terça-feira, 7 de janeiro de 2014

ONG DENUNCIA MATANÇA DE BALEIAS EM ZONA PROTEGIDA DA ANTÁRTIDA

A ong Sea Shepherd denunciou na segunda-feira que pesqueiros japoneses mataram baleias dentro do Santuário de baleias do Oceano Austral, uma zona da Antártida onde a caça comercial está proibida. O Japão tem permissão para caçar baleias para fins científicos desde 1986, mas de acordo com a ONG, o programa científico japonês é um disfarce para a caça comercial.

DESEMBARGADOR SUSPEITO DE HUMILHAR GARÇOM SERÁ INVESTIGADO PELO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO GRANDE DO NORTE

O Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte vai investigar se houve falta ou infração funcional na conduta do desembargador Dilermando Mota, suspeito de humilhar um garçom em uma padaria de Natal no último dia 29. A portaria para instaurar a investigação preliminar será publicada até esta quarta-feira, e terá prazo de 60 dias para a conclusão. Nesse período, o magistrado permanecerá normalmente em suas funções. Se as investigações indicarem que houve infração por parte de Mota, ele poderá ser alvo de sindicância ou de processo administrativo disciplinar. Se a corte entender que não houve falta, o caso é arquivado. O episódio envolvendo o desembargador ocorreu no dia 29 de dezembro, durante café da manhã na padaria Mercatto, na zona sul da capital potiguar. Vídeos publicados no YouTube por testemunhas mostram o momento em que o desembargador discute com outro cliente, o empresário Alexandre Azevedo, de 44 anos. Segundo Azevedo, que estava em uma mesa ao lado de Mota, o desembargador ficou irritado porque o garçom não colocou gelo em seu copo e gritou com o funcionário da padaria na frente dos demais clientes. Ainda de acordo com Azevedo, o magistrado "puxou o garçom pelo ombro", exigiu que lhe tratasse como excelência e ameaçou agredir o funcionário.

CONTROLADA DE MINERADORA DE EIKE BATISTA ADERE A PROGRAMA DE REFINANCIAMENTO DE DÍVIDAS

A MMX Corumbá, controlada da mineradora de Eike Batista (MMX), aderiu ao programa de refinanciamento de dívidas fiscais, o Refis. A companhia pagará R$ 12,8 milhões em 180 parcelas de R$ 71,3 mil, atualizadas pela Selic (taxa básica de juros, fixada pelo Banco Central). A empresa vai quitar débitos fiscais do IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica) e da CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido), referentes ao ano-calendário de 2006. A cobrança somava R$ 33,94 milhões em dezembro do ano passado, dos quais a MMX Corumbá teve redução de R$ 8,65 milhões em multas e juros e outros R$ 12,46 milhões foram compensados por prejuízos fiscais e base negativa da CSLL. A adesão foi aprovada em reunião do Conselho de Administração da companhia, realizada no dia 24 de dezembro. Outras empresas também vão participar do Refis, como a CSN e a Vale. Na última sexta-feira a Bolsa brasileira divulgou a terceira e última prévia da nova composição do Ibovespa. As ações da MMX foram retiradas do principal índice da Bolsa.

PENITENCIÁRIAS FEDERAIS JÁ RECEBERAM 22 PRESOS DO MARANHÃO

O Ministério da Justiça informou na tarde desta terça-feira que 22 presos já foram transferidos do Maranhão para penitenciárias federais. Segundo a pasta, estão sendo disponibilizadas novas vagas para isolamento dos envolvidos nos ataques a ônibus e delegacias, que foram ordenados de dentro de uma prisão em São Luís. "As áreas técnicas do Ministério da Justiça e do Estado do Maranhão estão organizando a retirada destes presos que ocorrerá em curto espaço de tempo", informou o ministério. Apesar de ter aceito a oferta do governo federal, o secretário de Justiça e Administração Penitenciária do Maranhão, Sebastião Uchoa, disse não acreditar que a transferência de detentos para presídios federais é suficiente para resolver a crise de segurança pública enfrentada pelo Estado. Ele disse que a transferência de líderes de facções para os presídios federais precisa ser criteriosa e que, em casos semelhantes, os detentos voltam "piores" ao Estado de origem. "O preso volta mais perigoso, se achando o máximo porque puxou cadeia federal. Historicamente não tem sido muito bom esse negócio de transferir", afirmou. O governo maranhense reclama ainda que o Ministério da Justiça cancelou em junho do ano passado o repasse de cerca de R$ 20 milhões para construir duas cadeias no Estado, apesar de ter atendido a todas as exigências do Depen (Departamento Penitenciário Nacional), vinculado à pasta. Em resposta, o ministério afirma que o dinheiro "foi recolhido por inexecução da obra no prazo de 18 meses".

PETROBRAS FECHA PREÇO DE BÔNUS EM EUROS E LIBRAS PARA FINANCIAR INVESTIMENTOS

A Petrobras fechou nesta terça-feira o preço da emissão internacional de bônus (títulos com rendimento fixo) em euros e libras, que irá reforçar o combalido caixa da empresa para 2014. Ao todo foram 3,05 bilhões em euros (cerca de R$ 10 bilhões) em três "tranches" (operações), e uma tranche de 600 milhões em libras esterlinas (cerca de R$ 2,4 bilhões). A Petrobras investe US$ 47,3 bilhões por ano, segundo o plano de negócios 2013-2017, que está em revisão. De acordo com a presidente da companhia, a petista Graça Foster, o próximo plano (2014-2018) manterá esse patamar ou cairá "um pouco". Pelo plano de negócios, a empresa tem uma necessidade de captação bruta (para novas investimentos e pagamento de dívidas antigas) da ordem de US$ 12,3 bilhões por ano. No ano passado, a empresa captou em maio US$ 11 bilhões em bônus internacionais. A operação, a de mais alto valor feita por uma companhia de país emergente, foi em seis partes, com vencimentos entre 3 e 30 anos. Até então, o recorde de uma empresa de país emergente era da estatal venezuelana PDVSA (também do setor de petróleo): US$ 7,5 bilhões em 2007. O plano 2013-2017 da Petrobras, no total de US$ 236,5 bilhões por cinco anos prevê a execução de 947 projetos. A empresa vem enfrentando dificuldades de caixa por não conseguir repassar os preços do petróleo e derivados que compra no mercado internacional para o mercado interno. Apesar de lucrativa, as importações reduzem os ganhos da companhia, que conta com a venda de ativos e estratégias contábeis para evitar maiores perdas. Os prazos para a emissão em euros são de quatro, sete e 11 anos, enquanto a emissão em libra terá vencimento em 20 anos. Os preços pagos para a Petrobras aos investidores que se interessarem pela operação ficou acima da última captação da empresa em euros, em 2012, mas acompanhou a alta generalizada das emissões de países emergentes. Os bônus em euros para vencimento em 2018 darão ao investidor um rendimento de 2,829%, com pagamento de juros a cada 15 de janeiro, a partir de 2015. Os bônus com vencimento em 2021 darão ao investidor rendimento de 3,849%, com juros pagos a partir de janeiro de 2015. Já a emissão com vencimento em 2025 terá rendimento de 4,845%, também a partir de 14 de janeiro de 2015. A emissão em libras esterlinas terão vencimento em 2034 e renderá 6,732% ao investidor, com pagamento de juros a partir de 2015. Os coordenadores da operação foram BB Securities Limited, BNP Paribas, Banco Bradesco BBI, Crédit Agricole Corporate and Investment Bank, HSBC Bank, JP Morgan e Mizuho Internacional. Também participaram o Bank of China e o Standard Chartered Bank.

