quarta-feira, 17 de abril de 2013

Congresso suspende promulgação de proposta que cria tribunais federais


O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), suspendeu a promulgação da proposta de emenda à Constituição (PEC) que cria quatro tribunais regionais federais (TRFs). Ele destacou que a proposta está sob avaliação de técnicos do Legislativo, uma vez que foi alegada a existência de "erro material" na matéria. Calheiros não detalhou quais seriam esses erros e disse que caberá à Mesa Diretora do Congresso decidir sobre a questão. Além disso, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, encaminhou ofícios ao presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e ao próprio Renan, mostrando-se preocupado com o aumento do número de TRFs. "O volume crescente de demandas distribuídas ao Judiciário Federal e a necessidade de entrega célere da prestação jurisdicional não são premissas que levam à conclusão de que a criação de novos tribunais regionais federais seja a única solução para esses problemas", destacou Barbosa no ofício. O Brasil tem atualmente cinco TRFs. Uma alternativa para a questão, segundo Barbosa, que também preside o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), seria a instalação de câmaras regionais ligadas aos TRFs em funcionamento. A seu ver, essas câmaras descentralizariam a Justiça Federal sem os custos de implantação de novas Cortes.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAÚCHO DECIDE ACATAR ORDEM DO CNJ E VAI SE SUBMETER, PUBLICANDO NOMES E SALÁRIOS DE SEUS SERVIDORES


O presidente do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, desembargador Marcelo Bandeira Pereira, disse na noite desta quarta-feira que será acatada a determinação do Conselho Nacional de Justiça de divulgar os salários de magistrados e servidores com a identificação nominal. A publicação, segundo Bandeira Pereira, deve ocorrer até 15 de maio. O magistrado, porém, não descartou a possibilidade de recorrer ao Supremo Tribunal Federal contra a determinação do Conselho Nacional de Justiça. Os magistrados gaúchos são os mais relutantes no País para que sejam publicados seus rendimentos.

TOMATAÇO DO GOVERNO DA PETISTA DILMA ROUSSEFF - BANCO CENTRAL ELEVA TAXA DE JURO PARA 7,5% AO ANO


Com a ameaça de a inflação se alastrar, o Banco Central (BC) aumentou a taxa básica da economia, a Selic, de 7,25% ao ano para 7,50%. A decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), integrada por diretores do Banco Central, mostra que a recente alta da inflação prevaleceu sobre a preocupação com a lenta retomada da atividade econômica. Foram seis votos a favor e dois votos pela manutenção da taxa. Conforme o comunicado do Banco Central, o comitê avalia que "o nível elevado da inflação e a dispersão de aumentos de preços, entre outros fatores, contribuem para que a inflação mostre resistência e ensejam uma resposta da política monetária. Por outro lado, o Copom pondera que incertezas internas e, principalmente, externas cercam o cenário prospectivo para a inflação e recomendam que a política monetária seja administrada com cautela". Votaram pela elevação da taxa Selic para 7,50% ao ano os seguintes membros do Comitê: Alexandre Antonio Tombini (Presidente), Altamir Lopes, Anthero de Moraes Meirelles, Carlos Hamilton Vasconcelos Araújo, Luiz Edson Feltrim e Sidnei Corrêa Marques. Votaram pela manutenção da taxa Selic em 7,25% ao ano os seguintes membros do comitê: Aldo Luiz Mendes e Luiz Awazu Pereira da Silva. O Copom volta a se reunir no fim de maio, quando poderá ser definido mais um aumento. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), referência para o sistema de metas de inflação, vem subindo desde julho do ano passado, no acumulado em 12 meses. Em março, o acumulado chegou a 6,59% e ultrapassou o teto da meta de inflação do governo, de 6,5%. Cabe ao BC fazer com que a inflação fique dentro da meta, no fechamento do ano. A meta estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional é 4,5% (centro da meta), com margem de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Nesta quarta-feira, foi o terceiro encontro em 2013 do Copom, que se reúne oito vezes por ano. A taxa Selic começou a cair em agosto de 2012 — quando foi de 12,5% para 12% ao ano — e manteve a trajetória de queda até outubro do ano passado, quando foi de 7,50% para 7,25% ao ano. Nas três reuniões seguintes, em novembro de 2012, janeiro e março deste ano, o Copom optou por manter a taxa básica de juros em 7,25% ao ano.

Ana Amélia Lemos e Pedro Simon vão a jantar fechado com o candidato socialista Eduardo Campos


Na noite de terça-feira, o governador Eduardo Campos, candidato declarado do PSB à presidência da República, recebeu um grupo de 14 senadores de vários partidos. O convite foi do senador Jarbas Vasconcellos, do PMDB de Pernambuco. A senadora Ana Amélia Lemos, PP, e o senador Pedro Simon, PMDB, estiveram no jantar, que foi uma espécie de prévia da campanha presidencial do governador socialista. Saiba quem compareceu: senadores do PMDB - Pedro Simon (RS), Luiz Henrique (SC),     - Cassildo Maldander (SC), Waldemir Moka (MS), Ricardo Ferraço (ES); senadores do PDT - Cristovam Buarque (DF), Pedro Taques (MT); senador do PSB - Rodrigo Rollemberg (DF); senador do PTB - Armando Monteiro (PE); senador do DEM - Jayme Campos (MT). Também esteve presente o deputado Beto Albuquerque. Pedro Simon, evidentemente, está começando a jogar o joguinho para consolidar sua candidatura ao eterno mandato de senador, que ele não larga nunca. Mais uma vez, ele quer jogar o velho joguinho de sempre, colocar o peso do PMDB do Rio Grande do Sul a favor exclusivamente de sua candidatura à reeleição. Só que, desta vez, o jogo pode sair errado.

A maioridade penal e o colunista que decidiu fuzilar o bom senso. Ou: Não misture Cioran com dobradinha!


Marcelo Coelho, colunista da Folha, escreve hoje um artigo em seu blog sobre a questão da maioridade penal. Está lá desde as 3 da manhã, com um comentário apenas. Sei que ele deve ser dos preferem qualidade a quantidade. Na hipótese de que o texto seja bom, por que não torná-lo público, não é mesmo? Decidi trazê-lo à luz. Ele até vai bem, com certa ponderação, demonstrando a fraqueza dos argumentos dos que são contra a redução a maioridade penal de 18 para 16 anos (ele também é).  É um jeito de pensar. Coelho desmoraliza os argumentos dos seus próprios companheiros, mas não diz quais seriam os bons. O incauto chega a pensar que ele também quer mudar a lei. Longe do estéril turbilhão da rua, o Beneditino de Olavo Bilac escrevia. Com paciência e sossego, trabalhava, e teimava, e limava, e sofria e suava… Não Coelho! O colunista perdeu a paciência. Deve ter ficado com fome. Sei como é. Passo as madrugadas escrevendo. É preciso resistir a quatros tentações: a) ao assalto à geladeira (e ao chocolate e à Negresco comprados para as crianças…); b) ao assalto das soluções fáceis para problemas difíceis; c) a resolver tudo com uma citação encoberta que leva o leitor a suspeitar de que você é mais profundo do que parece: c) ao “vai assim mesmo”, já que me perdi… Não tendo sido a alternativa “a”, Coelho sucumbiu à “d”. Depois de ter desmoralizado os argumentos de seus próprios companheiros, produziu o seguinte parágrafo (em vermelho), que submeterei ao escrutínio lógico:
“Quem pede leis mais rigorosas simplesmente usa um eufemismo: queria que todo criminoso fosse fuzilado. Quem é contra leis mais rigorosas sabe que, na verdade, as que existem são outro eufemismo. Falam em “instituição correcional”, em “presídio”, quando deveriam dizer “campo de concentração”, “pocilga”, ou “masmorra”. Antes, dizia-se “Carandiru”.
Pena para o bom senso Coelho não ter atacado a Negresco em vez de ter escrito essa enormidade. Então vamos ver. Duzentos e quarenta e nove anos depois de Cesare Beccaria ter escrito “Dos Delitos e das Penas” para nos lembrar, e é um fundamento quase universal do direito, que há de haver uma relação de proporcionalidade entre a pena aplicada a um criminoso e o agravo por ele praticado contra a sociedade, Coelho teve o seu momento “fiat lux” e descobriu que falar em pena mais rigorosa para um crime ou outro é só uma outra maneira de pedir o fuzilamento. Que gênio da raça! Que pensador delicado! Aos 26 anos (quando escreveu, tinha menos), Beccaria se estendeu sobre os matizes das penas justamente para que não se matasse a esmo; justamente para que o desagravo não fosse, então, mero exercício de crueldade e vingança. Na página 81 da edição que tenho aqui à mão, leio:
“(…) se dois crimes que atingem desigualmente a sociedade recebem o mesmo castigo, o homem inclinado ao crime, não tendo por que temer uma pena maior para o crime mais monstruoso, decidir-se-á mais facilmente pelo delito que lhe seja mais vantajoso, e a distribuição desigual das penas  produzirá a contradição, tão notória quanto frequente, de que as leis terão de punir os crimes que fizeram nascer”.
Para Coelho, Beccaria era um bestalhão, vejam vocês!,mesmo quando escrevia coisas como esta: “Quando as penas tiverem se tornado menos cruéis, a clemência e o perdão serão menos necessários”. Bobagem! Para o nosso pensador, mesmo quem é contra leis mais rigorosas está, no fundo, condescendendo com campos de concentração e masmorras. Não há saída para o homem. Pedir pena maior é coisa de fuziladores encobertos. Pedir pena menor é apanágio dos cínicos. Que madrugada atormentada! Coelho deve ter passado a noite lendo Cioran depois de ter comido muita dobradinha com Fanta Uva… O que parece pensamento pode ter sido só um sonho ruim. A digestão fica mais lenta depois dos 50, sei bem. Poder-se-ia inferir que não sendo virtuosos, então, o homem que quer pena maior nem o que quer pena menor, que a virtude, para Coelho, está no meio (virtus in medium est). Mas também não! Porque, no meio, estão as leis que temos, com os presídios que temos. Então fazer o quê? Em seu texto, ele referenda a necessidade de mais educação — repetindo o erro muito comum das esquerdas ilustradas latino-americanas que tendem a confundir cadeia com escola… No fim das contas, sempre se está de volta, quando a conversa é essa, a Rousseau, o “castelão e vagabundo”, segundo quem o homem é um gaveta, e a sociedade responde pelo conteúdo que lá vai. Se criminoso ou virtuoso, pouco importa, ele não tem escolha. E depois dizem que o catolicismo, com a sua fé no livre arbítrio, é que é reacionário. A visão de mundo que está na origem desse misto de Cioran com buchada de bode é a velha e nefasta engenharia — ou reengenharia — social: destituídos de vontade, incapazes de fazer escolhas, meros produtos passivos do que a sociedade perversa fez com eles, os homens precisam, então, de algo ou de alguém que lhes dê direção. Todos os ditadores e todas as tiranias sempre se aproveitaram do miolo mole de supostos humanistas como Coelho para dizer: “Deixem com a gente; sabemos como fazer”. Aí, em nome do “novo homem”, do “homem produto do meio”, da “justiça social que elimina as diferenças”, mataram milhões e mandaram seus adversários para “campos de concentração, pocilgas e masmorras”. Vejam lá o taradão da hora da Venezuela, fuzilando pessoas nas ruas em nome do bem e da virtude. “O direito de punir não pertence a cidadão nenhum em particular, pertence às leis, que são os órgãos da vontade de todos. Um cidadão ofendido pode renunciar à porção desse direito, mas não tem nenhum poder sobre a dos outros”.
É Beccaria, o bestalhão, não Marcelo Coelho, o gênio da raça. Só existe democracia porque existem penas para os delitos. “Não é assim também nas ditaduras, Reinaldo?” Não! As ditaduras não precisam de delitos para que existam as penas. Elas só precisam falar em nome de um projeto, de uma aurora, de um novo amanhecer — a “igualdade”, por exemplo… No Paraíso, na Cidade de Deus, não é assim. Não existem nem pecado nem perdão. Nem delitos nem penas. Assim é na Cidade dos Homens. Por Reinaldo Azevedo

