domingo, 2 de fevereiro de 2014

TENENTE-CORONEL RICCARDI GUIMARÃES DIZ QUE TARSO GENRO HUMILHA A BRIGADA MILITAR

Em uma entrevista para o jornalista Políbio Braga, o tenente-coronel Riccardi Guimarães, presidente da Associação dos Oficiais da Brigada Militar, não poupou críticas ao governo do Estado do Rio Grande do Sul, o peremptório "grilo petista" Tarso Genro. Veja a entrevista:
- O que foi que o senhor conversou com o prefeito José Fortunati ?
- Sugeri que ele declare imediato estado de calamidade pública em Porto Alegre. Ele que tenha coragem e faça isto, porque os gaúchos vão aprová-lo. Esta é uma hora de decisão em favor da maioria do povo.
- Por que razão ?
- Ora, você está vendo! O comandante em chefe da Brigada, governador Tarso Genro, submete a Brigada à humilhação de descumprir a lei e não garantir o direito constitucional de ir e vir, incorrendo em crimes de responsabilidade e de prevaricação. Lamento que a Brigada esteja sob o
comando deste cidadão.
- O que deveria acontecer ?
- A Brigada, nos seus 170 anos, nunca interveio em crimes, como os que acontecem agora, apenas para observar e olhar. Nossos homens não são olheiros e nem ouvidores, mas são guardiões da lei e protetores da ordem pública. Como é que as forças de segurança não protegem os trabalhadores que querem trabalhar, que são agredidos dentro dos seus ônibus, como ocorreu no sábado? Isto tudo é uma enorme desordem. E é intolerável que seja assim.
- Além de falar com o prefeito, o que o senhor propõe ?
- Estranho que o Ministério Público esteja tão quieto e não intervenha para restabelecer o primado da ordem em Porto Alegre, que está sendo violada pelo próprio governo estadual.

RODOVIÁRIOS DIZEM QUE VOLTAM AO TRABALHO SE O PREFEITO FORTUNATI DECRETAR PASSE LIVRE; É A POLITIZAÇÃO TOTAL DA GREVE DOS ÔNIBUS EM PORTO ALEGRE

Uma das principais lideranças da greve dos rodoviários, que prejudica mais de 1 milhão de pessoas desde a última segunda-feira em Porto Alegre, o sindicalista Alceu Weber, da Carris, disse que vai propor ao prefeito José Fortunati (PDT) que decrete passe livre na cidade a partir desta segunda-feira. Se isso ocorrer, Weber garante que os ônibus voltam a circular com a frota total. Ora, o que isso tem a ver com a disputa salarial de motoristas e cobradores com os proprietários das empresas de ônibus? A alternativa foi votada na assembléia de sexta-feira no Ginásio Tesourinha. "Todos se comprometem a sair 100% da garagem se vigorar o passe livre. O dinheiro sairia do bolso do patrão, é ele que deve bancar o combustível, é ele que não está negociando", disse o sindicalista. O raciocínio dele é de um primitivismo atroz. O dinheiro sempre sairá do bolso do consumidor, será a prefeitura que terá de pagar o passe livre, vale dizer, o contribuinte da cidade. Os grevistas não respeitaram sequer o maior dia religioso do ano em Porto Alegre, o dia de Nossa Senhora dos Navegantes, neste domingo. Mas, a greve é comandada pelos comunistas do PSOL, de Luciana Genro, a filha do governador petista, o peremptório "grilo falante" Tarso Genro, também comunista (a origem dele é no PCdoB, depois criou um partido comunista só para ele, o PCR - Partido Comunista Revolucionário, o que é uma redundância, antes de passar para o PT).

PARTIDARIZAÇÃO, IDEOLOGIZAÇÃO, PETIZAÇÃO E MAIS CRISE ENTRE DELEGADOS E AGENTES QUASE PARALISAM OS TRABALHOS DA POLÍCIA FEDERAL, UMA POLÍCIA POLÍTICA DO PT

Em um movimento sem precedente na história da Polícia Federal, agentes, escrivães e papiloscopistas estão se rebelando contra o domínio dos delegados sobre a estrutura da instituição. Esses delegados, em grande parte, são alinhados com o PT e transformaram o órgão em uma espécie de KGB do PT. Na guerra por cargos, salários e reforma da polícia, agentes estão se recusando abertamente a cumprir ordens de delegado para situações que vão do simples ato de dirigir um carro em uma operação até a produzir "relatórios de inteligência" de grandes investigações criminais. Os atos de resistência contra o que chamam de feudo dos bacharéis vão além dos limites de uma simples rixa de corporações. Os embates entre os grupos racharam os pilares da disciplina em alguns setores e já estão afetando o número e a qualidade das operações de combate à corrupção. O clima é tão pesado que, em alguns casos, policiais das categorias litigantes mal trocam cumprimentos. As pequenas rebeliões, que se multiplicam em várias direções, podem complicar parte do esquema de segurança da Copa e repercutir até mesmo nas eleições presidenciais em outubro deste ano. Com a policia conflagrada, a presidente Dilma Rousseff teria dificuldade de apresentar a instituição como modelo de luta contra os desvios de verbas da administração pública como aconteceu durante as campanhas eleitorais de 2006 e 2010. A tensão entre delegados e agentes se estende também ao Instituto Nacional de Criminalística (INC). Peritos também reclamam do exclusivismo dos delegados. "As coisas estão se agravando. Delegados não cedem em ponto nenhum. Não vejo luz no fim do túnel", afirma um experiente perito. As disputas de agentes, escrivães e papiloscopistas contra delegados são antigas, mas se tornaram ainda mais acirradas depois da fracassada greve dos policiais federais em 2012. Depois de 72 parados, agentes, escrivães e papiloscopistas voltaram ao trabalho sem os reajustes salariais reivindicados, mas decididos a esticar a corda até o limite da força. A partir de então, começaram a pipocar País afora os atos de desobediência explícita. No Distrito Federal, um agente disse "não" quando a delegada Andreia Albuquerque, que estava à frente da Operação Miquéas, pediu um relatório analítico sobre escutas e movimentação financeira dos investigados. O agente disse que repassaria os dados brutos a Andreia. Caberia à delegada, e não a ele, fazer os cruzamentos de informações e extrair as devidas conclusões sobre as supostas ligações de políticos com um famoso doleiro local. Para se proteger contra eventuais punições, o agente se escudou na portaria 523/89, que estabelece as atribuições dos policiais. Na visão da Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapef), a portaria não inclui entre as tarefas de um agente a análise crítica de uma investigação. Pelo entendimento deles, se não está na lei, a ordem do delegado perderia a eficácia. Na verdade, delegados federais, além de terem tornado a Polícia Federal em uma polícia política do PT, tornaram-se também uma espécie de marajás no serviço público, aburguesaram-se e jogam todas as tarefas para os policiais subalternos. Em São Paulo, um dos atos de resistência teve desfecho trágico. Um grupo de 20 policiais de Ribeirão Preto e Bauru, especializados em ações contra o narcotráfico, se recusou a participar da interceptação de um avião que, depois de sair do Paraguai, pousaria numa fazenda em Bocaina carregado de armas e cocaína. Os policiais cruzaram os braços com o argumento de que não tinham fuzis potentes, visores noturnos e carros blindados para enfrentar os criminosos, conforme determina as normas de segurança. A partir dali, um delegado recrutou às pressas agentes de outras cidades e correu até o local onde do desembarque das drogas. Segundo um dos agentes que se recusaram a participar da ação, os colegas foram surpreendidos pelos bandidos. Os criminosos fugiram com o carregamento de cocaína em um carro e, na troca de tiros, mataram um agente federal. "Enquanto nós vamos lá na linha de frente contra os criminosos, os delegados ficam nos gabinetes, aguardando os resultados para darem entrevista. A revolta é geral", afirma um dos agentes que disseram "não" a ordem de interceptar o carregamento de cocaína. Em Minas Gerais, agentes do serviço de inteligência suspenderam a análise de escutas telefônica da Operação Esopo, sobre supostos desvios de dinheiro de ongs financiadas pelo Ministério do Trabalho. Depois do episódio, os chefes locais fizeram um convênio com as polícias Civil e Militar para cobrir serviços rejeitados pelos agentes federais. Segundo relatório divulgado recentemente pela Fenapef e não contestado pela direção-geral, o número de indiciamentos em investigações sobre peculato, concussão, emprego irregular de verba pública, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha caiu 86% em relação a 2007, quando a Polícia Federal estava no auge das grandes operações de combate à corrupção. Para alguns policiais, o declínio é irreversível. Os agentes reivindicam 100% de reajuste salarial, ocupação de cargos estratégicos e a criação de uma carreira única dentro da Polícia Federal aos moldes do FBI. Um agente em início de carreira ganha salário de R$ 7,5 mil, menos da metade dos vencimentos de um delegado principiante, que recebe R$ 15.374,64 por mês. Eles se sentem ultrajados ainda porque viram salários de agentes da Abin (Agência Brasileira de Inteligência) dobrar nos últimos anos. A Fenapef afirma ainda que os delegados ocupam 95% dos cargos estratégicos de chefia em detrimento de agentes, escrivães, papiloscopistas e até de peritos. A polícia tem aproximadamente 1.700 delegados, com cerca de 1.200 deles em cargos de chefia. Ou seja, perfeitos burocratas, pilotos de cadeiras de rodinha. Os agentes citam como exemplo a Coordenação Geral de Tecnologia da Informação, chefiada por um delegado e não por um especialista em informática. "Por que tem que ser delegado a ocupar cargos de chefia se isto não está na lei", afirma o vice-presidente da Fenapef, Luís Boudens? Ora, porque isso rende FGs polpudas para os delegados, e incorporações salariais que irão até o fim da vida. O presidente da Associação Nacional dos Delegados Federais (ADPF), Marcos Leôncio Ribeiro, confirma que é forte a tensão entre agentes e delegados. Segundo ele, essas desavenças são antigas mas, agora, estão "potencializadas".

