domingo, 1 de setembro de 2013

GAROTA ESTUDANTE DE FLORIANÓPOLIS QUE CRIOU A PÁGINA "DIÁRIO DE CLASSE" AGORA LANÇA ONG PARA TRABALHAR PELA MELHORA DAS ESCOLAS

A garota Isadora Faber ficou conhecida mundialmente por denunciar em uma página no Facebook os problemas que da escola em que estuda, a Maria Tomázia Coelho, na praia do Santinho, em Florianópolis. O sucesso da adolescente de 14 anos foi tanto que agora ela pretende ajudar a promover melhorias em escolas de todo o Brasil. Para isso, Isadora e os pais fundaram uma ONG que leva o nome da estudante. A intenção é que a organização sirva para ajudar tanto na melhoria de infraestrutura das escolas como na atualização dos professores. Segundo a mãe da garota, Mel Faber, há dois meses a idéia de montar a ONG veio da própria Isadora e desde então eles estavam lutando para tornar o sonho uma realidade. Na última sexta-feira, conseguiram lançar oficialmente o site nas redes socias. Por enquanto, a sede ainda é pequena, um espaço onde era o escritório na casa da família Faber, mas já está tendo retorno da sociedade: "Muitass pessoas estão mandando e-mails, querendo ser voluntárias e, no Facebook, vemos bastante comentários positivos".

CNJ ENCONTRA HOMEM PRESO HÁ MAIS DE 50 ANOS EM CADEIA DO CEARÁ

O Conselho Nacional de Justiça encontrou no Ceará um homem de aproximadamente 80 anos que pode ser o detento mais antigo do País. Ele foi preso na década de 60, recebeu alvará de soltura em 1989, após ter sua punibilidade extinta pela Justiça, mas permanece, mesmo assim, em uma unidade destinada a abrigar acusados de cometer crimes, o Instituto Psiquiátrico Governador Stenio Gomes. “Acho que este ser humano, em uma cadeira de rodas, usando fraldas, deve ser o preso mais antigo do Brasil, pois a informação é de que ingressou no sistema prisional na década de 60 do século passado”, afirmou o juiz Paulo Augusto Irion, um dos coordenadores do Mutirão Carcerário que o Conselho Nacional de Justiça realiza no Estado desde 7 de agosto. Segundo ele, outras cinco pessoas estão na mesma situação. “Nesse instituto, me deparei com seis pessoas internadas que já tiveram declaradas extintas as suas punibilidades, porém permanecem recolhidas devido ao abandono dos familiares, acrescido ainda ao fato da ausência de uma instituição hospitalar própria para abrigá-los. Essas pessoas não mais poderiam permanecer no local, entre as que estão internadas em decorrência da intervenção do Direito Penal.

LÍDER DA ORGANIZAÇÃO NAZISTA ISLÂMICA IRMANDADE MUÇULMANA SOFRE INFARTO NA PRISÃO NO CAIRO

O líder da organização nazista islâmica Irmandade Muçulmana, Mohammed Badia, que está preso na prisão de Tora, no Cairo, sofreu um infarto no sábado, mas já está estável, informou o jornal estatal egípcio "Al-Ahram".Citando uma fonte de segurança, uma equipe médica foi até a prisão para examinar Badia. O diretor do serviço de prisões egípcio, Mustafa Baath, citado pela agência oficial "Mena", negou as informações publicadas por alguns meios que Badia tinha morrido.Uma fonte de segurança consultada pela Agência Efe minimizou o problema, mas confirmou que o líder da Irmandade sentiu dores no peito e teve que ser atendido. O guia espiritual da Irmandade Mulçumana já tinha mostrado claros sinais de fadiga há três dias durante os interrogatórios.Os serviços penitenciários solicitaram a promotoria o adiamento dos interrogatórios alegando que Badia sofria de "fadiga, cansaço e mal-estar extremo".Ele foi detido em 20 de agosto em um apartamento do bairro de Cidade Nasser e nas fotografias distribuídas era possível perceber o cansaço do líder islamita, que junto com outros altos dirigentes da organização nazista islâmica é acusado de instigar à violência e o assassinato de manifestantes.O julgamento de Badia e seus principais colaboradores, Jairat al Shater e Rashad Bayumi, começou no domingo e foi adiado para 29 de outubro, depois de o Tribunal Penal do Cairo pedir à promotoria que permita a presença dos processados nas sessões, que estão em prisão preventiva.Os líderes islamitas não assistiram à audiência por motivos de segurança e a defesa reivindicou o direito dos acusados de comparecer no próprio julgamento.

