segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

PT VAI PEDIR SUSPENSÃO DO DEBATE SOBRE CASSAÇÃO DO MANDADO DO BANDIDO MENSALEIRO JOSÉ GENOÍNO

Porta-voz do PT na Mesa Diretora da Câmara, o deputado federal André Vargas (PT-PR) anunciou que vai pedir nesta terça-feira à Casa que suspenda a análise de abertura de processo de cassação do deputado federal e bandido mensaleiro José Genoino (PT-SP) até fevereiro, quando termina a licença médica do parlamentar. André Vargas argumentou que o bandido mensaleiro José Genoino foi considerado um "inválido temporário" pela junta médica da Câmara e que até mesmo o "severo" procurador-geral da República, Rodrigo Janot, concedeu mais 90 dias de prisão domiciliar a José Genoino por sua condição de saúde. Na mesma linha, o líder do PT na Câmara e irmão do bandido mensaleiro José Genoino, deputado José Guimarães (CE), disse que haverá "reação" se Genoino for cassado "por algum carrasco, de forma precipitada e sem base legal". A intenção do PT é evitar a abertura do processo na reunião da Mesa Diretora marcada para o meio-dia desta terça-feira. "Se aparecer algum carrasco querendo cassar o Genoino precipitadamente e sem base legal, essa Câmara reagirá. Se a Mesa fizer isso, a gente responderá à altura", disse o petista Guimarães, irmão do bandido mensaleiro. O PT tem chances de ver sua estratégia aprovada depois da decisão de Janot e diante da divisão dos sete integrantes da Mesa. Já o presidente da Câmara, deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), quer a abertura do processo, temendo um desgaste da Casa junto à opinião pública. Nos bastidores, Henrique Alves foi avisado pela cúpula petista que a relação entre os dois partidos acabará se o processo for aberto. Segundo um parlamentar, "a guerra será aberta". Ao lado de Guimarães, André Vargas foi à Tribuna fazer um discurso em que comparou o bandido mensaleiro José Genoino ao governador Marcelo Déda, que morreu na madrugada desta segunda-feira, na boutique da saúde do PT, o Hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Ele disse que os dois eram homens do diálogo e expoente da história do PT: "Queremos o efeito suspensivo da questão do Genoino enquanto durar a licença. Nossa proposta é, enquanto ele estiver licenciado, não deverá se instaurar o processo. Ele não tem condições de se defender. Por que esta Câmara vai negar este direito que o severo procurador da República concedeu? Isso não é manobra, é uma defesa à luz do dia, É o apelo que farei amanhã, de humanidade", disse o petista André Vargas. O petista disse que Genoino não tem condições físicas de se defender e nem passar por esse tipo de estresse. Os dois negaram uma renúncia do bandido mensaleiro José Genoino, mas técnicos petistas consultaram à Secretaria Geral sobre até quanto ele poderia fazer isso. Para escapar do processo, José Genoino teria que renunciar até a representação chegar à Comissão de Constituição e Justiça. Dos sete titulares da Mesa Diretora, dois já se manifestaram pela abertura de processo de cassação: Henrique Alves e Fábio Faria (PSD-RN), e um pela perda automática do mandato - Márcio Bittar (PSDB-AC). Dois petistas que compõem o colegiado são contra a abertura de processo e querem aguardar a conclusão do julgamento pelo Supremo Tribunal Federal (STF): André Vargas (PR) e Biffi (MS). Na semana passada, o deputado Simão Sessim (PP-RJ) levantou a possibilidade de adiamento ou de consulta primeiro à CCJ antes da decisão da Mesa. E Maurício Quintella (PR-AL) não se manifestou.

AEROPORTO DE VIRACOPOS COMEÇA A RECEBER PONTES DE EMBARQUE

As primeiras pontes móveis de embarque que serão instaladas no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, começaram a chegar nesta segunda-feira. Um comboio de 14 carretas transporta os equipamentos que desembarcaram no porto de Vitória (ES). São 28 equipamentos trazidos da China, que serão instalados no novo terminal de passageiros, que está com 74% das obras concluídas e é considerado estratégico para a Copa de 2014. Os locais onde serão instaladas as pontes de embarque já foram construídos, nos três "piers" que o novo terminal terá. Hoje todas as posições de embarque de aeronaves em Viracopos são remotas, o passageiro caminha até o avião e sobe por uma escada móvel acoplada. São 37 locais de estacionamento desse tipo. No novo terminal, serão sete posições remotas e 28 com ponte móvel. As novas estruturas (fingers) possibilitarão que os passageiros saiam da área de embarque do terminal diretamente dentro das aeronaves. Elas foram compradas da chinesa CIMC-TianDa.

CNJ ABRE PROCESSO PARA INVESTIGAR JUIZ ACUSADO DE VENDA DE SENTENÇAS

O Conselho Nacional de Justiça decidiu nesta segunda-feira abrir processo para investigar o desembargador José Liberato Costa Póvoa, do Tribunal de Justiça do Tocantins. O magistrado é acusado de venda de sentenças judiciais. Segundo o conselho, há indícios de que o juiz recebeu dinheiro em troca de decisões favoráveis às partes que atuavam nos processos em que ele era relator.  Ele foi afastado do cargo por determinação do Superior Tribunal de Justiça em outro processo de investigação por acusações semelhantes. De acordo com o corregedor nacional de Justiça, Francisco Falcão, o desembargador é suspeito de receber R$ 50 mil reais para conceder um agravo de instrumento para uma das partes do processo. Em outro caso, Póvoa teria recebido R$ 10 mil. Ele também é acusado de fazer parte de um esquema ilegal de pagamento de precatórios. "São fortes os indicativos de que o sindicado, no exercício de suas funções, apresentou atuação não condizente com os preceitos descritos na Lei Orgânica da Magistratura Nacional (Loman)”, disse o corregedor.

MINISTRO JOAQUIM BARBOSA DETERMINA FIM DO PROCESSO DO MENSALÃO DO PT PARA MAIS DOIS CONDENADOS

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, determinou nesta segunda-feira o fim do processo do Mensalão do PT, para mais dois réus condenados no processo. Com a decisão, os mandados de prisão do ex-diretor do Banco Rural, Vinicius Samarane, e do ex-deputado federal do PL (atual PR), Bispo Rodrigues, poderão ser emitidos a qualquer momento. A decisão ocorreu após parecer do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a favor do cumprimento imediato das penas. Segundo o procurador, as condenações não podem ser mais modificadas pelos embargos infringentes apresentados pelos réus. O recurso prevê um novo julgamento para os réus que tiveram pelos menos quatro votos pela absolvição. No entanto, os condenados não obtiveram a quantidade mínima de votos. Samarane foi condenado a oito anos e nove meses de prisão, em regime fechado, por gestão fraudulenta e lavagem de dinheiro. Rodrigues recebeu pena de seis anos e três meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Em outra decisão, Joaquim Barbosa também negou recurso e determinou o fim do processo do Mensalão do PT para o ex-deputado federal Pedro Corrêa (PP-PE), condenado a sete anos e dois meses de prisão.

PRESIDENTE DO SUPREMO AUTORIZA TRANSFERÊNCIA PARA BELO HORIZONTE DAS BANDIDAS MENSALEIRAS BANQUEIRA KATIA RABELO E SIMONE VASCONCELOS

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa, autorizou nesta segunda-feira a transferência para Belo Horizonte de Simone Vasconcelos e Kátia Rabello, condenadas no processo do Mensalão do PT. De acordo com a Lei de Execução Penal, os presos podem pedir ao Judiciário para cumprir a pena em penitenciárias que se localizam perto dos familiares. Simone e Kátia haviam sido transferidas nesta segunda-feira para a Penitenciária Feminina da Colméia, localizada a 40 quilômetros do centro de Brasília. Elas estavam presas no 19º Batalhão da Polícia Militar, dentro do Complexo Penitenciário da Papuda, Simone, ex-funcionária do publicitário Marcos Valério, foi condenada a dez anos e dez meses de prisão, e Kátia Rabelo, ex-presidente do Banco Rural, a 14 anos e cinco meses de prisão em regime fechado.

DÍVIDA DOS BRASILEIROS É OITO VEZES MAIOR DO QUE O 13º SALÁRIO QUE ESTÁ SENDO PAGO, MAIS UM RECORDE DO GOVERNO DA PETISTA DILMA

Mesmo se fosse usado integralmente para pagar as dívidas, o 13º salário não seria suficiente. Os brasileiros chegam ao fim de 2013 devendo — somente aos bancos — um total de pouco mais de R$ 1,2 trilhão, o maior saldo da história, segundo dados do Banco Central. O montante equivale a oito vezes a quantia que será injetada na economia brasileira neste ano com o benefício natalino, cuja primeira parcela caiu na conta dos trabalhadores na última sexta-feira. A situação das finanças domésticas se complica porque, com base nos números do Banco Central sobre as operações de crédito, os consumidores têm mergulhado nas dívidas mais caras do mercado. O saldo devedor do cheque especial, por exemplo, é o maior já registrado, com alta acumulada de 20,9% no ano. Os débitos com o cartão de crédito na modalidade rotativa — quando se quita apenas o valor mínimo da fatura — cresceram 6,2% nos 10 primeiros meses, mais do que os pagamentos à vista com cartão, nos quais não incidem juros, com alta de 5,1%. O ano não foi fácil para os brasileiros. A inflação se manteve persistente e bem acima do centro da meta do governo, de 4,5%. A cada ida ao supermercado, um novo espanto diante dos reajustes, sempre minimizados pela equipe econômica. Não bastasse isso, a expectativa para o início de 2014 é de mais alta dos preços, além dos gastos extras do período, como pagamento de impostos e matrícula escolar. A escalada da taxa básica de juros — que na última semana chegou a 10% ao ano, voltando à casa dos dois dígitos — encarecerá o crédito e poderá acelerar o inchaço das dívidas. A soma do que os brasileiros devem às instituições financeiras representa, hoje, mais de um quarto (25,8%) do PIB, também a maior proporção já identificada pelo Banco Central. "Para diminuir o peso das dívidas, o consumidor foi obrigado a ficar mais seletivo e cuidadoso. Quem conseguiu limpar o nome não vai querer virar o ano no vermelho de novo", acredita o economista da Confederação Nacional do Comércio (CNC), Fabio Bentes. Nos últimos anos, com a ausência de projetos estruturantes no País, o consumo das famílias foi o que garantiu o crescimento econômico. O aumento da renda e do nível de emprego da população fizeram o governo estimular a fartura do crédito e, consequentemente, uma corrida às compras. A euforia deu resultado. Mas, no entender de analistas, esse modelo de desenvolvimento — que acabou abafando a falta de projetos sólidos — se esgotou.

