domingo, 16 de junho de 2013

MARQUETEIRO LULISTA MALUFISTA E GALISTA DUDA MENDONÇA DIZ QUE DILMA CORRE O RISCO DE ENFRENTAR O SEGUNDO TURNO

Depois de um longo período sem se manifestar sobre marketing político, o marqueteito lulo-malufista galista Duda Mendonça voltou a falar. Absolvido no processo do Mensalão do PT e com seus bens liberados pela Justiça, ele abriu o verbo. Para Duda Mendonça, a presidente Dilma Rousseff é a favorita para se reeleger no ano que vem. Mas, e se houver segundo turno? Então ele diz: "Eu acho um risco para a Dilma". Ele explica: "Para quem está hoje com 70% de popularidade, não faz sentido não ganhar no primeiro turno. Significa que tem alguma coisa que está mexendo aí".

AMB ENTRA COM AÇÃO CONTRA O MINISTRO PETISTA ALEXANDRE PADILHA

A Associação Médica Brasileira (AMB) acusa o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, de não ter usado R$ 17 bilhões que estavam disponíveis no orçamento da pasta entre 2011 e 2012. A entidade entrou com uma ação de improbidade para apurar o caso. “Nós todos reclamamos, inclusive o ministro, que a saúde pública brasileira precisa de mais recursos. Então, a gente quer saber por que ele não utilizou nem o recurso que tinha disponível”, argumentou o presidente da AMB, Florentino Cardoso. Segundo ele, a denúncia foi feita pelo Tribunal de Contas da União, em exposição na Câmara dos Deputados. O ministério não teria usado cerca de 18% dos R$ 93 bilhões que tinha à disposição.

JUSTIÇA ABRE AÇÃO PENAL CONTRA AUDITOR

A Justiça Federal abriu uma ação penal contra o auditor fiscal Aramis da Graça Pereira de Moraes, apontado como "líder de associação criminosa" que se infiltrou no Sistema Importa Fácil, da Empresa Brasileira dos Correios e Telégrafos (ECT), em São Paulo, para praticar contrabando de mercadorias procedentes da China, Hong Kong e Cingapura, sem recolhimento de tributos. Entre março de 2009 e janeiro de 2011, quando foi deflagrada a Operação Máscara de Ferro, missão em parceira da Polícia Federal e da Corregedoria da Receita, o esquema supostamente liderado por Pereira de Moraes internou ilegalmente no País 250 toneladas de produtos no valor de R$ 100 milhões. O auditor tem quase 35 anos de carreira. Seu nome foi citado no escândalo de corrupção na Alfândega do Aeroporto Internacional de Guarulhos, em Cumbica, em 1995. Naquela ocasião, ele não foi incriminado.

PARTIDO DE MARINA SILVA ALCANÇA 550 MIL ASSINATURAS PARA REQUERER REGISTRO

O partido que a ex-senadora Marina Silva pretende fundar, a Rede Sustentabilidade, alcançou a marca de 550 mil assinaturas e vai aproveitar agendas públicas, como os jogos da Copa das Confederações, para alcançar 800 mil apoiadores. A próxima fase da coleta é, segundo ela, conquistar mais 250 mil assinaturas para suprir uma perda de 25% a 30% de fichas preenchidas com algum tipo de erro ou letra ilegível. "Queremos ter segurança total. Vamos chegar a 800 mil para evitar qualquer problema de falta de assinaturas em função da perda de 30%. Vamos continuar mobilizados. Toda a militância está a pleno vapor", disse ela. São necessárias, conforme Marina, 490 mil assinaturas para a criação do partido e registro da sigla junto ao Tribunal Superior Eleitoral, mas o objetivo da Rede Sustentabilidade é chegar à marca de 800 mil até 7 de julho. "Ainda temos muitas assinaturas para cadastrar. Temos cerca de 200 mil assinaturas que ainda não foram cadastradas", observou Marina Silva. A Rede Sustentabilidade encerra a coleta de assinaturas em 7 de julho próximo para que possa iniciar no dia 1º de agosto os processos de registro da sigla perante a Justiça Eleitoral. O número de assinaturas certificadas, segundo integrantes do partido, deve ser fechado nos próximos dias. O Estado de maior concentração da coleta de assinaturas foi, até o momento, São Paulo, seguido por Rio de Janeiro e Minas Gerais. Rio Grande do Sul, Maranhão e Distrito Federal vêm em seguida.

PETISTA CORRUPTO E QUADRILHEIRO JOSÉ GENOÍNO CRITICA EM IBIÚNA REPRESSÃO CONTRA MANIFESTAÇÕES PELA TARIFA DE ÔNIBUS

O deputado federal José Genoino (PT-S), um dos condenados no processo do Mensalão do PT, como corrupto e quadrilheiro, criticou no sábado, em Ibiúna, a repressão da Polícia Militar de São Paulo aos protestos dos estudantes contra o aumento nas tarifas de ônibus e metrô que resultaram em depredações e vandalismo em São Paulo. "As manifestações sociais são legítimas e a democracia tem de conviver com as manifestações. O caminho não é a repressão, mas o respeito e o diálogo", disse ele. O PT está insuflando essas manifestações em São Paulo. O corrupto e quadrilheiro José Genoino participou do 11º Congresso da União dos Estudantes do Estado de São Paulo (UEE-SP), que prestou homenagem aos estudantes presos na cidade em 1968.Um deles foi o também corrupto e quadrilheiro petista José Dirceu, também condenado no processo do Mensalão do PT. O corrupto e quadrilheiro José Dirceu seria um dos homenageados, mas não compareceu. O quadrilheiro e corrupto José  Dirceu era presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE) em 1968, quando militava na organização comunista clandestina POC (Partido Operário Comunista)  e foi preso durante o Congresso da UNE realizado "clandestinamente" entre 14 e 16 de julho daquele ano, em um sítio, em Ibiúna. Na ocasião, entre 600 e 700 estudantes foram detidos. O ex-ministro da Comunicação do governo Lula, o também comunista Franklin Martins, iugalmente estava no evento e lembrou ter se tornado amigo de José Dirceu no período da militância estudantil.

MARINA SILVA DIZ ESTAR FOCADA NA CRIAÇÃO DO SEU PARTIDO E NÃO EM ELEIÇÕES

A ex-senadora Marina Silva disse no sábado que tem insistido em não se deixar "sequestrar pela antecipação das eleições". "Estou na agenda da minha militância. Isso não é difícil. Estou focada na coleta das assinaturas da Rede Sustentabilidade e da minha militância socioambiental", respondeu, ao ser questionada sobre as recentes pesquisas de intenção de voto. Segundo Marina Silva, os resultados apontados pelo Datafolha e na pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT), têm de ser vistos como o trabalho dos institutos que estão registrando momentos da conjuntura política no seu exercício de fazer essa aferição. Sobre a possibilidade de o fato de sua ausência em eventos por motivos de saúde, como nas comemorações do dia do meio ambiente, semana em que estava gripada, ter influenciado nas pesquisas de intenção de voto, ela não vê relação. "Estava doente na semana do meio ambiente. Agora, meio ambiente para mim é, há 30 anos, de manhã, tarde e noite. Ficar com gripe na semana do meio ambiente não vai fazer diferença alguma nas pesquisas", avaliou. No último levantamento sobre a preferência de voto dos eleitores para o ano que vem, o Datafolha apurou que 51% votariam em Dilma, 16% em Marina Silva, 14% em Aécio Neves e 6% no governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

LUIZ FELIPE ESCULHAMBA O GRAMADO DO ESTÁDIO NACIONAL MANÉ GARRINCHA

O técnico Luiz Felipe Scolari, da seleção brasileira, criticou o gramado do estádio Mané Garrincha, que custou R$ 1,2 bilhão, ao elogiar as instalações do Corpo de Bombeiros de Brasília após a vitória por 3 a 0 sobre o Japão, na estreia da Copa das Confederações, no sábado. "Gostaria de dizer que as instalações do Corpo de Bombeiros são maravilhosas. Qualquer seleção que quiser utilizar, ficará muito bem acomodada. Não sei se o campo dos Bombeiros não estava melhor do que o do Mané Garrincha", disse em entrevista coletiva. O treinador também aprovou o comportamento da torcida na capital federal e espera a mesma reação dos torcedores de Fortaleza, diante do México, na próxima quarta-feira, às 16 horas. "Podem falar que sou patriota ou demagogo, não ligo. O que me importa é que, quando a torcida canta o hino como fez hoje, o adversário fica com medo. Eu tenho certeza que teremos uma recepção maravilhosa em Fortaleza", afirmou. Felipão mostrou preocupação com o México, mas ressaltou a vitória contra o Japão. "É uma pedra no nosso sapato que precisamos tirar logo. Temos problemas com eles nos últimos dez anos. O bom é que a vitória de hoje nos dá a tranquilidade, pois, se perdemos o próximo jogo, ainda poderemos disputar a vaga", analisou.

AIATOLÁ HASAN ROWHANI VENCE AS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS NO IRÃ

O clérigo (aiatolá) centrista Hasan Rowhani venceu em primeiro turno a eleição presidencial iraniana. Rowhani, único candidato moderado entre os seis que disputaram o pleito (os outros aprovados pelo Conselho de Guardiães iraniano são todos conservadores), obteve mais de 50% dos votos. Segundo o ministro iraniano do Interior, Mostafa Mohammad-Najjar, que anunciou o resultado, o comparecimento à eleição foi alto: 72% dos mais de 50 milhões de eleitores com direito a voto. Ao longo da campanha, Rowhani disse que, se eleito, usaria sua experiência como negociador nuclear chefe do Irã até 2005 para desemperrar o dossiê atômico e romper o isolamento econômico que dificulta a vida da população. Conjugando promessas de melhoria econômica e maiores liberdades individuais, inclusive para mulheres, Rowhani arrancou o apoio dos principais líderes da oposição, inclusive reformistas. Seus simpatizantes em todos os meios, de religiosos a seculares de classe média, são tidos como os principais responsáveis pelo elevado comparecimento às urnas. Há relatos de que Rowhani, apesar de pregar uma agenda relativamente liberal, conquistou o maior número de votos na cidade de Qom, epicentro teológico do islã xiita praticado no Irã. A apuração dava como segundo colocado o conservador prefeito de Teerã, Mohamad Qalibaf, com 15%. Dois outros conservadores dividiam o terceiro lugar: o negociador nuclear Said Jalili, e Mohsen Rezaee, ex-chefe da Guarda Revolucionária, força de elite do regime ditatorial religioso.