A DESORDEM ECONÔMICA PROVOCADA PELO GOVERNO DA PETISTA DILMA ROUSSEFF

Tive entre estas segunda e terça-feiras os mais prosáicos exemplos da desordem econômica que se está vivendo no Brasil. "Desordem econômica" é aquele estado em que as pessoas perdem a noção de valor das coisas, bens, etc... Quanto mais simples os bens, produtos, serviços, mais grave a situação de "desordem econômica". Saí a caminha ao entardecer da última segunda-feira e fui até a cafeteria Press Café do Barrashoping, em Porto Alegre. Pedi um cafezinho, um "carioquinha". Preço: R$ 3,75. Saí de novo a caminhar nesta terça-feira e fui até a cafeteria Variettá, do Shopping Praia de Belas. Sentei e pedi um cafezinho, um "carioquinha". Preço: R$ 4,75. Desci e fui a outra cafeteria, da loja Prawer, e pedi um "carioquinha". Preço: R$ 3,50. Algo de muito grave está acontecendo, porque os preços estão descontrolados, absolutamente sem comparação de valor. Não vamos nem falar dos preços dos alimentos processados, das frutas, das verduras, dos legumes, das carnes, tudo absolutamente com preços descontrolados, onde impera uma inflação que é, no mínimo, o dobro da inflação oficial. Isso é o que come renda do assalariado, corrói o valor dos salários, deteriora a vida social.

GOVERNO DILMA ELABORA PLANO PARA PRESSIONAR ALL, CONSIDERADA FALIDA

O governo da petista Dilma Rousseff determinou que a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) aperte o cerco sobre a ALL (América Latina Logística), empresa ferroviária que controla 13 mil quilômetros de vias férreas no Sul, Centro-Oeste e São Paulo. A intenção é mapear exatamente onde há descumprimento de contrato, quais são as previsões previstas para aplicação de punições e as possíveis cobranças que poderão ser feitas sobre a empresa. Com essa informação a idéia é pressionar a empresa a realizar os investimentos e as obras que estão no contrato. O plano foi discutido durante a reunião convocada pela presidente Dilma Rousseff na manhã desta terça-feira. Estiveram presentes a ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, e o ministro da Advocacia-Geral da União, Luís Inácio Adams. Adams estava de férias, mas mesmo assim foi chamado pela presidente para tratar o assunto. A ALL é a maior companhia ferroviária em extensão de malha no País e é considerada "quebrada". Desde 2009 ela já recebeu 265 multas do governo brasileiro, no valor total de R$ 111 milhões, por diversos problemas, como abandono da malha, falta de prestação de serviço e preços abusivos. Para o governo é importante que a empresa cumpra as determinações impostas pela concessão, uma vez que a integração da malha ferroviária do País depende da conclusão de alguns trechos licitados para a empresa. Um dos principais gargalos, por exemplo, está em trechos que ligam Santos a Campinas. Ou seja, que facilitariam o escoamento de carga pelo porto de Santos. Por isso, o governo ainda não descartou a possibilidade de convidar representantes da empresa para conversar sobre os problemas encontrados e tentar chegar a um denominador comum. Essa reunião cheira muito mal.

DEFESA DIZ QUE JOAQUIM BARBOSA CRIOU UMA "SITUAÇÃO DESUMANA" PARA O BANDIDO PETISTA JOÃO PAULO CUNHA

Alberto Toron, advogado do deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP), disse nesta terça-feira que seu cliente está sendo submetido a uma situação desumana pelo presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa. De acordo com ele, o fato de o ministro ter decidido pela detenção do parlamentar, mas não expedir o mandato de prisão, cria um clima psicológico extremamente ruim. "O que está ocorrendo com João Paulo Cunha é uma desumanidade. Ele vive clima de absoluta incerteza. Ele está disponível para viver o pior momento de sua vida, que é a prisão, mas a Justiça não o efetiva", disse Toron. Como Joaquim Barbosa decidiu pela prisão do parlamentar na segunda-feira, restando somente a expedição do mandado de prisão, o bandido petista João Paulo passou esta terça-feira preparando-se para enfrentar o presídio. Ao longo do dia esteve reunido com advogados e fez os preparativos necessários para se entregar à Justiça tão logo o mandado de prisão fosse expedido, o que acabou não acontecendo. João Paulo disse que a falta de definição sobre a sua prisão é "sádica" e causa uma "tortura psicológica". De acordo com um assessor que passou o dia todo com ele, João Paulo está sereno e aguarda a determinação da Justiça para se entregar. João Paulo viajou de Osasco a Brasília na segunda-feira em um carro, acompanhado por assessores e um motorista. Segundo pessoas próximas, a viagem foi tranquila. Assim que chegou a Brasília, ele foi para seu apartamento funcional e permaneceu por lá durante o dia todo. Seu assessor informou que ele está se alimentando normalmente e tem tomado remédios para dores na coluna. Ele também já está com a mala pronta com o que levará para o Complexo da Papuda, penitenciária onde cumprirá o regime semiaberto. João Paulo pretende continuar os estudos e deverá apresentar pedido para trabalhar. Ele cursa o 5º semestre do curso de Direito em uma faculdade particular de Brasília.

TRIBUNAL SUPERIOR DO CHILE ENCERRA CAPÍTULO DA HISTÓRIA, ALLENDE COMETEU MESMO SUICÍDIO NO PALÁCIO LA MONEDA

O Tribunal Superior do Chile encerrou formalmente uma investigação sobre a morte do presidente socialista Salvador Allende, reafirmando que ele cometeu suicídio durante o golpe militar de 1973. Em uma decisão que dividiu os juízes, nesta segunda-feira, o tribunal rejeitou dois apelos que tentavam reabrir o caso sob o argumento de que Allende teria sido morto a tiros por soldados. O tribunal concluiu que as provas não dão suporte a essa hipótese e que mostram que um ferimento a bala autoinfligido provocou a morte de Allende. O juiz que investigou a morte de Allende concluiu em 2012 que o ex-presidente atirou em si mesmo com um único tiro disparado contra seu queixo em 11 de setembro de 1973, depois de o palácio presidencial de La Moneda ter sido alvo de um bombardeio aéreo. Após ordenar o esvaziamento do prédio, Allende retirou-se para o Salão Independência, concluiu o juiz Mario Carozza. Ele sentou-se em um sofá, colocou o rifle que levava entre suas pernas, apoiou o cano contra o queixo e apertou o gatilho, de acordo com as conclusões do juiz. O general Augusto Pinochet tomou o poder e instalou um regime militar que só terminou em 1990. Durante esse período, mais de 3.200 morreram ou desapareceram durante seu regime, mas o número de vítimas (entre detidos e torturados) chegou a mais de 40 mil.