ROGER PINTO MOLINA TEM GRAVAÇÕES DE AMEAÇAS DE MORTE, DIZ EX-SENADOR BOLIVIANO

Refugiado no Brasil desde 2011, o ex-senador boliviano de oposição Paulo Bravo afirmou em entrevista ao jornalista Claudio Humberto que o senador Roger Pinto Molina – de quem é amigo íntimo – tem gravações de ameaças de morte que sofreu na Bolívia e que o levaram a pedir asilo político na embaixada brasileira em maio do ano passado. “Ele tem ameaças de morte gravadas, de um assassino dizendo que tinha sido contratado para matá-lo. Está tudo gravado e foi entregue à embaixada brasileira”, declarou. Segundo Paulo Bravo, o senador oposicionista faz parte dos 756 perseguidos políticos da Bolívia que vivem hoje no Brasil, além daqueles que estão espalhados pelo Paraguai, Peru, Espanha, Estados Unidos, Uruguai. “Isso não pode ser normal”, conclui.O senador Roger Pinto Molina deixou a Bolívia, sem obter salvo-conduto, com a ajuda do embaixador Eduardo Sabóia e chegou ao Brasil no último sábado. A vinda do opositor, sem o conhecimento do Itamaraty, levou à queda do ex-ministro Antônio Patriota, substituído pelo chanceler Luiz Alberto Figueiredo. Leia, a seguir, a entrevista na íntegra:
- O senhor tem falado com o senador Roger Pinto Molina?
- Desde que chegou ao Brasil, falo com ele todos os dias. Acompanho o caso do começo, quando ele passou a sofrer processos na Justiça após denunciar esquema de narcotráfico envolvendo autoridades.
- Molina teme ser extraditado para a Bolívia?
- Pelo contrário, ele está muito tranquilo, até porque o Brasil respeita os direitos humanos e trata bem os refugiados que vem ao país. Acreditamos que não há hipótese de o Molina voltar para a Bolívia.
- O senhor se refugiou no Brasil pelos mesmos motivos de Molina?
- No meu caso, fui candidato ao governo e ganhei a eleição. Na época, o presidente me acusou de fraude e passei a receber ameaças. Foi quando Molina me chamou à casa dele, onde estavam um procurador, um juiz e o segundo comandante da polícia, que me alertaram que tinham uma ordem judicial para me prender. Dias depois, minha casa foi invadida. E isso que eu não tenho sequer um processo na Bolívia.
- Ou seja, a oposição é sufocada na Bolívia…
- Se abrir o bico, ou você é preso ou terá de sair do país. É isso que eles querem. Quem decide falar, logo se vê cheio de processos. O problema não é político, é judicial, porque não há direito de defesa, já vai direto para cadeia. Não existe Justiça na Bolívia.
- Foi o que aconteceu com Roger Pinto Molina?
- O problema é que ele recebeu documentos de pessoas do governo mostrando o envolvimento de ministros, policiais, promotores no narcotráfico. O presidente sequer quis receber as denúncias. No momento em que ele deu publicidade, sem citar nomes, começaram a surgir os processo por desacato, corrupção… Ele tem ameaças de morte gravadas, de um assassino dizendo que tinha sido contratado para matá-lo. Está tudo gravado e foi entregue à embaixada brasileira.
- Na sua opinião, o embaixador Eduardo Sabóia fez certo ao ajudar Molina a vir para o Brasil?
- A operação foi um risco, mas eu acho que ele fez certo. Ninguém sabe o que acontecia lá dentro. Eu acho que as doenças começaram por causa da depressão. Eu sempre falava com a filha do Molina, que me dizia estar preocupada com o pai. As visitas médicas aumentaram e ele começou a tomar água o tempo todo. Ele ficou muito deprimido.
- Quantos bolivianos vivem hoje no Brasil?
- Com o senador Roger Pinto Molina, são 756 perseguidos políticos que vivem no Brasil. Além disso, tem bolivianos espalhados pelo Paraguai, Peru, Espanha, Estados Unidos, Uruguai. Isso não pode ser normal.
- Como o senhor avalia o episódio, revelado pelo Diário do Poder, em que o presidente Evo Morales submeteu avião da FAB à revista de cães farejadores, tudo atrás de Molina?
- Eu soube ainda na época, por meio da embaixada brasileira e do Molina, mas a gente não quis fazer escândalo. O Evo Morales faz isso para se amostrar, ele vive disso. Quer provar que é o todo poderoso, respeitado, que tem poder para revistar avião do Brasil, retirar a Petrobras. Depois da morte de Hugo Chavez, ele sonha em ser o líder da América do Sul.

MARINA SIVA DOBRA A ESPINHA PARA A "VELHA POLÍTICA"; SE NÃO CONSEGUIR REGISTRAR A REDE, TERÁ DE ALUGAR UM PARTIDO PARA SE CANDIDATAR

Segunda colocada nas pesquisas eleitorais, Marina Silva se recusa a discutir, até mesmo a portas fechadas, um plano B para a sucessão presidencial de 2014 se não conseguir registrar seu partido, a Rede de Sustentabilidade, dentro do prazo exigido pelo Tribunal Superior Eleitoral. Apesar da resistência da ex-senadora, dirigentes da Rede que são detentores de mandato parlamentar já começam a pensar no futuro caso o projeto naufrague. Para poder ter candidatos em 2014, a Rede precisa ser criada até 5 de outubro, mas tem enfrentado dificuldades para certificar as 492 mil assinaturas necessárias para obter o registro. Sem uma legenda própria, Marina Silva teria de procurar um partido para abrigar seu projeto de poder que oferecesse "um mínimo de conforto programático", como diz um operador político da Rede. O espectro é pequeno, mas traz opções. A mais viável seria o retorno ao PV, sua antiga legenda. Outras alternativas aceitáveis seriam o PDT, PPS e até o novato PEN, que poderia ser moldado à imagem e semelhança de Marina Silva.Todas essas siglas se dizem abertas ao diálogo e já abrigam militantes ligados a Rede. O problema é que uma eventual migração poderia deixar os parlamentares do grupo sem mandato, já que a lei só permite mudança para partidos recém-criados. Para a maioria dos políticos que estão na linha de frente do movimento pela criação da Rede, a permanência em suas atuais legendas se tornou insustentável. Com medo de ficar de fora da disputa eleitoral do ano que vem, a Rede ingressou na segunda-feira com o pedido de registro no TSE mesmo sem cumprir os requisitos prévios para apresentar a solicitação. Até agora, o grupo conseguiu certificar cerca de 60% das assinaturas necessárias e criou apenas um dos nove diretórios estaduais exigidos pela lei.

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO FAZ RADIOGRAFIA DA INCOMPETÊNCIA DO PT