FDA MANDA SUSPENDER TESTE QUE SEQUENCIA DNA HUMANO

O órgão regulatório americano Food and Drug Administration (FDA) exigiu que a empresa 23andMe suspenda imediatamente as vendas e a publicidade de seus testes de sequenciamento de DNA e se adapte aos padrões indicados pela agência. Em nota a FDA se diz preocupada com as consequências que testes com resultados imprecisos podem acarretar. A 23andME, criada nos Estados Unidos há cinco anos por Anne Wojcicki (ex-mulher de um dos fundadores do Google, Sergey Brin), cobra 99 dólares para sequenciar e interpretar o DNA de seus clientes a partir de amostras de saliva. Quase 500 000 testes já foram realizados desde então. A empresa promete fornecer informações sobre 254 doenças, incluindo o risco genético de uma pessoa desenvolver condições como câncer de mama, Parkinson e esquizofrenia, ou como ela responderá a determinados medicamentos. Anne disse que esperava atingir 1 milhão de clientes até o início do ano que vem. A empresa também realiza estudos para identificar novas variações genéticas que podem indicar o risco de enfermidades. Uma pesquisa publicada no início do ano, por exemplo, apontou vinte associações genéticas que desempenham um papel importante no surgimento da miopia. Outro trabalho da 23andMe, divulgado em 2012, encontrou seis alterações relacionadas à calvície precoce. Na nota, como um exemplo de sua preocupação em torno dos impactos desse tipo de teste na saúde pública, o FDA destaca os exames que indicam o risco de uma pessoa desenvolver doenças como o câncer de mama, que é revelado por uma mutação genética no gene BRCA. Segundo o órgão, um resultado falso positivo pode levar a cirurgias e tratamentos desnecessários, enquanto um falso negativo pode esconder um risco que de fato existe. Por isso, o FDA quer que a empresa prove que seus exames são precisos e confiáveis. Especialistas favoráveis à decisão do FDA afirmam que testes do tipo devem ser supervisionados por médicos e não oferecidos por empresas diretamente aos consumidores. Análises genéticas que indicam a presença de mutações que podem estar relacionadas ao risco de doenças, quando feitas em hospitais e avaliadas por médicos, são indicadas em casos muito específicos. O teste que detecta a mutação no gene BRCA, por exemplo, chega a custar 7 000 reais no Brasil e é recomendado a pacientes que já tiveram câncer de mama ou apresentam casos da doença na família. A cautela do FDA é compreensível. Os dados revelados pelos exames são complexos e de difícil interpretação até para os médicos. O fato de um paciente apresentar uma mutação genética para determinada doença não significa que a enfermidade se manifestará ou que haverá alguma maneira de evitar que ela apareça. Em 2010, o FDA já havia enviado uma carta a cinco empresas que oferecem testes genéticos — entre elas a 23andMe — informando que elas precisariam ter aprovação da agência.

RIO DE JANEIRO PERDE A BATALHA CONTRA A EXPANSÃO DE FAVELAS NO RIO DE JANEIRO

O Rio de Janeiro está perdendo a luta contra a expansão desenfreada das favelas. A pesquisa Brasil em Desenvolvimento 2013, divulgada nesta segunda-feira pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), constatou que a população em favelas na cidade cresce acima da média nacional. Enquanto o contingente de moradores nos morros cariocas cresceu 9,3% entre 2000 e 2010, a expansão da população total do País foi de 6,2%. A cidade tinha, em 2010, 1.394.333 pessoas habitando essas regiões. Esse crescimento ocorreu mesmo com a tendência de migração da população para municípios médios, do interior, e para cidades-dormitório, detectada pela mesma análise dos pesquisadores do Ipea.

GRUPO CHINÊS ACENA COM POSSIBILIDADE DE PARTICIPAR DE OUTROS LEILÕES DE PETRÓLEO NO BRASIL

O presidente da CNODC Brasil Petróleo e Gás (filial do CNPC, um dos grupos chineses que compõem o consórcio vencedor do Campo de Libra), Bo Qiliang, disse que a empresa pretende participar de outros leilões no Brasil. “Estamos focados no projeto corrente, de Libra, mas abertos para avançar em outros projetos. Mas ainda é cedo para detalhar isso”, disse ele, após participar da cerimônia de assinatura do primeiro contrato para partilha e exploração do pré-sal. O leilão teve como vencedor o consórcio formado pelas empresas Petrobras (40%), Shell (20%), Total (20%), CNPC (10%) e Cnooc (10%). Não houve concorrência alguma.

QUATRO BOMBEIROS PERMANECEM EM ESTADO GRAVE APÓS INCÊNDIO NO MEMORIAL DA AMÉRICA LATINA

Quatro bombeiros permanecem internados após o incêndio que atingiu o Auditório Simón Bolívar, no Memorial da América Latina, na última sexta-feira. O estado das vítimas, internadas no Hospital de Clínicas, é grave e elas continuam sob cuidados médicos em UTI. A operação de combate ao fogo e rescaldo durou cerca de 15 horas, terminando no sábado, e envolveu mais de 100 bombeiros. De acordo com a Defesa Civil, o laudo de interdição já foi expedido e, por tempo indeterminado, somente o auditório está interditado. O risco da estrutura desabar já foi descartado, mas existem restos de vidraças no piso e ferragens à mostra que podem causar ferimentos.

LEILÃO DE PRIVATIZAÇÃO DE MAIS DE 1.000 QUILÔMETROS DE ESTRADAS ATRAI CINCO GRUPOS

A Agência Nacional dos Transportes Terrestres (ANTT) informou nesta segunda-feira que cinco grupos, entre consórcios e empresas, apresentaram propostas para disputar o leilão de privatização das BRs-060/153/262, que cortam o Distrito Federal e os Estados de Goiás e Minas Gerais. A licitação está marcada para esta quarta-feira, às 10 horas, na sede da BM&FBovespa, em São Paulo. Vão participar da disputa as empresas Triunfo Participações e Investimentos, Invepar, Companhia de Participações em Concessões, além dos consórcios integrados pela Ecorodovias e pela Queiroz Galvão. O trecho que será licitado tem 1.176,50 quilômetros e abrange 47 municípios nas três unidades da Federação. A privatização consiste na exploração, por 30 anos, da infraestrutura e da prestação do serviço público de recuperação, conservação, manutenção, operação, implantação de melhorias e ampliação de capacidade das rodovias, sendo: 630,20 quilômetros da BRs-060 e 153, desde o entroncamento com a BR-251, no Distrito Federal, até a divisa dos Estados de Minas Gerais e São Paulo, e 546,30 quilômetros da BR-262, do entroncamento com a BR-153 ao entroncamento com a BR-381, em Minas Gerais.

FATURAMENTO DA INDÚSTRIA CAI 1,2% EM OUTUBRO

O faturamento da indústria caiu 1,2% no mês de outubro em relação a setembro, e a massa real de salários recuou 1,3%, de acordo com pesquisa divulgada nesta segunda-feira pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). As horas trabalhadas na produção aumentaram 0,7%, e a utilização da capacidade instalada ficou estável em 82,1%.

PERÍCIA MÉDICA DE ROBERTO JEFFERSON É MARCADA PARA ESTA QUARTA-FEIRA

A junta médica do Instituto Nacional do Câncer (Inca), do Rio de Janeiro, vai avaliar as condições de saúde do presidente licenciado do PTB, Roberto Jefferson, nesta quarta-feira, às 8h30. A determinação para realização do laudo médico foi feita pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Joaquim Barbosa. Com base na conclusão dos profissionais, Joaquim Barbosa decidirá se o ex-deputado federal cumprirá prisão domiciliar ou na penitenciária. Roberto Jefferson foi condenado a sete anos e 14 dias de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, em regime semiaberto, no processo do Mensalão do PT. A pedido dos médicos, ao apresentar-se para fazer a perícia, Roberto Jefferson deverá levar os exames pré e pós-operatórios e os relatórios da operação. No ano passado, Roberto Jefferson passou por cirurgia para retirada de um tumor no pâncreas. Segundo Joaquim Barbosa, o regime domiciliar pode ser concedido ao condenado, mas ele deverá provar a gravidade da doença.

ALEXANDRE TOMBINI PASSA A INTEGRAR CONSELHO DIRETOR DO BANCO DE COMPENSAÇÕES INTERNACIONAIS

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, passou a compor o conselho de diretores do Banco de Compensações Internacionais (BIS), considerado o banco central dos bancos centrais do mundo. Com a decisão, Tombini passa a fazer parte do conselho diretor do BIS ao lado dos presidentes dos bancos centrais dos Estados Unidos, da União Européia, do Reino Unido, Japão, da Suécia, China, Itália, Bélgica, Alemanha, Índia e do México. De acordo com o texto divulgado pelo Banco Central, o “BIS tem entre suas atribuições promover discussões e facilitar a colaboração entre os bancos centrais, dar suporte ao diálogo com outras autoridades responsáveis pela promoção da estabilidade financeira, conduzir pesquisas sobre políticas de interesse dos bancos centrais, além de ser a primeira contraparte para os bancos centrais em suas transações financeiras”.

BANDIDAS MENSALEIRAS BANQUEIRA KATIA RABELO E SIMONE VASCONCELOS SÃO TRANSFERIDAS DA PAPUDA PARA PRESÍDIO FEMININO

A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal transferiu nesta segunda-feira Simone Vasconcelos e a banqueira Kátia Rabello, bandidas condenadas no processo do Mensalão do PT, para a Penitenciária Feminina da Colméia, localizada a 40 quilômetros do centro de Brasília. A transferência foi determinada pela Vara de Execuções Penais na quinta-feira. Os juízes afirmaram que elas devem ficar “em local adequado aos seus atuais regimes de cumprimento de pena”. As bandidas mensaleiras Simone Vasconcelos e Kátia Rabelo estavam presas no 19º Batalhão da Polícia Militar, dentro do Complexo Penitenciário da Papuda, por determinação do juiz Ademar Silva de Vasconcelos. As duas condenadas pediram ao Supremo Tribunal Federal transferência para Belo Horizonte, mas o pedido ainda não foi analisado pelo presidente do Tribunal, Joaquim Barbosa.

CRESCE O NÚMERO DE MORADORES EM FAVELAS EM BRASÍLIA

O número de pessoas morando em favelas na região metropolitana de Brasília mais que dobrou em dez anos. A capital federal está na contramão do restante do País, onde, em média, a população brasileira cresceu 14,5% entre 2000 e 2010 e a quantidade de pessoas morando em favelas aumentou 6%. Em Brasília, no entanto, o número de indivíduos em favelas subiu 50,7%. A informação consta do estudo Cidades em Movimento: Desafios e Políticas Públicas, divulgado pelo Ipea, com base no Censo 2010, do IBGE. Segundo o estudo do Ipea, Brasília está entre as capitais onde a população morando em favelas mais cresceu em uma década: 50,7%. Em seguida vem Manaus (29,2%), Belém (14,7%) e Rio de Janeiro (9,3%). De acordo com o presidente do Ipea, Marcelo Neri, o estudo não é conclusivo, mas indica a verticalização das favelas, reflexo do aumento do preço dos imóveis em grandes centros. Responsável pelo estudo, o pesquisador Rogério Boueri ressaltou ainda que no Entorno de Brasília, onde está a maioria desses conglomerados, há um “boom imobiliário” que tem elevado os preços dos imóveis, especialmente nas regiões de baixa renda.