NO FACEBOOK, PT ATACA EDUARDO CAMPOS, CHAMADO DE "TOLO" E "PLAYBOY MIMADO" EM UMA NOTA TÍPICA DE POSTURA FASCISTA

Texto publicado nesta terça-feira, no Facebook do PT nacional ataca o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), como "tolo", "playboy mimado" e como candidato "sem projeto, sem conteúdo e sem compostura política" para disputar a Presidência da República neste ano. O artigo, sem assinatura e intitulado "A Balada de Eduardo Campos", traz diversas críticas ao provável adversário da presidente Dilma Rousseff desde o seu rompimento com o governo federal em setembro até a sua aliança com a ex-ministra Marina Silva, selada em maio do ano passado. "Ao descartar a aliança com o PT e vender a alma à oposição em troca de uma probabilidade distante - a de ser presidente da República -, Campos rifou não apenas sua credibilidade política, mas se mostrou, antes de tudo, um tolo", diz o texto. Setores do PT tentaram demover Campos da idéia de ser candidato em 2014 sob o argumento de que ele poderia vir a ser o candidato do bloco em 2018, quando Dilma já não poderá mais se reeleger. "Campos poderia ser grato a tudo isso e, mais à frente, com maturidade e honestidade política, tornar-se o sucessor de um projeto político voltado para o coletivo, e não para o próprio umbigo". A nota também evoca o avô de Campos, Miguel Arraes, ex-líder comunista e ex-governador de Pernambuco, já falecido, para criticar o presidente do PSB: "O velho Miguel Arraes faz bem em já não estar entre nós, porque, ainda estivesse, morreria de desgosto". Nela também consta do argumento que o governador de Pernambuco é o "resultado" de uma série de medidas tomadas pelo ex-presidente Lula e pela presidente Dilma Rousseff entre as quais a decisão de levar para Pernambuco a refinaria Abreu e Lima, a transposição das águas do Rio São Francisco, a Transnordestina é o estaleiro Atlântico Sul. O texto diz ainda que "Campos recebeu 30 bilhões de reais do Programa de Aceleração do Crescimento, o PAC, do qual a presidente Dilma Rousseff foi a principal idealizadora e gestora". O PT afirma ainda que, ao decidir ser candidato, Eduardo Campos acreditou na "mesma mídia que, até então, o tratava como um playboy mimado pelo "lulo-petismo". Mais tarde, o líder do PSB na Câmara dos Deputados, deputado federal Beto Albuquerque rebateu no Twitter o texto apócrifo publicado pelo PT. "Patética, desrespeitosa e desqualificada a nota do PT com ataques pessoais a @eduardocampos40.Este nível de debate não encontrará eco no PSB", escreveu o parlamentar. "Cadê o sucesso do Fernando Haddad (o poste do PT/Lula em São Paulo)?", provocou Beto Albuquerque. O PT também não poupa a ex-ministra Marina Silva, filiada ao PSB em maio e quem deve ser vice de Eduardo Campos na disputa presidencial. Segundo o texto, Marina Silva é "vaidosa" e se constitui num "ovo de serpente" no "ninho Pernambucano. "Vaidosa e certa, como Campos, de que é a escolhida, Marina virou uma pedra no sapato do governador de Pernambuco, do PSB e da triste mídia reacionária que em torno da dupla pensou em montar uma cidadela", anota a redação apócrifa. "Como até os tubarões de Boa Viagem sabem que o objetivo de Marina é se viabilizar como cabeça da chapa presidencial pretendia pelo PSB, é bem capaz que o governador esteja pensando com frequência na enrascada em que se meteu". A nota é um exemplo cabal do raciocínio fascista que impera no PT, raciocínio de horda.

PT DIZ QUE AJUDARÁ A PAGAR MULTAS DOS BANDIDOS JOSÉ GENOÍNO E JOÃO PAULO CUNHA

O presidente estadual do PT-SP, Emídio de Souza, afirmou nesta terça-feira que o partido vai se mobilizar para ajudar o ex-presidente da sigla, o bandido José Genoino, e o deputado federal João Paulo Cunha, a pagarem as multas do julgamento do Mensalão do PT. Genoino foi multado em R$ 468 mil e João Paulo, em R$ 370 mil. "É evidente que Genoino não tem condições de pagar. Ele não tem patrimônio nenhum. O João Paulo também não. Vamos ajudar os que precisarem", afirmou Emídio de Souza. Na segunda-feira, a Vara de Execuções Penais do Distrito Federal determinou que cinco condenados no Mensalão do PT, dentre eles José Genoino, paguem as quantias devidas em decorrência da condenação em dez dias após serem notificados da decisão. Somados, os valores chegam a R$ 9,9 milhões. Além do ex-dirigente petista, terão que pagar as multas em dez dias o empresário Marcos Valério, multado em R$ 3,06 milhões; seus ex-sócios Ramon Hollerbach e Cristiano Paz, que foram condenados ao pagamento de, respectivamente, R$ 2,79 milhões e R$ 2,53 milhões; e o ex-deputado federal Valdemar Costa Neto (PR-SP), multado em R$ 1,08 milhão. Emídio de Souza disse que o dinheiro não pode sair dos cofres do partido e que, por isso, vai fazer com que os militantes organizem "uma espécie de vaquinha" para arrecadar o dinheiro. "Não é o partido. O partido não pode. Mas todos nós como militantes vamos arrecadar individualmente para juntar o dinheiro", disse ele. Miruna, uma das filhas de José Genoino, criou um site na internet onde a família também promove uma campanha de arrecadação de fundos para pagar a multa do pai. Na página, Miruna afirma que o petista já vendeu um carro e faz um apelo para não ter que vender a casa na qual o ex-deputado morava na zona sul de São Paulo.

BOLSA DE VALORES CAI 1,07% COM MEDO DE REBAIXAMENTO DE RATING DE TÍTULOS DA DÍVIDA DO BRASIL

A Bolsa de Valores São Paulo (Bovespa) fechou a sessão nesta terça-feira com perda de 1,07%. Esse comportamento decorreu da possibilidade de a agência de classificação de risco Standard & Poor's rebaixar a nota de crédito dos títulos da dívida brasileira este ano. Os papéis de Petrobras, da Vale e do setor bancário foram os mais afetados. No câmbio, após ceder até R$ 2,36, o dólar reverteu a tendência, fechando a R$ 2,3780, com leve alta (0,04%) em comparação ao fechamento na segunda-feira. No Exterior, o dólar oscilou pouco diante do euro, que permaneceu negociado no patamar de US$ 1,36.

EX-MISS VENEZUELA E SEU MARIDO SÃO MORTOS DURANTE ASSALTO

Mónica Spears Mootz, de 29 anos, atriz, modelo e ex-miss Venezuela, e seu marido, o irlandês Thomas Henry Berry, de 39 anos, morreram baleados por criminosos na noite de segunda-feira, informou a Justiça venezuelana. A filha do casal, de cinco anos, sobreviveu ao ataque. O Ministério Público venezuelano designou dois promotores para investigar o caso e informou em seu site que os corpos de ambos “foram achados em uma estrada do estado de Carabobo, na segunda-feira, 6 de janeiro, no interior do veículo em que viajavam”. A filha do casal, acrescentou o comunicado, ficou ferida e foi transferida para um hospital da região, “onde recebeu tratamento médico e permanece em situação estável”. A família viajava para a cidade de Valencia, no norte do país, mas o carro em que estavam apresentou um problema. Eles chamaram por auxílio no celular e, segundo emissoras privadas venezuelanas, ficaram esperando no interior do veículo. O veículo Toyota Corolla parado na estrada teria chamado a atenção dos bandidos. Segundo a rede Globovisión, o casal resistiu ao assalto e foi baleado. Eles estavam em férias no país, pois residiam nos Estados Unidos. Mónica nasceu em 1984 na cidade de Maracaibo, capital do estado Zulia, ganhou o concurso de beleza Miss Venezuela em 2004 e no ano seguinte participou do Miss Universo, em Bangcoc, Tailândia, ficando em quarto lugar. Depois, Mónica virou atriz e participou de várias telenovelas em espanhol da rede americana Telemundo, entre elas a produção Flor Salvaje, sucesso em diversos países da América Latina. A Venezuela é um dos países mais violentos do mundo, com 79 assassinatos para cada 100.000 habitantes.

