sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

John Kerry é o novo secretário de Estado americano


O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, nomeou nesta sexta-feira o veterano senador democrata e ex-candidato presidencial John Kerry para o cargo de secretário de Estado.Os membros do Senado deverão confirmar a indicação de Kerry, que tem uma vasta experiência no campo das relações internacionais, para que ele possa subsitituir Hillary Clinton à frente da diplomacia americana.

O Zé não é lobista, mas “consultor; não tem empregados, mas “assessores”; não dorme com uma mulher, mas com uma “companheira”


Do jornalista Reinaldo Azevedo - Acabo de ler um texto que tem a sua graça. Vamos lá. Qual é a atividade hoje em dia de José Dirceu? Além de petista (sem cargo de direção), ele é “consultor de empresas privadas”. É um dos eufemismos com que as pessoas se referem a ele. Outros de sua espécie são chamados de “lobistas”. Eu até acho que se pode debater a legalização do lobby, a exemplo do que ocorre nos Estados Unidos (ainda não é uma avaliação de mérito). O que não dá é para chamar “lobista” de “consultor”. Este último é um especialista numa área específica, presta assessoria técnica. O outro facilita contatos com órgãos estatais. No Brasil, a atividade não é legalizada. Assim, Dirceu é hoje um homem da iniciativa privada, certo? E homens da iniciativa privada têm empregados ou funcionários. Não José Dirceu! Leio que o “consultor de empresa privada” tem “assessores”. Sim, parece mesmo um homem de Estado. Ela estava, sou informado, acompanhado desses “assessores” quando ficou sabendo da decisão de Joaquim Barbosa. Não é só isso. Os outros homens têm mulher ou namorada. Além dos “assessores”, sabem que estava ao lado do “consultor” quando ele ficou sabendo da decisão? A sua “companheira”. Perfeito! Outros vão pra cama com a mulher, a namorada, a amante, até com a “amiga íntima”… O nosso herói comete atos políticos: leva a “companheira”. Não pensem que o Zé e os “assessores” estavam cuidando, sei lá, dos assuntos de sua empresa privada. No momento em que ele tomou conhecimento da decisão de Barbosa, estava “ouvindo MPB”, que é para deixar claro o seu apego à cultura nacional. Abriu, então, um vinho e comemorou. O Zé tem, sim, ao menos uma assessoria eficiente: a de imprensa.

Serviço de TV por assinatura chega a 15,9 milhões de casas do País


O setor de TV por assinatura registrou 266,8 mil novos clientes em novembro, chegando ao total de 15,9 milhões de domicílios com o serviço no País. Segundo dados divulgados nesta sexta-feira pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), o crescimento representa uma evolução de 1,7% em relação ao mês anterior e 28,3% em relação a novembro do ano passado. Considerando o número médio de 3,3 pessoas por domicílio, divulgado pelo IBGE, os serviços de TV por assinatura são distribuídos para cerca de 52,7 milhões de brasileiros e estão presentes em quase 27% dos domicílios do País. Apesar do crescimento do setor nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, o Sudeste ainda lidera o indicador, com a presença do serviço de TV paga em 38,2% dos domicílios. A participação do serviço prestado via satélite atingiu 60,4% da base de assinantes no mês passado, e a do serviço a cabo alcançou 38,7% dos assinantes. A operadora Net lidera o mercado, com 52,7% de participação, seguida pela Sky, com 31,1%. A Oi tem 4,4%, a Telefônica 3,8% e a GVT 2,6%.

Lula prepara caravanas pelo Brasil para ameaçar a Justiça, atacar a Imprensa e pressionar Dilma para 2014


Em um churrasco com assessores e aliados na tarde de quinta-feira, o ex-presidente Lula manifestou preocupação em como conciliar sua agenda de palestras em 2013 e o desafio que se lançou: voltar a viajar pelo Brasil a partir do próximo ano sem ofuscar o desempenho da presidente Dilma Rousseff em um ano decisivo para a eleição presidencial de 2014. "Ele está reflexivo em como vai fazer para dar as palestras e viajar. Ele tem uma agenda de palestras enorme e tem o desejo de rodar o País. Mas ele não quer criar nenhum ambiente que possa provocar qualquer questão com a própria presidente. Nós comentamos muito que essa amizade do ex-presidente com a atual não tem precedente na história do Brasil", revelou um correligionário. Acompanhado da ex-primeira-dama Marisa Letícia e do neto Arthur, Lula participou da festa de confraternização com os funcionários do Instituto Lula e recebeu o ministro da Educação Aloizio Mercadante, o presidente nacional do PT, deputado estadual Rui Falcão, os senadores Lindberg Farias (PT-RJ) e Jorge Viana (PT-AC), além de conselheiros do Instituto Lula. Segundo um dos participantes, a pauta do encontro ficou concentrada em seus projetos para 2013 e passou longe de temas quentes, como a crise no Congresso sobre a distribuição dos royalties do petróleo, a Operação Porto Seguro e a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de cassar os parlamentares condenados no processo do Mensalão.