PROCURADOR-GERAL RODRIGO JANOT É A FAVOR DE PRISÃO DOMICILIAR PARA O BANDIDO PETISTA JOSÉ GENOÍNO POR 90 DIAS

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou nesta segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal parecer a favor da prisão domiciliar para o deputado federal e ex-presidente do PT, o bandido mensaleiro José Genoino, por 90 dias. Com o parecer, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, vai decidir se mantém a prisão domiciliar de Genoino ou determina a volta do deputado para a Penitenciária da Papuda, no Distrito Federal. Laudo feito por uma junta médica do Hospital Universitário de Brasília concluiu que José Genoino é portador de cardiopatia “que não se caracteriza como grave”. A avaliação médica foi feita a pedido de Joaquim Barbosa. No laudo de oito páginas enviado ao Supremo, a junta médica descreve os problemas de saúde do bandido mensaleiro José Genoino e diz que não é necessário tratamento domiciliar. A equipe diz que ele deve receber acompanhamento médico periódico. Pela avaliação, o ex-presidente do PT está com “condição patológica tratada e resolvida". Segundo o procurador, nova análise da saúde do deputado deverá ser feita após 90 dias.

PESQUISA DO IPEA INDICA REDUÇÃO DA DESIGUALDADE ENTRE MUNICÍPIOS BRASILEIROS

Caiu a desigualdade de repasse de verbas federais e de indicadores de desenvolvimento humano entre os municípios brasileiros, entre 2002 e 2012. A constatação é do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que divulgou indicadores da pesquisa Cidades em Movimento: Desafios e Políticas Públicas, no Rio de Janeiro. De acordo com a pesquisa, em dez anos, no período estudado, as receitas disponíveis nas prefeituras passou de 6,4% para 8% do PIB. O resultado reflete ampliação da arrecadação municipal e de transferências de recursos federais por meio de políticas públicas, segundo o presidente do Ipea, Marcelo Neri. De acordo com Neri, pesaram mais na redução das desigualdades econômicas e de desenvolvimento entre os municípios, principalmente programas de saúde, educação e de assistência social, como o Bolsa Família.

IPEA APONTA QUE O BRASIL TEM MAIS ENGENHEIROS DO QUE MÉDICOS

A falta de médicos em determinadas regiões do País foi constatada na pesquisa Cidades em Movimento: Desafios e Políticas Públicas, divulgada nesta segunda-feira pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Feita com base no Censo 2010, mostra que, proporcionalmente, em relação ao número de habitantes, o País tem mais engenheiros que médicos. Além de apresentar mapas com as regiões mais carentes de médicos, o estudo revela que para cada engenheiro a proporção é 267,62 habitantes. Já para cada médico são 701,61 pessoas na média nacional. A proporção é menor no Maranhão, no Amapá e no Pará, onde são, respectivamente, um profissional de saúde para cada grupo de 2,3 mil, 1,9 mil e 1,5 mil pessoas. “São quase três vezes mais engenheiros que médicos no País”, reforçou o presidente do Ipea, Marcelo Neri. Os Estados com mais engenheiros e médicos são São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal. Segundo a pesquisa, as profissões foram quantificadas por serem fundamentais ao desenvolvimento do País e foco de políticas públicas federais.

INVESTIGAÇÃO DA ONU APONTA ASSAD COMO CRIMINOSO DE GUERRA

A alta comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, a esquerdista Navi Pillay, declarou, pela primeira vez, que provas "indicam a responsabilidade" do ditador sírio, Bashar Assad, em crimes de guerra e contra a humanidade no conflito em seu país. "A Comissão de Investigação produziu uma enorme quantidade de evidências sobre crimes de guerra e contra a humanidade. Essas provas indicam uma responsabilidade no mais alto nível de governo, incluindo o chefe de Estado", disse Pillay nesta segunda-feira. A alta comissária também afirmou que gostaria que fosse aberta uma investigação criminal "nacional ou internacional" para julgar os responsáveis ​​pelos crimes. Apontar o ditador Assad como um criminoso de guerra é fácil, o difícil é essa organização esquerdopata da ONU apontar também como criminosos os grupos da oposição síria, aí incluída a organização terrorista Al Qaeda. A Comissão de Investigação foi criada em 22 de agosto de 2011 por uma resolução do Conselho de Direitos Humanos e tem como função investigar todas as violações aos direitos humanos no conflito na Síria e identificar seus responsáveis para que sejam futuramente julgados. Em seu último relatório, publicado em 11 de setembro, a Comissão, presidida pela ex-procuradora internacional da ONU, Carla del Ponte, acusou o regime de Damasco de crimes contra a humanidade e crimes de guerra. Em várias ocasiões, membros da Comissão acusaram altos funcionários do regime sírio, mas nunca nomearam esses responsáveis e nem mencionaram diretamente o chefe de Estado. A Comissão, que nunca foi autorizada a visitar a Síria, baseou seu trabalho em mais de 2 000 entrevistas realizadas desde a sua criação com pessoas envolvidas no conflito na Síria e em países vizinhos. Ela também criou uma lista confidencial com o nome de pessoas suspeitas de cometer crimes na Síria. Esta relação foi enviada à alta comissária da ONU, que não a divulgou.

AÇÕES DA PETROBRAS TÊM MAIOR QUEDA DESDE A CRISE DE 2008

A maior queda das ações da Petrobras em cinco anos levou o principal índice da bolsa de valores a iniciar dezembro com baixa de mais de 2%, diante da frustração do mercado com a falta de clareza sobre a nova metodologia de reajuste de preços de combustíveis. O Ibovespa caiu 2,36%, maior queda porcentual desde 30 de setembro, a 51.244 pontos. O giro financeiro do pregão foi de 7,5 bilhões de reais. As ações preferenciais da Petrobras fecharam em queda de 9,21%, a 17,36 reais, e as ordinárias recuaram 10,37%, a 16,42 reais. Desde novembro de 2008, logo após o início da crise financeira, com a quebra do banco Lehman Brothers, os papéis da estatal não tinham queda tão acentuada. A queda ocorre porque o mercado aguardava reajustes de 6% a 10% para o preço da gasolina, além da divulgação da tão aguardada nova fórmula de reajuste automático, que tem como objetivo dar alguma previsibilidade aos gastos da estatal com a oscilação do preço do petróleo. Como o reajuste foi de apenas 4% para a gasolina e 8% para o diesel, e nenhuma fórmula foi divulgada pelo Conselho de Administração da companhia, a reação do mercado à decisão da sexta-feira, 29 de novembro, pautou o movimento da BM&FBovespa neste primeiro pregão de dezembro. O desempenho das ações evidencia a decepção do mercado, sobretudo com a decisão do Conselho da estatal e, mais precisamente, da própria presidente Dilma Rousseff, de não autorizar a divulgação de detalhes sobre a nova metodologia de reajustes de combustíveis. Segundo analistas, a falta de clareza sobre os critérios mantém incertezas para o mercado, num momento em que a empresa absorve forte defasagem dos preços domésticos na comparação com os internacionais. Na noite de sexta-feira, a estatal anunciou o reajuste de preços nas refinarias de 4% na gasolina e de 8% para o diesel, já como  consequência de uma nova política de preços.

GOVERNO DA PETISTA DILMA PODE VOLTAR A COBRAR IMPOSTO SOBRE A GASOLINA

O governo da petista Dilma Rousseff pode voltar a cobrar a Contribuição de Intervenção sobre o Domínio Econômico (Cide) sobre os combustíveis para melhorar suas receitas mas, no contexto atual, a prioridade é a inflação, disse o ministro da Fazenda, Guido Mantega, nesta segunda-feira. "Se eu fizer uma pesquisa, acho que inflação será prioridade máxima. Ninguém quer deixar a inflação voltar", acrescentou o ministro. "Poderemos no momento oportuno voltar com a Cide. Para mim, é um grande sacrifício tirá-la", disse Mantega, informando que a receita gerada pelo tributo é superior a 10 bilhões de reais. "Acho que temos condições de recolocar a Cide. Não agora, evidentemente, mas a inflação dá sinais de ficar mais bem comportada. Vamos ver no próximo ano e, quando conseguirmos reconstituir a Cide, ficaremos todos felizes", afirmou Mantega. Mantega projeta que nos próximos dez anos a inflação pode ter média de 4%, mas que isso dependerá da evolução do investimento e da produtividade. Atualmente, a alíquota da Cide sobre os combustíveis está zerada e, em outros momentos, foi usada para segurar o repasse do aumento de preços para o consumidor final.

MEC VAI SUSPENDER O VESTIBULAR DE MAIS DE 200 CURSOS

Mais de 200 cursos de ensino superior devem ter os vestibulares suspensos no próximo ano, segundo o ministro da Educação, o petista Aloizio Mercadante, porque os cursos não obtiveram desempenho satisfatório nas avaliações do Ministério da Educação (MEC), pela segunda vez consecutiva. Além do vestibular suspenso, as instituições podem ser penalizadas com a redução no número de vagas nos cursos mal avaliados. No caso das faculdades privadas, elas deixarão de ser beneficiadas pelo Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece bolsas parciais e integrais, e pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies). O MEC divulgou nesta segunda-feira os dados gerais do Conceito Preliminar de Curso (CPC) e o Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC). Os cursos são avaliados a cada três anos e recebem conceitos de 1 a 5. Os que obtiveram conceito 1 ou 2 em 2009 e em 2012 serão punidos. O CPC mede a qualidade do curso, levando em consideração a nota do aluno concluinte, a infraestrutura, a organização didático-pedagógica, o regime de trabalho dos docentes e a proporção de mestres e doutores. No total foram avaliados 1.762 instituições de ensino superior e 8.184 cursos. Segundo os dados divulgados, em 2009, 27% dos cursos avaliados obtiveram conceitos 1 ou 2. Em 2012, a porcentagem caiu para 12%. Mercadante atribui a melhora ao rigor do MEC na suspensão de vestibulares de cursos com conceito insatisfatório, aos estímulos dados pela pasta com bolsas de estudo e financiamento estudantil para as instituições consideradas satisfatórias, e à própria concorrência entre as instituições, que buscam um bom desempenho para atrair os alunos. Nesse conceito, de 2009 para 2012, a proporção de cursos com a nota 1 passou de 0,6% dos cursos avaliados para 0,2%. No caso da nota 2, a proporção caiu de 26,4% para 11,8%. Aumentram também as proporções das notas 3 - de 39,8% para 48,4% - e 4 - de 10,5% para 21,7%. Os cursos com conceito 5, considerados de excelência, cresceram de 1,2% para 1,5%. O IGC 2012 mostra o desempenho parcial da instituição em humanidades a partir dos conceitos obtidos pelos cursos que oferece. Foram avaliadas 2.171 instituições. O índice também apresentou avanço em relação a 2009. A porcentagem de instituições com desempenho 1 passou de 0,6% para 0,5%; com 2, passou de 32,1% para 16,7%. Foram consideradas satisfatórias, com índice 3, 57,8% das instituições em 2012, em 2009 eram 44,3%. Com 4, a porcentagem passou de 5,8% para 14,5%. As instituições de excelência, que obtiveram 5, caíram de 1,2% para 1,1%. "Analisando o que aconteceu de 2009 para 2012, quando fechamos um ciclo de avaliação, houve uma importante melhora na qualidade dos cursos, uma grande concentração na nota 3 e na nota 4, que são os dois conceitos satisfatórios de curso e uma redução muito drástica das notas insatisfatórias", disse Mercadante.