Em artigo publicado pelo jornal O Globo, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso faz forte crítica aos governos do PT e aponta como estão detonando as oportunidades do Brasil. Leia abaixo:
"É preciso grandeza para colocar os interesses de longo prazo do povo e do país acima das desavenças e pactuar algumas reforma. Não é preciso muita imaginação, nem entrar em pormenores, para dar-nos conta de que atravessamos uma fase difícil no Brasil.Comecemos pelo plano internacional. Os acontecimentos abrem cada vez maiores espaços para a afirmação de influências regionais significativas. O próprio "imbróglio" do Oriente Médio, do qual os Estados Unidos saem com cada vez menos influência na região, aumenta a capacidade de atuação das monarquias do Golfo, que têm dinheiro e querem preservar seu autoritarismo, assim como a do Irã, que lhes faz contraponto. A luta entre wahabistas, xiitas e sunitas está por trás de quase tudo. E a Turquia, por sua vez, encontra brechas para disputar hegemonias.Enquanto isso, nós só fazemos perder espaços de influência na América do Sul. Nossa diplomacia, paralisada pela inegável simpatia do lulopetismo pelo "bolivarianismo" ziguezagueia e tropeça. Ora cedemos a pressões ilegítimas (como a recente da Bolívia, que não dava salvo-conduto a um asilado em nossa embaixada), ora nós próprios fazemos pressões indevidas, como no caso da retirada do Paraguai do Mercosul e da entrada da Venezuela. Ao mesmo tempo fingimos não ver que o "arco do Pacífico"é um contrapeso à inércia brasileira. Diplomacia e governo sem vontade clara de poder regional, funcionários atordoados e papelões por todo lado, é o balanço. Na questão energética, que dizer? A expansão das usinas está atrasada e sem apoio real do setor privado, salvo para construir as obras. As caixas das empresas elétricas quebradas, graças a regulamentações que, mesmo quando necessárias, se fazem atropeladamente e sem olhar para os interesses de longo prazo dos investidores e dos consumidores. A Petrobras, agora entregue a mãos mais competentes, mergulhada numa incrível escassez de créditos para investir e com o caixa abalado pela contenção do preço da gasolina. O que fora estrepitosamente proclamado pelo presidente Lula, a autossuficiência em petróleo, esfumou-se no aumento do déficit das importações de gasolina. Agora, com a revolução americana do gás de xisto, quem sabe onde irá parar o preço de equilíbrio do petróleo para ser extraído do pré-sal? Na questão da infraestrutura, depois de uma década de atraso nos editais de concessão de estradas e aeroportos, além das tentativas malfeitas, o governo inovou: fazem-se privatizações, disfarçadas sob o nome de concessões, com oferta de crédito barato pelo governo às empresas privadas interessadas. Dinheiro, diga-se, do BNDES (com juros subsidiados pelo contribuinte), e, ainda por cima, o governo se propõe a levar para a empreitada os bancos privados. Sabe-se lá que vantagens terão de lhes ser oferecidas para que entrem no ritmo do PAC, isto é, devagar e malfeito.Nunca
se viu coisa igual: concessões que recebem vantagens pecuniárias e nada rendem ao Tesouro, à moda das ferrovias cujos construtores receberiam abonos em dinheiro por quilômetro construído. Só mesmo na Macondo surrealista de Gabriel Garcia Márquez. Espero que, aqui, a solidão de incapacidade executiva e má gestão financeira não dure cem anos...Se passarmos para a gestão microeconômica, os vaivéns não são diferentes. A indústria, diziam, não exporta porque o câmbio está desfavorável. Agora tivemos uma megadesvalorização,de mais de 25%. Se nada fizermos para reduzir as deficiências e ineficiências estruturais da economia brasileira, e se o governo não tiver a coragem de evitar que a desvalorização se transforme em mais inflação, o novo patamar da taxa nominal de câmbio de pouco adiantará para a indústria.Antes os governistas se gabavam da baixa de juros (ah, esses tucanos, sempre de mãos dadas aos juros altos! diziam). De repente, é o governo do PT quem comanda nova arrancada dos juros. E nem assim aprendem que não é a vontade do governante quem dita regras nos juros, mas muitas vontades contraditórias que se digladiam no mercado. Olhar no umbigo, isto não.Já cansei de escrever sobre esses males e outros mais. Das deficiências no prestar serviços nas áreas de educação, saúde e segurança, a mídia dá-nos conta todos os dias. Dos desatinos da vida político-partidária, então, nem se fale. Basta ver o último deles, a manutenção na Câmara de um deputado condenado pelo Supremo e já na cadeia! Não obstante, dada a amplitude dos desarranjos, parece inevitável reconhecer que a questão central é de liderança.Não digo isso para acusar uma pessoa (sempre o mais fácil é culpar o presidente ou o governo) ou algum partido especificamente, embora seja possível identificar responsabilidades. Mas é de justiça reconhecer que o desencontro, o bater de cabeças dentro e entre os partidos, faz mais zoeira do que gera caminhos.Daí que termine com uma pergunta ingênua: será que não dá para um mea culpa coletivo e tentar, mantendo as diferenças políticas, e mesmo ideológicas, perceber que, quando o barco afunda, vamos todos juntos, governo e oposição, empregados e empregadores, os que estão no leme e os que estão acomodados na popa?É preciso grandeza para colocar os interesses de longo prazo do povo e do país acima das desavenças e pactuar algumas reformas (poucas, não muitas, parciais, não globais) capazes de criar um horizonte melhor, começando pela partidário-eleitoral (já que o ukase presidencial nesta matéria não deu certo, como não poderia dar).Se os que estão à frente do governo não têm a visão ou a força necessária para falar com e pelo país, pelo menos a oposição poderia desde já cessar as rixas internas a cada partido e limar as diferenças entre os partidos. Só assim, formando um bloco confiável, com visão estratégica e capaz de seguir caminhos práticos, construiremos uma sociedade mais próspera, decente e equânime".

PELA REELEIÇÃO DE DILMA, PT PROÍBE DIRETÓRIOS DE ESTADUAIS DE ENFRENTAR JOSÉ SARNEY, JADER BARBALHO E SÉRGIO CABRAL

Com a prioridade de reeleger a presidente Dilma Rousseff, a direção nacional do PT tem interferido nos planos eleitorais de seus diretórios estaduais com o objetivo de agradar aliados ou minimizar estragos. A mais de um ano da eleição já há pelo menos dois casos de possível intervenção da direção nacional, ainda que informal. No Pará, setores do partido resistem em apoiar a candidatura de Helder Barbalho, filho do senador Jader Barbalho (PMDB), para o governo do Estado. No Maranhão, o comando nacional acompanha com atenção o racha petista quanto à manutenção do apoio ao PMDB da família Sarney. No Rio de Janeiro, o presidente nacional do PT, Rui Falcão, já entrou em campo para conter o pré-candidato petista ao governo do Estado, senador Lindbergh Farias, que queria que o partido desembarcasse do governo Sérgio Cabral (PMDB) antes de outubro. O diretório regional do PMDB do Rio de Janeiro é o que tem mais votos na convenção nacional do partido, que decidirá o rumo na eleição para presidente da República em 2014. O presidente nacional do PT também já determinou ao diretório estadual do Pará o apoio à candidatura de Helder Barbalho. Além disso, Falcão se comprometeu pessoalmente com Jader, em jantar há 13 dias em Brasília. Além de reeleger Dilma, a prioridade da direção nacional do PT é aumentar as bancadas na Câmara e no Senado. Assim, o comando nacional está exigindo sacrifícios de sua base nas disputas para governador. Desafiando a orientação nacional, o deputado federal Claudio Puty, pré-candidato petista a governador do Pará, disse, em artigo veiculado na internet esta semana, concordar que o ponto central para 2014 é reeleger a presidente Dilma, mas que esse objetivo “não pode destruir simbólica e materialmente o PT, ao transformá-lo em sublegenda de projetos contraditórios com o nosso programa histórico”. Integrante da segunda maior corrente interna do PT, a Mensagem ao Partido, Puty foi o coordenador da campanha derrotada à reeleição da então governadora Ana Júlia Carepa (PT), em 2010. O deputado disse que há uma rejeição “gigantesca” da militância petista em apoiar a candidatura de Helder Barbalho.

PRIVATIZAÇÃO DO IRB-BRASIL SERÁ CONCLUÍDA EM ATÉ 30 DIAS

A privatização do Instituto de Resseguros do Brasil (IRB-Brasil) será concluída até o dia 1º de outubro, segundo o Ministério da Fazenda, quando devem ser finalizados os últimos trâmites burocráticos para passar a empresa, vinculada à pasta, à iniciativa privada. A companhia, que responde por cerca de 40% do mercado de resseguros no Brasil, será gerida por Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e o Fundo de Investimentos da Caixa Econômica Federal. Os bancos terão 51% do IRB-Brasil por meio de compra de ações detidas pela União. O conselho da companhia confirmou no dia 20 de agosto o aumento de capital do IRB-Brasil, mas para que ela seja privatizada a Superintendência de Seguros Privados (Susep) também tem que homologar a operação. O IRB-Brasil recebeu em 2012 o montante de R$ 2,8 bilhões em prêmios emitidos e teve lucro de R$ 293,4 milhões.

