segunda-feira, 29 de abril de 2013

Dilma confirma subsídio para passagens aéreas em voos regionais


A presidente Dilma Rousseff reafirmou nesta segunda-feira que o governo vai subsidiar passagens aéreas em vôos regionais para que os preços se tornem competitivos e estimulem a movimentação de passageiros nessa modalidade. A medida faz parte do pacote para aviação regional, lançado em dezembro do ano passado pelo governo. “Vamos subsidiar assentos nos aviões para que eles se tornem competitivos, ou seja, nós pagamos a diferença entre a passagem de ônibus e o preço médio da passagem de aviação. Para aviões regionais, nós vamos bancar”, disse a presidenta em discurso em Campo Grande, onde participou da entrega das chaves de 300 ônibus escolares a 78 municípios sul-mato-grossenses. Além do subsídio nos bilhetes, os terminais com movimentação anual inferior a 1 milhão de passageiros terão isenção de tarifas aeroportuárias e aeronáuticas para aumentar a competitividade. O subsídio nas passagens será aplicado aplicado no caso de aeronaves com pelo menos 50% dos assentos efetivamente ocupados e será limitado a 60 assentos, conforme informações dadas pela Secretaria de Aviação Civil na época do lançamento do pacote. Dilma disse que os aeroportos regionais do país serão”melhorados, modernizados e reequipados”, com melhoria e ampliação da infraestrutura atual. “Vamos padronizar o aeroporto regional no Brasil: ele vai ter um terminal de passageiros, uma pista e pátio, vai ter uma característica com equipamentos para permitir pousos e decolagem de jatos em alguns”, detalhou. Em Mato Grosso do Sul, oito terminais serão beneficiados com recursos do pacote de aviação regional, nos municípios de Bonito, Coxim, Corumbá, Costa Rica, Dourados, Três Lagos e Nova Andradina, num toral de R$ 201 milhões de investimentos.

Brasil planeja retomar autossuficiência em petróleo em 2014


A autossuficiência na produção de petróleo deve ser retomada no ano que vem, estimou nesta segunda-feira o diretor de Exploração e Produção da Petrobras, José Formigli, ao divulgar os resultados trimestrais da empresa. A previsão da estatal significa que a produção total de petróleo e derivados deve superar o consumo em 2014, o que não quer dizer que não serão feitas importações, pois a autossuficiência em derivados do petróleo deve ser atingida em 2020. A autossuficiência foi alcançada em 2006, mas não se manteve por causa da forte expansão do consumo, que superou a velocidade de crescimento da produção, explicou Formigli. O prazo de sete anos para a autossuficiência em derivados depende das refinarias Premium 1, no Maranhão, e Premium 2, no Ceará, que ainda estão em fase de análise. "Estamos muito otimistas de que são viáveis", disse o diretor de abastecimento da estatal, José Carlos Cosenza. Eles espera que o período de avaliação dos projetos termine até a metade deste ano. Outras refinarias em construção são a do Comperj, em Itaboraí (RJ), e a de Abreu e Lima, em Pernambuco. Segundo o diretor, a previsão é que parte da Premium 1 entre em operação em outubro de 2017, enquanto a Premium 2 deve começar a funcionar em dezembro do mesmo ano. Em 2020, a Premium 1 deve ser concluída. As estimativas de autossuficiência em derivados, no entanto, dependem de o consumo crescer a uma taxa de 4,2% ao ano. Cosenza informou também que a Petrobras e a PDVSA (petrolífera da Venezuela) não estabelecem contato desde 28 de fevereiro, quando foi concluído o último aditivo para a operação em conjunto da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, onde serão construídos dois trens de produção com o investimento das duas empresas. O diretor garantiu que a obra, com 73% de conclusão, será finalizada e acredita que a situação política na Venezuela contribuiu para que a PDVSA não entrasse mais em contato com o Brasil desde essa data, o que deve ser resolvido quando a situação "se estabilizar", segundo o diretor. Desde a morte do ex-presidente Hugo Chávez, em março, a Venezuela passou por um período de sucessão que culminou nas eleições presidenciais de 14 de abril, vencidas pelo antigo vice de Chávez, Nicolás Maduro, e questionadas pela oposição. A diretoria da Petrobras também divulgou que, em 2013, foram captados US$ 7 bilhões em bancos internacionais e nacionais, entre eles o BNDES. O objetivo da companhia é chegar a US$ 61 bilhões nos próximos cinco anos para a captação bruta, que envolve compromissos já feitos, e US$ 22 bilhões para a captação líquida. O diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, disse que há uma meta de captar US$ 20 bilhões este ano, já que a situação do primeiro trimestre foi considerada tranquila do ponto de vista do caixa, com estabilidade da dívida. Barbassa não informou se a empresa captará no mercado de capitais em breve, mas garantiu que a estatal está sempre atenta às oportunidades. Outro dado divulgado foi o aumento da eficiência operacional, que subiu seis pontos percentuais e chegou a 76% no primeiro trimestre deste ano. De acordo com José Formigli, a elevação do patamar foi obtida com investimentos de US$ 1 bilhão, focados principalmente nos campos mais produtivos da Bacia de Campos. A meta da Petrobras é alcançar 90% no final de 2016. Segundo Formigli, a produção da empresa foi afetada pelas cinco paradas programadas no primeiro trimestre, nas plataformas P-9, P-54, P-37, P-53 e P-33, além da parada da FPSO Espírito Santo, da Shell, que contribuíram para reduzir os resultados. Sem informar detalhes, o diretor informou que a estatal deve manter o mesmo nível de paradas no segundo trimestre, número que será menor a partir de julho. As paradas programadas são usadas para reparos e aprimoramentos que aumentam a eficiência da produção. A diretoria prevê ainda o início do funcionamento da P-55 no fim de setembro. Na segunda quinzena de outubro, entra em operação a P-63, e a P-58 inicia a produção no final do mesmo mês. Em dezembro, a Petrobras começará a exploração com a P-61.

Governo petista de Tarso Genro confirma comunista Mari Perusso como secretária interina do Meio Ambiente


Em entrevista coletiva, o governador em exercício, Beto Grill (PSB), e o chefe da Casa Civil, Carlos Pestana (PT), comunicaram na tarde desta segunda-feira que Mari Perusso (MR8) assumirá interinamente a titularidade da Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema). Mari está atualmente no cargo de secretária-adjunta da Casa Civil e substituirá Carlos Niedesberg, que foi preso na Operação Concutare, da Polícia Federal. O nome definitivo será escolhido apenas quando o governador Tarso Genro voltar da viagem ao Oriente Médio e Portugal, no início de maio.