PT TENTARÁ NOVA COMPOSIÇÃO COM O GOVERNADOR SÉRGIO CABRAL NESTA QUARTA-FEIRA

A novela que envolve a agonizante relação entre PT e PMDB no Rio de Janeiro terá mais um capítulo nesta quarta-feira. Em um encontro marcado para as 11 horas, com o governador Sérgio Cabral, o presidente do PT fluminense, Washington Quaquá, vai propor uma nova composição para a aliança em 2014, um movimento inédito dos petistas. O novo plano do PT é oferecer a Sérgio Cabral apoio para disputar o Senado, recebendo em troca o apoio à candidatura do petista Lindbergh Farias ao governo. Para tanto, seria necessário abortar a candidatura de Pezão pelo PMDB. “A candidatura de Cabral ao Senado só é viável se ele fizer aliança. Nós topamos ter uma aliança da base do governo Lula com Sérgio Cabral ao Senado e Marcelo Crivella de vice. Essa é a chapa ideal”, diz Quaquá, defendendo abertamente o projeto de Lula para o Estado. A parte mais difícil do projeto é convencer o PMDB a abrir mão da candidatura ao governo. Sérgio Cabral e a cúpula do PMDB fluminense não dão qualquer sinal de que podem desistir do projeto encabeçado por Pezão. “Aqui ninguém dita regra. Respeitamos o Lula, mas ele não tem influência no PMDB do Rio de Janeiro", disse Jorge Picciani, presidente da sigla. O PT parece esperar que o PMDB só estabeleça o preço, que poderia vir na promessa, garantia, de um ministério para Pezão em um eventual próximo governo de Dilma Rousseff.

SANTANDER LANÇA FUNDOS PARA BRASILEIROS INVESTIREM NO EXTERIOR

O Santander Asset Management anunciou nesta terça-feira o lançamento de dois fundos que permitem que brasileiros invistam em ações no Exterior. O FI Global Multimercado e o FI Diversificação Global Van Gogh Multimercado são voltados para clientes de alta renda que pretendem diversificar seus investimentos para além do mercado brasileiro. A expectativa do banco é que cada fundo atinja uma captação de 300 milhões de reais ainda no primeiro trimestre deste ano. Os fundos, que abriram para captação na segunda-feira, têm uma participação de até 20% de ativos no Exterior (o Van Gogh de até 15%). De acordo com o Santander Asset, os investimentos no mercado externo serão voltados para ações, visto que as bolsas de valores estrangeiras apresentaram um rendimento bastante maior do que a Bovespa em 2013. A gestora de ativos explicou ainda que a distribuição de ativos será feita em até 45% nos Estados Unidos, 30% na Europa e o porcentual restante será divido entre países asiáticos e os mercados emergentes. De acordo com a diretora da Santander Asset Management, Luciane Ribeiro, a diversificação de riscos é uma boa opção em períodos de volatilidade, como é previsto para este ano. "Esses ativos multimercados têm se mostrado interessantes. Para um cenário de volatilidade, ele funciona melhor", disse. A executiva explicou que, enquanto o porcentual de investimentos no Exterior estará voltado para o mercado de renda variável, as aplicações no mercado doméstico serão distribuídas entre renda fixa, ações e o mercado de câmbio. Para ambos os fundos, a aplicação inicial é de 10 mil reais. A taxa de administração para o Fundo Global Multimercado é de 1,8% e o do Van Gogh de 2%. A Santander Asset Management disse ainda já ter parcerias fechadas com gestores internacionais. A instituição possui atualmente 122 bilhões de reais sob gestão. A gestora de recursos prevê que este ano seja marcado por volatilidade nos mercados, por isso reforça que a diversificação deve garantir mais rendimentos aos investidores.

NA VENEZUELA, SALÁRIO MÍNIMO SOBE 10%, MAS PARA COMPRAR O QUE, SE FALTA ATÉ PAPEL HIGIÊNICO NO PAÍS?

O ditador da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou na noite de segunda-feira um aumento de 10% nos benefícios previdenciários e no salário mínimo. Em discurso às redes de rádio e televisão, ele disse que o aumento tem como objetivo "proteger a classe trabalhadora, que é a primeira vítima da inflação". A medida do governo elevou o salário mínimo para 3.270 bolívares, ou 519 dólares (1.230 reais) pela taxa de conversão oficial. A medida, contudo, pode agravar os desequilíbrios econômicos que dilaceram o país. A inflação de 2013 fechou em 56%, a mais alta do continente americano e mais do que o dobro da taxa registrada no país no ano anterior. "Este é um mau sinal", disse Angel Garcia Banchs, diretor da consultoria Econometrica, de Caracas: "Isso significa que as pessoas terão mais bolívares em seus bolsos, que não serão convertidos em mais bens e serviços na economia". O aumento do salário mínimo ocorre no momento em que o país enfrenta falta de bens que vão de carros a produtos básicos, como papel higiênico. O índice de escassez do banco central do país, que mede o porcentual de bens que faltam nas prateleiras do comércio, subiu para 22,4% em outubro, o mais alto em quatro anos. Os dados de outubro são os últimos disponíveis. O indicador mostrou piora em razão dos absurdos controles de preços impostos pelo governo e que penalizam a produção. Além disso, a falta de capital para as empresas locais investirem é agravada com a impossibilidade de acesso ao dólar. Maduro costuma responsabilizar a ganância do setor privado como responsável pelos problemas do país. Segundo ele, as empresas 'trabalham' para elevar a inflação e desestabilizar o regime. O ditador não diz que a alta da inflação é provocada pelos altos gastos do governo nos últimos anos. Analistas de Wall Street dizem esperar a desvalorização do bolívar por Maduro nos próximos meses, já que a medida ajudaria o Estado a ganhar mais em moeda local quando converter os dólares da venda de petróleo.

PETROBRAS COLOCA NO MERCADO UMA GASOLINA MENOS POLUENTE

O meio ambiente recebe, desde 1º de janeiro, menos gases poluentes oriundos da queima de combustível fóssil. A Petrobras iniciou o ano disponibilizando gasolina com baixo teor de enxofre, atendendo à exigência da Agência Nacional do Petróleo (ANP). O anúncio oficial do lançamento das novas gasolinas - comum e premium - com menor composição de enxofre - foi feito nesta terça-feira, na sede da empresa, no Rio de Janeiro. O novo produto, chamado de gasolina S-50, por ter 50 miligramas (mg) de enxofre por quilo (kg), tem um teor 94% menor da substância, considerada extremamente poluente. O limite de enxofre na gasolina era 800 mg/kg, mas a Petrobras ofereceu, no ano passado, o combustível com 225 mg/kg. Com isso, a previsão da empresa é diminuir a emissão anual de 35 mil toneladas de óxido de enxofre na atmosfera. Outros gases poluentes também deixarão de ser liberados pelos carros. De acordo com a Petrobras, toda a rede de postos está habilitada a comercializar a nova gasolina menos poluente. O combustível da Petrobras será vendido pelo preço do antigo. Não há, ainda, previsão para a redução do enxofre no diesel, combustível utilizado por transportes públicos e de cargas. A Petrobras oferece, desde 2013, o diesel S-10 para veículos adaptados e o diesel S-500 para os mais antigos. A retirada do produto do mercado depende de regulamentação.

MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL QUER REFORÇO DA FORÇA NACIONAL NAS RUAS DE SÃO LUÍS

O Ministério Público do Maranhão fez um pedido ao governo do Estado para que solicite o apoio da Força Nacional de Segurança nas ruas de São Luís (MA). O ofício foi encaminhado na segunda-feira ao secretário da Casa Civil do Maranhão, João Abreu, pela procuradora-geral de Justiça em exercício, Terezinha de Jesus Anchieta Guerreiro, para que haja policiamento ostensivo em toda a região metropolitana da capital. No documento, o Ministério Público estadual destaca que a medida é necessária tendo em vista os recentes casos de violência e vandalismo praticados por ordem de líderes de facções e organizações criminosas, espalhando medo na população. O Ministério Público pede ainda que seja instalado um gabinete de gestão integrada para acompanhamento da segurança pública no estado por todos os órgãos da área. A Força Nacional está atuando com 150 homens, na segurança do Complexo Penitenciário de Pedrinhas desde outubro, quando a crise no sistema prisional se agravou, com uma rebelião que deixou nove mortos e 20 feridos. A situação do sistema carcerário no Maranhão não é novidade. O ofício do Ministério Público aponta ainda a necessidade de transferir, com urgência, para presídios federais, os detentos que ordenaram os ataques. O governo do Estado confirma que aceitou a ajuda do governo federal, mas que ainda não foi feita nenhuma transferência de presos. Na segunda-feira o Batalhão de Choque da Polícia Militar fez uma vistoria na penitenciária de Pedrinhas e apreendeu 16 armas brancas, 22 munições de revólver calibre 38 e três celulares, além de baterias, carregadores e chips de aparelhos celulares. O Ministério Público requer, ainda, que o Estado providencie amparo legal e indenizações às famílias das vítimas que estavam no ônibus incendiado em São Luís.

PROCURADOR ANALISA RELATÓRIO PARA DECIDIR SOBRE INTERVENÇÃO FEDERAL EM PRESÍDIOS DO MARANHÃO

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, recebeu nesta terça-feira o relatório do governo do Maranhão sobre a situação do sistema carcerário estadual. Não há prazo definido para que Janot avalie a resposta do governo estadual ao pedido de informações feito por ele no dia 19 de dezembro, logo após cinco presos serem assassinados no interior do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís. As informações sobre investimentos e providências adotadas pelo governo estadual para conter a onda de violência e sanar os problemas dos estabelecimentos prisionais servirão de base para Janot avaliar a possibilidade de intervenção federal no sistema carcerário maranhense. No relatório, entregue ao Ministério Público Federal na sexta-feira, o governo diz ter garantido R$ 131 milhões para ampliar o número de vagas no sistema carcerário, construindo ou reformando unidades prisionais. Segundo o Conselho Nacional de Justiça, 60 presos foram mortos no interior de estabelecimentos prisionais maranhenses ao longo do ano passado. Há casos de violência extrema, em que os detentos mortos foram decapitados. A situação levou o próprio governo estadual a decretar, em outubro, situação de emergência no sistema prisional e a pedir a presença da Força Nacional para garantir a segurança no Complexo de Pedrinhas. De acordo com o governo do Maranhão, as recentes mudanças na segurança do complexo penitenciário motivaram líderes de facções criminosas que disputam o controle do narcotráfico a ordenar ataques a ônibus e delegacias. Na noite de sexta-feira, quatro ônibus foram incendiados e duas delegacias alvejadas por tiros. Cinco pessoas que viajavam em um dos ônibus atacados sofreram graves queimaduras e foram internadas. Uma delas, a menina Ana Clara Santos Sousa, de 6 anos, teve 95% do corpo queimados e morreu na segunda-feira. As demais vítimas, entre elas a mãe e a irmã de Ana Clara, respectivamente, Juliane Carvalho Santos, de 22 anos, e Lorane Beatriz Santos, de 1 ano e 5 meses, continuam internadas.

POUPANÇA TEM MAIS DEPÓSITOS QUE RETIRADAS EM 2013 E FECHA O ANO COM CAPTAÇÃO LÍQUIDA RECORDE

No ano passado, os depósitos em poupança superaram os saques, gerando captação líquida de R$ 71,047 bilhões, resultado recorde em toda a série histórica iniciada em 1995. O dado foi divulgado nesta terça-feira pelo Banco Central. Em 2012, a captação líquida ficou em R$ 49,719 bilhões. Em dezembro de 2013, a captação de R$ 11,201 bilhões também é recorde para todos os meses da série histórica do Banco Central. No período, os depósitos chegaram a R$ 148,506 bilhões e as retiradas totalizaram R$ 137,304 bilhões. Foram creditados rendimentos no total de R$ 3,012 bilhões. No último mês de 2012, a captação ficou em R$ 9,205 bilhões. Ao final do ano passado, o saldo da poupança ficou em R$ 597,943 bilhões. Desse estoque total, R$ 466,788 bilhões são do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) e R$ 131,154 bilhões da poupança rural. A poupança tem rendimento de 0,5% ao mês (6,17% ao ano) mais Taxa Referencial (TR). Esse é o rendimento definido pelo governo sempre que a taxa básica de juros, a Selic, estiver acima de 8,5% ao ano. Atualmente, a taxa está em 10% ao ano e deve continuar a subir. A previsão de instituições financeiras é que Selic feche 2014 em 10,5% ao ano. Essa forma de cálculo do rendimento da poupança foi definida pelo governo em 2012. Por essa regra, sempre que a taxa básica for igual ou inferior a 8,5% ao ano, a caderneta rende 70% da Selic mais a TR.

PETIÇÕES NA INTERNET PEDEM QUE MENSALEIROS SEJAM TRANSFERIDOS PARA PEDRINHAS, NO MARANHÃO

Correm na Internet petições para que os mensaleiros sejam transferidos para o presídio de Pedrinhas, no Maranhão, capitania hereditária governada pela Família Sarney, a oligarquia que soube se reciclar e que passou a falar, assim, com um sotaque bem companheiro. É evidente que ninguém — ou, vá lá, quase ninguém — pretende a sério que os corruptos ativos e passivos, peculatários e quadrilheiros sejam decapitados. Seria um desejo estúpido. Aliás, por mais que a maldade em estado puro — e ela pode existir, acreditem — tenha se manifestado no Maranhão, o que aquela gente merece é cumprir a pena a que foi condenada segundo o que lhe assegura a lei. O gracejo um tanto macabro, no entanto, nos diz muito desses dias. Todos vimos o escarcéu feito pelos mensaleiros e seus porta-vozes na imprensa, nas redes sociais e na subimprensa financiada por estatais. Parecia que aqueles patriotas estavam sendo condenados ao inferno quando ganharam a sua vaguinha na Papuda, especialmente preparada para receber hóspedes ilustres. Até então, as condições em que se amontoavam e se amontoam os mais de 500 mil presidiários não mobilizavam ninguém. Jamais me esqueço de uma resposta dada por Lula, quando confrontado com a falta de investimento do governo federal em presídios. Segundo disse, ele preferia erguer escolas, como se uma coisa pudesse substituir a outra. Na essência da resposta, o viés estúpido que pretende associar pobreza e ignorância à violência, como se os pobres e ignorantes fossem também destituídos de moral, o que é uma tese falaciosa. Entre o desídia e a mistificação ideológica, a questão dos presídios foi deixada de lado. Como observei em texto desta manhã, em 2013, o governo federal desembolsou para o setor menos do que em 2012.

E assim foram se constituindo as sucursais do inferno Brasil afora. Investir na reclusão em condições humanamente aceitáveis custa caro e talvez não renda assim tantos votos. Eis uma razão por que, ao contrário do que querem alguns militantes, prende-se pouco no Brasil — no Maranhão, como vimos, menos do que em qualquer outro estado. Os presidiários só ganharam um lugarzinho na pauta quando os companheiros estrelados foram condenados a passar uma temporada atrás das grades. A diferença entre Pedrinhas e a Papuda de Dirceu  é maior do que a separa o inferno do céu. Quando se faz então o motejo, ainda que tendo eventos trágicos como referência, para que os mensaleiros sejam transferidos para o presídio maranhense, o que se quer é chamar a atenção para essa diferença. Sim, o desejo civilizado é que todos os presos brasileiros contem com parte ao menos das garantias de que dispõem os corruptos ativos, os corruptos passivos, os peculatários e os quadrilheiros do mensalão. O que bom voto é que se nivelem por cima as condições dos presídios, pouco importando quão baixo desceram os condenados. Por Reinaldo Azevedo

JOAQUIM BARBOSA ENTRA EM FÉRIAS APÓS DETERMINAR PRISÃO DO BANDIDO PETISTA JOÃO PAULO CUNHA

O presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, entrou em férias nesta terça-feira, após determinar a prisão do deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP). Inicialmente, estava previsto que Joaquim Barbosa entrasse em férias na sexta-feira, mas a data foi antecipada. Como o Supremo está em recesso até o início de fevereiro, a presidência da Corte será exercida interinamente pela ministra Cármen Lúcia até o dia 19 de janeiro. Após a data, Ricardo Lewandowski, vice-presidente do Supremo, assumirá o plantão do STF. O bandido petista João Paulo Cunha está em Brasília aguardando ser notificado da prisão. Ele vai cumprir pena de seis anos e quatro meses de prisão no regime semiaberto, pelos crimes de corrupção e peculato.