MORRE OAS 74 ANOS O JORNALISTA DAVID FROST, AUTOR DE CÉLEBRE ENTREVISTA COM RICHARD NIXON

O popular jornalista e apresentador de televisão britânico David Frost, famoso por suas incisivas entrevistas políticas, como as realizadas com o ex-presidente Richard Nixon, em 1977, morreu na noite de sábado, aos 74 anos. Frost aparentemente sofreu um ataque cardíaco quando estava a bordo do cruzeiro Queen Elizabeth.Em sua trajetória de 50 anos na televisão, Frost entrevistou nomes como Margaret Thatcher e Tony Blair, o líder palestino Yasser Arafat, o sul-africano Nelson Mandela e o americano Bill Clinton. Frost chegou a deixar a "Dama de Ferro" furiosa ao perguntar pelo afundamento do navio argentino Belgrano na Guerra das Malvinas, em 1982.Foram suas entrevistas com o ex-presidente americano Nixon, em 1977, no entanto, que o colocaram na história do jornalismo. Em quatro encontros, que tiveram uma grande audiência, Frost conseguiu encurralar Nixon, que tinha renunciado três anos antes, até que este reconheceu que havia "frustrado" os americanos e pediu perdão. Aquela foi a primeira vez que o republicano Richard Nixon admitiu ter cometido um erro desde sua renúncia, em 1974, por causa do caso Watergate. David Frost entrevistou todos os presidentes americanos de Nixon até George W. Bush e apresentou em sua longa carreira vários programas de televisão, entre eles Breakfast with Frost, That Was The Week That Was e Frost on Sunday.O talento do jornalista foi reconhecido pelo primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, que enviou condolências à sua família e afirmou que o considerava um "amigo e temido entrevistador."

NELSON MANDELA DEIXA O HOSPITAL APÓS TRÊS MESES INTERNADO, MAS SEU ESTADO AINDA É GRAVE

A Presidência da África do Sul divulgou comunicado neste domingo informando que o ex-presidente do país, Nelson Mandela, deixou o hospital pela manhã e foi para sua casa em Joanesburgo, onde continuará a receber cuidados intensivos. O anúncio foi feito um dia depois de as autoridades terem negado relatos de que Mandela havia recebido alta. A declaração do governo diz que a condição de Mandela permanece
crítica e, no momento, instável. O primeiro presidente democraticamente eleito da África do Sul estava no hospital desde junho com uma infecção pulmonar. "A equipe de médicos está convencida de que ele vai receber o mesmo nível de cuidado intensivo em sua casa, no subúrbio de Houghton, que recebeu no hospital em Pretória", diz a declaração da Presidência. O documento acrescenta que a casa de Mandela foi "reconfigurada para permitir que continue recebendo cuidados intensivos", e que ele será tratado pelos mesmos profissionais de saúde que o acompanham desde o início de junho, quando foi hospitalizado. Nelson Mandela, de 95 anos, ganhador do Prêmio Nobel da Paz em 1993 e primeiro presidente negro da África do Sul, foi hospitalizado no dia 8 de junho para tratamento de uma infeção pulmonar. Acredita-se que a condição pulmonar de Mandela é resultado de uma tuberculose contraída há cerca de 30 anos, quando foi preso por causa da luta contra a segregação racial.

ESCRITOR ARIANO SUASSUNA PASSA BEM APÓS SOFRER ANEURISMA CEREBRAL

O motivo do mal-estar do escritor paraibano Ariano Suassuna foi um aneurisma cerebral, conforme diagnóstico do Real Hospital Português, no Recife, onde ele está internado desde o início da tarde de quinta-feira. O aneurisma, detectado após um exame de arteriografia cerebral  feito no sábado, já foi tratado. De acordo com o hospital, Suassuna passa bem e está consciente. No entanto, não há previsão de alta. É a segunda internação em menos de um mês do autor da obra "Auto da Compadecida". No dia 27 de agosto, ele teve alta após sete dias internado, em virtude de um infarto. Na quinta-feira, Suassuna voltou ao hospital após sentir-se mal.

EGITO DEPORTA TRÊS MEMBROS DA REDE DE TELEVISÃO AL-JAZEERA

Autoridades egípcias informaram que deportaram três membros de uma equipe de televisão da rede Al-Jazeera, baseada no Catar, após terem sido detidos por quase uma semana e acusados de trabalhar de forma ilegal. Uma autoridade do aeroporto de Cairo afirmou que o correspondente Wayne Hay, o câmera Adil Bradlow e o produtor Russ Finn deixaram o Cairo com destino a Londres neste domingo. Os três foram detidos na última terça-feira com um colega egípcio durante a cobertura dos acontecimentos no Egito. Na semana passada, o governo interino do Egito chamou o canal local em árabe da Al-Jazeera de ameaça à segurança nacional e ordenou que ele fosse fechado. A Al-Jazeera é ostensivamente favorável à organização nazista islâmica Irmandade Muçulmana.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA GAÚCHO CONFIRMA A REINTEGRAÇÃO DE POSSE E IMISSÃO DE BENS CONTRA A CORSAN EM URUGUAIANA