Deputados avaliam instalação de CPI na Assembléia em função da Opração Concutare


Uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) poderá ser instalada na Assembleia Legislativa para investigar os fatos apurados pela Polícia Federal, que deflagrou nesta segunda-feira a Operação Concutare, responsável pela prisão temporária de 18 pessoas, incluindo empresários, servidores públicos e quadros políticos como o ex-secretário do Meio Ambiente e consultor da área, Berfran Rosado (PPS), e os atuais secretários Estadual do Meio Ambiente, Carlos Fernando Niedesberg (PCdoB), e de Porto Alegre, Luiz Fernando Záchia (PMDB). Os fatos giram em torno da suposta fraude na concessão de licenças de ambientais mediante pagamento de propina para a liberação de mineração e empreendimentos imobiliários. O deputado estadual Miki Breier (PSB), que acompanha a comitiva do governador Tarso Genro em Israel, irá avaliar com o partido se tomará a dianteira da coleta das 19 assinaturas necessárias para a instalação de uma CPI. Na semana passada, o parlamentar apresentou o relatório final da comissão externa sobre a extração de areia no Rio Jacuí. Em 30 dias de trabalho, foi verificada a ineficiência e o sucateamento da Fepam na liberação e fiscalização de licenças para empresas que fazem mineração no Rio Jacuí, algumas de forma irregular. A bancada do PSDB deverá tomar uma posição a respeito da criação de uma CPI em reunião nesta terça-feira.

Trabalhadores acabam com a greve na GM de Gravataí


Embora tenha amanhecido com greve geral na própria montadora e nos 18 sistemistas, o complexo da GM em Gravataí, Rio Grande do Sul, iniciará terça-feira em plena operação, portanto longe da paralisação. Os trabalhadores promoveram assembleia geral no meio da tarde, aceitaram as propostas dos patrões e voltaram ao trabalho. A pedida principal era pela equiparação com o pessoal de São Caetano, SP, mas a GM considerou totalmente descabida a reivindicação, embora tenha concordado em reajustar os salários.

Povo vaia Dilma em ato eleitoreiro de entrega de ônibus escolares no Mato Grosso


Produtores rurais vaiaram a presidente Dilma Rousseff (PT) e o governador do Estado, André Puccinelli (PMDB), durante solenidade de entrega de 300 ônibus escolares, no Jóquei Clube, em Campo Grande, nesta segunda-feira. O grupo protestou contra a demarcação de terras feita pela Fundação Nacional do Índio (Funai) em Mato Grosso do Sul. A maioria do grupo ficou atrás do setor da imprensa, na parte descoberta. Eles repetiram as vaias durante o discurso de diversas autoridades ao longo do evento. O protesto foi organizado pelos 69 sindicatos rurais do estado e pela Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul) e outras entidades que representam os produtores rurais. Segundo a Famasul, cerca de 3 mil produtores de Mato Grosso do Sul e também do Paraná participaram. Durante a entrega de chaves dos ônibus escolares aos prefeitos, em que não havia discursos, Dilma Rousseff foi vaiada pelos produtores, que gritavam “demarcação, não” e “sim à produção”. O governador chegou a interromper a solenidade para pedir que eles parassem de vaiar, “em respeito a presidente”. Em seguida, os manifestantes chegaram a vaiar novamente, mas depois pararam.

Dilma apresentará nova proposta sobre destinação dos royalties do petróleo


A presidenta Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira que enviará ao Congresso Nacional uma nova proposta sobre o uso integral dos royalties do petróleo da camada pré-sal na área da educação. A Medida Provisória (MP) 592 perderá validade no dia 12 de maio, caso não seja votada no Congresso. A comissão mista que analisa a proposta não chegou a acordo para a votação e decidiu adiá-la até que o Supremo Tribunal Federal se manifeste a respeito das regras de divisão dos royalties. “Nessa questão da educação, somos teimosos, somos insistentes, e vamos enviar uma nova proposta para uso dos recursos, royalties, participações especiais e o recurso do pré-sal, para serem gastos exclusivamente na educação. O Brasil precisa de duas coisas para melhorar a educação: da vontade de todos nós, a vontade política do governo e a paixão das famílias, mas também precisa de recursos”, disse a presidenta durante discurso em Campo Grande. Ela participou da entrega de chaves de 300 ônibus escolares para transporte crianças e jovens da zona rural de 78 municípios de Mato Grosso do Sul.

ONS avalia desligar termelétricas mais caras


Com a normalização dos reservatórios das usinas hidrelétricas do País, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) analisa desligar as termelétricas que têm custo de operação mais alto. As termelétricas estão em operação devido à redução dos níveis dos reservatórios em todo o País e consequentemente da capacidade de gerar energia a partir da hidroeletricidade, entre o final do ano passado e o início deste ano. De acordo com o diretor-geral do ONS, Hermes Chipp, o assunto será levado à reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, marcada para o dia 9 de maio. “Há térmicas de pequena capacidade com custo muito alto. Pode ser que essas sejam contempladas nessa decisão”, disse. Segundo Chipp, será feita uma avaliação da perspectiva de nível dos reservatórios para os próximos meses. Caso o comitê considere que o nível ficará abaixo da meta, não será possível desligar nenhuma usina termelétrica. “Mas se você para um pequeno volume [de térmicas] e depois a coisa não acontece como se previu, o comitê tem a prerrogativa de voltar a despachar religar as usinas".

Leilão de energia eólica terá novo modelo baseado na capacidade de infraestrutura de transmissão


O próximo leilão de oferta de energia eólica, que será realizado pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE) em agosto deste ano, terá mudanças no modelo para garantir que as novas usinas consigam escoar sua produção. Nos últimos leilões, usinas ficaram prontas mas não tinham como escoar a energia produzida por falta de subestações e linhas de transmissão. De acordo com a Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), três usinas no Nordeste, com capacidade de 622 megawatts (MW), estão sem gerar energia há quase um ano porque não têm como escoar a produção. Segundo o presidente da EPE, Maurício Tolmasquim, com o novo leilão os empreendimentos só poderão competir em áreas onde há subestações e linhas de transmissão já prontas para escoar a produção. O leilão terá duas fases. Na primeira, a usina concorrerá com outros empreendimentos pelo direito de usar determinada subestação. O critério de escolha das usinas vencedoras em cada subestação será o menor preço da energia produzida. “Se houver 150 MW concorrendo em uma subestação com capacidade para apenas 100 MW, serão selecionados os 100 MW mais baratos”, disse Tolmasquim. Os selecionados em todas as subestações disponíveis disputarão uma segunda fase, na qual poderão mudar o preço oferecido na primeira etapa. O novo modelo de leilão também exigirá uma garantia maior dos empreendimentos de que a energia prometida será realmente entregue. No caso da energia eólica, a quantidade de energia a ser produzida não depende apenas da capacidade instalada da usina, mas também do regime de ventos que giram as turbinas geradoras. Como fará restrições geográficas para a localização das usinas (só poderão concorrer usinas próximas a subestações e onde houver linhas de transmissão com capacidade para escoar a energia) e exigirá mais garantias, o novo modelo de leilão deverá provocar uma redução do número de concorrentes e também um aumento do preço da energia gerada. “Nossa preocupação é com a competitividade da energia eólica, já que deve encarecer de 10% a 15%”, disse a presidenta da Abeeólica, Élbia Melo.

