domingo, 13 de janeiro de 2013

Fragata Libertad é recebida com festa pelo governo peronista populista argentino

Na ânsia de atenuar a imagem negativa de uma crise econômica e a impopularidade, a presidente argentina, a populista e peronista e muito incompetente Cristina Kirchner, tratou, na quarta-feira, de transformar um episódio vexatório em motivo de júbilo. Às voltas com índices pífios na economia e com a popularidade que caiu de 65% a 30% em um ano, Cristina "Galtieri" Kirhcner preparou uma festa "épica" para o retorno da fragata Libertad, que ficou 78 dias presa em Gana, na África, por conta da dívida do país sul-americano com credores internacionais. No discurso da governante peronista populista e muito incompetente, a síntese talvez esteja no seguinte trecho: "a defesa incondicional dos direitos da Argentina e do respeito a sua soberania". É uma idiotia completa, ela está reeditando o papelão do general de fancaria e cachaceiro Leopoldo Galtieri, o último da dinastia militar da ditadura que assolou o país, e que levou a Argentina à suprema humilhação da rendição incondicional na aventura da invasão das Ilhas Falklands. "Para dar tom patriótico a sua fala, em rede nacional de TV, Cristina Kirchner citou o libertador San Martín e encerrou frases com o bordão "viva a pátria". A fragata se exibiu nas águas de Mar del Plata, em plena ebulição do veraneio para os portenhos que abandonam Buenos Aires e seguem 400 quilômetros ao sul. A população marplatense, de 700 mil habitantes, dobra no verão, e a capital se vê esvaziada pelo calor e pelas férias. A pantomima "galtieresa" da Cristina Kirchner foi montada pela organização La Cámpora, que é comandada por seu filhote Máximo Kirchner. Os militantes foram levado a La Plata em 500 ônibus. Esse é o modo de as ditaduras arranjarem público para suas fanfarronices. A fragata chegou no início da noite de quarta-feira, escoltada por 200 embarcações e conduzindo 143 marinheiros. Todos eles vestiam o uniforme de gala da corporação, como quem participa de uma solenidade oficial. Em 2 de outubro último, a embarcação, um navio-escola da marinha argentina, foi retido no porto de Tema, em Gana. Tratou-se de uma decisão judicial ganesa atendendo a pedido do fundo de investimentos NML, dos Estados Unidos, que cobra da Argentina uma dívida de US$ 370 milhões. Em 19 de dezembro, houve a libertação e o começo do retorno.

Especialistas descartam saída em massa de cubanos com reforma migratória

A reforma que entra em vigor nesta segunda-feira em Cuba, flexibilizando viagens ao Exterior, não garante que haverá migração em massa de cubanos para Miami, mas deverá ser uma transferência clara de pressão para os Estados Unidos, segundo analistas e exilados. 'Em Miami logo vai se notar. Isso podermos estar certos', disse Jaime Suchlicki, responsável do Projeto sobre Transição em Cuba do Instituto para Cubanos e Cubano-Americanos da Universidade de Miami. A reforma migratória cubana permitirá aos cubanos viajar ao Exterior sem necessidade da restritiva permissão de saída, que esteve vigente durante décadas. Além disso, flexibiliza movimentos de residentes e emigrados, embora sejam mantidas algumas limitações. De acordo com a nova norma, só será exigida a apresentação do passaporte corrente atualizado e o visto do país de destino para sair de Cuba. Na opinião de Suchlicki, "está claro que os cubanos vão fazer filas nas diversas embaixadas do país e vão descobrir que não darão muitos vistos aos cubanos". "A Espanha dará 100 ou 200 vistos por ano, o México 50. Quantidades todas muito pequenas, portanto a possibilidade de que vejamos grandes quantidades de cubanos saindo do país não é realista", defendeu o analista. Os Estados Unidos têm um acordo com o Governo de Cuba para conceder 20 mil vistos permanentes por ano, mas "dá muito poucos vistos de turista, e, inicialmente, não vai começar a fazer isso, para que venham todos a Miami", afirmou Suchlicki. O analista aponta que poderão sair os que "tem família em Miami e que podem mandar dólares para comprar um passaporte e uma passagem".

