domingo, 28 de julho de 2013

PARA FRANCISCO ENCERRA VISITA DE UMA SEMANA AO BRASIL, COM RESULTADOS MAJESTOSOS

O papa Francisco disse neste domingo que já está com "saudades" ao se despedir do Brasil após a visita de uma semana na qual participou da 28ª Jornada Mundial da Juventude (JMJ). "Dentro de alguns instantes, deixarei sua Pátria para regressar a Roma. Parto com a alma cheia de recordações felizes; essas - estou certo - tornar-se-ão oração. Neste momento, já começo a sentir saudades", afirmou o pontífice no discurso de despedida no aeroporto internacional do Rio de Janeiro. O primeiro papa latino-americano concluiu neste domingo, com uma missa para mais de 3 milhões de pessoas na praia de Copacabana, a visita de sete dias ao Brasil que iniciou na última segunda-feira, a sua primeira viagem ao Exterior desde que foi escolhido como Papa. Francisco, que chegou ao aeroporto carregando sua própria maleta, assim como fez ao sair do Vaticano, se despediu na pista do aeroporto internacional do Rio de Janeiro com a presença do vice-presidente Michel Temer, e do ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota. O papa afirmou que sentirá falta da "esperança nos olhos" que viu nos jovens atendidos em um hospital para dependentes químicos e da "fé e alegria em meio à adversidade" que sentiu na sua visita a uma comunidade do Rio de Janeiro que até poucos meses era controlada por traficantes de drogas. Também agradeceu e abençoou os milhares de jovens que participaram da Jornada: "'Muitos de vocês vieram como discípulos nesta peregrinação; não tenho dúvida de que todos agora partem como missionários. Com seu testemunho de alegria e de serviço, vocês fazem florescer a civilização do amor". Papa Francisco afirmou que tem grande esperança nos jovens, não só do Brasil, mas de outros países, que vêm se manifestando nas ruas por seus direitos e por um mundo melhor: "Por meio deles, Cristo está preparando uma nova primavera no mundo todo. Eu vi os primeiros resultados desta semeadura, outros gozarão com a colheita abundante".

NA MISSA DE ENCERRAMENTO DA JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE, PAPA FRANCISCO IGNOROU A PRESENÇA DAS BOLIVIARIANAS POPULISTAS DILMA ROUSSEFF E CRISTINA KIRCHNER

As bolivarianas populistas Dilma Rousseff e sua colega argentina Cristina Kirchner foram ignoradas pelo papa Francisco, na manhã deste domingo, durante a Missa do Envio, ponto alto da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), realizada na praia de Copacabana. Na homilia e nos comentários finais da cerimônia, o Papa Francisco fez referências apenas a representantes da Igreja Católica que organizaram o evento.
Dilma e Cristina assistiram à missa na primeira fileira de cadeiras reservadas a chefes de Estado. Também estavam presentes na cerimônia o ditador da Bolívia, o índio cocaleiro Evo Morales, e presidente do Suriname, Dési Bouterse, além do vice-presidente do Uruguai, Danilo Astori, que aceitaram convite do Itamaraty. Após a missa, Dilma, Cristina Kirchner e outros chefes de Estado presentes na missa foram levados para uma sala VIP construída embaixo do altar. Quinze minutos depois, o Papa Francisco apareceu. Ele permaneceu apenas sete minutos na sala. Foi o tempo em que agradeceu a Dilma pela realização do evento e cumprimentou os demais presidentes e oito ministros da comitiva brasileira.

NO RIOCENTRO, FALANDO AOS VOLUNTÁRIOS DA JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE, PAPA FRANCISCO AGRADECE E PEDE: "SEJAM REVOLUCIONÁRIOS"

O Papa Francisco pediu coragem de "ir contra a corrente" e de "ser felizes" a cerca de 12 mil jovens neste domingo, durante encontro com voluntários da Jornada Mundial da Juventude realizado no Riocentro, seu último evento público antes de partir para Roma. "Não podia regressar a Roma sem antes agradecer, de modo pessoal e afetuoso, a cada um de vocês pelo trabalho e dedicação com que acompanharam, ajudaram, serviram aos milhares de peregrinos, pelos inúmeros pequenos detalhes que fizeram desta Jornada Mundial da Juventude uma experiência inesquecível de fé", afirmou Papa Francisco: "Eu peço a vocês que sejam revolucionários, que vão contra a corrente; sim, nisto peço que se rebelem; que se rebelem contra essa cultura do provisório que, no fundo, crê que vocês não são capazes de assumir responsabilidades, que não são capazes de amar a verdade. Eu tenho confiança em vocês, jovens, e rezo por vocês. Tenham a coragem de ir contra a corrente. Tenham a coragem de ser felizes!" O Papa Francisco disse que "na cultura do provisório, do relativo, muitos pregam que o importante é “curtir” o momento, que não vale a pena comprometer-se por toda a vida, fazer escolhas definitivas "para sempre", uma vez que não se sabe o que reserva o amanhã". Antes, durante encontro com a coordenação do Conselho Episcopal Latino-Americano, o Papa Francisco afirmou aos bispos que eles devem fugir de diversas tentações, entre elas, o funcionalismo, e devem focar seu trabalho de evangelização nas periferias: "Gosto de dizer que a posição de um discípulo missionário não é de centro, mas de periferia". O encontro tratou da importância dos missionários na América Latina. Segundo o Papa, o “funcionalismo” é outro problema, que pode ser “paralisante”. "Peço que não se ofendam, mas creio que estamos muito atrasados", disse o Papa Francisco, ao falar sobre o trabalho das pastorais na América Latina. Francisco fez questionamentos sobre o papel da Igreja e perguntou se agentes pastorais e fiéis se sentem parte dela. Em seguida, o Papa tratou da forma como evangelizar. "A pastoral é, em última instância, o exercício de maternidade da Igreja", disse. O Papa afirmou que o papel dos bispos deve ser de "padres irmãos, pacientes e misericordiosos e homens que amem a pobreza", que não sejam ambiciosos e não tenham "psicologia de príncipes". Para o Papa Francisco, os bispos devem manter seu povo unido e cuidar da esperança dele. A última missa do Papa Francisco reuniu mais de 3 milhões de pessoas em Copacabana durante a manhã. Francisco pediu aos jovens que façam discípulos em todas as nações e transmitam a experiência vivenciada na Jornada Mundial da Juventude a outras pessoas. Ele voltou a dizer que é preciso ir sem medo para servir. "Não tenham medo de ir e levar Cristo para todos os ambientes", afirmou. "A experiência deste encontro não pode ficar trancafiada na vida de vocês ou no pequeno grupo da paróquia, do movimento, da comunidade de vocês. Seria como cortar o oxigênio a uma chama que arde. A fé é uma chama que se faz tanto mais viva quanto mais é partilhada, transmitida, para que todos possam conhecer, amar e professar que Jesus Cristo é o Senhor da vida e da história", disse o religioso.

PAPA FRANCISCO DIZ À JUVENTUDE: "SAIAM ÀS RUAS"

No sábado à noite, também na praia de Copacabana, o Papa Francisco acentuou o discurso contra a desigualdade, pela aproximação dos mais pobres e pediu que jovens de todo o mundo, aqueles que querem ser "protagonistas da mudança", "sigam superando a apatia" de forma "ordenada e pacífica": "Saiam às ruas!", disse Francisco. O pontífice falou também sobre Estado laico que, de acordo com ele, é "favorável à pacífica convivência entre religiões diversas". O Papa Francisco começou o sábado com uma missa a bispos e padres realizada na Catedral Metropolitana de São Sebastião, seguida de reunião com representantes da sociedade civil, quando discursou. Ele encerrou a maratona falando aos peregrinos, que tomaram completamente a Orla de Copacabana.

PAPA FRANCISCO PEDIU ORAÇÕES AOS PEREGRINOS PELAS VÍTIMAS DA BOATE KISS

No pronunciamento em que encerrou a Via-Sacra, na noite de sexta-feira, o papa Francisco pediu que fiéis se lembrem das vítimas do incêndio da boate Kiss, em Santa Maria. "Com a cruz, Jesus se une ao silêncio das vítimas da violência, que já não podem gritar. Sobretudo, os inocentes e os indefesos. Com a cruz, Jesus se une às famílias que se encontram em dificuldades e que choram a trágica perda de seus filhos, como no caso dos 242 jovens vítimas do incêndio na cidade de Santa Maria, no começo deste ano. Rezemos por eles", disse o Papa Francisco. Em seu discurso, o Papa tratou de temas como a fome, a corrupção, a dependência química, e falou sobre o significado de um dos maiores símbolos da fé cristã: "A Cruz de Cristo também nos convida a deixar-nos contagiar por este amor; ensina-nos, pois, a olhar sempre para o outro com misericórdia e amor, sobretudo quem sofre, quem tem necessidade de ajuda, quem espera uma palavra, um gesto; ensina-nos a sair de nós mesmos para ir ao encontro destas pessoas e lhes estender a mão". O Pontífice ainda levantou três questões: "Meus irmãos, ninguém pode tocar a cruz de Jesus sem deixar algo de si mesmo nela. E sempre se leva algo da cruz de Jesus para sua própria vida. Nesta tarde, queria que resoassem três perguntas no seu coração: o que vocês terão deixado na cruz, queridos jovens brasileiros, nestes dois anos em que ela atravessou seu imenso país? O que teria deixado a cruz de Jesus em cada um de vocês? O que esta cruz ensina para nossa vida? O Papa também fez referência ao primeiro nome dado ao Brasil, "Terra de Santa Cruz". "A cruz de Cristo foi plantada não só na praia, há mais de cinco séculos, mas também na história, no coração e na vida do povo brasileiro e muitos outros povos. O Cristo sofredor, o sentimos próximo, como um de nós que compartilha o nosso caminho até o final. Não há cruz, pequena ou grande, da nossa vida que o Senhor não compartilhe conosco", disse o papa.

PAPA FRANCISCO OUVIU A CONFISSÃO DE PEREGRINOS NA QUINTA DA BOA VISTA

O papa Francisco ouviu na manhã de sexta-feira a confissão de cinco jovens participantes da Jornada Mundial da Juventude, na Quinta da Boa Vista, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro. Três brasileiros, um venezuelano e um italiano se confessaram para o pontífice em um confessionário montado especialmente para o evento. O Papa Francisco chegou à Quinta da Boa Vista com meia hora de antecedência, por volta das 9h30min, e deixou o local às 10h15min.

PAPA FRANCISCO DISSE QUE, NA CRUZ, JESUS SE UNE A JOVENS QUE PERDERAM A CONFIANÇA EM SUAS INSTITUIÇÕES POLÍTICA

Em um discurso em que misturou o português e o espanhol e se seguiu à Via Sacra, na Praia de Copacabana, o Papa Francisco disse que, na cruz, Jesus se une às mais diversas vítimas de violência, intolerância e desigualdade. "Jesus se une a quem é perseguido por sua religião, por suas idéias ou simplesmente por sua cor da pele. Jesus se une aos jovens que perderam a confiança em suas instituições políticas por causa da corrupção e do egoísmo".

PAPA FRANCISCO RESSALTA VALOR DA FAMÍLIA NA ORAÇÃO DO ANGELUS

O Papa Francisco exaltou na sexta-feira, na oração Angelus Domini, o valor da família. "Vemos aqui o valor precioso da família como ambiente de fé", disse ele, na sacada do Palácio São Joaquim, sede da Arquidiocese do Rio de Janeiro, no bairro da Glória. "Saúdem os seus avós. Nesta praça, nas casas, sintam o nosso mundo como uma grande família. Vamos pedir a Maria que guarde as nossas famílias", insistiu o Papa Francisco. Ele lembrou que, na sexta-feira, a Igreja celebrava os pais da Virgem Maria, São Joaquim e Santa Ana, avós de Jesus. "São Joaquim e Santa Ana fazem parte de uma longa corrente que transmitiu a fé e o amor a Deus, no calor da família, até Maria, que acolheu em seu seio o filho de Jesus e o ofereceu ao mundo, ofereceu-o a nós", disse o Papa Francisco na oração. "Vemos aqui o valor precioso da família como lugar prestigiado para transmitir a fé", enfatizou. No Brasil e em outros países, acrescentou o pontífice, comemora-se hoje o Dia dos Avós, que são parte importante na vida da família, para comunicar o patrimônio de humanidade e de fé, que é essencial para qualquer sociedade. É importante também "o encontro e o diálogo entre as gerações, principalmente dentro da família. Francisco ressaltou que as crianças e os idosos representam os dois pontos de encontro na família e reafirmou que os mais velhos transmitem a sabedoria e a experiência de suas vidas. "O diálogo entre gerações é um tesouro que deve ser conservado e alimentado", defendeu. O Angelus Domini é uma oração feita diariamente às 6 horas, às 12 e às 18 horas. Uma vez por semana, o papa a reza publicamente junto com fiéis no Vaticano.

PARA FRANCISCO PEDIU: "CANDELÁRIA NUNCA MAIS"

"Candelária, nunca mais", pediu o papa Francisco, na sexta-feira, depois de se reunir com menores infratores no Rio de Janeiro, em referência à chacina de oito meninos de rua por parte da polícia, na frente da Igreja da Candelária, em 1993, que chocou o País. O pontífice se reuniu e rezou com oito jovens (seis rapazes e duas moças) de quatro centros de detenção do Rio de Janeiro. O grupo ofereceu um rosário artesanal a Francisco. Nas pérolas do rosário estão escritos os nomes dos garotos assassinados e, sobre a cruz, aparece a inscrição "Candelária, nunca mais". O Papa Francisco repetiu: "Candelária, nunca mais", e pediu que se reze "por todos os menores vítimas de violência" que estão presos, ou que vivem nas ruas.