SATÉLITE ESTUDARÁ UM BILHÃO DE ESTRELAS PARA FORMAR O MAPA DA VIA LÁCTEA

Um mapa tridimensional da Via Láctea começa a ser produzido por um dos objetos mais caros e avançados já lançados pelo ser humano ao espaço. Embora superlativos, os números não dão conta de dimensionar o verdadeiro tamanho da empreitada: 1 bilhão de estrelas investigadas, centenas de pesquisadores de diversos países envolvidos e 1 bilhão de euros (cerca de R$ 3,3 bilhões) investidos. Esses esforços financeiros e científicos foram necessários para a concretização da Gaia, missão da Agência Espacial Européia que atingiu sua órbita em janeiro para revelar, a partir de agora, a composição, a formação e a evolução da nossa galáxia. Além da quantidade de estrelas monitoradas, cerca de 1 bilhão, a missão se diferencia pela qualidade dessa observação. “Isto é, a precisão com que realizará medidas astrométricas, fotométricas e espectroscópicas. Os dados irão solucionar um problema fundamental de toda a astronomia, que é o conhecimento das distâncias dos astros de maneira confiável. Sem o conhecimento das distâncias, não podemos converter aquilo que observamos, aparente, em absoluto. Em resumo, o Gaia nos revelará o Universo em três dimensões”, descreve Ramachrisna Teixeira, professor do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (IAG-USP). O professor explica: “Para se ter uma boa idéia, basta lembrar que atualmente conhecemos bem a distância de aproximadamente 30 mil estrelas e passaremos a 150 milhões. Ou ainda, atualmente conhecemos muito bem a posição de aproximadamente 700 estrelas e passaremos a 18 milhões”. Os primeiros resultados do Gaia deverão aparecer por volta de 2017, e os resultados definitivos, em 2020. Equipado com dois telescópios, fotômetros azuis e vermelhos e espectrômetro de velocidade radial, o satélite não enviará imagens à Terra, e sim números que representam a intensidade de luz e as posições relativas das fontes, elucida Teixeira: “Com o nível de precisão do Gaia, muitas novidades em termos da origem, estrutura e evolução da Galáxia e das estrelas são esperadas”. O grupo dos professores brasileiros, inserido na unidade de processamento de objetos do DPAC (Consórcio de Análise e Processamento de Dados), tem como objetivo o aproveitamento científico dos objetos extensos como galáxias e nebulosas planetárias, que serão detectados pelo satélite. Teixeira co-orientou, em conjunto com Christine Ducourant (Observatório de Bordeaux), uma tese de doutorado no IAG sobre o tratamento e a análise de dados que podem ser obtidos com o Gaia. A pesquisa levou o aluno Alberto Krone Martins para Lisboa, onde desenvolve seu trabalho com cientistas europeus. Para o professor, essa colaboração entre diferentes países em prol da ciência é um dos aspectos mais relevantes da missão. Em janeiro o satélite europeu chegou a sua órbita planejada, a 1,5 milhão de quilômetros da Terra (no sentido contrário ao do Sol).

DILMA NÃO ATINGE META DO SUPERÁVIT E AINDA QUER POUPAR MENOS PARA AUMENTAR A GASTANÇA ELEITORAL, ESSE É UM MAU SINAL PARA OS MERCADOS

O setor público consolidado – governos federal, estaduais e municipais e empresas estatais – registrou superávit primário de R$ 91,306 bilhões, em 2013. Esse resultado correspondeu a 1,9% do PIB, o menor nível anual da série histórica do Banco Central, iniciada em 2002. Em 2012, o superávit primário ficou em R$ 104,951 bilhões, o que correspondeu a 2,39% do PIB. Os dados foram divulgados na sexta-feira pelo Banco Central. Originalmente, a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) previa meta de superávit primário de 3,1% do PIB para a União, Estados e municípios em 2013. Para 2014, o Banco Central está reduzindo essa “poupança” para 1,4%, para que a gastança eleitoreira possa seguir em curso. Diz Armínio Fraga, ex-presidente do Banco Central: "O cenário não é nada animador. Não adianta somente subir juros. É preciso mostrar que as finanças estão equilibradas e o superavit primário é o indicador mais efetivo". Quando retornou ao Brasil, em 1999, o economista Armínio Fraga voltava para assumir o Banco Central em meio a uma crise cambial que quase quebrou o País. A extrema dependência que o Brasil havia adquirido dos capitais internacionais provocou uma crise de desconfiança que desembocou em uma fuga de capitais. O dólar passou de pouco mais de R$ 1,00 para quase R$ 2,20. Como reação, o governo elevou a taxa de juros para 45% ao ano e o regime de câmbio fixo foi desativado. Armínio Fraga afirma que, nesses momentos em que os países são postos à prova, defender-se só com juros não adianta. Turquia, África do Sul e Índia subiram suas taxas recentemente. O Brasil vem elevando a Selic desde abril. Esses países, mais a Indonésia, são "os cinco frágeis". A desaceleração do crescimento chinês e a recuperação dos Estados Unidos, com a consequente migração de capitais para lá, são o novo compasso mundial. Os tempos de juro zero para induzir o crescimento estão em extinção. Para Armínio, maior controle de gastos pelo governo pode ajudar o Brasil na turbulência. Diz Armínio Fraga, hoje capitão do poderoso Fundo Gavea: "É difícil identificar uma causa específica para a criose brasileira, a não ser que seja um grande evento. Acho que foi especialmente a China, que veio com dados fracos de atividade e aconteceu uma ameaça de default de um produto do "shadow bank" deles, que é um setor enorme lá (é uma parte do setor financeiro, com pouca ou nenhuma regulamentação). Mas, se você olhar bem, as moedas que mais se mexeram --da África do Sul, da Índia e da Turquia-- estão se depreciando ante o dólar desde 2011. O real se mexeu lá atrás, com a crise na Europa, teve uma fase de estabilidade, e a partir de maio de 2013 passou a se desvalorizar mais. Então é um quadro que não começou há 15 dias. Acho que o que está por trás disso é uma combinação de movimentos de curto prazo, concentrados na China, mas que têm como pano de fundo uma tendência de normalização das taxas de juros. Mas há certa fragilidade desses países, que no período de dinheiro barato viram seus deficits em conta-corrente crescendo (saldo negativo nas relações com o Exterior), ao mesmo tempo em que a inflação subia, apesar da longa fase de melhoria das relações de troca (bons preços para suas exportações)".

BANCO CENTRAL VAI À JUSTIÇA PARA COBRAR R$ 39,8 BILHÕES EM MULTAS DE EMPRESAS E CLUBES DE FUTEBOL

O Banco Central está à caça de R$ 39,8 bilhões de multas que estão sendo cobradas de bancos e empresas, e que não entraram para os cofres do governo. A lista dos principais alvos dessa operação judicial de recuperação de créditos inclui grandes empresas, bancos liquidados ou em funcionamento e times de futebol como Santos, Corinthians, Internacional, Fluminense e Atlético Mineiro. A maior parte desse dinheiro que o Banco Cntral tenta recuperar - R$ 24,2 bilhões - é devida por pouco mais de uma centena de empresas, instituições financeiras e pessoas físicas. De acordo com os documentos internos do Banco Central, as irregularidades mais comuns são ilícitos cambiais, principalmente de empresas importadoras e exportadoras. Mas há casos de multas aplicadas por irregularidades no acesso aos recursos das reservas bancárias pelos bancos, omissão de informações sobre capitais brasileiros no Exterior e infrações diversas praticadas por instituições financeiras, empresas de auditoria, administradoras de consórcio e empresas que atuam sem a autorização do Banco Central. O banco está executando essa dívida na Justiça e montou uma força-tarefa de advogados para ir atrás dos devedores e do seu patrimônio. Muitas empresas encontradas eram de fachadas, de proprietários "laranjas". Na busca dos devedores, os procuradores do Banco Central passaram a fazer cruzamentos de informações estratégicas que estão na base de dados cadastrais do próprio BC e de outros órgãos públicos, como Receita Federal, INSS, Secretarias de Segurança Pública e Ministério do Desenvolvimento e Comércio Exterior. "O importante é que se conheça o devedor e que se busquem estratégias eficientes para alcançar o seu patrimônio", diz Isaac Sidney Ferreira, procurador-geral do Banco Central. Das 126 ações mais relevantes, que concentram os valores mais elevados, apenas 18 estão garantidas judicialmente com bens imóveis. De acordo com o procurador, a ausência de garantias formais não compromete necessariamente a perspectiva de recuperação de crédito. "Em relação a essas ações mais relevantes, o Banco Central detém informações estratégicas para perseguir o devedor e alcançar seu patrimônio", assegura. Segundo ele, o Banco Central tinha listas "valiosíssimas" que não eram usadas - como o cadastro de correntistas, por exemplo - que mostram o relacionamento bancário das pessoas. No caso da Receita, o Banco Central verificou que o Fisco muitas vezes está mais adiantado na localização do devedor e dos bens, o que facilita o trabalho. "Na estação de trabalho dos procuradores, temos um sistema que acessa os procedimentos instaurados no âmbito da Receita", diz Ferreira. Depois de reconhecer enormes deficiências no trabalho de cobrança, a diretoria do Banco Central montou em 2006 um projeto de recuperação de crédito para melhorar os resultados. Até então, a arrecadação com a cobrança de créditos, nos cinco anos anteriores ao projeto, tinha sido de apenas R$ 2 milhões. No período de implantação do programa, entre 2006 e 2011, a arrecadação subiu para R$ 307,32 milhões e, nos últimos dois, saltou para R$ 16,19 bilhões. O BC tinha uma série de créditos a recuperar inscritos e não inscritos em dívida ativa e se deu conta que não conhecia os devedores - alguns já tinham morrido e os herdeiros não eram encontrados.  "O Banco Central era reativo. Tínhamos execuções de mais de 10 anos", reconhece o procurador. Segundo ele, o Banco Central mudou as regras e deu baixa em processos de pequeno valor ou com remota possibilidade de recuperação. "Pegamos os processos e examinamos um por um", diz o procurador. Os dados do Banco Central mostram que o número de execuções fiscais em andamento é hoje de 2.978. E apenas cerca de 10% delas contam com alguma garantia. Um dos campeões de multas é o empresário Sérgio de Paulo Pacheco, do Rio de Janeiro, ligado ao comércio de importação e exportação, que deve R$ 2,044 bilhões. Ele foi multado por conta de ilícitos cambiais. Entre as grandes empresas, está a Schincariol, fabricante de refrigerantes e cervejas.