FUNCIONÁRIOS FANTASMAS DA COMUNISTA VANESSA GRAZZIOTIN SERÃO INVESTIGADOS PELO MINISTÉRIO PÚBLICO

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB/AM), que disputou a prefeitura de Manaus e perdeu, está em maus lençóis. O Ministério Público do Distrito Federal pode apresentar denúncia relacionada à contratação de funcionários fantasmas em seu gabinete. O Ministério Público Federal do Distrito Federal instaurou inquérito civil público para investigar denúncia de que a senadora Vanessa Grazziotin empregou funcionários fantasmas em seu gabinete na época em que exercia o mandato de deputada federal, entre os anos de 2007 e 2010. O Ministério Público está na fase de coleta de provas para embasar uma futura ação civil pública contra a parlamentar e os servidores. A congressista pode ser enquadrada por improbidade administrativa. Ao término do inquérito, o órgão deve pedir à Justiça Federal que determine a devolução imediata dos salários pagos aos fantasmas de maneira irregular. A portaria que instaurou o procedimento foi publicada na edição da última quinta-feira do Diário Oficial da União.

Candidato à presidência da Câmara pede jato emprestado para campanha

Candidato favorito à presidência da Câmara, o líder do PMDB, deputado Henrique Alves (RN), vai percorrer o Brasil neste mês de janeiro, em campanha, no jatinho do polêmico deputado federal e ex-governador de Minas Gerais, Newton Cardoso (PMDB-MG), alvo de denúncias de corrupção. "Eu pedi a ele, é um companheiro de partido. Mas eu vou pagar o combustível", afirmou Henrique Alves. Já Newtão, como é conhecido, desconversou ao ser questionado: "Ele não me telefonou, não". Newton Cardoso enfrentou, em 2009, questionamentos sobre aumento patrimonial durante o processo de separação da ex-deputada federal Maria Lúcia Cardoso. Em 2010, ele declarou à Justiça Eleitoral patrimônio de quase R$ 78 milhões. No governo de Minas Gerais (1987-1991), o peemedebista sofreu pelo menos dois pedidos de impeachment na Assembleia Legislativa por supostos desvios em obras, bens não declarados e outras acusações de irregularidades. Uma comissão para apurar as denúncias foi aberta, mas as apurações não avançaram. Ele também foi acusado pela oposição de sumir com lustres do Palácio da Liberdade e presentear secretárias da prefeitura de Contagem, que comandou três vezes, com ouro supostamente comprado com dinheiro público. Essas denúncias foram arquivadas. Henrique Alves visitará neste mês onze capitais em busca de votos. Ele começará na terça-feira em Porto Alegre e Curitiba. Apesar de ter o apoio formal de quase todos os partidos, o peemedebista intensificará a campanha temendo traições, já que o voto é seceto.

Vereadores do Rio de Janeiro e de Belo Horizonte recebem 14º e 15º salários

Empossados no último 1º de janeiro, os vereadores do Rio de Janeiro e de Belo Horizonte são os únicos de capitais do País que ainda embolsam a título de “ajuda de custo” o auxílio-paletó, ou 14º e 15º salários, como também é conhecido o benefício. Só neste ano, os Legislativos de Rio de Janeiro e Belo Horizonte destinarão cerca de R$ 2,5 milhões para custear a verba extra dos parlamentares, sendo R$ 1,5 milhão para os políticos cariocas e R$ 984 mil para os belo-horizontinos. O benefício é pago em duas parcelas, uma em janeiro e outra em dezembro, sendo que cada uma delas equivale a um salário integral. Os vereadores do Rio de Janeiro ganham R$ 15 mil, e os mineiros embolsam R$ 12 mil por mês. E com os reajustes aprovados no ano passado, a conta do auxílio-paletó ficou mais salgada. Parlamentares reeleitos receberam nos contracheques de dezembro e janeiro o equivalente a cinco salários, considerando-se o 13º (benefício natalino), acrescido do 14º e do 15º. No Rio de Janeiro, os 30 parlamentares reeleitos, de um total de 51, ganharam R$ 63 mil da Câmara. Em Belo Horizonte, 19 de 41 vereadores embolsaram R$ 51 mil em dois meses. Teoricamente, a verba serviria para a compra de terno e gravata. Mas, diferentemente de outras remunerações, como a verba indenizatória, não é necessário prestar contas dos gastos com o auxílio-paletó.

