrada do cemitério até a câmara mortuária familiar, com cantos religiosos e rezas, enquanto alguns faziam sinais da liberdade. Dezenas de pessoas reunidas na capela principal do cemitério despediram-se de Payá com um aplauso ao fim da breve cerimônia celebrada pelos bispos auxiliares de Havana monsenhor Alfredo Petit e monsenhor Juan de Dios Hernández, e pelos amigos da família. A viúva de Payá, Ofelia Acevedo, agradeceu na despedida pela companhia e colaboração dos "irmãos da oposição" do ex-líder do Movimento Cristão de Libertação (MCL), assim como aos companheiros na organização e aos colegas de trabalho do marido. "Seu trabalho silencioso com o povo de Cuba tornou possível o Projeto Varela, fez acontecer o Projeto Heredia e continuará dando frutos até conseguir finalmente que os cubanos conquistemos nossos direitos", afirmou Ofelia.

Ex-mordomo do papa escreve carta pedindo perdão por "VatiLeaks"

O ex-mordomo do papa Bento 16 que foi preso há dois meses em uma investigação sobre o vazamento de documentos do Vaticano escreveu ao pontífice pedindo perdão, disse o advogado dele nesta terça-feira. Paolo Gabriele foi preso no dia 23 de maio e colocado sob prisão domiciliar no sábado, após 60 dias detido em um pequeno "quarto seguro" na delegacia do Vaticano. "Paolo escreveu uma carta ao papa pedindo perdão, especialmente pela dor que lhe causou", disse o advogado Carlo Fusco. Gabriele, de 46 anos, que trabalhava na residência do papa, foi preso depois que a polícia encontrou uma série de documentos sigilosos do Vaticano no apartamento em que vivia com a mulher e os filhos dentro do Vaticano. Fusco disse esperar que um magistrado do Vaticano encerre formalmente uma investigação e a ordem para que Gabriele seja julgado pelas acusações de roubo qualificado. A pena pode ser de até seis anos de prisão. Se condenado, Gabriele deverá pedir perdão ao papa e, se ele o fizer, o papa provavelmente concederá, afirmaram fontes do Vaticano. Se ele não for perdoado, cumprirá a pena em uma cadeia italiana, de acordo com acordos bilaterais entre o Vaticano e a Itália. Fusco afirmou não ter visto a carta particular escrita por Gabriele ao papa, mas que o ex-mordomo lhe contou sobre o conteúdo. A carta foi entregue a uma comissão de cardeais que investigam o escândalo que ficou conhecido como "VatiLeaks". O advogado disse que a carta pede pelo "tipo de perdão que alguém buscaria de um amigo, um perdão espiritual e pessoal". Gabriele provavelmente tentará um perdão judicial após o julgamento, afirmou Fusco.

Servidores em greve chegam a 350 mil, dizem líderes

Servidores federais de diversos órgãos e ministérios estão em greve em todos os Estados, reivindicando recomposição salarial e restruturação de carreira, entre outros pontos. Professores de universidades federais estão parados desde 17 de maio e a maioria dos demais servidores cruzou os braços em 11 de junho. Nas agências reguladoras, o movimento foi iniciado em 16 de julho. A estimativa dos sindicatos é que 350 mil servidores aderiram à greve, que atinge mais de 30 setores em todos os Estados, segundo a Confederação dos Trabalhadores no Serviço Público Federal (Condsef).

José Serra diz que "não há disposição de agressões recíprocas" com Russomanno

O candidato a prefeito de São Paulo pelo PSDB, José Serra, disse que "não há disposição de agressões recíprocas" entre ele e o candidato Celso Russomanno (PRB), que está tecnicamente empatado com o tucano em primeiro lugar na última pesquisa de intenção de voto. Serra confirmou ter se encontrado na última sexta-feira, com o coordenador da campanha de Russomanno, Marcos Pereira. O candidato do PSDB, no entanto, negou que tenha firmado um pacto de não agressão e disse que o encontro foi uma "reunião de cortesia". Serra admitiu, no entanto, que há um clima cordial entre ele e Russomanno. "Não se falou sobre um pacto de não agressão. Naturalmente, está implícito, se você conversa com alguém, não há disposição de agressões recíprocas", disse o tucano. Serra afirmou que defenderia um entendimento entre todos os candidatos "a respeito de fazer uma campanha sem agressões pessoais, que permita discutir a cidade".