GOVERNO DO PEREMPTÓRIO PETISTA TARSO GENRO REPRIME GREVISTAS DA PGE

A Procuradoria-Geral do Estado, um órgão que se constitui em bastião do petismo no aparelho de Estado gaúcho, é alvo de uma repressão aguda do peremptório governador petista, Tarso Genro, contra os funcionários que não são privilegiados procuradores. Em reunião da categoria na sexta-feira, os funcionários resolveram prosseguir em greve, esperando por um reajuste salarial. Mas, o peremptório petista Tarso Genro mandou seus diletos procuradores petistas ingressarem com uma medida judicial com objetivo de declarar ilegal a greve. E conseguiu liminar. Aí, o peremptório deu ordem para que seus diletos procuradores petistas apliquem o desconto aos dias não trabalhados pelos grevistas. Ou seja, os caras não têm reajuste, e ainda vão perder parte do salário. Muitos deles votaram no PT, talvez agora aprendam.

MERCEDES BENZ CONFIRMA QUE NOVA FÁBRICA NO BRASIL PODERÁ SAIR EM SANTA CATARINA

O alemão Philipp Schiemmer, novo presidente da Mercedes Benz no Brasil. Ele informa na entrevista que a montadora decidiu implantar uma nova fábrica no Brasil, mas que ainda não escolheu o Estado onde fará isto. Estão na lista São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Santa Catarina. O governador de Santa Catarina esteve no mês passado na Alemanha, já recebeu os dirigentes da Mercedes Benz do Brasil e aos seus conterrâneos disse que a fábrica ficará em Joinville. Ali perto, Araquari, será instalada a fábrica da BMW. Em Joinville opera desde o ano passado a nova fábrica de motores da General Motors, a região é um potente pólo-metal mecânico e forma um eixo com São José dos Pinhais, Paraná, duas horas adiante, que se comunica com São Bernardo do Campo, cinco horas além. O Rio Grande do Sul, governado pelo PT, está novamente fora do jogo, como já aconteceu no governo do petista Olívio Dutra, o Exterminador do Futuro, que escorraçou a Ford do Estado.

IMOBILIZADA COM PAPAI NO PALÁCIO PIRATINI, LUCIANA GENRO GRIA ONG QUE PARTICIPA DA LIDERANÇAS DOS PROTESTOS TERRORISTAS EM SÃO PAULO

Impedida de concorrer a qualquer cargo eletivo no Rio Grande do Sul, enquanto seu pai, o peremptório petista Tarso Genro foi governador, a dileta filha Luciana Genro transferiu parte de sua base de atuação para São Paulo. Parece que, agora, ela pretende concorrer à Presidência do Brasil no próximo ano, pelo PSOL. É engraçado, porque esse sempre foi o sonho acalentado pelo garoto de ouro Tarso Genro. O jornalista Reinaldo Azevedo foi pesquisar e, como diz ele, "as coisas vão ficando cada vez mais divertidas": "Nos distúrbios de rua, especialmente em São Paulo, a gente nota a presença ostensiva de bandeiras amarelas. Examinem o documento ao lado. Há ali a assinatura de um “movimento”, que tem página na Internet: chama-se “Juntos”. O endereço é juntos.org.br. Mais uma vez, fui fazer a divertida brincadeira de saber quem é o dono do registro. Tchan, tcha, tcham! Sim, trata-se de Luciana Genro, militante do PSOL, filha do governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro (PT). Ela anda um tanto afastada da política por razões de saúde, mas o vereador Pedro Ruas, de Porto Alegre, dá toda força à turma e a substitui com sobras. O “Juntos” é uma espécie de movimento social do PSOL. No “Quem somos”, eles se revelam (em vermelho). O programa do braço social do PSOL avisa: “Juntos! é um movimento nacional de juventude. Surgiu no início de 2011 em São Paulo e vem conquistando a simpatia de jovens de todo o Brasil". Reinaldo Azevedo revela que "basta que tenha uma causa, qualquer uma, e que se indigne com alguma coisa. Boa parte dos “revolucionários” modernos, estes que promovem a baderna em várias cidades brasileiras, com destaque para São Paulo e Rio de Janeiro, não têm mais, a exemplo de seus congêneres do passado, Karl Marx como referência. As bandeiras amarelas são do PSOL. Então está resolvido, PSOL, PSTU e ongs com patrocínio de governos petistas promovem as badernas nas ruas das principais cidades do País, com um objetivo claro, facilitar a campanha presidencial petista.

DILMA LEVA TRÊS SONORAS VAIAS NO ESTÁDIO MANE GARRINCHA, NA ABERTURA DA COPA DAS CONFEDERAÇÕES

Joseph Blatter, presidente da Fifa, discursou na abertura da Copa das Confederações, no estádio Mané Garricha, em Brasília, no jogo de estréia é Brasil contra o Japão. Estava ao lado de Dilma Rousseff. Tão logo citou o nome da presidente, explodiu uma sonora vaia no estádio. As autoridades brasileiras, definitivamente, se arriscam em situações assim. Lula, que é Lula — transformado no demiurgo nacional —, foi vaiado em pleno Maracanã, na abertura dos Jogos Pan-Americanos de 2007. Dilma, diga-se, já tinha sido vaiada quando teve o nome anunciado pelo sistema de som e voltou a ouvir a manifestação de descontentamento quando ela própria falou. Os petistas podem tentar citar Nelson Rodrigues — “Brasileiro vaia até minuto de silêncio” — ou podem achar que está em curso algum desconforto com o governo. E olhem que o jogo se dá em Brasília, não é?, que tem a renda per capita mais alta do País. A vaia quer dizer alguma coisa e aponta para 2014? Não dá para saber. As pesquisas indicam que a popularidade da presidente é alta, mas está em queda. Lula, como lembrei, foi vaiado em 2007 e, como se sabe, elegeu sua sucessora. Vamos ver. (Reinaldo Azevedo)

PROTESTO PACÍFICO NO DISTRITO FEDERAL É REPRIMIDO COM BOMBAS DE GÁS, SPRAY DE PIMENTA E BALAS DE BORRACHA. CADÊ JOSÉ EDUARDO CARDOZO? OU REPRESSÃO PROMOVIDA POR PETISTA É POESIA DE RESISTÊNCIA?

Um grupo de 500 pessoas decidiu organizar um protesto — ATENÇÃO, PACÍFICO!!! — em frente ao estádio Mané Garrincha, em Brasília, que abriga o jogo de abertura da Copa das Confederações. A Polícia do Distrito Federal, governado pelo petista Agnelo Queiroz, desceu o sarrafo: cassetete, bombas de gás lacrimogênio, balas de borracha, spray de pimenta e 25 pessoas presas. Regra de três simples: se 500 rendem 25 presos, quantos teriam sido se houvesse 5 mil, como em São Paulo? Resposta: 250! Ou por outra: a PM do Distrito Federal prendeu mais gente, proporcionalmente, do que a de São Paulo no protesto de quinta, quando 230 foram detidos. Diferença fundamental: o protesto de Brasília era realmente pacífico. Os manifestantes não portavam lança-chamas, paus, pedras, nada disso. Só palavra. Foram duramente reprimidos. Um dele foi atropelado por uma motocicleta da polícia e preso em seguida. José Eduardo Cardozo, cadê você? Estão começando a pipocar País afora manifestações contra o uso de dinheiro público na Copa do Mundo. O mote é mais ou menos este: “Da Copa eu abro mão, quero dinheiro para saúde e educação”. Essa relação não é assim tão direta, mas é um jeito de ver o mundo. Seria esse protesto uma variante de um mesmo e difuso mal-estar, que incluiria em seu repertório o protesto contra a elevação das tarifas de ônibus? Tenho dificuldades de lidar com esferas de sensações a conduzir a história. Parece-me que são protestos com origens distintas e, fica evidente, com formas igualmente distintas de expressão. A Avenida Paulista abrigou manifestação com conteúdo idêntico: pacífica e serena. Ninguém portava armas ou buscava confronto com a polícia. Muito bem! Movimentos organizados, que usam com destreza as redes sociais, se encarregaram de transformar os episódios de São Paulo num caso de lesa democracia, como se não coubesse à polícia reprimir quem vai para as ruas para o tudo ou nada. A repercussão cresceu exponencialmente quando a militância petista entrou na parada, como se o protesto, originalmente, não tivesse como alvo, principalmente, a política de transportes do prefeito Fernando Haddad, que é do partido. Os episódios do Distrito Federal — e também há pessoas feridas com balas de borracha —certamente terão repercussão bem menor. O petismo se encarregará de tentar abafá-los nas redes sociais, embora, reitero, as ações sejam incomparáveis. Até agora, os que protestam contra o uso de recursos públicos na Copa do Mundo não apelaram à linguagem da violência. E espero que não o façam.