Reforma de apartamentos dos deputados já chega a R$ 280 milhões

A reforma dos 432 apartamentos funcionais destinados aos deputados federais vai custar pelo menos R$ 280 milhões aos cofres públicos, segundo estimativas da Câmara, o que equivale a R$ 650 mil para cada imóvel. Até agora, a Casa gastou cerca de R$ 108 milhões com os nove prédios que já passaram ou ainda estão sendo reformados. Na recauchutagem dos outros nove edifícios devem ser gastos mais R$ 172 milhões, valor que pode subir, porque será feito novo edital de licitação. Só em banheira de hidromassagem os gastos devem atingir R$ 1,5 milhão. Cerca de 90 deputados estão na lista de espera por um apartamento. Os primeiros contratos de licitação para as reformas foram firmados em 2007. De lá para cá, seis prédios, com 24 apartamentos cada um, foram entregues depois de atrasos que, somados, extrapolaram em mais de três anos a data prevista para conclusão das obras. Entre os motivos da demora estão problemas com construtoras.

Justiça torna réus investigados pela Polícia Federal

A Justiça Federal abriu processo criminal contra 15 investigados na Operação Durkheim, da Polícia Federal, que apurou crimes de quebra de sigilo telefônico e fiscal ilegal de políticos e delitos financeiros. Passaram à condição de réus na Justiça o vice-prefeito eleito de Nazaré Paulista (SP), Itamar Ferreira Damião, dois policiais (um federal e um militar) e doleiros, sob a suspeita da prática do crime de formação de quadrilha. O juiz da 2ª Vara Criminal Federal de São Paulo, Márcio Ferro Catapani, também autorizou a abertura de quatro novos inquéritos para aprofundar as investigações do caso, que tem 65 indiciados pela Polícia Federal. Dois dos novos inquéritos terão como foco a quebra ilegal do sigilo telefônico e fiscal de políticos, como o ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), e o senador Eduardo Braga (PMDB-AM). A ação penal aberta pela Justiça é resultado de denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal em 25 de dezembro.

Governador socialista Ricardo Coutinho e sua mulher levam vida extravagante, às custas do contribuinte

Após auditoria nas contas da residência oficial do governador Ricardo Coutinho (PSB), 52 anos, o Tribunal de Contas da Paraíba concluiu que inúmeros mimos da primeira-dama, a ex-modelo Pâmela Bório, de 29 anos, não são pagos somente com o salário de R$ 20 mil do governador, cujo patrimônio é avaliado em menos de R$ 1 milhão. Parte do dinheiro usado para bancar o luxo ostentado e os hábitos peculiares da esfuziante primeira-dama sai dos cofres públicos. Relatório do Tribunal de Contas revela que as festas promovidas na Granja Santana, residência onde moram o governador e a primeira-dama, consumiram 17,4 toneladas de carnes, peixes e frutos do mar, só no ano de 2011. Os auditores descobriram que até o enxoval do bebê de Pâmela e Coutinho foi pago pelo contribuinte. O governador não mexeu no bolso nem para comprar os móveis para o quarto do filho ou as bolsas para carregar mamadeiras. A quantidade de farinha láctea adquirida para a criança também espantou o tribunal: foram 460 latas apenas entre os dias 21 de novembro e 13 de dezembro de 2011. O relatório ainda mostra outras excentricidades. Segundo a fiscalização, no ano passado, a residência oficial foi abastecida com rolos de papel higiênico ao custo de R$ 59,00 o pacote com quatro unidades. Detalhe: as folhas higiênicas eram personalizadas com a impressão do desenho de um casal de noivinhos. Foram adquiridos também sais e espumas de banho, além de artigos de decoração. Tudo sem levar em consideração a cotação de preços exigida por lei.

Henrique Alves contrata empresa laranja

Favorito na disputa pela presidência da Câmara, o líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN), gasta R$ 8 mil reais por mês com aluguel de veículos, segundo sua prestação de contas. Reportagem da revista Veja desta semana revela que as notas fiscais que Alves apresenta para comprovar essas despesas são emitidas por empresa registrada em nome de laranja. A Global Transportes tem como endereço uma casa na periferia de Brasília. No papel, pertence à ex-vendedora de tapetes Viviane dos Santos, que diz sequer saber da existência de contrato com o deputado. Ela afirma que, na verdade, emprestou seu nome a uma tia, e admite que a empresa da qual é “dona”, e que supostamente aluga veículos, não possui um carro sequer. Por trás está César Cunha, ex-assessor do PMDB. Ele foi sócio da Executiva, outra empresa que não existe no endereço declarado. A Executiva forneceu notas a Henrique Alves até se enrolar com a Justiça e ser substituída pela Global. Desde 2009, Henrique Alves destinou às duas empresas, sob a batuta de César Cunha, o montante de R$ 357 mil reais. Alguém tem alguma dúvida sobre onde foi parar esse dinheiro?