VALE REDUZ INVESTIMENTOS PARA US$ 14,8 BILHÕES EM 2014

A Vale, maior produtora de minério de ferro do mundo, prevê investimentos da ordem de 14,8 bilhões de dólares em 2014. Este será o terceiro ano consecutivo que a companhia reduz seu orçamento, refletindo o "maior foco na eficiência de capital". A empresa, que em 2013 tem investimentos estimados em 16,3 bilhões de dólares, disse que buscará no ano que vem "maximizar o valor ao acionista através de um menor portfólio composto de projetos com alta taxa de retorno ajustada ao risco". Mais de 80% do orçamento para execução de projetos em 2014 será dedicado a financiar expansão da produção de minério de ferro e sua rede de distribuição, o desenvolvimento da operação integrada de carvão em Moçambique e o projeto Salobo de cobre e ouro, no Pará. "Estamos fortemente comprometidos em alocar capital somente em ativos de classe mundial com grandes reservas, baixos custos, produtos de alta qualidade e oportunidades para expansão 'brownfield' (projetos já existentes) de baixo custo", disse o presidente da Vale, Murilo Ferreira, em fato relevante divulgado nesta segunda-feira. O orçamento de 2014 inclui 9,3 bilhões de dólares para a execução de projetos, 4,5 bilhões para a manutenção das operações existentes e cerca de 900 milhões de dólares para pesquisa e desenvolvimento (P&D). Em minerais ferrosos, principal área de atuação da empresa, estão previstos 5,4 bilhões de dólares para execução de projetos e 2,9 bilhões para manutenção de operações. A companhia estimou um pequeno crescimento na produção de minério de ferro em 2014. O volume deverá ser de 312 milhões de toneladas, sem incluir a produção da Samarco, uma mineradora na qual a Vale tem participação. Em todo o ano de 2013, a Vale espera produzir 306 milhões de toneladas de minério de ferro. Boa parte das despesas pré-operacionais de 2014 com implantação de projetos serão justamente no sistema S11D, um projeto de expansão de produção de minério de ferro, e investimentos em logística na serra sul de Carajás, no Pará. Atualmente, a mina e a usina de processamento do projeto S11D têm o início das operações planejado para o segundo semestre de 2016, com capacidade estimada em 90 milhões de toneladas por ano. O Citibank ressaltou que a Vale teve "crescimento zero" em produção nos últimos três anos, já que produziu 312 milhões de toneladas de minério de ferro em 2011.

PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA PEDE QUE SUPREMO EXECUTE A PENA DO MENSALEIRO BISPO RODRIGUES

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, encaminhou nesta segunda-feira ao Supremo Tribunal Federal parecer em que recomenda a execução imediata da pena do ex-deputado federal Bispo Rodrigues. Ele foi condenado no julgamento do Mensalão do PT a seis anos e três meses de prisão, em regime semiaberto, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Assim como havia feito na semana passada com o deputado federal cassado Pedro Corrêa (PP-PE) e o ex-dirigente do Banco Rural, Vinícius Samarane, o Ministério Público defendeu que o mensaleiro não tem direito a apresentar os chamados embargos infringentes para questionar a pena imposta pela Corte. O recurso só é válido quando o condenado tem pelo menos quatro votos favoráveis, mas alguns réus apresentaram o embargo mesmo sem os critérios adequados. No caso de Rodrigues, houve condenação unânime pelo crime de corrupção passiva e apenas três votos favoráveis na condenação pelo crime de lavagem de dinheiro. Onze condenados no escândalo do Mensalão do PT já cumprem pena em Brasília nos regimes semiaberto e fechado, entre eles o ex-ministro da Casa Civil, o bandido mensaleiro petista José Dirceu e o operador do esquema criminoso, Marcos Valério. O Supremo também já determinou a execução das penas de outros três réus, todos condenados a regime aberto. O ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil, o bandido mensaleiro petista Henrique Pizzolato, que cumpriria pena em regime fechado, conseguiu fugir do País.

NAZISTA QUE CUMPRIA PENA DE PRISÃO PERPÉTUA MORRE AOS 92 ANOS

O criminoso de guerra nazista Heinrich Boere morreu no domingo aos 92 anos no hospital da prisão de Fröndenberg, na Alemanha, onde cumpria pena de prisão perpétua pelo assassinato de membros da resistência holandesa durante o nazismo. Boere foi um dos quinze membros do Comando Feldmeijer, um esquadrão organizado pela SS composto por nazistas holandeses que tinha como missão exterminar guerrilheiros e simpatizantes na Holanda ocupada pelos alemães durante a II Guerra Mundial. Listado como criminoso procurado pelo Centro Simon Wiesenthal nos anos 2000, Boere só passou a cumprir pena a partir de dezembro de 2011, mais de 66 anos após o fim da guerra. Nascido em um lar teuto-holandês (seu pai era holandês e sua mãe era alemã), Boere tinha 18 anos quando o exército alemão ocupou a cidade de Maastricht, onde ele vivia, em 1940. Segundo suas palavras, por “puro fanatismo e convicção”, ele resolveu se voluntariar para a Waffen-SS, o braço armado da organização de elite nazista. À época, a SS tinha formado “legiões estrangeiras” com nazistas não-alemães pela Europa. Boere foi um dos cerca de 40 000 holandeses que entraram para a organização. Em 1941, ele seria deslocado para a frente russa, onde participou de combates na região do Cáucaso. Em dezembro de 1942, após ficar doente, ele foi enviado de volta à Holanda, onde foi incluindo no Comando Feldmeijer, que era chefiado pelo Unterscharführer (líder de esquadrão) Henk Feldmeijer. Nos anos seguintes, o grupo matou pelo menos 54 pessoas. Boere admitiu ter assassinado três pessoas: um farmacêutico, um vendedor de bicicletas e um civil que ajudara judeus. Todos os crimes ocorreram em 1944. “Nós não conhecíamos os homens”, Boere disse em uma entrevista concedida para a revista Der Spiegel em 2008: “Os serviços de segurança da SS nos davam um nome e nos íamos encontra-lo”. Depois da derrota alemã, em 1945, Boere chegou a ser aprisionado pelo exército americano, mas conseguiu fugir. Apesar de ter sido condenado à morte in absentia por traição na Holanda em 1949, ele passou a levar uma vida discreta como mineiro na Alemanha. Só nos anos 80 uma corte holandesa passou a solicitar sua extradição para que ele cumprisse pena – a essa altura comutada para prisão perpétua. Mas uma série de problemas legais sobre sua nacionalidade arrastou o processo. Em 2007, uma corte alemã finalmente determinou a realização de um novo julgamento. Os procedimentos chegaram ao fim em 2010, quando a corte o sentenciou à prisão perpétua. Boere, que então vivia em um asilo só foi levado para a prisão em 2011. “Eu sinto muito pelo que aconteceu em 1944. Eu rezo todas as noites pelos mortos e por todos que morreram na guerra”, disse ele à revista Der Spiegel em 2008, tentando mostrar algum tipo de arrependimento. Durante seu julgamento, no entanto, ele fez uso do discurso de “que cumpria ordens” e que arriscava ser executado se as desobedecesse. A Justiça desdenhou da argumentação, apontando que Boere tinha sido voluntário na SS. Em 2012, Klaas Carel Faber, outro membro do Comando Feldmeijer, morreu aos 90 anos, antes que sua sentença de prisão de perpétua pela morte de 22 pessoas começasse a ser cumprida.

SALDO DA BALANÇA COMERCIAL ATÉ NOVEMBRO É O PIOR DESDE 2000

A balança comercial brasileira registrou superávit de 1,740 bilhão de dólares em novembro, informou nesta segunda-feira o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O saldo positivo do mês decorreu, sobretudo, da exportação fajuta, fictícia, meramente contábil, de duas plataformas de petróleo, no valor total de 1,8 bilhão de dólares. O resultado da balança veio muito acima do esperado por analistas, que previam um superávit em torno de 300 milhões de dólares. O desempenho mensal é o melhor para o período desde 2007, mas o acumulado do ano continua nos patamares mínimos. Mesmo com o resultado de novembro, trata-se do pior desempenho em onze meses desde 2000. No mês passado, as exportações somaram 20,862 bilhões de dólares e as importações, 19,122 bilhões de dólares. No acumulado do ano, as vendas atingiram 221,333 bilhões de dólares, com queda de 1,1% pela média diária das operações em comparação a igual período do ano passado. Já as importações estão em 221,422 bilhões de dólares, com alta de 7,2% em comparação ao mesmo período do ano passado. O saldo negativo nos 11 primeiros meses do ano ficou em 89 milhões de dólares e contrasta fortemente com o superávit de 17,154 bilhões de dólares obtido entre janeiro e novembro de 2012. Apesar do impacto positivo na balança, as plataformas não chegaram, de fato, a sair do Brasil em direção a outros mercados. São, na verdade, resultado de uma "engenharia tributária" de empresas de construção naval para escapar dos altos impostos. As plataformas são compradas por meio de subsidiárias no Exterior de empresas brasileiras. Logo, passam a ser utilizadas no Brasil pela empresa nacional. Ou seja, não chegam nem mesmo a sair do País.

SÃO PAULO E RIO DE JANEIRO SÃO AS CAPITAIS QUE MAIS PERDEM TALENTOS PARA O RESTO DO PAÍS

Considerada a capital dos imigrantes do País, a região metropolitana de São Paulo liderou a exportação de cérebros para o interior do Brasil na última década. De 2005 a 2010, a capital paulista registrou a saída de cerca de 30.000 pessoas para outras regiões, se considerada a diferença entre imigrantes e emigrantes. A região metropolitana do Rio de Janeiro teve a segunda maior evasão de portadores de diplomas no período, com a ida de 62.000 pessoas com ensino superior completo para outras localidades. A pequena Santa Maria, do Rio Grande do Sul, foi a terceira região que mais exportou trabalhadores de nível superior, segundo a pesquisa Brasil em Desenvolvimento 2013, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgada nesta segunda-feira. A evasão de mão de obra qualificada traz desafios para o desenvolvimento econômico dessas regiões. Não à toa, o estado do Rio de Janeiro cresceu em média 3,52%, entre 2005 e 2010, abaixo, portanto, da expansão média brasileira do PIB, de 4,26% no período. Já São Paulo, mesmo com a perda de talentos, cresceu 4,92% no período, acima da média dos outros Estados. “Pessoas de alta escolaridade são um insumo fundamental para o crescimento. Talvez o Rio de Janeiro pudesse adotar uma política de reter talentos ou atrair os que saíram”, disse Marcelo Neri, ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência e presidente do Ipea. Se as principais capitais do Sudeste perderam talentos, Brasília - com supersalários do funcionalismo público e concursos a perder de vista, foi a principal importadora de mão de obra qualificada, com a atração de 17.000 talentos de 2005 a 2010. Curitiba foi a segunda principal importadora, com a chegada de 12.000 pessoas. Quanto maior a escolaridade, mais alta é a probabilidade de migração, de acordo com o estudo do Ipea. Para indivíduos com apenas o ensino fundamental, a chance de migração era de 5%, enquanto pessoas com ensino superior tinham chance de 7,8% de emigrar. Essa migração rumo ao interior também aumentou a quantidade de pessoas que fazem movimentos pendulares, isto é, trabalham em uma cidade e moram em outra. Cerca de 15,4 milhões de pessoas deixavam o município de residência para trabalhar ou estudar em 2010. Esse contingente mais que dobrou desde 2000, quando eram 7,4 milhões de pessoas. Como a dispersão da população qualificada, o crescimento dos deslocamentos interurbanos também aumentou os desafios para a vida nas cidades. O tempo para se deslocar entre o trabalho e a residência só fez subir. Outra pesquisa do Ipea mostrou que o tempo médio de deslocamento nas metrópoles cresceu 12%, entre 1992 e 2012, de 36,4 minutos para 40,8 minutos.