USO DA FORÇA EM PROTESTOS DE RUA NÃO É ILEGÍTIMO, NEM AUTORITÁRIO

Na manhã de sexta-feira, o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Fernando Grella Vieira, autorizou o início de uma investigação para averiguar se houve excessos da PM durante a última passeata do Movimento Passe Livre na capital do Estado. É provável que a investigação da Corregedoria da Polícia Militar traga à tona erros cometidos na operação para conter e dispersar os manifestantes. Na internet espalham-se imagens de pessoas que alegam ter sido agredidas de maneira arbitrária. Notoriamente, há déficits no treinamento dos policiais brasileiros. Uma análise, ainda que não muito profunda, dos confrontos de quinta-feira, mostra que não foram seguidas à risca diversas recomendações do Código de Conduta para Agentes de Segurança Pública das Nações Unidas, uma espécie de código internacional para ações policiais durante manifestações públicas. Isso não significa, no entanto, que tenha sido ilegítima a ação da Polícia Militar na marcha de São Paulo. É uma questão de princípios. “No Estado de Direito, a Polícia tem autorização para usar a força a fim de garantir a ordem e a segurança”, diz Maria Stela Grossi Porto, socióloga e membro do Núcleo de Estudos sobre Violência e Segurança da Universidade de Brasília: “Mais ainda, o uso da força é monopólio dela". A tentativa de fazer da ação da Polícia Militar um exemplo de autoritarismo comparável à repressão dos tempos de regime militar no Brasil, ou à ação das polícias de regimes ditatoriais, é um evidente absurdo, uma vez que o País não vive um regime de exceção. Mais razoáveis seriam comparações com embates ocorridos nos Estados Unidos e na Europa, ou seja, em nações democráticas, em anos recentes. Londres, Madri, Nova York, Toronto são apenas algumas das metrópoles que foram palco de choques entre a polícia e ativistas inspirados por ideais não muito diferentes daqueles abraçados por quem protesta em São Paulo – a rejeição ao “sistema”, em algum de seus aspectos particulares ou de maneira genérica. Em novembro de 2011, por exemplo, durante a desmonte dos acampamentos de manifestantes do Ocupe Wall Street, em Nova York, ao menos 300 pessoas foram presas. Houve uma larga discussão sobre “uso abusivo da força” e dois oficiais se tornaram emblemas desse hipotético excesso, pelo uso indiscriminado de spray de pimenta. Eles foram submetidos a sindicâncias e punições, mas nenhum deles sofrerá uma ação criminal, como foi decidido em meados de abril deste ano. Em reportagem sobre o caso, o jornal The New York Times ouviu um especialista em direito penal que ressaltou a dificuldade em se processar policiais envolvidos em situações “caóticas” como a de uma manifestação de rua. “Seria preciso provar, para além de qualquer dúvida razoável, que o polícial usou a força em total desacordo com as suas atribuições”, disse o ex-promotor Thomas J. Curran: “Ocorre que o uso da força é parte das suas atribuições.” Quando posta em movimento, nenhuma polícia é angelical. “É muito tênue o limite do que é legítimo e do que não é em situações de multidão”, diz Maria Stela Grossi Porto: “Os casos precisam ser sempre analisados individualmente". Os possíveis exageros e erros da quinta-feira não devem, portanto, colocar em xeque o direito e o dever policial de zelar pela ordem durante uma passeata. A sua presença é a única maneira de garantir a segurança dos transeuntes, do patrimônio público e, em certas circunstâncias, até mesmo dos manifestantes — uma vez que as marchas costumam reunir um público heterogêneo, como sem dúvida foi o caso nos últimos dias em São Paulo. Isso não está em contradição com a necessidade – também ela permanente – de aprimorar e “civilizar” as forças policiais. Num ato de rua, ditam os protocolos, a polícia deve seguir três passos: esclarecimento, contenção e repressão. Num primeiro momento, há que se coletar informações sobre o movimento e negociar locais e itinerários com os manifestantes. Isso foi feito na quinta-feira em São Paulo, e um dos motivos da situação ter fugido ao controle foi a tentativa de alguns líderes da passeata de mudar o trajeto combinado e furar ou contornar o bloqueio policial. A fase de contenção é preparada para quando a manifestação pode evoluir a um tumulto. Nessa situação, a tropa de choque se posiciona de maneira ostensiva para tentar dissuadir os manifestantes. Entre esse momento e os primeiros atos de repressão, uma série de medidas dissuasórias deve ser empregada. Segundo José Inácio Cano, do Laboratório de Análise de Violência da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), reclamações sobre o uso abusivo da força policial durante manifestações são comuns no mundo todo. “É importante que fique claro apenas uma questão: a primeira abordagem policial tem de ser sempre pacífica, a tentativa de ganhar os manifestantes pela conversa, pela negociação.” Um histórico de manifestações anteriores não deve justificar ações açodadas. “A polícia não pode dar início a uma ação repressiva com base em algo anterior. Assim como tem o direito de usar a força, o policial é profissional e deve ser treinado para não agir no impulso". “O policial precisa ser mais bem treinado, precisa de educação continuada e de socialização. Infelizmente, isso ainda não atinge aquele policial que está na linha de frente”, diz Maria Stela. Uma medida relativamente simples de aprimoramento, testada em outros países e ainda de maneira incipiente no Brasil, é a criação de relatórios diários. Em linhas gerais, isso significa que o policial, após um dia de trabalho, deve relatar por escrito o que aconteceu e como atuou em cada ocorrência: “Esse é um caminho eficiente, usado em países estrangeiros, para que o policial reflita sobre seus atos e tenha um retorno sobre se agiu, ou não, corretamente".

POLICIA MILITAR DE PERNAMBUCO PRENDE QUATRO AGENTES DA ABIN QUE ESPIONAVAM O GOVERNADOR EDUARDO CAMPOS

A VEJA desta semana traz uma reportagem do balacobaco, de autoria de Hugo Marques e Rodrigo Rangel. A Polícia Militar de Pernambuco prendeu quatro agentes da Abin que atuavam disfarçadamente no Porto de Suape, em Pernambuco, com o objetivo de espionar as ações do governador do Estado, Eduardo Campos (PSB), pré-candidato à Presidência da República. Atenção! Não há nada de errado em haver agentes do serviço de Inteligência acompanhando movimentos sociais que potencialmente perigosos para a segurança pública ou do estado. As melhores democracias do mundo fazem isso. Ocorre que não é esse o caso. Leiam trecho da reportagem: "É colossal o esforço do governo para impedir que decolem as candidaturas presidenciais do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), e da ex-senadora Marina Silva (sem partido). Nos últimos meses, a presidente Dilma Rousseff reacomodou no ministério caciques partidários que ela havia demitido após denúncias de corrupção, loteou cargos de peso entre legendas desgarradas da base aliada e pressionou governadores do próprio PSB a minar os planos de Campos. Sob a orientação do ex-presidente Lula, Dilma trabalha para montar a maior coligação eleitoral da historia e, assim, impedir que eventuais rivais tenham com quem se aliar. A maior parte dessa estratégia é posta em pratica a luz do dia, como a volta dos “faxinados” PR e PDT a Esplanada, mas ha também uma face clandestina na ofensiva governista, com direito a espionagem perpetrada por agentes do estado. Um dos alvos dessa ação foi justamente Eduardo Campos, considerado pelo PT um estorvo à reeleição de Dilma pela capacidade de dividir com ela os votos dos eleitores do Nordeste, região que foi fundamental para assegurar a vitória da presidente em 2010. 0 Porto de Suape, no Recife, carro- chefe do processo de industrialização de Pernambuco, serviu de arena para o até agora mais arrojado movimento envolvendo essa disputa pré-eleitoral. No dia 11 de abril, a Policia Militar deteve quatro espiões da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) que fingiam trabalhar no local, mas há semanas se dedicavam a colher informações que pudessem ser usadas contra Campos. A Secretaria de Segurança Pública estadual já monitorava os agentes travestidos de portuários fazia algum tempo. Disfarçados, eles estavam no estacionamento do porto quando foram abordados por seguranças. Apresentaram documentos de identidade e se disseram operários. Acionada logo depois, a Polícia Militar entrou em cena. Diante dos policiais, os espiões admitiram que eram agentes da Abin, que estavam cumprindo uma missão sigilosa e pediram que não fossem feitos registros oficiais da detenção. 0 incidente foi documentado em um relatório de uma página, numa folha de papel sem timbre, arquivada no Gabinete Militar do governador. Contrariado com a espionagem, Eduardo Campos ligou para o chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, general Jose Elito Siqueira, a quem o serviço secreto do governo está subordinado. Em uma reunião com aliados do PPS, o governador contou que o general garantiu que não houve espionagem de cunho político, ou de viés eleitoral, mas apenas um trabalho rotineiro. “Nos fazemos apenas monitoramento de cenários para a presidenta”. ponderou o chefe do GSI. Apesar da gravidade do incidente, o caso foi dado como encerrado pelos dois lados. Poucas pessoas souberam da história. A elas, Campos explicou que não queria tornar público o episódio para não “atritar” ainda mais a relação com o Palácio do Planalto nem causar um rompimento entre as partes. Mas houve desdobramentos. “Tive de prender quatro agentes da Abin que estavam me monitorando”. Revelou Eduardo Campos. E ainda desabafou: “Isso é coisa de quem não gosta de democracia, de um governo policialesco”. Pediu aos aliados que o assunto fosse mantido em segredo. “Não tenho nada a dizer sobre isso”, desculpou-se na semana passada o deputado Roberto Freire, presidente da legenda, que estava presente a reunião. Os agentes detidos no Porto de Suape trabalham na superintendência da Abin em Pernambuco. São eles: Mario Ricardo Dias de Santana, Nilton de Oliveira Cunha Junior, Renato Carvalho Raposo de Melo e Edmilson Monteiro da Silva. No dia da detenção, usavam um Palio (JCG-1781) e um Peugeot (KHI-1941). A placa do Pálio é fria, não existe. Já a do Peugeot é registrada em nome da própria Abin. Na semana passada, o agente sênior Mario Santana se aposentou. Nilton Junior e Renato de Melo davam expediente normalmente na superintendência. Já Edmilson Silva, na quinta-feira, estava escalado para o plantão noturno. Nada mais natural. Edmilson Silva tem uma dupla jornada de trabalho. Além de espião, é vereador, eleito pelo PV, no município de Jaboatão dos Guararapes. Vive, portanto, urna situação curiosa. Durante o dia, como vereador, é um defensor das liberdades. Às escuras, como araponga, une-se aos colegas de repartição para violá-las. “Fui ao Porto de Suape algumas vezes apenas para visitar amigos”, disse a VEJA o agente-vereador".