EMBRAER JÁ É A 66ª MAIOR EMPRESA MILITAR DO MUNDO

A Embraer teve um dos maiores saltos nas vendas do setor de segurança e passou a ser a 66ª maior empresa militar do mundo. Os dados foram divulgados pelo Instituto de Pesquisas da Paz de Estocolmo, que aponta para uma participação cada vez maior de empresas de países emergentes no mercado mundial de armas. A empresa brasileira passou a fazer parte do grupo das cem maiores empresas militares em 2010 e, desde então, as vendas não páram de crescer. Em 2012, a Embraer vendeu US$ 1 bilhão em equipamentos militares, segmento que já representa 17% do faturamento anual. Se em 2011 a companhia era apenas a 83ª maior do mundo, ela terminou 2012 na 66 ª posição, classificação mais elevada já atingida por uma empresa brasileira. Em apenas um ano, a expansão foi de cerca de 36%, o que colocou a empresa brasileira como uma das que mais registraram crescimento nas vendas em 2012. Os resultados da Embraer vão em uma direção oposta ao do segmento militar que, por conta de cortes de orçamentos de países ricos, viu suas vendas caírem em 2012 para um total de US$ 383 bilhões. No ano, a redução foi de 4,2%, depois de um outro corte de mais 6,6% em 2011. Apesar da recente queda, na década o saldo é positivo: desde 2003, as vendas subiram 29%. Mas enquanto empresas de países ocidentais registram quedas em vendas, são empresas russas, brasileiras e de outros emergentes que ganham espaço. As companhias de Moscou, por exemplo, viram um aumento de 28% em suas vendas. Só a gigante Almaz Antei registrou um salto de vendas de 41% e é hoje a 14ª maior empresa militar do mundo. Parte do bom desempenho das empresas russas vem da implementação de um plano de rearmamento do Kremlin, avaliado em US$ 700 bilhões até 2020. Mas o ano também viu pela primeira vez a entrada de uma empresa da Ucrânia entre as cem maiores do mundo. Na Coréia do Sul, as vendas militares dobraram desde 2002.

EX-OGX RECEBERÁ APORTE DE US$ 215 MILHÕES

Representantes da OGX e de detentores de bônus da empresa passaram o fim de semana debruçados sobre pendências burocráticas para a assinatura de um acordo definitivo de credores. O aporte na petroleira será de US$ 215 milhões, faixa superior do acerto divulgado no Natal. Resta ainda definir de que forma se dará a conversão da dívida desses "credores financiadores" em ações da petroleira, rebatizada de Óleo e Gás Participações. O ponto está sendo analisado minuciosamente para evitar que a operação caia no filtro de órgãos como o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e a Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Entre as possibilidades está o uso de debêntures simples ou conversíveis em ações. A escolha pode trazer implicações relativas, por exemplo, a um eventual direito de preferência dos minoritários. A OGX (atual Óleo e Gás Participações) precisa receber o dinheiro novo o mais rápido possível para viabilizar sua reestruturação. Qualquer interferência externa seria prejudicial. Os US$ 215 milhões serão aportados por meio de um tipo de financiamento chamado DIP (debtor in posession) e representam mais da metade do que a companhia precisa para se manter em 2014. Após o acerto, a configuração acionária da OGX será mantida como no anúncio inicial, no fim do ano passado: 90% das ações passarão aos credores da companhia e 10% ficarão com os atuais acionistas. Esse grupo inclui Eike Batista, hoje controlador da companhia. Na última semana houve mudanças na estrutura do DIP, após dificuldades operacionais verificadas no empréstimo-ponte de US$ 50 milhões obtido em janeiro pela OGX junto ao Credit Suisse. Por conta de alterações referentes à operação "back to back" - para a entrada no Brasil dos recursos vindos do Exterior -, o banco responsável pelo DIP dessa vez será o Deutsche Bank. As mudanças geram atrasos porque demandam nova documentação. O plano de recuperação judicial da OGX será entregue à Justiça no dia em que o acordo final for celebrado com seus principais credores. Após dois adiamentos, a companhia comunicou na quinta-feira que entregará o documento até 7 de fevereiro. Estimada em US$ 125 milhões, a liberação da primeira parcela do empréstimo principal ocorrerá em seguida. Os outros US$ 90 milhões só entrarão no caixa da OGX após a aprovação do plano de recuperação judicial em assembléia de credores. Só então será feita a conversão dos recursos em ações e os "bondholders" passarão a ser os novos donos da petroleira.

TORCIDA ORGANIZADA INVADIU CENTRO DE TREINAMENTO DO CORINTHIANS, AMEAÇOU LINCHAR OS JOGADORES E DEPREDOU INSTALAÇÕES

Um dos torcedores que participaram da invasão do Centro de Treinamento do Corinthians no sábado esteve seis meses preso em Oruro, na Bolívia, no ano passado, acusado de envolvimento na morte do torcedor boliviano Kevin Espada. De acordo com a Polícia Militar, Tiago Aurélio dos Santos Ferreira, liberado da prisão um junho passado, foi identificado pelos policiais. "Ele foi reconhecido por um soldado presente na operação como um dos torcedores presos na Bolívia", afirmou a tenente Ana Paula Martins. Segundo a oficial, Tiago estava exaltado, mas não demonstrou comportamento diferente dos demais manifestantes, que vestiam camisas de torcidas uniformizadas. Não é a primeira vez que os presos de Oruro se envolvem em outras confusões depois da libertação. Em agosto, jornalistas identificaram a presença de Leandro Silva de Oliveira, outro preso na Bolívia, nos conflitos entre torcedores do Vasco e Corinthians no estádio Mané Garrincha, em Brasília, em jogo pelo Campeonato Brasileiro. Após a invasão do sábado, o departamento jurídico do Corinthians registrou um Boletim de Ocorrência no 62.º DP, no bairro de Ermelino Matarazzo, na zona leste de São Paulo, citando dano ao patrimônio, furto de dois celulares de funcionários do clube, além de carros danificados. A invasão das torcidas organizadas ao CT do Corinthians foi um ato comparado a uma rebelião de presídio, segundo o consultor médico do clube, Joaquim Grava, que é quem dá nome ao centro de treinamento, construído em 2010 e que custou R$ 55 milhões. Ele disse: "Estou no Corinthians desde 1979, nunca tinha visto uma coisa dessas, foi um horror, isso não é protesto é violência. O que aconteceu foi igualzinho as cenas de rebelião de presídio. Torcedores com paus, pedras, estilete. Queriam pegar todo mundo". O início do treino estava marcado paras às 9h30. Segundo Grava, os goleiros já estavam no campo e os demais atletas se preparavam para iniciar a atividade, a última antes do jogo deste domingo, contra a Ponte Preta, quando o time foi derrotado mais uma vez. Um grupo de pelo menos cem torcedores invadiu o CT pelo portão de imprensa. Eles fizeram um buraco no alambrado e entraram no local. Como todos os sábado, havia viaturas da Polícia Militar fazendo a segurança do CT. Quando percebeu-se que o número de torcedores era grande, foi chamado o reforço.  "Era um grupo de mais de cem torcedores, tenho certeza", disse Grava. "Eles queriam bater nos jogadores, diziam que iam o matar o Romarinho, o Emerson Sheik, davam pauladas a esmo. Eu só escapei porque um torcedor me reconheceu e disse, 'pára, este é o doutor'; passei mal, sofro de arritmia desde criança, fui medicado, agora estou bem". Durante a invasão, os jogadores ficaram presos em um complexo dentro do próprio CT. Os torcedores, que saquearam funcionários do clube, tentaram invadir o hotel onde os atletas ficam concentrados.

FILHA DE MIA FARROW PUBLICA NO THE NEW YORK TIMES DETALHES DE SUPOSTO ABUSO SEXUAL DE WOODY ALLEN

Uma das filhas adotivas de Mia Farrow, que viveu com Woody Allen, publicou no sábado um longo relato no jornal The New York Times sobre como ela teria sido sistematicamente abusada sexualmente pelo diretor de cinema. Dylan Farrow diz ter decido contar os detalhes sobre a suposta rotina de crimes sexuais depois de saber que seu "pai adotivo" havia sido indicado novamente ao Oscar. "Qual é seu filme predileto de Woody Allen? Antes de responder, você deve saber: quando eu tinha sete anos, Woody Allen me levou pela mão a um quarto escuro, como um closet, no segundo andar de nossa casa. Ele mandou me deitar de bruços e brincar com o trenzinho do meu irmão. Então, abusou sexualmente de mim", escreve Dylan, hoje uma mulher casada e com filhos. As acusações de Dylan contra Woody Allen causaram estardalhaço quando vieram à tona, em 1993, mas o diretor nunca foi condenado pelos supostos crimes. Dylan Farrow nunca havia revelado ao público em detalhes a sua versão da história até a publicação de sábado no jornal americano. No texto do The New York Times, Dylan Farrow critica grandes nomes do cinema, de Scarlett Johansson a Emma Stone, que aceitaram trabalhar com um homem que seria um "predador sexual". "Você me conhecia quando eu era uma menina, Diane Keaton. Você se esqueceu de mim?" - escreveu Dylan Farrow. Ela defende que Woody Allen é um símbolo de como a sociedade americana "falha diante de sobreviventes de crimes sexuais".

ALUNOS DA UNIVERSIDADE GAMA FILHO, FECHADA PELO GOVERNO PETISTA, SÃO RECEBIDOS NO PALÁCIO DO PLANALTO

Depois de 22 dias de espera, os estudantes da Universidade Gama Filho foram recebidos no Palácio do Planalto pelo secretário executivo da Secretaria-Geral da Presidência da República, Diogo de Sant´Ana. Ou seja, foram recebidos pelo sub do sub do sub. Os estudantes fizeram um relato de todo o processo de negociação que vem sendo feito pelo Ministério da Educação desde o fechamento da Gama Filho e do Centro Universitário da Cidade (UniverCidade), no início de janeiro, e voltaram a pedir a federalização. Segundo a Secretaria-Geral da Presidência, foi acordada a formação de uma comissão composta por alunos das duas universidades, pelo MEC e pela Secretária-Geral para dar continuidade ao diálogo. Ou seja, vai ser igual ao caso da Varig. Formar comissão é o primeiro passo para não resolver absolutamente nada e jogar tudo para o futuro, sem solução. Participaram do encontro a secretária nacional de Juventude, Severine Macedo, a secretária adjunta, Ângela Guimarães, e a diretora da Supervisão da Educação Superior do MEC, Marta Abramo. Resumindo: teatrinho inútil. A estudante de Medicina e diretora de relações externas do Diretório Central dos Estudantes da instituição, Ana Flávia Hissa, disse que os estudantes pediram a federalização. "Não estamos satisfeitos com a transferência assistida. Acreditamos que o MEC não tem instrumentos efetivos de regulação para garantir a qualidade das instituições que vão receber os alunos. Antes de ser descredenciada, a própria Gama Filho estaria apta a receber estudantes transferidos. Não tem o que assegure a qualidade", diz. Segundo Ana Flávia, a comitiva de 30 estudantes da Gama Filho e da União Nacional dos Estudantes (UNE) que está em Brasília vai continuar buscando apoio dos parlamentares na Câmara e no Senado.