S&P DIZ QUE SUPERÁVIT ABAIXO DE 2% DEIXA BRASIL MAIS FRÁGIL

Um superávit abaixo de 2% do PIB provavelmente fará com que a dinâmica da dívida e a necessidade de financiamento deixem o Brasil mais frágil. A avaliação é da presidente da Standard & Poor's (S&P) no Brasil, Regina Nunes. Segundo ela, a política fiscal é o principal ponto fraco da economia brasileira, trazendo a questão macroeconômica de volta ao debate no País. A alteração da perspectiva da nota do Brasil, de estável para negativa, decidida em junho pela agência, segundo Regina Nunes, ocorreu "única e exclusivamente pelo comportamento fiscal". Ela descartou a possibilidade de a S&P levar em conta as eleições de 2014 em suas novas decisões (de mudança da nota) "Se tiver que haver uma queda, ela vai ocorrer a qualquer momento", afirmou Regina Nunes. Em apenas uma ocasião, durante a campanha eleitoral de 2002, uma alteração da nota de risco do Brasil para perspectiva negativa deixou de levar a um rebaixamento do rating na S&P. Além disso, rebaixamentos de nota após perspectivas negativas são mais frequentes e rápidos do que elevações quando a perspectiva é positiva. Segundo Regina Nunes, a possibilidade de haver rebaixamento é de "um para três": "A revisão com perspectiva positiva leva mais tempo para ocorrer". Em junho, a S&P alterou a nota do Brasil para perspectiva negativa, ainda que mantendo o nível de BBB. Segundo Regina Nunes, é a primeira vez que a S&P tem a pior nota para o Brasil entre as três agências globais de risco.

DITADOR NICOLAS MADURO ANUNCIA QUE VAI REGULAR MERCADO AUTOMOBILÍSTICO DA VENEZUELA

O ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, disse que vai apresentar um decreto para baixar os preços e regular o mercado automobilístico do país, como parte de uma "ofensiva econômica" do governo contra a inflação alta, a poucos dias de importantes eleições municipais. Maduro, que recebeu poderes ditatoriais da Assembleia Nacional para governar por decreto durante um ano, ordenou em novembro fiscalizações rigorosas e obrigou varejistas a reduzir preços, mas as medidas foram questionadas pela oposição, que acusa o governo de aprofundar uma crise econômica e social. A inflação anual na Venezuela chegou a 54,3% em outubro. "Vou anunciar com um decreto especial um processo para baixar os preços de todos os veículos e automóveis deste país, regular o mercado e favorecer os trabalhadores e a classe média", disse Maduro no domingo, em cerimônia transmitida pela TV. O presidente já determinou outras medidas para regular os mercados, como um decreto que fixa o preço máximo dos aluguéis comerciais. Além disso, decretou leis econômicas que limitam os ganhos das empresas e controlam as transferências de dinheiro. A oposição venezuelana emitiu uma nota no domingo criticando a política do governo contra a inflação. "O governo voltou a perder a oportunidade de presentear o país com medidas econômicas críveis e coerentes para reduzir a inflação e tirar a Venezuela da grave crise econômica na qual está afundada", disse o grupo de oposição Mesa da Unidade Democrática.

MORRE MARCELO DEDA, GOVERNADOR PETISTA DE SERGIPE

O governador de Sergipe, o petista Marcelo Déda Chagas, de 53 anos, morreu na madrugada desta segunda-feira. Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês, São Paulo, a boutique da saúde do Brasil, onde se internam 100% dos membros da nomenklatura petista. Desde setembro do ano passado, ele lutava contra um câncer no estômago.

AÇÕES DA PETROBRÁS DESPENCAM MAIS DE 8% APÓS REAJUSTE AQUÉM DO ESPERADO

As ações da Petrobras abriram em queda de mais de 7% na manhã desta segunda-feira, após o anúncio do reajuste do preço da gasolina e do diesel anunciado na noite de sexta-feira. A ação ordinária da estatal, com direito a voto, chegou a cair 9,06% às 10h45 (horário de Brasília), a 16,66 reais, mas teve leve recuperação ao longo da manhã. Às 13 horas, essa mesma classe de ação recuava 8,35%, a 16,79 reais. Já o papel preferencial, sem direito a voto, recuava 6,85%, cotado a 17,81 reais. O Ibovespa operava em queda de 1,30%, a 51.798 pontos. A forte desvalorização representa uma perda de valor de mercado de cerca de 20 bilhões de reais em pouco mais de uma hora. A queda ocorre porque o mercado aguardava reajustes de 6% a 10% para o preço da gasolina, além da divulgação da tão aguardada nova fórmula de reajuste automático, que tem como objetivo dar alguma previsibilidade aos gastos da estatal com a oscilação do preço do petróleo. Como o reajuste foi de apenas 4% para a gasolina e 8% para o diesel, e nenhuma fórmula foi divulgada pelo Conselho de Administração da companhia, a reação do mercado à decisão da última sexta-feira deve pautar o movimento da BM&F Bovespa. O desempenho das ações evidencia a decepção do mercado sobretudo com a decisão do Conselho da estatal, mais precisamente da própria presidente Dilma Rousseff, de não autorizar a divulgação de detalhes sobre a nova metodologia de reajustes de combustíveis. Segundo analistas, a falta de clareza sobre os critérios mantém incertezas para o mercado, num momento em que a empresa absorve forte defasagem dos preços domésticos na comparação com os internacionais. Na noite de sexta-feira, a estatal anunciou o reajuste de preços nas refinarias de 4% na gasolina e de 8% para o diesel, já como consequência de uma nova política de preços. O impacto dessa alta nas bombas não deve passar de 2% para a gasolina e 4% para o diesel. No entanto, a empresa disse que “por razões comerciais, os parâmetros da metodologia de precificação serão estritamente internos à companhia”. A declaração priva o mercado de informações essenciais sobre o que esperar da companhia para os próximos trimestres. Para analistas do Itaú BBA, a falta de transparência preocupa. “Ninguém sabe exatamente quais são os indicadores ou quais são os gatilhos ou períodos para as revisões, deixando espaço para potenciais manobras nos preços”. “Nós nos questionamos o que realmente mudou”, disseram os analistas Paula Kovarsky e Diego Mendes, em nota a clientes no fim de semana. O Credit Suisse rebaixou, no domingo, a recomendação para as ações da empresa para “underperform” (abaixo da média do mercado).

METADE DOS PARTIDOS REJEITAM IDÉIA DE TER MINISTRO JOAQUIM BARBOSA COMO CANDIDATO

A fama de justiceiro que o ministro Joaquim Barbosa adquiriu com o julgamento do Mensalão do PT empolga pouco os partidos políticos. Dezesseis das 32 legendas do Brasil dizem que não filiariam o presidente do Supremo Tribunal Federal para a disputa do Planalto em 2014. Oito siglas afirmam que precisariam discutir bastante o assunto antes da decisão e apenas sete, todas elas nanicas, dizem que abririam as portas para ele, segundo enquete feita pelo jornal o Estado de S. Paulo.Fustigado pelo escândalo julgado por Barbosa e crítico feroz do magistrado, o PT foi o único partido que não quis responder ao levantamento. Por ser magistrado, o prazo de Joaquim Barbosa para entrar em uma legenda não foi encerrado em 5 de outubro. Ele poderá se filiar a um partido político até seis meses antes da eleição, no dia 5 de abril do ano que vem. Em outubro, durante um evento no Rio de Janeiro, Joaquim Barbosa afirmou que não pensa em se candidatar agora, mas deixou as portas abertas: disse que não descarta antecipar sua aposentadoria (aos 59 anos, ele teria de deixar o tribunal compulsoriamente apenas aos 70) para uma eventual disputa “no futuro”. “Terei tempo para pensar nisso”, disse na ocasião. O nome de Joaquim Barbosa havia deixado de figurar nos cenários da disputa presidencial aferidos pela maior parte dos institutos de pesquisa. O Instituto Datafolha divulgou levantamento que testa de novo o desempenho do presidente do Supremo. No cenário proposto, Joaquim Barbosa aparece numericamente em 2º lugar, com 15% das intenções de voto. Fica atrás da presidente Dilma Rousseff, que tem 44%, e tecnicamente empatado com o senador Aécio Neves (PSDB), que tem 14%. Ainda nesse cenário, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), tem 9% da preferência dos entrevistados. Segundo a assessoria de imprensa do presidente do Supremo, ele não foi procurado oficialmente por nenhum partido até agora. Em recorrentes declarações, Joaquim Barbosa costuma fazer duras críticas ao atual quadro político brasileiro e já demonstrou ser um defensor de candidaturas avulsas, em que não é necessária filiação, algo proibido no Brasil. Integrantes da cúpula do PMDB, principal aliado do PT, afirmam que o partido já tem problemas demais para resolver e que a presença de Joaquim Barbosa poderia ampliá-los. O presidente interino do PMDB, senador Valdir Raupp (RO), diz que no partido ele seria apenas mais um na sigla. “Primeiro, ele precisa procurar o partido no Rio de Janeiro (seu domicílio eleitoral) e se filiar. Só depois é que pode apresentar a postulação de uma eventual candidatura na convenção. O PMDB tem 2,5 milhões de filiados. Se o ministro se filiar, será mais um”, afirma. O líder do PSD e primeiro secretário do partido, deputado Eduardo Sciarra (PR), diz que seria necessária uma longa discussão em caso de filiação: “Se o ministro quiser entrar no partido, teremos de reunir a Executiva para tomar uma decisão”. No PDT, o presidente do partido, Carlos Lupi, diz que ninguém nunca falou na possibilidade de filiação de Joaquim Barbosa: “Esse é um ato de vontade pessoal. Como o Joaquim Barbosa não se manifestou, não dá para ficar falando sobre isso”. Partidos diretamente envolvidos no escândalo do Mensalão do PT são mais enfáticos em rejeitá-lo. “No PR, não. Deus me livre”, diz o presidente da sigla, senador Alfredo Nascimento (AM). “No PP, não”, diz o presidente do partido, senador Ciro Nogueira (PI). A sigla também tem condenados no Mensalão do PT. Para Benito Gama (BA), presidente interino do PTB, partido também envolvido, as siglas precisam fugir das filiações “oportunistas” que envolvem gente famosa: “Não queremos isso”. “O PT não faz comentários sobre esse assunto”, diz o presidente da sigla, Rui Falcão. O partido é o maior crítico de como Joaquim Barbosa conduziu o julgamento e a prisão de sua antiga cúpula. “Não me parece que o Joaquim Barbosa tenha alguma afinidade com os comunistas”, afirma a vice-presidente do governista PCdoB, deputada Luciana Santos (PE), futura presidente nacional da legenda. "Não", foi a única resposta de Marcos Pereira, presidente do PRB, partido ligado à Igreja Universal do Reino de Deus. Mesmo a oposição ao governo avalia não haver espaços para Joaquim Barbosa. Presidente do PSDB, Aécio Neves afirma que ele contribui mais para o País no Supremo: “O ministro cumpre um papel como presidente do STF que honra os brasileiros. Nosso respeito pelo ministro é tão grande que nem sequer aventamos essa hipótese". O deputado Roberto Freire, presidente do PPS, que já ofereceu legenda para o tucano José Serra e para a ex-ministra Marina Silva disputarem a Presidência, diz que negaria a filiação de Joaquim Barbosa: “Essa filiação para uma candidatura não nos interessa".