PETROBRAS TEM COMBUSTÍVEL PARA APENAS 11 DIAS

A Petrobras tem pelo menos 11 dias para resolver a pendência que a impede de importar combustíveis sem que seus estoques sejam reduzidos, considerando o prazo de entrega das últimas ordens de compras de gasolina realizadas pela companhia ainda num contexto de situação fiscal regular. A estatal costuma realizar diariamente várias operações de compra de petróleo e derivados, com prazo para recebê-los de cerca de 15 dias. Este é o prazo entre uma ordem de compra, passando pelo tempo de navegação e a chegada dos combustíveis aos portos. A Petrobras continuará recebendo normalmente o combustível que foi encomendado até o dia 10 de junho. Nesta data, a Justiça revogou liminar que lhe garantia a Certidão Negativa de Débito mesmo diante de um impasse tributário com a Fazenda. A Petrobras trava uma disputa judicial com a União sobre uma dívida de mais de 7,3 bilhões de reais, desde o início do ano passado. Com base nas cargas compradas antes do cancelamento da certidão, a companhia deve receber normalmente volumes importados até pelo menos o próximo dia 25 de junho. A Petrobras tem estoques suficientes para garantir cerca de dez dias de consumo no Sudeste. As reservas são menores no Nordeste. O crescimento acelerado da demanda por diesel e gasolina no País levou a estatal a elevar expressivamente a importação de derivados nos últimos anos, e uma interrupção das compras no Exterior por um período prolongado colocaria em risco o abastecimento de combustíveis.

FINANCIAL TIMES DIZ QUE FÔLEGO DO GOVERNO PETISTA DE DILMA ROUSSEFF ESTÁ ACABANDO

O fôlego financeiro do governo brasileiro para tentar acelerar a economia está cada vez menor. O alerta foi feito pelo jornal britânico Financial Times em reportagem na sexta-feira. Ao citar o novo programa de estímulo à compra de eletrodomésticos anunciado Pela presidente Dilma Rousseff, a reportagem diz que as opções da equipe econômica estão diminuindo diante de contas públicas que mostram deterioração. “Anunciado com alarde pela presidente Dilma Rousseff, o programa ‘Minha Casa Melhor’ é visto pelos economistas como mais um estímulo fiscal em uma economia em dificuldades. A preocupação é que a iniciativa ocorre depois de dois anos e 300 bilhões de reais em programas fiscais que falharam consistentemente em tentar reavivar o crescimento”, diz a reportagem: “Isso tem feito alguns economistas se perguntarem quantos programas desse tipo o Brasil pode pagar antes que se esgotem as opções". Segundo o Financial Times, iniciativas do governo “estão comendo o superávit primário, geram preocupação dos economistas e contribuíram para a Standard & Poor’s piorar a perspectiva da nota brasileira para negativa”. A reportagem cita especialmente o efeito sobre o superávit primário, cuja meta é equivalente a 3,1% do PIB. Ao lembrar que o governo realizou “manobras contábeis” para melhorar o resultado das contas públicas, o jornal cita que o superávit primário real do ano passado foi de 2,4% do PIB e deverá cair para 1,5% do PIB este ano. ”Com uma eleição presidencial no próximo ano, o governo deve gastar mais, o que poderia reduzir o esforço fiscal ainda mais, para 0,9% em 2014", diz o texto.

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL QUEBRA SIGILO DE EMPRESA CONTRATADA PELO PETISTA LINDBERGH FARIAS

O senador petista Lindbergh Farias sofreu mais um revés na Justiça. O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, autorizou, na quinta-feira, a quebra de sigilos fiscal e bancário de uma série de servidores, empresários e pessoas ligadas aos contratos firmados entre o município de Nova Iguaçu e a empresa Rumo Novo Engenharia Ltda, no período em que Lindbergh foi prefeito daquela cidade. Gilmar Mendes decidiu em favor de um pedido do Procurador-Geral da República, Roberto Gurgel, que leva adiante um inquérito instaurado no Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro para apurar irregularidades em licitações e execuções de obras em Nova Iguaçu. Em seu despacho, Gilmar Mendes determina que a Receita Federal encaminhe, dentro de 10 dias, as declarações de imposto de renda dos últimos cinco anos da Rumo Novo e de seus sócios, Vitor Luiz Vicente Távora e Cleonice Paulina das Neves. A empresa e seus responsáveis também terão seus cadastros bancários e movimentações financeira devassados. Integrantes da empresa e funcionários do município envolvidos na contratação serão interrogados pela Justiça. Na última quarta-feira, em outra decisão do STF, o ministro Dias Toffoli determinou a quebra dos sigilos bancário, fiscal e de operações em bolsa do próprio senador, referentes ao período de 2005 a 2010. A decisão é referente a outro inquérito, que apura suspeita de fraude de 350 milhões de reais no Fundo de Previdência dos servidores de Nova Iguaçu.

JUSTIÇA VOLTA ATRÁS E PERMITE QUE PETROBRAS OBTENHA CERTIDÃO NEGATIVA E POSSA VOLTAR A IMPORTAR PETRÓLEO

Em decisão divulgada na noite de sexta-feira, o Superior Tribunal de Justiça recuou da decisão publicada na quinta-feira e decidiu conceder à Petrobras liminar que permite que a estatal retome suas atividades comerciais como importação e exportação de petróleo e derivados. No último dia 7, a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, órgão vinculado ao Ministério da Fazenda, decidiu cancelar o Certificado Negativo de Débitos (CND) da Petrobras. Sem o documento, a companhia ficava proibida de exercer normalmente atividades de comércio exterior e participar de rodadas de licitação da Agência Nacional de Petróleo (ANP). A decisão da Procuradoria de cancelar o certificado foi justificada por uma dívida de 7,3 bilhões de reais que a estatal mantém com o Fisco. Tal débito é decorrente do não recolhimento de Imposto de Renda sobre as remessas de valores que a estatal fez para o Exterior, para pagar afretamentos de plataformas petrolíferas móveis entre 1999 e 2002. A Petrobras contesta o pagamento desta dívida afirmando que "acredita estar amparada na legislação tributária que lhe assegurava a desoneração do Imposto de Renda à época dos fatos". Mais cedo, a companhia comunicou, por meio de nota, que estava tomando "todas as medidas para, num breve espaço de tempo, restabelecer a Certidão Negativa de Débito - CND". A empresa afirmou ainda que não havia risco de interrupção operacional e desabastecimento de petróleo e derivados no País. Apesar de a decisão ter sido tomada no final da última semana, o assunto veio à tona apenas na quinta-feira, quando o ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça, negou um pedido de medida cautelar da Petrobras. Por meio desse pedido, a estatal tentava suspender a decisão da Justiça Federal, que concordava com a Procuradoria da Fazenda sobre a obrigatoriedade do pagamento dos débitos. A decisão do ministro do STJ foi justificada pelo fato de o valor trazer enormes prejuízos à estatal. "A expressão econômica do crédito tributário em questão, superior a 7 bilhões de reais, é suficiente para demonstrar que a sua imediata exigibilidade ostenta uma potencialidade danosa às atividades normais da empresa. Nesta esteira, embora seja a requerente empresa de notório poder econômico, a quantia em questão é por demais elevada para pressupor eventual facilidade na pronta apresentação de garantias suficientes para fazer frente a esse débito tributário sub judice", afirmou Gonçalves no parecer.

MANIFESTAÇÃO NO MATO GROSSO DO SUL REUNIU 5.000 FAZENDEIROS

A defesa do direito à propriedade e à segurança jurídica do produtor rural foi o tom da manifestação que reuniu mais de 5 mil donos de fazendas e representantes de entidades agropecuárias em Nova Alvorada do Sul (MS), a 120 quilômetros de Campo Grande. A senadora Katia Abreu, presidente da Confederação Nacional da Agricultura (CNA), disse que os produtores são tirados de suas terras e não conseguem voltar. "Se os índios foram injustiçados, hoje os injustiçados somos nós", afirmou. A senadora também se posicionou a favor da reintegração de posse imediata das 66 fazendas invadidas por indígenas em Mato Grosso do Sul e pela legalização das terras ocupadas. Segundo ela, os produtores têm os títulos de posse dessas áreas: "Que se cumpra a lei e nos deixem produzir em paz". O presidente da Federação de Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), Eduardo Riedel, disse que não apenas o Mato Grosso do Sul, mas o Brasil vive um dos momentos mais críticos da produção rural: "Não vamos sossegar enquanto ainda houver uma propriedade invadida no Mato Grosso do Sul".

PROTESTO CONTRA DEMARCAÇÕES DE TERRAS FEITAS PELA FUNAI REÚNE 800 PESSOAS NO MATO GROSSO

A manifestação dos produtores rurais contra a demarcação de terras indígenas  da Funai, organizada pela Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), reuniu 800 pessoas às margens da BR-364/163, próximo ao posto da Polícia Rodoviária Federal de Cuiabá. A Famato informou que participaram do protesto produtores rurais, lideranças do agronegócio, parlamentares e moradores de 10 municípios e áreas atingidas por demarcações de terras indígenas em Mato Grosso, como a região da Suiá-Missú. O presidente em exercício da Famato, Normando Corral, afirmou que o protesto teve como objetivo mostrar não só a insatisfação como também "a ilegalidade do que está acontecendo com os produtores rurais". Ele defende a aprovação da PEC 215, que atribuirá ao Congresso Nacional a competência para a demarcação de terras indígenas e a suspensão dos processos de demarcações feitos pela Funai. Segundo a Famato, Mato Grosso possui 67 áreas indígenas que correspondem a aproximadamente 12,5 milhões de hectares. "A população indígena no Estado é de apenas 27,5 mil índios. Além das terras já homologadas, Mato Grosso tem 25 áreas em processo de demarcação. Caso estas áreas sejam demarcadas, o território indígena do Estado alcançará 19 milhões de hectares, o equivalente ao tamanho do Estado do Paraná". O deputado federal e presidente da subcomissão especial de demarcação de área indígena da Câmara Federal, Nilson Leitão (PSDB/MT), afirma que "é preciso mostrar à sociedade a verdadeira realidade dos indígenas brasileiros e do trabalho feito pela Funai". Ele acusa a Funai de "fabricar índios e utilizar laudos ilegais". A Famato diz que em Mato Grosso um dos casos mais recentes foi a demarcação da terra indígena Suiá-Missú, "onde cerca de sete mil pessoas foram expulsas de suas propriedades e até uma cidade, Posto da Mata, foi destruída durante a desocupação da área de 165 mil hectares que a Funai alega ser dos índios Xavantes".