JOVENS PEREGRINOS OUVIRAM O PAPA FRANCISCO FALAR SOBRE A RECUPERAÇÃO DA DIGNIDADE PARA OS JOVENS

Os menores se sentaram em círculo em torno do papa, na sede da Arquidiocese do Rio de Janeiro, o Palácio São Joaquim, na Glória, por meia hora. "Cada um se levantava na sua vez e vinha se sentar perto dele, para falar com ele, levando objetos religiosos para que ele os abençoasse", contou o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi. "Uma das meninas, muito emocionada, entoou uma canção que ela mesma compôs para o papa e leu para ele uma longa carta em nome de todos", acrescentou. Depois disso, o papa almoçou com 12 jovens peregrinos do mundo inteiro. A francesa Anne-Sophie Peiffer, de 27 anos, disse aos jornalistas que mostrou ao papa a foto de um jovem conhecido que seria operado, mais uma vez, do coração. Ela lhe perguntou, então, sobre o sofrimento dos inocentes. "Estamos com medo", respondeu o Papa Francisco, "então, temos vontade de correr para os braços da nossa mãe". "Deus, Ele compreende. É tendo esse amor pelas pessoas que sofrem que nos aproximamos Dele", acrescentou Francisco, segundo a jovem. O papa convidou os jovens a "se voltarem para nossa mãe, a Virgem Maria". Os temas da dignidade, do compromisso, dos valores, das vocações e do desemprego entre os jovens também surgiram no encontro. "Estamos tirando a dignidade da nova geração", afirmou o papa, ao falar sobre o desemprego. Sobre a pobreza, ele advertiu: "Todo o mundo sabe que há pessoas que morrem de fome, mas não é uma notícia, enquanto uma quebra financeira é uma notícia".