JOSÉ FERNANDES APRESENTOU NOTA TÉCNICA AO JUIZ DA OPERAÇÃO RODIN PARA DEMONSTRAR FALSIDADES DAS ACUSAÇÕES POLICIAIS

O professor José Antonio Fernandes, dono da empresa Pensant Consultoria Ltda, protocolou no último dia 6 de novembro, na 3ª Vara Federal Criminal, em Santa Maria, um documento detalhado e fundamentado para auxiliar o juiz federal Loraci Flores de Lima na compreensão das tropelias policiais na formulação de acusações no âmbito da Operação Rodin. Um dos principais questionamentos diz respeito à maneira como o Ministério Público Especial de Contas, junto ao Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul, chegou à descoberta do cabalístico valor de 44 milhões de reais supostamente desviados. José Fernandes diz que não houve qualquer perícia quanto à metodologia empregada para que os agentes públicos chegarem a este montante. Para conhecer na íntegra a NOTA TÉCNICA elaborada por José Antonio Fernandes, clique no link a seguir: http://www.4shared.com/office/wfpfx-UN/Notcia_Tcnica_-_Porta_do_Infer.html O oficio de encaminhamento já esclarece algumas das questões. Veja a seguir:
EXCELENTISSIMO DR. LORACI FLORES DE LIMA MM JUÍZ FEDERAL DA SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE SANTA MARIA, SEÇÃO JUDICIÁRIA DO RIO GRANDE DO SUL
Ref. Processo n° 2007.71.02.007872-8 -
"De fundamental importância, proclamar que nada se perde quando se cumpre e respeita a constituição da República. Tudo se tem a perder quando a constituição e as leis são transgredidas e ignoradas por qualquer dos poderes. Celso de Melo, Ministro do STF.
Apresento a NOTÍCIA TÉCNICA que acompanha, concernente ao processo em epígrafe, com o intuito de esclarecer aspectos ainda obscuros, do mérito do serviço prestado, pela empresa que título, às Fundações de Apoio à UFSM, interrompido em 6 de novembro de 2007. O exercício da cidadania, como professor universitário, servidor e dirigente de instituições públicas e profissional, me dá crédito para dizer que fui assaltado ao alvorecer, por uma turba de agentes públicos, para roubar, de forma escandalosa, minha REPUTAÇÃO, de minha família e de nossa empresa, a Pensant. Trinta e cinco anos de bons serviços prestados, dito e atestado pelos contratantes, foram triturados diretamente para o lixo. Aconteceu funesta agressão a Autonomia Universitária (Art. 207), garantida pela Constituição, com a invasão inquisitorial do Campus da UFSM pelo aparato policial. Nem nos duros períodos da ditadura, na vigência do AI-5, o lócus universitário foi atacado de forma tão arbitrária e cruel. Como os exames vestibulares, os exames de habilitação à CNH vinham sendo realizados pelas Fundações de Apoio à UFSM. A diferença é que o vestibular dá acesso a uma vaga na Universidade, enquanto a CNH habilita para conduzir veículos automotores e é um porte de arma letal legalizado. Lamentavelmente, a relevância e o significado para o interesse público, dos exames de habilitação à CNH, ainda não foram reconhecidos pelos agentes públicos responsáveis pela regulação do trânsito no Brasil. As Fundações de Apoio (Fatec e Fundae) à UFSM, em 2003, aceitaram o desafio de executar os exames, por possuir expertise na área objeto, e para a UFSM legitimar-se como instituição pública, gratuita, e de qualidade, demonstrando que os desafios impostos pelo interesse público têm solução adequada na Universidade. A suposta fraude dos 44 milhões, infâmia que carrego há seis anos, tem representado um peso insuportável ao meu espírito. Lamentavelmente a opressão midiática destrói qualquer pessoa, transforma a cidadania em pó e lacera de forma irremediável o espírito humano. Caso deferida a perícia, tudo seria esclarecido, à luz da verdade e não da versão. Tenho um histórico de vida escorreito, filhos e netos. Nada fiz para deixar-lhes, como herança essa chaga, no lugar da reputação que me foi cassada implacavelmente no dia 6 de novembro de 2007. Assim peço a compreensão de Vossa Excelência. O processo alberga a vida dos meus familiares. Peço o que julgo razoável, que Vossa Excelência determine ao Presidente do Tribunal de Contas do Estado confirmar a metodologia do cálculo produzido na intimidade daquela Corte de Contas, dos infames 44 milhões e da sua licitude, considerando os limites jurisdicionais dos Tribunais de Contas. É incontroverso o limite jurisdicional do Procurador de Contas do TCE. Limita-se a jurisdição da Corte de Contas. Para dirimir dúvidas se ainda restam, quanto aos limites de competência do MP especializado, ninguém melhor que Procuradores especiais das Cortes de Contas, para opinar sobre essa sub unidade institucional dos TCs, como faz o Dr. Fernando A. M. Guimarães, integrante da carreira de Procurador de Contas. Artigo escrito em julho de 1995, por Celestino Goulart  e Fernando Augusto Mello Guimarães , versando sobre o Ministério Público especial junto aos Tribunais de Contas, firma posição concernente ao campo de atuação desse MP especial. Trechos, da posição de ambos, verbis: “É o reconhecimento por via constitucional da existência do Ministério Público Especial que não tem as funções institucionais do art. 129 da CF, mas deve atuar exclusivamente na área própria de competência dos Tribunais de Contas que é a fiscalização orçamentária, financeira, contábil e patrimonial”. Neste primeiro trecho de autores, dois Procuradores do MP especial, um do RS e outro do PR, dirigentes da Associação Nacional do MP junto aos Tribunais de Contas, reconhecem que o MP especial não tem as funções institucionais previstas no art. 129 da CF. No segundo trecho do artigo, reconhecem que o campo de ação do MP especial circunscreve-se exclusivamente às funções e jurisdição das Cortes de Contas, Verbis: “O Ministério Público junto aos Tribunais de Contas como ‘Parquet’ especializado e distinto do Ministério Público comum, é histórica e estruturalmente mais apto a contribuir para os interesses da coletividade e completo resguardo da ordem jurídica no âmbito das atribuições dos Tribunais de Contas, já que em realidade, compartilhamos da mesma intimidade orgânica, temos idênticas missões e buscamos as mesmas finalidades que os Tribunais de Contas Brasileiros”. No terceiro trecho, recortado do artigo, os autores reafirmam o MP especial pertencer à intimidade orgânica, com idênticas missões e finalidades dos Tribunais de Contas, verbis: “[...] a Constituição de 1998, fazendo-se sensível á Tradição histórica, outorgou fundamento ou, no dizer do STF, assento constitucional à existência do Ministério Público especial junto ao Tribunal de Contas, embora – por Óbvio – de funções restritas, quando confrontada com as atividades próprias do Ministério Público comum [...]”. No quarto trecho, confirmam a função de fiscal da Lei e concluem, verbis: “[...] A CF, procurou inserir, em seu artigo 130, uma cláusula de garantia e prerrogativas aos seus membros, de forma a transplantar os mesmos princípios que asseguram o desempenho das funções pelos membros do Ministério Público comum – guardadas apenas as peculiaridades da jurisdição própria das Cortes de Contas, como delimitadores das funções do Ministério Público especial. É o que se extrai da ADIn n° 789 do STF que definiu, de uma vez por todas, a feição constitucional da instituição [...].
“[...] Na jurisdição própria dos Tribunais de Contas a missão de custus legis é exclusiva do Ministério Público Especial, sendo inconstitucional a designação de qualquer outra instituição para exercício de tal função [...]”. “[...] Conceitualmente o Ministério Público de que trata o art. 130 da Carta Magna compartilha, a intimidade jurisdicional das cortes de Contas, em face da identidade funcional e de objetos [...]”. MM Dr. Loraci Flores de Lima, a Notícia Técnica que acompanha procura oferecer subsídios e esclarecer dúvidas quanto a Operação Policial, a falácia da denúncia, violações do Estado Democrático de Direito e o agir de agentes públicos, próprias de Estado Penal, em prejuízo das Garantias Constitucionais".

PETROBRAS PERDE R$ 20 BILHÕES EM VALOR APENAS NESTA SEGUNDA-FEIRA

O governo do PT usou a Petrobras para fins políticos desde o começo de sua gestão. De olho na inflação já em patamar muito elevado, o governo segurou o preço do combustível em nível bem abaixo do de mercado. Como a estatal lida com uma commoditie internacional, e o Brasil ainda precisa importar derivados de petróleo, esse preço artificialmente baixo penaliza diretamente os acionistas da Petrobras. Para piorar a situação, a empresa possui um gigantesco plano de investimentos. O resultado tem sido a sistemática destruição de valor da Petrobras. Na semana passada, as ações chegaram a esboçar leve recuperação, na expectativa de que o governo finalmente permitiria um aumento razoável no preço da gasolina e do diesel. A decisão saiu na sexta-feira, após o fechamento do mercado. Só que o aumento permitido foi tímido demais. Não elimina a grande defasagem de preços. A gasolina subiu apenas 4%, muito abaixo do que esperava o mercado. O diesel subiu 8%. A reação dos investidores? As ações da Petrobras despencam quase 10% nesta segunda-feira! Isso representa cerca de R$ 20 bilhões em valor de mercado, evaporados em um único dia! Ou o governo deixa o preço flutuar livremente ao sabor do mercado, ainda mais quando se trata de um produto internacional como o petróleo, ou ele transfere renda dos acionistas da Petrobras e dos pagadores de impostos para os usuários de gasolina e diesel. Em outras palavras, o governo tem optado por subsidiar os poluidores à custa dos detentores de ações da Petrobras. A continuar nesse ritmo, em breve a destruição da Petrobras será irreversível durante a era petista. Mas lembrem-se: o petróleo é nosso!