Advogado de Roberto Jefferson afirma que Lula "ordenou" o Mensalão do PT

Responsável pela defesa do ex-deputado Roberto Jefferson, autor da denúncia do mensalão e um dos 38 réus do processo, o advogado Luiz Francisco Correa Barbosa disse nesta terça-feira que seu cliente "exagerou" ao inocentar o ex-presidente Lula. Barbosa vai sustentar tese contrária no julgamento do Supremo Tribunal Federal: dirá que Lula "ordenou" o Mensalão do PT. "O Supremo considerou plausível para iniciar o processo que três ministros - José Dirceu, Anderson Adauto e Luiz Gushiken - estariam pagando deputados federais para votarem projetos de lei de iniciativa do presidente da República. Os ministros foram os auxiliares e Lula ordenou, sim, que se fizesse aquilo que diz a acusação. Se ele não tivesse ordenado, seria um pateta. É claro que os ministros não mandavam mais do que Lula", sustenta Luiz Francisco Correa Barbosa. Questionado sobre a razão de Roberto Jefferson ter dito que o então presidente da República era "inocente", o advogado respondeu: "Foi uma licença poética, por recomendação minha. Naqueles dias turbulentos ele não deveria atacar Lula e Dirceu a um só tempo. O Lula não sabia nem onde apagava a luz, o Dirceu tinha controle total do governo. Então o alvo foi o Dirceu. Não demorou nem dois dias e ele deixou o governo (Dirceu era chefe da Casa Civil) e voltou para a Câmara. Eu acho que o Roberto Jefferson exagerou dizendo que Lula era um homem inocente. De todo modo, o responsável pela defesa sou eu. Tenho total liberdade, sob pena de não patrocinar a defesa. É meu trato com ele". Roberto Jefferson passará por uma cirurgia para retirada de um tumor no pâncreas no dia 28 de julho e não irá ao Supremo para o julgamento, que começa dia 2 de agosto. Luiz Francisco Correa Barbosa afirmou que a decisão de Roberto Jefferson foi tomada antes do diagnóstico.

Dilma cobra CNPq sobre não renovação de bolsas

Irritada ao saber que o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) não renovou bolsas do programa Ciência Sem Fronteiras para alunos na Inglaterra, Alemanha, Bélgica, Espanha, Canadá e Portugal, a presidente Dilma Rousseff cobrou nesta terça-feira explicações sobre o episódio. Antes de embarcar para Londres, Dilma incumbiu auxiliares de produzirem relatórios detalhados sobre o que aconteceu. Pelo menos 25 estudantes brasileiros no Exterior foram obrigados a abandonar suas pesquisas porque não tiveram bolsas renovadas pelo CNPq, responsável pelo Ciência Sem Fronteiras. O grupo chegou a enviar um abaixo-assinado ao CNPq no mês passado, mas teve negado o pedido para renovação dos contratos. Dilma quer agora saber do presidente do CNPq, Glaucius Oliva, quantos alunos no Exterior foram prejudicados e qual é a justificativa para as informações desencontradas. Das 101 mil bolsas de graduação e pós-graduação que serão oferecidas até 2015, 75 mil são bancadas pelo governo e o restante, pela iniciativa privada.