Ditador venezuelano anuncia apoio integral de Lula, que aproveitou para atacar os EUA. Há 49 anos, o “Porco Fedorento” proclamava na ONU: “Fuzilamos, estamos fuzilando e fuzilaremos”. É o herói dos nossos progressistas, inclusive do Supercoxinha!


Nojo! O, atenção para o nome do órgão, Ministério do Poder Popular para a Informação e a Comunicação emitiu um comunicado, em nome do “Governo Bolivariano da Venezuela”, anunciando o apoio integral de Luiz Inácio Apedeuta da Silva ao assassino Nicolás Maduro, ditador da Venezuela, que assumiu o poder em razão de um golpe de estado e nele vai se manter em razão de eleições fraudadas. Segundo a ditadura, Lula afirmou o seguinte: “Quando a gente está no cargo de presidente, há coisas que não se podem dizer, por diplomacia, mas, agora, eu posso dizer: de vez em quando, os americanos se dedicam a pôr em dúvida a eleição alheia. Deveriam se preocupar consigo mesmos e deixar que nós elejamos o nosso destino”. Eis aí. Lula fez essa afirmação no evento de ontem (terça-feira) em Belo Horizonte, mais um que comemora os 10 anos do PT no poder. Estava ao lado da presidente Dilma Rousseff, que já havia dado os parabéns ao assassino. O Apedeuta, como se nota, faz uma alusão às críticas feitas pelos EUA, que pedem a recontagem dos votos, já que há milhares de acusações de fraude, numa eleição já disputada em condições absolutamente desiguais. Em 11 dezembro de 1964, Che Guevara, o Porco Fedorento, discursou na ONU em nome do governo cubano. Os mais antigos, como eu, já leram o discurso. Os jovens talvez o ignorem. Ouçam. Volto em seguida.

Explico
Em 1964, a Venezuela era uma democracia, governada por Raúl Leoni, que havia sido eleito em 1963. Sucedia outro governo igualmente sufragado pelo povo, em 1958. Até esse ano, o país havia conhecido apenas nove meses de um governo saído das urnas, entre fevereiro e novembro de 1948. Muito bem! O governo democrático da Venezuela enfrentava a luta armada de vários grupos terroristas, quer se inspiravam em Cuba. E o que fez a ditadura cubana? Acusou, ora vejam!, o governo venezuelano de praticar genocídio… Houve excessos das forças de segurança, admitidos pelo próprio governo, que os condenou. Mas, obviamente, não havia morticínio em massa. Tratava-se apenas de uma das muitas fraudes históricas perpetradas pelas esquerdas. Pois bem: o governo democrático da Venezuela reagiu à acusação, lembrando que o governo cubano era notório, ele sim, por fuzilar seus adversários. E é então que o Porco Fedorento, o “Chancho”, o poeta do homicídio, aquele que descreveu com incrível prazer o movimento de uma bala que penetra de um lado do crânio e sai do outro (e ele era médico); aquele que confessou ter roubado um relógio de um homem que acabara de matar; aquele que acredita que o homem deveria se transformar “numa fria e implacável máquina de matar”, motivado pelo ódio, eis que um vagabundo desse naipe afirma o seguinte na ONU: “Nós temos que dizer aqui o que é uma verdade conhecida, que temos expressado sempre diante do mundo: fuzilamentos, sim! Fuzilamos, estamos fuzilando e seguiremos fuzilando até que seja necessário. Nossa luta é uma luta até a morte. Nós sabemos qual seria o resultado de uma batalha perdida e os vermes também têm de saber qual é o resultado da batalha perdida hoje em Cuba. E vivemos nessas condições por imposição do imperialismo norte-americano. Isso, sim, mas assassinatos não cometemos, como comete neste momento a policia política venezuelana que, creio, recebe o nome de Digepol se não estou mal informado. Essa polícia cometeu uma série de atos de barbárie, de fuzilamentos, ou melhor, de assassinatos, e depois atirou os cadáveres em alguns lugares". Na sequência, acreditem, ele critica o governo da Venezuela por aquilo que chama censura à imprensa. Em 1964, como ele mesmo confessa, não só não havia imprensa livre em Cuba como os adversários do regime eram fuzilados. Poucas falas retratam com tanta precisão o horror moral da esquerda armada, e de seus herdeiros intelectuais, como essa. Notem que Che Guevara não acredita na existência de adversários, mas de “vermes”. Ora, se vermes são, então podem e devem ser eliminados. Seus fuzilamentos são parte da luta; os dos outros, crimes. Mais: ele diz que mata porque venceu e proclama que o outro lado faria a mesma coisa se tivesse vencido; logo, sua fala legitima tanto a própria brutalidade como a alheia. E pensar que os partidários desses pulhas ficam hoje, por aí,  a arrotar a sua moral vitimista, cobrando reparações. Tivessem ganhado aqui a batalha, Che Guevara informa o que teriam feito com os adversários — e não haveria, por certo, “Comissão da Verdade”. Antes que algum cretino se assanhe a dizer que estou defendendo tortura, digo: “Uma ova!” Defendem a tortura, o assassinato e o fuzilamento os que perfilam com Che Guevara, não eu. Só estou evidenciando o que queriam aqueles anjos da morte. Cinquenta anos depois, Nicolás Maduro, em nome de ideais derivados daquele Porco Fedorento, continua a fuzilar pessoas nas ruas. E, herança do mesmo chiqueiro moral, diz que o faz em nome da “revolução bolivariana”, que ele ameaça radicalizar. Luiz Inácio Apedeuta da Silva lhe dá integral apoio. Dilma também. Vale dizer: ambos legitimam a morte de pessoas que só estavam protestando contra uma fraude eleitoral escancarada. Assim, quando vejo as Dilmas, os Lulas e alguns fantasmas morais do passado a se levantar e a pedir justiça e reparação, indago: em nome de quais valores? “Ah, mas e o deputado Rubens Paiva?” O que tem ele? Foi vítima da brutalidade do regime, tem de ter a sua história contada, e o Estado tem de assumir a sua culpa, como, aliás, aconteceu. Mas nem ele nem ninguém mudam a história de um tempo, mudam os valores que estavam em conflito. E que, atenção!, ainda estão! Cadê os nossos cultores da verdade, os nossos heróis da reparação, para enviar uma mensagem de solidariedade ao povo venezuelano e seus mortos? Estão calados em seu túmulo moral. Sabem por quê? Porque boa parte dessa gente acha que Maduro tem mais é de fuzilar mesmo. Porque boa parte dessa gente acha que Che Guevara estava certo. Porque boa parte dessa gente acha que humanos são os seus companheiros. os adversários são apenas “vermes” que merecem morrer. É isso aí. Fernando Haddad, o Supercoxinha, diz que sou uma “caricatura de jornalista” porque escrevo textos como este. É um elogio quando vem da boca de um Zé Ruela subacadêmico que escreveu, em 2004, um livro em defesa do socialismo e que, ora vejam!, se diz socialista até hoje. Nunca foi preciso, claro!, que arriscasse, como arrisquei, um fio de cabelo em defesa da sua “luta”. É o socialista que não suja o shortinho. Outros já haviam construído a democracia para ele. Conforta-se em defender um regime assassino lá do seu gabinete, protegido das chuvas e trovoadas. Che Guevara o representa. Por Reinaldo Azevedo

