domingo, 29 de dezembro de 2013

ISRAEL LIBERTARÁ ESTA SEMANA 26 TERRORISTAS ASSASSINOS

Israel anunciou neste domingo o nome dos 26 prisioneiros palestinos, todos assassinos, que serão libertados esta semana dentro de um acordo costurado pelos Estados Unidos para a retomada das negociações de paz na região. Todos os prisioneiros foram condenados pela morte de israelenses (parte deles, palestinos israelenses, que moravam em Israel). A libertação, que deve ocorrer nesta segunda-feira, revoltou muitos israelenses. Sob forte pressão do secretário de Estado norte-americano, John Kerry, Israel e os palestinos retomaram as negociações de paz em julho. Como precondição, os palestinos tiveram de desistir da exigência para que Israel suspendesse a construção de assentamentos na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental. Em troca, Israel concordou em libertar 104 prisioneiros palestinos. A libertação desta semana será a terceira de quatro fases. O governo israelense informou que os crimes foram cometidos antes do início das conversações de paz, em 1993. Todos cumpriram penas que variaram de 19 a 28 anos. Na Faixa de Gaza, a família de Rami Barbakh aguardava seu retorno. Barbakh ficou preso por quase 20 anos em Israel após ser condenado pelo assassinato de um israelense em 1994. Os parentes das vítimas israelenses, porém, protestaram contra a libertação. Meir Indor, chefe da Almagor, uma associação de famílias que perderam entes em ataques de militantes, acusou o governo de vender as vítimas. "Talvez as famílias dos assassinos fiquem felizes, mas é um dia triste para as vítimas do terror em Israel", disse Indor: "É uma mensagem para os assassinos, você pode matar um judeu e ser solto. Você tem a proteção de Kerry". O secretário de Estado norte-americano, que vem mediando as negociações, deve voltar à região esta semana para acalmar as tensões crescentes. Em resposta à libertação, Israel disse que aprovará formalmente a construção de 1.400 moradias na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental. Se o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu não der esta satisfação aos partidos de direita que integram sua coalização de governo, a administração de Netanyahu simplesmente acaba, cai, se esfarela. Por isso, também neste domingo, uma comissão de ministros israelenses aprovou um projeto de lei para a anexação de uma parte da Cisjordânia próxima à fronteira entre Jordânia e Israel. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu disse que o país tem de estar presente nessa área como medida de segurança. Mesmo assim, o projeto de lei, apoiado por legisladores descontentes com as negociações de paz, não deve ser aprovado no parlamento.
A lista dos terroristas assassinos palestinos que serão libertados por Israel é a seguinte:
1) Muhamad Yusuf Adnan Ekafandi, preso em 13 de maio de 1992 pelo assassinato a punhaladas de dois jovens, Dan Rotkowitz e Yaniv Shaham, em Jerusalém; após o ataque, uma mulher israelense, Bella Freund, salvo o terrorista assassino de uma multidão que queria linchá-lo:
2) Farid Ahmed Shahade, preso no dia 16 de fevereiro de 1985, pelo assassinato em Jaffa de Yosef Farhan, suspeito de colabora com a inteligência de Israel;
3) Yakub Mohamed Ouda Ramadan, Afana Mustafá Ahmad Muhamad e Daagna Nufal Mahmad Mahmud, presos no dia 1º de abril de 1993 pelo assassinato a punhaladas de Sara Sharon, de 37 anos, em Holón, no dia 20 de janeiro de 1993;
4) Abu al Rub Mustafa Mahmud Faisal e Kamil Awad Ali Ahmad, condenados pelo assassinato do soldado Yoram Cohen, de 20 anos, do Exército de Israel, em um tiroteio na cidade de Jenin, na Cisjordânia; Ali Ahmad também foi condenado pelo sequestro, tortura e assassinato de 15 palestinos suspeitos de colaborar com Israel; Faisal foi condenado por homicídio em quatro outros casos deste tipo;
5) Damara Ibrahim, Mustafa Bilal, preso no dia 16 de junho de 1989 e condenado pelo assassinato de Steven Friedrich Rosenfeld, de 48 anos, um novo imigrante norteamericano; Damra e vários outros atiraram Rosenfield ao chão nas cercanias do assentamento de Ariel, na Cisjordânia; Damra o matou a punhaladas; seu corpo foi encontrado no dia seguinte por um pastor palestino;
6) Abu Mohsin Khaled Ibrahim Jamal, preso no dia 10 de abril de 1991, condenado pelo assassinato a punhaladas de Shlomo Yahya, um jardineiro de 76 anos, em um parque público de Moshav Kadima;
7) Tamimi Rushdi Muhammad Said, condenado pelo seqiuestro e assassinato de Haim Mizrahi, em 1993, em uma granja palestina, nas cercanias do assentamento de Beit El, onde vivia; Mizrahi tinha ido até o local para comprar ovos;
8) Silawi Khaled Kamel Osama, um dos tres palestinos condenados pelo assassinato de Moti Biton, em 1993; Biton foi
assassinado a balaços quando estava comprando verduras em uma tenda palestina; sua mulher, que estava do lado de fora, em um automóvel, abriu fogo contra seus atacantes, que detonaram uma bomba e fugiram; Biton ficou gravemente ferido e morreu três dias mais trde; Osama foi condenado também pelo assassinato e homicídio de quatro palestinos suspeitos de colaborar com Israel;
9) Sawafta Sudqi Abdel Razeq Mouhlas, condenado por assassina a punhaladas a Yosef Malka (Malkin) durante uma tentativa de rouba em sua casa, em Haifa, no dia 29 de dezembro de 1990;
10) Barham Fawzi Mustafa Nasser, preso no dia 20 de dezembro de 1993 pelo assassinato de Morris (Moshe) Edri, de 65 anos; Nasser apunhalou seu antigo empregados nas costas: ao ser preso, disse que realizou o assassinato para comprovar que era digno de entrar na organização terrorista islâmica Hamas;
11) Yusuf Ahmed Nuaman Al Shalvi, Mahmud Anis Aiman Jaradat e Ahmad Yusuf Bilal Abu Hassin, condenados pelo múltiplo assassinato de palestinos suspeitos de colaborar com Israel;
12) Mahmad Naim Shawmra Yunis, condenado pelo assassinato de Yosef Hayun, um polícia que morreu tentando desarmar uma bomba em Moshav Shekef, em junho de 1993;
13) Mahmud Muhammad Salman, preso no dia 6 de maio de 1994, e condenado pelo assassinato de shai Shoker; Salman estrangulou Shoker com um cordão de sapatos nas cercanias de Tira, no dia 2 de fevereiro de 1994;
14) Ahmed Ibrahim Jamal Abu-Jamal, condenado por tentativa de assassinato, deveria ser libertado em 2016;
15) Mahmud Ibrahim Abu Ali Faiz, condenado pelo assassinato de Roni Levy;
16) Zaki Rami Barbakh Jawdat, condenado pelo assassinato de Yosef Zandani;
17) Mustafa Ahmed Khaled Jumaa, condenado por assalto com agravante, deveria ser libertado em 2014;
18) Abu Hadir Muhammad Yassin Yassin, condenado em 1988 pelo assassinato de Yigal Sahaf, de 24 anos; Shahaf recibeu um disparo na cabeça quando estava caminhando com sua mulher pela Cidade Velha e se dirigia ao Hotel Hamarabí (Muro Occidental, conhecido no mundo ocidental como Muro das Lamentações); a arma havia sido comprada de um judeu israelense; Yassin seria libertado em 2016;
19) Muammar Ata Mahmoud Mahmoud e Salah Khalil Ahmad Ibrahim, condenados pelo assassinato do professor de história Menahem Stern, da Universidade Hebrea de Jerusalém; Stern, de 64 anos, que havia sido premiado com o prestigioso Prêmio de Israel, fue apunhalado quando caminhava no campus de Givat Ram, da universidade, no dia 22 de junho de 1989; Ibrahim tambem foi condenado pelo assassinato de Eli Amsalem; os dois assassinaram Hassin Zaid, um palestino suspeito de colaborar com Israel;
20) Taqtuq Lutfi Halma Ibrahim, preso no dia 3 de março de 1989, condenado pelo assassinato a balaços do soldado Biniamín Meisner, no dia 24 de fevereiro de 1989, em Nablus (Cisjordania).