Dilma confirma subsídio para passagens aéreas em voos regionais



A presidente Dilma Rousseff reafirmou nesta segunda-feira que o governo vai subsidiar passagens aéreas em voos regionais para que os preços se tornem competitivos e estimulem a movimentação de passageiros nessa modalidade. A medida faz parte do pacote para aviação regional, lançado em dezembro do ano passado pelo governo. "Vamos subsidiar assentos nos aviões para que eles se tornem competitivos, ou seja, nós pagamos a diferença entre a passagem de ônibus e o preço médio da passagem de aviação. Para aviões regionais, nós vamos bancar", disse a presidente em discurso em Campo Grande. Além do subsídio nos bilhetes, os terminais com movimentação anual inferior a 1 milhão de passageiros terão isenção de tarifas aeroportuárias e aeronáuticas para aumentar a competitividade. O subsídio nas passagens será aplicado aplicado no caso de aeronaves com pelo menos 50% dos assentos efetivamente ocupados e será limitado a 60 assentos, conforme informações dadas pela Secretaria de Aviação Civil na época do lançamento do pacote. A presidente disse que os aeroportos regionais do País serão "melhorados, modernizados e reequipados", com melhoria e ampliação da infraestrutura atual. "Vamos padronizar o aeroporto regional no Brasil: ele vai ter um terminal de passageiros, uma pista e pátio, vai ter uma característica com equipamentos para permitir pousos e decolagem de jatos em alguns", detalhou. Em Mato Grosso do Sul, oito terminais serão beneficiados com recursos do pacote de aviação regional, nos municípios de Bonito, Coxim, Corumbá, Costa Rica, Dourados, Três Lagos e Nova Andradina, num toral de R$ 201 milhões de investimentos.

O PMDB vai deixar os bolivarianos do PT falando sozinhos. Melhor assim!


Os presidentes da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), decidiram frear os ímpetos da bandada do PT no Congresso. Após uma reunião com o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, os dois parlamentares afirmaram que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que submete ao Congresso decisões do STF não deverá avançar. A proposta que abriu uma crise entre o Congresso e o Supremo foi aprovada na semana passada pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. A próxima etapa será a análise em uma comissão especial antes de ser votada em plenário, mas o presidente da Casa, Henrique Alves, decidiu adiar a tramitação diante da reação dos ministros da corte. Nesta segunda, ele admitiu, inclusive, anular a PEC. “Para se ter uma ideia, 94 parlamentares, titulares e suplentes, registraram presença na CCJ. Mas, na hora de a PEC ser votada, de forma simbólica, havia apenas 21 deputados”, disse. Renan Calheiros foi mais enfático e disse esperar que a PEC sequer chegue ao Senado. Seria o passo seguinte, caso fosse aprovada no plenário da Câmara. “Sinceramente, não acredito que a PEC chegue a tanto. Prefiro que ela fique antes”, afirmou. Henrique Alves disse também que apresentará nos próximos dias um projeto de resolução que impede a aprovação de PECs de forma simbólica em qualquer instância. No Senado, Romero Jucá (PMDB-RR) anunciou que fará o mesmo para evitar “acidentes”. Reservadamente, tanto Renan quanto Alves pediram que suas bancadas não apoiem a proposta para tentar estancar a crise com o STF. A orientação é para que a PEC seja associada à bancada do PT, como tentativa de retaliação do partido às condenações de mensaleiros pelo Supremo. No PT, aliás, a ideia é insistir na tentativa de aprovar uma proposta que amordace o Judiciário. Nesta segunda, o ex-presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), começou a recolher assinaturas para uma PEC que impede decisões individuais de ministros da corte – em caráter liminar.

Secretário Odir Tonollier falará sobre mão-grande de R$ 4,2 bilhões dos depósitos judiciais no dia 8


Foi confirmado para o dia 8 de maio o depoimento do secretário da Fazenda do Rio Grande do Sul, o petista Odir Tonollier, que falará na Assembléia Legislativa sobre a tunga de R$ 4,2 bilhões dos depósitos judiciais. O Tribunal de Contas permanece dormindo em leito esplêndico, qual gigante adormecido.

Esta é a lista dos 18 presos pela Polícia Federal na Operação Concutare


A relação inclui empresários, consultores e servidores públicos. Ao todo, foram cumpridos 29 mandados de busca e apreensão no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Confira a lista completa:
1 - Luiz Fernando Záchia (PMDB), secretário municipal do Meio Ambiente de Porto Alegre;
2 - Berfran Rosado (PPS), consultor ambiental e ex-secretário estadual do Meio Ambiente;
3 - Giancarlo Tusi Pinto, trabalha no Instituto Biosenso de Sustentabilidade Ambiental, que tem como sócio Berfran Rosado;
4 - Alberto Antônio Muller, servidor do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM);
5 - Ricardo Sarres Pessoa, servidor da Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam);
6 - Lúcio Gonçalves da Silva Junior, consultor ambiental, da Setemi Ltda Serviços Técnicos de Engenharia;
7 - Carlos Fernando Niedersberg (PCdoB), secretário estadual do Meio Ambiente;
8 - Élvio Alberto dos Santos, CC na Câmara Municipal de Porto Alegre, chefe de gabinete da vereadora Any Ortiz;
9 - Mattos'Alem Roxo, servidor da Fepam;
10 - Joel Machado Moreira, engenheiro ambiental da empresa Construcap;
11 - Vanderlei Antônio Padova, dono da Padova e Chedid Ltda, especializada em consultoria na área de geologia;
12 - Bruno José Muller, engenheiro de minas e irmão de Alberto Antônio Muller, sócio das empresas Erthal e Muller Consultoria Ambiental e Mineral Ltda e da Geodinâmica, Engenharia, Geologia e Meio Ambiente Ltda (Aro Mineração Ltda), que faz negócios com a Copelmi (sócia da Revita no aterro sanitário de Minas do Leão, que recebe o lixo de Porto Alegre e de mais 150 cidades gaúchas);
13 - Marcos Aurélio Chedid, sócio de Vanderlei Antônio Padova na Padova & Chedid Ltda, especializada em consultoria na área de geologia;
14 - Gilberto Pollnow, proprietário da empresa Pollnow & Cia Ltda;
15 - Disraeli Donato Costa Beber, empresário (dono da Norobios - Noroeste Bioenergética SA, que tem Ricardo Lins Portela Nunes, da Sultepa, como presidente do Conselho de Administração);
16 - Paulo Régis Mônego, sócio da Mineração Mônego Ltda (de Caçapava, empresa do ramo de calcáreo);
17 - Nei Renato Isoppo, empresário água mineral;
18 - Celso Rehbein, sócio da indústria de bebidas Celina Ltda.