A petista Dilma engole tudo que disse e manda Copom aumentar taxa de juros no Brasil


O tomate desnorteou a petista Dilma Roussef. O tomate é apenas a ponta do iceberg da alta generalizada dos preços dos alimentos. A taxa básica de juros (Selic) deve subir 0,25% nesta quarta-feira. “O governo já sinalizou que irá elevar a Selic na tentativa de conter a inflação. Entretanto, essa medida não será eficaz, porque a economia brasileira precisa crescer e o governo precisa estimular isso de outras maneiras, como a reforma tributária, investimentos em educação e infraestrutura. Além disso, a inflação deve continuar próxima do teto da meta de 6,5%, uma vez que a maioria dos consumidores utilizam como fonte de crédito os cartões que irão continuar com juros altíssimos”, explica  professor da Escola de Economia da FGV-SP, Samy Dana. O governo precisa parar de incentivar o crédito desenfreadamente e aumentar a possibilidade de produção das indústrias, estimulando a ampliação de fábricas e investimentos mais longos”, diz Dana. Para quem pretende investir, Dana recomenda os títulos do Tesouro indexados a inflação (NTN-Bs). “Em épocas de juros baixos, essa modalidade garante no um juro real positivo. Outra dica é investir em bancos renomados que oferecem mais que 95% do CDI”, diz o economista.

Marchezan Jr. registra chapa com apoio de prefeitos, oposição no PSDB gaúcho tem o apoio de 5 dos 6 deputados estaduais


O deputado federal Nelson Marchezan Junior perdeu o apoio de cinco dos 6 deputados estaduais do PSDB do Rio Grande do Sul. Seus adversários acham que ele é encrenqueiro, divide o partido e cresce internamente com práticas fisiológicas. A chapa liderada pelo deputado Nelson Marchezan Júnior registrou o apoio de 16 dos 23 prefeitos que o PSDB tem no Estado. A lista inclui os prefeitos de Pelotas, Eduardo Leite, e de São Leopoldo, Aníbal Moacir. A oposição também incluiu prefeitos, entre os quais da importante cidade de Uruguaiana, mas tem o apoio de 5 dos seis deputados estaduais do partido. Os deputados apresentaram o nome do deputado Adilson Troca, Rio Grande. O PSDB do Rio Grande do Sul passará por momentos cruciais nas eleições do dia 28, porque se optar por Marchezan Júnior, um notório "encrenqueiro" entre os tucanos gaúchos, poderá ocorrer debandada de líderes e até mesmo dissidências internas. O deputado não é agregador. Na eleição anterior, ele teve o apoio de toda a bancada, mas logo em seguida perdeu o apoio de todos os deputados, á exceção do deputado estadual Pedro Pereira.

93% dos paulistanos querem redução da maioridade penal


Se dependesse apenas dos paulistanos, a maioridade penal no Brasil, que hoje é de 18 anos, seria reduzida para 16 anos. Pesquisa Datafolha mostra que 93% dos moradores da capital paulista concordam com a diminuição da idade em que uma pessoa deve responder criminalmente por seus atos. Outros 6% são contra, e 1% não soube responder. Os pesquisadores ouviram na segunda-feira 600 pessoas. A margem de erro é de quatro pontos (para mais ou menos). Em consultas anteriores, em 2003 e 2006, a aprovação à medida pelos moradores da cidade foi de 83% e 88%, respectivamente. A margem de erro era de dois pontos. Sobre a idade a partir da qual um adolescente deveria passar a ser responsabilizado criminalmente, parte dos entrevistados, em respostas espontâneas (sem haver opções no questionário), defende que menores de 16 anos sejam enquadrados. Para 35%, jovens de 13 a 15 anos deveriam ser considerados pela lei como adultos. Para 9%, até menores de 13 anos deveriam ter esse tratamento. Quando é dada a opção de escolher o que seria mais eficaz para reduzir a criminalidade, há divisão: 42% dizem que seria ideal criar políticas públicas mais eficientes para jovens. Outros 52% afirmam que a redução da maioridade penal já implicaria na melhoria dos índices criminais. Há ainda 5% que acreditam que ambas as medidas são necessárias.

Haddad, caricatura de ministro, prefeito e intelectual, baba de ódio quando alguém fala o meu nome e diz que faço bem à esquerda. Então por que o Supercoxinha está bravo? Ou: Vá trabalhar! Agora!