EX-PILOTO MICHAEL SCHUMACHER BATE A CABEÇA EM UMA ROCHA ESQUIANDO NA FRANÇA, SOFRE HEMORRAGIA CEREBRAL, ENTRA EM COMA, E ESTÁ ENTRE A VIDA E A MORTE

O estado de saúde de Michael Schumacher, heptacampeão mundial da Fórmula 1, piorou no começo da noite deste domingo e é considerado grave. De acordo com boletim médico divulgado pelo Hospital de Grenoble, na França, o ex-piloto de 44 anos sofreu um traumatismo craniano, ao bater a cabeça em uma rocha, entrou em coma e precisou de uma intervenção neurocirúrgica de urgência. O heptacampeão acidentou-se enquanto esquiava em Meribel, foi levado para um hospital de Moutiers. Depois, o ex-piloto de 44 anos foi transferido para o Hospital Universitário de Grenoble às 12h40 (horário local, 9h40 no horário de Brasília). O médico Gérard Saillant, diretor do instituto do cérebro e da medula espinhal, que é financiado pelo alemão, dirigiu-se ao local. O diretor da estação de esqui, Christophe Gernignon-Lecomte, afirmou que Schumacher foi resgatado oito minutos após sofrer o acidente. O heptacampeão, de acordo com ele, estava de capacete no momento do impacto e ficou consciente nos primeiros momentos.

ARÁBIA SAUDITA DARÁ US$ 3 BILHÕES AO EXÉRCITO DO LÍBANO

A Arábia Saudita dará 3 bilhões de dólares em ajuda para o exército libanês, disse neste domingo o presidente do Líbano, Michel Suleiman, chamando este de o maior auxílio já concedido às forças armadas do país. "O rei do reino irmão da Arábia Saudita está oferecendo este generoso e apreciado auxílio de 3 bilhões de dólares ao exército libanês para fortalecer suas capacidades", disse Suleiman em um discurso na televisão. As forças armadas do Líbano têm enfrentado dificuldades em lidar com a violência que vem se espalhando pela fronteira, originada da guerra civil da Síria. O país, que ainda está se reconstruindo após sua própria guerra civil, que durou 15 anos, tem visto confrontos entre combatentes leais a lados opostos do conflito sírio, como também ataques de militantes contra o próprio exército. O exército do Líbano é visto como uma das poucas instituições que não estão tomadas pelas divisões sectárias que assolam o país. O exército, porém, é mal-equipado para lidar com grupos militantes internos, particularmente o movimento terrorista islâmico xiita Hezbollah, que é financiado pela potência regional xiita, o Irã. O reino muçulmano sunita da Arábia Saudita pode estar buscando fortalecer o exército como um contrapeso ao Hezbollah, visto como o grupo armado mais poderoso e eficaz no Líbano. As crescentes tensões regionais entre xiitas e sunitas foram estimuladas pelas lutas na vizinha Síria, que de modo geral tem de um lado os rebeldes da maioria sunita do país contra a minoria alauíta do presidente Bashar al-Assad, um ramo com origem no islamismo xiita.

POLÍCIA DO RIO DE JANEIRO IDENTIFICA PICHADOR DA ESTÁTUA DE CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

O empresário Pablo Lucas Faria foi identificado por policiais da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) como responsável pela pichação da estátua do escritor Carlos Drummond de Andrade, em Copacabana, no feriado de Natal. Ele também é acusado de ter depredado o monumento do jornalista Zózimo Barroso do Amaral, no Leblon, e do militar português Estácio de Sá, no Aterro do Flamengo, na Zona Sul da capital fluminense. Câmeras de segurança instaladas pela prefeitura na orla flagraram um casal praticando o crime por volta da 1 hora da última quarta-feira. A ação levou pouco mais de três minutos. As imagens foram usadas pela Polícia Civil para identificar o vândalo. De acordo com a Polícia Civil, ele é empresário de Uberaba, no Triângulo Mineiro. O delegado titular da DPMA José Fagundes disse que as investigações continuam para localizá-lo. Ainda conforme Fagundes, a mulher que aparece nas imagens é namorada do acusado, conhecida como Mel. Um voluntário se revoltou e iniciou a limpeza por iniciativa própria. Agentes da prefeitura terminaram a remoção da tinta no mesmo dia.