PETISTA JOSÉ EDUARDO CARDOZO SE DISPÕE A AJUDAR GOVERNO DE BRASÍLIA A CONTER A VIOLÊNCIA NA CAPITAL FEDERAL

O ministro da Justiça, o "porquinho" petista José Eduardo Cardozo, disse na sexta-feira que o governo está à disposição para conter a violência crescente no Distrito Federal. “Nós temos dialogado muito com o governo do Distrito Federal e se nos for feita uma solicitação de auxílio, dentro das nossas possibilidades, ela está, obviamente, deferida”. O governo do Distrito Federal é do PT. Dados da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal informam que, do dia 1º de janeiro até a manhã de quinta-feira, foram anotados 68 homicídios, 19 a mais do que em janeiro do ano passado. Na média, são mais de duas mortes violentas por dia. Houve um aumento de 38,7% de homicídios no mês de janeiro, em comparação com o mesmo mês de 2013. Além disso, policiais militares do Distrito Federal iniciaram, em outubro de 2013, uma operação para pressionar o governo a dar reajuste salarial, reestruturação da carreira e pagamento de benefícios a policiais militares em atividade e reformados. O movimento, chamado “Operação Tartaruga”, consiste em diminuir a resposta a situações de crime e violência.

BELTRAME ANUNCIA NOME DO NOVO CHEFE DE POLÍCIA DO RIO DE JANEIRO

O nome do novo chefe de Polícia Civil do Rio foi anunciado na sexta-feira pelo secretário estadual de Segurança, José Mariano Beltrame. O substituto da delegada Marta Rocha será o delegado Fernando Veloso. Ele ocupava o cargo de subchefe operacional da instituição. Em nota, Beltrame desejou sucesso ao delegado. A chefia de Polícia é um dos cargos-chave da política de segurança do Estado, responsável por toda área de investigação criminal. Marta Rocha deixou o cargo para poder disputar um mandato eletivo nas próximas eleições. O nome mais cotado para substitui-la no cargo era o do delegado Claudio Ferraz, que desistiu da indicação após o Ministério Público Federal ter encaminhado ofícios à Corregedoria da Polícia Civil, à Receita Federal, ao Ministério Público Estadual e à Corregedoria Unificada com pedido de informações sobre sua evolução patrimonial.

GOVERNO DO PEREMPTÓRIO PETISTA "GRILO FALANTE" TARSO GENRO DIZ QUE NÃO PEDIRÁ ATUAÇÃO DA FORÇA NACIONAL EM PORTO ALEGRE POR CAUSA DA GREVE GERAL DE ÔNIBUS

Em nota divulgada na sexta-feira, o governador do Rio Grande do Sul, o peremptório petista "grilo falante" Tarso Genro (pai de Luciana Genro, chefe do PSOL gaúcho que mantém a selvagem greve dos motoristas de ônibus), afastou a possibilidade de pedir a presença de tropas da Força Nacional de Segurança Pública em Porto Alegre, após os ataques a ônibus ocorridos na cidade. A manifestação do governo estadual se deu após o prefeito da capital, José Fortunati (PDT), considerar pedir a ajuda do Ministério da Justiça para conter as depredações. Os rodoviários de Porto Alegre estão em greve desde a última segunda-feira e não atenderam à determinação judicial que prevê 70% da frota nas ruas. Alguns rodoviários, no entanto, decidiram continuar trabalhando e, na última quarta-feira, 22 ônibus foram depredados. A prefeitura, porém, já pediu apoio à Brigada Militar para garantir a segurança dos que querem continuar trabalhando, o que também foi negado pelo governador petista. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores de Transportes Rodoviários de Porto Alegre, as principais reivindicações da categoria são passe livre nos ônibus durante a greve geral, redução da carga horária para seis horas diárias, aumento do vale-refeição para R$ 20,00, reajuste salarial de 14%, e fim do banco de horas. O Sindicato das Empresas de Ônibus de Porto Alegre quer o cumprimento de um acordo assinado por representantes dos rodoviários e diz não iniciar as conversas antes disso.

DELEGACIA DO ALEMÃO, NO RIO DE JANEIRO, É ATACADA PELA SEGUNDA VEZ

Dois coquetéis molotov foram lançados na tarde de sexta-feira contra o pátio da 45ª Delegacia de Polícia do Complexo do Alemão. Dois veículos particulares foram atingidos na ação e pegaram fogo. Os bombeiros foram acionados para controlar o incêndio.  Os carros destruídos pertenciam a um policial civil de serviço na delegacia e a um policial militar que trabalha na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Alemão. No final da noite da última terça-feira, criminosos atacaram as bases das UPPs das comunidades Nova Brasília, Fazendinha e Alemão, além de jogarem uma granada contra a frente do prédio da delegacia do Complexo do Alemão, inaugurada no prédio do Teleférico do Alemão, no dia 27 de dezembro passado. Os ataques deixaram tensos os moradores da região, pois ocorreram simultâneamente em várias frentes. De acordo com a polícia, a ação foi orquestrada pelo tráfico de drogas. Política de pacificação de morros no Rio de Janeiro é isso aí, a polícia não prende ninguém, não tira arma de nenhum bandido.... então, chega o momento em que eles querem de volta o controle da favela.

BOVESPA PERDE 7,51% EM JANEIRO E DÓLAR VALORIZA 2,3%

O Ibovepa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (BM&FBovespa), encerrou o último pregão de janeiro com recuperação de 0,84%, aos 47.638 pontos. As perdas ao longo do mês acumularam desvalorização de 7,51% no mercado de ações, quase metade da desvalorização de 15,5% em todo o ano de 2013, de acordo com a consultoria Economática. Foi, portanto, o pior desempenho da Bovespa em meses de janeiro, desde a queda de 10,77% no primeiro mês de 1995. Em contrapartida, o dólar teve desempenho estável no pregão de sexta-feira, com queda de 0,12%, e a moeda norte-americana terminou o dia cotada a R$ 2,412 para venda, depois da atuação do Banco Central, que colocou mais um lote de 4 mil contratos de swap cambial tradicional no valor de US$ 197,6 milhões. Ao longo do mês, contudo, o dólar acumulou valorização de 2,3%.

LEWANDOWSKI APRESENTA PROPOSTA QUE PODE REDUZIR SUPERLOTAÇÃO DE PRESÍDIOS NO BRASIL

O presidente em exercício do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, entregou na sexta-feira ao ministro da Justiça, o "porquinho" petista José Eduardo Cardozo, proposta para tentar reduzir o número de presos provisórios em presídios. A proposta de alteração legislativa apresentada por Lewandowski prevê que os juízes tenham de se manifestar sobre a possibilidade de aplicação de medidas cautelares alternativas antes de decretar prisões preventivas ou em flagrante. Para Lewandowski, as medidas sugeridas poderão contribuir para a redução da superlotação nos presídios brasileiros, que estão com número excessivo de presos provisórios. São presos que ainda não passaram por julgamento, mas acabam ficando detidos, mesmo sem condenação que justifique a privação de liberdade por mais tempo do que o previsto em lei. De acordo com Lewandowski, a proposta de alteração legislativa deixará a lei em harmonia com a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal, que determina que a prisão sem condenação deverá ser bem fundamentada e decretada somente em casos excepcionais de extrema necessidade.

BRASIL REGISTRA 133 MILHÕES DE ACESSOS À INTERNET POR BANDA LARGA EM 2013

Levantamento da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil) registrou 133,7 milhões de acessos à internet em banda larga, em 2013, o que equivale a crescimento de 55% no ano. Aumento impulsionado, principalmente, pela banda larga móvel das redes 3G e 4G, responsáveis por 111,4 milhões de conexões. A Telebrasil informa que a banda larga tem apresentado evolução significativa no Brasil, com expansão de mais de seis vezes nos últimos cinco anos, tendo passado de 22 milhões para 133,7 milhões de acessos à internet rápida. Só no ano passado foram ativados 47,7 milhões de novos acessos, com ritmo de ativação de 1,5 nova conexão por segundo. De acordo com a Telebrasil, a banda larga móvel, pelas redes de 3G e 4G, cresceu 69% em 2013, comparado a 2012. Das 111,4 milhões de conexões, 96,1 milhões partiram de telefones celulares, incluindo os smartphones, e 15,3 milhões foram por meio de terminais de dados, entre os quais modems de acesso à internet e chips de conexão máquina-máquina (M2M). A expansão também se deu na cobertura das redes de banda larga móvel, que cresceu 6%, com a ativação de 191 novos municípios em 2013. Ao todo, as redes de terceira geração estão instaladas em 3.476 municípios, onde moram 90% dos brasileiros. Esse total de municípios supera em mais de três vezes as obrigações de cobertura, que previam a conexão de 928 municípios até abril de 2013. A nova tecnologia de quarta geração, que permite velocidade de conexão à internet até dez vezes mais rápida que a 3G, tem 1,3 milhão de acessos, e chega a 80 cidades, que concentram 32% da população brasileira. A adoção do 4G no Brasil segue o mesmo ritmo de adoção do 3G, que também levou dez meses desde o início da comercialização para alcançar 1,3 milhão de acessos. Na banda larga fixa, os acessos somaram 22,3 milhões no fim de 2013. Desse total, 2,2 milhões de conexões foram ativadas nos últimos doze meses, com crescimento de 11% no período. A quantidade de acessos em banda larga fixa significa que 39% dos domicílios brasileiros urbanos têm internet de alta velocidade.

JUIZ BARRA "ROLEZINHO" PARA EVITAR "NOVA BOATE KISS"

O desembargador Rômulo Russo, da 11ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, vetou nesta sexta-feira “rolezinhos” convocados para este fim de semana nos shoppings Aricanduva, na Zona Leste da capital paulista, e Mauá Plaza, na Grande São Paulo. O desembargador argumentou que é preciso evitar uma tragédia anunciada, nas palavras dele: “uma nova boate Kiss”. Em janeiro do ano passado, 242 pessoas morreram no incêndio na casa noturna gaúcha. “Vedar a realização de "rolezinho" em shoppings centers, local nitidamente inadequado para encontro de multidão, a bem da paz social e de que prevaleça a cautela em face de possível tragédia anunciada", escreveu na decisão. O juiz entendeu que os shoppings têm “poucas as saídas de emergência” e que “normalmente não há rotas de fuga”. E afirmou que os organizadores não comunicaram às autoridades sobre o evento – a comunicação prévia é requisito legal para uma reunião em espaço aberto ao público. Russo anotou que a Justiça entende como ato de molestar comportamentos como ouvir músicas em alto volume e atos de vandalismo:  “É fundamental salvaguardar a vida, a integridade física, a paz pública e o patrimônio material, moral e intelectual de todos, sobretudo, porque o que a sociedade constata até agora é que tais movimentos crescem como uma onda e acabam tendo a adesão de vândalos".  O juiz concedeu uma liminar em recurso apresentado pela Associação Brasileira de Lojistas (Alshop).