PAPA FRANCISCO FEZ UMA LONGA E IMPORTANTE PREGAÇÃO PARA SEUS BISPOS

O Papa Francisco afirmou no sábado que a Igreja não pode se afastar do compromisso com a simplicidade. Em almoço com lideranças religiosas, cardeais e bispos no Palácio São Joaquim, residência do arcebispo do Rio de Janeiro, Papa Francisco falou sobre qual deve ser o papel dos religiosos na atualidade e destacou os desafios da Igreja no Brasil. A exemplo de discursos anteriores feitos durante sua visita ao País, o pontífice voltou a defender que a Igreja não pode desaprender a lição da simplicidade. "Queridos irmãos, o resultado do trabalho pastoral não se assenta na riqueza dos recursos, mas na criatividade do amor." "A Igreja deve sempre lembrar é que não pode afastar-se da simplicidade; caso contrário, desaprende a linguagem do mistério", completou. O pontífice disse ainda que é papel da Igreja resgatar aqueles fiéis que estão distantes de Deus e para isso é preciso saber dialogar. "Serve uma Igreja que saiba dialogar com aqueles discípulos, que, fugindo de Jerusalém, vagam sem meta, sozinhos, com o seu próprio desencanto", afirmou. Para o papa, apesar de o homem atual ser atraído por aquilo que prega a velocidade, como a internet, carros e aviões, ele ainda sente a necessidade "de calma". "A Igreja sabe ainda ser lenta: no tempo para ouvir, na paciência para costurar novamente e reconstruir? Ou a própria Igreja já se deixa arrastar pelo frenesi da eficiência?", questionou Francisco. Durante seu discurso, ele destacou os desafios da Igreja no Brasil, entre eles a necessidade de formar mais religiosos. "A situação atual exige uma formação qualificada em todos os níveis. Vocês, Bispos, não podem delegar este dever, mas assumi-lo como algo de fundamental para o caminho das suas Igrejas", afirmou. Leia a seguir a íntegra do discurso do Papa Francisco aos bispos:
Queridos Irmãos!
Como é bom e agradável encontrar-me aqui com vocês, Bispos do Brasil! Obrigado por terem vindo, e permitam que lhes fale como amigos, pelo que prefiro usar o castelhano, para poder expressar melhor aquilo que levo no coração. Peço-lhes que me perdoem! Retiramo-nos um pouco, neste lugar preparado por nosso irmão Dom Orani, para estar sozinhos e poder falar de coração a coração como Pastores a quem Deus confiou o seu Rebanho. Nas ruas do Rio, jovens de todo o mundo e muitas outras multidões estão esperando por nós, necessitados de serem envolvidos pelo olhar misericordioso de Cristo Bom Pastor, que nós somos chamados a tornar presente. Por isso, gozemos deste momento de descanso, de partilha, de verdadeira fraternidade. Começando pela Presidência da Conferência Episcopal e do Arcebispo do Rio de Janeiro, quero abraçar a todos e cada um, especialmente aos Bispos eméritos. Mais do que um discurso formal, quero compartilhar algumas reflexões com vocês. A primeira veio à minha mente, quando visitei o Santuário de Aparecida. Lá, ao pé da imagem da Imaculada Conceição, eu rezei por vocês, por suas Igrejas, por seus presbíteros, religiosos e religiosas, por seus seminaristas, pelos leigos e as suas famílias, em particular pelos jovens e os idosos, já que ambos constituem a esperança de um povo: os jovens, porque eles carregam a força, o sonho, a esperança do futuro, e os idosos, porque eles são a memória, a sabedoria de um povo.
1. Aparecida: chave de leitura para a missão da Igreja
Em Aparecida, Deus ofereceu ao Brasil a sua própria Mãe. Mas, em Aparecida, Deus deu também uma lição sobre Si mesmo, sobre o seu modo de ser e agir. Uma lição sobre a humildade que pertence a Deus como um traço essencial: ela está no DNA de Deus. Há algo de perene para aprender sobre Deus e sobre a Igreja, em Aparecida; um ensinamento, que nem a Igreja no Brasil nem o próprio Brasil devem esquecer.
No início do evento que é Aparecida, está a busca dos pescadores pobres. Tanta fome e poucos recursos. As pessoas sempre precisam de pão. Os homens partem sempre das suas carências, mesmo hoje. Possuem um barco frágil, inadequado; têm redes decadentes, talvez mesmo danificadas, insuficientes. Primeiro, há a labuta, talvez o cansaço, pela pesca, mas o resultado é escasso: um falimento, um insucesso. Apesar dos esforços, as redes estão vazias. Depois, quando foi da vontade de Deus, comparece Ele mesmo no seu Mistério. As águas são profundas e, todavia, encerram sempre a possibilidade de Deus; e Ele chegou de surpresa, quando talvez já não fosse esperado. A paciência dos que esperam por Ele é sempre posta à prova. E Deus chegou de uma maneira nova, porque sempre pode Se reinventar: uma imagem de barro frágil, escurecida pelas águas do rio, envelhecida também pelo tempo. Deus entra sempre nas vestes da pequenez. Veem então a imagem da Imaculada Conceição. Primeiro o corpo, depois a cabeça, em seguida a unificação de corpo e cabeça: a unidade. Aquilo que estava quebrado retoma a unidade. O Brasil colonial estava dividido pelo muro vergonhoso da escravatura. Nossa Senhora Aparecida se apresenta com a face negra, primeiro dividida mas depois unida, nas mãos dos pescadores. Há um ensinamento perene que Deus quer oferecer. Sua beleza refletida na Mãe, concebida sem pecado original, emerge da obscuridade do rio. Em Aparecida, logo desde o início, Deus dá uma mensagem de recomposição do que está fraturado, de compactação do que está dividido. Muros, abismos, distâncias ainda hoje existentes estão destinados a desaparecer. A Igreja não pode descurar esta lição: ser instrumento de reconciliação. Os pescadores não desprezam o mistério encontrado no rio, embora seja um mistério que aparece incompleto. Não jogam fora os pedaços do mistério. Esperam a plenitude. E esta não demora a chegar. Há aqui algo de sabedoria que devemos aprender. Há pedaços de um mistério, como ladrilhos de um mosaico, que encontramos e vemos. Nós queremos ver muito rápido a totalidade e Deus, pelo contrário, Se faz ver pouco a pouco. Também a Igreja deve aprender esta expectativa. Depois, os pescadores trazem para casa o mistério. O povo simples tem sempre espaço para albergar o mistério. Talvez nós tenhamos reduzido a nossa exposição do mistério a uma explicação racional; no povo, pelo contrário, o mistério entra pelo coração. Na casa dos pobres, Deus encontra sempre lugar. Os pescadores agasalham: revestem o mistério da Virgem pescada, como se Ela tivesse frio e precisasse ser aquecida. Deus pede para ficar abrigado na parte mais quente de nós mesmos: o coração. Depois é Deus que irradia o calor de que precisamos, mas primeiro entra com o subterfúgio de quem mendiga. Os pescadores cobrem o mistério da Virgem com o manto pobre da sua fé. Chamam os vizinhos para verem a beleza encontrada; eles se reúnem à volta dela; contam as suas penas em sua presença e lhe confiam as suas causas. Permitem assim que possam implementar-se as intenções de Deus: uma graça, depois a outra; uma graça que abre para outra; uma graça que prepara outra. Gradualmente Deus vai desdobrando a humildade misteriosa de sua força. Há muito para aprender nessa atitude dos pescadores. Uma Igreja que dá espaço ao mistério de Deus; uma Igreja que alberga de tal modo em si mesma esse mistério, que ele possa encantar as pessoas, atraí-las. Somente a beleza de Deus pode atrair. O caminho de Deus é o encanto, a fascinação. Deus faz-se levar para casa. Ele desperta no homem o desejo de guardá-lo em sua própria vida, na própria casa, em seu coração. Ele desperta em nós o desejo de chamar os vizinhos, para dar-lhes a conhecer a sua beleza. A missão nasce precisamente dessa fascinação divina, dessa maravilha do encontro. Falamos de missão, de Igreja missionária. Penso nos pescadores que chamam seus vizinhos para verem o mistério da Virgem. Sem a simplicidade do seu comportamento, a nossa missão está fadada ao fracasso. A Igreja tem sempre a necessidade urgente de não desaprender a lição de Aparecida; não a pode esquecer. As redes da Igreja são frágeis, talvez remendadas; a barca da Igreja não tem a força dos grandes transatlânticos que cruzam os oceanos. E, contudo, Deus quer se manifestar justamente através dos nossos meios, meios pobres, porque é sempre Ele que está agindo. Queridos irmãos, o resultado do trabalho pastoral não assenta na riqueza dos recursos, mas na criatividade do amor. Servem certamente a tenacidade, a fadiga, o trabalho, o planejamento, a organização, mas, antes de tudo, você deve saber que a força da Igreja não reside nela própria, mas se esconde nas águas profundas de Deus, nas quais ela é chamada a lançar as redes. Outra lição que a Igreja deve sempre lembrar é que não pode afastar-se da simplicidade; caso contrário, desaprende a linguagem do Mistério. E não só ela fica fora da porta do Mistério, mas não consegue sequer entrar naqueles que pretendem da Igreja aquilo que não podem dar-se por si mesmos: o próprio Deus. Às vezes, perdemos aqueles que não nos entendem, porque desaprendemos a simplicidade, inclusive importando de fora uma racionalidade alheia ao nosso povo. Sem a gramática da simplicidade, a Igreja se priva das condições que tornam possível "pescar" Deus nas águas profundas do seu Mistério. Uma última lembrança: Aparecida surgiu em um lugar de cruzamento. A estrada que ligava Rio, a capital, com São Paulo, a província empreendedora que estava nascendo, e Minas Gerais, as minas muito cobiçadas pelas cortes europeias: uma "encruzilhada" do Brasil colonial. Deus aparece nos cruzamentos. A Igreja no Brasil não pode esquecer esta vocação inscrita em si mesma desde a sua primeira respiração: ser capaz de sístole e diástole, de recolher e divulgar.
2. Apreço pelo percurso da Igreja no Brasil
Os Bispos de Roma tiveram sempre o Brasil e sua Igreja em seu coração. Um maravilhoso percurso foi realizado. Passou-se das 12 dioceses durante o Concílio Vaticano I para as atuais 275 circunscrições. Não teve início a expansão de um aparato governamental ou de uma empresa, mas sim o dinamismo dos "cinco pães e dois peixes" - de que fala o Evangelho - que, entrando em contato com a bondade do Pai, em mãos calejadas, tornaram-se fecundos. Hoje, queria agradecer o trabalho sem parcimônia de vocês, Pastores, em suas Igrejas. Penso nos Bispos nas florestas, subindo e descendo os rios, nas regiões semiáridas, no Pantanal, na pampa, nas selvas urbanas das megalópoles. Amem sempre, com total dedicação, o seu rebanho! Mas penso também em tantos nomes e tantas faces, que deixaram marcas indeléveis no caminho da Igreja no Brasil, fazendo palpar com a mão a grande bondade de Deus por esta Igreja. Os Bispos de Roma nunca lhes deixaram sós; seguiram de perto, encorajaram, acompanharam. Nas últimas décadas, o Beato João XXIII convidou com insistência os Bispos brasileiros a prepararem o seu primeiro plano pastoral e, daquele início, cresceu uma verdadeira tradição pastoral no Brasil, que fez com que a Igreja não fosse um transatlântico à deriva, mas tivesse sempre uma bússola. O Servo de Deus Paulo VI, para além de encorajar a recepção do Concílio Vaticano II, com fidelidade mas também com traços originais (veja-se a Assembleia Geral do CELAM, em Medellín), influiu decisivamente sobre a autoconsciência da Igreja no Brasil através do Sínodo sobre a evangelização e daquele texto que continua referência fundamental: a Exortação apostólica Evangelii nuntiandi. O Beato João Paulo II visitou o Brasil três vezes, percorrendo-o de cabo a rabo, de norte a sul, insistindo sobre a missão pastoral da Igreja, a comunhão e participação, a preparação do Grande Jubileu, a nova evangelização. Bento XVI escolheu Aparecida para realizar a V Assembleia Geral do CELAM e isso deixou uma grande marca na Igreja de todo o Continente. A Igreja no Brasil recebeu e aplicou com originalidade o Concílio Vaticano II e o percurso realizado, embora tenha tido de superar determinadas doenças infantis, levou a uma Igreja gradualmente mais madura, aberta, generosa, missionária. Hoje estamos em um novo momento. Segundo a feliz expressão do Documento de Aparecida, não é uma época de mudança, mas uma mudança de época. Sendo assim, hoje é cada vez mais urgente nos perguntarmos: O que Deus pede a nós? A esta pergunta, queria tentar oferecer qualquer linha de resposta.
3. O ícone de Emaús como chave de leitura do presente e do futuro
Antes de mais nada, não devemos ceder ao medo, de que falava o Beato John Henry Newman: "O mundo cristão está gradualmente se tornando estéril, e esgota-se como uma terra profundamente explorada que se torna areia".3 Não devemos ceder ao desencanto, ao desânimo, às lamentações. Nós trabalhamos duro e, às vezes, nos parece acabar derrotados, como quem tivesse de fazer o balanço de uma estação já perdida, olhando para aqueles que nos deixam ou já não nos consideram credíveis, relevantes. Vamos ler a esta luz, mais uma vez, o episódio de Emaús (cf. Lc 24, 13-15). Os dois discípulos escapam de Jerusalém. Eles se afastam da "nudez" de Deus. Estão escandalizados com o falimento do Messias, em quem haviam esperado e que agora aparece irremediavelmente derrotado, humilhado, mesmo após o terceiro dia (cf. vv. 17-21). O mistério difícil das pessoas que abandonam a Igreja; de pessoas que, após deixar-se iludir por outras propostas, consideram que a Igreja - a sua Jerusalém - nada mais possa lhes oferecer de significativo e importante. E assim seguem pelo caminho sozinhos, com a sua desilusão. Talvez a Igreja lhes apareça demasiado frágil, talvez demasiado longe das suas necessidades, talvez demasiado pobre para dar resposta às suas inquietações, talvez demasiado fria para com elas, talvez demasiado autoreferencial, talvez prisioneira da própria linguagem rígida, talvez lhes pareça que o mundo fez da Igreja uma relíquia do passado, insuficiente para as novas questões; talvez a Igreja tenha respostas para a infância do homem, mas não para a sua idade adulta O fato é que hoje há muitos que são como os dois discípulos de Emaús; e não apenas aqueles que buscam respostas nos novos e difusos grupos religiosos, mas também aqueles que parecem já viver sem Deus tanto em teoria como na prática.
Perante esta situação, o que fazer?
Serve uma Igreja que, na sua noite, não tenha medo de sair. Serve uma Igreja capaz de interceptar o caminho deles. Serve uma Igreja capaz de inserir-se na sua conversa. Serve uma Igreja que saiba dialogar com aqueles discípulos, que, fugindo de Jerusalém, vagam sem meta, sozinhos, com o seu próprio desencanto, com a desilusão de um cristianismo considerado hoje um terreno estéril, infecundo, incapaz de gerar sentido. A globalização implacável, a urbanização frequentemente selvagem prometeram muito. Muitos se enamoraram das potencialidades da globalização e, nela, existe algo de verdadeiramente positivo. Mas, a muitos, escapa o lado obscuro: o extravio do sentido da vida, a desintegração pessoal, a perda da experiência de pertencer a um "ninho" seja ele qual for, a violência sutil mas implacável, a ruptura interior e a fratura nas famílias, a solidão e o abandono, as divisões e a incapacidade de amar, de perdoar, de compreender, o veneno interior que torna a vida um inferno, a necessidade da ternura porque nos sentimos tão inadaptados e infelizes, as tentativas frustradas de encontrar respostas na drogas, no álcool, no sexo que se tornam novas prisões. E muitos buscaram atalhos, porque se apresenta demasiado alta a "medida" da Grande Igreja. Muitos pensaram: a ideia de homem é grande demais para mim, o ideal de vida que propõe está fora das minhas possibilidades, a meta a alcançar é inatingível, longe do meu alcance. Todavia - continuaram eles - eu não posso viver sem ter pelo menos alguma coisa, nem que seja uma caricatura, daquilo que é demasiado elevado para mim, daquilo que não posso me permitir. Com a desilusão no coração, eles foram à procura de alguém que lhes iludirá uma vez mais. A grande sensação de abandono e solidão, de não pertencerem sequer a si mesmos que muitas vezes surge dessa situação, é dolorosa demais para ser silenciada. Há necessidade de desabafar, restando-lhes então a via da lamentação: Como é que chegamos a esse ponto? Mas a própria lamentação torna-se, por sua vez, como um bumerangue que regressa e acaba aumentando a infelicidade. Ainda poucas pessoas são capazes de ouvir a dor: é preciso pelo menos anestesiá-lo. Hoje, serve uma Igreja capaz de fazer companhia, de ir para além da simples escuta; uma Igreja, que acompanha o caminho pondo-se em viagem com as pessoas; uma Igreja capaz de decifrar a noite contida na fuga de tantos irmãos e irmãs de Jerusalém; uma Igreja que se dê conta de como as razões, pelas quais há quem se afaste, contém já em si mesmas também as razões para um possível retorno, mas é necessário saber a totalidade com coragem. Eu gostaria que hoje nos perguntássemos todos: Somos ainda uma Igreja capaz de aquecer o coração? Uma Igreja capaz de reconduzir a Jerusalém? Capaz de acompanhar de novo a casa? Em Jerusalém, residem as nossas fontes: Escritura, Catequese, Sacramentos, Comunidade, amizade do Senhor, Maria e os Apóstolos... Somos ainda capazes de contar de tal modo essas fontes, que despertem o encanto pela sua beleza?
Muitos se foram, porque lhes foi prometido algo de mais alto, algo de mais forte, algo de mais rápido. Mas haverá algo de mais alto que o amor revelado em Jerusalém? Nada é mais alto do que o abaixamento da Cruz, porque lá se atinge verdadeiramente a altura do amor! Somos ainda capazes de mostrar esta verdade para aqueles que pensam que a verdadeira altura da vida esteja em outro lugar? Porventura se conhece algo de mais forte que a força escondida na fragilidade do amor, do bem, da verdade, da beleza? A busca do que é cada vez mais rápido atrai o homem de hoje: internet rápida, carros velozes, aviões rápidos, relatórios rápidos... E, todavia, se sente uma necessidade desesperada de calma, quero dizer de lentidão. A Igreja sabe ainda ser lenta: no tempo para ouvir, na paciência para costurar novamente e reconstruir? Ou a própria Igreja já se deixa arrastar pelo frenesi da eficiência? Recuperemos, queridos Irmãos, a calma de saber sintonizar o passo com as possibilidades dos peregrinos, com os seus ritmos de caminhada, recuperemos a capacidade de estar lhes sempre perto para permitir a eles abrirem uma brecha no desencanto que existe nos corações, para que possam entrar. Eles querem esquecer Jerusalém onde residem as suas fontes, mas assim acabarão por sentir sede. Serve uma Igreja ainda capaz de acompanhar o regresso a Jerusalém! Uma Igreja, que seja capaz de fazer descobrir as coisas gloriosas e estupendas que se dizem de Jerusalém, de fazer entender que ela é minha Mãe, nossa Mãe, e não somos órfãos! Nela nascemos. Onde está a nossa Jerusalém em que nascemos? No Batismo, no primeiro encontro de amor, na chamada, na vocação! Serve uma Igreja capaz ainda de devolver a cidadania a muitos de seus filhos que caminham como em um êxodo.
Os desafios da Igreja no Brasil
À luz do que eu disse, quero sublinhar alguns desafios da amada Igreja que está no Brasil.
A prioridade da formação: Bispos, sacerdotes, religiosos, leigos
Queridos irmãos, senão formarmos ministros capazes de aquecer o coração das pessoas, de caminhar na noite com elas, de dialogarem com as suas ilusões e desilusões, de recompor as suas desintegrações, o que poderemos esperar para o caminho presente e futuro? Não é verdade que Deus se tenha obscurecido nelas. Aprendamos a olhar mais profundamente: falta quem lhes aqueça o coração, como sucedeu com os discípulos de Emaús (cf. Lc 24,32). Por isso, é importante promover e cuidar uma formação qualificada que crie pessoas capazes de descer na noite sem ser invadidas pela escuridão e perder-se; capazes de ouvir a ilusão de muitos, sem se deixar seduzir; capazes de acolher as desilusões, sem desesperar-se nem precipitar na amargura; capazes de tocar a desintegração alheia, sem se deixar dissolver e decompor na sua própria identidade. Serve uma solidez humana, cultural, afetiva, espiritual, doutrinal. Queridos Irmãos no Episcopado, é preciso ter a coragem de uma revisão profunda das estruturas de formação e preparação do clero e do laicato da Igreja que está no Brasil. Não é suficiente uma vaga prioridade da formação, nem documentos ou encontros. Serve a sabedoria prática de levantar estruturas duradouras de preparação em âmbito local, regional, nacional e que sejam o verdadeiro coração para o Episcopado, sem poupar forças, solicitude e assistência. A situação atual exige uma formação qualificada em todos os níveis. Vocês, Bispos, não podem delegar este dever, mas assumi-lo como algo de fundamental para o caminho das suas Igrejas.
- Colegialidade e solidariedade da Conferência Episcopal
Para a Igreja no Brasil, não basta um líder nacional; serve uma rede de "testemunhos" regionais, que, falando a mesma linguagem, assegurem em todos os lugares, não a unanimidade, mas a verdadeira unidade na riqueza da diversidade. A comunhão é uma teia que deve ser tecida com paciência e perseverança, que vai gradualmente "aproximando os pontos" para permitir uma cobertura cada vez mais ampla e densa. Um cobertor só com poucos fios de lã não aquece. É importante lembrar Aparecida, o método de congregar a diversidade; não tanto a diversidade de ideias para produzir um documento, mas a variedade de experiências de Deus para pôr em movimento uma dinâmica vital. Os discípulos de Emaús voltaram para Jerusalém, contando a experiência que tinham feito no encontro com o Cristo Ressuscitado. E lá tomaram conhecimento das outras manifestações do Senhor e das experiências dos seus irmãos. A Conferência Episcopal é justamente o espaço vital para permitir tal permuta de testemunhos sobre os encontros com o Ressuscitado, no norte, no sul, no oeste... Serve, pois, uma progressiva valorização do elemento local e regional. Não é suficiente a burocracia central, mas é preciso fazer crescer a colegialidade e a solidariedade; será uma verdadeira riqueza para todos.7
- Estado permanente de missão e conversão pastoral
Aparecida falou de estado permanente de missão e da necessidade de uma conversão pastoral. São dois resultados importantes daquela Assembleia para a Igreja inteira da região, e o caminho realizado no Brasil a propósito destes dois pontos é significativo. Quanto à missão, há que lembrar que a urgência deriva de sua motivação interna, isto é, trata-se de transmitir uma herança, e, quanto ao método, é decisivo lembrar que uma herança sucede como na passagem do testemunho, do bastão, na corrida de estafeta: não se joga ao ar e quem consegue apanhá-lo tem sorte, e quem não consegue fica sem nada. Para transmitir a herança é preciso entregá-la pessoalmente, tocar a pessoa para quem você quer doar, transmitir essa herança. Quanto à conversão pastoral, quero lembrar que "pastoral" nada mais é que o exercício da maternidade da Igreja. Ela gera, amamenta, faz crescer, corrige, alimenta, conduz pela mão... Por isso, serve uma Igreja capaz de redescobrir as entranhas maternas da misericórdia. Sem a misericórdia, poucas possibilidade temos hoje de inserir-nos em um mundo de "feridos", que têm necessidade de compreensão, de perdão, de amor. Na missão, mesmo continental, é muito importante reforçar a família, que permanece célula essencial para a sociedade e para a Igreja; os jovens, que são o rosto futuro da Igreja; as mulheres, que têm um papel fundamental na transmissão da fé. Não reduzamos o empenho das mulheres na Igreja, antes pelo contrário promovamos o seu papel ativo na comunidade eclesial. Perdendo as mulheres, a Igreja corre o risco da esterilidade.
- A função da Igreja na sociedade
No âmbito da sociedade, há somente uma coisa que a Igreja pede com particular clareza: a liberdade de anunciar o Evangelho de modo integral, mesmo quando ele está em contraste com o mundo, mesmo quando vai contra a corrente, defendendo o tesouro de que é somente guardiã, e os valores dos quais não pode livremente dispor, mas que recebeu e deve ser-lhes fiel. A Igreja pede o direito de poder servir o homem na sua totalidade, dizendo-lhe o que Deus revelou sobre o homem e sua realização. A Igreja deseja tornar presente aquele patrimônio imaterial, sem o qual a sociedade se desintegra, as cidades seriam arrasadas por seus próprios muros, abismos, barreiras. A Igreja tem o direito e o dever de manter acesa a chama da liberdade e da unidade do homem. Educação, saúde, paz social são as urgências no Brasil. A Igreja tem uma palavra a dizer sobre estes temas, porque, para responder adequadamente a esses desafios, não são suficientes soluções meramente técnicas, mas é preciso ter uma visão subjacente do homem, da sua liberdade, do seu valor, da sua abertura ao transcendente. E vocês, queridos Irmãos, não tenham medo de oferecer esta contribuição da Igreja que é para bem da sociedade inteira.
- A Amazônia como teste decisivo, banco de prova para a Igreja e a sociedade brasileiras
Há um último ponto sobre o qual gostava de deter-me e que considero relevante para o caminho atual e futuro não só da Igreja no Brasil, mas também de toda a estrutura social: a Amazônia. A Igreja está na Amazônia não como aqueles que têm as malas na mão para partir depois de terem explorado tudo o que puderam. Desde o início que a Igreja está presente na Amazônia com missionários, congregações religiosas, e lá continua ainda presente e determinante no futuro daquela área. Penso no acolhimento que a Igreja na Amazônia oferece ainda hoje aos imigrantes haitianos depois do terrível terremoto que devastou o seu país. Queria convidar todos a refletirem sobre o que Aparecida disse a propósito da Amazônia, incluindo o forte apelo ao respeito e à salvaguarda de toda a criação que Deus confiou ao homem, não para que a explorasse rudemente, mas para que tornasse ela um jardim. No desafio pastoral que representa a Amazônia, não posso deixar de agradecer o que a Igreja no Brasil está fazendo: a Comissão Episcopal para a Amazônia, criada em 1997, já deu muitos frutos e tantas dioceses responderam pronta e generosamente ao pedido de solidariedade, enviando missionários, leigos e sacerdotes. Agradeço a Dom Jaime Chemelo, pioneiro deste trabalho, e ao Cardeal Hummes, atual presidente da Comissão. Mas eu gostaria de acrescentar que deveria ser mais incentivada e relançada a obra da Igreja. Servem formadores qualificados, especialmente professores de teologia, para consolidar os resultados alcançados no campo da formação de um clero autóctone, inclusive para se ter sacerdotes adaptados às condições locais e consolidar por assim dizer o "rosto amazônico" da Igreja. Queridos Irmãos, procurei oferecer-lhes fraternalmente reflexões e linhas de ação em uma Igreja como a que está no Brasil, que é um grande mosaico de ladrilhos, de imagens, de formas, de problemas, de desafios, mas que por isso mesmo é uma enorme riqueza. A Igreja não é jamais uniformidade, mas diversidades que se harmonizam na unidade, e isso é válido em toda a realidade eclesial. Que a Virgem Imaculada Aparecida seja a estrela que ilumina o compromisso e o caminho de vocês levarem Cristo, como Ela fez, a cada homem e cada mulher de seu imenso país. Será Ele, como fez com os dois discípulos extraviados e desiludidos de Emaús, a aquecer o coração e a dar nova e segura esperança.