O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, o Supercoxinha, concedeu uma entrevista à revista “Poder”, comandada por Joyce Pascowitch. Falou lá as suas enormidades, como bem quis. Já andei comentando boa parte da paralogem haddadiana e seu fácil falar difícil. Aprendi, lendo a entrevista, que ele gosta muito de usar a palavra “clivagem”, e, segundo o testemunho em off de um assessor, ninguém entende o que quer dizer. Agora as coisas começam a fazer mais sentido para mim… Haddad está mal acostumado. Há a subimprensa alugada por estatais que fala bem dele para cumprir tarefa — faz parte do contrato informal. Se não é assim, o capilé (capilezão!) para de pingar na conta. E há o que já chegou a ser chamado de “grande imprensa” paulistana que o adotou como uma espécie, assim, de norte espiritual. Vejo coisas inéditas na história do jornalismo destepaiz… Dia desses, o editorial de um jornalão dava conselhos ao prefeito, numa espécie de instrução didática “a um dos nossos (deles)”. Muito bem! Lá pelas tantas, a entrevistadora resolveu fazer esta pergunta: Notório por suas críticas ao PT, o colunista da Veja, Reinaldo Azevedo, tem chamado você de Supercoxinha, como um sujeito bom moço que quer ser super-herói. Que acha disso? Ah, você não vai me perguntar dele, vai? [Irritado.] Não frequento o ambiente virtual dele. Ele é uma caricatura de jornalista, né? Mas acho que para a esquerda é funcional a existência dessa figura. Faz muito bem pro nosso projeto! As pessoas veem o quão patética é a alternativa nesse momento. É como o pastor Silas Malafaia. Os ataques dele à minha campanha foram tão ridículos que acabaram me ajudando.
Voltei
Xiii… Ele ficou irritado comigo, é? Como dizem os jovens, “tipo assim” babar mesmo, é??? Ui!!! De saída, achei engraçado esse negócio de “Reinaldo Azevedo, notório por suas críticas ao PT”… Quando FHC era presidente, também fiz críticas severas ao PSDB, como evidenciam os muitos exemplares da revista que eu dirigia, “Primeira Leitura”. Eu não era um “notório” porque os tucanos não tinham ânimo persecutório; tampouco, que se saiba, alimentavam com dinheiro público uma súcia de caluniadores para atacar o PT, que era oposição, a própria imprensa, que lhe era crítica, e os adversários políticos. Em regimes democráticos, jornalistas não costumam ser “notórios” por criticar o poder. Ao contrário: tornam-se notórios os que se apresentam para ser seus esbirros. No Brasil, como é evidente, há um óbvio processo de demonização da crítica até na imprensa. Nem acho que a entrevistadora fez por mal, não. Mas eu fui mais “notório” quando corrigi uma tradução errada do Vaticano de uma fala de Bento 16 do que por ser crítico da vulgaridade petista… Agora comento a resposta do Supercoxinha. Ele não frequenta meu “ambiente virtual”, mas me acha uma “caricatura de jornalista”? Como sabe? Isso me remete a uma resposta fabulosa que ele deu quando tentou justificar a distribuição de um livro didático que fazia a apologia do erro — aquele do “nós pega os peixe”, lembram-se? Haddad afirmou, então, que estavam criticando o livro sem lê-lo. Para dar força à sua avaliação, ele resolveu ser didático e se saiu com essa pérola: “Há uma diferença entre o Hitler e o Stálin que precisa ser devidamente registrada. Ambos fuzilavam seus inimigos, mas o Stálin lia os livros antes de fuzilá-los. Essa é a grande diferença. Estamos vivendo, portanto, uma pequena involução, estamos saindo de uma situação stalinista e agora adotando uma postura mais de viés fascista, que é criticar um livro sem ler”. A ignorância militante e influente não se deu conta da enormidade que disse, mas este escriba não deixou barato, não é? Escrevi a respeito. Demonstrei que Haddad considerava, por óbvio, uma “evolução” matar as pessoas depois de ler o que elas escreveram, já que, segundo ele próprio, fuzilar sem ler era uma “involução”. Como bom esquerdista, ele consegue ser judicioso sobre a qualidade dos homicídios e reconhece a superioridade moral de alguns homicidas. Em qualquer país democrático do mundo, um raciocínio vagabundo como esse condenaria o autor à lata de lixo do pensamento. Por aqui, a muitos pareceu até razoável e sensato. Afinal, há quem realmente considere Stálin um sujeito dotado de virtudes — o próprio Haddad deixou entrever isso em livro. Já chego lá. Noto, no entanto, que no caso em espécie ele decidiu abandonar a perspectiva stalinista e adotar a hitleriana: não me lê, não frequenta o “meu ambiente virtual” (é um estouvadinho, esse rapaz!), mas decidiu me fuzilar mesmo assim. Sou uma caricatura? Ainda volto à palavra. O que estranho é a irritação. Se sou isso, se sou essa coisa tão desprezível, se ele não me lê, então qual é a razão do ódio? Não o ofendo! Não o calunio! Não lhe atribuo nada que não tenha feito! Não o difamo! Não o injurio. Se ele quiser me processar, por exemplo, não encontrará o caminho. Não faço nada daquilo que seus bate-paus na rede fazem com seus adversários. Então qual é a treta? Por que o nervosismo? Volto já a esse ponto. Quero me ater ao bem que ele disse que faço à esquerda. É curioso! Dia desses, um tucano disse a mesma coisa, sabiam? Como o bicudo não queria sair da sua zona de conforto; como se compraz em ficar puxando o saco de petistas; como gosta de ser considerado um “oposicionista de confiança”, então se saiu com esta: “Esse Reinaldo só ajuda a esquerda…”. Haddad afirma a mesma coisa. Mais uma dúvida: sendo assim, está reclamando, então, do quê? Se eu faço bem à sua causa, deveria me chamar para tomar um café para a gente combinar os próximos passos da tomada do poder pelas esquerdas. Como? Eu evidenciaria “quão patéticas são as alternativas”? Desde quando eu disputo o poder, Zé Mané? Isso é só mais uma tentativa de me colocar como parte de projetos de poder, a exemplo daquela corriola que lhe puxa o saco na Internet, muito bem calçada com o dinheiro das estatais. A fala também revela uma concepção obviamente autoritária da política. Leiam esta pergunta e esta resposta:
Por falar em paradoxos, sua famosa foto com Lula e Maluf equivaleu a uma queda do muro de Berlim. Ainda faz sentido falar em esquerda e direita?
Nossa! Totalmente. Mas você tem que ver quem está apoiando quem pra entender o movimento que está sendo feito. Não abdiquei de princípios em nome do apoio de Maluf. Recebemos pouco investimento do PAC nesses anos, e muitas coisas dependem do ministério de Cidades, que é o do Maluf.
Ah, deixem-me ver se entendi. A direita que Haddad está ocupado em combater, então, é o Reinaldo Azevedo. Já o Maluf é parte do seu pragmatismo. Perfeitamente! Se o PT estiver no comando, todos os apoios são aceitáveis. Assim, os tucanos só são figuras malvadas porque não aceitam fazer parte da base petista. Se, amanhã, as oposições fossem extintas no país, e todos decidissem ser governo, o Mal estaria extinto. Releiam a sua resposta: ele trata o Ministério das Cidades como propriedade privada do PP de Maluf. Assim, para o bem de São Paulo, claro!, ele fez o acordo. E Maluf, como é de seu feitio, não pediu nada em troca. E sou eu a caricatura?
– Caricatura de político é um prefeito que faz 628 promessas na campanha eleitoral e depois elabora um plano de metas com apenas 100.
– Caricatura de político é um prefeito que, quando chove, fica escondido debaixo da cama para não ver seu nome associado a notícias negativas.
– Caricatura de político é um prefeito que promove uma limpeza urbana que antes tachava de “higienista”, tirando os pobres de circulação, a exemplo do que fez no bairro de Belém.
– Caricatura de político é um prefeito que quer pôr a Guarda Municipal para brincar de fazer ginástica com os endinheirados nos parques e reivindica que o governo do estado mobilize a Polícia Militar contra os pobres, como fez no Belém.
– Caricatura de político é um prefeito que, na prática, tornou irrelevante, para o meio ambiente, a inspeção veicular e que só vai cobrar dos pobres, que têm carro velho.
– Caricatura de político é um prefeito que apela à mendicância para supostamente equipar a CET.
- Caricatura de político é um prefeito que tem a cara-de-pau de anunciar na televisão a doação de dois terrenos para campi da Universidade Federal de São Paulo, como se os ditos-cujos pudessem funcionar amanhã.
– Caricatura de político é um prefeito que anuncia um “Arco do Futuro” feito num escritório privado de arquitetura. E mais caricatura será se tudo sair conforme o planejado, e se elegerem alguns felizardos para serem os beneficiários da especulação imobiliária.
– Caricatura de político é um prefeito que mobiliza seus secretários para desmoralizar a administração que o antecedeu, mas troca abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim com o antecessor porque, afinal, ele é um “aliado de Dilma”.
– Caricatura de político é um prefeito que leva um ex-presidente da República para dar “aula” a seu secretariado, mal escondendo a sua condição de boneco de mamulengo.
– Caricatura de político é um ministro de estado que anuncia que vai pôr fim aos vestibulares das universidades federais e cria o maior vestibular do planeta.
- Caricatura de político é um ministro de estado que permite que se criem os tais kits gays em que tudo está errado: a ética, a didática, a pedagogia, a moral e a matemática, torrando dinheiro público inutilmente.
– Caricatura de político é um ministro que comandou a maior transferência de recursos públicos de que se tem notícia na história para as mantenedoras privadas de faculdades e universidades. Se os bananas não têm coragem de fazer a crítica porque temem cair na boca de sapo do petismo, com medo do eleitorado, eu faço. Não sou candidato a zorra nenhuma, muito menos a ter a aprovação de políticos! Escrevo para os leitores.
– Caricatura de político é um ministro em cuja gestão os universitários não totalmente alfabetizados saltam de 12% para 25% do total.
– Caricatura de político é um ministro em cuja gestão os universitários analfabetos propriamente saltam de 2% para 4% do total.
– Caricatura de político é um ministro em cuja gestão exames públicos que deveriam primar pelo rigor técnico são escandalosamente fraudados.
– Caricatura de intelectual é um sujeito capaz de escrever, em 2004, a seguinte bobagem em livro: “O sistema soviético nada tinha de reacionário. Trata-se de uma manifestação absolutamente moderna frente à expansão do império do capital”. Foi uma pena a burocracia soviética não saber que havia aqui em Banânia um pensador dessa envergadura. Ou a história do socialismo teria sido outra. Dá para entender por que ele proclamava a superioridade de Stálin. Como se vê, o sistema em que, primeiro, liam-se os livros para depois fuzilar os inimigos nada tinha de reacionário. São palavras de Haddad.
– Caricatura de intelectual é um sujeito capaz de escrever este pastiche mequetrefe de um texto de Karl Marx, que só seduz os idiotas que não conhecem a fonte cuja água ele nem bebeu, mas roubou (sim, eu bebi mesmo, mas estava morna e vomitei):
“Sob o capital, os vermes do passado, por vezes prenhes de falsas promessas, e os germes de um futuro que não vinga concorrem para convalidar o presente, enredado numa eterna reprodução ampliada de si mesmo, e que, ao se tornar finalmente onipresente, pretende arrogantemente anular a própria história. Esse é o desafio que se põe aos socialistas. A tarefa, 150 anos atrás, parecia bem mais fácil”.
– Caricatura de intelectual é um sujeito formado em direito que se torna mestre em economia em 1990 com uma monografia cujo título é “O caráter socioeconômico do sistema soviético”. O sistema soviético, no caso, é aquele mesmo que ele considerava uma “alternativa” ao capitalismo ainda em 2004. Haddad estava convencendo seus mestres uspianos sobre o tal “caráter” do sistema soviético, mas o dito-cujo estava acabando. Em 25 de dezembro de 1991, Gorbachev renuncia, e a URSS chega ao fim. Mais um pouco, ele é colhido pelo evento no meio da monografia. A caricatura, no entanto, não gostou, não. Treze anos depois, lá estava ele proclamando a “modernidade” do modelo que antes lia para depois matar…
Concluindo
Haddad não gosta de mim e fica irritado quando alguém pronuncia o meu nome, embora, segundo ele, eu faça bem à esquerda, ainda que diga que não me lê? É só uma taticazinha mixuruca para mobilizar os cães de aluguel. Este senhor deveria deixar a torre de marfim e andar um pouco mais pela cidade. Os sinais de abandono, especialmente na região central, são evidentes. No domingo, os baixos do viaduto que vão dar na Radial Leste pareciam um Vale dos Caídos, com os viciados tomando as calçadas e se espalhando nas pistas, pondo a própria vida e a de terceiros em risco. Como todo esquerdista caricato, Haddad é bom de papo e ruim de serviço. Como se tornou moda no petismo, ele não quer ser um bom governante; só quer vencer a guerra da mídia. Como todo sujeito de alma totalitária, o fato de a maioria da imprensa lhe puxar o saco não é suficiente. Ele quer a unanimidade. Relendo música famosa de Chico Buarque, encerro: “Vá trabalhar…”. Dedique-se, Supercoxinha, a administrar a cidade, não a administrar a imprensa e a fazer fofoca de jornalista, como uma Dona Maroca! Por Reinaldo Azevedo

Policial Militar é condenado a 19 anos por morte da juíza Patrícia Acioli


Carlos Adílio Maciel Santos, um dos 11 policiais militares acusados de envolvimento no assassinato da juíza Patrícia Lourival Acioli, em Niterói (Região Metropolitana do Rio de Janeiro), foi condenado a 19 anos e seis meses de prisão pelo 3º Tribunal do Júri de Niterói. Ele é o quinto policial militar a ser condenado. Carlos negou o crime, e seu advogado já anunciou que vai recorrer da condenação. Carlos Adílio respondia pelos crimes de homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, para assegurar a impunidade de outros crimes e mediante emboscada) e formação de quadrilha. Patrícia foi assassinada com 21 tiros, quando chegava em casa, em Niterói, na noite de 11 de agosto de 2011. Carlos Adílio estava preso quando ocorreu o crime. Ele também responde a processo na Auditoria de Justiça Militar do Rio pelo desvio de munições do 7º Batalhão da PM (São Gonçalo), onde era lotado. O 3º Tribunal do Júri de Niterói já condenou, em 4 de dezembro de 2012, o cabo Sérgio Costa Júnior a 21 anos de reclusão, em regime inicialmente fechado. Ele foi considerado culpado pela prática de homicídio triplamente qualificado e também por formação de quadrilha. O policial foi beneficiado com a redução de pena, no mínimo legal, por ter feito acordo de delação premiada. No dia 30 de janeiro deste ano, os jurados do 3º Tribunal do Júri de Niterói também condenaram mais três policiais militares pela morte da juíza Patrícia Acioli. Jefferson de Araújo Miranda recebeu pena de 26 anos; Jovanis Falcão, de 25 anos e seis meses; e Junior Cezar de Medeiros, de 22 anos e seis meses. Todos em regime de reclusão inicialmente fechado. Todos os condenados perderam o cargo público por determinação da Justiça. Outros seis réus, incluindo o ex-comandante do 7º Batalhão (São Gonçalo), tenente-coronel Cláudio Luiz de Oliveira, apontado como o mandante do crime, ainda serão julgados. Os policiais militares recorreram da sentença de pronúncia e o recurso ainda será julgado pelo Superior Tribunal de Justiça. Oliveira e o tenente Daniel Benitez, outro acusado pelo assassinato da juíza, estão na penitenciária federal de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul. Os demais estão presos na cadeia pública Pedrolino Werling de Oliveira, conhecida como Bangu 8, na zona oeste do Rio de Janeiro.