FIFA SE NEGA DAR DADOS DE NEYMAR PARA A JUSTIÇA ESPANHOLA

Citando a exigência de guardar sigilo em relação aos contratos internacionais, a Fifa se recusa a entregar à Justiça espanhola os dados sobre o valor da transferência de Neymar do Santos para o Barcelona. Para que isso ocorra, a Fifa exigiria que a Interpol faça o pedido. A Audiência Nacional na Espanha investiga o caso e exigiu que o Barcelona entregasse toda a documentação sobre o assunto. Mas a Justiça também tentou verificar se os contratos eram reais, comparando com os valores que foram comunicados pelo Barcelona à Fifa. Há três anos, a entidade criou um sistema que exige que clubes informem à Fifa o valor de uma transação, quem recebeu e em que conta. A meta é garantir que o futebol não seja usado como instrumento de lavagem de dinheiro e que se saiba quem é o proprietário de um jogador. A Fifa, portanto, confirma que recebeu o contrato de Neymar, de agosto de 2013. Mas alega que não tem o direito de entregá-lo à Justiça espanhola. Isso ocorreria apenas se a Justiça na Espanha fizesse um pedido oficial de cooperação à Justiça da Suíça que, por sua vez, faria a solicitação para a Fifa. Outro caminho seria o envolvimento da Interpol. "Somente podemos dar informações de um contrato confidencial se formos notificados oficialmente por canais jurídicos internacionais", disse a Fifa em comunicado.

POLICIAIS MILITARES INSUBORDINADOS E GOVERNO PETISTA OMISSO FAZEM VIOLÊNCIA CRESCER EM BRASÍLIA

A capital federal do País está com medo. Enquanto policiais militares fazem corpo mole no combate à criminalidade e o governo se demonstra incapaz de reagir adequadamente ao problema, a violência cresce dentro e fora do Plano Piloto: o número de homicídios cresceu 40% em janeiro na comparação com o mesmo mês do ano passado. Foram 75 mortes. Na noite de quarta-feira, um rapaz de 29 anos foi morto durante um assalto quando chegava ao prédio onde morava em Águas Claras, bairro de classe média. A audácia dos criminosos, que atiraram no pescoço do jovem quando ele tentou correr, aumentou a sensação de insegurança na população. Parte do problema se explica pela postura dos policiais militares: desde dezembro, vem crescendo o número de adesões à chamada Operação Tartaruga. Como não podem simplesmente cruzar os braços, os militares atrasam o atendimento a ocorrências e se recusam a intervir em alguns casos. As alas mais radicais chegam a comemorar o aumento da criminalidade como forma de colocar o governo contra a parede. Os policiais militares da capital federal têm à disposição uma estrutura bem melhor do que a média nacional e recebem o maior salário do País: a partir de março, o valor inicial para soldados após o curso de formação será de 4.700 reais. Mas os PMs se queixam porque, comparados com o que recebem os policiais civis e os agentes do Detran no Distrito Federal, os vencimentos dos militares é significativamente inferior. Além disso, os policiais militares afirmam que o governador Agnelo Queiroz (PT) não cumpriu promessas feitas durante a campanha eleitoral, como a reestruturação do plano de carreira e o aumento salarial igual ao reajuste anual do Fundo Constitucional, que o governo do Distrito Federal recebe como uma espécie de compensação por abrigar a capital do País.

DÓLAR FECHA QUARTO MÊS CONSECUTIVO EM ALTA DIANTE DO REAL

O dólar fechou com leve queda ante o real na sexta-feira, encerrando janeiro com valorização pelo quarto mês consecutivo com o ambiente de maior aversão ao risco sobre mercados emergentes. A moeda norte-americana recuou 0,10%, a 2,4124 reais na venda, encerrando janeiro em alta de 2,33%. No acumulado em quatro meses, a valorização foi de 8,85%. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em 1,2 bilhão de dólares no dia. Segundo analistas, no entanto, já não há tanto espaço para o dólar continuar subindo em relação ao real no curto prazo, o que diminui a expectativa de que o Banco Central brasileiro intensifique suas intervenções no câmbio. "Já dá para perceber que o dólar não está numa escalada contra o real. Podemos ver volatilidade, mas não espero muito mais alta", afirmou o economista-chefe do banco J. Safra e ex-secretário do Tesouro, Carlos Kawall. Ativos de países em desenvolvimento vêm sendo fortemente pressionados desde a semana passada em meio ao mau humor mundial com mercados emergentes, levando o dólar a encostar em 2,45 reais ao longo do pregão. Neste período, o avanço da divisa norte-americana contra o real não foi tão intenso quanto em outros mercados, mas a moeda já havia subido bastante nos meses anteriores. Só em janeiro, o dólar subiu cerca de 5% sobre a lira turca e o rand sul-africano.

BANDIDO PETISTA MENSALEIRO DELÚBIO SOARES ARRECADA MAIS DE R$ 1 MILHÃO, PAGA MULTA E REPASSA EXCEDENTE PARA JOSÉ DIRCEU

O ex-tesoureiro do PT, o bandido mensaleiro Delúbio Soares, pagou na sexta-feira a multa imposta pelo Supremo Tribunal Federal como parte de sua condenação no processo do Mensalão. Segundo o coordenador jurídico do partido, Marco Aurélio Carvalho, a compensação do pagamento deverá ser feita nos próximos dias, assim como o anexo ao processo do comprovante da guia de recolhimento da União. Como o depósito foi feito na sexta-feira, a Vara de Execuções Penais do Distrito Federal ainda não confirmou o recebimento do dinheiro. Multado em R$ 466,8 mil, Delúbio Soares conseguiu arrecadar mais de R$ 1 milhão em campanha promovida por companheiros de partido pela internet. Agora, o excedente será usado para ajudar o ex-ministro José Dirceu a pagar a multa de R$ 960 mil estipulada pelo Supremo. O PT está fazendo uma simulação de doações dos amigos e filiados a favor dos bandidos mensaleiros, e só a Justiça não vê isso, o que é ilegal.

CVM ABRE QUARTO PROCESSO CONTRA EIKE BATISTA

O empresário Eike Batista é alvo de um novo processo administrativo sancionador na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Dessa vez a autarquia apura se ele foi responsável, enquanto controlador da MPX (atual Eneva), por descumprir o artigo 6º da Instrução 358/02. O dispositivo trata de exceção à regra da imediata divulgação de fato relevante, que se dá quando os administradores entenderem que sua revelação colocará em risco interesse legítimo da companhia. Determina, entretanto, a obrigação de fazê-lo quando a informação escapar ao controle ou se ocorrer oscilação atípica na cotação, preço ou quantidade negociada dos papéis da empresa. Eike Batista tinha até o último dia 17 para apresentar sua defesa e encaminhou no dia 30 um pedido de termo de compromisso para extinguir o processo sem julgamento. Este é o quarto processo sancionador aberto pela CVM contra o empresário desde o ano passado, quando as empresas do grupo EBX mergulharam numa forte crise de confiança. Há ainda casos que apuram infrações na OGX, CCX e LLX.

ESTATAIS FEDERAIS DEIXARAM DE INVESTIR R$ 10 BILHÕES EM 2013

As estatais federais executaram 92,1% dos investimentos previstos para 2013. No ano passado, porém, as empresas do governo deixaram de aplicar quase 10 bilhões de reais em obras e projetos no País, mostra relatório do Ministério do Planejamento que traz a execução do Orçamento de Investimento das estatais no decorrer de 2013. O documento cita que a dotação de 2013 para essas empresas somou 123 bilhões de reais, dos quais aproximadamente 113 bilhões de reais foram executados. O relatório divulga o desempenho de 74 estatais, 67 do setor produtivo e 7 do setor financeiro. A Petrobras foi uma das que apresentaram uma melhor execução dos investimentos no ano passado, com aplicação de 97,6% do total dos recursos. Foram desembolsados pela petrolífera 72,6 bilhões de reais de um total de 74 bilhões de reais para o ano. O Grupo Eletrobras investiu 7 bilhões reais, o que equivale a 82,7% do orçamento de 8,7 bilhões reais. A Telebrás gastou 286 milhões reais, ou seja, 56,8% do total de 503 milhões de reais. A Infraero executou 80,8% de seu orçamento, aplicando 1,6 bilhão de reais e deixando de investir 4 bilhões de reais. No setor financeiro, a Caixa Econômica Federal aplicou 1,7 bilhão de reais, representando 74,9% do total de 2,3 bilhões reais. O Banco do Brasil investiu apenas metade do previsto para o ano - 1,5 bilhão de reais do valor global de 3 bilhões de reais. O BNDES executou 46,9% de seu orçamento de 35 milhões de reais para o ano, um gasto de 16,5 milhões de reaus. O documento ainda revela que a maior parte dos investimentos das estatais em 2013 foi destinada à Região Sudeste (29,9%), seguida pelo Nordeste (15,5%), Sul (2,9%), Norte (2,3%) e Centro-Oeste (0,3%). Outros investimentos foram feitos nas regiões caracterizadas como 'nacional' (39%) e 'exterior' (10%).

FELIPE MASSA FOI O PILOTO MAIS RÁPIDO NOS TESTES DE FÓRMULA 1 NO CIRCUITO DE JEREZ

O brasileiro Felipe Massa encerrou os primeiros testes de pré-temporada da Fórmula 1 em Jerez de la Frontera na liderança. Na sexta-feira, quarto e último dia de atividades no circuito espanhol, Massa, da Williams, foi o mais rápido com o tempo de 1min28s521, seguido pelos espanhóis Fernando Alonso, da Ferrari, com 1min29s145, e Daniel Juncadella, piloto reserva da Force India, com 1min29s457. Um dos destaques do dia foi o desempenho da Mercedes, que, pela manhã, realizou uma simulação de prova, completando 49 voltas com o alemão Nico Rosberg. À tarde, Lewis Hamilton assumiu o volante do carro e fechou o dia na quinta colocação, com 1min30s822. A Red Bull, atual tetracampeã do Mundial de Construtores, novamente passou por problemas mecânicos e não participou dos treinos da tarde. Pela manhã, Daniel Ricciardo completou apenas sete voltas a bordo de seu RB10 e ficou em último. As equipes voltam a participar da segunda sessão de testes entre os dias 19 e 22 de fevereiro, no Bahrein, no circuito de Sakhir.