Tarifa de táxi em Porto Alegre fica 8% mais cara a partir desta terça-feira


A partir desta terça-feira, ficará mais caro utilizar um dos 3.925 táxis em Porto Alegre. A tarifa do serviço será reajustada em 8,09%, e a bandeirada inicial passará a custar R$ 4,22, aumentando R$ 0,32. Os passageiros podem ficar atentos às tabelas que devem ser afixadas nos veículos enquanto o taxímetro não é atualizado com os novos valores, o que deve ocorrer até junho, estima o Sindicato dos Taxistas de Porto Alegre (Sintáxi). Até então, o valor de cada corrida será obtido através da relação entre o número apresentado no taxímetro com o correspondente na tabela. O quilômetro rodado passará a custar R$ 2,11, na bandeira 1, e R$ 2,74, na bandeira 2.

Justiça boliviana aprova terceiro mandato para o indio cocaleiro Evo Morales


O Tribunal Constitucional da Bolívia disse nesta segunda-feira que o ditador atual, o indio cocaleiro Evo Morales, poderá concorrer ao terceiro mandato nas eleições agendadas para dezembro de 2014. De acordo com a decisão da Justiça, o texto da antiga constituição do país que prevaleceu até 2009 e que permite apenas uma reeleição, não pode ser aplicada retroativamente ao primeiro mandato de Morales. Morales é o primeiro presidente indígena do país e venceu as eleições pela primeira vez em dezembro de 2005, antes da nova constituição. Em 2009, o presidente foi reeleito por uma vitória esmagadora. Opositores dizem que a decisão desta segunda evidencia o fato de que a Justiça está sob influência de Morales.

Carlinhos Cachoeira diz que já foi "exposto demais na mídia"


O bicheiro Carlinhos Cachoeira disse nesta segunda-feira que se recusou a fazer o teste do bafômetro, ao ser parado pela Polícia Rodoviária Federal no domingo, na BR-060, entre Anápolis (GO) e Brasília, por que já foi "exposto demais na mídia". Cachoeira voltava de um show do cantor sertanejo Gustavo Lima com a mulher, Andressa, e um casal de amigos. Ele disse que ficou irritado por ter de fazer o teste do bafômetro na frente de uma emissora de televisão. O contraventor foi autuado e encaminhado para o 6.º Distrito Policial de Anápolis. "Armaram um circo, correram com câmera e tudo para me filmar e eu não sou artista de circo nenhum, já fui exposto demais na mídia", disse.

Marina Silva terá encontro com Joaquim Barbosa na próxima semana


Em mais uma movimentação para criar o seu novo partido, a ex-senadora Marina Silva conseguiu agendar uma audiência com o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, para a próxima semana, na terça-feira. O tema da conversa será o projeto de lei que dificulta as regras para a criação de novas legendas. Desde fevereiro, Marina Silva vem articulando a criação da Rede Sustentabilidade, sigla pela qual pretende concorrer ao Palácio do Planalto em 2014. Na semana passada, o ministro do STF Gilmar Mendes concedeu uma liminar que suspendeu a tramitação no Senado do projeto de lei de autoria do deputado federal Edinho Araújo (PMDB-SP). A proposta, que já foi aprovada da Câmara, tem o apoio do governo federal e restringe o repasse de recursos do Fundo Partidário e tempo na TV a novos partidos. Em um vídeo divulgado no site da Rede nesta segunda-feira,  Marina Silva agradeceu a Gilmar Mendes pela atitude.

Igreja excomunga padre por heresia em Bauru


A Igreja Católica anunciou nesta segunda-feira a excomunhão do padre Roberto Francisco Daniel, o padre Beto, de Bauru (SP). O padre é acusado de cometer heresia e de ferir os dogmas da fé religiosa ao divulgar na internet suas opiniões sobre o tratamento dado pela Igreja Católica aos temas sexuais. Nos vídeos, o padre critica a igreja por manter uma posição considerada retrógrada sobre a relação de parceiros bissexuais e do mesmo sexo. Segundo a Diocese de Bauru, o padre Beto foi excomungado por um padre perito em Direito Canônico, nomeado juiz, chamado pelo bispo de Bauru, Dom Frei Caetano Ferrari, para estudar a situação. Ao analisar o caso, o juiz chegou à conclusão de que Beto poderia ser excomungado e também enfrentar um processo de demissão do Estado Clerical, que será enviado para o Vaticano. O bispado informou que o juiz-instrutor tem autoridade para fazer a excomunhão. O padre está excomungado, privado de celebrar e receber todos os sacramentos e enfrentará agora um processo de demissão do Estado Clerical. O processo é sigiloso, iniciado na Diocese e enviado ao Vaticano por se tratar de matéria reservada à Santa Sé, que é a responsável pela sentença definitiva. A partir daí, o réu não poderá mais se chamado de padre e fica impedido do exercício do ministério sacerdotal. Já a excomunhão é a privação da recepção de qualquer sacramento, mas se o padre demonstrar arrependimento a Igreja poderá retirar a excomunhão, mas não a demissão do Estado Clerical.

Reunido com "base aliada", vice-prefeito de Porto Alegre, do PMDB, avalia CPI como "inadequada"


O vice-prefeito de Porto Alegre, do PMDB, reuniu-se no final da tarde desta segunda-feira com vereadores da base aliada na sala da presidência da Câmara de Porto Alegre para discutir os desdobramentos da crise deflagrada a partir da prisão do secretário municipal do Meio Ambiente, Luiz Fernando Záchia (PMDB), por suposta participação em um esquema de fraude na liberação de licenças ambientais para empreendimentos imobiliários e mineração. O escândalo também atingiu o governo Tarso Genro, com a prisão do secretário estadual do Meio Ambiente, Carlos Fernando Niedesberg (PCdoB), ex-presidente da Fepam até um mês atrás.Como o vereador Pedro Ruas (PSOL) obteve 11 das 12 assinaturas necessárias para a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o caso em Porto Alegre, o vice-prefeito correu à Câmara de Vereadores para discutir os efeitos políticos da eventual apuração, para tentar apagar o incêndio. Ocorre que, neste momento, 25 vereadores sentem-se tentados a colocar a assinatura no requerimento de convocação da CPI. A assinatura de qualquer um dos 25 vereadores passou a ter um grande valor. Nunca nos esqueçamos que a Câmara Municipal de Porto Alegre é conhecida como "Casa do Vinte e Seizinho". O vice-prefeito negou ter pressionado dois vereadores, Séfora Mota e Cláudio Janta, que estão apoiando a criação da CPI. O prefeito José Fortunati (PDT) sabe que qualquer CPI, mesmo uma da Câmara Municipal de Porto Alegre, tem um começo conhecido, mas nunca se sabe o seu final. E no meio do caminho podem começar a aparecer situações e documento da área do lixo, a mais fantástico fábrica de desmandos do atual governo.