CÂMARA DOS DEPUTADOS DECIDIRÁ EM FEVEREIRO SOBRE A CASSAÇÃO DO MANDATO DO BANDIDO PETISTA JOÃO PAULO CUNHA

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), marcou para o dia 4 de fevereiro a reunião da Mesa Diretora que irá decidir sobre abertura de processo de cassação do deputado federal e bandido mensaleiro João Paulo Cunha (PT-SP). A reunião da Mesa ocorrerá na primeira terça-feira de fevereiro, logo no retorno dos trabalhos legislativos. João Paulo Cunha foi condenado por corrupção e peculato no processo do Mensalão do PT, e deve se apresentar a qualquer momento na Polícia Federal, em Brasília. O presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, determinou na segunda-feira o fim do processo para o deputado, que não pode mais recorrer em relação a esses crimes. Ele ainda pode apresentar recurso na condenação por lavagem de dinheiro, no mesmo processo. Apesar de ainda não ter sido notificado da decisão de Joaquim Barbosa, Henrique Alves optou por já deixar marcada a primeira reunião da Mesa Diretora da Câmara para definir sobre o futuro do mandato do bandido petista João Paulo Cunha. O Supremo já decidiu que a perda de mandato, nesse tipo de condenação, deve ser automática, mas a Câmara optou por abrir processo de cassação, com prazos para acusação e defesa. João Paulo Cunha também pode optar por renunciar ao mandato.

FINANCIAMENTO DO BNDES VAI PERMITIR EXPANSÃO DO PORTO DE PECÉM

Novo financiamento aprovado  pelo BNDES, no valor de R$ 630,5 milhões, vai permitir a expansão do Porto de Pecém,  localizado no município de São Gonçalo do Amarante, no Ceará. O anúncio foi feito nesta terça-feira pelo banco. Luiz Hernani de Carvalho Júnior , diretor de Expansão da Cearáportos, empresa vinculada à Secretaria Estadual de Infraestrutura, que gerencia o Porto de Pecém, disse que os recursos vão viabilizar a segunda fase do projeto de ampliação de Pecém. “Ela consiste  na implantação de uma ponte de 1.520 metros, paralela à ponte já existente, que vai permitir  o trânsito de cargas de maior tonelagem, em função do seu dimensionamento. Isto é,  ela vai permitir a passagem de todas as placas que serão exportadas pela Companhia Siderúrgica de Pecém”, informou. Carvalho Júnior salientou outra fase da obra  que será construída com o empréstimo do BNDES, que é a mudança da cessão do quebra-mar. “Ele seria alargado, de tal forma a permitir  que se  construísse  sobre ele  uma rodovia, que vai servir como elo de ligação entre essa ponte nova para permitir  a chegada de todos  os caminhões, equipamentos, máquinas, para ter acesso aos dois berços que serão implantados também nesta segunda fase”. O diretor da Cearáportos acrescentou que esta etapa de expansão propiciará ao terminal de Pecém começar a atender a primeira demanda de produção da CSP, que prevê a exportação de  3 milhões de toneladas de placas por ano. O Porto de Pecém  funciona como principal indutor de crescimento do Estado, além de gerador de mão de obra qualificada, com incremento na balança comercial cearense. O projeto de expansão tem previsão de gerar 1,9 mil empregos, dos quais 1,5 mil serão na fase de obras, de acordo com informação do BNDES. Carvalho Júnior disse que as obras de expansão aumentarão a competitividade portuária no Estado. “O Porto de Pecém, pelas suas características, pode e deve ser considerado um porto de vanguarda. Mas, com essa segunda ampliação, ele vai ter um novo nicho de movimentação de cargas para o qual ele foi concebido desde o seu início. Ou seja,  nós vamos começar a atender agora a uma demanda de produtos oriundos de uma siderúrgica, que está sendo implantada a pleno vapor na área  do Complexo Industrial e Portuário do Pecém”. Com o novo financiamento, o  total de empréstimos concedidos pelo BNDES ao complexo de Pecém  alcança  R$ 1,1 bilhão.  O primeiro empréstimo, no valor de R$ 276 milhões, foi aprovado pelo banco em  2009 e objetivava a implantação do Terminal de Múltiplo Uso, que já está operacional e tem capacidade de movimentação de 500 mil TEUs ( twenty-foot equivalent unit, ou unidade correspondente a um contêiner de 20 pés) por ano. Novo empréstimo foi aprovado no ano seguinte, no valor de R$ 120,6 milhões, destinado à  aquisição e instalação de um sistema de descarga e transporte de granéis sólidos  com capacidade operacional de 2,4 mil toneladas/hora, no Terminal de Insumos e Produtos Siderúrgicos. A movimentação de mercadorias por meio do Porto do Pecém superou 6 milhões de toneladas em  2013, mostrando alta de 40% sobre o ano anterior.

ANFAVEA PROJETA CRESCIMENTO DE 1,1% NAS VENDAS DE VEÍCULO NO PAÍS ESTE ANO

O mercado de veículos novos no Brasil deve permanecer aquecido ao longo deste ano e a produção no setor poderá alcançar novo recorde, porém, o ritmo de crescimento tende a perder força, segundo as projeções divulgadas nesta terça-feira pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). O presidente da entidade, Luiz Moan, estimou uma alta de 1,1% no total de licenciamentos de veículos novos nacionais e importados ante uma queda, em 2013, de 0,9%. Na produção, a previsão é crescer 0,7%. Embora essa variação esteja abaixo dos 9,9% de crescimento em 2013, caso se confirme, a indústria estará, novamente, fechando o exercício com o maior volume de unidades fabricadas. De janeiro a dezembro de 2013, saíram das linhas de montagem 3,740 milhões de unidades, a maior marca da história do setor. Em 2012, o total foi 3,402 milhões, ligeiramente inferior a 2011 com 3,416 milhões. Na avaliação de Luiz Moan, as montadoras instaladas no Brasil serão afetadas este ano pelo menor número de dias úteis em razão dos feriados e dos jogos da Copa do Mundo. “Nos últimos cinco anos, tivemos crescimento de vendas de quase 15% na média, portanto, em 2013, tivemos um empate técnico”,considerou o dirigente. Ele observou, no entanto, que a produção deverá bater novo recorde neste ano. Para ele, a gradual retirada do desconto do Imposto sobre o Produto Industrializado (IPI) não deve provocar impacto expressivo sobre a demanda porque, além do crescimento da renda do brasileiro, o setor prevê a retomada na oferta de crédito este ano, com expansão esperada de 5%. A expectativa de Moan é que as atividades entre em uma nova rota de crescimento a partir de 2015. Segundo ele, o Brasil já é o quarto maior mercado de veículos do mundo e, até 2018, a comercialização deverá atingir 4,7 milhões de unidades. Para isso, o executivo aposta no desenvolvimento tecnológico dos produtos e, na busca crescente de redução dos custos para ampliar a competitividade do setor. Pelas projeções da Anfavea, a produção no segmento de máquinas agrícolas deve ficar estável em 2014, depois de obter um recorde no ano passado com um crescimento de 20% e 100,5 mil unidades produzidas. Esses produtos têm sido estimulados pelos incentivos ao comprador por meio do Programa de Sustentação de Investimento (PSI). As vendas aumentaram 18,4%. O PSI levou também a um crescimento de 11,1% nas vendas de caminhões, com 154.549 unidades. Para a Anfavea, as recentes concessões de rodovias deverão ajudar a impulsionar as vendas.