Homem-bomba que atingiu ônibus na Bulgária teve ajuda, diz premiê búlgaro

Um homem-bomba que matou cinco turistas israelenses na semana passada na Bulgária teve ajuda de um grupo organizado para planejar e realizar o atentado, disse nesta terça-feira o primeiro-ministro búlgaro, Boiko Borisov. Segundo ele, a polícia ainda não identificou o suicida que explodiu um ônibus no estacionamento da cidade turística de Burgas, na quarta-feira, também deixando mais de 30 feridos. Borisov, que se reuniu em Sófia com John Brennan, assessor de contraterrorismo do governo norte-americano, disse que o ataque foi tramado por "gente extremamente experiente" em conspirações. "Pelo que vejo, eles chegaram quase um mês antes, trocaram os carros alugados e viajaram a diferentes cidades, e não mais de uma pessoa que estamos procurando foi capturada por alguma câmera de segurança". O premiê disse que o DNA e as impressões digitais do homem-bomba não constam em nenhum arquivo da Bulgária ou de serviços de inteligência de países parceiros. Ele sugeriu que o militante deve ter entrado na Bulgária em um avião proveniente do "Espaço Schengen" (zona europeia sem controle interno de passaportes). Israel acusou o Irã e o grupo xiita libanês Hezbollah pelo atentado.

Governo cede e oferece reajustes de 25% a 40% para professores em greve

O governo cedeu à pressão dos professores universitários e de institutos de pesquisa e apresentou contraproposta de reajuste que varia de 25% a 40%. Há duas semanas, o governo ofereceu aumento entre 12% e 40% ao longo dos próximos três anos para a categoria, que está em greve há mais de dois meses. Os novos percentuais de reajustes vão representar um impacto de R$ 4,2 bilhões no Orçamento da União. Na proposta anterior, o impacto estimado era de R$ 3,9 bilhões. “Acreditamos que essa proposta é um movimento suficiente do governo para que a greve termine”, afirmou Sérgio Mendonça, secretário de Relações do Trabalho do Ministério do Planejamento. “Nosso desejo é pôr fim a greve”, disse Marco Antônio Oliveira, secretário de Educação Profissionalizante e Tecnológica do Ministério da Educação. “Mas no caso dos valores, nós chegamos a um limite”, alertou. “Se não caminharmos para um acordo vamos ficar numa situação bastante delicada”, completou Marco Antônio. A situação chamada de “delicada” pelo secretário do Ministério da Educação refere-se ao corte de ponto dos grevistas. Tanto Marco Antônio quanto Sérgio observaram que já existe uma determinação do governo federal para cortar o ponto dos servidores públicos em greve. O governo espera que as entidades representativas de professores respondam no início da próxima semana se aceitam a contraproposta de reajuste. Para o presidente da Federação de Sindicatos de Professores de Instituições Federais de Ensino Superior (Proifes), Eduardo Rolim de Oliveira, a contraproposta é satisfatória. “Numa análise rápida, o governo atendeu integralmente nossas reivindicações”, disse Eduardo. Os novos percentuais de reajuste não atingem os professores que estão no topo da carreira. Os professores titulares, com doutorado e dedicação exclusiva, mantiveram o aumento em seus salários, que vão saltar dos atuais R$ 12.224,56 mil para R$ 17.057,74 mil. Já os vencimentos dos professores com doutorado e 40 horas semanais pularão dos R$ 5.918,95 propostos pelo governo há duas semanas para R$ 7.859,61. O governo também concordou em antecipar o pagamento dos reajustes do mês de julho para março dos anos de 2013, 2014 e 2015.