Corregedor abre sindicância para investigar Tribunal de Justiça da Bahia


O corregedor nacional de Justiça, Francisco Falcão, determinou nesta terça-feira a abertura de sindicâncias para apurar suspeitas de irregularidades no Tribunal de Justiça da Bahia, entre as quais, erros no cálculo de precatórios e extravio de um processo, que teriam provocado excesso de R$ 448 milhões nos pagamentos. Entre os magistrados que serão investigados está o presidente do Tribunal de Justiça, Mário Alberto Simões Hirs, e a ex-presidente, Telma Laura Silva Britto. A decisão foi tomada após a realização de uma correição no Judiciário da Bahia na semana passada. "O quadro retratado de forma breve neste relatório preliminar de correição é grave. São indicadas sérias irregularidades na administração do tribunal, em relação a licitações, controle de pessoal e precatórios", afirmou Falcão. "O setor de precatórios está sem controle, sobretudo em relação aos cálculos de atualização das dívidas e verificação dos requisitos legais para a formação dos autos dos precatórios, expondo o ente público a pagamentos indevidos de grande monta", acrescentou. De acordo com o Conselho Nacional de Justiça, teria havido um excesso de R$ 448 milhões no pagamento dos precatórios. Recentemente, o conselho também detectou equívocos no cálculo das dívidas da Paraíba e Ceará. "Há perspectiva de quase R$ 100 milhões pagos acima do valor", disse Falcão, ao comentar a situação dos precatórios paraibanos. Nesta terça-feira, Falcão observou que o tribunal baiano descumpriu, sem justificativa, uma série de determinações que já tinham sido feitas pela corregedoria em inspeções realizadas no passado. Segundo o Conselho Nacional de Just8iça, cerca de mil magistrados não apresentaram nos últimos anos a declaração de bens e renda. Outro problema estaria ligado a um contrato com o Banco do Brasil, com dispensa de licitação, para administração de depósitos judiciais. Além disso, assessores de gabinete estariam trabalhando em regime de revezamento, comparecendo uma ou duas vezes por semana. Isso é nada, o Conselho Nacional de Justiça deveria investigar o regime de trabalho TQQ no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul.

Capriles cancela passeata na Venezuela e acusa governo


O candidato venezuelano derrotado nas eleições de domingo, Henrique Capriles, cancelou uma passeata que estava prevista para esta quarta-feira na capital venezuelana. O objetivo da manifestação era pedir pela recontagem total dos votos. "Não vamos nos mobilizar", disse em uma coletiva de imprensa depois de insistir que o governo está por trás dos atos de violência que afetaram alguns lugares do país. "Amanhã, aquele que sair estará do lado da violência, estará fazendo o jogo do governo (...) o governo quer ver mortos no país". Capriles pediu que, ao invés da passeata desta quarta-feira, sejam feitos novos "panelaços" no resto da semana. O líder opositor disse que o governo quer desviar a atenção "do que é importante" com os atos de violência.

Polícia Federal acha no Uruguai menor que sumiu em Guaporé


A Polícia Federal localizou em Montevidéu, na noite desta segunda-feira, o menor que havia desaparecido em Guaporé, no interior do Rio Grande do Sul, na sexta-feira. O menino de 4 anos, filho de um italiano e de uma brasileira, tem a guarda disputada na Justiça. Ele está sob os cuidados da mãe, mas pode receber visitas do pai. Na sexta-feira, o italiano pegou a criança para devolvê-la no sábado. Como não apareceu mais, a mãe acionou a Justiça, que emitiu mandado de busca e apreensão. A Polícia Federal pediu ajuda da Interpol e da Polícia Federal do Uruguai. O italiano, que já tinha passagens marcadas para a Europa, ficou preso em Montevidéu. A mãe viajou para a capital uruguaia nesta terça-feira para buscar a criança.

Afrouxamento fiscal do governo dificultará controle da inflação


O afrouxamento da política fiscal neste e no próximo ano, de forma a garantir mais recursos para estimular o crescimento da economia, vai dificultar mais o controle da inflação e sobrecarregar a política monetária do Banco Central. Ainda assim, a relação dívida líquida/PIB - importante indicador de solvência - pode continuar na trajetória de queda. O governo federal propôs na segunda-feira, em medida enviada ao Congresso Nacional, que Estados e municípios possam abater de suas metas de superávit primário os gastos com investimentos. Além disso, o governo propôs que, já a partir deste ano, a União fique desobrigada por lei a cobrir a parte do superávit primário que não for cumprida pelos governos regionais. "Mais gastos, não importa o tipo de gasto, pressionam a demanda agregada e a inflação. No caso do governo, de um lado ele desonera para reduzir inflação e, de outro, sinaliza uma redução do superávit primário que aumenta inflação", afirmou uma fonte do governo, que pediu anonimato. "Então, realmente, o governo não está ajudando e dificulta bastante o trabalho do Banco Central", acrescentou a fonte, ressaltando que essa pressão inflacionária será no curto prazo, uma vez que os investimentos ajudam a diminuir custo de produção mais à frente.

Afrouxamento fiscal do governo dificultará controle da inflação


O afrouxamento da política fiscal neste e no próximo ano, de forma a garantir mais recursos para estimular o crescimento da economia, vai dificultar mais o controle da inflação e sobrecarregar a política monetária do Banco Central. Ainda assim, a relação dívida líquida/PIB - importante indicador de solvência - pode continuar na trajetória de queda. O governo federal propôs na segunda-feira, em medida enviada ao Congresso Nacional, que Estados e municípios possam abater de suas metas de superávit primário os gastos com investimentos. Além disso, o governo propôs que, já a partir deste ano, a União fique desobrigada por lei a cobrir a parte do superávit primário que não for cumprida pelos governos regionais. "Mais gastos, não importa o tipo de gasto, pressionam a demanda agregada e a inflação. No caso do governo, de um lado ele desonera para reduzir inflação e, de outro, sinaliza uma redução do superávit primário que aumenta inflação", afirmou uma fonte do governo, que pediu anonimato. "Então, realmente, o governo não está ajudando e dificulta bastante o trabalho do Banco Central", acrescentou a fonte, ressaltando que essa pressão inflacionária será no curto prazo, uma vez que os investimentos ajudam a diminuir custo de produção mais à frente.

Senado revoga cassação do mandato do líder comunista Luiz Carlos Prestes


O plenário do Senado aprovou nesta terça-feira, em votação simbólica, projeto de resolução que anula a cassação do mandato do ex-senador e líder comunista Luiz Carlos Prestes (1898-1990) e do suplente dele, Abel Chermont. A dupla foi eleita nas eleições de dezembro de 1945, mas perdeu o mandato em janeiro de 1948, com a cassação do registro pelo Partido Comunista do Brasil (PCB). O senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), relator do projeto, lembrou que Prestes alcançara na ocasião a segunda maior votação do País, com 10% dos votos, ficando atrás apenas de Getúlio Vargas. "Faz-se com isso justiça à história e à nação brasileira e presta homenagem, ainda que tardiamente", afirmou Valadares. Prestes liderou duas décadas antes de chegar ao Senado um movimento político-militar, batizado de Coluna Prestes, com o intuito de cobrar reformas políticas e sociais ao governo de Arthur Bernardes e Washington Luís. Durante o périplo pelo País, ele ganhou o apelido de "Cavaleiro da Esperança". Na verdade, o comunista Luiz Carlos Prestes, que sempre devotou lealdade ao comunismo e à União Soviética, foi o maior entrave aos avanços democráticos no Brasil.

Marin se diz perseguido e garante que fica na CBF até 2015


Alvo de denúncias e pressão no comando da Confederação Brasileira de Futebol e do Comitê Organizador Local da Copa de 2014 (COL), José Maria Marin disse em reunião com presidentes de federações, nesta terça-feira, que se sente perseguido, mas descartou deixar a CBF antes do fim de seu mandato, em 2015. "Ele disse que não fica um dia a mais após o seu mandato", afirmou a jornalistas nesta terça-feira o presidente da federação da Bahia, Ednaldo Rodrigues. As eleições para presidente da CBF ocorrem em 2014, mas o mandato de Marin, que substituiu Ricardo Teixeira em março do ano passado, vai até abril de 2015. O dirigente, de 80 anos, aproveitou a assembleia-geral da CBF para pedir um voto de confiança na continuidade de seu trabalho como presidente da CBF e do COL. "Ele disse que fica e vai até o fim, e presidentes manifestaram solidariedade", declarou o presidente da federação gaúcha, Francisco Noveletto, acrescentando que Marin "se diz alvo de injustiça e perseguição".