MULHERES VIVEM OITO ANOS MAIS DO QUE OS HOMENS NO BRASIL

Para a população masculina, o aumento foi de quatro meses e dez dias, passando de 70,6 anos para 71. Já para as mulheres, o ganho foi maior:  em 2011, a esperança de vida ao nascer delas era de 77,7 anos, elevando-se para 78,3 anos em 2012 (aumento de seis meses e 25 dias). Dados divulgados pelo IBGE Nesta segunda-feira mostram que a projeção da tábua de mortalidade para 2012 resultou em uma expectativa de vida de 74,6 anos no Brasil para ambos os sexos, um acréscimo de cinco meses e 12 dias em relação ao valor estimado para o ano de 2011 (74,1 anos). Em uma análise retrospectiva, os dados mostram que, na comparação com 1980, a população brasileira teve ganho médio de 12,1 anos já que, à época, a esperança de vida era de 62,5 anos. Duas décadas depois, em 2000, os números mostram ganho de quatro anos e dois meses.

DEPUTADOS PODEM VOTAR CASSAÇÃO DO BANDIDO PETISTA MENSALEIRO JOSÉ GENOÍNO NESTA TERÇA-FEIRA

A cabeça do deputado federal licenciado e bandido petista mensaleiro José Genoino está em jogo. Os parlamentares ameaçam levar ao plenário nesta terça-feira o processo que pede a cassação do ex-presidente do PT. A votação será aberta e os votos dos 513 deputados serão conhecidos. Relembrando: em agosto o deputado federal ladrão Natan Donadon (sem partido-RO) contou com a ajuda da maioria petista para se livrar da cassação. A decisão de cassá-lo ainda será definida pela Mesa Mesa Diretora da Câmara dos Deputados às 11 horas desta terça-feira. O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves, disse que a Mesa deve apresentar um projeto de resolução para votar ainda nesta terça-feira e adaptar o Regimento Interno à emenda constitucional do voto aberto. O bandido petista mensaleiro José Genoino está preso desde 15 de novembro. Nesse tempo, deputados empurram o problema de cassar o parlamentar petista, influente na Casa. Houve uma tentativa de aposentá-lo por invalidez, mas dois laudos descartaram a invalidez do parlamentar. Na semana passada, o bandido petista mensaleiro José Genoino fingiu estar doente, foi levado ao Hospital e conseguiu prisão domiciliar. Ainda esta semana, a Justiça pode voltá-lo para o Complexo Penitenciário da Papuda, com o fim da desnecessária prisão domiciliar.

PRESA A CAFETINA JEANNY MARY CORNER, A MULHER-BOMBA DO MENSALÃO

A Operação Red Light, da Polícia Civil do Distrito Federal, prendeu nesta segunda-feira Jeanny Mary Corner, acusada de participar de esquema de prostituição na capital federal. Segundo a Polícia Civil de Brasília, Jeanny Mary Corner e outras mulheres ameaçavam garotas que queriam deixar a prostituição. Ela ficou conhecida em Brasília por levar garotas de programa para as festinhas de embalo em uma mansão frequentada pelo então ministro da Fazenda, o petista Antonio Palocci, no governo Lula. Conhecida como "República de Ribeirão Preto", a mansão também era usava pelo ministro para se reunir com lobistas. O caso foi revelado pelo jornal O Estado de S.Paulo e levou à saída do ministro do governo. "Ela tem clientes de alto poder aquisitivo", afirmou a delegada Ana Cristina Santiago, titular da delegacia da mulher no Distrito Federal. A delegada explicou, contudo, que o foco das investigações foram as mulheres. Mais recentemente, em outra operação da Polícia Federal, a Miquéias, descobriu-se que garotas de programa eram usadas para aliciar prefeitos com o objetivo de convencê-los a direcionar recursos de fundos de pensão municipais. As garotas seriam ligadas a Jeanny Mary Corner. A investigação verificou que a rede de prostituição cresceu em consequência dos grandes eventos, como Copa das Confederações e Copa do Mundo: "O que nos chamou a atenção, em um primeiro momento, era verificar denúncias de que mulheres queriam abandonar a prostituição e eram impedidas por essas mulheres mediante ameaça. Em um segundo momento, surgiu a questão dos grandes eventos, Copa da Confederações e Copa do Mundo. Nós verificamos que houve aumento crescente das atividades de exploração sexual". Outras oito pessoas também foram presas, e figurões, incluindo políticos, estariam envolvidos nessas investigações. Em março de 2010, a coluna do jornalista Claudio Humberto revelou o conteúdo da agenda Jeane Mary Corner, da “promotora de eventos”, apreendida pela Polícia Federal, e considerado um documento explosivo do inquérito do “mensalão do PT”, no Supremo Tribunal Federal. Seu braço direito era Carla Cristina Lara, depois namorada de Rogério Burati, lobista ligado ao então ministro Antônio Palocci. As investigações policiais, durante o escândalo no governo Lula, concluíram que Jeanny Mary operava em Brasília uma espécie de rede nacional de prestação de serviços sexuais, com mulheres de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná e Goiás. Na época, o valor dos programas variava entre R$ 300,00 e R$ 2 mil. A cafetina está sendo presa por um governo petista, o que significa que alguma coisa está acontecendo de muito séria nos porões do regime, porque Jeanny Mary Corner conhece os segredos dos petistas.

PT, PSDB E IMPRENSA: UM PESO, DUAS MEDIDAS. OU: COMO PRESERVAR CARDOZO DE SI MESMO

Os petistas gostam de acusar o que eles chamam “mídia” de perseguir o partido. Na Folha de domingo, Miruna, a filha de José Genoino, sugere que essa tal “mídia” é responsável até pelos problemas cardíacos de seu pai. Tenham paciência, né? Essa pressão, no entanto, surte efeito. Neste fim de semana, aconteceu uma coisa realmente incrível: veio a público a informação de que José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, manteve há coisa de uns 10 anos — quem sabe em 2002… — encontros com o empresário Arthur Teixeira, consultor da área de transportes que a Polícia Federal e o PT chamam de “lobista”. Procurado, Eduardo Carnelós confirmou que os encontros aconteceram. E se deram A PEDIDO DE CARDOZO. O petista procurou Teixeira, não o contrário. E para quê? Parece que o então deputado ou quase-deputado queria informações justamente sobre a área de transportes. O advogado de Teixeira, evidentemente, diz que nada de anormal ou ilegal aconteceu nessas ocasiões. Não estou duvidando da afirmação, mas me parece óbvio que ele jamais diria o contrário ainda que tivesse acontecido. O fato relevante aí, e isto é o que interessa, é que Teixeira certamente mantinha contatos suprapartidários. Para o caso em espécie, tanto faz ser lobista ou consultor. Não lhe cumpre escolher o partido das pessoas com as quais conversa. Uma coisa é certa: se Cardozo está no comando da investigação do suposto cartel (é o chefe do Cade e da PF) e se manteve encontros estreitos com Teixeira — tornado uma das personagens da investigação —, é claro que essa relação não poderia ter sido omitida nem do público nem da presidente Dilma. Muito bem! Que eu saiba, só este blog — com destaque na homepage da VEJA.com — e o Correio Braziliense noticiaram o fato. No resto, fez-se um silêncio sepulcral. E todos os veículos tinham a informação. Ninguém estava acusando — tampouco eu — o ministro de ter cometido um crime. O que se deve estanhar é o fato de ele ter escondido essas relações. E ele certamente se lembra do encontro. Poder-se-ia objetar: “Mas o que se transformaria em notícia? Um encontro do agora ministro Cardozo com um dos investigados do suposto esquema de formação de cartel?”. A resposta é “sim!”. Só não seria notícia se o ministro não fosse o chefe da investigação e não se comportasse de modo tão heterodoxo no caso. A propósito: quatro secretários da gestão Alckmin foram acusados, numa terceira carta anônima, de envolvimento direto com um suposto esquema criminoso. O papel transitou pelo Cade e foi parar na Polícia Federal (segundo Cardozo, por iniciativa sua). E nesse caso? Por que isso é notícia, e os encontros mantidos pelo ministro, confirmados por um dos lados, não são? Só há uma resposta: ora, porque Cardozo é petista, e os outros são tucanos. E, como sabemos, segundo a máxima petralha, petistas são sempre inocentes mesmo quando são culpados — vejam o caso do mensalão —, e seus adversários são sempre culpados mesmo quando são inocentes. A patrulha que o PT exerce sobre a imprensa não é inócua, não! Funciona! E a prova está aí. Por Reinaldo Azevedo

CARDOZO E A DENÚNCIA ANÔNIMA A SERVIÇO DA DIFAMAÇÃO E DO ESTADO POLICIAL

O ministro José Eduardo Cardozo, o Garboso, opera, sem dúvida, segundo métodos bastante heterodoxos. E o mais encantador é que ele insiste estar apenas cumprindo a sua obrigação. Tá. Eu, agora, kantianamente, vou propor que o método Cardozo se transforme numa régua e numa regra. Todos agiremos segundo o entendimento que tem este patriota do que seja “obrigação”. Se a noção é tão boa, tem de ser generalizada. Ele diz ter recebido do deputado estadual Simão Pedro, hoje secretário de Fernando Haddad, três documentos, todos anônimos, acusando a formação de cartel em São Paulo. Ele os teria encaminhado para a Polícia Federal — já que é um homem sabidamente reto. A VEJA desta semana informa que há outra operação em curso. Uma carta, também anônima, teria sido entregue à embaixada do Brasil no Japão relatando que a Mitsui também estaria envolvida em um esquema de pagamento de propina em São Paulo — é claro! O texto foi remetido ao Itamaraty, que o repassou a Cardozo. E o ministro fez o quê? Como ele diz, cumpriu a sua “obrigação”: entregou à Polícia Federal.

Então estamos diante de um método, que consiste no seguinte:
1: “alguém” faz uma denúncia anônima;
2: a denúncia anônima chega a Cardozo;
3: Cardozo envia para a PF investigar;
4: vaza-se o caso para a imprensa. E pronto!
O que há de errado com esse “método” no que diz respeito ao estado de direito? Não que o ministro o fizesse, porque é probo, mas notem que, a rigor, se carta anônima dá origem a investigação, então os petistas investigam quem lhes der na telha. Basta redigir um troço qualquer, enviar à PF e vazar para a imprensa que fulano está sendo investigado. O sujeito que se vire. É claro que as coisas não podem ser feitas dessa maneira, especialmente porque os “anônimos” parecem ter especial predileção por denunciar os adversários do PT não é mesmo? Por Reinaldo Azevedo

SUPERCOXINHA CONSEGUE SURPREENDER MESMO OS MAIS OTIMISTAS E RIVALIZA COM A IMPOPULARIDADE DE CELSO PITTA E KASSAB NO PRIMEIRO ANO DE GESTÃO


