sexta-feira, 19 de julho de 2013

DEPUTADO FEDERAL VIEIRA DA CUNHA ESTÁ DESISTINDO DE CONCORRER AO GOVERNO GAÚCHO

A notícia é de última hora: o deputado federal Vieira está desistindo de concorrer ao governo do Estado do Rio Grande do Sul em 2014. O PDT gaúcho tem uma primeira reunião com as coordenadorias regionais marcada para as 14 horas da próxima quarta-feira. Há uma pressão para que o partido se defina pelo apoio à candidatura do PT. Entretanto, no mínimo 80% das coordenadorias regionais estão contra, querem candidatura própria ou coligação com o PMDB. Um dos nomes fortemente cogitado para concorrer ao governo do Estado é o de Airton Langaro Dipp, ex-prefeito de Passo Fundo. Ou então o do deputado federal Enio Bacci. A direção partidária terá grandes dificuldades para manobrar as lideranças regionais trabalhistas a favor de uma candidatura petista no Estado.

GRUPO DE EIKE BATISTA PEDE AO BNDES MAIS PRAZO PARA PAGAR R$ 400 MILHÕES

A OSX empresa de construção naval do grupo EBX, de Eike Batista, solicitou ao BNDES (também já conhecido atualmente como BNDEX) a prorrogação do prazo de vencimento de um empréstimo-ponte de R$ 399,999 milhões concedido em 2011 e que teria de ser pago no próximo mês. Outro empréstimo-ponte para o grupo, de R$ 518 milhões, foi concedido à LLX, empresa de logística responsável pela construção do Porto do Açu, e vence em setembro. A empresa também está em negociações para a rolagem da dívida. Tanto o empréstimo à OSX quanto o que foi feito à LLX teriam garantia bancária. O da OSX foi concedido no âmbito do Fundo de Marinha Mercante (FMM) para as obras do estaleiro no Porto do Açu. Esse tipo de empréstimo, utilizado como um adiantamento em projetos de longo prazo, é concedido para que as empresas possam dar início a obras ou contratar equipamentos enquanto o financiamento total está sendo analisado. Neste caso, faz parte de um financiamento aprovado em junho de 2012, no valor de R$ 1,344 bilhão, para a montagem do estaleiro de Eike Batista, no município de São João da Barra, no Rio de Janeiro. Com a frustração das expectativas da petroleira OGX, encomendas das plataformas OSX 4 e 5 e das WHPs 1, 3 e 4, feitas ao estaleiro, foram canceladas, o que comprometeu todo o projeto. A EBX e o banco BTG Pactual, de André Esteves, buscam uma solução para o estaleiro e para o próprio Porto do Açu. Os empréstimos-ponte para as duas obras estão condicionados ao cumprimento das etapas iniciais dos projetos. Em agosto, o BNDES esperava liberar a primeira parcela do financiamento de longo prazo ao estaleiro. Quando isso ocorre, o valor desembolsado no empréstimo-ponte é deduzido do total. No início do mês, em fato relevante para comunicar que não teria mais as obras anunciadas e que, em função disso, todas as projeções que havia divulgado ao mercado financeiro, "inclusive as que dizem respeito à carteira de encomendas estimada para a cliente OGX" deveriam ser desconsideradas, a OSX deixou claro que renegociaria dívidas.