GOVERNO DILMA CONCEDE AEROPORTO PARA FILHO DE PAULO SKAF, DO PMDB, PRESIDENTE DA FIESP

Desde que Wellington Moreira Franco (PMDB) assumiu a Secretaria de Aviação Civil (SAC), o projeto da pequena empresa Harpia, dos sócios André Skaf, filho de Paulo Skaf (PMDB), presidente da FIESP, e Fernando de Arruda Botelho Filho, um dos herdeiros do grupo Camargo Corrêa, passou na frente de gigantes como JHSF e Andrade Gutierrez até obter aprovação para o aeroporto privado em Parelheiros. Usando as fartas verbas do Sistema S (Sesi e Senai), Skaf, que é do PMDB, o mesmo Partido do ministro, usa e abusa de inserções publicitárias na TV, sempre sob o comando de Duda Mendonça, que já contratou para sua campanha de governador de São Paulo.

LAUREATTE E ABRIL EDUCAÇÃO DESENHAM ASSOCIAÇÃO DE R$ 2 BILHÕES DE FATURAMENTO POR ANO

O grupo americano Laureatte, que no Rio Grande do Sul assumiu o controle da UniRitter e da Esade, depois da fusão entre Kroton e Anhanguera e da entrada de Chaim Zaher no capital da Estácio, prepara-se para se associar com a Abril Educação. Se confirmado, o acordo dará origem ao terceiro maior grupo do setor no País, com faturamento superior a R$ 2 bilhões e cerca de 500 mil alunos matriculados. A nova empresa reuniria quase 30 estabelecimentos de ensino, entre escolas fundamentais, redes de idioma e faculdades controladas pelos dois investidores. No entanto, tão ou mais importante do que a fusão em si é o ato seguinte no roteiro discutido pelos Civita e pelos norte-americanos. Unidas sob uma mesma placa, Abril e Laureate partiriam para uma aquisição de peso, capaz de virar e revirar ainda mais o tabuleiro do setor. Neste caso, o grande objeto de cobiça da dupla é a Unip, rede controlada pelo empresário João Carlos Di Gênio (antigo grupo Objetivo).

PP E PSB ACELERAM ENTENDIMENTOS PARA ALIANÇA NO RIO GRANDE DO SUL

Foram retomados e acelerados os entendimentos entre o PP e o PSB do Rio Grande do Sul, visando o fechamento de uma chapa majoritária comum que teria a seguinte configuração: Presidente – Eduardo Campos, PSB; Governador – Ana Amélia Lemos, PP; Vice-Governador – José Stédile, PSB. A vaga de senador está sendo negociada com um terceiro partido. Franjas enormes do PSB gostariam de uma aliança com José Ivo Sartori, do PMDB, mas o partido, dividido, não consegue resolver o imbroglio da sucessão presidencial, o que resultará em racha inevitável no Rio Grande do Sul, vença quem vencer na disputa interna pela candidatura ao Palácio Piratini.

ANÁLISE DE CESAR MAIA - SAIBA POR QUE A CAMPANHA ELEITORAL DESTE ANO SERÁ COMPLICADA PARA TODOS OS CANDIDATOS

Nesta análise que vale para todos os candidatos a cargos eletivos em outubro, o ex-prefeito do Rio, Cesar Maia, coloca um cenário eleitoral complicadíssimo, porque tudo indica que o calendário será curtíssimo. Aparentemente, ganhará mais quem já tiver boa visibilidade desde agora. leia:
1. Normalmente as pré-campanhas semeiam o que vai se colher na campanha eleitoral. Mas esse não será o caso de 2014. A começar com o Carnaval no início de março que, como desdobramento, leva a Semana Santa para a segunda metade de abril.
2. Depois vem a Copa do Mundo.
3. A campanha eleitoral começa formalmente dia 5 de julho. Mas é exatamente aí que se inicia a última semana da Copa, com toda a excitação relativa.
4. Assim, acabou o mês de julho. Agora é finalizar a TV, que começa 15 dias depois. E o que fazer desde agora -janeiro- até agosto?
5. Que candidato a governador ou a presidente vai meter a cara num estádio? Grande drama para Dilma, que tem obrigação de aparecer junto ao presidente da FIFA, assistir abertura e fechamento, declarar aberta a Copa, ir ao Campo...
6. Para ela uma pré-campanha minimizada seria excelente e para seus adversários um problema. Estes terão que fazer uma pré-campanha de proximidade. Mas ela, que pensava que sem pré-campanha surfaria na onda do primeiro turno, agora, com as inevitáveis vaias, terá que ser treinada por seus marqueteiros para as caras, as bocas, os gestos e as declarações.
7. E nem se levou em conta até aqui as hipotéticas manifestações de ruas.
8.  Campanha complicada esta. Se ficar o bicho come, se correr o bicho pega.

ALEXANDRE PADILHA E FERNANDO HADDAD SÃO A MESMA PESSOA

Padilha-Haddad (foto Moacyr Lopes Junior - Folhapress)
O ainda ministro da Saúde, Alexandre Padilha, anunciou que já fez a sua mudança para São Paulo. É, não custa ter alguma intimidade com o Estado que ele pretende governar. Sim, é paulista e paulistano, mas sua carreira política se fez bem longe. Era filiado ao PT do… Pará. Lula o escalou para a tarefa, seguindo o figurino Fernando Haddad — antes dos sucessivos desastres do petista na gestão da maior cidade do país. Os dois posaram (Emir Sader escreve “pousaram”) nesta segunda para fotos, como se vê na imagem acima (foto: Moacyr Lopes Júnior/Folhapress). Como produto político, eles são a mesma pessoa. Não! São a mesmíssima!
Os dois representam uma “novidade” no quadro da disputa eleitoral. Haddad, segundo Lula, foi “o melhor ministro da Educação da história destepaiz” — afirmação que escarnece do bom senso. E Padilha, claro!, “o melhor ministro da Saúde da história destepaiz”, afirmação que vai além do escárnio. Ambos têm aquele jeito “coxinha” de ser, representando o que chamo de “petista que não suja o shortinho”, com cara de bons moços e de bons genros… Representariam, para ficar numa caracterização que não é minha, um “PT vegetariano”, em oposição aos radicais, ao “PT carnívoro”. Discordo dessa leitura, é claro. Eu a considero até meio herbívora.
Os desastres da gestão de Fernando Haddad em São Paulo derivam de sua incompetência como gestor, mas também de sua ideologia. Como esquecer que esse rapaz chamou, em livro, de “moderno” o sistema soviético? Padilha é o ministro que organizou, à socapa, a vinda dos escravos cubanos para o Brasil, fantasiados de médicos. “Ah, o programa é popular”. Eu não disse o contrário. O Fome Zero é um dos programas mais bem-avaliados da gestão Lula sem nunca ter saído do papel. A popularidade de um programa não traduz a sua qualidade. Ao contrário do que expressam na fachada, ambos representam um PT bem mais ideológico — nefastamente ideológico — do que as vertentes oriundas do sindicalismo, estas, sim, pragmáticas. Haddad, com sua aparência limpinha, enganou boa parte da classe média. E tentou, depois, enfiar nas suas costas a faca do IPTU escorchante. Só foi contido pela Justiça. E segue punindo os “ricos” (vocês sabem, os ricos de Uno Mille…) com seu “faixismo”. Agora chegou a vez de oferecer outro docinho aos “reacionários de São Paulo” (como quer Marilena Chaui…). Os dois aparecem ali na foto. Depois do municipal, Lula quer agora um Haddad estadual. Por Reinaldo Azevedo