Produção de etanol misturado à gasolina deve crescer 28,29%


A produção de etanol anidro (destinado à mistura com a gasolina) no Centro-Sul do País deve crescer 28,29% na safra 2013/2014 em relação ao período anterior, segundo estimativa da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica). De acordo com diretor técnico da entidade, Antonio Padua Rodrigues, o crescimento está relacionado ao aumento do percentual de etanol na gasolina, que passará de 20% para 25% a partir de quarta-feira. Segundo Rodrigues, o crescimento deve ocorrer com mais destaque nas unidades produtoras da Região Centro-Sul, representadas na Unica, devido às condições climáticas do Norte e Nordeste. "A demanda de anidro no Brasil deve crescer 2,3 bilhões de litros. Sabemos que a safra do Norte/Nordeste vai ser menor, porque eles estão sofrendo muito com a seca. Por isso, toda essa produção adicional tem que se dar aqui na nossa região", justificou. Em número absolutos, a produção de etanol anidro passará de 8,7 bilhões de litros para 11,2 bilhões. Em termos gerais do setor, o aumento da moagem de cana-de-açúcar é estimado em 10,67%. O volume de cana a ser processado, que é dividido entre a produção de açúcar e etanol, deve passar de 532,76 milhões de toneladas para 589,60 milhões neste ciclo. "É uma previsão otimista e parte da premissa de que tudo vai correr bem, que vai ser mantido o aumento da mistura na gasolina, que serão mantidos os níveis de exportação do ano passado", declarou o diretor técnico. Os resultados acumulados este ano, até a primeira quinzena de abril, entretanto, mostram um processamento de cana aquém do esperado, com 8,82 milhões de toneladas. O valor é significativamente inferior ao volume de 27,74 milhões de toneladas moídas no mesmo período da safra 2010/2011, quando, a exemplo deste ano, havia grande volume de cana disponível para processamento. Na avaliação de Rodrigues, isso se deve a um início de safra chuvoso, o que comprometeu a moagem estimada para o final de março e o início de abril, mês que inaugura a safra. "Esperamos números mais positivos no andamento da safra", destacou. Rodrigues reforçou que os produtores estão prontos para atender à demanda gerada pela medida do governo de incrementar a adição de etanol na gasolina. "Temos fábrica para isto, produção de etanol anidro. Grande parte deste mercado já está contratado pelas distribuidoras. Os contratos já foram registrados na Agência Nacional do Petróleo. Estamos prontos", destacou. O setor sucroenergético deve assumir um perfil mais alcooleiro nesta safra. O percentual de produção de açúcar reduzirá de 49,54%, registrado na safra 2012/2013, para 46,22%. O percentual de etanol, por sua vez, crescerá 3,32 pontos percentuais, passando de 50,46% para 53,78%. Entre as razões para a produção do biocombustível se tornar mais atrativa, Rodrigues cita "o aumento do preço da gasolina no início do ano, o maior teor de etanol e a recente desoneração do Pis/Cofins [Programa de Integração Social e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social], aliado ao superávit no mercado mundial de açúcar".

Governo Central registra superávit primário de R$ 285,7 milhões em março


Com a arrecadação em queda e as despesas aumentando, o Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) registrou suprerávit primário de R$ 285,7 milhões em março. O resultado é o pior para o mês desde 2010, quando houve déficit de R$ 4,554 bilhões. O superávit primário é a economia que o governo faz para honrar compromissos financeiros, inclusive o pagamento de juros da dívida. Nos três primeiros meses do ano, o Governo Central economizou R$ 19,875 bilhões, 41,3% a menos que o superávit de R$ 33,846 bilhões registrado no mesmo período do ano passado. As contas do Governo Central teriam registrado déficit, não fosse o pagamento de R$ 767,3 milhões em dividendos de estatais que reforçaram o caixa do governo. Uma das causas, tanto para o superávit fraco em março quanto para a queda do esforço fiscal em 2013, foi o fato de que as receitas cresceram em ritmo menor que as despesas neste ano. No primeiro trimestre, as receitas líquidas do Governo Central aumentaram 3,3% em termos nominais, enquanto os gastos subiram 11,5% na comparação com os mesmos meses de 2012. As despesas de custeio (manutenção da máquina pública) aumentaram 18,9%, enquanto os investimentos desaceleraram significativamente e subiram 7,4%, de R$ 15,7 bilhões para R$ 16,8 bilhões no acumulado do ano. Até fevereiro, o crescimento totalizava 28,7%. O único tipo de gasto que permanece sob controle foram as despesas com o funcionalismo público, que subiram apenas 4,2% de janeiro a março. Os gastos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) também sofreram forte desaceleração. As despesas com o programa somaram R$ 9,9 bilhões nos três primeiros meses do ano, alta de 10,7% em relação ao acumulado no mesmo período de 2012. Até fevereiro, o crescimento acumulado correspondia a 75,7%.

Claudio Diaz anuncia saída do PSDB e filiação ao PP de Ana Amélia


Dono de 77.561 votos na última eleição para a Câmara dos Deputados, primeiro suplente da bancada tucana do RS, o ex-deputado Claudio Diaz anunciou nesta segunda-feira seu desligamento do PSDB. Diaz optou pelo PP e assinará ficha na sexta-feira, na presença do presidente nacional do Partido, Ciro Nogueira. O convite ao ex-deputado foi feito pela senadora Ana Amélia Lemos. Claudio Diaz foi hostilizado pelo ex-presidente do PSDB do Rio Grande do Sul, Nelson Marchezan Júnior, que o substituiu na presidência do partido no Estdo. Além disto, Nelson Marchezan Júnior nunca permitiu-lhe assumir o mandato, sequer por um dia. O novo presidente estadual, Adilson Troca, conterrâneo de Rio Grande, também tem diferenças marcantes com o ex-deputado. Nas eleições do próximo ano, Claudio Diaz disputará uma cadeira na Câmara dos Deputados pelo PP.