Silas Malafaia organiza manifestação contra a censura à imprensa em Brasília


O pastor Silas Malafaia está organizando, com a ajuda de outros líderes evangélicos, uma manifestação em Brasília contra o casamento gay e a favor da família tradicional. Pelo Twitter, ele convidou os fiéis a montarem caravanas para participar do evento marcado para 5 de junho. "Participe da manifestação em Brasília em favor da liberdade religiosa, de expressão, vida e família tradicional!", escreveu no seu perfil no microblog. Por falar em "família" no seu tweet, os jornalistas petralhas já começaram a dizer que ele está convocando uma manifestação anti-gay. É farsa do jornalismo petista, formado por um grande número de drogados e ativistas gayzistas. Os evangélicos vêem o PL como uma ameaça ao direito de “liberdade de expressão”. Segundo Malafaia, a manifestação não é um ato de apoio ao deputado e pastor Marco Feliciano (PSC-SP), que vem sofrendo pressão para deixar a presidência da Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Feliciano, no entanto, é presença confirmada no evento, que pretende reunir mais de 30 mil pessoas em frente ao Congresso Nacional. Malafaia é um dos maiores defensores da permanência do deputado na presidência do colegiado. E ele tem toda a razão, porque Marco Feliciano está sendo vítima de patrulhamento ideológico movido pelo petralhismo e pelo ativismo gayzista.

Cosan vê moagem 10% maior em 13/14 em 62 milhões de toneladas


A Cosan, que compõe uma joint venture Raízen com a Shell em açúcar e etanol, deve moer cerca de 62 milhões de toneladas de cana na safra 2013/14, o que representaria um crescimento de 10% ante a temporada passada. Ainda assim, a moagem ficaria abaixo da capacidade total de 65 milhões de toneladas, disse o presidente da empresa, Marcos Lutz, em evento em São Paulo nesta terça-feira. "Nossa capacidade de moagem este ano é 65 milhões de toneladas, mas não deveremos ter cana para isso. A moagem deverá ficar em torno de 62 milhões de toneladas", afirmou Lutz após um seminário. A indicação de moagem de Lutz ficou no ponto mais alto de um intervalo estimado entre 60 e 62 milhões de toneladas pelo vice-presidente de Etanol, Açúcar e Bionergia da Raízen, Pedro Mizutani, durante um evento em meados do mês passado. Na temporada anterior, a Raízen, maior produtora individual de açúcar e etanol do Brasil, processou 56,2 milhões de toneladas de cana. O executivo ressaltou que o etanol está mais remunerador nesta safra, em função dos baixos preços do açúcar no mercado internacional e dos novos patamares alcançados pelo biocombustível, depois dos últimos reajustes na gasolina.

Ministério Pùblico Federal pede condenação de ex-dirigentes do Incra


O Ministério Público Federal em São Paulo pediu à Justiça Federal que decrete a indisponibilidade dos bens do ex-superintendente regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Raimundo Pires Silva, e do ex-superintendente regional substituto, Guilherme Cyrino Carvalho. Eles são acusados de cometer irregularidades na compra da Fazenda São Luiz, localizada no município de Cajamar, na Grande São Paulo. A Procuradoria da República quer a condenação de Raimundo Pires e Cyrino Carvalho por improbidade administrativa e o pagamento de R$ 4,4 milhões à União. Eles também podem ser proibidos de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais e ter seus direitos políticos suspensos pelo prazo de até oito anos. Segundo a ação, o Incra adquiriu a Fazenda São Luiz em 2006, logo após uma invasão do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), que pressionava pela realização de reforma agrária. O Incra pagou pelo imóvel, que possui 123,0682 hectares, um total de R$ 1,7 milhão. Mesmo com parecer contrário de vários órgãos ligados ao meio ambiente - como a Promotoria de Justiça de Cajamar, Conselho Municipal de Defesa do Meio Ambiente de Jundiaí, Conselho de Meio Ambiente da OAB e Instituto de Arquitetos do Brasil -, os dois ex-dirigentes do Instituto concluíram o processo de compra e autorizaram o início do assentamento de famílias de trabalhadores sem-terra no local, sem as licenças ambientais necessárias.

Publicidade digital nos Estados Unidos tem receita de US$ 36 bilhões em 2012


A receita de publicidade digital nos Estados Unidos cresceu 15%, atingindo um valor recorde de 36,6 bilhões de dólares, de acordo com uma organização que rastreia e analisa gastos digitais. Os anunciantes se voltaram principalmente para os anúncios de busca, o formato que domina quase metade do total de gastos, representando 46,3%, a 16,9 bilhões de dólares. O relatório mais recente, divulgado nesta terça-feira, é do Interactive Advertising Bureau, cujos membros incluem mais de 500 empresas de mídia e tecnologia, responsáveis por 86% dos anúncios digitais nos Estados Unidos, e a empresa de consultoria PwC US.

Câmara vota esta semana limitação à criação e fusão de partidos


A proposta que impede que novos partidos tenham acesso proporcional ao tempo de TV e ao fundo partidário de parlamentares de outras legendas que ingressam nessas novas siglas será votado nessa semana. O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), disse nesta terça-feira que "vota hoje a urgência e vota o mérito amanhã". Segundo a proposta, os novos partidos terão que concorrer nas eleições seguintes à sua criação com o tempo mínimo de TV reservado para cada legenda e com um pequeno percentual do fundo partidário, sem serem beneficiados por eventuais parlamentares que a eles aderirem. A regra atual, usada com sucesso para a criação do PSD pelo ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, em 2011, permite que um novo partido "herde" tempo de TV e recursos do fundo partidário equivalente ao número de parlamentares que conseguir atrair. O projeto não deixa claro, porém, o que acontece no caso de fusão de partidos.

Previsões de safras de soja sul-americana são otimistas demais--analista


As previsões para a safra de soja da América do Sul estão muito otimistas e não levam em conta recentes condições climáticas desfavoráveis para as lavouras, afirmou nesta terça-feira a consultoria alemã especializada em oleaginosas, a Oil World. A safra de soja dos principais exportadores da América do Sul (Brasil, Argentina, Paraguai, Bolívia e Uruguai) vão totalizar neste ano 143,6 milhões de toneladas, segundo estimativa da Oil World, um número inferior à última projeção do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, de 148,75 milhões de toneladas, mas ainda bem acima da colheita de 2012 (114,95 milhões de toneladas).

Algodão acumula desvalorização de quase 3% em abril


Desde o início de abril, os valores do algodão em pluma acumularam uma baixa de quase 3%, pressionados por uma retração dos compradores no mercado brasileiro e pela isenção da Tarifa Externa Comum (TEC) em importações de uma cota, avaliou o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) nesta terça-feira. Segundo pesquisadores do Cepea, ao longo do mês a valorização do real e as quedas das cotações externas têm tornado a importação mais favorável que a compra no mercado interno. Além disso, a isenção da TEC aprovada na semana passada para a importação de 80 mil toneladas ajuda a pressionar o mercado, acrescentou o centro.

Presidente do PT chama Aécio Neves de "cara-de-pau"


O presidente nacional do PT, Rui Falcão, contra-atacou na noite de segunda-feira, em Belo Horizonte, as críticas recentes feitas ao governo Dilma pelo senador e ex-governador de Minas Gerais, Aécio Neves, pré-candidato do PSDB à Presidência da República. A um auditório lotado de militantes e observado por Dilma e pelo ex-presidente Lula, Rui Falcão começou respondendo a afirmação do tucano de que vai mandar o PT tirar férias do poder. "Há poucos dias, um senador, pré-candidato à presidência, disse que vai mandar o PT sair de férias, numa alusão de que pretende substituir nosso governo. Governador, goze suas férias, mas deixe a Dilma trabalhar", afirmou o presidente do PT, que participou no seminário "PT 10 anos de governo", em Belo Horizonte. Falcão chamou Aécio de "cara de pau" ao comentar entrevistas recentes do tucano mineiro, nas quais ele afirma que o governo federal é leniente com a inflação. "Esse senador disse que a Dilma é leniente com a inflação, e que no governo do PSDB havia tolerância zero com a inflação. É muita cara de pau", afirmou Falcão.

No site, TAM vende passagens mais caras para brasileiros


A TAM vende passagens mais baratas para o mesmo vôo no site da companhia em inglês ou espanhol, que pode ser acessado por brasileiros normalmente. A discrepância entre os preços cobrados em dólares e em reais chega a 300%, e o valor em real é sempre mais caro. Também acontece de alguns vôos aparecerem como esgotados na versão brasileira do site, enquanto assentos do mesmo vôo continuam sendo vendidos para quem paga em outra moeda. Procurada, a companhia disse que um erro, já corrigido, provocou "uma grande diferença nos preços, para iguais trechos, em nossos sites do Brasil e do Exterior". Mas ressaltou que o valor das passagens é determinado pela demanda de cada perfil de passageiro e a oferta disponível, "o que pode variar de acordo com cada mercado".