A VERDADE VEM À TONA, GOVERNO JOSÉ FORTUNATI SUSPENDE OBRAS E CORTA GASTOS, LEGADO PARA PORTO ALEGRE SERÁ UMA GRANDE INCOMODAÇÃO

Até demorou para vir à tona a real situação das contas públicas da prefeitura de Porto Alegre. Mas, finalmente, o prefeito José Fortunati (PDT) teve que abrir o jogo e admitir que chegou ao fim a farra da gastança por conta para a Copa do Mundo. Durante a Copa, e depois da Copa, o que os portoalegrenses conhecerão é uma buraqueira de obras sem data para terminar. A prioridade continuarão sendo as construções no entorno do Estádio Beira-Rio, como a duplicação da Avenida Edvaldo Pereira Paiva, o viaduto Pinheiro Borda e o alargamento da via e construção de corredor BRT na Avenida Padre Cacique. Mesmo este corredor de ônibus será apenas uma fantasia, porque não funcionária durante a Copa do Mundo, e nem depois, por um bom tempo. Definitivamente, só muito depois da Copa do Mundo, e não se sabe quando, serão inauguradas obras como as trincheiras da Rua Anita Garibaldi e da Avenida Cristóvão Colombo, o viaduto da Avenida Plínio Brasil Milano e duplicação da Avenida Tronco, que exige a transferência de 1.525 famílias. O motivo principal para o atraso de tantas obras é o de sempre: falta de planejamento, falta de capacidade da área técnica do governo José Fortunati de dar solução para os empreendimentos. Veja a lista do que ficará para depois: 1) operação do sistema BRT (ainda que a pavimentação de corredores BRT das avenidas Padre Cacique, Protásio Alves, João Pessoa e Bento Gonçalves tenham previsão de conclusão antes do Mundial, as novas estações, terminais e ônibus não estarão em operação durante a Copa); duplicação da Rua Voluntários da Pátria (o trecho 1, entre as ruas da Conceição e Ramiro Barcelos ficará pronto antes do Mundial, mas o trecho 2, entre a Ramiro e a Avenida Sertório ficará para depois); 3) prolongamento da Avenida Severo Dullius; 4) trincheira da Avenida Cristóvão Colombo com Terceira Perimetral; 5) trincheira da Avenida Ceará; 6) viaduto da Avenida Plínio Brasil Milano com Terceira Perimetral; 7) duplicação da Avenida Tronco. E note-se que o governo José Fortunati já nem fala de duplicações no Aeroporto Internacional Salgado Filho. É certo que esse assunto já morreu.

AUDIÊNCIA PÚBLICA PARA EXPLICAR A NOVA PROSPECÇÃO DE PETRÓLEO EM ÁGUAS DO LITORAL GAÚCHO

O Rio Grande do Sul poderá adquirir nova importância na prospecção de petróleo e gás natural no Brasil, se depender de estudos desenvolvidos pela Petrobras que apontam para a possível presença das duas substâncias sob as águas do litoral gaúcho. A perfuração de mais um poço exploratório poderá iniciar até o final do ano. Para isso foi realizada audiência pública no sábado no auditório do Cidec-Sul, da Universidade Federal do Rio Grande (Furg), como última etapa antes da obtenção do licenciamento ambiental. O poço está no Bloco BM-P-02 e foi apelidado de Guarani. Fica localizado praticamente em frente a São José do Norte, próximo à entrada do canal da Lagoa dos Patos no Oceano Atlântico, a cerca de 200 quilômetros da costa. Foi garantido pela Petrobras no leilão promovido pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) em 2004. Estudos realizados a partir 2010 permitiram à petroleira investir cerca de R$ 200 milhões em sua exploração. Ele será o décimo poço a ser perfurado na chamada Bacia de Pelotas, uma área de 210 mil km quadrados que vai de Florianópolis até o Uruguai. Nos outros nove, até hoje, não foi encontrado petróleo. No poço Guarani, a Petrobras pretende explorar 7,2 mil metros abaixo da lâmina d'água. A distância é semelhante à da camada de pré-sal, que fica entre 7 mil e 8 mil metros sob a água. Para chegar a essa profundidade, uma sonda que atualmente realiza pesquisas na Bacia de Santos será deslocada para o Rio Grande do Sul.

PSB DO MATO GROSSO PEDE AFASTAMENTO DE DEPUTADO FEDERAL

Em passeata pelas ruas centrais de Cuiabá, na sexta-feira, movimentos sociais ligados ao PSB pediram ao partido o afastamento do deputado federal Valtenir Pereira, que preside sua executiva no Mato Grosso. Do ato participaram, entre outros, integrantes do Movimento Popular Socialista, Juventude Socialista, Negritude Socialista e simpatizantes da sigla. O nome de Pereira está em uma lista da Polícia Federal entre participantes de um suposto esquema milionário de superfaturamento de redes de informática em escolas da Paraíba, no valor de R$ 235 mil. A Polícia Federal diz ter encontrado notas fiscais das empresas S&M, Gráfica Print e Casarão Vídeos de Mato Grosso na sede da Idea Digital, da Paraíba, tida como pivô do esquema. As três teriam atuado na campanha do parlamentar à reeleição, em 2010. Uma delas, a S&M, confirma que recebeu dinheiro da empresa investigada para fazer materiais para a campanha do deputado. Valtenir Pereira negou as acusações e garantiu, em entrevista, que suas contas foram aprovadas pelo Tribunal Regional Eleitoral. “Não há fraude alguma”, prosseguiu, acrescentando que foi até ao Ministério Público e ao STF e não achou nenhum inquérito contra ele. “Não autorizei ninguém a receber nada fora da lei”, defendeu-se.

GOVERNO PETISTA QUEBRA A PREVIDÊNCIA, APOSENTADORIAS EM RISCO

Ao se esquivar de realizar uma ampla reforma da Previdência Social, optando por adotar apenas medidas pontuais para enfrentar o aumento do déficit no regime de aposentadorias no Brasil, o governo corre o risco de jogar pela janela os avanços realizados nessa área nos últimos anos. A avaliação é de especialistas e integrantes do Executivo. Dados mostram que, no primeiro semestre deste ano, o rombo do INSS subiu 23% e atingiu R$ 27,348 bilhões, contra R$ 22,229 bilhões no mesmo período de 2012, já descontada a inflação. Enquanto a arrecadação subiu 3,8% no período, a despesa com o pagamento de benefícios cresceu num ritmo mais forte, de 6,5%. Os especialistas argumentam que, mesmo com essa deterioração, o governo não se preocupou nem em poupar a Previdência do recente corte de R$ 10 bilhões feito no Orçamento para dar mais credibilidade à política fiscal. No número, a equipe econômica incluiu R$ 4,4 bilhões que seriam repassados ao INSS para cobrir o programa de desoneração da folha de pagamentos das empresas. Segundo a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, o valor do repasse à Previdência foi reavaliado, pois o impacto das desonerações está menor em 2013 do que se esperava. No entanto, há quem diga que, na verdade, o que ocorreu foi apenas uma manobra para adiar o montante que o Tesouro deveria repassar ao INSS, e deixar mais dinheiro no caixa para o cumprimento do superávit primário. Entre as despesas que mais pressionam o regime de aposentadoria estão os gastos com as pensões, aposentadorias por invalidez e auxílios-doença continuados. Só para se ter uma ideia, as despesas com pensões (o Brasil é um dos poucos países do mundo que pagam o benefício vitalício e integral, independente da idade da viúva e do número de filhos), saíram de R$ 41,139 bilhões, em 2003, para R$ 74,592 bilhões no ano passado. Entre janeiro e junho, já somam R$ 41,369 bilhões, só no regime geral (INSS). Técnicos do governo chegaram a elaborar uma proposta para mexer nas regras da pensão, mas o projeto acabou engavetado. As normas da Previdência determinam que o governo avalie periodicamente, a cada dois anos, os benefícios por invalidez e os auxílios-doença continuados e desenvolva políticas de reabilitação para inserir no mercado quem tem condições de trabalhar. Porém, um técnico do governo admite: — Se o governo quiser, há gordura para queimar — afirmou o técnico. Os gastos com auxílio-doença passaram de R$ 11,531 bilhões para R$ 18,639 bilhões nos últimos nove anos, e encerrou o semestre em R$ 10,763 bilhões. Já as aposentadorias concedidas por invalidez (doença ou acidente de trabalho) cresceram de R$ 18,325 bilhões para R$ 36,492 bilhões entre 2003 e 2012, atingindo R$ 20,196 bilhões no primeiro semestre deste ano.

O PALÁCIO BUNKER DA SOBERANA BOLIVARIANA PETISTA DILMA ROUSSEFF

Em tempos de protestos pelo País, a Presidência da República reforçou o sistema de segurança dos acessos ao Palácio da Alvorada, residência oficial da soberana bolivariana petista Dilma Rousseff. Barreiras manuais instaladas no governo do ex-presidente Lula foram substituídas por pinos hidráulicos, acionados por controle remoto. O sistema, que custou R$ 737.500,00, funcionará na portaria principal do Alvorada e nos dois acessos laterais. Segundo o Gabinete de Segurança Institucional (GSI), "a instalação de pinos hidráulicos reforça a segurança e agiliza a entrada e a saída de veículos no Palácio da Alvorada". A obra inclui, além da instalação dos pinos hidráulicos, a remoção dos antigos e a restauração do asfalto nas três entradas. A previsão é que fique pronta até a próxima quarta-feira. O controle das pessoas que entram no Palácio continuará sendo feito mediante identificação individual. Ministros, autoridades e convidados da presidente têm de passar pela identificação. Os pinos foram instalados em frente aos portões do Palácio. A obra foi contratada por meio de pregão eletrônico, em dezembro de 2012. A empresa vencedora foi Indústrias Rossi Eletromecânica. Antes da instalação do moderno sistema, o acesso era controlado por pinos manuais, que eram abaixados ou levantados, conforme o movimento de carros. Grades e cones de trânsito também são colocados nos acessos do Alvorada para controlar a circulação de carros e pessoas.

PRB VAI COMEÇAR CAMPANHA PELA REDUÇÃO DA MAIORIDADE PENAL

O PRB decidiu botar o bloco na rua pela redução da maioridade penal. Fará uma campanha em todo o Brasil, começando por São Paulo, para recolher 1 milhão de assinaturas num abaixo-assinado que será enviado ao Congresso.

EDUARDO PAES RECONHECE INCOMPETÊNCIA PARA ORGANIZAR GRANDES EVENTOS

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, admitiu a sua incompetência para organizar grandes eventos, como a Jornada Mundial da Juventude (JMJ 2013). Ele reconheceu que houve falhas e disse que a nota da organização do evento "está mais perto de zero que de dez". Eduardo Paes enfatizou que a obrigação da Prefeitura era fazer um trabalho perfeito, o que não ocorreu.