Justiça recebe denúncia contra executivos

A Justiça Federal em São Paulo aceitou na segunda-feira denúncia da Procuradoria da República e abriu processo criminal contra 11 pessoas acusadas de desviar recursos públicos na construção da antiga Avenida Água Espraiada, rebatizada de Jornalista Roberto Marinho, nas gestões dos ex-prefeitos Paulo Maluf (1993-1996) e Celso Pitta (1997-2000). A decisão foi tomada pela 2ª Vara Federal, especializada na condução de ações sobre crimes financeiros. São alvo do processo executivos e ex-executivos da OAS e da Mendes Júnior, empreiteiras que fizeram a obra, além de dois ex-funcionários da Emurb, antiga empresa municipal de urbanização, responsável pela contratação dos serviços. A Procuradoria da República informou nesta terça-feira que "todos responderão pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro". A ação criminal é um desmembramento do processo penal que tramita no Supremo Tribunal Federal contra Maluf, hoje deputado federal, por supostos crimes de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e organização criminosa, evasão de divisas e crime contra a administração pública. Maluf é acusado de receber dinheiro desviado da obra da Água Espraiada e enviá-lo para contas na ilha britânica de Jersey, no Canal da Mancha. Na denúncia aceita pela 2ª Vara Federal na segunda-feira, o Ministério Público atribui a Maluf "ilícitos investigados de desvio de recursos públicos na construção da Avenida Água Espraiada". A investigação é resultado do compartilhamento de provas do inquérito civil público, que deu origem à ação de improbidade administrativa atualmente em curso na Justiça Estadual. "Foram obtidas provas de que agentes públicos, políticos e representantes das empresas que participaram da construção da Avenida Água Espraiada se associaram para cometer crimes contra administração pública", afirma o Ministério Público Federal. Ainda de acordo com a Procuradoria, "para desviar o dinheiro público, os representantes do Consórcio Água Espraiada e as empresas do Grupo Mendes Júnior e OAS subcontratavam empresas de prestação de serviços ou de materiais que emitiam notas superfaturadas ou notas frias por serviços nunca realizados". A Procuradoria afirma que, "pelo lado da Prefeitura, a antiga Emurb realizava medições falsas na obra e atestava os serviços não realizados, autorizando assim a liberação de recursos para as empresas envolvidas". "Esses recursos eram repassados às empresas subcontratadas através de cheques nominais", diz a denúncia. "No mesmo dia do pagamento, ou em dia próximo, as empresas subcontratadas emitiam cheques ao portador, que eram depositados em contas de terceiros, de doleiros, prestadores de serviços, ou sacados em dinheiro. O objetivo era dificultar a identificação e a origem dos recursos. As empreiteiras também convertiam os valores em dólares e escondiam o dinheiro em caixas de uísque, bombons ou pacotes de presentes, com o objetivo de ocultar a movimentação dos recursos", afirma o Ministério Público. "O dinheiro era entregue ao ex-presidente da Emurb, Reynaldo Egydio de Barros, que posteriormente distribuía a Paulo Maluf e a Celso Pitta, quando este era prefeito".

Ministros reagem à corregedora e dizem que pressão do mensalão não é diferente

Três ministros do Supremo Tribunal Federal reagiram nesta terça-feira às declarações da corregedora nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, segundo as quais a Corte será julgada pela opinião pública durante a avaliação do processo do Mensalão do PT. "Quem é ela para dizer que seremos julgados? O Supremo não é passível de sugestões, muito menos de pressões", disse o ministro Marco Aurélio Mello. "A toda hora estamos sendo julgados. Não é só nesse caso", afirmou o colega Gilmar Mendes. "O Supremo tem que estar acima dessas paixões passageiras", disse o também ministro Luiz Fux. Os 11 ministros do Supremo começam a julgar o maior escândalo do governo Lula a partir de 2 de agosto. Entre os 38 réus estão José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil, José Genoino, presidente do PT à época, e Duda Mendonça, marqueteiro da campanha lulista de 2002. A corregedora deu suas declarações sobre o julgamento na segunda-feira, em São Paulo. "Há por parte da Nação uma expectativa muito grande e acho também que o Supremo está tendo o seu grande julgamento ao julgar o Mensalão", disse Eliana: "Hoje, os ministros têm, sim, uma preocupação porque o País mudou e a população está participando". Marco Aurélio foi duro na crítica à Eliana: "Uma corregedora-geral chegar ao ponto de dizer que seremos julgados não contribui para o engrandecimento das instituições, evoca uma pressão. O que se espera, de fato, é que o julgamento fique exclusivamente restrito ao que os autos contêm. Manifestações desse tipo criam toda uma excitação". Marco Aurélio disse ainda que "a opinião (de Eliana) é amplamente dispensável": "Ela enfraquece as instituições aos olhos dos leigos. O STF será julgado pelo julgamento do mensalão? É olvidar a missão do Supremo. Esse é o estilo dela, fala o que pensa. Mas, às vezes, o que se pensa não é o desejável em termos de extravasamento". Gilmar Mendes disse que a as manifestações de cunho político que têm o Supremo como alvo são rotineiras: "O que interessa é o que está nos autos".