Presidentes de TRFs se aliam a Barbosa contra a criação dos novos tribunais


Presidentes dos cinco tribunais regionais federais do País se reuniram nesta terça-feira com o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, para tratar da proposta legislativa que autorizou a criação de quatro cortes federais no País. Assim como Joaquim Barbosa, os dirigentes criticam o projeto e defendem soluções mais eficientes e menos onerosas para melhorar a prestação da Justiça à sociedade. Uma delas, que poderia ser adotada pelo Supremo Tribunal Federal, é determinar que os tribunais estaduais punam severamente o regime de trabalho TQQ dos juízes. Mesmo com a aprovação da proposta pelo Congresso no início do mês, o grupo decidiu criar uma comissão que vai apresentar alternativas à instalação dos tribunais. "Identificamos que há soluções que, para o Estado, são mais viáveis sem criar todo um aparato, toda uma estrutura gigantesca, com gastos muito menores para os cofres públicos", assinalou o presidente do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, Mário Cesar Ribeiro, ao deixar a reunião.

Balança comercial gaúcha acumula dois trimestres consecutivos com déficit


O Rio Grande do Sul amarga dois trimestres consecutivos de balança comercial negativa. Entre janeiro e março, as importações chegaram a US$ 3,6 bilhões e superaram os embarques em US$ 113,9 milhões. Os dados indicam que, em seis meses, o déficit gaúcho soma US$ 874,5 milhões. O resultado deste trimestre revela que já são, pelo menos, seis meses no agregado em que o Rio Grande do Sul recebe mais bens do que envia para o Exterior. O desempenho no trimestre foi influenciado pela queda de 7,2% das exportações, que somaram US$ 3,5 bilhões, enquanto as importações subiram 35%. A alta das compras externas foi puxada por autopeças, com um crescimento de 102%, combustíveis e lubrificantes, com acréscimo de 88,1%, e bens da capital, que registram importações 48% maiores em comparação com o mesmo período do ano passado. No caso das exportações, houve queda em 12 dos 25 segmentos industriais analisados. Entre os principais, máquinas e equipamentos (-44,2%), produtos alimentícios (-24,3%), tabaco (-21,1%) e químicos (-6,7%).

CNJ manda Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul divulgar nomes e salários de servidores


O Conselho Nacional de Justiça reiterou nesta terça-feira que o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul deve divulgar as informações referentes à remuneração com a identificação nominal dos servidores, nos termos da resolução que trata do tema. O Tribunal de Justiça gaúcho tem se amparado em uma lei estadual que veda a divulgação das informações para descumprir a resolução do CNJ, que foi editada após a Lei de Acesso à Informação entrar em vigor. Atualmente, o tribunal expõe apenas as remunerações e os cargos, sem identificar os funcionários. A decisão do Conselho Nacional de Justiça foi tomada nos termos do voto do relator do procedimento, conselheiro Silvio Rocha. Assim, fica mantida a decisão anteriormente proferida pelo conselheiro, datada de 5 de março.

CNJ manda Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul divulgar nomes e salários de servidores


O Conselho Nacional de Justiça reiterou nesta terça-feira que o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul deve divulgar as informações referentes à remuneração com a identificação nominal dos servidores, nos termos da resolução que trata do tema. O Tribunal de Justiça gaúcho tem se amparado em uma lei estadual que veda a divulgação das informações para descumprir a resolução do CNJ, que foi editada após a Lei de Acesso à Informação entrar em vigor. Atualmente, o tribunal expõe apenas as remunerações e os cargos, sem identificar os funcionários. A decisão do Conselho Nacional de Justiça foi tomada nos termos do voto do relator do procedimento, conselheiro Silvio Rocha. Assim, fica mantida a decisão anteriormente proferida pelo conselheiro, datada de 5 de março.

Polícia Civil investiga ação da Brigada Militar em perseguição em Porto Alegre


O flagrante de uma abordagem policial a uma dupla de assaltantes na segunda-feira provocou reação da Polícia Civil no início da noite desta terça-feira. Registradas em vídeo por uma leitora que não quis se identificar, as imagens mostram policiais agredindo os ocupantes de um carro roubado, entre eles um adolescente (um anjinho), com socos e pontapés, no meio da Rua Cristiano Fischer, entre as avenidas Ipiranga e Bento Gonçalves, em Porto Alegre. As imagens foram publicadas nesta terça-feira no site de Zero Hora e enviadas à delegada Eleonora Xavier, plantonista da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), que registrou uma ocorrência e a encaminhou para a Delegacia de Polícia Para Crianças e Adolescentes Vítimas e para a Corregedoria da Brigada Militar. Essa leitora de Zero Hora deve ser uma das poucas em Porto Alegre que nunca teve seu carro assaltado, não teve uma arma apontada para sua cara. A ação da Brigada Militar começou após um trio de jovens armados abordar uma mulher no bairro Petrópolis e roubar um carro Crossfox. Durante a perseguição, os detidos entraram na Rua Cristiano Fischer trocando tiros com a polícia, subiram a calçada e, ao baterem em outros veículos estacionados, perderam  o controle do Crossfox e capotaram. Ao final, foram detidos o "adolescente" (anjinho), que possui antecedentes por furto qualificado, porte ilegal de arma e receptação, além de ser apontado como responsável pelos tiros trocados com os policiais, e Helison Santos Marinho, 19 anos, que não possui antecedentes, mas estava dirigindo o veículo e carregava um revólver no momento da abordagem.

São Paulo já registra duas mortes por gripe A


Um homem de 54 anos morreu vítima da gripe A em São José do Rio Preto, em São Paulo, nesta terça-feira. O paciente estava internado na Unidade de Tratamento Intensivo da Santa Cada de Misericórdia desde o dia 8, mas não resistiu. Este é o primeiro caso de óbito registrado na cidade em 2013 e, de acordo com informações da Secretaria Municipal da Saúde, não há outros casos confirmados de internação pelo vírus influenza A H1N1. O primeiro caso de óbito pela doença na região do noroeste paulista foi confirmado na última sexta-feira, em Catanduva. De acordo com informações da Secretaria de Saúde de Catanduva, uma paciente de 52 anos procurou atendimento médico no dia 1º, foi atendida e liberada. Após não registrar melhora dos sintomas, no dia 5 a mulher foi internada na UTI do Hospital Padre Albino. A morte aconteceu no dia 8, mas o exame que apresentou resultado positivo para o vírus H1N1 foi registrado na sexta-feira.

Verba para primeira parte da restauração da Casa de Cultura Mario Quintana é aprovada pela Lei Rouanet


Os R$ 4,2 milhões relativos à primeira parte da verba necessária para a restauração da Casa de Cultura Mário Quintana, em Porto Alegre, já foram aprovados na Lei Rouanet e devem ser repassados pelo governo federal nos próximos dias. "Quando o dinheiro chegar, começamos as obras", diz o diretor artístico e cultural da Secretaria de Estado da Cultura, Manoel Henrique Paulo. Orçada em R$ 8 milhões, a reforma será integralmente bancada pelo Banrisul por meio da lei federal de renúncia fiscal. Está dividida em duas fases. A primeira, que ficará restrita ao telhado, à fachada e à infra-estrutura do prédio, tem duração prevista de 18 meses. A segunda, de seis a oito meses.

Justiça demite funcionários após Harlem Shake em fórum de cidade no Rio Grande do Sul


Os seis funcionários da 2ª Vara Cível de Novo Hamburgo que participaram de um polêmico vídeo fazendo um Harlem Shake (dança hit na internet) por cima de processos em um cartório do tribunal foram demitidos na tarde desta terça-feira. Segundo a diretora da unidade, Traudi Beatriz Grabin, a justificativa foi “comportamento inaceitável”. Os envolvidos não eram concursados, apesar de prestar serviço público. Os envolvidos no vídeo foram ouvidos durante a tarde. Por isso, o cartório ficou fechado e os prazos foram estendidos. De acordo com a diretora, os funcionários justificaram o vídeo, montado após o expediente, como uma “brincadeira que fez parte da onda mundial”, não tendo a intenção de fazer qualquer tipo de deboche. Mesmo assim, Traudi afirmou que “a dança não é uma medida condizente com a que o servidor deve manter”. Os gaúchos querem mesmo é ver a juíza combatente publicamente o regime de trabalho TQQ dos juízes.

Detran gaúcho oficializa suspensão de concurso para examinador de trânsito


O Detran gaúcho oficializou nesta terça-feira a suspensão do processo seletivo simplificado para examinadores de trânsito. O órgão recebeu notificação de uma liminar obtida na 1ª Vara da Fazenda Pública do Foro Central de Porto Alegre no mesmo dia em que os resultados homologados foram publicados no Diário Oficial do Estado. A decisão se baseia na resolução nº 358/2010, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que estabelece em seu artigo 18 que os profissionais que atuam nesse tipo de instituição precisam ter, ao menos, o ensino superior completo. O edital do concurso exige apenas o ensino médio como escolaridade mínima. Segundo Edson Betti, presidente da associação de examinadores de trânsito, o Detran tenta aproveitar uma "brecha" na resolução do Contran para contratar profissionais com uma escolaridade abaixo do regulamentado. "Em agosto de 2010, quando publicou essa resolução, o Contran deu cinco anos para que os profissionais de ensino médio já contratados concluam o  superior. Se não se formar, não pode ficar no cargo. Então, esse processo seletivo só pode ter candidatos com nível superior completo", argumenta Betti. O processo seletivo simplificado do Detran/RS para examinadores de trânsito visa à contratação de 64 profissionais em caráter emergencial e temporário, pelo período máximo de 12 meses. A continuidade do concurso dependerá de nova decisão judicial. Quem comandou esse processo foi a deputada estadual petista Stela Farias, enquanto secretária estadual de Administração no desgoverno do peremptório petista Tarso Genro. É claro que essas "falhas" em editais são devidamente preparadas, para que o concurso caia na Justiça e permaneçam nos cargos em comissão os companheirinhos do comissariado petista.