PRODUÇÃO DE PETRÓLEO DA PETROBRAS CAIU 2,5% EM 2013

A produção de petróleo da Petrobras em território brasileiro alcançou 1,931 milhão de barris por dia em 2013, informou a estatal na sexta-feira. O volume, que ficou abaixo da meta traçada para o período, é 2,5% inferior aos números alcançados em 2012. A expectativa da estatal era produzir no ano passado volume semelhante aos 2,022 milhões de barris diários produzidos em 2011. A meta traçada pela diretoria da empresa indicava que o número poderia ficar até 2% menor. O dado divulgado na sexta-feira, no entanto, é 4,47% inferior ao volume produzido em 2011. No ano passado, a Petrobras também havia descumprido a meta, ao produzir 2,06% abaixo do "centro da meta". Quando considerada a produção total da Petrobras no Brasil, incluindo o gás natural, a estatal alcançou a marca de 2,321 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boe/d), uma retração de 1,5% sobre 2012. Já a produção de petróleo no Brasil, incluída a parte operada pela Petrobras para seus parceiros, totalizou 1,992 milhão de barris por dia. De acordo com documento publicado pela estatal, a retração dos números em 2013 é explicada por uma combinação de fatores: o atraso na entrada em operação do campo de Papa-Terra, na Bacia de Campos; o atraso na chegada ao Brasil e dificuldades de instalação de equipamentos denominados BSRs - Boias de Sustentação de Risers, que permitiriam a interligação de novos poços nos campos de Sapinhoá e Lula NE, na Bacia de Santos; e o atraso no início da produção das plataformas P-55 e P-58, no campo de Roncador e no Parque das Baleias, entre outros fatores. O balanço de 2013 também mostra que a produção de gás natural, sem liquefeito, alcançou 61,922 milhões de metros cúbicos diários, uma expansão de 3,8% em relação a 2008. Quando considerado também o volume operado pela Petrobras para os seus parceiros, o número sobe para 68,798 milhões de metros cúbicos diários. Já a produção total da Petrobras, incluindo petróleo e gás no Brasil e no Exterior, totalizou 2,540 milhões de boe/d em 2013, uma queda de 2,2% em relação ao ano anterior. Desse total, 219,5 mil boe/d foram produzidos dos campos da empresa no Exterior e 2,321 milhões de boe/d no Brasil.

DÍVIDA PÚBLICA FECHA 2013 EM 33,8% DO PIB

A dívida líquida do setor público (governo central, Estados, municípios e empresas estatais) manteve-se em 33,8% do PIB em dezembro de 2013, a 1,626 trilhão de reais, praticamente a mesma de novembro e abaixo da registrada em dezembro de 2012 (35,3% do PIB; 1,550 bilhão de reais). Os dados foram divulgados pelo Banco Central na sexta-feira. O setor público consolidado gastou 24,013 bilhões de reais com pagamento de juros em dezembro e 248,856 bilhões de reais no acumulado de 2013, equivalente a 5,18% do PIB. Houve queda em relação ao gasto de 29,9120 bilhões de reais registrado em novembro e alta ante o de dezembro de 2012 (19,102 bilhões de reais). No acumulado de 2012, o pagamento de juros foi de 213,863 bilhões de reais, ou 4,87% do PIB. O governo central teve um gasto com juros de 19,445 bilhões de reais no mês passado e de 185,846 bilhões de reais em 2013. Já os governos regionais (Estados e municípios) registraram uma despesa de 4,304 bilhões de reais no mês e 60,314 bilhões no ano. As empresas estatais tiveram gastos de 264 milhões em dezembro e 2,696 bilhões em todo o ano. Diante disso, o déficit nominal do setor público consolidado foi de 13,605 bilhões de reais em dezembro e de 157,550 bilhões de reais no acumulado de 2013 - 3,28% do PIB ante 2,48% em 2012. Em novembro, ficou em 175 milhões de reais e, em dezembro de 2012, o resultado foi positivo em 3,150 bilhões de reais. Já no acumulado de 2012, o déficit nominal ficou em 108,912 bilhões de reais. Na sexta-feira, o Banco Central também divulgou um resultado fiscal abaixo da meta. O setor público consolidado apresentou superávit primário de 91,306 bilhões de reais em 2013, o menor desde 2009. Em relação ao PIB, a economia para pagamento de juros ficou em 1,90%, o menor patamar da série histórica de 12 anos. Em 2012, houve superávit de 104,951 bilhões de reais (2,39% do PIB). O governo central conseguiu cumprir sua meta (73 bilhões) ao poupar 75,291 bilhões de reais no ano, mas os Estados e municípios contribuíram com apenas 16,337 bilhões de reais, ante quase 48 bilhões esperados.

MARINHA CONFIRMA VAZAMENTO E ACIDENTE EM CALDEIRA NO PORTA-AVIÕES SÃO PAULO

A Marinha do Brasil confirmou na sexta-feira que o porta-aviões São Paulo apresentou dois acidentes quando fazia testes em seu sistema de propulsão na Baía de Guanabara. O primeiro problema ocorreu na quinta-feira, com derramamento de óleo para o mar. O outro foi quarta-feira, quando houve um vazamento de vapor que atingiu três tripulantes. A Força minizou as consequências dos dois casos. Desde que foi incorporado à Marinha brasileira, em 2000, o porta-aviões tem sofrido vários acidentes, com pelo menos quatro marinheiros mortos. No mais recente, ocorrido em 22 de fevereiro de 2012, um militar morreu em incêndio e três ficaram feridos. Outro acidente, ainda mais grave, matou três marinheiros em 17 de maio de 2005, após o rompimento de uma tubulação de vapor. Segundo a nota, o vazamento de óleo de quinta-feira teve pequena proporção e foi logo contido após acionamento de plano de contingência, tendo a própria Marinha recolhido o resíduo despejado, evitando a poluição do mar. No outro caso, os marinheiros, de acordo com as informações divulgadas, não teriam sofrido maiores consequências pelo vazamento de vapor e já foram liberados, após atendimento médico, sem apresentarem ferimentos. Esse porta-aviões, empurrado pela França ao Brasil, é um autêntico lixo, que já deveria ter sido vendido como sucata.

FILHOS DE CACIQUE MORTO ESTÃO ENTRE OS ÍNDIOS PRESOS NO AMAZONAS

Dois filhos do cacique Ivan Tenharim, Gilson e Ivan, estão entre os índios presos na ação deflagrada na quinta-feira pela Polícia Federal nas aldeias Marmelo, Taboca e Campinho, localizadas a cerca de 150 quilômetros do município de Humaitá, no sul do Amazonas. O líder indígena foi encontrado morto na BR-230, a Rodovia Transamazônica, no dia 3 de dezembro do ano passado. A morte do cacique e um texto publicado no dia 6 de dezembro pelo então coordenador regional da Fundação Nacional do Índio (Funai), Ivã Bocchini, que manifestava suspeita de que o indígena poderia ter sido assassinado, e não vítima de acidente de moto, desencadearam a tensão entre índios e brancos. De acordo com nota da Polícia Federal em Rondônia, os índios tiveram prisão temporária expedida pela Justiça Federal do Estado do Amazonas em razão de possível envolvimento na morte do representante comercial Luciano Ferreira Freire, do professor Stef Pinheiro e do funcionário da Eletrobras Aldeney Ribeiro Salvador. Os três estão desaparecidos desde o dia 16 de dezembro, quando passavam pela BR-230, no trecho que corta a área indígena. A Polícia Federal ainda prossegue nas investigações. Segundo a Polícia Federal, até o momento, foram percorridos cerca de 270 hectares e encontradas, no interior da terra indígena, peças do veículo ocupado pelos desaparecidos. Em nota, a Polícia Federal informou que, nas investigações, foram ouvidas diversas testemunhas, entre indígenas e não indígenas, e feita perícia técnica nas peças encontradas. Cães farejadores e equipamentos modernos de rastreamento estão sendo usados no local na tentativa de localização de cadáveres e peças metálicas. Revoltados, no dia 25 de dezembro, moradores de Humaitá atearam fogo em 11 carros e na sede da Funai na cidade. Também foram queimados vários pontos de cobrança de pedágio usados pelos índios ao longo da Transamazônica. Desde então, os Tenharim estavam praticamente isolados na aldeia.

ANP BAIXA NORMAS QUE FACILITAM ACESSO DE INSPETORES ÀS REFINARIAS

As refinarias de petróleo País estarão obrigadas a partir de agora a operar sistema próprio de gestão que atenda às práticas do Sistema de Gerenciamento de Segurança Operacional (SGSO), a regulamentação de segurança aprovada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), publicada na quinta-feira no Diário Oficial da União. Pela nova norma, as refinarias ficam obrigadas a prover livre acesso às instalações de processamento de petróleo, na sua totalidade ou parcialmente, a inspetores, fiscais e auditores da ANP. O regulamento estabelece direito à ANP de ter acesso irrestrito e imediato à refinaria de petróleo, para fins de levantamento de dados e informações e apuração de responsabilidades sobre incidentes operacionais ocorridos nas instalações.

MILITANTES RASGAM SUAS CARTEIRINHAS DO PT PARA PERMANECEREM COM AS CCs NO GOVERNO DO RIO DE JANEIRO

A saída dos petistas do governo do Rio de Janeiro, depois do rompimento da aliança com o PMDB, não será tão grande quando imaginava a cúpula do PT-RJ. Na sexta-feira, enquanto muitos servidores assinavam pedidos de exoneração dos cargos comissionados, nas secretarias onde estão lotados, outros militantes foram à sede do partido solicitar desfiliação do PT, para continuarem empregados no governo. A rebelião à ordem de demissão generalizada aconteceu principalmente na Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos, que tem 377 cargos comissionados, pelo menos metade ocupada por petistas. Um dos filiados que optaram pela saída do partido disse que trabalha com movimentos sociais e considera absurda a ameaça do presidente do PT-RJ, Washington Quaquá, de submeter a processo de expulsão os militantes que não pedissem demissão até sexta-feira. Apesar da militância de mais de 20 anos no PT, afirmou que prefere manter o emprego no Estado, mesmo sem garantia de quanto tempo ficará no cargo, e considerou "uma contradição" que os petistas tenham que abandonar projetos que eles próprios colocaram em prática na SASDH. Quaquá deixou claro que não vai ceder. "A porta da rua é a serventia da casa", reagiu. "Quem tem apego a cargo e quiser ficar no governo pode e deve sair do partido. Há um nítido processo de reconstrução do PT no Rio de Janeioro e os fisiológicos podem sair. Tem gente que se acostumou com o emprego, então, deixe o partido", afirmou o presidente petista.