Ministério Público Federal quer afastamento do comando da Polícia Militar de São Paulo

O Ministério Público Federal quer entrar com uma ação civil pública pedindo o afastamento do comando da Polícia Militar alegando a perda do controle da situação. A medida vai ser apresentada nesta quinta-feira, em audiência pública organizada pelo órgão, em parceria com a Defensoria Pública do Estado, o Conselho Estadual dos Direitos da Pessoa Humana (Condepe) e pelo Movimento Nacional de Direitos Humanos. É uma audiência pública evidentemente político-eleitoral, visando beneficiar candidatura petista. Segundo o procurador Matheus Baraldi Magnani, a Justiça Federal pode atuar quando tratados e convenções internacionais são desrespeitados, como aqueles assinados pelo Brasil se comprometendo em garantir direitos individuais. Isto é pura forçação de barra, o que estes procuradores federais estão fazendo é a promoção de uma intervenção ilegal, anti-constitucional, em São Paulo. "A ideia é também apresentar uma representação ao Procurador-geral pedindo a intervenção federal no Estado.

Para a CNI, primeiro semestre foi perdido para a indústria

O primeiro semestre de 2012 terminou com más notícias para a indústria, segundo a análise "A indústria em crise" divulgada por meio da Sondagem Industrial, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). "Trata-se de um semestre perdido para a indústria", afirma o texto do documento. A análise pondera que, apesar do aumento dos gastos públicos, a queda dos juros e a entrada em vigor de algumas medidas do Plano Brasil Maior, não foi constatada a "esperada reação" da atividade do setor ao longo dos seis primeiros meses do ano. Na avaliação da CNI, a estratégia de crescimento por meio de estímulos ao consumo dá claros sinais de esgotamento. "Como prova disso, a falta de demanda ganhou importância no último trimestre, entre os principais problemas enfrentados pela indústria, mesmo com a adoção das recentes medidas de estímulo" avalia a entidade. Esse quadro reflete, de acordo com a CNI, um elevado nível de inadimplência que limita as políticas do governo e passou também a ganhar importância para a indústria. Entre as más notícias para o setor, o documento cita o novo recuo da produção em junho, o quarto em seis meses, a aceleração do ritmo de queda do emprego no segundo trimestre e a utilização da capacidade instalada abaixo do usual no período de janeiro a junho.

Endividamento com financiamento de carro cai em julho

O nível de endividamento do consumidor com financiamento de veículo caiu mais uma vez em julho, o que pode aumentar a margem das famílias para tomar novamente esse tipo de crédito, segundo a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo. De acordo com a Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), entre as famílias endividadas que recebem acima de dez salários mínimos, a fatia que possui financiamento de veículos recuou para 19,7% em julho, após ter ficado em 20,5% em junho. Esse porcentual tinha sido ainda maior em maio, de 26,8%, após o ápice verificado em abril, quando 29,8% das famílias tinham dívidas em financiamento de carro. Entre as famílias que recebem até dez salários, o comprometimento da renda com financiamento de veículo é consideravelmente menor, apenas 8% das famílias endividadas declaram possuir esse tipo de dívida. O resultado da pesquisa mostrou um aumento geral no endividamento, acompanhado de um recuo na inadimplência, o que pode sinalizar que os consumidores estão, aos poucos, voltando às compras.

Rio Grande do Sul ainda aguarda pelas 200 mil doses de vacina contra a gripe anunciadas há uma semana

As 200 mil doses de vacina contra a gripe anunciadas pela Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul no dia 18 de julho ainda não chegaram ao Rio Grande do Sul. Conforme a Secretaria, o novo lote seria remanejado de outros Estados pelo governo federal. A expectativa é de que as vacinas estejam disponíveis à população ainda nesta semana, mas não há previsão exata da entrega. Cerca de 800 mil doses extras já foram repassadas ao Estado nas últimas semanas. No total, somando as doses repassadas no período oficial da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe e as obtidas posteriormente por meio de remanejos, o governo gaúcho estima que 3 milhões de pessoas serão imunizados pelo Sistema Único de Saúde no Rio Grande do Sul.