PTB SE ARTICULA EM SÃO PAULO PARA DISPUTA CONTRA EDUARDO CAMPOS

Enquanto o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), afirma que só decidirá em 2014 se será candidato à presidência da República, aliados no Estado se movimentam abertamente visando a conquistar o governo estadual. Armando Monteiro Neto, senador pelo PTB, se articula para a disputa na condição de adversário. "Nunca escondi, até porque não é do meu temperamento, que aspiro ser candidato ao governo", afirmou ele. Sem chance de ser indicado pelo PSB para a disputa estadual, Armando lembra ter bom diálogo com todos os partidos que integram a frente de apoio ao governo da presidente Dilma e a Eduardo Campos, e antecipa que não se sentiria "desconfortável" se, circunstancialmente vier a se aliar a outras siglas da base de apoio ao governador contra uma candidatura socialista no Estado. "Eu não teria dificuldade", afirmou. Entre as possibilidades alentadas pelo petebista está a de ser cabeça de chapa em uma dobradinha com o PT.

JUSTIÇA DA VENEZUELA LIBERTA JUÍZA PRESA POR MOTIVOS POLÍTICOS, DEVIDO A SUA SITUAÇÃO DE SAÚDE

Autoridades venezuelanas concederam liberdade condicional à juíza Maria Lourdes Afiuni, presa desde 2009 por perseguição política, mascarada por acusação de corrupção, devido à situação de saúde da magistrada, informou o advogado dela. Apesar da concessão de liberdade condicional, a Justiça da Venezuela manteve as acusações de corrupção, abuso de autoridade e auxílio na fuga de um réu, prosseguiu o advogado. Também por problemas de saúde, Maria Lourdes Afiuni já havia deixado a prisão em 2011 e era mantida desde então em regime de prisão domiciliar. Líderes da oposição ao governo consideram Afiuni uma "prisioneira política". Ela foi presa em 2009 depois de conceder liberdade a um banqueiro acusado de violar os controles de câmbio impostos pelo governo do então ditador Hugo Chávez.

TEMER VAI A LULA PARA "CONVERSA POLÍTICA AMPLA"

No início do mês, o vice-presidente da República, Michel Temer se reuniu com a presidente Dilma Rousseff e os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), para tratar das relações entre petistas e peemedebistas, abaladas em alguns Estados por causa da perspectiva eleitoral de 2014 e desgastada no Congresso Nacional após a maratona pela aprovação da MP dos Portos. Nesta sexta-feira, foi a vez de Temer se reunir com o ex-presidente Lula. Lula almoçou com Temer e, ao final do encontro, o vice-presidente contou que "veio rever alguém que se tornou seu amigo". Segundo Temer, os dois conversaram sobre as alianças políticas entre PT e PMDB no País. "Fizemos uma conversa política muito ampla", resumiu. Lula lidera a articulação política no PT e segue como o maior conselheiro de Dilma. Assim como fez diante de Dilma, Temer deve ter exposto ao ex-presidente petista o cenário de acirramento na formação dos palanques regionais. Na reunião com a presidente, os peemedebistas disseram que a insatisfação com o governo Dilma ultrapassa as fronteiras do PMDB e atinge todos os partidos aliados. Depois que o próprio Lula lançou a presidente Dilma à reeleição, teve início a corrida eleitoral, que expôs desentendimentos entre petistas e peemedebistas em estados como Rio de Janeiro e Bahia. Mato Grosso do Sul e Maranhão são outros dois estados com potenciais focos de desavenças.

GRUPO X, DE EIKE BATISTA, DEVE MAIS DO QUE VALE

Mesmo que vendesse hoje todas as suas seis companhias, o empresário Eike Batista ainda não conseguiria pagar o que deve. O saldo acumulado da dívida é de R$ 18,8 bilhões, enquanto o patrimônio somado das empresas do Grupo X é de R$ 18 bilhões. Consta da lista de débitos de Eike Batista investidores, bancos privados e públicos, sendo que apenas do BNDES foram concedidos R$ 10 bilhões. Desde outubro de 2010, as companhias de Eike Batista com ações negociadas na Bolsa (OGX, OSX, LLX, MPX, MMX e CCX) perderam R$ 86 bilhões em valor de mercado. Rogério Freitas, da Teórica Investimentos, dá uma solução radical para os problemas de Eike Batista: o empresário tem de sair da frente dos negócios. Segundo ele, esta é a única maneira de o grupo retomar a confiança do mercado. "É uma pessoa só à frente de vários projetos grandes demais, que exigem investimentos grandes demais. O próprio Eike Batista, no passado, guiou o mercado para uma visão superestimada do grupo. Ele soube vender bem os próprios negócios, como muitos bons empresários. Mas, agora, chegou-se a um ponto em que as ações das empresas são contaminadas por ele próprio. Ele tem que sair", disse Freitas.

DILMA DIZ QUE DESCONTROLE DA INFLAÇÃO É CONTO DO VIGÁRIO

A presidente Dilma Rousseff disse nesta sexta-feira que a inflação está e continuará sob controle. Segundo a presidente, é conto do vigário a idéia de que a inflação está descontrolada, inventado por quem deseja que o governo diminua os gastos sociais. "Não dêem ouvidos aqueles que dizem quanto pior melhor. Críticas são bem-vindas, mas terrorismo informativo, não. O Brasil é hoje um dos países mais sólidos do mundo, que mesmo com uma das crises mais graves, talvez, desde a crise de 1929, temos uma das menores taxas de desempregados do mundo, quase uma situação de pleno emprego", garantiu a presidente.

BNDES VAI INVESTIR 43% DOS R$ 183 BILHÕES RESERVADOS Á INFRAESTRUTURA

O BNDES estima investimentos de R$ 183 bilhões no setor de infraestrutura entre 2013 e 2016, dos quais o BNDES deve financiar 43%, enquanto os recursos públicos responderão por 19% e os demais 38% ficarão com os investidores privados. O montante corresponde aos recursos que devem ser aplicados em portos, rodovias, aeroportos e ferrovias, incluindo o volume previsto para o Trem de Alta Velocidade (TAV). Os recursos contemplam não apenas o previsto pelo governo dentro do Programa de Investimentos em Logística (PIL), mas também outros investimentos em concessões e obras realizadas diretamente por órgãos governamentais, como Infraero e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Somente o setor portuário deverá receber R$ 35,8 bilhões no período, com 55% financiados pelo BNDES. O volume contrasta com os R$ 54,6 bilhões estimados pelo governo federal até 2017 com o PIL, que prevê até 65% de participação do BNDES. Do total estimado para o setor portuário, a maior parcela, de R$ 24 bilhões (67%), deve ser destinada à modernização e ao aumento da capacidade dos terminais, enquanto outros R$ 5 bilhões (14%) serão aplicados no aumento da oferta de terminais de contêineres. Novos portos públicos consumirão R$ 3,9 bilhões e os restantes R$ 3 bilhões correspondem ao investimento público direto em infraestrutura e superestruturas. O setor de rodovias deve receber investimentos de R$ 69 bilhões até 2016, dos quais 34% serão recursos do BNDES, enquanto aeroportos receberão R$ 10 bilhões, sendo 46% do banco de fomento, e no setor de ferrovias, o montante de investimento é de R$ 55 bilhões, sendo 42% do BNDES. Por fim o TAV terá no período R$ 14 bilhões, sendo 60% proveniente do banco.

TCU ABSOLVE PETISTA DANIEL BORDIGNON

O ex-prefeito de Gravataí e atual deputado estadual Daniel Bordignon (PT), impedido de concorrer à prefeitura da cidade em 2008 devido à rejeição da prestação de contas de um convênio federal, obteve na quarta-feira uma vitória no Tribunal de Contas da União. O motivo da não aprovação havia sido a quantia de R$ 6 mil em gastos não declarados em um contrato de 1998 com a Fundação Nacional de Saúde (Funasa) para aquisição de equipamentos para controle de tuberculose. Em seu voto, o relator José Múcio Monteiro acolheu o recurso de Bordignon que pedia a reversão da condenação. No texto do voto, Monteiro disse: "Compreendo que a manutenção da irregularidade das contas não se constitui de medida justa quando se tem os autos repletos de elementos comprobatórios das conquistas obtidas pelo município no controle da tuberculose, no período logo após o convênio, mesmo que juntamente com a contribuição de outros meios".

PETROBRAS VENDE 49% DA BRASIL PCH PARA A CEMIG POR R$ 650 MILHÕES

A Petrobras vendeu a sua participação de 49% do capital da Brasil PCH para a Cemig por R$ 650 milhões. A Brasil PCH tem 13 Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs), com capacidade instalada total de 291 megawatts. Em comunicado enviado ao mercado, a Petrobras ressaltou que a operação faz parte do programa de desinvestimentos da companhia e depende ainda da aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e da anuência da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). No comunicado, a Petrobras ressalta que os detentores de ações ordinárias da Brasil PCH poderão exercer o direito de preferência ou o direito de venda conjunta (tag along) no prazo máximo de 45 dias.

PETROBRAS E BTG FORMAM JOINT VENTURE PARA EXPLORAR PETRÓLEO NA AFRICA

A Petrobras firmou uma joint venture com o BTG Pactual para explorar e produzir óleo e gás no continente africano. Cada uma das partes terá metade do negócio e o banco pagará US$ 1,525 bilhão por 50% da Petrobras Oil & Gás, subsidiária que está nas mãos da Petrobras International Braspetro (PIBBCV). A parceria foi aprovada nesta sexta-feira pelo conselho de administração da Petrobras e o fechamento da operação está previsto para ocorrer até o fim do mês. A venda da participação na subsidiária para o BTG estava prevista no plano de desinvestimentos da estatal de petróleo, que prevê captar ao todo US$ 9,9 bilhões com alienação de ativos. O BTG afirmou no documento que a operação representa 'um passo na geração de oportunidades de investimento no continente africano' e na 'diversificação do portfólio de produtos disponíveis para seus clientes.