A 21ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul confirmou a transmissão das instalações e equipamentos necessários à execução do serviço de abastecimento de água e esgoto do Município de Uruguaiana à nova prestadora, a Foz de Uruguaiana. Os magistrados negaram recurso da Companhia Rio-grandense de Saneamento (CORSAN), que tentava reverter liminar que determinou a reintegração e imissão na posse dos bens, e mantiveram a sentença de 1° Grau. O município e a empresa Foz de Uruguaiana S/A ajuizaram ação de reintegração e imissão na posse contra a CORSAN, o que foi confirmado, em parte, em liminar, determinando a entrega dos bens necessários à execução do serviço, incluindo os bancos de dados e cadastros, os sistemas, maquinários, tubulações e instalações relacionados aos Contratos de Concessão de Serviços de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário de Uruguaiana. Dessa decisão, foi interposto recurso ao Tribunal de Justiça, onde foi suspensa a liminar. Na ocasião, a 21ª Câmara Cível acompanhou o voto do relator, desembargador Francisco José Moesch, que entendeu que, conforme contrato firmado há 20 anos, a Corsan deveria ser indenizada quando efetuasse a entrega dos bens, por conta dos investimentos realizados ao longo do período. Assim, votou o relator que a posse das instalações somente se efetivasse uma vez paga a indenização ou dada garantia suficiente à Companhia. Inconformado, o Município recorreu ao Superior Tribunal de Justiça, que se manifestou favorável à transferência dos bens à nova prestadora do serviço, o que ocorreu em 24 de junho de 2011, ficando postergada a questão relativa à indenização. Na sessão do dia 21/8, ao analisar o recurso da Corsan, o desembargador Moesch mudou o seu voto e entendeu que deve ser mantida a sentença de 1° Grau, que confirmou a liminar concedida ao Município e à Foz de Uruguaiana. Na decisão, a juíza Karina de Olivera Leonetti Padilha considerou que os vínculos relativos ao abastecimento de água e de saneamento básico expiraram e foram extintos (o primeiro, por meio do Decreto n° 158/2011 e o segundo, por força de Decreto de Caducidade nº 343/2008). Tendo havido termo final dos vínculos contratuais de concessão entre o Poder Público Municipal e a Corsan e em tendo sido esta notificada pelo poder concedente para efetivar a entrega dos bens reversíveis e das instalações necessárias à execução do serviço, passa a Corsan deter posse precária e, pois, injusta, desse patrimônio, sendo a posse justa do Poder Público Municipal e a devida, em decorrência da transferência do direito, à Foz de Uruguaiana S/A, afirmou a magistrada. Quanto ao dever de indenizar a Corsan, a Juíza entendeu que não há exigência de que a mesma seja efetivada de forma prévia. O Superior Tribuanal de Justiça já se manifestou precisamente sobre o tema, dispensando a prévia indenização, o que, ao ver deste juízo afigura-se a solução mais justa, dada a necessidade de se priorizar o interesse público ? continuidade do serviço - sobre o privado, ciente da necessidade de avaliação precisa e da comum e evidente discórdia entre as partes sobre a existência do dever de indenizar em razão da necessidade de se examinar se há bens não amortizados e, em havendo, em razão da necessidade de ser o valor ainda liquidado, o que pode se postergar no tempo. Por fim, reconhecida a resistência ofertada pela Corsan à transferência do patrimônio relacionado ao serviço de abastecimento de água e de saneamento básico ao Poder Concedente, mesmo depois de extintos os contratos de concessão e notificada a tanto, reconhecida resta a posse precária da demandada e o consequente esbulho possessório a justificar a procedência da demanda de reintegração, confirmando-se a medida liminar", sentenciou a Juíza.

KÁTIA ABREU QUER PROIBIR DEMARCAÇÃO DE TERRAS INVADIDAS

A presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), senadora Kátia Abreu (PSD/TO), em discurso na abertura da Expointer, em Esteio (RS), afirmou que, nesta segunda-feira, apresentará projeto de lei determinando que áreas invadidas não possam ser demarcadas nos três anos subsequentes. "É a ordem, a segurança jurídica que nós esperamos do nosso governo", disse ela, ao denunciar a ação de "entidades e organismos internacionais disfarçados com passaporte brasileiro, que usam os índios para insuflar uma guerra falsa". No discurso, a senadora citou a Medida Provisória que abriu os portos brasileiros a investimentos privados, que considera essencial para melhorar a estrutura de escoamento da produção. Ela destacou que, dois meses depois da aprovação pelo Congresso Nacional, 50 empresários já haviam se apresentado, declarando interesse em investir na logística do País.

PROCURADORIA DENUNCIA EX-AUDITORA DA RECEITA FEDERAL POR CORRUPÇÃO

O Ministério Público Federal denunciou à Justiça uma ex-auditora fiscal da Receita Federal pelos crimes de corrupção passiva, evasão de divisas e violação de sigilo funcional. Ela é acusada de ter recebido “vantagem indevida” e “praticado ato de ofício” para favorecer uma empresa de formulários em São Paulo em processos de restituição do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). A denúncia é do procurador Anderson Vagner Gois dos Santos. O procurador também denunciou o ex-marido da ex-servidora, por lavagem de dinheiro, um empresário e um contador – ambos por corrupção ativa – e um auditor aposentado por corrupção passiva. O esquema foi descoberto na operação Reluz, da Polícia Federal, deflagrada em 2007 em 11 Estados. A Polícia Federal constatou que fábricas de cigarros corromperam a auditora para promover distribuição dos produtos sem recolhimento de impostos. Na operação foram descobertos outros esquemas de corrupção e o envolvimento de fiscais da Receita Federal no recebimento de propina para favorecer empresas com problemas com o Fisco. A auditora, segundo a denúncia do procurador Anderson Vagner Gois dos Santos, recebeu, em março de 2007, uma quantia em dólares do empresário e seu contador, durante reunião em um escritório em São Paulo. Os valores foram pagos para encerrar dez processos administrativos de uma empresa de formulários. A autuação contra a empresa ocorreu em fevereiro de 2007. Ela não teria direito a receber restituição, pois as notas fiscais não permitiam identificar os produtos que tinham saído da empresa. Um mês depois, a auditora da Receita alterou os autos afirmando que as mercadorias tinham saído e que a empresa, portanto, se enquadrava na classificação adequada para a restituição de IPI. Após a descoberta da fraude, a Receita Federal revisou todos os dez procedimentos e constatou que as informações eram falsas, pois não era possível determinar se os produtos saíram ou não, e que a empresa não se enquadraria na categoria para receber os créditos, anulando, assim, os procedimentos feitos pela auditora. A Procuradoria sustenta que o dinheiro de corrupção era guardado no escritório que a auditora dividia com seu então marido, que é advogado e foi membro do Conselho de Contribuintes do Ministério da Fazenda. A ex-auditora mantinha uma conta clandestina em um banco na Suíça, "que era abastecida com dólares oriundos da prática criminosa”.

FERNANDO HENRIQUE CARDOSO AFIRMA QUE AÉCIO NEVES TEM QUE CONSOLIDAR NOME JUNTO À POPULAÇÃO

Um dia após o senador Aécio Neves (PSDB-MG) reunir-se em São Paulo com a bancada de deputados estaduais da sigla, numa tentativa de aproximar-se da ala mais ligada ao ex-governador tucano José Serra e ao atual Geraldo Alckmin (PSDB), o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso avaliou, na sexta-feira, que o caminho do senador mineiro dentro da sigla, na corrida à Presidência da República nas eleições do ano que vem, está praticamente definido, restando consolidar seu nome junto aos eleitores. "Todo processo eleitoral depende do desempenho dos candidatos e da base que ele articula. O Aécio Neves tem capacidade de articulação e tem um bom desempenho. Agora tem que consolidar o nome com a população. Ele vai ter que trabalhar bastante, não é uma coisa simples assim. Acho que ele não tem dificuldade na correlação interna do PSDB. Não vejo que haja dificuldade", disse o ex-presidente.