O BRASIL DA PETISTA DILMA ROUSSEFF: BOLSA FAMÍLIA SOBE, BOLSA DE VALORES DESPENCA 7,5%, NO PIOR MÊS DE JANEIRO DESDE 1995

Com a maior queda da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) para meses de janeiro em quase duas décadas, desde 1995, os fundos de investimentos em ações foram as piores aplicações financeiras deste início de ano. Os fundos Ibovespa Ativo - que buscam superar o comportamento do Ibovespa, índice de referência do mercado de ações brasileiro - tiveram perdas de 6,44% em janeiro até último dia 28, segundo dados da Associação Brasileira dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). Os fundos Ações Livre - categoria que não segue um benchmark específico - tiveram perdas de 5,87% no mesmo período. Segundo Fábio Gallo Garcia, professor da Fundação Getulio Vargas (FGV) de São Paulo, as perdas estão ligadas ao mau comportamento das principais ações da Bolsa, como siderúrgicas, petroleiras, bancos. Ele explica que indicadores ruins sobre o ritmo de crescimento da economia da China e o corte de estímulos do Federal Reserve americano para US$ 65 bilhões mensais explicam uma parcelas dos prejuízos. "Foi um janeiro com cara de 2013. E o cenário externo negativo se somou ao cenário macroeconômico brasileiro, que não tem sido bom: crescimento baixo, inflação alta. Não há notícias boas para as ações subirem. E, assim, estamos vendo o Ibovespa patinar nos 50 mil pontos sem força para se recuperar", disse Garcia. O Ibovespa fechou janeiro em queda de 7,51%, superado apenas por janeiro de 1995 (-10,76%) no Plano Real. Foi um dos piores resultados entre os 94 principais índices de ações do mundo, superado apenas por emergentes como Rússia (9,82%), Turquia (8,77%), Colômbia (8,57%), e Chile (7,73%). A Bolsa de Tóquio também perdeu mais no mês, 8,75%, mas subira 56,72% no ano passado. - Outros emergentes também caíram bastante. Mas chama atenção que janeiro é o mês que os grandes fundos de investimento refazem as alocações de suas carteiras para o ano. Parece que não fomos favorecidos desta vez, como alguns outros emergentes - explica José Costa Gonçalves, diretor da Máxima Corretora. Os trabalhadores que destinaram recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para ações da Petrobras e Vale não escaparam das perdas. Esses fundos encolheram 12,36% e 11,17%, respectivamente, segundo as estatísticas da Anbima. Os papéis da Petrobras estão nas mínimas desde 2008, com preocupações sobre o impacto do aumento do dólar na defasagem de preços da gasolina e diesel. Já a Vale sofre com os dados negativos da China, seu maior cliente. Os investidores de fundos cambiais - que aplicam em diferentes moedas, principalmente o dólar americano - tiveram a melhor aplicação financeira do mês. Esses fundos renderam 2,73% até o último dia 28, segundo dados da Anbima. No mês, o dólar comercial subiu 2,30%, de volta ao patamar de R$ 2,40.

APÓS QUATRO DIAS DE FILIAÇÃO AO PCdoB, ORGANIZADOR DE "ROLEZINHOS" PEDE PARA SE DESFILIAR DA UNIÃO DA JUVENTUDE SOCIALISTA

Após se filiar, na última segunda-feira, à União da Juventude Socialista (UJS), entidade ligada ao PCdoB - partido da vice-prefeita de São Paulo, Nádia Campeão -, um dos líderes e organizadores dos eventos chamados “rolezinhos”, Vinicius Andrade, afirmou na sexta-feira que pediu para deixar o grupo. De acordo com Vinicius, sua filiação à UJS foi um “mal entendido”. “Eles disseram que iriam nos ajudar a falar com a prefeitura, a promover eventos, a resolver. Não sabia que tem a ver com partido. Não quero nada com partido, não tenho nada a ver com isso”, disse o jovem. De acordo com nota publicada pela UJS, Vinicius afirmou, no momento de sua filiação, que a entidade o fez enxergar a necessidade de construir uma nova sociedade, onde as demandas da juventude da periferia sejam atendidas. “Não queremos briga, arrastão e violência. Queremos apenas nos encontrar, nos divertir, beijar na boca e ocupar todos os espaços sem sofrer preconceito por parte da elite ou violência por parte da polícia. Não iremos desistir e, com o apoio da UJS, vamos até o fim”, teria dito ele, de acordo com a UJS. A UJS é ligada ao PCdoB, que também comanda a União Nacional dos Estudantes (UNE). Além de ser o partido da vice-prefeita da capital, a sigla possui também a secretaria de Igualdade Racial, comandada por Netinho de Paula, na administração paulistana. Durante sua participação no 17º Congresso da UJS, na quarta-feira, o presidente nacional do PCdoB, Renato Rabelo, elogiou a filiação dos líderes do movimento à entidade. “Foi muito acertado isso que vocês fizeram, chamaram aqueles meninos do rolezinho pra conversar e entender a necessidade deles, parabéns!”, disse o dirigente do partido: “São pessoas que não tinham condições, hoje têm posses, têm como consumir e a cidade não está nem aí pra elas, só resta o shopping".  Com quase 100 mil seguidores em seu perfil no Facebook, Vinicius afirmou que entrou em contato com membros da UJS para pedir sua desfiliação da entidade e criticou a abordagem feita a representantes do movimento: “Não avisaram que eram de partido, não explicaram. Não ficou claro isso".

FIFA DIVULGA LISTA OFICIAL DOS CENTROS DE TREINAMENTO DAS SELEÇÕES NA COPA DO MUNDO

O Comitê Organizador Local da Copa divulgou na sexta-feira a lista final dos Centros de Treinamento de Seleções escolhidos pelas 32 seleções. Cada uma delas teve à sua disposição 83 CTS para escolher onde ficar durante o torneio. Apenas a Alemanha decidiu construir um espaço próprio. Nessa escolha pesaram a distância que as equipes terão de percorrer na primeira fase do Mundial, a estrutura local e até contatos políticos com prefeituras. Pelas regras da Fifa, cada delegação é obrigada a chegar ao CTS até o dia 7 de junho e usar o local como base principal até o "mata-mata". Entre os centros escolhidos, 24 estão situados na região Sudeste, cinco na região Nordeste e três na região Sul do País. As cidades de Campinas, Itu, Rio de Janeiro e Vitória receberão duas seleções cada. Entre as cidades-sede, apenas Belo Horizonte, Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo receberão seleções. O Estado que mais receberá seleções é São Paulo, escolhido por 15 seleções. Veja a lista completa dos CTS: Alemanha - Santa Cruz Cabrália (BA); Argélia - Sorocaba (SP); Argentina - Vespasiano (MG); Austrália - Vitória (ES); Bélgica - Mogi das Cruzes (SP); Bósnia e Herzegovina - Guarujá (SP); Brasil - Teresópolis (RJ); Camarões - Vitória (ES); Chile - Belo Horizonte (MG); Coréia do Sul - Foz do Iguaçu (PR); Costa do Marfim - Águas de Lindoia (SP); Colômbia - Cotia (SP); Costa Rica - Santos (SP);
Croácia - Mata de São João (BA); Equador - Viamão (RS); Espanha - Curitiba (PR); Estados Unidos - São Paulo (SP); França - Ribeirão Preto (SP); Gana - Maceió (AL); Grécia - Aracaju (SE); Holanda - Rio de Janeiro (RJ); Honduras - Porto Feliz (SP); Inglaterra - Rio de Janeiro (RJ); Itália - Mangaratiba (RJ); Irã - Guarulhos (SP); Japão - Itu (SP); México - Santos (SP); Nigéria - Campinas (SP); Portugal - Campinas (SP); Rússia - Itu (SP); Suíça - Porto Seguro (BA); Uruguai - Sete Lagoas (MG).

JORNALISTA PETISTA HELENA CHAGAS REBATE CRÍTICAS DO PT EM SUA CARTA DE DEMISSÃO

Em sua carta de demissão do cargo de ministra-chefe da Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência da República (uma inutilidade, porque já estava demitida), entregue na sexta-feira à presidente Dilma Rousseff, a jornalista petista Helena Chagas fez questão de responder às críticas do PT, que cobrava mais espaço na verba publicitária do governo para as chamadas mídias alternativas. O PT reclamava que essas mídias não estavam sendo contempladas à altura. A expectativa é que agora, com a mudança no comando da Secretaria de Comunicação Social, as publicações que atuam em defesa do governo serão mais contempladas. Ao reagir ao PT, Helena Chagas disse que o critério adotado para distribuição das verbas de publicidade é de "mídia técnica, que herdamos do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e que soubemos preservar e aprimorar". A jornalista petista Helena Chagas afirmou ainda que "propiciou a oportuna e equilibrada publicidade governamental de tais ações públicas, trazendo ao cidadão informação clara e objetiva a respeito de seus direitos e das oportunidades que lhe eram postas". Isso é falso como uma nota de três reais. Nunca um governo usou tanta verba pública para controlar jornalistas que falem bem de si como nesta administração de Dilma Rousseff, sob o comando da petista Helena Chagas. Segundo ela, atualmente há 9.963 veículos cadastrados para receber investimentos de mídia do governo, cadastro esse que foi ampliado na sua gestão. Só que no PT e dentro do próprio governo, há quem ache que este critério "técnico" adotado pela jornalista petista Helena Chagas não atendia às novas modalidades de comunicação, particularmente os blogs divulgados na internet, que defendem a presidente e o modelo petista. Para eles, alguns dos chamados "blogs sujos" podem ser muito mais lidos e ouvidos do que muitos meios de comunicação tradicionais e que isso não era aferido pela Secom.

PELÉ PEDE QUE BRASILEIROS ADIEM PROTESTOS PARA DEPOIS DA COPA DO MUNDO

Preocupado após as manifestações que ocorreram durante a Copa das Confederações, em 2013, Pelé voltou a opinar sobre o tema. Em entrevista ao canal ESPN, o Rei do Futebol fez um apelo: "Se vamos fazer manifestos, deixa passar essas festas. O futebol não tem nada com isso. Eu acho que o futebol não tem nada a ver com a corrupção dos políticos. O futebol sempre enalteceu o Brasil. Deixa passar a Copa do Mundo e aí vamos reivindicar o que os políticos estão roubando. O futebol só traz divisa e benefícios para o Brasil", declarou o Rei. Em meio às manifestações ocorridas na Copa das Confederações, Pelé já havia feito o mesmo pedido e sofreu críticas de parcela da população. À época, o ídolo divulgou uma mensagem em vídeo na qual clamava: "Vamos esquecer toda essa confusão que está acontecendo no Brasil e vamos pensar que a seleção brasileira é o nosso País, é o nosso sangue. Não vamos vaiar a seleção. Vamos apoiar até o final". Segundo Pelé, ele foi mal interpretado pela crítica.