INSTITUTO APONTA FALTA DE TRANSPARÊNCIA NA COMISSÃO NACIONAL DA VERDADE

O Instituto de Estudos da Religião (Iser) apontou críticas na forma como a Comissão Nacional da Verdade vem conduzindo as investigações sobre crimes políticos cometidos por agentes de Estado durante o regime militar. Relatório elaborado em conjunto com grupos de defesa dos direitos humanos, o instituto diz que falta transparência por parte do colegiado. A avaliação faz parte das conclusões parciais do relatório Apresentado na tarde de sexta-feira, às entidades convidadas a avaliar o primeiro ano de atuação da Comissão. O texto final do documento será formalizado nos próximos dias. Para o grupo, a CNV falha ao não publicar resultados parciais dos trabalhos realizados e por não atender aos pedidos de informação feitos pelos movimentos ligados ao tema. "Faltam esclarecimentos sobre os procedimentos seguidos para o levantamento, sistematização e tratamento das informações que comporão o relatório final da CNV, assim como para a coleta de depoimentos e testemunhos", diz o texto. O instituto também cobrou mais abertura para participação da sociedade civil nos processos da CNV. "Cabe ressaltar que durante o primeiro ano de atuação da CNV foram reivindicados formatos mais participativos. Porém, os mecanismos criados pela comissão para responder a essas demandas são considerados insuficientes", diz a prévia do relatório, que sugere mais tempo de fala durante as audiências e aumentar o número de encontros.

ASSOCIAÇÃO MÉDICA ENTRA COM REPRESENTAÇÃO NO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL CONTRA O MINISTRO PETISTA ALEXANDRE PADILHA

A Associação Médica Brasileira entrou com uma representação no Ministério Público Federal contra o ministro da Saúde, o petista Alexandre Padilha, alegando que ele deixou de utilizar R$ 17 bilhões do orçamento da pasta entre 2011 e 2012. O dinheiro poderia ter sido usado para construir 68 mil postos de saúde, por exemplo, alega a associação. O Ministério Público Federal estima que na próxima semana a representação seja enviada a um dos procuradores do órgão. O prazo para análise antes da abertura ou não de uma investigação é de até um mês, ainda segundo a Procuradoria. O valor de R$ 17 bilhões foi estimado com base em números apresentados pelo Tribunal de Contas da União, segundo a Associação Médica Brasileira. "Não tem explicação do por que essa verba ficar retida, estamos cobrando uma explicação razoável [do ministro] para que ele se justifique", disse o advogado da AMB, Carlos Magno Michaelis.

MPX EXTINGUE TRÊS DIRETORIAS ESTATUTÁRIAS

A MPX extinguiu três diretorias estatutárias e destituiu quatro diretores como estatutários, mas manteve os executivos nos cargos, segundo nota divulgada pela empresa nesta sexta-feira. A mudança é parte de uma acordo com a alemã E.ON que aumentou sua participação de 11,7% para 36,2%, segundo a companhia. "Em reunião do conselho de administração, realizada em 13 de junho, foi aprovada uma alteração no estatuto social MPX, que passou de cinco para duas diretorias estatutárias", diz a nota. Com a mudança, as duas diretorias estatutárias, definidas no estatuto da empresa, ficam a cargo de Eduardo Karrer, como diretor-presidente, e Frank Possmeier, diretor vice-presidente. A diretoria financeira, de operações, de desenvolvimento de projetos e sustentabilidade, e de regulação e comercialização de energia deixam de ser estatutárias. No entanto, diz a nota da empresa, os diretores que ocupavam as cadeiras "permanecem no quadro de diretores da MPX exercendo suas atividades regulares", diz o texto.  Os diretores Rudolph Ihns, Marcus Bernd Temke, Bruno de Rossi Chevalier e Xisto Vieira não são mais diretores estatutários, mas continuam como diretores executivos.

TRIBUNAL DE CONTAS GAÚCHO DETERMINA DOIS VEREADORES DEVOLVAM R$ 2,2 MILHÕES

O Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul determinou que dois políticos da Região Metropolitana de Porto Alegre devolvam mais de R$ 2,2 milhões aos cofres públicos. O ex-prefeito de Canoas, Marcos Ronchetti, terá de ressarcir cerca de R$ 950 mil ao município, enquanto o ex-presidente da Câmara dos Vereadores de Triunfo, Luiz Henrique da Silva, cerca de R$ 1,3 milhão. As determinações foram adotadas em julgamento do Plena na última quarta-feira. No caso de Canoas, o principal motivo do débito é o gasto com despesas de energia elétrica e água. O valor foi pago a uma empresa que mantinha contrato com a prefeitura. Ronchetti ainda foi multado em R$ 1,5 mil por atos administrativos e de gestão como a utilização indevida de indicadores para apurar custo de merenda escolar e falta de licitação para o transporte coletivo.

CANAL INTEROCEÂNICO DA NICARÁGUA DEVE FORTALECER A CHINA

A construção na Nicarágua de um novo canal como o do Panamá, entre os oceanos Pacífico e Atlântico, deve fortalecer economica e geopoliticamente a China. Estima-se que o projeto, o maior da história da Nicarágua e um dos maiores da América Latina, terá um custo de US$ 40 bilhões (cerca de R$ 85 bilhões), aproximadamente quatro vezes o PIB nicaraguense. Antes mesmo da inauguração do Canal do Panamá, em 1914, já se discutia a possibilidade de se construir uma via marítima para ligar os dois oceanos que banham suas costas. O projeto, porém, vinha enfrentando críticas de deputados da oposição nicaraguense, que temem os efeitos que ele terá sobre a população indígena do país e também sobre o Lago Nicarágua. A empresa HK Nicaragua Canal Development Investment Co. Limited (HKND Group), com sede em Hong Kong e dirigida pelo magnata das comunicações chinês Wang Jing, ganhou uma concessão de 50 anos para construir e operar o canal, e espera finalizar a obra em dez anos. Embora o governo chinês não esteja participando oficialmente da obra, a expectativa é de que não só o país seja beneficiado por ela como também seus parceiros comerciais. Analistas acreditam que um canal deste tipo poderia beneficiar a China da mesma forma que o Canal do Panamá beneficiou os Estados Unidos no início do século 20, em um momento em que a potência asiática lança uma agressiva expansão comercial e política a nível global. Atualmente, 5% do comércio mundial circula pelo canal panamenho. Se for construído, o canal nicaraguense vai cortar o Lago da Nicarágua e terá três vezes a extensão do Canal do Panamá, que mede cerca de 80 quilômetros. A perspectiva é que, economicamente, o canal possa ampliar a competitividade dos produtos chineses na América devido à diminuição dos custos de transporte. Isso é especialmente atraente dado o tamanho do mercado consumidor nos Estados Unidos.

NÚMERO TOTAL DE CASOS DE GRIPE A NO RIO GRANDE DO SUL EM 2013 SOBE PARA 74

Subiu para 74 o total de casos de gripe A registrados no Rio Grande do Sul em 2013. De acordo com o boletim divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde (SES), foram confirmados 14 novos casos do vírus H1N1 (49 no total) e cinco novos casos da variação H3N2 (25 no total), em relação ao informe divulgado na semana passada. O boletim também confirma as duas mortes registradas pelo vírus H1N1 em Santa Cruz do Sul, no Vale do Rio Pardo. Os casos envolvendo um homem de 53 anos e uma mulher de 58 anos haviam sido informados na terça-feira pela 13ª Coordenadoria Regional de Saúde. Com 11 casos, o município de São Gabriel, na Campanha, continua sendo a cidade gaúcha com o maior número de pacientes infectados pelo vírus H1N1. Porto Alegre tem seis e Santa Cruz do Sul, cinco. A capital concentra o maior número de casos do vírus H3N2, com 14 do total de 25.

TEA PARTY E DEMOCRATAS SE UNEM CONTRA O PLANO DE "INTELIGÊNCIA" DE OBAMA

O Tea Party e a ala mais progressista do Partido Democrata americano raramente chegam a um acordo sobre o que quer que seja, mas no momento concordam em exigir do presidente Barack Obama mais transparência sobre os programas de registros telefônicos que escandalizaram a opinião pública há uma semana. Essa confluência de interesses bagunçou a tradicional oposição entre democratas e republicanos, em uma semana movida pelas revelações de Edward Snowden, um ex-analista de inteligência da agência de espionagem americana, hoje refugiado em Hong Kong. Ambos os grupos aproveitaram as audiências dos diretores da Agência Nacional de Segurança (NSA) e do FBI para questionar os líderes democratas e republicanos do Congresso que foram informados secretamente sobre todos os detalhes dos programas de inteligência. "O simples fato de alguns congressistas terem sido informados em nível confidencial não é sinônimo do nosso apoio", disse o democrata John Conyers a Robert Mueller, chefe do FBI desde 2001. Conyers é um dos congressistas mais à esquerda na Câmara de Representantes dos Estados Unidos. "Não se trata de uma preocupação partidária, aplica-se tanto a essa administração quanto à anterior", frisou, acrescentando: "Por causa desses atos da NSA e do FBI, temo que estejamos nos transformando em um Estado policial". Horas mais tarde, o republicano Rand Paul, admirador incondicional da filósofa Ayn Rand, venerada pelos libertários, anunciou que entrará na Justiça com uma ação coletiva contra a NSA por abuso de poder. "Eu quero capturar os terroristas tanto quanto qualquer americano", argumentou Paul, acompanhado de congressistas do Tea Party e de um dirigente da American Civil Liberties Union (ACLU), organização considerada de esquerda. "Mas o que nos distingue deles é o Estado de direito", completou. "É uma aliança incomum, isso é certo", disse Christopher Arterton, professor de Ciência Política da Universidade George Washington.

CBS NEWS DIZ QUE COMPUTADOR DE REPÓRTER FOI INVADIDO

O computador de uma repórter investigativa da CBS News foi acessado remotamente por uma pessoa não autorizada diversas vezes no fim do ano passado, afirmou a organização jornalística nesta sexta-feira, citando uma análise feita por uma empresa de segurança cibernética. A análise descobriu que o computador da repórter Sharyl Attkisson, que trabalha em Washington, "foi acessado por alguém não autorizado, externo e desconhecido em múltiplas ocasiões no fim de 2012", afirmou em um comunicado a porta-voz da CBS News, Sonya McNair. A análise forense mostrou que o hacker parece ter pesquisado e retirado dados do computador e depois "utilizou métodos sofisticados" para encobrir a atividade, disse McNair. McNair afirmou que a CBS News está "tomando medidas para identificar o responsável e seu método de acesso". Os Estados Unidos estão decainda totalmente em direitos civis nesta era do democrata Barack Obama.