Justiça autoriza remoção de árvores e continuidade da duplicação da Avenida Beira-Rio


A obra de duplicação da Avenida Edvaldo Pereira Paiva (Beira-Rio), em Porto Alegre, vai continuar. A juíza Nadja Mara Zanella, da 10ª Vara da Fazenda Pública, indeferiu uma liminar do Ministério Público estadual e autorizou a prefeitura a remover as árvores sobre o traçado da via. No entendimento da magistrada, o trecho da Avenida que será duplicado está fora dos limites sugeridos na ação civil pública movida pelo Ministério Público para a instalação do Corredor Parque do Gasômetro. "Como a área mínima do referido parque não alcança a avenida Loureiro da Silva e o parque Maurício Sirotsky Sobrinho na parte em que está previsto corte de vegetais, não se justifica a suspensão do corte e das intervenções planejadas para estas áreas específicas", escreveu a juíza na decisão. A decisão judicial estipula que somente o corte das árvores localizadas na Avenida Presidente João Goulart, entre a rua General Portinho (que delimita a Praça Brigadeiro Sampaio) e a futura rótula da avenida Edvaldo Pereira Paiva, num total de oito unidades, fica suspenso. Para compensar o corte de 101 árvores na Beira-Rio, está previsto o plantio de 798 mudas, além do projeto de arborização e paisagismo da via. Segundo a Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam), todas as mudas são robustas, têm no mínimo cinco anos de viveiro e medem pelo menos 1m80cm.

Ministério Público pede prisão preventiva de 75 envolvidos com os atentados em Santa Catarina


O Ministério Público pediu à Justiça a prisão preventiva de 75 presos envolvidos com os atentados em Santa Catarina. A informação é do grupo de promotores de Blumenau, onde tramita o inquérito da Diretoria Estadual de Invesigações Criminais (Deic). Os promotores pediram a conversão das prisões temporárias em preventivas. Agora, a decisão cabe à juíza da 3ª Vara Criminal de Blumenau, Jussara Wandscheer. As prisões temporárias vencem nesta quarta-feira. Com o pedido do Ministério Público, por enquanto não se tem notícia se haverá ou não o desmembramento do inquérito e diminui a possibilidade de que os presos sejam liberados na quarta-feira.

Assembléia gaúcha aprova aumento para servidores do quadro geral do Estado


A Assembléia Legislativa aprovou, na tarde desta terça-feira, o projeto de lei que promove uma reestruturação no quadro geral de servidores do Estado do Rio Grande do Sul , com concessão de reajuste e abono salarial. De autoria do Piratini, a proposta obteve 49 votos favoráveis, alcançando a aprovação por unanimidade. A categoria é integrada por funcionários de nível médio e técnico, sendo composta, em maioria, por agentes administrativos, técnicos em contabilidade, segurança do trabalho e edificações, entre outras funções. Também há uma série de outros servidores enquadrados nas "categorias em extinção", como auxiliares, datilógrafo, recepcionista, telefonista e motorista. A partir da aprovação do projeto, ficou vedada a nomeação de novos funcionários nas classes em extinção. O projeto de lei garantiu um reajuste médio de 21%, chegando a 47% em algumas categorias específicas. Ficou definido que os servidores poderão progredir dos níveis A ao F da carreira, dependendo de promoções por tempo de serviço ou merecimento. As letras de progressão E e F foram instituídas com a aprovação do projeto. São dois novos níveis de ascendência. Para quem está no padrão A, o reajuste irá fixar em R$ 924 o salário inicial do nível médio, e em R$ 1.250 o vencimento dos técnicos. Os valores chegam a esses patamares contando com complementos salariais, os chamados abonos — sobre os quais não incidem as vantagens individuais —, fixados em R$ 280 e R$ 143. A medida foi criticada pelos deputados de oposição. Eles recordaram que, em governos anteriores, o PT era intolerante com a concessão de abonos, sempre exigindo a agregação dos valores aos salário básico. A deputada estadual Miriam Marroni (PT) afirmou, na tribuna, que a proposta do governo Tarso Genro deve ser valorizada por representar um aumento salarial acima da inflação, superior ao concedido pelos governos anteriores ao quadro geral. O presidente da Federação Sindical dos Servidores Públicos do Rio Grande do Sul (Fessergs), o fazendeiro goiano Sérgio Arnoud, afirmou que o reajuste médio de 21% é "razoável" para o quadro geral.

Assembléia gaúcha aprova aumento para servidores do quadro geral do Estado


A Assembléia Legislativa aprovou, na tarde desta terça-feira, o projeto de lei que promove uma reestruturação no quadro geral de servidores do Estado do Rio Grande do Sul , com concessão de reajuste e abono salarial. De autoria do Piratini, a proposta obteve 49 votos favoráveis, alcançando a aprovação por unanimidade. A categoria é integrada por funcionários de nível médio e técnico, sendo composta, em maioria, por agentes administrativos, técnicos em contabilidade, segurança do trabalho e edificações, entre outras funções. Também há uma série de outros servidores enquadrados nas "categorias em extinção", como auxiliares, datilógrafo, recepcionista, telefonista e motorista. A partir da aprovação do projeto, ficou vedada a nomeação de novos funcionários nas classes em extinção. O projeto de lei garantiu um reajuste médio de 21%, chegando a 47% em algumas categorias específicas. Ficou definido que os servidores poderão progredir dos níveis A ao F da carreira, dependendo de promoções por tempo de serviço ou merecimento. As letras de progressão E e F foram instituídas com a aprovação do projeto. São dois novos níveis de ascendência. Para quem está no padrão A, o reajuste irá fixar em R$ 924 o salário inicial do nível médio, e em R$ 1.250 o vencimento dos técnicos. Os valores chegam a esses patamares contando com complementos salariais, os chamados abonos — sobre os quais não incidem as vantagens individuais —, fixados em R$ 280 e R$ 143. A medida foi criticada pelos deputados de oposição. Eles recordaram que, em governos anteriores, o PT era intolerante com a concessão de abonos, sempre exigindo a agregação dos valores aos salário básico. A deputada estadual Miriam Marroni (PT) afirmou, na tribuna, que a proposta do governo Tarso Genro deve ser valorizada por representar um aumento salarial acima da inflação, superior ao concedido pelos governos anteriores ao quadro geral. O presidente da Federação Sindical dos Servidores Públicos do Rio Grande do Sul (Fessergs), o fazendeiro goiano Sérgio Arnoud, afirmou que o reajuste médio de 21% é "razoável" para o quadro geral.

Jovem sobrevivente do incêndio da boate assassina Kiss recebe alta e número de internados reduz para quatro


Kelen Giovana Leite Ferreira, de 19 anos, sobrevivente da boate assassina Kiss  que estava internada no Hospital de Clínicas, em Porto Alegre, recebeu alta na noite dessa segunda-feira. A jovem, nascida em Alegrete, é estudante de Terapia Ocupacional na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM). Com a liberação de Kelen, o número de feridos que seguem hospitalizados após tragédia cai para quatro. Até segunda-feira, cinco meninas seguiam internadas. Desde o dia da tragédia, 145 pessoas foram internadas. Dessas, 134 já voltaram para casa e sete morreram nos hospitais. As vítimas internadas: Hospital de Clínicas (Porto Alegre) - Mariane Wallau Vielmo, Cristina Peiter, Renata Pase Ravanello; Hospital Mãe de Deus (Porto Alegre) - Ritchiele Pedroso Lucas.

Tarifa de táxis sofrerá reajuste de 8,09% em Porto Alegre


A partir de 30 de abril, a tarifa do sistema de táxis de Porto Alegre será reajustada em 8,09%, tendo como base o Índice Geral de Preços — Mercado (IGP-M). O quilômetro rodado em 2013 passa para R$ 2,11 (bandeira 1) e R$ 2,74 (bandeira 2). A bandeirada inicial fica em R$ 4,22. O pedido foi encaminhado à prefeitura pelo Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi), atendendo ao dispositivo da Lei Municipal nº 10.377/08, que garante o direito ao aumento um ano após o último reajuste, que ocorreu em 30 de abril de 2012. A lei estabelece que a tarifa do táxi deva ser reajustada, com base no IGP-M, com periodicidade de, no mínimo, 12 meses. As tabelas serão entregues aos taxistas a partir da 0h do dia 30 de abril.

Fortunati rebate críticas a convite para que intérprete de Kiko seja embaixador de Porto Alegre para a Copa


O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, rebateu em seu blog as críticas ao convite para que o ator que interpreta o personagem Kiko, do seriado mexicano Chaves, seja embaixador de Porto Alegre para a Copa do Mundo 2014. No texto "Carlos Villagrán e a Copa de 2014", o comandante da administração municipal ironiza aqueles que "tentam ridicularizar a iniciativa". Segundo Fortunati, essas pessoas "desconhecem a história de Villagrán e, com os preconceitos usuais dos 'caranguejos', tentam minimizar o ator de comédias mexicanas porque, talvez, estejam habituados a somente assistir aos 'grandes clássicos do cinema'". Fortunati afirma, também, que o artista foi convidado por ele para ajudar a divulgar a cidade para o evento. O texto não comenta a origem da idéia, que foi pensada inicialmente pela filha de um consultor da secretaria Extraordinária da Copa (Secopa). Essa escolha é completamente boçal em uma cidade que tem um o mais notório, público, famoso e bem relacionado torcedor de futebol, o Gaúcho da Copa, que mantém relacionamento com todos os grandes nomes do futebol brasileiro e internacional. Recentemente, em um atestado disso, o Gaúcho da Copa recebeu uma carta de agradecimento da Raínha da Inglaterra. É pouco? Mas, os provincianos de Porto Alegre precisam se sentir "internacionais".