GOVERNO GREGO ANUNCIA REDUÇÃO DE FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS

O governo grego informou  que no primeiro semestre de 2013 cerca de 15 mil funcionários públicos deixaram seus empregos, por causa de demissões ou aposentadorias, e o número total de funcionários públicos do país diminuiu para 614 mil pessoas, em uma população de 11 milhões. Entretanto, dos 12,5 mil funcionários públicos que deveriam ser demitidos até o final de setembro, ainda 5,5 mil nomes não foram identificados. Por essa razão, o primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, expressou sua preocupação pelos atrasos, que provocaram atritos com os representantes da Troika, grupo formado por Fundo Monetário Internacional (FMI), União Européia (UE) e o Banco Central Europeu (BCE). O premier pediu para o ministro da Reforma Administrativa, Kyriakos Mitsotakis, e para todos os secretários gerais dos ministérios, urgência com os procedimentos de demissões, ressaltando que "os funcionários políticos merecedores não precisam se preocupar".

PRESIDENTE DA CÂMARA DE PORTO ALEGRE É DENUNCIADO PELO PRÓPRIO SECRETÁRIO MUNICIPAL DE SAÚDE, PELO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE; VEREADOR THIAGO DUARTE ESTÁ SENDO SATANIZADO PELA PETRALHADA

O Conselho Municipal de Saúde e a Secretaria da Saúde de Porto Alegre encaminharam denúncia ao Ministério Público, à Polícia Federal e ao Conselho Regional de Medicina (Cremers) contra o médico e presidente da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, Thiago Duarte (PDT). Ele estaria atendendo pacientes em "consultórios irregulares" no Bairro Lami, usando receituários exclusivos da prefeitura. Documentos com o timbre da Secretaria da Saúde de Porto Alegre, como receituários, requisições de exames e solicitação de medicamentos, foram encontrados em uma residência no Bairro Lami, na Zona Sul da capital. A denúncia foi encaminhada ao Conselho Municipal de Saúde por uma moradora. O local funcionaria como um posto de saúde alternativo da região e seria usado pelo médico e presidente da Câmara de Vereadores, Thiago Duarte. Também foram entregues gravações, com áudios de marcações de consultas. Outro local usado para atendimento seria uma creche que fica em frente a Unidade Básica de Saúde UBS) do Lami. O vereador nega ter atendido pacientes na residência e diz não usar requisições da prefeitura fora dos postos. "Não utilizo o receituário público fora do posto de saúde, mas como médico eu tenho toda a liberdade de atender onde eu bem quiser. Eu tenho consultório? Tenho. Tenho consultório em Belém Novo, na Restinga, atendo em associações comunitárias. Atendo, sim. Atendo em diversas associações comunitárias. Mas não utilizo receituário público", declarou. O médico confirmou que chegou a atender pacientes na creche, mas diz que fez isso devido às más condições do posto de saúde do Lami. "Em função dessa poeira medonha, eu tive que atender aqui. Usei uma creche conveniada ao município de Porto Alegre, não é uma creche particular, é uma creche conveniada à Secretaria de Educação, para prestar o atendimento à população. Se não pudesse fazer na creche, ia fazer no meio da rua. Aliás, eu acho que é isso que o secretário quer. O secretário quer que a população não tenha o atendimento", disse o vereador. O secretário de Saúde de Porto Alegre, médico Carlos Henrique Casartelli (PTB), que denunciou seu colega, diz que a utilização de documentos com timbre da prefeitura fora dos postos pode estar burlando o sistema de marcação do SUS, prejudicando outros pacientes. "Tu tem regras pra seguir. No momento que tu não segue essas regras, tu está passando por cima do sistema e fazendo uma ponte para fazer um atendimento e tirando a necessidade de outras pessoas que precisam também do Sistema Único de Saúde", disse o secretário. Esse médico Carlos Henrique Casartelli é um desastre total para a saúde pública em Porto Alegre. Há pelo menos dois anos é a patente, por exemplo, a necessidade de implantação imediata de dois hospitais de campanha na cidade, porque há um imenso déficit de no mínimo dois mil leitos de emergência na capital gaúcha. Ele mantém uma administração desastrada, e agora resolveu denunciar  um colega, médico e igualmente funcionário público, que se dá ao trabalho de atender pacientes pobres na periferia, coisa que ele, Casartelli, não faz, e nem propicia aos moradores. Casartelli, além disso, aliou-se ao Conselho Municipal da Saúde, que é totalmente dominado pelo petismo. O médico e vereador Thiago Duarte é funcionário da prefeitura de Porto Alegre e está lotado no Hospital Presidente Vargas. Segundo a Secretaria de Saúde, ele não poderia atender no Posto do Lami, já que não é funcionário daquela unidade e não assinou um termo de voluntariado. É ou não é uma autêntica história kafkiana?

EXTREMISTAS ATIRAM BANANAS EM MINISTRA NEGRA NA ITÁLIA

Após ser comparada com um orangotango pelo vice-presidente do Senado, Roberto Calderoli, a ministra de Integração da Itália, Cécile Kyenge, de origem congolesa, foi alvo de outro ato de intolerância e desprezo na noite de sexta-feira, quando foi atingida por duas bananas lançadas por militantes do movimento Força Nova, da extrema-direita. Os fatos ocorreram em uma festa do progressista Partido Democrata (PD), o mesmo do primeiro-ministro Enrico Letta, na cidade de Cervia, no nordeste do país. Um desses integrantes da Força Nova, que já tinha aquecido o ambiente com uma manifestação na última quinta-feira, lançou duas bananas em direção ao palco em que a ministra discursava, embora sem atingi-la fisicamente. Sem dar importância ao gesto, Cécile usou o Twitter para comentar o ato. "Com tantas pessoas morrendo de fome por causa da crise é triste desperdiçar comida assim", afirmou a ministra na mensagem divulgada por sua equipe assistente, a qual confirmou o ocorrido. Dado o alto nível de crispação gerado na extrema-direita em torno da primeira ministra negra da Itália, a polícia estava alerta em relação à possíveis ataques contra Cécile, mas, mesmo assim, não conseguiu evitar essa agressão.

PROGRAMA "MAIS MÉDICOS" DA SOBERANA BOLIVARIANA DILMA ROUSSEFF NÃO DECOLA E GOVERNO DELA PRORROGA O PRAZO

O programa "Mais Médicos", feito em cima da perna para aplacar a voz das ruas, está dando errado, conforme todas as previsões sérias. De um total de 18.450 pré-inscrições feitas no "Mais Médicos", pelo menos 45% apresentaram inconsistência, o que indica um boicote ao programa, que encontra forte resistência da classe médica. Só 3.123 inscrições foram efetivamente confirmadas até sexta-feira, correspondendo a apenas 20% da demanda apresentada por prefeitos de todo o País, de 15.460 médicos. O prazo, desta forma, terá que ser prorrogado não só até este domingo, mas por várias semanas. Veja estes números:
- 8.307 inscrições têm inconsistência no número do CRM (Conselho Regional de Medicina), por não ter sido fornecido ou por não bater com dados do candidato;
- 1.270 médicos inscritos atuam em residências médicas e, para aderir ao "Mais Médicos", precisam deixar a especialização.
Somente 1.920 médicos estrangeiros se inscreveram, o que mostra que esta não é a solução para os problemas de saúde do País. Mais grave ainda é o fato de que médicos já empregados em prefeituras do Interior, conforme informações de prefeitos, estão se inscrevendo para atuar no programa. O prefeito deixa de pagar o salário, o médico passa a receber melhor. Estão sendo feitos vários tipos de acordos entre as partes. Ou seja: a grande solução da soberana bolivariana Dilma Rousseff, e de seus ministros petistas Alexandre Padilha e Aloizio Mercadante é a mesma coisa que trocar seis por meia dúzia. Ou enxugar gelo. Como se diz na gíria, os "juvenas" deste governo petista sempre conseguem se superar.

GASTOS CRESCEM 13% E INVESTIMENTOS AUMENTAM 1%, É O PADRÃO PETISTA DE GESTÃO PÚBLICA

Os investimentos federais, apontados como prioridade do governo pela soberana bolivariana petista Dilma Rousseff, tiveram desempenho bem inferior ao das demais despesas no primeiro semestre deste ano.Segundo o Tesouro Nacional, os investimentos cresceram apenas 1% ante o mesmo período do ano passado e somaram R$ 33,2 bilhões. No mesmo período, o total das despesas aumentou 12,9%, para R$ 428,4 bilhões. A expansão dos gastos do governo no primeiro semestre não foi acompanhada na mesma intensidade pelo aumento das receitas, que cresceram 7,5%. Com isso, o valor economizado pelo governo caiu 28% no período, para R$ 34,4 bilhões.O compromisso atual do governo federal é economizar R$ 73,1 bilhões em 2013. Para o setor público como um todo, a meta é chegar a uma economia de 2,3% do PIB, mas boa parte do mercado tem dúvidas sobre a viabilidade desse número. Mesmo após o anúncio do corte adicional de R$ 10 bilhões em despesas orçamentárias nesta semana, a consultoria LCA, por exemplo manteve sua previsão para o superavit no ano em 1,8% do PIB.

PAC DA SOBERANA BOLIVARIANA PETISTA DILMA ROUSSEFF ATRASA PAGAMENTO DE R$ 1,5 BILHÃO E ESTÁ QUEBRANDO PEQUENAS CONSTRUTORAS

Construtoras que fazem obras rodoviárias do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) ameaçam parar, a partir desta segunda-feira, por falta de pagamento do governo federal. Em greve desde o mês passado, os servidores do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) não estão realizando os procedimentos burocráticos para autorizar pagamentos.Com isso, as empresas deixaram de receber R$ 1,5 bilhão desde maio, afirma a CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção). "Não podemos tocar obras sem receber", disse Alberto Salum, presidente do Sindicato das Construtoras de Minas Gerais e dono da construtora Vilasa. Responsável pela negociação com o governo, o presidente da CBIC, Paulo Simão, informou que os ministérios do Planejamento e dos Transportes sinalizaram com a possibilidade de pagar cerca de R$ 500 milhões da dívida em atraso. Segundo ele, muitas empresas estão no limite, sobretudo as pequenas e médias, e não aguentam mais do que uma semana sem receber. Ao menos 200 empreiteiras de pequeno e médio porte vivem quase exclusivamente de obras para o Dnit, segundo a Aneor (Associação Nacional das Empresas de Obras Rodoviárias).

PSB ADIA TÉRMINO DA ALIANÇA COM PT DEVIDO AOS SEUS GOVERNADORES

Dirigentes do PSB querem adiar para janeiro a quebra da aliança com a soberana bolivariana petista Dilma Rousseff por temer que os seis governadores e prefeitos de capitais sofram retaliações da União. Sem repasse de recursos federais, por exemplo, a gestão dos governos estaduais estaria comprometida, assim como as pretensões de reeleição. O partido está dividido sobre qual seria o melhor momento de entregar os dois ministérios que comanda (Integração Nacional e Secretaria dos Portos) e assumir de vez o posto de oposição para começar a trabalhar abertamente pela candidatura do governador de Pernambuco e presidente do partido, Eduardo Campos, à Presidência. Quadros expressivos da sigla, como o deputado Júlio Delgado (MG), defendem o rompimento até o início de outubro, um ano antes das eleições de 2014 e prazo final de filiações para aqueles que quiserem participar do pleito. Mas o próprio Campos discorda e vem dizendo aos correligionários que a ideia é adiar o racha o quanto for possível. A maior preocupação hoje é com Amapá, Paraíba e Piauí, Estados que dependem muito da vontade (e da caneta) política do Palácio do Planalto. Tudo indica que, apesar da divergência, o partido acabará seguindo a posição defendida por Campos.

PT INTERROMPE COMEMORAÇÕES PELOS DEZ ANOS NO GOVERNO

A onda de protestos pelo Ppaís e a queda de popularidade do governo da soberana boliviariana petista Dilma Rousseff, apontada pela última pesquisa CNI/Ibope, cancelaram eventos do PT. Dos dez encontros programados, com a presença de Dilma e do ex-presidente Lula, para comemorar dez anos do partido na Presidência, apenas seis foram realizados e não há mais nenhum previsto. Além disso, as caravanas do senador Lindbergh Farias, pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro, em 2014, sofreram um recuo estratégico e só deverão voltar ao ritmo normal em outubro, após análise dos efeitos causados pelas manifestações. Principal entusiasta de um terceiro mandato do ex-presidente Lula, cuja proposta chegou a defender publicamente, o deputado federal Devanir Ribeiro (PT-SP) criticou a postura do partido. "Nossa origem é a base, e nós nos distanciamos da base. O PT não deve apenas se preocupar com a conjuntura internacional, com o PIB. Tem que se preocupar com a base eleitoral", afirmou o parlamentar, amigo do ex-presidente há pelo menos 40 anos. Segundo Ribeiro, as manifestações pegaram de surpresa o PT e também os outros partidos: "Estamos todos perplexos. É o momento de refletir e analisar os prejuízos. Mas isso não é apenas com o PT. É também com o PMDB do Rio, o PSDB de São Paulo e até com o PSB de Pernambuco, do governador Eduardo Campos". O sexto e último evento comemorativo dos dez anos do PT no governo ocorreu na última quinta-feira, em um hotel em Salvador.

O CONSULTOR PETISTA FERNANDO PIMENTEL ESTÁ ENROLADO DE NOVO

O Ministério Público investiga contratos firmados pela prefeitura de Belo Horizonte durante o período em que o ministro do Desenvolvimento, o petista Fernando Pimentel, era prefeito. O caso refere-se à Fundação Municipal de Cultura (FMC). De 2005 a 2012, a FMC gastou R$ 30 milhões em consultorias, contratadas sem licitação, da Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep). Em janeiro de 2005, Pimentel, então prefeito de Belo Horizonte, criou a FMC e pôs seu tesoureiro de campanha, Rodrigo Barroso, para presidi-la. Em abril, a FMC contratou a Fundep pela primeira vez. Em julho, Barroso foi exonerado por ser citado no mensalão. As contratações sem licitação continuaram. No total, o governo Pimentel pagou R$ 23 milhões em seis consultorias da Fundep, sem concorrência. Em janeiro de 2009, Pimentel deixou a prefeitura de Belo Horizonte. Sua mulher, Thaís Pimentel, assumiu a presidência da FMC. Thaís despejou mais R$ 7 milhões em duas consultorias da Fundep. E quem ela escolheu para fiscalizar esses contratos sem licitação? Rodrigo Barroso, o homem de confiança de Pimentel. Ele afirma que os contratos foram “fechados em observância à legislação”.