Segundo a FGV, governo do PT "roubou" R$ 145 bilhões do superavit primário com truques contábeis.

A criatividade do Tesouro Nacional para fechar suas contas, com o uso de sucessivas manobras contábeis e brechas legais, criou no Brasil uma contabilidade paralela à oficial que coloca em risco a credibilidade fiscal da gestão Dilma Rousseff. Bancos e consultorias passaram a expurgar receitas e depurar gastos para calcular um superavit "puro" e poder estimar o impacto na economia e fazer suas projeções. Nesses cálculos, a economia do setor público para pagar juros da dívida foi no mínimo 35% menor que a oficial em 2012. O descrédito em relação aos números do Tesouro já assusta integrantes da equipe do ministro da Fazenda, Guido Mantega. A crise teve seu auge nas últimas semanas, quando se tornou pública a triangulação com bancos públicos e o Fundo Soberano para fechar os números de 2012. O dado do ano, que só será divulgado no fim deste mês, foi apelidado de "superavit elfo", numa referência ao conto de Natal publicado em um dos blogs do jornal britânico "Financial Times". No texto, a presidente Dilma é uma das renas do trenó do Papai Noel e perde o posto para o presidente do México. O ministro Guido é um elfo que defende Dilma e cujas previsões são consideradas muito otimistas. Dentro do governo, receia-se que surjam comparações com a Argentina, onde as estatísticas oficiais perderam a credibilidade. Cinco instituições financeiras, entre bancos, corretoras e consultorias, fazem o expurgo. Para alguns, a prática era limitada a 2010 em razão de uma manobra feita com a Petrobras. Agora, foi ampliada. Gabriel de Barros, economista da FGV (Fundação Getulio Vargas), desconta as receitas extraordinárias e contábeis há dois anos e diz que, desde 2008, o resultado primário está superestimado em cerca de R$ 145,6 bilhões: "O superavit era uma boa medida do impacto da política fiscal na demanda. Isso deixou de ser verdade, quando o governo passou a usar a contabilidade criativa". O Itaú divulgou nesta semana relatório retirando dos resultados oficiais receitas extraordinárias e operações contábeis. No caso dos dividendos, o banco estima um repasse atípico de R$ 47,3 bilhões desde 2009. "A idéia de fazer o ajuste é tentar capturar o esforço fiscal propriamente dito para extrair seu impacto na demanda", observa o economista do banco Marcelo Oreng. A consultoria LCA faz um ajuste mais simples, abatendo as receitas com capitalização da Petrobras em 2010 e o dinheiro do Fundo Soberano. O objetivo dos cálculos próprios "é deixar a medida de superavit primário mais "pura" para avaliar o impacto na inflação, diz o economista-chefe Bráulio Borges. A Quest Investimentos está concluindo os cálculos da sua estimativa "pura". A corretora Convenção Tullett Prebon divulgou ontem relatório com o resultado ajustado de 2012, sem o impacto das operações feitas no final do ano.

Jornal Vale do Sinos confirma dívida de R$ 300 milhões deixada pelo petista Vannazi em São Leopoldo, e a dívida ainda por ir a meio bilhão

O jornal VS, Grupo Sinos, editado em São Leopoldo, confirma o que foi apontado por Marco Antonio Pinheiro, ex-secretário de Vannazi, PT, que rompeu com o prefeito e formou extenso dossiê contra a administração: a dívida deixada pela desastrosa administração petista chegará a meio bilhão de reais. O cálculo ainda não foi fechado, mas a dívida real do município herdada pelo novo governo já ultrapassa a casa dos R$ 300 milhões e vem de vários setores, como o fornecimento de serviços, produtos, aluguéis, parcelamentos e dívidas a vencer. Segundo o atual secretário municipal da Fazenda, Gilso Gotardo, no montante da dívida estão somados cerca de R$ 100 milhões em pagamentos vencidos e atrasados.