Corrupção galopa no governo petista, CGU alerta para uma média de 123 fraudes por dia, mas não fiscaliza


Dos 45 mil alertas registrados pela Controladoria-Geral da União em 2012, 78% se relacionavam a compras do governo. O restante se dividiu em terceirização (13%) e cartões corporativos (9%).  Não há, por parte do governo, contudo, um acompanhamento centralizado dos alertas, enviado aos gestores de cada área afetada. O sinal amarelo da corrupção dentro do governo acendeu 45 mil vezes só no ano passado, segundo o relatório de gestão concluído em março pela Controladoria-Geral da União, principal órgão de controle federal. A marca é 21,6% maior que os 37 mil alertas de transações atípicas contabilizados em 2010 pela CGU ao monitorar licitações públicas, gastos com cartões, diárias e passagens, além de terceirização na esfera federal. Para o secretário-executivo da CGU, Carlos Higino Ribeiro de Alencar, o aumento está mais relacionado os novos mecanismos de controle. "Estamos cada vez mais cruzando dados e informações", disse, comparando o trabalho feito com o das operadoras de cartão de crédito, capazes de identificar padrões e desvios de gastos. Os alertas das despesas do governo federal se enquadram em 40 tipos de possíveis casos de fraudes e irregularidades com recursos públicos que, para a CGU, merecem ser averiguados. Entre elas, estão vínculo societário entre licitantes, pregões nos quais a melhor proposta não venceu, gastos acima de R$ 200,00 com combustível ou de R$ 1.500,00 com cartão e servidor demitido que vira terceirizado. Alencar afirma que, dependendo da "trilha", é possível identificar facilmente fraudes como pagamento de pensões e aposentadorias a pessoas mortas ou casos de má gestão como compras de passagens mais caras feitas às vésperas de uma viagem. O uso de cartões corporativos nos fins de semana também pode se confirmar como ato irregular. Um dos alertas da CGU foi o da compra de um equipamento para uma nova rede de computadores de uma agência de regulação. A empresa vencedora ofereceu R$ 17,9 mil, desbancando propostas de R$ 9.700, R$ 9.800 e R$ 11,1 mil. As três foram desclassificadas por não atenderem a todos os requisitos da licitação. Segundo Higino, é comum empresas não qualificadas oferecerem preços mais baixos para desestimular concorrentes e garantir a vitória de uma associada.

O PEREMPTÓRIO PETISTA TARSO GENRO DEMITE SECRETÁRIO DO MEIO AMBIENTE, PRESO PELA POLÍCIA FEDERAL


O governador petista do Rio Grande do Sul, o peremptório Tarso Genro, anunciou na manhã desta segunda-feira a demissão do secretário estadual de Meio Ambiente Carlos Niedersberg, preso durante a madrugada na Operação Concutare, da Polícia Federal. Além de Niedersberg, o secretário municipal do Meio Ambiente de Porto Alegre, Luiz Fernando Záchia, e o ex-secretário estadual do Meio Ambiente, Berfran Rosado, também foram presos na Operação Concutare. O prefeito José Fortunati (PDT), que também já tinha sido avisado sobre o esquemão comandado pelo PMDB na área do lixo da capital gaúcha, demitiu o secretário de Meio Ambiente, Luiz Fernando Salvadori Zachia. O diretor geral do DMLU (Departamento Municipal de Limpeza Urbana), André Carus, era chefe de gabinete e secretário substituto de Zachia. Ele gerencia contratos no valor de um bilhão de reais. E todos os contratos de limpeza pública de Porto Alegre estão em situação de emergência, sem licitação. É uma total zorra, muito conveniente aos políticos e à empresa Revita (do grupo Solvi), que detem o principal contrato, o de coleta do lixo, além do contrato de destinação final do lixo (aterro de Minas do Leão).

Ex-ministro Rezek diz que PEC do PT é de um “surrealismo espantoso” e que “Gilmar Mendes não atravessou o sinal”


Quando a Constituição foi promulgada pelo Congresso, em 1988, Francisco Rezek ocupava uma das onze cadeiras do Supremo Tribunal Federal. Hoje, aos 69 anos, o jurista acompanha, espantado, a iniciativa de um grupo de parlamentares que trabalham para submeter ao Poder Legislativo decisões da Suprema Corte. Rezek vai além: disse que os defensores da proposta, admitida na quarta-feira pela Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, não leram ou não entenderam bem o que está escrito na Carta. E deram impulso a uma idéia de “surrealismo espantoso”, que só não é mais grave porque não tem a mínima chance de prosperar. Se tivessem lido a Constituição, diz o ex-juiz da Corte Internacional de Haia, os deputados saberiam que o sistema brasileiro, nesse particular, é inegociável. “O Congresso não tem a menor possibilidade jurídica de mudar a Constituição no sentido de modificar de algum modo a estrutura e a faixa de competência entre os poderes. Não poderia vingar proposta que alterasse o regime de coexistência entre os três poderes. Estão pretendendo se tornar, no lugar do Supremo, os guardiões, os controladores da vigência da Carta, mas uma Carta que provavelmente não leram. Porque, se tivessem lido, saberiam perfeitamente que o sistema nesse particular não pode ser mudado”, reage Rezek, que classifica como “picaresca” a proposta de submeter controvérsias entre Congresso e Supremo sobre emendas constitucionais à consulta popular. “Quando o Supremo entender inconstitucional determinada emenda que o Congresso tenha feito à Constituição, o próprio Congresso receberá de volta a emenda (para decidir se concorda com a decisão). É obvio que não concordará. E o povo será chamado às urnas para uma consulta plebicitária. O povo seria convidado a participar da queda de braço. A idéia é de um surrealismo espantoso. Em 1993, o povo que já foi chamado às urnas para decidir o modelo político, o tipo de convivência entre os poderes e quais são as competências do Poder Judiciário”. “A única coisa certa é um caldo de ressentimento muito intenso. Acho que está canalizando para a Justiça e para o Supremo um ressentimento acumulado ao longo de décadas da história do Brasil, cujo alvo era tradicionalmente o governo. Não é uma provocação matreira, que poderia ser apropriadamente qualificada como brincadeira. Foi um erro clamoroso, um disparate clamoroso. Os deputados estão se sentindo acuados pelo funcionamento normal das instituições e acharam essa maneira extremamente desastrada de reagir. O Congresso se sente, de algum modo, vexado pela ação dos outros poderes. Mas existem outras maneiras, muito mais convincentes, de agir”, afirma Rezek, acrescentando: “Eles não deveriam criar certos problemas dentro de suas próprias entranhas; proceder de modo mais seletivo no momento de fazer certas escolhas. Os congressistas sabem perfeitamente que caminhos deveriam ser tomados para se valorizar perante aos outros poderes e, sobretudo, resplandecer em relação à opinião pública". Se a proposta de limitar a força das decisões do Supremo provocou polêmica, o ministro Gilmar Mendes acrescentou novo ingrediente ao embate entre poderes ao conceder liminar que paralisou a tramitação de projeto de lei que inibe a criação de novos partidos. Rezek, no entanto, não acredita que Gilmar Mendes tenha agido em retaliação à medida aprovada no Congresso horas antes. Mas salientou que seria mais prudente submeter o assunto ao plenário da Suprema Corte: “Acredito que Gilmar Mendes não avançou o sinal. Talvez, em outro momento, em outra situação, fosse mais prudente levar isso ao conhecimento do plenário. Se houvesse a possibilidade de resolver essas coisas sempre em plenário, seria melhor. Os ministros do Supremo estão conscientes de que, neste momento, é preciso que a Corte não se torne vulnerável. Acho que a decisão deve ter sido muito bem fundamentada".