LULA É ELEITO O POLÍTICO MAIS CORRUPTO DE 2012

O ex-presidente Lula (PT) venceu o Troféu Algemas de Ouro, prêmio criado para eleger o político mais corrupto de 2012. A enquete promovida pelo Movimento 31 de Julho, grupo anticorrupção que atua na internet, foi realizada no Facebook e conseguiu mobilizar mais de 14 mil pessoas. Lula foi acusado pelo publicitário Marcos Valério de ter usado o dinheiro do Mensalão para quitar despesas pessoais. Ele venceu o prêmio com 65,69%, o equivalente a 14.547 votos. O ex-senador Demóstenes Torres ficou com o segundo lugar, com 21,82% dos votos. Ele foi cassado devido a estreita relação com o contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso na Operação Monte Carlo. O terceiro ficou o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), com 4,55% dos votos, que no ano passado apareceu em fotos, em Paris, ao lado do dono da empresa Delta, construtora investigada na CPI do Cachoeira.

CONDENADO À PRISÃO, DELÚBIO SE DEDICA A CRESCER NEGÓCIOS

Na esperança de reverter decisão do Supremo Tribunal Federal, que o condenou a 8 anos e 11 meses de prisão, o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares, decidiu se dedicar aos negócios. O petista, que tinha uma salinha de 25 metros quadrados e quatro funcionários, expandiu a empresa Geral Imóveis e passou a ter três escritórios, em São Paulo, Brasília e Goiânia, com atuação em 18 Estados. Um ano depois do início do histórico julgamento do Mensalão do PT, Delúbio Soares aguarda o andamento de recursos, esperançoso de que pode reverter a decisão, enquanto dedica-se à empresa, que já anunciou mais de 23 mil e imóveis para venda ou aluguel. O negócio tem duas formas de faturamento: anúncios de empresas no site e pagamento por destaque dos imóveis. Há anúncios de ofertas de até R$ 4 milhões. Segundo amigos, depois da condenação, em novembro do ano passado, o petista tem aparecido menos. Não tem sido visto em restaurantes da cidade nem parece vir a Goiânia com a mesma frequência. Fica mais em Brasília ou São Paulo. Na última vez em que participou de evento público do PT, em março, provocou polêmica, na sessão especial da Assembleia Legislativa de Goiás de comemoração dos 33 anos do partido.

ISRAEL APROVA LIBERTAÇÃO DE 104 CONDENADOS PALESTINOS PARA DAR INÍCIO A NEGOCIAÇÕES DE PAZ

O governo de Israel aprovou no sábado a libertação de 104 prisioneiros palestinos, que têm cidadania israelita, após mais de 20 anos de cumprimento de penas, e também o início de negociações de paz. A libertação dos presos desde 1993 era uma condição dos palestinos para voltarem a negociar a paz com Israel. A proposta do primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, foi aprovada dentro do governo com 13 votos favoráveis, sete contra e duas abstenções. O gabinete do primeiro-ministro israelita disse que aprovou também a abertura das negociações de paz com os palestinos. O diálogo deve começar nesta terça-feira, em Washington, nos Estados Unidos, após quase três anos parado.

MINISTRO JOAQUIM BARBOSA DIZ QUE BRASIL NÃO ESTÁ PREPARADO PARA TER UM PRESIDENTE NEGRO

Em entrevista publicada neste domingo pelo jornal O Globo, o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, afirmou que não será candidato a presidente e que seu nome apareceu com força nas pesquisas eleitorais por conta de “manifestações espontâneas da população”. Joaquim Barbosa afirmou que “ainda há bolsões de intolerância muito fortes e não declarados no Brasil. No momento em que um candidato negro se apresente, esses bolsões se insurgirão de maneira violenta contra esse candidato”. O presidente do Supremo ainda acusou o jornal “Folha de S.Paulo” de expor seu filho em uma entrevista de emprego e de invadir sua privacidade ao divulgar a compra de um imóvel em Miami. “O jornal se achou no direito de expor a compra de um imóvel modesto nos Estados Unidos. Tirei dinheiro da minha conta bancária, enviei o dinheiro por meios legais, previstos na legislação, declarei a compra no Imposto de Renda". Na entrevista, Joaquim Barbosa ainda insinuou que o Itamaraty tenha práticas racistas. Ele tentou ingressar na carreira diplomática e não passou em uma entrevista. Leia a seguir a entrevista de Joaquim Barbosa publicada pelo jornal O Globo:
O Globo - O senhor é candidato à presidente da República?
Joaquim Barbosa - Não. Sou muito realista. Nunca pensei em me envolver em política. Não tenho laços com qualquer partido político. São manifestações espontâneas da população onde quer que eu vá. Pessoas que pedem para que eu me candidate e isso tem se traduzido em percentual de alguma relevância em pesquisas.
O Globo - As pessoas ficaram com a impressão de que o senhor não cumprimentou a presidente.
Joaquim Barbosa - Eu não só cumprimentei como conversei longamente com a presidente. Eu estava o tempo todo com ela.
O Globo - O Brasil está preparado para um presidente da República negro?
Joaquim Barbosa - Não. Porque acho que ainda há bolsões de intolerância muito fortes e não declarados no Brasil. No momento em que um candidato negro se apresente, esses bolsões se insurgirão de maneira violenta contra esse candidato. Já há sinais disso na mídia. As investidas da “Folha de S.Paulo” contra mim já são um sinal. A “Folha de S.Paulo” expôs meu filho, numa entrevista de emprego. No domingo passado, houve uma violação brutal da minha privacidade. O jornal se achou no direito de expor a compra de um imóvel modesto nos Estados Unidos. Tirei dinheiro da minha conta bancária, enviei o dinheiro por meios legais, previstos na legislação, declarei a compra no Imposto de Renda. Não vejo a mesma exposição da vida privada de pessoas altamente suspeitas da prática de crime.
O Globo - Como pessoa pública, o senhor não está exposto a todo tipo de pergunta e dúvida dos jornalistas?
Joaquim Barbosa - Há milhares de pessoas públicas no Brasil. No entanto os jornais não saem por aí expondo a vida privada dessas pessoas públicas. Pegue os últimos dez presidentes do Supremo Tribunal Federal e compare. É um erro achar que um jornal pode tudo. Os jornais e jornalistas têm limites. São esses limites que vêm sendo ultrapassados por força desse temor de que eu eventualmente me torne candidato.
O Globo - Que partido representa mais o seu pensamento?
Joaquim Barbosa - Eu sou um homem seguramente de inclinação social democrata à européia.
O Globo - Como ampliar o Estado para garantir direitos de quem esteve marginalizado, mas, ao mesmo tempo, controlar o controle do gasto público para manter a inflação baixa?
Joaquim Barbosa - O primeiro passo é gastar bem. Saber gastar bem. O Brasil gasta muito mal. Quem conhece a máquina pública brasileira, sabe que há inúmeros setores que podem ser racionalizados, podem ser diminuídos.
O Globo - O senhor disse que o Brasil está numa crise de representação política. O que quis dizer com isso?
Joaquim Barbosa - Ela se traduz nessa insatisfação generalizada que nós assistimos nesses dois meses. Falta honestidade em pessoas com responsabilidade de vir a público e dizer que as coisas não estão funcionando.
O Globo - Quando serão analisados os recursos dos réus do mensalão?
Joaquim Barbosa - Dia primeiro de agosto eu vou anunciar a data precisa.
O Globo - Eles serão presos?
Joaquim Barbosa - Estou impedido de falar. Nos últimos meses, venho sendo objeto de ataques também por parte de uma mídia subterrânea, inclusive blogs anônimos. Só faço um alerta: a Constituição brasileira proíbe o anonimato, eu teria meios de, no momento devido, através do Judiciário, identificar quem são essas pessoas e quem as financia. Eu me permito o direito de aguardar o momento oportuno para desmascarar esses bandidos.
O Globo - Por que o senhor tem uma relação tensa com a imprensa? O senhor chegou a falar para um jornalista que ele estava chafurdando no lixo.
Joaquim Barbosa - É um personagem menor, não vale a pena, mas quando disse isso eu tinha em mente várias coisas que acho inaceitáveis. Por que eu vou levar a sério o trabalho de um jornalista que se encontra num conflito de interesses lá no Tribunal. Todos nós somos titulares de direitos, nenhum é de direitos absolutos, inclusive os jornalistas. Afora isso tenho relações fraternas, inúmeras, com jornalistas.
O Globo - A primeira vez que conversamos foi sobre ações afirmativas. Nem havia ainda as cotas. Hoje, o que se tem é que as cotas foram aprovadas por unanimidade pelo Supremo. O Brasil avançou?
Joaquim Barbosa - Avançou. Inclusive, entre as inúmeras decisões progressistas que o Supremo tomou essa foi a que mais me surpreendeu. Eu jamais imaginei que tivéssemos uma decisão unânime.
O Globo - Nos votos, vários ministros reconheceram a existência do racismo.
Joaquim Barbosa - O que foi dito naquela sessão foi um momento único na história do Brasil. Ali estava o Estado reconhecendo aquilo que muita gente no Brasil ainda se recusa a reconhecer, e a ver o racismo nos diversos aspectos da vida brasileira.
O Globo - Os negros são uma força emergente. Antes, faziam sucesso só nas artes e no futebol, mas, agora, eles estão se preparando para chegar nos postos de comando e sucesso em todas as áreas. Como a sociedade brasileira vai reagir?
Joaquim Barbosa - Ainda não vejo essa ascensão dos negros como algo muito significativo. Há muito caminho pela frente. Ainda há setores em que os negros são completamente excluídos.
O Globo - Como o Brasil supera isso?
Joaquim Barbosa - Discutindo abertamente o problema. Não vejo nos meios de comunicação brasileiros uma discussão consistente e regular sobre essas questões.
O Globo - Como superar a desigualdade racial, mantendo o que de melhor temos?
Joaquim Barbosa - O que de melhor nós temos é a convivência amistosa superficial, mas, no momento em que o negro aspira a uma posição de comando, a intolerância aparece.
O Globo - Como o senhor sentiu no carnaval tantas pessoas com a máscara do seu rosto?
Joaquim Barbosa - Foi simpático, mas, nas estruturas sociais brasileiras, isso não traz mudanças. Reforça certos clichês.
O Globo - Reforça? Por quê?
Joaquim Barbosa - Carnaval, samba, futebol. Os brasileiros se sentem confortáveis em associar os negros a essas atividades, mas há uma parcela, espero que pequena da sociedade, que não se sente confortável com um negro em outras posições.
O Globo - O senhor foi discriminado no Itamaraty?
Joaquim Brabosa - Discriminado eu sempre fui em todos os trabalhos, do momento em que comecei a galgar escalões. Nunca dei bola. Aprendi a conviver com isso e superar. O Itamaraty é uma das instituições mais discriminatórias do Brasil.
O Globo - O senhor não passou no concurso?
Joaquim Barbosa - Passei nas provas escritas, fui eliminado numa entrevista, algo que existia para eliminar indesejados. Sim, fui discriminado, mas me prestaram um favor. Todos os diplomatas gostariam de estar na posição que eu estou. Todos.

FUNDOS DE PENSÃO DOS TRABALHADORES SOFREM PERDAS BILIONÁRIAS NAS EMPRESAS DO MILIONÁRIO EIKE BATISTA

Os fundos de pensão de trabalhadores das empresas estatais que investiram em ações da MDX e da CCX, de Eike Batista, estão sendo investigados pela Superintendência de Previdência Complementar. O caso mais grave é o do Postalis, dos funcionários dos Correios. O tombo do plano, não apenas com o caso Eike, é de R$ 985 milhões. Os trabalhadores tiveram de voltar a contribuir. O caso Eike Batista acordou os sindicatos que representam os funcionários dos Correios. Eles dormiam em berço esplêndido até descobrirem que o fundo de pensão Postalis apostou em investimentos duvidosos. Os dirigentes sindicais querem agora “gestão democrática, transparente e competente”. Reivindicam “melhor qualificação de diretores e gestores do Postalis” e que estes sejam escolhidos “sem indicações políticas, como tem sido sistematicamente feito”. E eles cobram dos Correios “instalar uma comissão de auditoria paritária para avaliar as causas do prejuízo de R$ 985 milhões e encontrar os responsáveis na atual direção e nas passadas”.