EX-PREMIER LIBANÊS ACUSA ORGANIZAÇÃO TERRORISTA HEZBOLLAH POR ATENTADO QUE MATOU EX-MINISTRO

O ex-primeiro-ministro libanês Saad Hariri acusou o grupo xiita terrorista Hezbollah de ser o responsável pelo atentado cometido na sexta-feira com um carro-bomba em Beirute que deixou cinco pessoas mortas, entre elas seu conselheiro e ex-ministro da Fazenda, Mohamad Chatah. Pelo menos 70 pessoas ficaram feridas. “Os que mataram Chatah são os mesmos que mataram Rafik Hariri”, disse o ex-primeiro-ministro, em referência aos cinco membros do Hezbollah acusados de matar seu pai em um atentado semelhante em 2005, que devem ser julgados à revelia nas próximas semanas por uma corte internacional. “Pelo que sabemos, os suspeitos são os mesmos que fogem da justiça internacional e se negam a comparecer em um tribunal internacional”, acrescentou Hariri, que acusou a organização terrorista xiita Hezbollah de “trazer os incêndios regionais” para o Líbano, em alusão ao papel da organização no conflito sírio. Pouco depois das declarações de Hariri, o Hezbollah soltou um comunicado em que se limitou a classificar o atentado como um "crime atroz" e pediu que os responsáveis sejam encontrados. No caso da morte de Rafik Hariri, em 2005, o grupo também emitiu comunicados semelhantes na ocasião e nos anos seguintes, mas investigações acabaram por mostrar o envolvimento de membros do Hezbollah no episódio. Mohammed Chatah era um crítico feroz do Hezbollah e do ditador sírio Bashar Assad, principal aliado do grupo terrorista e que tem feito uso de seus membros para combater os rebeldes que tentam derrubá-lo desde 2011. Ele também era economista, além de ter sido embaixador do Líbano nos Estados Unidos entre os anos 1997 e 2000. O comboio de Chatah foi atingido pelo carro-bomba às 9h40 local (5h40 no horário de Brasília) quando se dirigia para um encontro do grupo 14 de Março, uma organização de oposição a Assad. A reunião foi organizada por Saad Hariri. Logo após a explosão, o exército isolou a área da explosão para evitar que pessoas se aproximassem da cena, onde as ferragens retorcidas de vários carros ainda estavam queimando.

DILMA OFICIALIZA DEMISSÃO DE GEDDEL

Um dia depois de o peemedebista Geddel Vieira Lima ter cobrado, via Twitter, sua demissão do cargo de vice-presidente da Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal, o Palácio do Planalto formalizou sua exoneração. A demissão, a pedido, foi publicada no Diário Oficial da União de sexta-feira e é assinada pela presidente Dilma Rousseff e pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega. Ex-ministro da Integração Nacional e ex-deputado federal, Geddel deve enfrentar o PT na disputa pelo governo da Bahia em 2014. Sua saída do governo permite que ele busque aliados para enfrentar os candidatos à sucessão do petista Jaques Wagner no governo baiano e tente construir parcerias com os presidenciáveis Eduardo Campos (PSB) e Aécio Neves (PSDB).

INTEGRANTES DO GRUPO PUSSY RIOT RETORNAM A MOSCOU

As duas jovens do grupo punk russo Pussy Riot libertadas nos últimos dias depois de receberem uma anistia, Nadezhda Tolokonnikova, de 24 anos, e Maria Alyokhina, de 25 anos, retornaram nesta sexta-feira a Moscou. O avião proveniente de Krasnoiarsk, na Sibéria, onde Tolokonnikova cumpriu parte de sua condenação de dois anos, pousou às 5 horas de Brasília no aeroporto Vnoukovo, em Moscou, após percorrer um trajeto de cerca de 3.500 quilômetros. Alyokhina, que cumpriu sua condenação em Nizhni Novgorod, foi no início desta semana a Krasnoiarsk para se reunir com Tolokonnikova. Ambas foram beneficiadas por uma anistia promovida pelo presidente da Rússia, Vladimir Putin, no que está sendo interpretado como um esforço para melhorar a imagem do país no Exterior antes da realização dos Jogos Olímpicos de Inverno, que vão ser sediados na cidade russa de Sochi, em fevereiro. Pela previsão original da pena, elas deveriam ficar presas até março de 2014. A terceira integrante da banda, Yekaterina Samutsevich, está em liberdade condicional desde outubro de 2012. Tolokonnikova, Alyokhina e Samutsevich haviam sido presas em março de 2012 por encenar uma espécie de oração punk contra o presidente Putin, em uma catedral de Moscou. Em agosto daquele ano, elas acabariam condenadas a dois anos de prisão por vandalismo. Durante o julgamento, as acusadas declararam que sua ação no principal templo ortodoxo da Rússia tinha fins políticos e não era dirigida aos religiosos. As prisões e a severidade da condenação pela Justiça provocaram críticas no Ocidente. Artistas condenaram publicamente as prisões e a Anistia Internacional inclui as integrantes na sua relação de prisioneiros de consciência.

REVISTA DIZ QUE PRESIDENTE DA CÂMARA E DO SENADO ENVIARAM SEGURANÇAS DO CONGRESSO PARA MISSÕES SECRETAS

Reportagem divulgada pela revista IstoÉ na edição deste fim de semana aponta que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) teria enviado seguranças da Casa para missões sigilosas em sua terra natal. Teriam sido pelo menos três viagens — em fevereiro, outubro e novembro deste ano —, com supostas diligências ilegais, monitoramento de pessoas e tomada de depoimentos em uma delegacia. De acordo com IstoÉ, três servidores teriam sido usados na empreitada e teriam violado competências que são exclusivas da Polícia Federal e da Polícia Civil. Isso porque, segundo a reportagem, a chamada "polícia legislativa" tem como atribuição apenas a guarda e a proteção dos parlamentares e do patrimônio do Legislativo. Só uma das viagens foi parcialmente justificada, apontou IstoÉ, sob o argumento de que senadores alagoanos — existem apenas três — estavam sendo vítimas de tentativa de extorsão por meio de telefonemas anônimos. Dessa maneira, os policiais do Senado teriam sido enviados para tentar desbaratar o suposto esquema e teriam agido sem autorização judicial. A assessoria de imprensa do Senado informou à revista que a missão teve como objetivo investigar a extorsão e que um dos depoentes confessou ter obtido R$ 20 mil com o golpe, mas não disse qual parlamentar pagou. O deslocamento dos três agentes custou aos cofres públicos R$ 30 mil, considerando as passagens, diárias e o aluguel de automóvel, informou a reportagem. A revista divulgou que a polícia da Câmara também faria missões secretas e cita que, em abril deste ano, o presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), teria autorizado dois servidores a ficarem 10 dias no Tocantins “colhendo provas” para um processo administrativo. Com R$ 7 mil em diárias, passagens e aluguel de carro pago pela Câmara, os servidores teriam percorrido os municípios de Formoso do Araguaia e Gurupi dando carteiraços, realizando interrogatórios e reunindo informações, conforme a reportagem.