Haddad - avaliação
Que coisa, não? Fernando Haddad (PT), prefeito de São Paulo, o “homem novo” que Lula inventou, aquele do “Arco do Futuro”, surpreende mesmo os mais otimistas — se é que me entendem — e consegue rivalizar em impopularidade com Celso Pitta, o prefeito que Maluf inventou e que, ao fim do primeiro ano, já tinha dito a que tinha vindo. Vejam o quadro acima. Segundo pesquisa Datafolha, publicada nesta segunda pela Folha só 18% consideram a gestão do petista ótima ou boa — ao fim do primeiro ano, Pitta e Gilberto Kassab cravam 15%. Nada menos de 39% avaliam que a gestão de Haddad é ruim ou péssima. Para 40%, é regular. Como se pode ver no gráfico publicado pela Folha, de março para o começo de junho, a reprovação da gestão Haddad já tinha dado um salto de 7 pontos, atingindo o pico no fim daquele mês. Cinco meses depois, segue estacionada, com uma variação de apenas 1 ponto percentual, dentro da margem de erro. A aprovação despencou da primeira para a última semana de junho e, cinco meses depois, segue no mesmo lugar. Para registro: Haddad disputou o segundo turno com José Serra. Ao fim do primeiro ano, em 2005, 41% consideravam a gestão tucano boa ou ótima. Só que, em 2012, o petista venceu. Eis aí.
Desastre
Haddad tem se revelado um desastre político. Durante a campanha eleitoral, acenou para a cidade com tantos amanhãs gloriosos que, tudo indica, não conseguirá corresponder às expectativas que gerou. Pior do que isso: para vencer a disputa em São Paulo, os petistas mobilizaram os tais movimentos sociais chegados, como direi?, a uma ação direta, sabem como é? 
Um dos parceiros dos petistas, é bom que a gente lembre, foi justamente o Movimento Passe Livre. Outro foi o ajuntamento de vários movimentos de sem-teto, que hoje ocupam áreas públicas destinadas a moradias, têm a ambição de determinar quem deve e quem não deve obter as casas e espalham barracas onde lhes der na telha — no vão do Masp, na Praça da Sé e nos baixos de viadutos — e fim de papo! Os petistas não têm resposta para a caixa de Pandora que eles mesmos abriram. Volta e meia, os aliados de Haddad metem fogo aqui e aqui, param avenidas, tornam a vida da cidade pior do que já é. Apesar das faixas exclusivas de ônibus, a população reclama do serviço — os ônibus andam com mais velocidade nesses lugares, sim, mas demoram mais para chegar, dizem os usuários, e estão ainda mais cheios. Algumas pessoas podem estar economizando um pouco de tempo, mas o aperto é maior. Já os motoristas de carro reclamam do estreitamento das pistas, os comerciantes reclamam da queda de faturamento, e os taxistas reclamam que não conseguem pegar passageiros, já que as faixas lhes são vetadas. A cidade é uma reclamação só. Os 18% de ótimo e bom devem ser atribuídos, creio, aos petistas fanáticos. O advogado e sociólogo Fernando Haddad é aquele tipo que gosta de fazer reengenharia social, compreendem? No papel, suas ideias são um espetáculo. Na vida real, ele consegue desagradar a todos ao mesmo tempo. E é também um homem ousado, como a gente sabe. Para cobrir o buraco do não reajuste das tarifas de ônibus, movimento deflagrado por aliados seus, teve uma iluminação: enfiar a faca no IPTU. Argumentou, o que, em parte, procede, que só uma parcela da cidade pagaria mais — só que é MUITO MAIS. O reajuste foi parar na Justiça. Nesse caso, ganhar a batalha judicial corresponde a perder a batalha política. E ele ganhou uma e perdeu outra. E olhem que a facada do imposto só vai chegar mesmo é no ano que vem.
Supercoxinha - Boopo
Aí Haddad teve outra iluminação: não se contentou em desbaratar uma quadrilha de fiscais que estava incrustada na Prefeitura — o que é, em si, positivo. Resolveu posar de xerife, apontando o dedo contra gestões passadas, atingindo o dilmista roxo Gilberto Kassab, que reagiu e chamou seu primeiro ano de gestão de “descalabro”. Haddad teve de engolir. Para arremate dos males, o escândalo dos larápios acabou caindo no colo do homem forte de sua gestão: Antonio Donato. O comando do PT tenta intervir na Prefeitura, mas não encontra a forma. Secretários seus com trânsito na cúpula nacional do PT reportam ao comando da sigla que ele é um caso perdido. Não existe milagre. O prefeito de São Paulo é aquele rapaz que, quando ministro da Educação, jamais conseguiu realizar um exame do Enem sem que a prova virasse caso de polícia; que permitiu a confecção de um absurdo kit gay para ser distribuído nas escolas que teve de ser vetado por Dilma (ele alegou, depois, que não sabia…) e em cuja gestão se deu uma das mais longas greves de professores das universidades federais. Com um bom marketing, um ministro incapaz até pode passar por competente. Na Prefeitura, as coisas se complicam um pouco. Estou entre aqueles que consideram o cargo de prefeito o mais cruel de todos. Boa parte das coisas que infernizam de verdade a nossa vida, se vocês notarem, pertence à esfera municipal. Afinal, a gente não mora nem num estado nem num país. A gente mora é numa cidade. Um presidente medíocre pode até passar por gênio da raça. Eu diria até que há o risco de um bom prefeito ser incompreendido, mas o contrário é muito difícil: é improvável, na cidade, que um embusteiro consiga fingir a competência que não tem. Para encerrar: Haddad gosta de brincar de arranca-rabo de classes, de dividir a cidade entre os ricos e os pobres, para os quais ele governaria. Pois é… A presidente Dilma, com efeito, é aprovada pela maioria dos que ganham até dois mínimos. Vejam, no entanto, o que se passa com o prefeito.
Haddad - renda
Concluo
Vai ser São Paulo precisa mudar de pobres, né? Por Reinaldo Azevedo

APESAR DA PAULEIRA DO "CARTEL" PATROCINADA PELO PT, ALCKMIN VENCERIA NO PRIMEIRO TURNO SE ELEIÇÃO FOSSE HOJE. OU: PT NUNCA ENTENDEU O INTERIOR DE SÃO PAULO


Eleição em SP
Pesquisa Datafolha publicada na Folha desta segunda-feira aponta que, se a eleição para o governo de São Paulo fosse hoje, o governador Geraldo Alckmin, do PSDB, seria reeleito com 43% dos votos. Antes das jornadas de junho, ele chegou a ter 52%; caiu para 40% depois da aluvião das ruas e, agora, recuperou 3 pontos. Em segundo lugar, está Paulo Skaf, do PMDB, com 19%, mesmo índice de junho. Alexandre Padilha, do PT, ainda ministro da Saúde, não conseguiu sair dos 4% e está em quarto lugar. Gilberto Kassab tinha 6% na pesquisa anterior e agora aparece com 8%, em terceiro lugar. A votação de Alckmin é compatível com a avaliação de seu governo: 41% dos paulistas consideram a gestão boa ou ótima, com uma recuperação de 3 pontos em relação a seu pior momento, no fim de junho. E caiu o índice dos que acham o governo ruim ou péssimo: de 20% para 17%, chegando perto do número pré-manifestações. A situação de Alckmin, em São Paulo, é bem parecida com a de Dilma no Brasil. De certo modo, até o discurso daqueles que tentarão apeá-los do poder será o mesmo: chegou a hora de mudar.
Alckmin - avaliação
A recuperação de Alckmin é mais significativa do que parece — e escrevo isso nem tanto pelos 3 pontos a mais de “ótimo e bom” e 3 a menos de “ruim e péssimo”. Relevante é o momento em que ela se verifica. Há mais de dois meses, martela-se diariamente no noticiário a história da formação de cartel em São Paulo. Notem que não entro no mérito aqui se existiu ou não (que se investigue e se punam os eventuais culpados). O que impressiona é a fórmula: “As irregularidades teriam acontecido nas gestões Covas, Alckmin, Serra, todas do PSDB”, repete-se à exaustão, especialmente na Globo — o que vale, obviamente, como uma tentativa de condenação dos três governos e de um partido. A fórmula saiu prontinha do Cade, como já se sabe, transformado numa central de vazamentos de informações, ou boatos, cuidadosamente pinçados. Os aspectos políticos mais picantes da denúncia, que tentam fazê-la explodir no Palácio dos Bandeirantes, nascem de três cartas anônimas, provavelmente redigidas por um sujeito que confessa ter combinado a forma da denúncia com Vinicius Carvalho, presidente do Cade. Mais do que isso: ele também pediu a proteção do PT e que o partido lhe arrumasse um empregão. Com um pouco de esforço, não foi difícil detectar a movimentação buliçosa do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.
Padilha
É claro que Alexandre Padilha vai crescer. O PT é bem maior em São Paulo do que esses 4%. Noto, em todo caso, que Lula, mais uma vez, a exemplo do que se viu com Fernando Haddad, escolheu um candidato pesado. O “Mais Médicos” gerou quilômetros de notícia. Inicialmente, por conta do quiproquó com os cubanos, elas eram ambíguas. Há muito tempo, no entanto, passaram a ser positivas. Se Padilha fosse uma escolha fácil, já teria crescido. Mas não é. Vai requerer, como aconteceu com Haddad, muita saliva de Lula e de Dilma.E aí está o busílis. Lula vendeu um primeiro poste — Dilma. Deu relativamente certo. Ela faz, como direi?, um bom mau governo, não é mesmo? Mais a fraqueza da oposição faz a sua força do que outra coisa. Mesmo com uma safra impressionante de más notícias para o Planalto, os adversários da presidente não conseguiram deixar claro por que querem ocupar o lugar dela. Lula vendeu um segundo poste: Fernando Haddad — e esse, vejam post a respeito, está se revelando um desastre. Lula agora decidiu vender um terceiro poste, que é justamente Alexandre Padilha.
Notem: se Haddad fosse um sucesso de crítica e de público, seria mais fácil vender a “mercadoria Padilha”. Mas não é o caso. O PSDB certamente saberá explorar a questão durante a campanha eleitoral. Lula dirá  que “Padilha foi o maior ministro da Saúde que o Brasil já teve” — assim, como, claro!, Haddad era “o maior ministro da Educação que o Brasil já teve”, certo? Há outro aspecto importante. Se, em boa parte dos estados brasileiros, a pobreza maior está no interior — e a miséria, infelizmente, é sempre presa fácil da demagogia —, em São Paulo, tem-se o contrário. O PT nunca entendeu direito o rico interior do estado. Atenção! Não me refiro a pessoas ricas, mas a uma região do país em que uma economia rural sólida, desenvolvida, não se queda refém do discurso caritativo-estatista. A avaliação de Alckmin na capital e região metropolitana é boa, mas é muito melhor no interior, como se vê. Metade da população do estado se concentra na capital e região metropolitana, mas a outra metade está nesse interior que não se deixa seduzir muito facilmente pelo discurso petista, razão do desencanto, por exemplo, de Marilena Chaui, segundo quem São Paulo tem uma “classe média reacionária”. Ela gosta é de ver os “progressistas” votando em Fernando Haddad, de braços dados com Paulo Maluf.
Alckmin avaliação capital e interior
Skaf e Kassab
Paulo Skaf, presidente da Fiesp e garoto-propaganda do Senai, obtém um resultado bastante expressivo como candidato do PMDB. Mesmo os 8% de Kassab são expressivos. Caso Alckmin não vença no primeiro turno — não será fácil —, os dois estarão unidos a Padilha, pouco importa quem seja o segundo colocado na disputa. E aí, claro!, dona Chaui virá a publico para nos explicar por que Alckmin é um conservador e Skaf e Kassab são dois progressistas desde criancinhas. Ah, sim: depois dessa pesquisa, as franjas do estado policial ficarão ainda mais assanhadas. Por Reinaldo Azevedo