PETROBRAS, VALE E OI VENDEM ATIVOS PARA FAZER CAIXA E SUPERAR A CRISE

Com endividamento elevado e um plano de investimento robusto pela frente, três das maiores empresas brasileiras de infraestrutura (Petrobras, Vale e Oi) estão seguindo a mesma receita: venda de ativos. Afetadas pela desaceleração global e pela desvalorização do real, elas vêm apertando os cintos para aumentar receitas enquanto vêem seu valor de mercado despencar. Este ano, as três gigantes já perderam R$ 100 bilhões na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Nas próximas semanas, quando divulgarem resultados do segundo trimestre, as companhias seguem no radar dos investidores. A previsão é de quedas nos lucros. A lista de ativos vendidos é extensa. Nos últimos meses, a Petrobras se desfez de metade de seu portfólio na África, além de campos no Golfo do México e no Brasil. Tenta ainda vender ativos na Argentina e no Japão. A Vale desistiu de um projeto na Argentina e passou à frente minas na Colômbia, enquanto prepara a venda de sua participação em uma produtora de bauxita e busca sócios para sua empresa de logística. A Oi já passou o direito de uso de mais de 6 mil torres pelo País este ano e acaba de vender sua rede de cabos submarinos. Juntas, as empresas arrecadaram até agora pelo menos R$ 11 bilhões. Apesar de os ajustes estarem a pleno vapor, as vendas dos ativos não devem garantir ganhos a curto prazo. Na Petrobras, que soma reforço de pelo menos US$ 2 bilhões em ativos neste ano, a expectativa é de queda de quase 40% no lucro líquido do segundo trimestre em relação ao primeiro. Segundo a média dos analistas, o ganho deve ficar entre R$ 4,7 bilhões e R$ 4,9 bilhões. Ao mesmo tempo, a empresa vai investir R$ 97,7 bilhões em 2013 e vai participar do leilão da área de Libra, no pré-sal da bacia de Santos, em outubro. Para não ver o endividamento aumentar, mudou sua política de dividendos, e economizará R$ 3,5 bilhões.

LEWANDOWSKI CONFIRMA VALIDADE DO PROGRAMA MAIS MÉDICOS

O presidente em exercício do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, deu decisão provisória, na sexta-feira, confirmando a validade da medida provisória que instituiu o programa Mais Médicos. O projeto do Executivo Federal foi questionado por meio de mandado de segurança da Associação Médica Brasileira na última quarta-feira. Depois de citar números para destacar o mérito da iniciativa para suprir as deficiências na área de saúde, Lewandowski informou que o Judiciário não pode discutir o mérito de políticas públicas, “especialmente no tocante ao reexame dos critérios de sua oportunidade e conveniência”. O ministro ressaltou que não compete ao Supremo analisar os requisitos de urgência para edição de medida provisória, exceto em casos específicos de desvio de finalidade ou de abuso de poder. De acordo com ele, essa avaliação compete ao Executivo e ao Legislativo.

MANIFESTAÇÃO NA AVENIDA PAULISTA TEVE ATOS DE VANDALISMO NOVAMENTE

Não mais do que irrisórios 400 manifestantes fizeram um "protesto" na noite de sexta-feira na Avenida Paulista, no sentido Paraíso, em São Paulo. Os manifestantes reivindicavam o fim da violência policial. O grupo se dividiu, "malandramente", entre os que apelaram para o vandalismo, pichando muros e paredes, depredando três agências bancárias (duas do Itaú e uma do Santander) e destruindo semáforos, e os que condenavam os atos de depredações (de mentirinha, obedecem todos à mesma orientação, são petralhas, e atualmente praticamente extorsões contra bancos e comércio em geral, para que não tenham seus estabelecimentos vandalizados, é uma das formas como esses bandidos se financiam). Os manifestantes levavam cartazes e faixas com críticas ao governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e à violência policial registrada recentemente no Leblon, bairro da zona sul carioca. É de se perguntar: o que os paulistas têm a ver com o que acontece no Rio de Janeiro?

ESTADO DA SAÚDE NO GOVERNO DO PEREMPTÓRIO PETISTA TARSO GENRO - VAI FECHAR A ÚNICA UTI PEDIÁTRICA DO VALE DOS SINOS A PARTIR DOS PRÓXIMOS DIAS

O estado da saúde no governo do peremptório petista Tarso Genro vai de mal a pior. Em pleno inverno gaúcho, rigoroso, quando crianças mais apresentam problemas respiratórios, muitas vezes exigindo internações, a única UTI pediátrica da região do Vale dos Sinos, que funciona no Hospital Regina, em Novo Hamburgo, fechará as portas a partir do início desta semana, sem expectativa de reabertura. O motivo alegado pela direção do hospital é a falta de oferta de médicos pediatras intensivistas no Estado do Rio Grande do Sul. Os quatro médicos foram responsáveis por 117 internações desde o início do ano. No ambulatório pediátrico, entre junho e setembro, o pico de atendimento chega a casa de 1800 pacientes ao mês. No restante do ano, a média gira em torno de 1000 pacientes mensais. O número ideal de médicos pediatras intensivistas, conforme a própria direção do hospital admite, é o dobro: oito. Um dos problemas é que grandes hospítais querem pagar um salário de apenas 10 mil reais mensais para médicos intensivistas, que levaram uma década para se formar, e aos quais é oferecida uma reumeração de iniciantes sem residência médica. No Rio Grande do Sul, conforme a Sociedade de Pediatriam, existem 33 UTIs pediátricas. No Vale do Sinos, nem mesmo os hospitais públicos Municipal, de Novo Hamburgo, e Centenário, de São Leopoldo, possuem esse serviço.

SÓ DEPOIS DA TRAGÉDIA DA BOATE KISS É QUE A UFSM VAI FAZER PPCI DE SUAS INSTALAÇÕES

A Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) abriu na sexta-feira licitação para contratar uma empresa para elaborar Planos de Prevenção Contra Incêndio (PPCIs) de todos os prédios de todos os campi da instituição. A abertura das propostas está marcada para o dia 8 de agosto, às 9 horas. A empresa vencedora deverá fazer um levantamento do que é necessário para adequar os prédios à legislação e às normas vigentes e elaborar os planos. O valor orçado pela UFSM para o trabalho é de cerca de R$ 7 milhões. Vencerá o pregão, a empresa que oferecer menor preço unitário e por grupo. A reitoria da UFSM só se preocupou com isto após a ocorrência do desastre da boate Kiss, que matou 242 jovens, a maioria estudantes.

REVISTA THE ECONOMIST MOSTRA BRICS AFUNDANDO NA LAMA E DESTACA DESACELERAÇÃO

A capa da última edição da revista britânica "The Economist", uma das mais influentes entre as publicações econômicas, mostra os Brics (Brasil, Rússia, Índia e China) se afundando na lama. Com o título "A grande desaceleração", a matéria fala que os países emergentes já não seguram o crescimento da economia mundial, como ocorreu na década passada. Em 2009, a revista publicou edição sobre o Brasil com o título "O Brasil decola", em que o Cristo Redentor sobe ao céu como um foguete. Já na de 2013, a ilustração da capa mostra quatro corredores, representando os Brics, em uma pista de lama e afundando pouco a pouco enquanto correm. O Brasil é o mais afundado. Segundo a reportagem, os emergentes não apresentarão mais taxas de crescimento anual de dois dígitos, como a China, durante os anos 2000. A caminhada será mais lenta, o que não significa, diz a publicação, que os países entrarão em recessão. O modelo baseado em grandes investimentos e exportações volumosas parece ter se esgotado na China, afirma a revista, devido ao envelhecimento e enriquecimento da população, que dificulta a exploração da mão de obra barata, como era feito até então.

MORRE O MILIONÁRIO GEORGE P. MITCHELL, O PAI DO "FRATURAMENTO HIDRÁULICO"

O bilionário benemérito George P. Mitchell, considerado o responsável por viabilizar o uso comercial do gás de xisto por meio de uma técnica inovadora chamada fraturamento hídrico, morreu na sexta-feira, aos 94 anos. Oriundo de uma família modesta de Galveston, no Texas, Mitchell se graduou em engenharia do petróleo e foi presidente e executivo-chefe da Mitchell Energy & Development Corp., que ele vendeu em 2002 à Devon Energy Corp. por 3,5 bilhões de dólares. Ele prospectou gás natural em uma formação rochosa chamada Xistos de Barnett, no norte do Texas, onde pela primeira vez a aplicação do fraturamento hidráulico, ou “fracking”, resultou na produção viável de gás natural. Essa técnica consiste em injetar areia, água e outros fluidos em formações rochosas, a alta pressão, de modo a liberar o gás e o petróleo retidos nas fissuras. O fraturamento hidráulico alterou fortemente a perspectiva energética dos Estados Unidos, levando alguns a preverem que o país se tornará energeticamente independente até o final dessa década. A prática, no entanto, enfrenta fortes restrições de ambientalistas. Mitchell, dono de uma fortuna estimada pela Forbes em 2 bilhões de dólares, apoiava iniciativas artísticas e educacionais, e sua fundação, no Texas, trabalha para promover a sustentabilidade do gás natural.

BOEING TROCA ENGENHEIRO-CHEFE DO 787

A Boeing disse na sexta-feira que estava alternando cinco executivos em sua divisão de aeronaves comerciais, incluindo Mike Sinnett, o engenheiro-chefe do 787 Dreamliner, setor que tem sido afetado por uma série de desafios técnicos. Sinnett será vice-presidente de desenvolvimento de produtos, enquanto Bob Whittington, agora engenheiro chefe do modelo 777 da Boeing, assumirá o cargo de engenheiro-chefe do projeto para o 787, disse a companhia em comunicado para os funcionários. O documento diz que os movimentos pretendem dar a cada uma das cinco pessoas envolvidas uma oportunidade para ampliar sua  experiência, aumentando "a força de nossas equipes".

SECRETÁRIA DO ORÇAMENTO PEDE DEMISSÃO

A secretária de Orçamento Federal do Ministério do Planejamento, Célia Corrêa, pediu demissão, mas negou na sexta-feira que deixará o cargo por desgaste com a ministra Miriam Belchior, devido ao corte orçamentário de 10 bilhões de reais, anunciado na última segunda-feira. A secretária disse que sua saída estava “combinada” desde 2010. “Nunca houve divergência com a ministra Miriam. Sempre trabalhamos em parceria e sempre respeitei as decisões tomadas. Eu disse que, quando completasse o tempo da minha aposentadoria, eu sairia e não ficaria até o final do mandato da presidenta. Esse foi o combinado”, explicou a secretária. A secretária permanece no cargo até o envio do Projeto de Lei Orçamentária Anual (Ploa) de 2014 ao Congresso Nacional, que tem como prazo limite o dia 31 de agosto.

ANATEL REGISTRA EXPANSÃO DE NOVAS TECNOLOGIAS DE CELULARES

Balanço divulgado na sexta-feira pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) confirmou a expectativa de migração de usuários, da segunda (2G) para a terceira geração (3G) de serviços de telefonia móvel. Entre agosto de 2012 e abril de 2013, a agência contabilizou um aumento de 14,53 milhões de pontos de tecnologia 3G, ao mesmo tempo em que houve uma queda de 8,42 milhões de pontos 2G. A quarta geração (4G), iniciada mais recentemente, registrou pouco menos de 48,5 mil pontos instalados. Com isso, o saldo contabilizado pela Anatel de adições líquidas agregadas de tecnologias é 6,15 milhões de pontos no período. “Como os dados de internet 2G e 3G estão desagregados no relatório, confirmamos a tendência de migração dessas tecnologias. O usuário agora quer mais do que voz. Quer a internet no seu celular, e este é o desafio que as operadoras terão para melhorar a prestação de serviços”, disse o presidente da Anatel, João Batista de Rezende, ao apresentar a avaliação trimestral do setor.

PETISTA MENSALEIRO JOSÉ GENOÍNO CONTINUA NA UTI DO SÍRIO-LIBANÊS

O deputado federal José Genoino (PT-SP), de 67 anos, permanece internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Cardiológica do Hospital Sírio-Libanês. O corrupto e quadrilheiro José Genoino, mensaleiro condenado no processo do Mensalão do PT, recupera-se de cirurgia feita na quarta-feira para correção de um rompimento da artéria aorta. A cirurgia, feita em caráter de emergência, durou cerca de 5 horas. Segundo boletim médico divulgado na sexta-feira, o estado de saúde do deputado é estável, sem previsão de alta.

GOIÂNIA APROVA PASSE LIVRE PARA ESTUDANTES DA CIDADE

Estudantes matriculados em qualquer nível de ensino das redes pública e privada de Goiânia (GO) poderão usar gratuitamente o  transporte coletivo da cidade. O projeto que institui o Passe Livre Estudantil foi aprovado na última quinta-feira pelo prefeito Paulo Garcia e a expectativa é que a decisão seja publicada no Diário Oficial nesta semana. A partir da publicação, a prefeitura terá 30 dias para regulamentar a lei. A Lei 9.322 institui o direito ao passe livre aos estudantes que moram em Goiânia e estejam matriculados no ensino fundamental, médio e superior, das redes pública e privada. Beneficia também os alunos dos cursos de educação para jovens e adultos, bem como de cursos técnicos e profissionalizantes reconhecidos pelo Ministério da Educação. A gratuidade valerá para todos os dias da semana, durante todo o ano. Para ser beneficiado, o estudante deverá estar cadastrado. A lei não contempla crianças e jovens que moram ou estudam na região metropolitana. A expansão do passe livre envolverá entendimento com as prefeituras das demais cidades.

PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA PEDE ARQUIVAMENTO DE ACUSAÇÃO CONTRA EX-PRESIDENTE DO STJ

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, pediu o arquivamento de processo no Supremo Tribunal Federal envolvendo o ex-presidente do Superior Tribunal de Justiça, Ari Pargendler. O ministro é acusado de desrespeitar um estagiário que trabalhava no tribunal em 2010. Segundo relato do estudante Marco Paulo dos Santos, registrado no boletim de ocorrência encaminhado ao Supremo, Pargendler gritou com ele em um terminal de autoatendimento bancário localizado no Superior Tribunal de Justiça. O ministro usava a máquina e teria se incomodado com a proximidade do estagiário, gritou com ele, usando de sua condição de presidente da Corte, e o demitiu. O caso chegou ao Supremo em outubro de 2010 e foi distribuído à ministra Ellen Gracie, que se declarou suspeita. Novo relator, o ministro Celso de Mello determinou a retirada de sigilo. O caso aguardava manifestação da Procuradoria-Geral da República desde dezembro de 2010. No documento encaminhado ao Supremo, Gurgel informa que o caso deve ser arquivado porque não envolve a área penal. Segundo o procurador, não houve crime de injúria porque o próprio relato do estudante mostra que Pargendler não teve a intenção de ofendê-lo, ordenando apenas que ele se retirasse. Gurgel também entendeu que não houve crime de injúria real, que pressupõe atos de violência com intenção de ofender a vítima. Para o procurador-geral, o fato de Pargendler ter puxado o crachá do estudante “não teve por objetivo feri-lo ou humilhá-lo, mas apenas o de conhecer a sua identificação”.