EDUARDO PAES DIZ QUE É MUITO DIFÍCIL DILMA ROUSSEFF PERDER A ELEIÇÃO

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB) avaliou, na sexta-feira, Que, apesar do crescimento de Marina Silva, a presidente Dilma Rousseff ainda deve vencer as eleições de 2014. "Acho que é muito difícil a Dilma perder a eleição", afirmou. Para ele, quem está no governo caiu, porque o momento é "de contestação das estruturas governamentais. Claro que equilibra o jogo", concluiu. Segundo Paes, a queda na popularidade do governador do Rio de Janeiro, seu correligionário, Sérgio Cabral, é uma consequência momentânea das manifestações e não deve afetar a campanha de seu vice, Luiz Fernando Pezão, apontado como provável candidato à sucessão. "A eleição é ano que vem. Acho que as pessoas vão olhar e comparar o que o Cabral fez para o Rio de Janeiro e a transformação que a gente passou no Estado. Tenho certeza que o Pezão tem todas as condições de ganhar", disse.

DEPUTADOS PROPÕEM LEI PARA TIRAR AS MÁSCARAS DOS BANDIDOS DO BLACK BLOC

Os jovens bandidos mascarados que se aproveitam do anonimato para cometer atos de vandalismo no fim das manifestações do Rio de Janeiro poderão ser impedidos de usar máscaras ou qualquer outro tipo de adereço para esconder o rosto. Dois deputados do PMDB - Paulo Melo, presidente da Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), e Domingos Brazão, líder do partido – apresentaram, quinta-feira, o projeto de lei número 2405, que proíbe o uso de qualquer peça que dificulte ou não permita a identificação dos manifestantes. Na sexta-feira, a mesa diretora da Alerj determinou que o projeto de lei seja votado em regime de urgência, o que possibilitará que o texto seja submetido ao plenário terça ou quarta-feira, segundo Paulo Melo. A rapidez permitirá que, se aprovado, o projeto já possa ser aplicado no dia 7 de setembro, quando está previsto protesto dos black blocs no Rio de Janeiro.

ADVOGADO DO SENADOR BOLIVIANO ROGER PINTO MOLINA CRITICA POLITIZAÇÃO DO PROCESSO E JÁ DISCUTE O ASILO COM DOIS OUTROS PAÍSES

O advogado Fernando Tibúrcio Peña, que defende o senador oposicionista boliviano Roger Pinto Molina, disse na sexta-feira que está discutindo a possibilidade de obter asilo político para seu cliente em dois países latino-americanos que fazem fronteira com o Brasil, se o processo dele for politizado. Tibúrcio lamentou “a politização do processo”. Segundo ele, politizar o caso influencia nas questões técnicas e jurídicas. O parlamentar boliviano continua em Brasília, mas se prepara para visitar a mulher e as filhas no Acre. “É uma pena essa politização toda, porque a discussão técnica e jurídica se perde em meio a tudo isso”, reforçou o advogado. “Insistimos na manutenção do senador em território brasileiro, mas temos que negociar alternativas, se isso não for possível".” Tibúrcio disse que já conversou com os embaixadores de dois países latino-americanos sobre a possibilidade asilo político para Pinto Molina. Porém, para evitar prejuízos às negociações, o advogado mantém sigilo sobre os países cujos representantes foram consultados.

CNJ RECOMENDA INTERDIÇÃO DE DOIS PRESÍDIOS NO CEARÁ

O Conselho Nacional de Justiça vai recomendar ao governo do Ceará a interdição de dois presídios, devido a problemas de superlotação e péssimas condições de higiene. Os fatos foram constatados pelo Mutirão Carcerário, que verifica as condições das cadeias no Estado. Na Casa de Privação Provisória de Liberdade Desembargador Francisco Adalberto de Oliveira Barros Leal, em Caucaia (CE), a coordenação do mutirão encontrou instalações superlotadas. A capacidade da prisão é 828 vagas, mas foram encontrados 1.172 detentos. O CNJ vai recomendar a interdição parcial da unidade e a transferência do excedente de presos para outras cadeias. O Conselho vai aconselhar a interdição total das instalações da Cadeia Pública de Tianguá, localizada a 300 quilômetros de Fortaleza (CE). Segundo o Conselho, os presos convivem com esgoto a céu aberto. O mutirão para checar as condições dos presídios no Ceará começou no dia 7 de agosto. A avaliação prévia dos coordenadores dos trabalhos é negativa. Além da superlotação, foram encontrados outros problemas, como cerceamento do direito a visitas, comida de má qualidade, falta de água e de atendimento jurídico.

ESTUDO DA CODEPLAN DIZ QUE É VIÁVEL A CRIAÇÃO DE CINCO MUNICÍPIOS NO ENTORNO DE BRASÍLIA

A Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan) apresentou na sexta-feira um estudo sobre os possíveis impactos da criação de cinco municípios no entorno da capital. Pelo Projeto de Lei Complementar (PLC) 416/2008, que trata da criação de municípios. No Entorno do Distrito Fedral, cinco municípios goianos têm distritos e núcleos urbanos que se enquadram nos critérios estabelecidos pelo projeto: Jardim Ingá, em Luziânia; Campos Lindos, em Cristalina; Jardim ABC, na Cidade Ocidental; Morro Alto, em Padre Bernardo; e Girassol, em Cocalzinho de Goiás. Aprovado no Senado, o PLC 416, de autoria do senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR), possibilita a criação de 400 municípios no País e foi encaminhado à Câmara para deliberação dos deputados. Segundo o estudo da Codeplan, com base nas condições estabelecidas pelo projeto, as associações municipalistas calculam em 6 mil habitantes a população mínima necessária para criação de municípios na Região Centro-Oeste, número amplamente superado pelas cinco áreas goianas.

GOVERNO VAI LICITAR MAIS DE 2 MIL LINHAS INTERESTADUAIS DE ÔNIBUS

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) vai leiloar em abril do ano que vem 2.110 linhas de transporte interestadual de passageiros. As linhas foram distribuídas em 16 grupos e 54 lotes. Contemplam ligações de ônibus entre 2.050 municípios, distribuídos por todas as regiões do País. Segundo o cronograma divulgado na sexta-feira, a abertura das propostas das empresas interessadas em ter uma permissão para operar no setor será entre os dias 2 e 11 de abril de 2014, na sede da Bovespa, em São Paulo. A permissão será pelo prazo de 15 anos. Desde 2008, quando venceram as permissões das empresas, elas operam com autorizações especiais. As linhas a serem leiloadas têm estimativa de demanda de 54,3 milhões de passageiros. O vencedor do leilão será o que apresentar o menor valor da tarifa. A escolhida terá que ofertar o maior desconto médio percentual para cada lote. Caso duas ou mais empresas sejam classificadas em primeiro lugar, com o mesmo desconto médio percentual, o desempate se dará por sorteio.