DÓLAR VOLTA A FECHAR ACIMA DE R$ 2,14, APÓS QUEDA NA QUINTA-FEIRA

O dólar fechou em alta ante o real nesta sexta-feira, acompanhando as flutuações da moeda nos mercados internacionais, uma vez que o baixíssimo volume de negociações verificado no pregão ampliou o impacto de operações pontuais de saída de dólares. As medidas de flexibilização cambial e a atuação do Banco Central no mercado de câmbio no início da semana não foram suficientes para conter a apreciação do dólar, que fechou o dia em alta de  0,69%, a R$ 2,1481. Na semana, a moeda teve alta acumulada de 0,72% e no mês de 0,27%. No ano, a valorização supera 5%, alcançando 5,06%.

USINA HIDRELÉTRICA ENTRA EM OPERAÇÃO NO MATO GROSSO DO SUL

A primeira de duas unidades geradoras da Usina Hidrelétrica São Domingos entrou em funcionamento comercial nesta sexta-feira, no Mato Grosso do Sul. O empreendimento está localizado no Rio Verde, entre os municípios de Água Clara e Ribas do Rio Pardo, região leste do estado. Segundo o diretor de engenharia e operação da Eletrosul, responsável pela hidrelétrica, Ronaldo dos Santos Custódio, a previsão é que a segunda unidade geradora seja colocada em operação ainda em 2013. As duas têm capacidade suficiente para atender ao consumo de aproximadamente 550 mil habitantes.  Com o início da operação da usina, a expectativa é que novos investidores se instalem na região, favorecendo a economia e a geração de empregos. O empreendimento teve investimento de R$ 485 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC); desses, R$ 14 milhões foram usados em projetos socioambientais. Os municípios de abrangência da usina serão Água Clara e Ribas do Rio Pardo. Nos próximos 30 anos, eles receberão uma compensação financeira pela utilização dos recursos hídricos para geração de fonte de energia. A barragem da usina tem 32 metros e forma um reservatório de aproximadamente 19 quilômetros quadrados e volume de 131 milhões de metros cúbicos. O canal tem 400 metros de comprimento e seis metros de profundidade.

PREFEITURA E GOVERNO FEDERAL ASSINAM CONTRATO PARA IMPLANTAÇÃO DO VLT NO RIO DE JANEIRO

A Prefeitura do Rio de Janeiro e o governo federal assinaram, na tarde desta sexta-feira, termo de compromisso para repasse de recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade para a implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) da Região Portuária e Centro da cidade. O projeto, orçado em R$ 1,164 bilhão, receberá R$ 532 milhões do Ministério das Cidades e R$ 632 milhões de contrapartida da Prefeitura. O VLT vai conectar a Região Portuária ao Centro da cidade e ao aeroporto Santos Dumont, com seis linhas e 42 paradas distribuídas por 28 vias. Quando todas as linhas estiverem em operação, a capacidade do sistema chegará a 285 mil passageiros por dia. Durante a cerimônia, a presidente Dilma Rousseff afirmou que obras como a do VLT fazem parte do processo de transformação pelo qual o País passa.

HELICÓPTERO DE GRUPO DE EXTRAÇÃO PETROLÍFERA CAI EM TEFÉ, NO AMAZONAS

Uma aeronave, modelo 212, prefixo PR0HRZ, caiu na manhã desta sexta-feira no município de Tefé, a 522 quilômetros de Manaus. De acordo com a Força Aérea Brasileira (FAB), o helicóptero pertencia ao grupo de empresas de extração petrolífera HRT O&G e seguia a caminho da Base Porto Urucu, em Coari. Segundo a FAB, o helicóptero teria caído após decolar em Tefé, nas proximidades da Base de Apoio Tefé 1. Uma aeronave de resgate da força aérea foi encaminhada ao local para auxiliar na busca pelos possíveis tripulantes desaparecidos.

PLATAFORMA DE PETRÓLEO P-63 É CONCLUÍDA NO RIO GRANDE DO SUL

Uma cerimônia na manhã desta sexta-feira no estaleiro da Quip, no pólo naval de Rio Grande, formalizou a entrega da plataforma de petróleo P-63 para a Petrobras. Os trabalhos no navio-plataforma foram concluídos depois de três anos.  Segundo a empresa, a saída da plataforma P-63 pode ocorrer a partir deste sábado com destino à Bacia de Campos, no Rio de Janeiro. Lá, ela irá atuar no campo de Papa-Terra, na área do pós-sal, onde deve produzir 140 mil barris de óleo e um milhão de metros cúbicos de gás por dia. O início da viagem depende de condições climáticas favoráveis. Enquanto isso, o navio-plataforma está sendo abastecido com 2 milhões de litros de óleo. A P-63 mede 334 metros de comprimento, 58 metros de largura e 70 metros de altura, o equivalente a um prédio de mais de 20 andares. O casco do navio foi convertido no estaleiro Cosco, na China, em um FPSO, a sigla para uma plataforma que produz, armazena e transfere petróleo. Ela atracou no final de janeiro no cais do estaleiro de Rio Grande, onde foram feitas as integrações dos módulos. A P-63 é a segunda plataforma a ser finalizada em Rio Grande. “A construção da P-63 representa a concretização e a consolidação do pólo naval gaúcho. Rio Grande entra no mapa da construção naval mundial e acho que para ficar”, avalia o gerente de suporte do estaleiro, Marcos Reis. Ainda neste ano, outras duas plataformas que estão sendo construídas no estaleiro de Rio Grande também devem ficar prontas: a P-55 e a P-58.

APROVADA A LEI DE CONTROLE E CENSURA DA IMPRENSA NO EQUADOR

O Congresso do Equador, amplamente controlado pelo fascistóide presidente Rafael Correa, aprovou nesta sexta-feira por ampla maioria uma lei de comunicação que regula a mídia e  reduzirá a participação do setor privado mediante uma nova concessão de frequências de rádio e TV. A iniciativa foi votada por capítulos, sendo aprovados quatro deles com uma votação de 108 votos a favor, 26 contra e uma abstenção. Os três restantes foram aprovados com 110 votos a favor e 25 negativos. O Equador é mais uma das repúblicas bolivarianas que escancara a ditadura, com censura à imprensa.

LANÇADA A MINUTA DO EDITAL PARA PRIVATIZAÇÃO DE DUAS RODOVIAS EM MINAS GERAIS

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) detalhou nesta sexta-feira a minuta de edital e contrato das privatizações da BR-050, entre Goiás e Minas Gerais; e da BR-262, entre Espírito Santo e Minas Gerais. As privatizações, sob a forma de concessões, que terão prazo de 30 anos, envolvem serviços de recuperação, conservação, manutenção, operação, implantação de melhorias e ampliação de capacidade das rodovias, com duplicação das estradas. A BR-050 GO/MG envolve um trecho de 436,6 km, que tem início no entroncamento com a BR-040, em Cristalina (GO), e se estende até a o município de Delta, na divisa dos Estados de Minas Gerais e de São Paulo. O trecho corta nove municípios, sendo cinco em Goiás e quatro em Minas Gerais. As praças de pedágio estão previstas para as cidades de Ipameri, Campo Alegre de Goiás, Araguari (duas praças), Uberaba e Delta. A taxa interna de retorno de projeto (real), estabelecida pelo governo, sobre o fluxo de caixa sem alavancagem, é de 7,20% ao ano. A tarifa por quilômetro (preço de maio de 2012) ficou em R$ 0,0787. Vence o leilão a empresa que apresentar proposta com o menor preço. Pelo preço teto estabelecido pelo governo, o preço das praças varia de R$ 4,30 a até R$ 7,30. A ANTT estabeleceu que a cobrança da tarifa de pedágio somente poderá ter início após a conclusão dos trabalhos iniciais na estrada e execução de pelo menos 10% das obras de duplicação. O trecho concedido devera ser totalmente duplicado até o fim do quinto ano da concessão, o que equivale a 218,5 km duplicados nesse período. O edital ainda define metas de melhorias físicas e operacionais, como implantação de sete passarelas até o quinto ano e outras duas até o fim da concessão e construção de 22,4 km de vias marginais em travessias urbanas até o 6º ano e outros 4 km até o fim da concessão. No caso da BR-262 ES/MG, o trecho de 375,6 km tem início no município de Viana (ES), no entroncamento com a BR-101, e se estende até João Monlevade, no entroncamento com a BR-381, em Minas Gerais. Ao todo, o traçado abrange 22 municípios. Cinco praças de pedágio serão instaladas: Marechal Floriano, Muniz Freire/Brejetuba, Reduto, Matipó e São Domingos do Prata. A tarifa nessa concessão atinge o valor teto de R$ 0,1148 por km. Os preços nas praças de pedágio partem de R$ 7,40, chegando a R$ 9,90. O edital prevê que a concessionária faça a implantação de um contorno de 8,6 Km em Manhuaçu (MG), além de 9,3 km de vias marginais em travessias urbanas, entre outras melhorias físicas e operacionais. Tendo por base preços de maio de 2012, a receita total da concessão da BR-262 ES/MG chega a R$ 7,96 bilhões, com investimentos previstos de R$ 2,11 bilhões e custos operacionais de R$ 1,74 bilhão. No caso da BR-050 GO/MG, a receita total durante os 30 anos de concessão chega a R$ 10,14 bilhões, com investimentos de R$ 3,03 bilhões e custos operacionais de R$ 1,97 bilhão.

FITCH REDUZ RATING DA OGX PARA NÍVEL CCC E AÇÕES CAEM

A agência de classificação de risco Fitch reduziu nesta sexta-feira os ratings da dívida da OGX em moeda estrangeira e  em moeda local para "CCC", com perspectiva negativa. "Os ratings 'CCC' da OGX refletem as preocupações da Fitch em relação à liquidez da companhia nos próximos 12 a 18 meses, dados os elevados investimentos necessários para aumentar a produção e o fluxo de caixa operacional", informou a agência em nota. Após o anúncio, as ações da petrolífera inverteram a direção e passaram a cair, depois de chegarem a subir 5,7% na máxima intradia. Às 13h51, o papel operava com queda de 3,8% para 1,01 real, enquanto o Ibovespa recuava 1,46%. A Fitch informou que o rebaixamento da OGX reflete ainda a crescente incerteza sobre a capacidade de Eike Batista, controlador da petrolífera, honrar compromisso de aportar 1 bilhão de dólares na empresa.