FALTA DE ÁGUA ATINGE MAIS DE 10 CIDADES NO RIO GRANDE DO SUL

Consumo excessivo, altas temperaturas e interrupções na distribuição de energia elétrica são apontados como os principais responsáveis pela falta de água no Rio Grande do Sul. Mais de 10 cidades sofreram com o problema na sexta-feira. Em Gravataí foi decretado estado de calamidade pública, enquanto Santana do Livramento teve decretada situação de emergência. Dados da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) apontam que 13 municípios tiveram o abastecimento prejudicado em diferentes regiões do Estado, como Metropolitana, Serra e Sul. Na contagem, não estão incluídos os locais que ficaram sem água devido a consertos na rede. Situação crítica é percebida em Santana do Livramento. Quase metade dos moradores não tem água há cerca de 10 dias — são de 35 mil a 40 mil afetados, em um município com 86 mil habitantes. A prefeitura pediu emprestado um caminhão-pipa de Bagé, que transporta água para as comunidades afetadas.

ÚLTIMA KOMBI É FABRICADA NO BRASIL APÓS 56 ANOS DE SEU LANÇAMENTO

Um dos veículos que terá a confecção encerrada com entrada em vigor da exigência de itens de segurança, a Kombi já saiu de linha no Brasil. No dia 19 deste mês, foi produzida a última unidade do modelo na fábrica de São Bernardo do Campo, na região metropolitana de São Paulo. A aposentadoria do utilitário da Volkswagen foi motivada pela entrada em vigor, a partir de 2014, da obrigatoriedade de airbags e freio ABS nos veículos produzidos no País. Havia sido cogitada a possibilidade de se criar uma exceção para o modelo, a fim de evitar as demissões dos empregados envolvidos na linha de montagem da Kombi. O modelo que sai de produção no Brasil, é o último da linha dos utilitários da Volkswagen do mundo. Na Alemanha, a Kombi "brasileira" tem o nome de T2 (o número identifica a geração do veículo), e já saiu de fabricação.

DETRAN GAÚCHO PEDE ADIAMENTO DO USO DE SIMULADORES EM CFCs

O Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran-RS) solicitou adiamento da obrigatoriedade do uso de simuladores em Centros de Formação de Condutores (CFCs) no Estado. O pedido feito no início de dezembro ao Conselho Nacional de Trânsito (Contran) tem como causa principal o atraso das fornecedoras na entrega dos equipamentos. A regra que passaria a valer para todos os Centros de Formação de Condutores (CFCs) a partir do dia 1º de janeiro deve demorar pelo menos mais um mês para ser cumprida, estima Ildo Mário Szinvelski, diretor técnico do Detran-RS. No Rio Grande do Sul são necessários 819 equipamentos para todos centros. Cada um custa de R$ 38 mil a R$ 47 mil. Conforme o diretor do Detran-RS, outros Estados, como Santa Catarina e Paraná, também estão com dificuldades no recebimento dos equipamentos.

ÁREA ÍNDIGENA TENHARIM FOI ATACADA NO AMAZONAS

Cerca de 300 pessoas invadiram na sexta-feira as aldeias da Terra Indígena Tenharim, localizada nos municípios de Manicoré e Humaitá, a 675 quilômetros de Manaus. Revoltadas contra o desaparecimento de três moradores da cidade, no início do mês, e entendendo que os índios as assassinaram, elas se dividiram em carros e caminhonetes, passaram pela aldeia Mafuí, atearam fogo em casas e destruíram um pedágio criado pelos índios no quilômetro 145 da Rodovia Transamazônica (BR-230). A pedido da Fundação Nacional do Índio, uma força-tarefa formada pela Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal e Força Nacional foi enviada à região para tentar conter o conflito. Antes de destruir o pedágio e incendiar as casas, ainda de madrugada, o grupo cortou a energia elétrica das aldeias. "Eram cerca de 150 homens", contou Marco Túlio da Rocha, funcionário da Eletrobrás Amazônia, chamado para restabelecer o fornecimento na manhã de sexta. Segundo ele, os manifestantes atiraram contra o dispositivo de distribuição de energia. "Eles estavam muito furiosos, disseram que iam encontrar por conta própria os três desaparecidos", completou outro funcionário da Eletrobras, Carlos Alberto Santos. O tumulto ocorreu dois dias depois do quebra-quebra em Humaitá, onde cerca de 2.000 pessoas incendiaram a sede da Funai, a Casa da Saúde do Índio, 13 veículos e um grande barco às margens do Rio Madeira. Cerca de 140 índios estão refugiados no 54° Batalhão de Infantaria da Selva, em Humaitá, para se proteger de retaliações. Na sua operação, na sexta, os invasores se dividiram. Cerca de 50 homens acamparam a menos de 30 quilômetros das aldeias invadidas na sexta-feira. "Acho que temos de ir contra a cobrança dos pedágios. Quando paramos lá, ficamos à mercê dos índios. Um exemplo é nossos três amigos, que desapareceram", disse Samuel Martins, da Associação dos Madeireiros. O problema começou no dia 16, quando três homens -- o técnico Aldeney Ribeiro Salvador, da Eletrobrás Amazonas, o professor Stef Pinheiro e o comerciante Luciano Ferreira Freire – desapareceram. A informação na cidade é que teriam sido sequestrados e mortos pelos índios Tenharim, que assim estariam vingando a morte do cacique Ivan Tenharim. A versão oficial da morte do cacique é que ele sofreu um acidente de moto na BR-230. Para os índios, ele foi assassinado por pessoas descontentes com a presença dos índios nas cidades e com a cobrança de pedágios para passar por suas terras, nos quais são cobrados valores de R$ 15,00 a R$ 100,00. Os índios negam a acusação de sequestro.