Erenice Guerra vira "consultora", seguindo os passos dos petistas Antonio Palocci e José Dirceu


Em meio a denúncias de tráfico de influência no governo, onde colocava a parentalha a extorquir empresas, Lula demitiu a chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, em setembro de 2010, temendo que o escândalo afetasse a candidatura Dilma. Pouco mais de dois anos e meio após ser demitida da Casa Civil, em meio a denúncias de tráfico de influência, a ex-ministra petista Erenice Guerra tem defendido interesses de grandes multinacionais que buscam conquistar negócios junto ao governo federal, inclusive em obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O escritório Guerra Advogados, do qual é sócia, está representando empresas do setor de energia. A petista Erenice Guerra era consultora jurídica do Ministério de Minas e Energia quando a presidente Dilma Rousseff era titular da pasta. Ex-braço-direito de Dilma, de quem foi secretária-executiva na Casa Civil no governo Lula, Erenice assumiu o comando da pasta quando a petista saiu para disputar a Presidência em 2010. A ex-ministra foi prestigiada pela antiga chefe mesmo após ser defenestrada do governo Lula. Erenice Guerra estava na ala dos convidados especiais do Palácio do Planalto na cerimônia de transmissão da faixa presidencial de Lula para Dilma. Também foi à festa da posse no Palácio do Itamaraty. Com experiência na administração pública e uma rede de contatos no governo federal, Erenice Guerra foi contratada, por meio de seu escritório, pela multinacional Isolux Corsán, com sede na Espanha. Ela atua, por exemplo, em processo administrativo na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para rever as condições da concessão de trecho de linhas de transmissão de Tucuruí, sob controle da empresa espanhola. A Isolux afirmou que contratou o Guerra Advogados e outros dois escritórios de advocacia de Brasília “com atuação administrativa junto à Aneel, para a discussão e o encontro de soluções em relação ao reequilíbrio econômico-financeiro do contrato de concessão de linhas de transmissão — Linhão de Tucuruí". Supostamente, porque a petista Erenice Guerra "conhece profundamente a área". Na França, está o controlador de outro megaempreendimento do setor elétrico com a participação de Erenice, segundo fontes credenciadas do setor. A ex-ministra atua na disputa de bilhões de reais entre as usinas de Jirau e Santo Antônio pela alteração do nível do Rio Madeira, duas obras do PAC. Ela, segundo essas fontes, presta consultoria para a Energia Sustentável do Brasil (ESBR), que administra Jirau. A ESBR, que é controlada em 60% de suas ações pela francesa GDF Suez, disse que não se pronuncia sobre o tema. Segundo políticos que atuam na área de energia, Erenice Guerra está intermediando a negociação para venda de ativos da Petrobras na Argentina. E trabalhando para o grupo argentino Indalo, que fez uma oferta de compra. Procurado, o grupo Indalo não se manifestou. Já a Petrobras disse, em um primeiro momento, que não comentaria o assunto. Duas horas e meia depois, informou desconhecer qualquer ligação de Erenice Guerra com o grupo Indalo e esse tema. Erenice não retornou as ligações da reportagem do jornal O Globo. Mas, nenhuma das empresas citadas negou relação com ela ou com o escritório dela quando procuradas. No meio político, chamou atenção a passagem de Erenice Guerra por Fortaleza, no início de abril, na mesma data em que a presidente Dilma cumpria agenda oficial na cidade. Mas não há informação de que as duas tenham se encontrado. A presidente passou poucas horas na cidade, em eventos públicos. Na ocasião, a ex-ministra teve uma audiência com o vice-governador do Ceará, Domingos Filho (PMDB). Segundo o vice-governador, Erenice Guerra pediu o encontro como consultora de uma empresa chamada Brasil Solar. Posteriormente, ao checar a sua agenda, a assessoria de Domingos Filho afirmou que, na verdade, a ex-ministra marcou audiência como consultora da Solar Technics, subsidiária do grupo GDF Suez, o mesmo da usina de Jirau. A empresa trabalha com instalação e financiamento de grandes sistemas industriais de produção de energia solar. "Ela queria saber da política energética do Estado. O Ceará é o único pólo no Brasil de produção de energia solar. Várias empresas nos procuram para conhecer o projeto", disse o vice-governador ao GLOBO. O governo do Ceará criou o Fundo de Incentivo à Energia Solar (Fies), para atrair investimentos nesse setor. A mulher de Domingos Filho, Patrícia Aguiar, é prefeita de Tauá, localizada em uma região que, segundo estudo, concentra a maior radiação solar do País. Em Tauá está localizado um projeto de produção de energia solar do empresário Eike Batista. Advogada, ex-funcionária pública com carreira na Eletronorte, de onde se desligou no auge do escândalo, Erenice Guerra tem atuado basicamente na área de energia, segundo informações obtidas nas duas últimas semanas com diferentes fontes do governo e da iniciativa privada. O nome de Erenice Guerra é citado em esquema de fraude do programa Minha Casa Minha Vida, do Ministério das Cidades, como O GLOBO informou no dia 14. Em ação judicial, Fernando Lopes Borges, ex-sócio da RCA, empresa no centro do caso, diz, sem apresentar provas, que o desvio de recursos teria começado com Erenice Guerra. Ela teria articulado a entrada de bancos privados na operação do programa habitacional em pequenos municípios. Segundo o denunciante, ela teria direito a R$ 200,00 por casa construída. Erenice é filiada ao PT desde 1981. Trabalhou no governo de Cristovam Buarque (na época no PT) no Distrito Federal e na assessoria da bancada do partido na Câmara, onde produzia pareceres técnicos na área de energia. No final de 2002, na equipe de transição, passou a atuar na área de infraestrutura, onde conheceu Dilma.