IEDI AVALIA QUE A ECONOMIA BRASILEIRA AVANÇA A PASSOS LENTOS E FRÁGEIS

O crescimento de 1,5% do PIB no segundo trimestre do ano mostra que a economia brasileira está melhorando lentamente, segundo avaliação do Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi). “A economia brasileira continua caminhando a passos lentos (aumento de 2,6% no primeiro semestre) e frágeis”, diz em nota. De acordo com a entidade, o resultado divulgado na sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) “mostra um quadro não tão ruim da economia brasileira, como fazia crer boa parte das avaliações dos analistas”. Apesar de os números também não indicarem, segundo o Iedi, uma grande retomada na expansão econômica: “Não se está dizendo com isso que os resultados abrem uma trajetória de crescimento robusto para o País ainda este ano”. Entre os indicadores que apresentaram melhora “inquestionável”, o Iedi destaca os investimentos.

MANTEGA DIZ QUE GOVERNO TEM MUITA BALA NA AGULHA PARA MODERAR A MUDANÇA DE CÂMBIO

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse na sexta-feira, durante avaliação dos resultados do PIB no segundo trimestre, que a desvalorização do real em relação ao dólar está ligada à expectativa de medidas que podem ser adotadas pelo Fed, o Banco Central americano. Segundo Mantega, o governo tem os instrumentos necessários para controlar a desvalorização da moeda nacional. “As mudanças do Fed causam mudanças no câmbio de diversos países. Nós temos aqui a possibilidade de influir fazendo com que a desvalorização seja menor, caso haja necessidade. Temos muita bala na agulha para moderar a mudança de câmbio”. Mantega voltou a dizer que, no Brasil, as mudanças acontecem por influência do mercado futuro. “Não é fuga de dólares, significa que temos um País mais sólido, com mais reservas, e que todo movimento ocorre no mercado futuro. A movimentação se deve ao fato de que temos um mercado mais aberto, mais internacionalizado e com mais liquidez do que em outros mercados”, ressaltou.

MINISTRO JOAQUIM BARBOSA DIZ QUE REJEIÇÃO DA CASSAÇÃO DE NATAN DONADON É "INCONGRUÊNCIA CONSTITUCIONAL"

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, disse na sexta-feira que lamenta a “incongruência constitucional” gerada pela decisão da Câmara dos Deputados de rejeitar a cassação do deputado federal Natan Donadon (sem partido-RO). Ele foi condenado pelo Supremo a 13 anos de reclusão por peculato e formação de quadrilha e está preso no Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal. “Quando julgamos, no ano passado e neste ano, decidimos pela perda do mandato. Eu disse, muito claramente, que seria uma incongruência constitucional muito grande manter no Congresso Nacional um parlamentar condenado criminalmente ou eventualmente um parlamentar a cumprir pena”, ressaltou Joaquim Barbosa. “Eu chamei a atenção para a improvável e impossível conciliação do mandato com essa condição de presidiário. Lamento muito que estejamos hoje diante desse impasse constitucional absurdo, mas o Congresso Nacional é soberano, ele tomou a sua decisão, ele terá que conviver e lidar com as consequências desse ato”, acrescentou o presidente do STF. Barbosa lembrou que a Constituição Federal prevê que os condenados percam os direitos políticos.

CNA DIZ QUE COLHEITA RECORDE DETERMINOU CRESCIMENTO ECONÔMICO NO SEGUNDO TRIMESTRE

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) avalia que o crescimento de 1,5% do Produto Interno Bruto no segundo trimestre, divulgado na sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), está relacionado à colheita de grãos da safra 2012/2013. “A colheita recorde de 186,1 milhões de toneladas de grãos e fibras determinou o crescimento do PIB”, disse a entidade. Os dados do IBGE mostram que o PIB agrícola cresceu 3,9% no segundo trimestre de 2013, na comparação com os três meses anteriores. Em relação ao segundo trimestre de 2012, o desempenho da agropecuária registrou elevação de 13%. Nos primeiros seis meses deste ano, a soma das riquezas produzidas em propriedades rurais cresceu 14,7% ante igual período de 2012. “Os resultados espelham o cenário favorável de preços no período de plantio, justificado pelas perdas de safra no Hemisfério Norte no segundo semestre de 2012”, diz o comunicado da CNA. A entidade considera positiva a expansão do crédito rural por meio do Plano Agrícola e Pecuário 2012/2013 e destacou o clima favorável como outro fator que influenciou nos bons resultados da colheita.

SUSPENSÃO DE VENDA DE 212 PLANOS DE SAÚDE FEITAS PELA ANVISA COMEÇOU A VIGORAR

A suspensão da venda de 212 planos de saúde como punição por descumprimento das normas da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) começou a valer na sexta-feira. A medida foi discutida na Justiça e a agência reguladora divulgou que a decisão do Tribunal Regional Federal da 2º Região permite manter a suspensão. No dia 20 de agosto, a agência anunciou a suspensão, por três meses, da venda de 212 planos de saúde de 21 operadoras por descumprimento de prazos para consultas, exames e cirurgias e negativa de cobertura. De março a junho deste ano foram registradas 17.417 reclamações. Somaram-se à lista, mais 34 planos de cinco operadoras que foram suspensas em processo de avaliação anterior. “Após detalhada análise da decisão judicial dessa quarta-feira, a ANS reexaminou seus próprios critérios e concluiu que todos os entendimentos expressos pelo TRF foram adotados pela agência no processo de monitoramento. Não houve impacto no número de operadoras, nem de planos cuja suspensão havia sido anunciada", divulgou em nota a agência. "A ANS obteve no TRF decisão que permite manter o monitoramento do atendimento e ,portanto, suspender a comercialização de planos de saúde que descumpriram a legislação e os contratos firmados com o consumidor".

COMANDANTE DA ORGANIZAÇÃO TERRORISTA AL QAEDA É MORTO POR DONE NO IÊMEN

Qaied al-Dahab, comandante da Al Qaeda no Iêmen, foi morto na sexta-feira por um drone (avião teleguiado) americano na província de Bayda, região central do país. No momento do ataque, Qaied al-Dahab e outros dois homens estavam circulando de carro. As informações são de autoridades tribais da região. Qaied é irmão de Tariq al-Dahab, terrorista da Al-Qaeda que, em janeiro de 2012, se apoderou por um curto período de tempo de Radah, uma localidade da província de Bayda, pouco antes de ser assassinado em uma suposta disputa familiar. Após a morte de Tariq, Qaied foi escolhido para sucedê-lo. Em julho, outro drone já havia matado no Iêmen o número dois da Al Qaeda na região, o saudita Said al-Shehri. A Al Qaeda na Península Arábica é considerada pelos Estados Unidos como o ramo mais atuante e perigoso da organização. Também é apontada como responsável pela direção dos terroristas de nacionalidade saudita. Seu ataque mais importante ocorreu pouco menos de um ano antes do atentado às Torres Gêmeas, em 2001. Um bote com explosivos foi conduzido por membros da Al Qaeda até o navio americano USS Cole, que estava no porto de Aden, no Iêmen, matando 17 marinheiros. O grupo aproveitou a fragilidade do poder central em consequência da insurreição popular contra o ex-presidente Ali Abdullah Saleh em 2011 para ganhar força no leste e sul do Iêmen.