LICITAÇÃO SOB SUSPEITA DE FRAUDE É BARRADA EM SÃO PAULO

A Controladoria-Geral do Município determinou a suspensão imediata do resultado de uma concorrência do Serviço Funerário de São Paulo, sob suspeita de fraude e superfaturamento de pelo menos R$ 390 mil. A decisão foi publicada no Diário Oficial da Cidade de sexta-feira. O pregão havia definido que, por R$ 1,44 milhão, a Squadra Materiais Pedagógicos, Escolares, Esportivos, Informática e Limpeza Ltda seria fornecedora de material de escritórios para repartições e cemitérios da Prefeitura por 12 meses. No entanto, para a CGM há "indícios de inclusão no edital de cláusulas restritivas ao caráter competitivo da licitação" e de superfaturamento de preço em 20 dos 71 itens que seriam fornecidos ao governo. A suspensão foi determinada pelo controlador-geral, Mário Vinicius Claussen Spinelli, responsável pelas investigações que descobriram a chamada Máfia do Imposto sobre Serviços (ISS).

CONTAS E AJUSTES NO MANÉ GARRINCHA VÃO CONSUMIR R$ 150,7 MILHÕES

Inaugurado há apenas sete meses, o estádio mais caro da Copa do Mundo de 2014 ainda precisará de uma série de ajustes antes do mundial. Do total previsto para ser gasto com a construção (R$ 1,4 bilhão), R$ 150,752 milhões ficaram para ser empenhados no ano que vem. Esse é o desembolso previsto no orçamento do Governo do Distrito Federal para "reforma e ampliação" do Estádio Nacional Mané Garrincha. De acordo com a Coordenadoria de Comunicação para a Copa (ComCopa) do GDF, os R$ 150,752 milhões orçados pelo governo distrital se referem a pagamentos de contratos já firmados para a construção do estádio. Contudo, esse dinheiro ainda terá de cobrir os problemas apresentados no estádio. Por meio de nota, o órgão informou ainda que o valor não altera o investimento total previsto para a arena da capital do País. Como a maioria do estádios da Copa de 2014, o novo Mané Garrincha - o antigo estádio foi totalmente demolido e um novo foi construído no mesmo local - sofreu com atrasos e foi inaugurado em maio deste ano, menos de um mês antes do jogo de abertura da Copa das Confederações. A partida entre Brasil e Japão, que terminou com vitória da seleção brasileira por 3 a 0, foi a única do torneio realizada em Brasília. Na ocasião, o estado do gramado do estádio foi criticado pelo próprio técnico Luiz Felipe Scolari, reclamação que se repetiu durante todo o segundo semestre do ano, quando várias partidas do Campeonato Brasileiro foram realizadas no local. Nas últimas semanas, as críticas também vieram da parte do público, que sofreu com centenas de goteiras na cobertura do Mané Garrincha - que custou R$ 209 milhões - e diversos pontos com água empossada nas arquibancadas.

VISITAS DE DILMA "SÃO CONTRADITÓRIAS", DIZ AÉCIO NEVES

O presidente do PSDB e possível candidato à Presidência em 2014, senador Aécio Neves (PSDB), afirmou na sexta-feira, em mensagem divulgada na sua página do Facebook, que as visitas da presidente Dilma Rousseff às áreas atingidas pelas chuvas "têm dois sentidos diferentes e contraditórios". "Um diz respeito ao País que ela representa, o outro ao governo pelo qual ela é responsável", afirmou o tucano. Segundo Aécio Neves, apesar de a presença de Dilma representar a solidariedade de todo o País aos brasileiros atingidos pelas chuvas, ela tem omitido de suas responsabilidades. "Nenhuma palavra sobre as promessas feitas em tragédias anteriores e nunca cumpridas", afirmou: "Solidariedade é muito importante. Mas, no caso dos governantes, precisa ser a outra face da responsabilidade". Um dos prováveis adversários da presidente Dilma, que vai tentar ser reeleita no ano que vem, Aécio Neves citou ainda as obras do Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC2). "Somente 14 obras anunciadas pelo PAC 2 destinadas à prevenção de áreas de risco foram concluídas até o inicio de setembro. Juntas, elas somam o montante de R$ 55 milhões, o que representa menos de 0,5% dos 11 bilhões prometidos, para essa questão, em 2011", disse.

CNJ DIZ QUE PRISÃO DO MARANHÃO TEVE 60 PRESOS MORTOS EM 2013

Relatório do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) alerta que autoridades maranhenses estão cientes da precariedade do sistema prisional no Estado, mas têm mostrado incapacidade para resolver os problemas. Neste ano, 60 presos foram mortos em estabelecimentos prisionais do Maranhão. Parte deles foi degolada. "O governo do Estado do Maranhão já recebeu várias indicações da necessidade de estruturar o sistema com o preenchimento dos cargos na administração penitenciária, construção de pequenas unidades prisionais no interior do Estado, além de outras medidas estruturantes que possibilitem ao Estado o enfrentamento das facções do crime organizado. Além disso, o Estado tem se mostrado incapaz de apurar, com o rigor necessário, todos os desvios por abuso de autoridade, tortura, outras formas de violência e corrupção praticadas por agentes públicos", afirmou no relatório Douglas de Melo Martins, juiz auxiliar do CNJ. Uma equipe do CNJ e do CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) fez neste mês uma inspeção em presídios do Maranhão.

INFLAÇÃO NA MESA DO BRASILEIRO SUBIU 9,2% EM 2013

No atacado, os preços agrícolas fecharam o ano com queda de 1,49%, sob influência do milho (-27,10%), da soja (-1,38%) e do café (-27%). Já no varejo, a inflação dos alimentos foi de 9,16%. André Braz, economista da Fundação Getulio Vargas, instituição que calcula o índice, afirma que a cesta de compras do consumidor é diferente e concentra mais itens que subiram de preço, como carnes (+9,14%), pão francês (+14,94%), hortaliças e legumes (+8%) e frutas (+15,44%). "Foi um ano de supersafra, mas é preciso saber de quais produtos estamos falando. Milho e soja ajudam a baixar preços industriais, mas isso não quer dizer que as cestas das famílias ficaram mais baratas", disse ele. Apesar de mais pressionados, os preços ao consumidor receberam contribuições de baixa em áreas administradas pelo governo. A energia elétrica recuou 18%. Tarifas de ônibus foram congeladas, e o aumento da gasolina ficou contido até o fim do ano. Braz afirma que essa atuação do governo fez com que a inflação ficasse mais baixa do que se previa em 2013. Mas gera "uma dívida para o futuro", uma vez que esses preços terão que ser corrigidos. Uma nova alta do dólar em 2014, hipótese em que muitos economistas acreditam devido à recuperação dos EUA, deve acrescentar mais pressão sobre os preços. "A inflação não está fora de controle mas requer cuidados", afirma Luís Otávio Leal, economista-chefe do banco ABC Brasil.