Morre Saulo Ramos, ex-ministro da Justiça do governo Sarney

Saulo Ramos

Morreu neste domingo, aos 83 anos, o jurista Saulo Ramos. Ele foi consultor geral da República e ministro da Justiça no governo José Sarney (1985-1990). Saulo Ramos estava com problemas cardíacos e fazia hemodiálise regularmente. O enterro será realizado nesta segunda-feira, em Brodowski, interior de São Paulo. José Saulo Pereira Ramos nasceu em Brodowski em 8 de junho de 1929. Além de jurista, foi escritor e professor na Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU). No governo de José Sarney foi consultor geral da República e ministro da Justiça. Era membro da Academia Ribeirão-pretana de Letras e fundou a Academia Santista de Letras. Em 2007, lançou o livro de memórias “O código da vida”, que conta sua trajetória de vida e fatos que marcaram a história do País a partir de um caso judicial.

Adilson Troca vence Nelson Marchezan Jr. e assume a presidência do PSDB no Rio Grande do Sul


O deputado estadual Adilson Troca é o novo presidente do PSDB gaúcho. A chapa encabeçada pelo parlamentar rio-grandino obteve 52% dos 435 votos, vencendo o grupo liderado pelo deputado federal Nelson Marchezan Jr., que buscava a reeleição. Para Adilson Troca, apesar de sua vitória apertada, a legenda saiu unida da disputa: "Ano que vem teremos uma eleição difícil pela frente, por isso, queremos estar com o partido forte. A gente ganhou com essa proposta , do PSDB Convergente, e agora precisamos colocá-la em prática". Nos discursos, líderes tucanos, como o ex-prefeito de Uruguaiana, Sanchotene Felice, defenderam candidatura própria ao governo do Estado do Rio Grande do Sul.

MORRE O ZÓOLOGO E COMPOSITOR PAULO VANZOLINI, AUTOR DE RONDA

Paulo Vanzolini

O compositor e zoólogo Paulo Vanzolini, de 89 anos, foi internado com pneumonia extensa na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Israelita Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, neste domingo, e não resistiu, vindo a morrer. Autor de composições clássicas, como “Volta por cima” e “Ronda”, Vanzolini teve canções interpretadas por grandes nomes da MPB, como Miúcha, Chico Buarque, Paulinho da Viola, Martinho da Vila, João Gilberto e Inezita Barroso. O autor também teve carreira acadêmica renomada. Foi diretor do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo (USP), onde trabalhou por mais de 40 anos. Em 2008, doou o acervo de sua biblioteca, com mais de 25 mil itens, incluindo obras raras, periódicos e mapas, ao museu. Segundo o governo de São Paulo, o valor do acervo é estimado em US$ 300 mil. A vida dupla de compositor e cientista de Vanzolini foi tema de documentário "Um homem de moral", de 2009. A obra do cineasta Ricardo Dias registra os preparativos para um show realizado em 2003 no Sesc Vila Mariana.
Ronda
Paulo Vanzolini
De noite eu rondo a cidade
A te procurar sem encontrar
No meio de olhares espio em todos os bares
Você não está
Volto pra casa abatida
Desencantada da vida
O sonho alegria me dá
Nele você está
Ah, se eu tivesse quem bem me quisesse
Esse alguém me diria
Desiste, esta busca é inútil
Eu não desistia
Porém, com perfeita paciência
Volto a te buscar
Hei de encontrar
Bebendo com outras mulheres
Rolando um dadinho
Jogando bilhar
E neste dia então
Vai dar na primeira edição
Cena de sangue num bar
Da avenida São João

Aécio Neves estuda chapa puro-sangue com Aloysio Ferreira Nunes na vice


O senador Aécio Neves (PSDB-MG) confidenciou a aliados mais próximos no partido que trabalhará para compor uma chapa puro-sangue, com um tucano de São Paulo na vice, caso sua candidatura à Presidência seja confirmada pelo partido. Em São Paulo ele é conhecido por "Traécio", por ter traído as três campanha presidenciais do PSDB (duas vezes de José Serra e uma de Geraldo Alckmin; por isso agora ele faz os acenos aos tucanos paulistas, e especialmente a José Serra, fazendo circular seu interesse em um vice que é serrista). O nome citado até o momento é o do senador Aloysio Nunes Ferreira, político próximo ao ex-governador José Serra. Aécio Neves costura esse plano nos bastidores para amarrar o PSDB de São Paulo à sua candidatura. Aécio Neves tem dito que a dobradinha com Aloysio Ferreira Nunes pode arrebatar eleitores de Minas Gerais e de São Paulo, os dois maiores colégios eleitorais do País. Em São Paulo, são 31,3 milhões de eleitores. Em Minas, mais 15 milhões. Com isso, Aécio Neves e seus aliados acreditam que podem atenuar o possível predomínio histórico do PT no Nordeste. "Traécio" Neves tem um péssimo hábito de político: fazer política com matemática, como se isso fosse a mesma coisa.

Gramado do Estádio de Brasília começa a ser plantado


Começou na noite do último sábado a instalação do gramado do Estádio Nacional de Brasília, um dos dois estádios que ainda precisam ser finalizados para a Copa das Confederações deste ano. Os primeiros rolos de grama chegaram durante o dia e começaram a ser plantados, depois que drenagem já estava pronta, o solo compactado e a irrigação finalizada. Segundo a diretora de Obras Especiais da Novacap (Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil), Maruska Lima, após a conclusão da instalação começa a fase de manutenção. "É uma fase de cultivo, semeio e corte para que, no jogo do dia 18 de maio, esteja perfeita e em condições de utilização", comentou, citando a data prevista para reabertura do estádio. Além da arena de Brasília, ainda precisa ser finalizada a Arena Pernambuco, em Recife. Das seis sedes que serão utilizadas na competição, quatro já foram entregues: o Castelão, em Fortaleza; o Mineirão, em Belo Horizonte; a Fonte Nova, em Salvador, e o Maracanã, no Rio de Janeiro, reinaugurado no último sábado.

Carlinhos Cachoeira é detido ao recusar teste do bafômetro


Fora do noticiário desde o final do ano passado, quando teve destaque por conta do casamento com a empresária Andressa Mendonça, o contraventor Carlinhos Cachoeira voltou aos holofotes neste domingo. O bicheiro foi detido durante a madrugada ao se recusar a fazer o teste do bafômetro. Ele foi parado pela Polícia Rodoviária Federal em Anápolis, Goiás, durante blitz da Lei Seca. Cachoeira foi encaminhado para o 6º Distrito Policial, onde pagou fiança e foi liberado. Sua carteira de motorista foi apreendida. O assunto repercutiu nas redes sociais, em razão do valor que o contraventor teria pago como fiança, de R$ 22 mil, ou um quarto do valor do carro que dirigia.