Déficit em conta corrente soma US$ 4,419 bilhões em junho

O déficit em transações correntes somou US$ 4,419 bilhões em junho, segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo Banco Central. Segundo o Banco Central, boa parte do déficit gerado no mês passado foi via conta de serviços, que amargou saldo negativo de US$ 3,362 bilhões. Na conta de rendas, houve déficit de US$ 2,171 bilhões. Esses saldos negativos foram parcialmente compensados pelo superávit comercial de US$ 806 milhões e a entrada de US$ 309 milhões via transferências unilaterais. Em junho de 2011, o déficit em transações correntes havia sido menor, de US$ 3,477 bilhões. No acumulado do primeiro semestre de 2012, a conta corrente brasileira registra déficit de US$ 25,342 bilhões, pouco menos que o saldo negativo de US$ 26,034 bilhões observado em igual período do ano passado. Entre os componentes das contas externas nos primeiros seis meses do ano, a conta de serviços teve saldo negativo de US$ 19,679 bilhões e a conta de rendas registrou saída de US$ 14,178 bilhões. Já na balança comercial, houve superávit de US$ 7,069 bilhões.

Opositor cubano Guillermo Fariñas preso pela ditadura comunista dos assassinos Castro no funeral de Oswalo Payá

O opositor cubano Guillermo Fariñas foi detido nesta terça-feira junto com cerca de 50 pessoas que assistiam ao funeral do dissidente Oswaldo Payá. Fariñas foi detido por agentes à paisana da ditadura comunista dos assassinos irmãos Castro a cerca de 100 metros da Igreja do Divino Salvador do Mundo, depois de uma missa fúnebre. Após a detenção, os presentes ao enterro de Payá, que morreu no domingo em um polêmico acidente de trânsito, começaram a gritar palavras de ordem contra o governo. Os detidos foram levados nos dois ônibus que a Igreja colocou à disposição para conduzir os amigos do falecido até o cemitério Colón de Havana, onde foram sepultados os restos de Payá. Oswalo Payá, morto aos 60 anos no domingo em um desastre rodoviário provocao no sudeste de Ilha, recebeu o Prêmio Sakharov de direitos humanos concedido pelo Parlamento Europeu em 2002 e liderava em Cuba o Movimento Cristão de Libertação (MCL). O ativista político espanhol Ángel Carromero Barrios, que dirigia o carro em que Payá se acidentou, foi detido após sair do hospital. Carromero, de 27 anos, é dirigente do braço juvenil do governista Partido Popular espanhol, e dirigia o carro alugado que bateu em uma árvore em uma estrada próxima a Bayamo, falecendo Payá e outro dissidente cubano, Harold Cepero Escalante. No automóvel também estava o ativista democrata-cristão sueco Jens Aron Modig, também de 27 anos, que recebeu alta na segunda-feira e viajou para Havana.

FGTS vai liberar mais R$ 12,7 bilhões para habitação

Os conselheiros do Fundo Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) decidiram nesta terça-feira disponibilizar mais R$ 12,7 bilhões para financiamento da habitação. Desse total, R$ 10,7 bilhões serão para o reforço de programas de habitação popular e R$ 2 bilhões para aumentar o subsídio de compra de casa própria por famílias de baixa renda. Com o acréscimo, o orçamento do FGTS este ano sobe de R$ 43,9 bilhões para R$ 56,6 bilhões, cerca de 29%. Os recursos serão assim distribuídos: R$ 36,6 bilhões para habitação popular, R$ 6,4 bilhões para subsídios, R$ 5 bilhões para saneamento, R$ 5 bilhões para infraestrutura urbana, R$ 2,5 bilhões para a compra de Certificados de Recebíveis Imobiliários (CRIs) e R$ 1 bilhão para o Programa Pró-Cotista, que concede juros a menores com conta vinculada ao FGTS. De acordo com a prestação de contas do FGTS de 2011, analisada pelo conselho curador do fundo nesta terça-feira, foram investidos R$ 42 bilhões em habitação popular, R$ 4,8 bilhões em saneamento e R$ 4 bilhões em infraestrutura.