FRONTEIRO DO BRASIL COM VENEZUELA LIBERADA APÓS PROTESTO EM RORAIMA

A fronteira do Brasil com a Venezuela, que estava fechada desde a noite de quinta-feira, foi liberada por volta das 11h20 desta sexta-feira. Os manifestantes protestaram contra o trabalho de fiscalização focado no descaminho e contrabando de produtos, provenientes do país vizinho, realizado pela Polícia Federal na BR-174.

TERRORISTA CHEFE DO HEZBOLLAH AFIRMA QUE ORGANIZAÇÃO VAI CONTINUAR ENVOLVIDA NO CONFLITO DA SÍRIA

A organização terrorista xiita libanesa Hezbollah, que participa nos combates na Síria em apoio ao regime, continuará envolvida no conflito, anunciou nesta sexta-feira seu chefe, o terroista Hassan Nasrallah.  "Antes de Quseir, como depois de Quseir. Onde devemos estar estaremos, continuaremos assumindo nossas responsabilidades", afirmou em um discurso transmitido pela televisão. No discurso, Hassan Nasrallah fez referência a Quseir, a cidade síria reconquistada em 5 de junho pelo exército graças à decisiva ajuda de sua organização. O Hezbollah apoia o regime do contestado presidente Bashar al-Assad, que enfrenta há dois anos uma violenta revolta armada que já provocou mais de 94 mil mortes no país.

AGÊNCIA DE RISCO FITCH REDUZ NOTA DA OGX

A agência de classificação de risco Fitch informou, nesta sexta-feira, que reduziu as notas de crédito da petroleira OGX, de Eike Batista. As notas de curto prazo foram rebaixadas de "B-" para "CCC", enquanto as de longo prazo caíram de "BB+" para "CCC". As notas indicam alto risco de inadimplência. "O rebaixamento do rating reflete a maior incerteza em relação à vontade e capacidade do controlador da OGX, Eike Batista, de honrar o aporte US$ 1 bilhão na companhia", afirmou a Fitch. A nota da agência também informava que Eike Batista reduziu sua participação na companhia a 58,92%, através da venda de 2,17% das ações da OGX em maio, e que essa venda faz crescer as preocupações sobre o compromisso dele com a companhia. Eike Batista concedeu em outubro do ano passado o direito à OGX de exigir a subscrição de ações da companhia até o limite máximo equivalente a US$ 1 bilhão, ao preço de exercício de R$ 6,30 por ação, quase quatro vezes o valor do papel da petrolífera na Bovespa atualmente. Na prática, o direito permite que a companhia exija de Eike Batista o aporte desse valor na empresa. A opção poderá ser exercida pela OGX a qualquer momento até 30 de abril de 2014, conforme necessidades de capital da OGX e ausência de alternativas mais favoráveis, condições que serão determinadas pela maioria dos membros independentes do Conselho de Administração. Na época, Eike Batista disse que a opção concedida era um sinal de confiança nos ativos da companhia, "bem como nas novas oportunidades que o setor de óleo e gás oferece à OGX". Na quinta-feira, a ação da OGX caiu pela primeira vez abaixo de R$ 1,00 diante da persistente desconfiança do mercado com as perspectivas para a empresa. O papel recuou a R$ 0,97 na mínima durante o dia, com desvalorização de 6,7%. No final do dia, no entanto, as ações se recuperaram. A OGX estreou na Bovespa, em 13 de junho de 2008, cotada a R$ 11,31, considerando o preço ajustado por desdobramento de papéis, e chegou a ser cotada acima de R$ 23,00 em outubro de 2010. Em 12 meses, até o fechamento de quarta-feira, a ação acumula queda de 89%, em um movimento explicado em parte por dados de produção abaixo das estimativas e crescentes preocupações sobre a situação do caixa da petrolífera. Só este ano, a OGX perdeu R$ 10,3 bilhões em valor de mercado, segundo dados da consultoria Economatica, "encolhendo" para um valor total de R$ 3,7 bilhões. Mas o mau humor de investidores para com os papéis da companhia e de outras empresas do grupo EBX se agravou após notícia de que Eike Batista vendeu ações da OGX no fim de maio. Segundo documento arquivado na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o empresário vendeu 70,47 milhões de papéis, por um total de R$ 121,82 milhões.

ABIN ALERTOU GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SOBRE MANIFESTAÇÃO EM BRASÍLIA

Relatório da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), entregue em abril ao governo do Distrito Federal (GDF), previa a possibilidade de haver manifestações, em Brasília, durante a Copa das Confederações, promovidas por “grupos de pressão”. Nesta sexta-feira, uma manifestação chamada "Copa pra Quem?" resultou na queima de pneus no Eixo Monumental, a poucos metros do Estádio Nacional Mané Garrincha. Dois grupos organizaram o ato, a Articulação Nacional dos Comitês Populares da Copa (Ancop) e a Resistência Urbana – Frente Nacional de Movimentos do Comitê da Copa. Em outro relatório, a Abin considerava como principais fontes de ameaça em Brasília a criminalidade comum, falhas técnicas, incidentes de trânsito ou entre torcedores, além de ações planejadas por grupos de pressão. De todas as ameaças, as relativas a grupos extremistas e incidentes de trânsito são as que representam menor risco de ocorrer. Segundo o relatório, em 77% dos locais vistoriados os riscos foram classificados como baixos ou muito baixos; 19% como médios e 4% como risco alto. Não foram identificados riscos muito altos.

DILMA DIZ QUE PAÍS TEM ROBUSTEZ FISCAL E INFLAÇÃO NÃO SAI DO CONTROLE

A presidente Dilma Rousseff reafirmou nesta sexta-feira que a inflação está sob controle no Brasil. "O País tem robustez fiscal e estabilidade inflacionária, ou seja, nós temos a inflação sob controle. A inflação não sai do nosso controle", disse Dilma durante cerimônia de assinatura de termo de compromisso entre a Caixa Econômica Federal e o município do Rio de Janeiro. "Nós somos um País com capacidade de investimento. Temos todas as condições de investir e, ao mesmo tempo, fazer programas sociais", acrescentou a presidente em solenidade no canteiro de obras do Túnel da Saúde, na zona portuária do Rio de Janeiro. O termo de compromisso prevê que a Caixa Econômica Federal repasse recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade para obras civis de implantação do veículo leve sobre trilhos (VLT) na região portuária e no centro da cidade. O ministro das Cidades, Agnaldo Ribeiro, disse que a obra é a primeira parceria público-privada (PPP) na área de mobilidade urbana. O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, lembrou que a área onde o túnel está sendo construído é histórica para a cidade. "Aqui tem o Cais da Imperatriz. Tem o Cais do Valongo, aonde chegavam os escravos", ressaltou Eduardo Paes. Ao comentar a declaração de Eduardo Paes, Dilma se disse entusiasmada por apoiar as obras de implantação do VLT da região, porque o transporte resgata o centro do Rio de Janeiro para a população. "Este é o começo do Brasil. Aqui nasceu o Brasil na sua dimensão nacional. Por isso, o Rio de Janeiro sempre foi a cidade do coração de todos os brasileiros", acrescentou. Segundo Dilma, tais obras "vão dar acesso ao Brasil". O VLT ligará a zona portuária ao centro da cidade ao Aeroporto Santos Dumont. O orçamento do projeto prevê gastos de R$ 1,2 bilhão. Estão previstas seis linhas e 42 estações, em locais como a Rodoviária Novo Rio, a Central do Brasil e a região das barcas na Praça XV. Ao todo, serão 28 quilômetros de vias. O projeto integra vários tipos de transporte, como metrô, trens metropolitanos, barcas, BRT e rede de ônibus convencionais ao Aeroporto Santos Dumont. De acordo com o prefeito, a tarifa poderá ser paga apenas uma vez: "Poderá ser usado o bilhete único carioca. A pessoa poderá sair de Niterói de barca e chegar ao centro ou à zona Portuária do Rio com apenas um bilhete". Pelos dados da Prefeitura, quando todas as linhas estiverem em operação, a capacidade do sistema chegará a 285 mil passageiros por dia.

BNDES VAI INVESTIR 43% DOS R$ 183 BILHÕES RESERVADOS Á INFRAESTRUTURA

O BNDES estima investimentos de R$ 183 bilhões no setor de infraestrutura entre 2013 e 2016, dos quais o BNDES deve financiar 43%, enquanto os recursos públicos responderão por 19% e os demais 38% ficarão com os investidores privados. O montante corresponde aos recursos que devem ser aplicados em portos, rodovias, aeroportos e ferrovias, incluindo o volume previsto para o Trem de Alta Velocidade (TAV). Os recursos contemplam não apenas o previsto pelo governo dentro do Programa de Investimentos em Logística (PIL), mas também outros investimentos em concessões e obras realizadas diretamente por órgãos governamentais, como Infraero e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Somente o setor portuário deverá receber R$ 35,8 bilhões no período, com 55% financiados pelo BNDES. O volume contrasta com os R$ 54,6 bilhões estimados pelo governo federal até 2017 com o PIL, que prevê até 65% de participação do BNDES. Do total estimado para o setor portuário, a maior parcela, de R$ 24 bilhões (67%), deve ser destinada à modernização e ao aumento da capacidade dos terminais, enquanto outros R$ 5 bilhões (14%) serão aplicados no aumento da oferta de terminais de contêineres. Novos portos públicos consumirão R$ 3,9 bilhões e os restantes R$ 3 bilhões correspondem ao investimento público direto em infraestrutura e superestruturas. O setor de rodovias deve receber investimentos de R$ 69 bilhões até 2016, dos quais 34% serão recursos do BNDES, enquanto aeroportos receberão R$ 10 bilhões, sendo 46% do banco de fomento, e no setor de ferrovias, o montante de investimento é de R$ 55 bilhões, sendo 42% do BNDES. Por fim o TAV terá no período R$ 14 bilhões, sendo 60% proveniente do banco.