Prefeito de Esteio sentará dia 14 no banco dos réus, e pode ser cassado

O prefeito de Esteio, cidade da Grande Porto Alegre, Gilmar Rinaldi, do PT, sentará dia 16 no banco dos réus, onde responderá as denúncias do Ministério Público Eleitoral, segundo as quais abusou de poderes econômico e políico, usou indevidamente a mídia paga e praticou atos ilegais como agente público, tudo para se reeleger. Os promotores pedem a cassação do mandato do prefeito e a suspensão dos seus direitos políticos. Caso a ação seja acolhida pelo juiz do caso, as eleições de outubro serão canceladas e novo pleito terá que ocorrer. A ação de investigação judicial eleitoral pode causar uma reviravolta no resultado das eleições em Esteio. Na semana passada, a coligação Esteio Merece Mais, formada por nove partidos (PSB, PDT, PPS, PP, PRB, PPL, PSL, DEM e PSDB), apresentou denúncia contra Gilmar Rinaldi e Fladimir Costella, candidatos a prefeito e vice, respectivamente, pela coligação Frente por Esteio, composta por 11 partidos: PT, PMDB, PTB, PCdoB, PV, PSC, PHS, PR, PSD, PSDC e PRTB. A ação foi gerada a partir de denúncia da empresa Lisboa & Cunha Ltda, vencedora da concorrência pública nº 10/2012, da prefeitura de Esteio, cujo objeto foi a construção de unidades básicas de saúde nos bairros Tamandaré e Cruzeiro. Conforme um representante da empresa, que lavrou termo de declarações perante o Ministério Público no dia 27 de novembro, após o empenho das obras, cerca de sete dias antes das eleições municipais ele recebeu ordem verbal para iniciar os trabalhos, colocar os caminhões na rua e fazer “movimento” nos referidos bairros. Dias depois, em 24 de outubro, a empresa recebeu notificação de anulação dos procedimentos licitatórios, sob o argumento de que o Município não havia publicado o edital no Diário Oficial da União, já que a verba era federal. Em reunião na prefeitura, com os secretários da Fazenda, do Planejamento e da Saúde, o representante da empresa, que já havia investido mais de R$ 50 mil, ouviu a sugestão de que “deixasse como estava, pois seria ressarcido de outra forma”. Inclusive um dos secretários, com a concordância dos demais, teria sido explícito ao sugerir aditivos ou convites facilitados em outros contratos. Segundo o representante da empresa denunciante, foram os próprios prefeito e vice que determinaram, pessoalmente, o início aos trabalhos antes mesmo da ordem formal. “Eles disseram que as obras poderiam iniciar, pois tinham que ganhar as eleições”, afirma.

Críticas fazem Lula ir a Dilma discutir gestão do governo

O ex-presidente Lula tem demonstrado preocupação com o desempenho do governo Dilma Rousseff e seus reflexos sobre o projeto de poder do PT. Para discutir a situação, marcou uma reunião com a presidente para a segunda quinzena de janeiro. Na avaliação do petista, segundo interlocutores, Dilma precisa “destravar” sua administração, entre outras razões para segurar sua alta popularidade em um ano desafiador como 2013. No fim do ano passado, o ex-presidente foi procurado por empresários, banqueiros, políticos e líderes de movimentos sociais. Além das queixas já tradicionais sobre o “estilo Dilma”, desta vez Lula ouviu e concordou ao menos em parte com reclamações diversas: falta de interlocução, excesso de centralização e, para alguns, o intervencionismo da União na economia, este reforçado no ano passado com medidas no setor elétrico. O estilo “centralizador” e “pouco acessível” da presidente é sempre lembrado nos encontros, e até mesmo servidores da Esplanada já fizeram chegar a Lula apreensão com a falta de autonomia.