PETISTA CANDIDO VACCAREZZA É ALVO DE PROTESTO DE 30 DEPUTADOS DO PT

Trinta deputados federais do PT divulgaram uma nota na qual contestam a escolha do colega petista Cândido Vaccarezza (SP) para coordenar a nova comissão de reforma política. Os parlamentares criticam o presidente da Câmara dos Deputado, o deputado federal  Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), que indicou Vaccarezza em detrimento do deputado Henrique Fontana (PT-RS), e dizem não aceitar a "interferência externa". Ao lembrar que o plebiscito sugerido pela presidente Dilma Rousseff foi combatido pelos mesmos setores que "empatam" a transformação do sistema eleitoral, os signatários da nota partem para o ataque contra Henrique Eduardo Alves. "Uma das respostas conservadoras, patrocinada pela atual presidência da Câmara dos Deputados, além da rejeição da idéia do plebiscito, foi a constituição de mais uma comissão para propor uma reforma política em marcos muito mais tímidos do que inicialmente proposto pela presidente Dilma", diz a nota assinada até agora por 30 dos 89 deputados da bancada petista: "O caráter regressivo desse ato foi reafirmado por interferência externa na indicação do membro da bancada do PT para coordenar os seus trabalhos". Os deputados afirmam, ainda, que a bancada ficou "surpresa" com o ato de Henrique Eduardo Alves ao chamar Vaccarezza para o posto e manifestam solidariedade a Fontana. "Mais do que uma escolha pessoal, este gesto é um claro movimento para impor à bancada do PT preferências políticas que não são as suas", escreveram eles: "Tal atitude antecipa um antagonismo às posições que o PT defende na reforma política". Henrique Fontana foi relator da comissão da Câmara que, durante dois anos e meio, discutiu um projeto de mudanças no sistema político-eleitoral. Nesta semana, ele abandonou a comissão depois que Henrique Eduardo Alves designou Vaccarezza para coordenar os trabalhos. Vaccarezza tem o apoio do ex-presidente Lula. Após a briga na seara petista, o deputado Ricardo Berzoini (PT-SP) ocupou a vaga deixada por Henrique Fontana. Henrique Eduardo Alves afirmou que o PMDB defenderá o fim da reeleição para cargos executivos, a partir de 2018. O partido do vice-presidente, Michel Temer, também quer que o financiamento privado de campanha seja mantido, mas com doações feitas diretamente aos partidos, e não aos candidatos, o que é uma patifaria gigantesca, sem tamanho, e para mais esse crime contra a democracia estão perfeitamente aliados o PT e o PMDB. O PT, por sua vez, prega o financiamento público de campanha e teto para doações de pessoas físicas. Os petistas não cogitam o fim da reeleição e, em conversas reservadas, afirmam que o PMDB só está criando problema para Dilma. O pessoal que assinou a nota é o baixo clero do PT.

CONDENADOS NO PROCESSO DO MENSALÃO VÃO DEIXAR A DIREÇÃO DO PT

Condenados pelo Supremo Tribunal Federal no processo do Mensalão do PT, o ex-ministro da Casa Civil, o corrupto e quadrilheiro José Dirceu e os deputados José Genoino (também corrupto e quadrilheiro) e João Paulo Cunha (corrupto e lavador de dinheiro) não integrarão mais o Diretório Nacional do PT, a partir de 2014. O nome dos três foi excluído da chapa pela corrente Construindo um Novo Brasil (CNB), que apóia a reeleição do presidente atual do PT, Rui Falcão. “Eu não tenho preocupação em sair da chapa, mesmo porque não queria estar na direção desde que deixei a presidência do PT. Nunca reivindiquei nada e acho isso absolutamente normal”, afirmou o corrupto e quadrilheiro José Genoino. A decisão de tirar os mensaleiros condenados José Dirceu, João Paulo Cunha e José Genoino da cúpula do PT foi tomada depois que o Supremo decidiu pela punição. Embora o PT tenha considerado o julgamento “político” e manifestado apoio público a seus réus, mantendo-os no comando partidário, na contramão do estatuto, a avaliação foi de que agora eles não tinham mais condições de entrar na chapa. Neste segundo semestre o Supremo julgará os recursos apresentados pela defesa dos réus e, se as condenações forem mantidas, todos podem ser presos. A disputa pelo comando do PT em um ano pré-eleitoral, as dificuldades do governo após os protestos nas ruas, os percalços na economia e a crise com o PMDB são os principais assuntos da reunião do Diretório petista, que ocorrerá neste sábado, com a participação da presidente Dilma Rousseff. Os corruptos e quadrilheiros José Dirceu e José Genoino confirmaram presença no evento.