NÃO FALTA DINHEIRO PARA OGX, FRIBOI E MONTADORAS DE AUTOMÓVEIS; JÁ PARA PREVENÇÃO DAS TRAGÉDIAS, A PETISTA DILMA BLOQUEOU 72% DAS VERBAS EM 2013

O teatrinho de sempre: contingencia as verbas e depois vai chorar lágrimas de crocodilo diante das tragédias. O governo federal gastou até agora apenas 28% dos R$ 18,8 bilhões que anunciou, em agosto de 2012, para o Plano Nacional de Gestão de Riscos e Resposta a Desastres Naturais. Os recursos seriam gastos, até 2014, em ações divididas em eixos temáticos: prevenção, mapeamento, resposta e monitoramento climático em todo o País. Dados do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi), obtidos pela ONG Contas Abertas, mostram que o governo gastou R$ 5,3 bilhões em 2012 e 2013. Deste total, R$ 1,3 bilhão é referente a ações que já estavam previstas antes mesmo do anúncio do plano nacional, e que foram gastos até este mês. Para cumprir sua promessa, o governo Dilma precisará investir no próximo ano, eleitoral, nada menos que R$ 13,5 bilhões. E continua morrendo gente, pois a presidente agiliza dinheiro para grandes grupos e exige projetos que beiram à megalomania para retirar populações das margens de rios e de encostas de morros. Para depois colocar a culpa em prefeitos e governadores. É muito cinismo. (CoroneLeaks)

DILMA PRESENTEIA PAÍS COM PIOR NATAL EM 11 ANOS

Queda no poder de compra, encarecimento do crédito, endividamento em alta e confiança do consumidor em baixa fizeram deste Natal o mais fraco para o comércio em 11 anos. Segundo o indicador de atividade do comércio da Serasa Experian, as vendas na principal data para o comércio cresceram 2,7% no País (já descontada a inflação), pior desempenho desde o início da série, em 2003. "O consumidor está menos disposto a comprar e mais preocupado em sair da inadimplência do que em contrair novas dívidas", diz Luiz Rabi, economista da Serasa. O levantamento foi feito com base em consultas realizadas na semana de 18 a 24 deste mês. "Vivemos nos últimos anos uma antecipação forte do consumo, estimulado pela redução das alíquotas de impostos", diz Nuno Fouto, professor do Provar/FIA: "Isso comprometeu muito a renda. E, com a inflação, o consumidor está mais receoso. Acabou a onda positiva. Hoje só o ministro da Fazenda diz que está tudo bem". Para ele, a bolha de consumo acabou "há muito tempo": "Em 2011 voltamos ao nível de crescimento que tínhamos em 2004". Os shoppings registraram crescimento de 5% em termos reais, metade do esperado, puxado exclusivamente pela abertura de novos empreendimentos e ampliações. Na mesma base de comparação, não houve crescimento. "Foi um ano preocupante", diz o presidente da Alshop, Nabil Sahyoun. O setor deve encerrar o ano com faturamento de R$ 132,8 bilhões. O número considera os 38 novos shoppings abertos ao longo do ano. Além dos motivos que afetaram o comércio de modo geral, os shoppings acrescentam a competição com outlets de Miami e Orlando, que vivem abarrotados de brasileiros. "Os preços lá fora são muito menores e isso é um inibidor de compras, sobretudo no setor de vestuário", diz Sahyoun. O segmento nos shoppings registrou queda de 1% no Natal e deve encolher 2,5% no ano. Segundo a Alshop, o gasto individual com presentes caiu 10% neste ano.

CUBA AFROUXA POLÍTICA DE CRÉDITO PARA ATRAIR CAPITAL PRIVADO

O governo de Cuba flexibilizou, com novas tarifas de empréstimos e prazos de pagamento, a política de créditos criada em 2011 para incentivar a procura de financiamentos pelo setor privado. Desde o início da liberalização da política de créditos, o Banco Central de Cuba concedeu mais de 218 mil créditos a particulares, mas apenas 550 a trabalhadores por conta própria, segmento alvo da medida, segundo dados do diário Juventud Rebelde. A nova resolução publicada na sexta-feira na página da internet do jornal oficial de Cuba baseia-se na necessidade de “atualizar a referida norma para incentivar a concessão de financiamento às pessoas autorizadas a exercer trabalho por conta própria e a outras formas de gestão não estatal”. As novas regras baixam o valor mínimo de crédito para o setor não estatal, de 3 mil pesos cubanos (US$ 112,00) para 1 mil (US$ 37,33), e aumentam de cinco para dez anos o prazo para pagar os empréstimos. Elas prevêem também que, em alguns casos, os presidentes dos bancos tenham “excepcionalmente” a prerrogativa de autorizar créditos “de montantes inferiores e prazos superiores aos estabelecidos” pela lei.

ACABA NESTA SEGUNDA-FEIRA O PRAZO DE ADESÃO AO REFIS DA CRISE

Contribuintes endividados com a União até novembro de 2008 têm até esta segunda-feira para pedir adesão à reabertura do parcelamento especial de dívidas conhecido como Refis da Crise. Os débitos podem ser pagos à vista ou parcelados em até 180 meses (15 anos) com desconto nas multas e nos juros. Os devedores precisarão quitar a primeira parcela até esta segunda-feira para não serem excluídos do programa. Quem pagar a dívida à vista terá abatimento de 100% nas multas e de 45% nos juros. A redução diminui conforme o número de parcelas, chegando a 60% nas multas e 35% nos juros para quem optar pelo parcelamento em 180 vezes.