INVASORES DA CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO LUIS AGUARDAM RESPOSTA DE VEREADORES

Quase 30 pessoas que ocupam, há cinco dias, o plenário da Câmara Municipal de São Luís, aguardam a resposta dos vereadores sobre uma sessão extraordinária para tratar da pauta de reivindicações apresentadas por estudantes, quilombolas e repesentantes de comunidades carentes da capital maranhense. O protesto é organizado por líderes estudantis, comunitários e representantes de quilombos, que pedem melhorias em vários setores. Segundo André Oliveira, integrante do movimento São Luís Acordou, a questão fundiária e a mobilidade urbana são os principais itens da pauta. "Esses são os problemas que mais atingem toda a comunidade de São Luís", disse Oliveira. Segundo ele, o movimento é pacífico e existem comissões para garantir a limpeza do local. Ele garantiu que nada será depredado, além do Estado Democrático de Direito, é claro. Como os vereadores estão em recesso, o presidente da Câmara Municipal, Antonio Isaias Pereirinha, não está na cidade.

TESOURO NACIONAL PODERÁ EMITIR TÍTULOS NO EXTERIOR NAS PRÓXIMAS SEMANAS

Apesar da turbulência financeira internacional, o Tesouro Nacional pretende lançar títulos federais no Exterior nas próximas semanas, disse na  sexta-feira o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin. Ele informou que os papéis provavelmente serão emitidos em dólar. De acordo com o secretário, a pior fase da instabilidade financeira global parece ter passado. Augustin disse que a operação servirá para testar os fundamentos da economia brasileira no Exterior. “Isso é normal. Há muito tempo, o Brasil não faz emissões externas para ampliar as reservas internacionais, mas para influenciar a curva de juros”, ressaltou. “Basta lembrar que, na última emissão, tivemos o menor spread da história". Por meio das emissões de títulos da dívida externa, o governo pega dinheiro emprestado dos investidores internacionais, com o compromisso de devolver os recursos com juros. Taxas menores de juros indicam menor grau de desconfiança dos investidores de que o Brasil não conseguirá pagar a dívida. O "mandrake" neotrotskista petista gaúcho Arno Augustin destacou que, atualmente, o Brasil capta recursos no Exterior para obter as menores taxas de juros possíveis, de modo a favorecer as empresas brasileiras que também forem lançar títulos no mercado internacional: “A curva de juros do Tesouro Nacional fornece um referencial para as empresas que forem captar recursos no Exterior". A última vez que o Brasil emitiu títulos no exterior foi em maio deste ano. Na ocasião, o Tesouro Nacional captou US$ 800 milhões em títulos com vencimento em 2023 e obteve juros de 2,75% ao ano. A taxa é um pouco maior que a obtida no leilão do mesmo papel em setembro do ano passado, de 2,686% ao ano, mas o spread atingiu o menor nível da história, ficando em 98 pontos base.

SECRETÁRIO DO TESOURO NACIONAL DIZ QUE INVESTIMENTOS ENCERRARÃO O ANO COM CRESCIMENTO MAIOR DO QUE GASTOS DE CUSTEIO

Apesar de enfrentarem forte desaceleração nos últimos dois meses, os investimentos federais (que abrangem as obras públicas e as compras de equipamentos) encerrarão o ano com crescimento maior que os gastos de custeio (manutenção da máquina pública). A previsão é do secretário do Tesouro Nacional, o "mandrake" neotrotskista petista gaúcho Arno Augustin. Ao comentar os resultados do Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) de junho, o secretário disse que a tendência de expansão maior do investimento está mantida. Segundo ele, isso ocorrerá tanto porque os investimentos voltarão a se acelerar como os gastos de custeio diminuirão o ritmo de crescimento no segundo semestre. “As duas coisas vão acontecer. O custeio vai desacelerar e os investimentos vão aumentar até que o crescimento das duas despesas venha a convergir, num primeiro momento. Depois, os investimentos vão se expandir em ritmo maior que o custeio”, declarou o secretário. De acordo com Augustin, os investimentos voltarão a se expandir com mais força até o fim do ano porque a base de comparação foi afetada pelas eleições municipais de 2012. Por causa da legislação eleitoral, a União teve de concentrar repasses de investimentos feitos em parceria com prefeituras no primeiro semestre do ano passado. Além disso, o secretário destacou que os pagamentos da segunda fase do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) tendem a aumentar por causa do avanço das obras. Em relação às despesas de custeio, o secretário disse que esses gastos vão crescer menos no segundo semestre por causa do corte adicional de R$ 10 bilhões do Orçamento, anunciado na última segunda-feira (ou seja, "mandrakaria").

CERCA DE 45% DOS INSCRITOS NO PROGRAMA MAIS MÉDICOS TÊM REGISTROS INVÁLIDOS NOS CRMs

Das 18.450 inscrições registradas pelo Programa Mais Médicos, 8.307 apresentaram números inválidos de registros em conselhos regionais de Medicina, o equivalente a mais de 45% do total. O ministro da Saúde, o petista Alexandre Padilha, disse que entre as inconsistências pode haver casos de erros de digitação e inscrição de profissionais recém-formados, que ainda não têm o registro atualizado nos conselhos regionais de Medicina (CRMs).

SOBERANA BOLIVARIANA PETISTA DILMA ROUSSEFF ANUNCIA LIBERAÇÃO DE DINHEIRO PARA MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO

A soberana bolivariana petista Dilma Rousseff vai a São Paulo nesta terça-feira para anunciar a liberação de dinheiro para projetos de mobilidade urbana na capital paulista. Os recursos fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Mobilidade Urbana, que engloba projetos de melhoria, ampliação e implantação de sistemas de transporte público. Em junho, protestos pela redução da tarifa do transporte público em São Paulo deram origem a uma onda de manifestações em todo o país pela melhoria dos serviços públicos. Também na capital paulista, Dilma deve participar do anúncio de projetos de urbanização de assentamentos nas comunidades de Paraisópolis e Cantinho do Céu, na zona sul da cidade. É tudo conversa mole. Esse dinheiro não sairá nunca, é só promessa eleitoreira, como foram as milhares de creches que ela prometeu na última campanha eleitoral.

SECRETÁRIO DO TESOURO NACIONAL, O NEOTROTSKISTA PETISTA ARNO AUGUSTIN, DIZ QUE BRASIL CRESCE MAIS DO QUE A MAIORIA DOS OUTROS PAÍSES

Apesar do baixo crescimento, a economia brasileira está se expandindo mais que a média do mundo, disse na sexta-feira o secretário do Tesouro Nacional, o neotrotskista petista gaúcho Arno Augustin, um autêntico "mandrake" das contas públicas. Segundo ele, o Brasil está crescendo este ano mais do que em 2012, e as perspectivas para o PIB são favoráveis, apesar da grande volatilidade internacional. “O Brasil tem um efeito internacional forte. Se esquecermos de avaliar o crescimento dos outros países, qualquer análise sobre a economia brasileira estará enviesada”, destacou o secretário. Enviesados são os números e as operações que ele realizada para mascarar as contas nacionais. Segundo projeções recentes divulgadas pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), o Brasil encerrará 2013 com crescimento de 2,5%, no mesmo nível da Rússia e à frente da África do Sul e do Japão (2%), dos Estados Unidos (1,7%) e da zona do euro, que tem contração prevista de 0,6% do PIB. Entre as grandes economias, de acordo com o fundo, o Brasil só está atrás do México (2,9%), da Índia (5,6%) e da China (7,8%) nas estimativas de crescimento. Pela projeção oficial do Ministério da Fazenda, divulgada na última segunda-feira, o PIB brasileiro deverá crescer 3% neste ano. O Banco Central, no entanto, prevê 2,7%. As duas estimativas foram reduzidas em relação às previsões anteriores, mas Augustin reiterou que o País teve um primeiro semestre bem melhor que em 2012 e que encerrará 2013 com crescimento maior que a expansão de 0,9% registrada no ano passado. Para o segundo semestre, o secretário disse que as perspectivas para a economia brasileira são favoráveis. Segundo ele, as medidas de estímulo (reduções de impostos para determinados segmentos da economia) tomadas pelo governo desde o fim do ano passado estão surtindo efeito. Além disso, o desemprego continua baixo. Algumas medidas, ressaltou Augustin, só terão efeito no médio prazo, como a desoneração da folha de pagamento.

DITADOR SANGUINÁRIO RAUL CASTRO DIZ QUE REVOLUÇÃO CUBANA CONTINUARÁ JOVEM ENQUANTO TRANSFERIR PODER ÀS NOVAS GERAÇÕES

Não há limite para o cinismo de ditadores. Ao comemorar os 60 anos da tomada do quartel-general de Moncada, em Santiago de Cuba, ação liderada pelo facínora Fidel Castro, que marcou o início da revolução cubana, o ditador atual, Raul Castro, disse que a revolução continuará jovem e que segue em “marcha” o processo que passará o poder a outra geração. “Esta revolução continuará sendo a revolução socialista dos humildes, pelos humildes e para os humildes”, disse ele, ao participar de um ato comemorativo em Santiago de Cuba. Na cerimônia, acompanhada por vários ditadores latino-americanos e caribenhos (Nicolás Maduro, da Venezuela; Daniel Ortega, da Nicaraguá; Evo Morales, da Bolívia; e José Mujica, do Uruguai), Raul Castro, ressaltou que na ilha está em processo a “transferência paulatina e ordenada às novas gerações” do governo iniciado em 1959, anos depois do início do movimento revolucionário iniciado em Moncada. É muito cinismo desse ditador sanguinário, que está no poder desde 1959, sem nunca permitir troca de poder em Cuba. Segundo ele, mais de 70% dos cubanos nasceram após o assalto ao quartel, em 26 de julho de 1953. “Os que acompanharam Fidel Castro eram jovens, naquela data, e as novas gerações de cubanos continuarão a defender os ideais revolucionários”, disse o presidente. Em seu discurso, de quase 40 minutos, o facínora Raúl Castro rendeu homenagem a outro facínora, Hugo Chávez, que chamou de “invicto comandante e chefe da revolução bolivariana na Venezuela, discípulo avantajado dos próceres da independência latino-americana e caribenha". Ditadores latino-americanos adoram essas baboseiras.

EDUARDO PAES ESCLARECE QUE NÃO HOUVE GASTO PÚBLICO NA CONSTRUÇÃO DO CAMPO DA FÉ, NO RIO DE JANEIRO

O prefeito Eduardo Paes negou na sexta-feira que tenha havido gastos públicos na construção do Campus Fidei (Campo da Fé),  em Guaratiba, zona oeste do Rio de Janeiro, onde ocorreriam a vigília e a missa final da Jornada Mundial da Juventude. “Não houve um tostão de recursos públicos, nem da prefeitura, nem do governo do Estado, nem do governo federal, no Campus Fidei, em Guaratiba. Todos os gastos foram do Comitê Organizador e da Igreja. Eles vão explicar isso no momento adequado que julgarem conveniente, não sou eu que vou falar quanto custou nem quanto deixou de custar. Mas não há nenhuma intervenção feita ali que tenha vindo da prefeitura”, disse Eduardo Paes. De acordo com ele, o Poder Público entrou como apoiador do evento e fez algumas melhorias na infraestrutura da cidade e no bairro. Guaratiba é um bairro da capital fluminense que tem população de cerca de 110 mil habitantes e um dos índices de Desenvolvimento Humano (IDH) mais baixos da cidade, ficando na 118ª posição dentre 126 regiões. "O que o Poder Público fez, e tem muito orgulho de ter feito, foi apoiar esse importante encontro. E, apoiar inclusive com as suas falhas. Ou seja, nós estamos com as nossas forças de trânsito, a Comlurb (Companhia Municipal de Limpeza Urbana), investimentos na melhora da cidade, no recapeamento da Avenida Atlântica, no recapeamento da Estrada da Matriz, em Guaratiba. Todos esses investimentos foram feitos e a gente faz com muito orgulho. A infraestrutura para a multidão que vem para o espaço público, de saúde, isso tudo é de responsabilidade do Poder Público”, acrescentou. Entre as obras que a prefeitura promoveu em Guaratiba estão a dragagem do Rio Piraquê, a urbanização de vias, a implantação de placas de sinalização de nomes de rua e o recapeamento de cinco estradas. Eduardo Paes lembrou que a escolha do local para a construção do Campus Fidei foi responsabilidade do comitê organizador, com apoio das autoridades, já que foi um pedido da Igreja fazer o evento em um local mais pobre da cidade. De acordo com ele, foram inicialmente cogitadas as possibilidades do Aterro do Flamengo e da Praia de Copacabana, mas descartadas para o evento “não ficar burguês demais”. Em sua entrevista, o prefeito do Rio de Janeiro deixou claro o tamanho da patrulho ideológica que sofreu. E se o governo tivesse feito investimentos no evento, qual seria o problema? Afinal de contas, o governo federal não dezenas de milhões de reais, todos os anos, para festas gays e outras do gênero?