Abilio Diniz vende R$ 1,5 bilhão em ações do Pão de Açúcar

O empresário Abilio Diniz deu sequência na sexta-feira ao processo de diversificação de seus investimentos, com o ex-controlador do Pão de Açúcar vendendo ações da empresa por 1,5 bilhão de reais. Em leilão realizado na Bovespa, o fundo Santa Rita, que reúne parte relevante do patrimônio de Abilio Diniz, vendeu 17,12 milhões de ações preferenciais da maior varejista do País, ao preço de 89 reais por papel. No fim de dezembro de 2012, o fundo Santa Rita, administrado pelo UBS, já tinha vendido 1,7 milhão de papéis preferenciais do Pão de Açúcar, por cerca de 150 milhões de reais. Com as operações de venda realizadas até o momento, a participação de Abilio Diniz no total de ações preferenciais do Pão de Açúcar foi reduzida pela metade, para pouco mais de 10% dos papéis dessa classe. O empresário, que é chairman do Pão de Açúcar, possui ainda ações ordinárias da empresa dentro da Wilkes, holding de controle da varejista.

Aldo Rebelo pede maior atuação da iniciativa privada na Copa de 2014

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, cobrou na sexta-feira das empresas que atuam em aeroportos melhoras nos serviços prestados aos passageiros e pediu que o setor não jogue para a Copa do Mundo de 2014 os problemas que podem ser resolvidos agora. Ele admitiu que o Brasil não pode garantir a mesma infraestrutura dos países que já sediaram eventos semelhantes. "A Copa será uma grande festa dentro das nossas possibilidades. Não posso garantir, nem o Brasil terá, a mesma infraestrutura da Alemanha, da Inglaterra ou dos Estados Unidos, e ninguém vai cobrar isso do Brasil. Nós teremos uma infraestrutura compatível com o nosso nível de desenvolvimento", afirmou. Para o ministro, o governo federal está atento à questão da infraestrutura aeroportuária, mas os entraves operacionais em aeroportos, como filas no embarque e desembarque, atrasos nos vôos e problemas no despacho de bagagens, precisam ser solucionados. Na opinião de Rebelo, a iniciativa privada "colabora, mas pode colaborar mais": "Esses problemas não precisam esperar 2014 para serem enfrentados e resolvidos. Eles precisam de enfrentamento imediato". Ele lembrou o episódio de uma companhia aérea que, devido a uma falha no sistema, provocou recentemente atrasos em seus vôos. "As empresas precisam antecipar os problemas e as soluções para casos que são previsíveis", comentou. Rebelo ressaltou que, da parte do governo federal, os obras necessárias para a Copa estão sendo concluídas dentro do esperado e toda infraestrutura para o evento será "muito melhorada para 2014". Segundo ele, 81% das obras estão finalizadas ou em andamento, dois dos seis estádios para a Copa das Confederações este ano já estão prontos (os demais serão finalizados até abril) e os outros seis para o Mundial de 2014 serão entregues até o final deste ano.

Joaquim Barbosa nega pedido de prisão imediata de deputado do PMDB

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, rejeitou na sexta-feira um pedido do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, para que fosse decretada imediatamente a prisão do deputado federal Natan Donadon (PMDB-RO), condenado pela Corte em 2010 a 13 anos, quatro meses e dez dias de prisão por formação de quadrilha e peculato. No processo julgado pelo Supremo, o Ministério Público Federal sustentou que o deputado teria se envolvido com desvio de recursos da Assembléia Legislativa de Rondônia por meio da simulação de um contrato de publicidade. Na época, ele exercia o cargo de diretor do órgão. Ao negar o pedido, Joaquim Barbosa lembrou que recentemente o Supremo confirmou a condenação do parlamentar, ao julgar recursos, mas que essa decisão ainda não foi publicada. Segundo ele, o voto que conduziu o julgamento condicionou a expedição de um mandado de prisão ao término definitivo do processo. Como a decisão não foi publicada, ainda não ocorreu o chamado trânsito em julgado, ou seja, o caso não está definitivamente encerrado.