MALDIÇÃO DO PIBINHO DEVE PERDURAR EM 2013 E 2014

O crescimento de 1,5% do Produto Interno Bruto (PIB) no segundo trimestre pode provocar, momentaneamente, um suspiro de otimismo no governo. No acumulado de 12 meses, encerrados em junho, o crescimento da economia brasileira foi de 1,9%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mas manter esse mesmo ritmo até o final do ano será missão impossível, segundo analistas. O resultado do segundo trimestre, apesar de não exalar qualquer esplendor de PIB asiático, mostra que o primeiro semestre não foi de todo ruim. Do lado da oferta, o período foi beneficiado pelo agronegócio; já pela ótica da demanda, os investimentos ajudaram. Contudo, as expectativas para o próximo semestre apontam para uma desaceleração importante da oferta, no setor de serviços, enquanto a demanda será penalizada pelo desempenho ruim do consumo privado. "Esse é um cenário oposto ao visto no ano passado, quando o baixo crescimento era uma preocupação com a indústria, devido à baixa competitividade e altos custos da mão de obra. Já neste ano, o que vemos é diferente. A indústria está um pouco melhor, mas o setor de serviços perde força", afirma a economista Zeina Latif, da consultoria Gibraltar. As óticas da oferta e da demanda são duas formas distintas de calcular o PIB, mas que devem chegar a um mesmo resultado. A oferta é tudo o que é produzido pelos setores econômicos (agropecuária, serviços e indústria). Já a demanda e calculada pelo gasto das famílias, do governo e das empresas. As exportações também entram nesse cálculo. O consumo das famílias será um dos motores de desaceleração do País nos próximos meses. Além das manifestações que espantaram muitos consumidores, há o alto endividamento da população, a inflação e a preocupação com o mercado de trabalho. Ainda que o índice de desemprego do IBGE esteja próximo de mínimas históricas, os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) de julho mostram saldos negativos de emprego em determinados segmentos, como borracha e fumo. O setor agrícola tampouco deve servir como indutor do crescimento. Primeiro, porque representa apenas 5% do PIB. Em segundo lugar, de acordo com Zeina, os bons resultados do primeiro semestre - sobretudo o do primeiro trimestre - se devem a fatores sazonais da safra de grãos, e não ao aumento da demanda mundial por commodities. "Não há força para um PIB acima de 2% nem para esse ano e nem para 2014", afirma. Segundo a pesquisa Focus, feita pelo Banco Central com economistas, a economia brasileira deve crescer 2,4% no ano que vem. A divulgação do PIB é um retrato do passado, já que é feita dois meses depois do fim do período calculado. Assim, por mais que o número tenha sido animador, um outro Brasil se forma para o próximo semestre e, também, para o início de 2014. Segundo a economista Monica Baumgarten de Bolle, da consultoria Galanto, os acontecimentos sociais e econômicos de junho a agosto deram outro tom à economia brasileira - muito mais cauteloso e, para alguns, pessimista. "Estamos vivendo um outro Brasil nos últimos meses. Além da inflação que já preocupava, aconteceram as manifestações, a crise no câmbio e uma grande dificuldade em retomar investimentos. Diante disso, fica difícil olhar para 2013 com otimismo", afirma.

TERCEIRO PRESO CORINTIANO EM ORURO É IDENTIFICADO COMO ARRUACEIRO NO ESTÁDIO NACIONAL MANÉ GARRINCHA, EM BRASÍLIA

Envolvido no caso da morte do jovem boliviano Kevin Espada, em fevereiro, o corintiano Fabio Neves Domingos, o Dumemo, também foi identificado na briga nas arquibancadas do Mané Garrincha, em Brasília, no dia 25, durante jogo com o Vasco. A partir da análise de quatro fotos, peritos criminais do Distrito Federal concluíram que Domingos participou do confronto em Brasília. O torcedor ficou preso por mais de cinco meses em Oruro, na Bolívia. Membro da Gaviões da Fiel, Domingos é o terceiro corintiano preso pela morte de Kevin Espada a ser reconhecido na briga em Brasília. Leandro Silva de Oliveira, o Soldado, e Cleuter Barretos Barros, o Manaus, já haviam sido identificados, foram proibidos de entrar nos estádios paulistas por 90 dias e indiciados pela Polícia Civil do Distrito Federal. Além do trio de Oruro, o vereador Francisco Morato Raimundo Cesar Faustino (PT) também participou da briga e recebeu punição. Se condenados, os envolvidos podem ficar três anos proibidos de entrar em estádios. Que grande punição, não é mesmo?

APÓS EXPULSAR REPSOL DA ARGENTINA, YPF SE ALIA À CHEVRON

A Assembleia Legislativa da Província de Neuquén, na Argentina, aprovou na noite da última quarta-feira as condições para o acordo do governo da presidente peronista populista Cristina Kirchner com a multinacional americana Chevron para a exploração da jazida de gás de xisto de Vaca Muerta. Com o acordo, a estatal argentina e a empresa americana tornam-se sócias na exploração de uma área ambiental que comunidades indígenas, organizações sociais e partidos de esquerda querem preservar. A polícia de Neuquén, província governada por aliados de Cristina Kirchner, reprimiu com violência os protestos contra o acordo sobre Vaca Muerta. O acordo YPF-Chevron mostra o posicionamento dúbio da presidente argentina, que há pouco mais de um ano expulsou a Repsol da YPF, expropriando a maior parte das ações que a empresa espanhola tinha da petrolífera argentina. Cristina Kirchner alegou, na época, que a medida visava recuperar a ?soberania energética? do país. Na sequência, o governo tentou convencer empresas estatais da região a investir em parceria com a YPF, entre elas, a Petrobras. No entanto, Cristina Kirchner fracassou na empreitada e procurou parceiros fora da América do Sul. A alternativa encontrada foi a Chevron. Na última quarta-feira, após a votação que aprovou o acordo, os representantes da oposição deixaram no plenário da Assembleia Legislativa de Neuquén, em sinal de sarcasmo, uma bandeira dos Estados Unidos. O acordo determina que a Chevron invista 1,24 bilhão de dólares para explorar a área de Vaca Muerta. Na contramão da expropriação da YPF, anunciada com estardalhaço em rede nacional, as negociações com a Chevron foram feitas discretamente, sem anúncios presidenciais.