sábado, 27 de julho de 2013

PROGRAMA "MAIS MÉDICOS" DA SOBERANA BOLIVARIANA DILMA ROUSSEFF NÃO DECOLA E GOVERNO DELA PRORROGA O PRAZO

O programa "Mais Médicos", feito em cima da perna para aplacar a voz das ruas, está dando errado, conforme todas as previsões sérias. De um total de 18.450 pré-inscrições feitas no "Mais Médicos", pelo menos 45% apresentaram inconsistência, o que indica um boicote ao programa, que encontra forte resistência da classe médica. Só 3.123 inscrições foram efetivamente confirmadas até sexta-feira, correspondendo a apenas 20% da demanda apresentada por prefeitos de todo o País, de 15.460 médicos. O prazo, desta forma, terá que ser prorrogado não só até este domingo, mas por várias semanas. Veja estes números:
- 8.307 inscrições têm inconsistência no número do CRM (Conselho Regional de Medicina), por não ter sido fornecido ou por não bater com dados do candidato;
- 1.270 médicos inscritos atuam em residências médicas e, para aderir ao "Mais Médicos", precisam deixar a especialização.
Somente 1.920 médicos estrangeiros se inscreveram, o que mostra que esta não é a solução para os problemas de saúde do País. Mais grave ainda é o fato de que médicos já empregados em prefeituras do Interior, conforme informações de prefeitos, estão se inscrevendo para atuar no programa. O prefeito deixa de pagar o salário, o médico passa a receber melhor. Estão sendo feitos vários tipos de acordos entre as partes. Ou seja: a grande solução da soberana bolivariana Dilma Rousseff, e de seus ministros petistas Alexandre Padilha e Aloizio Mercadante é a mesma coisa que trocar seis por meia dúzia. Ou enxugar gelo. Como se diz na gíria, os "juvenas" deste governo petista sempre conseguem se superar.