O PT, A PRODUÇÃO DE AUTOMÓVEIS E HADDAD, O "FAIXISTA"

A produção de veículos bateu seu recorde em 2013. Que bom! Isso certamente colaborou, dada a extensa cadeia produtiva do setor, incluindo os serviços, para manter baixo o desemprego, um dos pilares em que se sustenta o governo e um de seus orgulhos. É bem verdade que, em dezembro do ano passado, houve queda de 18,6% sobre novembro e de 12,1% sobre dezembro de 2012. Acendeu a luz amarela, e o governo fará alguma coisa, mais do que tem feito, para retomar os antigos níveis de produção. O recorde de 2013 e os sucessivos anos de bom desempenho se fazem à custa de incentivos. O governo federal estimula, e não o estou censurando por isso, a produção e a venda de automóveis. Como é óbvio, a maioria dos carros destinados ao mercado interno vai para o estado de São Paulo — mais especificamente, para a capital, hoje sob os cuidados do alcaide Fernando Haddad, do PT. Cidadãos não podem ser tratados como ratinhos de cientista amador, que vai testando suas idéias ao sabor do puro empirismo. O partido que, na esfera federal, toma as medidas objetivas para manter aquecido o setor de produção e venda de automóveis — porque parte de sua reputação deriva dos empregos gerados — não pode,  na administração da maior cidade do País, transformar a vida dos donos de automóveis num inferno pior do que já era antes. Sim: refiro-me ao aloprado “faixismo dos ônibus”. Faixas exclusivas, como se sabe, foram criadas onde eram e onde não eram necessárias. Pior: isso se fez acompanhado de um discurso vigarista que pretende opor pobres a ricos — como se, de resto, boa parte dos carros vendidos não estivesse nas mãos da população remediada, já quase nas vizinhanças da pobreza. Mais: o arranca-rabo de classes é pilantragem retórica também porque a indústria automobilística e sua cadeia mantêm o emprego de boa parte dos que andam de ônibus. Não! Não estou aqui a pôr cada um no seu lugar. Estou apenas destacando que a sociedade é um organismo vivo, com interdependências. Daqui a pouco encerram-se as férias escolares, e a cidade de São Paulo volta a seu ritmo normal. O PT precisa definir se quer vender mais carros — e eles fatalmente irão parar em maior número na capital paulista — ou punir os motoristas. Isso não quer dizer que a gestão petista não possa e não deva investir no transporte público. Mas isso pode ser feito sem demonizar os donos de automóveis. Haddad, o faixista, deveria tentar convencer a presidente Dilma a tomar medidas para diminuir a produção e a venda de automóveis, não é mesmo? Ela lhe daria um justificado pé no traseiro, mas, ao menos, ele seria um “faixista” intelectualmente coerente… Por Reinaldo Azevedo

DE FÉRIAS, MINISTRA DOS DIREITOS HUMANOS, A MARIA DO "OSSÁRIO", SILENCIA SOBRE O HORROR NAS CELAS DO MARANHÃO E NO PRESÍDIO CENTRAL DE PORTO ALEGRE

Há quase 20 dias o País acompanha os desdobramentos da crise nas penitenciárias do Maranhão, com a divulgação de vídeos com imagens de detentos decapitados e esquartejados, e agora com a condenação do Tribunal da OEA para o Presídio Central de Porto Alegre, mas ainda não se ouviu uma palavra da ministra da Secretaria dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, sobre a selvageria na Penitenciária de Pedrinhas, em São Luiz. Maria do Rosário (também conhecida atualmente por "Maria do Ossário") está em férias desde o dia 30 de dezembro no Rio Grande do Sul e só voltará ao trabalho no dia 13. As férias foram publicadas no Diário Oficial da União no dia 27 de dezembro – mesmo dia em que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) encaminhou relatório à Procuradoria-Geral da República (PGR) relatando a barbárie em Pedrinhas. Assídua usuária do Twitter, a ministra recorreu ao microblog nos últimos dias para desejar “paz e bem no mundo todo” e também comentou que seu Estado deve agilizar as medidas propostas pelo Sistema Interamericano de Direitos Humanos para melhorar as condições no presídio de... Porto Alegre. Então tá..... Parece que Deus se esqueceu do Maranhão e deixou o Estado entregue às forças de José Sarney — o preposto, ou preposta, da hora no comando do Estado é sua filha, Roseana, que governa com o apoio do PT — uma imposição de Luiz Inácio Apedeuta da Silva. Circula na rede o vídeo com os horrores no presídio de Pedrinhas. Os presos decapitaram colegas de cela e exibem orgulhosos as cabeças das vítimas e seus corpos dilacerados com facas e estiletes. E o fazem sem nenhuma cerimônia — ou, para ser preciso, com os rigores cerimoniosos que o demônio exige para seus banquetes. Um apressado, que esquecesse de olhar os números, poderia dizer: “Vejam aí no que resulta essa política de encarceramento excessivo! Presídios superlotados são mesmo um convite às artes demoníacas…”. Pois é. Sabem qual é o Estado que tem A MENOR TAXA DE ENCARCERAMENTO DO BRASIL POR 100 MIL HABITANTES? Acertou quem chutou o… Maranhão! É o que informa a página 54 da 7ª Edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, com dados de 2012. O Maranhão não prende demais, não senhores! Prende de menos. Há, no Estado, apenas 128,5 presos por 100 mil habitantes — para comparar: em São Paulo, são 633,1. Assim, o Maranhão prende pouco — 5.417 pessoas em 2012 — e trata seus detentos como bestas-feras. O resultado é o que se vê. A edição desta terça do jornal Folha de S. Paulo informa que um contrato firmado em 2011 entre o governo do Estado e o Depen — órgão do Ministério da Justiça que coordena a política penitenciária nacional — foi cancelado. Ele previa o repasse de R$ 20 milhões para a construção de dois presídios, com capacidade para abrigar 513 detentos. Segundo o governo maranhense, “um mês e sete dias depois de o Estado do Maranhão ter cumprido as últimas exigências do Depen”, um decreto invalidou “todos os restos a pagar não liquidados até o dia 30 de junho de 2013”. E o dinheiro não apareceu. Cadê José Eduardo Cardozo, o Garboso, ministro da Justiça? Cadê Maria do Rosário, dos Direitos Humanos? Cadê Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência e homem encarregado de fazer a tal “interlocução” com os chamados “setores organizados da sociedade”? Desapareceram. Sumiram. Uma ocorrência como essa em um Estado que fosse governado pela oposição geraria uma falação dos diabos. Desde 2004, só dois dos sete contratos do Depen com o Maranhão foram concluídos. Cabe ao departamento, meus caros, acompanhar as execuções penais Brasil afora. Outra de suas atribuições é justamente fiscalizar as instituições prisionais. Mas quê… No ano passado, o governo federal investiu em presídios 34,2% menos do que em 2012: caiu de R$ 361,9 milhões para R$ 238 milhões. E tal queda se deu num ano em que a violência explodiu no País. A incompetência oficial sempre cobra seu preço. Em regiões pobres ou atrasadas, a moeda de troca são vidas humanas. Quem liga para os desgraçados do Maranhão? O que importa é garantir o devido conforto àqueles almas nobres da área VIP da Papuda. Por Reinaldo Azevedo