ROMÁRIO DIZ QUE PSB DO RIO DE JANEIRO NÃO APOIARÁ A CANDIDATURA DE PEZÃO

O deputado federal Romário, presidente do Diretório do PSB do Rio de Janeiro, afirmou no sábado que o partido não apoiará a eventual candidatura do vice-governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) ao governo do Estado. Romário acrescentou que a legenda avalia algumas hipóteses na eleição estadual: apoiar Miro Teixeira (Pros), o cantor e compositor Gilberto Gil ou o técnico de vôlei Bernardinho, se eles forem candidatos respectivamente pelo PV e pelo PSDB. De acordo com o ex-jogador, a sigla não descartou ainda a possibilidade de lançar candidato próprio. "Com certeza, não vamos fechar com o PMDB no Rio", disse Romário, que ainda não decidiu se concorrerá à reeleição ou se disputará uma vaga no Senado: "Hoje, a tendência é tentar me reeleger. Mas quero ver as pesquisas mais à frente sobre a corrida para o Senado".

DILMA VAI AJUDAR CLASSE MÉDIA A COMPRAR CASA

A presidente Dilma Rousseff vai repaginar o programa "Minha Casa, Minha Vida", uma das apostas de sua campanha à reeleição. Ela planeja ampliar o valor máximo do imóvel financiado - que hoje está em R$ 190 mil - para beneficiar mais uma parcela da classe média. Na terceira fase do programa, a ser lançada neste ano eleitoral, a idéia é facilitar a compra da casa própria por jovens casais, principalmente em regiões metropolitanas. A meta da nova etapa é construir 3 milhões de moradias até 2017. Até agora, o "Minha Casa, Minha Vida" já entregou cerca de 1,4 milhão das 3,7 milhões de unidades contratadas desde 2009, quando o programa foi anunciado, ainda no governo Lula. Dilma procura uma forma de aumentar as faixas de renda dos beneficiários do "Minha Casa, Minha Vida", que atualmente vão de R$ 1,6 mil a R$ 5 mil, reforçando a presença do plano de habitação em centros urbanos, como São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Disposta a recuperar a popularidade perdida desde os protestos de junho na chamada "nova classe média", a presidente encomendou estudos ao Ministério das Cidades e aos bancos públicos para pôr o programa de pé. Pesquisas em poder do Palácio do Planalto mostram que a imagem da presidente não foi totalmente reabilitada entre eleitores com renda de R$ 1.356,00 a R$ 3.390,00 (dois a cinco salários mínimos) nem entre o público jovem, de 16 a 29 anos, e de áreas urbanas. O Planalto teme novos protestos perto da Copa do Mundo, em junho de 2014, e prepara antídotos para evitar manifestações de rua contra Dilma, nesse ano eleitoral.

AGRONEGÓCIO BATEU RECORDES, MAS HÁ PREVISÃO DE QUEDA DOS PREÇOS PARA 2014

Crescendo desde o início dos anos 2000, a safra de grãos brasileira voltou a ser recorde em 2013. A estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é que ela fechará o ano em 186,8 milhões de toneladas. A supercolheita teve reflexos nas exportações, especialmente de milho e soja. O milho se beneficiou novamente da quebra de safra nos Estados Unidos e deve encerrar o ano com venda de 25 milhões de toneladas. No caso da soja, as exportações devem ficar em 43 de milhões de toneladas contra a previsão inicial de 38 milhões. Os dois produtos ajudaram a absorver os danos causados à balança comercial pela queda na produção e vendas externas de petróleo este ano. “O agronegócio foi nossa sorte. Era uma receita que não estava prevista”, comenta José Augusto de Castro, presidente da Associação Brasileira de Comércio Exterior (AEB). Castro destaca, no entanto, que a entidade estima que haverá queda no preço para algumas commodities em 2014, entre elas a soja e o milho. Para a soja em grão, a projeção é que o preço recue dos atuais US$ 540,00 por tonelada para US$ 490,00. Para o milho, a previsão de recuo é de US$ 197,00 para US$ 180,00 por tonelada. De acordo com o presidente da AEB, o motivo para a variação do preço é que a produção agrícola tem sido grande nos últimos anos.

PRESIDENTE DA CÂMARA DE BUENOS AIRES DECRETA "EMERGÊNCIA ENERGÉTICA"

O presidente da Câmara, Mauricio Macri, decretou na noite de sábado estado de “emergência” energética na capital argentina pelos constantes cortes de fornecimento que deixaram milhares de pessoas sem luz nem água, em meio à pior onda de calor em quatro décadas. Macri informou que a administração local tem distribuído água potável à população, reforçado as equipes de emergência médica e reduzido ao máximo o consumo de energia nos órgãos públicos. “Esperamos propostas concretas do governo nacional”, disse o presidente da Câmara. Governo e oposição pediram a apuração de responsabilidades pelos constantes cortes de fornecimento de energia que ocorrem em Buenos Aires e sua área metropolitana há duas semanas, quando começou a onda de calor. Com as altas temperaturas e sem energia, muitos populares voltaram a bloquear estradas e autoestradas como forma de protesto. Pelo menos três pessoas já morreram em consequência da onda de calor que atinge o Centro e o Norte do país.

FOGUETES DISPARADOS DO LÍBANO ATINGEM NORTE DE ISRAEL

Foguetes lançados do Líbano atingiram o norte de Israel na manhã deste domingo, aumentando a tensão na fronteira entre os países apenas duas semanas após um soldado israelense ser morto na região por "sniper" do exército libanês. O exército israelense respondeu com tiros ao ataque. O porta-voz do Exército, coronel Peter Lerner, disse que a ação é uma violação à soberania de Israel, mas que os militares o vêem como um fato isolado. Israel advertiu o governo do Líbano que dará uma forte resposta se o norte da Galiléia continuar sendo alvo de foguetes disparados a partir do território libanês. "Vemos o governo e o exército libaneses como os responsáveis pelo que ocorre em seu território. Não deixaremos passar fatos como o ocorrido nesta manhã", disse o ministro de Defesa, Moshe Yaalon, por meio de um comunicado. "Se for necessário, o exército atuará com maior contundência", alertou. Ninguém reclamou a autoria do lançamento do ataque deste domingo. O mais recente lançamento de foguetes a partir do Líbano aconteceu em 22 de agosto. É óbvio que esses foguetes são disparados por membros da organização terrorrista xiita Hezbollah.