Soja fecha em baixa em Chicago após estimativa de safra maior do Brasil

Os futuros da soja fecharam em baixa na sexta-feira na bolsa de Chicago, registrando uma mínima de seis meses, após o governo dos Estados Unidos elevar a previsão de safra do Brasil para um recorde, assim como aumentar a estimativa de colheita norte-americana. O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos elevou a previsão da safra norte-americana de 2012 para 3,015 bilhões de bushels (82,05 milhões de toneladas), acima das expectativas do mercado, e contra 2,971 bilhões de bushels da previsão em dezembro. O Departamento de Agricultura americano também elevou a sua previsão de safra 2012/13 do Brasil para 82,5 milhões de toneladas, ante 81 milhões em dezembro, embora tenha reduzido a projeção da colheita argentina em 1 milhão de toneladas, para 54 milhões de toneladas. Contando com preços altos no ano passado, produtores brasileiros plantaram uma área recorde na temporada 12/13, cuja colheita está em seu início. O tempo tem colaborado com os agricultores até o momento, de uma forma geral. O março da soja fechou em baixa de 0,5%, a 13,7325 dólares por bushel. Já os contratos futuros do milho fecharam em alta por dados altistas de estoques nos Estados Unidos. O contrato de março subiu 1,5%, a 7,095 dólares por bushel. O trigo também subiu devido a uma área de trigo de inverno menor que a esperada. O contrato março ganhou quase 2%, encerrando a 7,65 dólares por bushel.

Polícia prende nove por fraudes de licitação no Paraná

O ex-prefeito da cidade paranaense de Lapa, Paulo Furiati (PMDB), e mais oito pessoas de Palmeira, Araucária e Lapa, acusadas de envolvimento em fraudes de licitação no setor de educação, foram presas na sexta-feira por policiais do Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado (Gaeco) do Paraná. A Operação Quadro-Negro também ocorreu em cidades de Minas Gerais, Santa Catarina e Distrito Federal. Segundo o promotor Cláudio Esteves, ainda não foi possível apurar o total de recursos desviados. As investigações começaram em abril, depois que foi descoberto o esquema que atuava na prefeitura de Londrina e que culminou com a cassação e pedido de prisão do ex-prefeito Barbosa Neto (PDT). Os presos são suspeitos de fraudar processos licitatórios para a contratação de empresas ligadas a eles próprios.

CVM investiga ex-presidente e executivos da Oi

O ex-presidente da Oi, Luiz Eduardo Falco, e quatro executivos da operadora de telefonia, estão sendo investigados em um processo administrativo sancionador aberto no ano passado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Além de Falco, que deixou o comando da companhia em abril de 2011, a xerife do mercado de capitais apura também a conduta de João de Deus Pinheiro Macedo, atual diretor de planejamento executivo da companhia, de Eurico de Jesus Telles Neto, diretor jurídico do grupo, e dos conselheiros de administração João Carlos de Almeida Gaspar e José Augusto da Gama Figueira. Os executivos são acusados de violar o artigo 256 da Lei das S.A. em uma das várias operações de aquisição de controle prévias à reestruturação societária. O dispositivo prevê que a compra, por uma companhia aberta, do controle de outra empresa, dependerá de aprovação em assembléia-geral realizada pela compradora em alguns casos. Nesse caso específico, o aval dos acionistas seria necessário porque o preço médio da ação ultrapassou o valor do patrimônio líquido do papel, avaliado a preços de mercado. Pela lei societária, a proposta de compra deve ser submetida à assembléia, acompanhada de um laudo de avaliação, sob pena de responsabilidade dos administradores. O processo corre em sigilo na CVM.

Justiça determina recall de 400 mil veículos da Volkswagen

A Justiça do Rio Grande do Sul determinou que a montadora Volkswagen no Brasil faça um recall de seus modelos Fox, Voyage e Novo Gol do ano 2009/2010 para verificar a ocorrência de desgaste prematuro dos motores desses veículos. A juíza Carla Patrícia Boschetti Marcon Della Giustina expediu a decisão na última segunda-feira e acrescentou que, em caso positivo, as peças deverão ser substituídas pela fábrica. O Ministério Público gaúcho informou em seu site que mais de 400 mil veículos poderão ter seus motores trocados. Em caso de descumprimento, estão previstas multas diárias de 10 mil reais para a publicação de informativo nos jornais de maior circulação em cada Estado do País e 20 mil reais para substituição do motor ou seus componentes na hipótese de ruídos, até o valor máximo de 2 milhões de reais. "Conforme apurado pelo Ministério Público, foi detectado que os veículos objetos da ação foram produzidos com um motor que, conforme admitido pela própria Volkswagen, pode apresentar ruídos", disse a juíza. Além dos pedidos liminares, o Ministério Público requer, ao final do processo, a indenização individual dos compradores, pelos danos materiais e morais decorrentes da colocação em mercado de um produto com vício de qualidade.