Redução na taxa de natalidade explica queda no número de matrículas no ensino fundamental


A redução da taxa de natalidade no País é uma das causas da queda de 2,2% no número de matrículas na educação fundamental em 2012, segundo a presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Cleuza Repulho. Ao todo, essa etapa da educação reúne atualmente 29.702.498 estudantes com idade de 6 a 14 anos em todo País, segundo o Censo Escolar divulgado na quinta-feira pelo Ministério da Educação. Em 2011, esse número chegava a 30.358.640 alunos. “Nas regiões metropolitanas, os casais não têm mais o número de filhos que tinham há 20, 25 anos. Atualmente esses casais têm, em média, um filho, provocando essa redução populacional”, explicou Cleuza Repulho. De acordo com dados do IBGE, em 2007, o País tinha 17.067.855 crianças com idade de 6 a 10 anos, correspondente aos anos iniciais do ensino fundamental. Em 2011, último ano com dados divulgados pelo instituto, foram registradas 15.252.392 crianças com essa idade. Já a faixa dos 11 aos 14, idade que corresponde aos anos finais do ensino fundamental, o número passou de 14.354.679, em 2007, para 14.011.623, em 2011. A rede municipal é responsável pelo maior número de matrículas do ensino fundamental, com 16.323.158 estudantes em todo País. Essa etapa reúne o maior número de estudantes do país. Somadas todas as etapas (educação infantil, fundamental e ensino médio), a educação básica matriculou este ano 50.545.050 estudantes. Sobre o crescimento do ensino em tempo integral, que registrou um aumento de 24,4% em relação a 2011, Cleuza destacou o estímulo do governo federal, com o programa Mais Educação, que oferece atividades de esporte, lazer, direitos humanos, cultura e artes no contraturno dos alunos. Ainda segundo o Censo Escolar, de 2007 (início da série histórica) a 2012, a educação de jovens e adultos (EJA) perdeu quase 1 milhão de matrículas. Para Cleuza, parte dessa perda é positiva e vem do fato de muitos jovens estarem na série correta para a idade.

JOAQUIM BARBOSA NEGA PEDIDO DA PROCURADORIA DA REPÚBLICA PARA COLOCAR OS MENSALEIROS JÁ NA CADEIA


Ao negar nesta sexta-feira o pedido da Procuradoria-Geral da República para prisão imediata dos condenados no processo do Mensalão do PT, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, argumentou que o Supremo já decidiu em 2009 que não é possível antecipar a execução de sentenças criminais enquanto elas não transitarem em julgado, ou seja, quando os recursos judiciais possíveis não forem esgotados. O ministro destacou que, na ocasião, a entendimento foi por maioria, contra seu voto. Barbosa tomou a decisão sozinho, como ministro plantonista, porque a Corte está em recesso desde a última quarta-feira. No pedido de prisão imediata apresentado na última quarta-feira, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, alegava que as sentenças do Mensalão tinham que ser executadas imediatamente porque o Supremo é a única instância de julgamento do caso. De acordo com Gurgel, os possíveis recursos à própria Corte não têm o poder de mudar a decisão. Na decisão sucinta, com apenas três páginas, Barbosa lembrou, no entanto, que o Supremo ainda não decidiu se é cabível recurso com poder de levar a Corte a revisar o julgamento, os chamados embargos infringentes. A dúvida existe porque o regimento interno da Corte cita o recurso quando a condenação não foi  unânime ou por ampla maioria, mas a legislação que rege os julgamentos no Tribunal já não prevê esse tipo de embargo. De acordo com o ministro, a Corte já decidiu antecipar a execução de sentenças, em processos anteriores, quando havia indícios de que os advogados estavam tentando atrasar o cumprimento das penas. “Todavia, não se pode presumir, de antemão, que os condenados, tal como sustentado pelo requerente, irão lançar mão desse artifício”. O ministro ainda disse que não há indícios de que a prisão preventiva dos réus seja necessária. Ela é usada quando a decisão ainda não é definitiva e os réus oferecem risco de fuga ou contra a paz pública. Barbosa lembra que os réus responderam o processo em liberdade nos últimos sete anos, e que há uma medida cautelar em andamento que impede que eles deixem o País.