GASTO COM SERVIDOR SOBE MAIS QUE RECEITA NOS ESTADOS

Os gastos com pagamento de pessoal são um fardo cada vez mais pesado para a maioria dos governos estaduais. Nos últimos três anos, nada menos que 22 das 27 unidades da Federação ampliaram a parcela da receita comprometida com salários de servidores ativos e aposentados. Em termos práticos, isso se traduz em menos investimentos e contas mais engessadas. Não se pode culpar o desempenho da arrecadação pela situação. Na média, a receita estadual cresceu 16% acima da inflação entre 2010 e 2013. Apenas três governadores tiveram perda de recursos. Em 19 Estados, o crescimento real da receita no período foi superior a 10%. O problema está mesmo localizado na ponta das despesas. Os gastos com pessoal nas 27 unidades da Federação cresceram 36% em termos reais desde 2010. No governo federal, o aumento foi de apenas 3%. O governo de Tocantins, por exemplo, recebe hoje 15% a mais em impostos e transferências do que há três anos – o que não o impediu de bater no teto de gastos estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (49% da receita corrente líquida) e entrar no clube que, até 2010, era integrado apenas por Paraíba e Rio Grande do Norte. Outros seis governos ainda não chegaram ao teto, mas estão perigosamente próximos dele - tanto que já ultrapassaram o chamado "limite prudencial" estabelecido na lei (46,55% da receita corrente líquida, no caso do Poder Executivo). São eles Paraná, Sergipe, Acre, Santa Catarina, Pará e Alagoas. Apenas o Executivo alagoano estava na lista há três anos. De acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal, os Estados que atingirem o limite prudencial ficam impedidos de fazer contratações e promover reajustes salariais acima da inflação. A punição para quem ultrapassa o teto é a proibição de contratação de empréstimos e suspensão das transferências voluntárias de recursos da União.

EMPRESAS REPRESENTAM NO TCU E MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL CONTRA ANTT

Prejudicadas no leilão das linhas de ônibus do transporte rodoviário de passageiros, empresas menores e de fretamento decidiram representar no Ministério Público Federal e Tribunal de Contas da União contra a Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT). O grupo conseguiu suspender a licitação na Justiça Federal após denunciar que alterações feitas de última hora no edital favoreceram as grandes empresas. A ANTT mudou o edital em dezembro, limitando a licitação a empresas que fizeram transporte regular com ônibus nos últimos anos. Com a medida, foram excluídas do processo todas as empresas de fretamento e as que fazem transporte regular com veículos urbanos. Como as antigas permissões venceram em agosto de 2008, a ANTT concedeu autorizações especiais a quem quis, nos últimos 5 anos. ANTT disse que foi intimada e está tomando providências para revogar decisão da Justiça, mas que não há previsão de reformulação do edital.

GOVERNO DA PETISTA DILMA PREVÊ LICITAÇÃO DE PRIVATIZAÇÃO DE APENAS DOIS TRECHOS DE FERROVIAS NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2014

O governo da petista Dilma Rousseff conseguirá licitar a privatização, no máximo, de dois trechos de ferrovias no primeiro semestre de 2014. Segundo a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, a licitação da ferrovia entre Lucas do Rio Verde (MT) e Campinorte (GO) deve ocorrer em março. "Talvez possamos licitar mais um, o trecho entre Estrela D'Oeste (SP) e Dourados (MS)", afirmou na sexta-feira. Para os outros 12 trechos de ferrovias que fazem parte do Programa de Investimentos em Logística (PIL), o governo pretende convocar as empresas interessadas a apresentar projetos. A chamada será feita por meio de Proposta de Manifestação de Interesse (PMI), segundo informações dadas pelo ministro dos Transportes, César Borges. A idéia é que o governo receba os projetos das empresas privadas e os avalie. O escolhido terá o custo ressarcido pelo ganhador da licitação do trecho. "Vamos escolher três ou quatro trechos para fazer a primeira tranche de PMI. Como o prazo para fazer um projeto é de cinco a seis meses, devemos ter uma segunda leva de licitações de ferrovias no segundo semestre", detalhou a petista Gleisi Hoffman. Borges havia falado de, pelo menos, PMIs em cinco linhas ao longo do ano. Com a introdução das PMIs no processo, a Estruturadora Brasileira de Projetos (EBP), cujos estudos foram criticados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) e pelo mercado devido à baixa qualidade, também poderá apresentar novos estudos para os trechos. "Se a EBP quiser participar, pode. A diferença é que, desta vez, vamos permitir a quem quiser fazer o projeto também participar do leilão. Nos demais, não fizemos isso", afirmou Gleisi Hoffman. Segundo Gleisi, a opção pelo PMI decorre do fato de que o governo não tem estrutura para fazer os estudos de engenharia para as ferrovias. "Teríamos que fazer licitação, contratar os estudos e levaríamos seis meses apenas para contratar um projetista, outros seis meses para o estudo", afirmou.

INADIMPLÊNCIA DE EMPRESAS CRESCE 2,3% EM NOVEMBRO, MOSTRA A SERASA

A inadimplência das empresas cresceu 2,3% em novembro em relação a outubro, segundo pesquisa da Serasa Experian divulgada na sexta-feira. Em comparação com o mesmo mês de 2012, a alta foi de 6,7%. No acumulado de janeiro a novembro, a elevação chegou a 1,9% em relação ao mesmo período do ano passado. Entre os fatores que contribuíram para o aumento da inadimplência estão os aumentos consecutivos das taxas de juros, que elevaram os custos das empresas. A desaceleração da economia e as oscilações da taxa de câmbio também foram apontadas pela Serasa como elementos que dificultaram às pessoas jurídicas honrar os compromissos. No acumulado de janeiro a novembro, as dívidas com bancos apresentaram valor médio de R$ 5,3 mil, com alta de 0,6% em comparação com o mesmo período de 2012. As dívidas não bancárias (lojas, prestadoras de serviço, telefonia etc) representaram, em média, R$ 814,11 no acumulado dos primeiros 11 meses do ano, um crescimento de 6,6% em relação ao mesmo período do ano passado. Enquanto os títulos protestados tiveram valor médio de R$ 2 mil, um aumento de 4,9% ante o acumulado de 2012, os cheques sem fundo representaram, em média, dívidas de R$ 2,4 mil, um aumento de 6,2% na comparação com o período de janeiro a novembro do ano passado.