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROMOVE 14 AÇÕES CONTRA EX-SENADOR EFRAIM MORAIS

O Ministério Público Federal no Distrito Federal ajuizou na sexta-feira 14 ações contra o ex-senador Efraim Morais (DEM-PB) e outros 50 funcionários "fantasmas" nomeados por ele na época que comandou a Primeira Secretaria do Senado, entre 2006 e 2009. A 6ª Vara Federal do Distrito Federal vai analisar a acusação dos procuradores que pedem, também, a devolução de mais de R$ 6 milhões pagos aos apadrinhados, parentes e cabos eleitorais. As investigações do Ministério Público Federal apontam que dos 86 servidores nomeados para alguma função no órgão do Senado, apenas 22 tinham endereço no Distrito Federal e Entorno na época: "Os demais, mesmo lotados em área administrativa do Senado, residiam fora de Brasília, a maioria na Paraíba, Estado que elegeu o então senador". Segundo a Procuradoria, parte dos funcionários nomeados por Efraim Morais admitiu exercer atividades típicas de cabo eleitoral e ter sido contratada por força de contatos políticos e amizade. Alguns dos depoentes confessaram, ainda, conforme o Ministério Público Federal, não exercer nenhum tipo de serviço de caráter público, atuando apenas em favor do ex-senador. Houve quem nem sequer soubesse que estava lotado como servidor do Senado. O Ministério Público diz ter apurado, também, que alguns nomeados eram empregados em empresas privadas ou funcionários públicos de outros órgãos públicos. Os 50 funcionários que o Ministério Público Federal chama de "fantasmas" foram separados em 14 ações, de acordo com a relação que tinham com o ex-senador ou com as atividades que desempenhavam.

FUNCIONÁRIOS DO JORNAL ESQUERDOPATA INGLÊS THE GUARDIAN DESTROEM ARQUIVOS OBTIDOS COM O TRAIDOR ESPIÃO EDWARD SNOWDEN

Imagens de jornalistas do diário britânico The Guardian destruindo computadores que continham os arquivos passados ao jornal pelo ex-agente da CIA, o traidor espião Edward Snowden, foram divulgadas na sexta-feira. O episódio aconteceu em 20 de julho do ano passado. O jornal foi ameaçado de processo pelas autoridades do Reino Unido caso não destruísse o material, que continha informações sobre o governo do país consideradas confidenciais. O chefe da casa civil britânico, Jeremy Heywood, teria dito a Alan Rusbridger, editor do The Guardian: “Podemos fazer isso de um jeito tranquilo ou podemos seguir a lei. Muita gente no governo acha que vocês deveriam ser fechados”. Através das reportagens de seu blogueiro no Brasil, o americano Glenn Greenwald, que teve acesso aos documentos vazados pelo ex-agente da CIA, o traidor espião Edward Snowden, o The Guardian revelou o esquema de espionagem online da agência norte-americana NSA. O governo britânico agiu para barrar a divulgação de seus segredos. O serviço de inteligência do país pediu ao jornal que entregasse os computadores onde as informações estariam armazenadas para que fossem destruidos. O The Guardian recusou, propondo que seus próprios jornalistas eliminassem o material. Oficiais do serviço de espionagem acompanharam então o processo de destruição, feito por três funcionários do The Guardian. Foram usadas furadeiras e rebarbadoras para “lixar” as placas dos computadores. Depois, tudo foi passado por um desmagnetizador do serviço de espionagem. Segundo o The Guardian, todos os arquivos relacionados a Snowden que o jornal tinha em seu poder estavam em quatro laptops sem conexão à internet ou qualquer rede interna. Os computadores ficavam em uma sala especial, vigiada 24 horas por dia por seguranças. Havia múltiplas senhas e uma proibição ao uso de aparelhos eletrônicos na sala. Apenas uma pequena equipe de repórteres veteranos de confiança tinha acesso aos arquivos.

SÉRGIO CABRAL DIZ QUE MANTERÁ TARIFAS DE TRENS, METRÔ E BARCAS

Após dois "roletaços" realizados nos últimos dias na estação ferroviária Central do Brasil contra o aumento das passagens previsto para fevereiro, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho (PMDB), recuou e anunciou na sexta-feira que vai manter os valores atuais das tarifas de trens (R$ 2,90), metrô (R$ 3,20) e barcas (R$ 3,10, com bilhete único). Nos "roletaços", realizados terça e quinta-feira, centenas de passageiros aderiram à manifestação, aos gritos de "Ei, Fifa, paga a minha tarifa", pulando as catracas da Supervia, concessionária controlada pela Odebrecht. Em nota, a Supervia afirma que 21 catracas foram quebradas durante o protesto de quinta-feira. De acordo com o governo estadual, a Secretaria de Fazenda "fará um estudo para definir como compensar as concessionárias". As tarifas de ônibus, porém, vão aumentar a partir de 8 de fevereiro, de R$ 2,75 para R$ 3,00. O reajuste autorizado pelo prefeito Eduardo Paes (PMDB), de 9,09%, foi publicado quinta-feira no Diário Oficial do Município.

ENCONTRO DE CENTRAIS SINDICAIS HOMENAGEIA PERSEGUIDOS PELA DITADURA MILITAR

O papel dos trabalhadores desde o século passado como motivadores de mudanças em favor do bem coletivo foi lembrado no sábado pela  coordenadora da Comissão Nacional da Verdade, e esquerdista Rosa Cardoso, em discurso durante o ato Unidos Jamais Vencidos, no Paço Municipal de São Bernardo do Campo, no ABC paulista. O encontro com líderes de dez centrais sindicais homenageou sindicalistas e trabalhadores perseguidos pelo regime militar, 50 anos depois da instauração da ditadura civil militar no País. No ato coordenado pelo diretor da Associação dos Metalúrgicos Aposentados Anistiados do ABC (AMA-A/ABC) Djalma Bom, que também foi vítima do regime militar, houve a entrega de diplomas, encenações de teatro, videos, discursos de convidados e de líderes da classe trabalhadora, além da  distribuição de uma carta. Na lista de quase 500 homenageados estavam nomes como o de Virgílio Gomes da Silva, operário da indústria química, morto durante a perseguição durante o regime militar e que foi representando no ato pela mulher, Hilda Gomes da Silva. Em meio aos discursos, foi exibido um video com depoimentos sobre as perseguições. É impressionante como a esquerda gosta de morte....

LULA FAZ EXAMES NA BUTIQUE PETISTA DA SAÚDE, O HOSPITAL SÍRIO-LIBANÊS, E DIZ QUE SUA SAÚDE É EXCELENTE

Boletim médico divulgado pelo Hospital Sírio-Libanês no início da tarde de sábado informou que o estado de saúde do ex-presidente Lula é bom. Lula (o alcaguete do DOPS na ditadura militar, delator de companheiros) passou a manhã no hospital, para uma série de exames de rotina. Segundo o comunicado do Sírio-Libanês, “os exames mostram que o paciente encontra-se em excelente condição de saúde e sem qualquer evidência de neoplasia (tumor)". A nota diz ainda que foram feitos exames clínicos, laboratoriais e de imagem, entre outros. Lula chegou ao hospital às 7 horas e deixou o local por volta das 13 horas. As equipes que atenderam o ex-presidente são coordenadas pelos médicos Roberto Kalill Filho e Artur Katiz. De acordo com a assessoria de Lula, o checkup faz parte da rotina de pacientes submetidos ao tratamento contra o câncer. O ex-presidente foi diagnosticado com câncer na faringe em 2011, e, após fazer tratamento contra a doença, conseguiu a cura. O último exame de rotina havia sido feito em agosto do ano passado.

MINISTÉRIO PÚBLICO DENUNCIA 12 PESSOAS POR ENVOLVIMENTO COM ESQUEMA DE PROPINA DA ALSTOM

Doze investigados por envolvimento com um esquema de pagamento de propina por parte do grupo francês Alstom foram denunciados à Justiça na sexta-feira pelo Ministério Público Federal. A acusação formal é resultado de investigação sobre a compra de equipamentos para uma subestação de energia para a Empresa Paulista de Transmissão de Energia (EPTE, antiga Eletropaulo). O suborno a funcionários públicos na negociação teria sido pago entre 1998 e 2003. A denúncia, que abrange crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, é a primeira de caráter criminal a envolver uma empresa envolvida no cartel dos setores de energia e metroferroviário. A Alstom é, ao lado da alemã Siemens, o principal alvo de investigações sobre pagamento de propina para a obtenção de contratos nos sistemas de transportes sobre trilhos dos governos federal, de São Paulo e do Distrito Federal. Há ramificações da apuração na França e na Suíça. De acordo com o Ministério Público Federal, os crimes em questão foram cometidos na ocasião da assinatura do décimo aditivo do contrato Grupo Industrial para o Sistema da Eletropaulo (Gisel), assinado pela EPTE e por outras três empresas, no total de 181,3 milhões de reais em valores atualizados. O dinheiro serviria para a compra de equipamentos para uma subestação de energia. Para que não houvesse licitação, o grupo francês teria pago 23,3 milhões de reais aos servidores envolvidos, segundo a denúncia. Quando os equipamentos foram entregues, o governo não havia nem licitado o prédio para abrigá-lo. O dinheiro das propinas teria sido pago por meio de offshore no Uruguai. Para justificar a saída do dinheiro, o esquema contrataria empresas de consultoria no Brasil. Entre elas, estariam a Cegelec Engenharia e a Acqua Lux Engenharia e Empreendimentos – esta última de um empresário ligado ao ex-secretário de Governo de Covas e conselheiro do Tribunal de Contas do estado, Robson Marinho. Dono da MCA, Romeu Pinto Junior confessou à Polícia Federal ter "servido de intermediário do pagamento de propinas a funcionários públicos paulistas a mando da Alstom e por meio da MCA". A MCA usaria três contas bancárias no UBP Zurich, uma no Banco Audi em Luxemburgo e outra no Bank Audi em Nova York. O consultor teria recebido da Alstom 40,1 milhões de reais em 2000 e 2001 e de 2005 a 2007. Villas Boas teria recebido 2,65 milhões de reais da Alstom em 2000 e 2002 "sem justificativa plausível". Ele teria feito grandes saques em espécie do dinheiro depositado pela Alstom. Parte foi enviada à Sanmoca Foundation, em Liechtenstein, e apareceu na conta bancária 230-566047, no Banco UBS, na Suíça. A investigação começou após a apreensão na Suíça de documentos com diretores da Alstom sobre subornos. Foram denunciados pelo Ministério Público Federal o ex-presidente da EPTE José Sidnei Colombo Martini, atualmente professor da Escola Politécnica da USP e prefeito da Cidade Universitária, e Celso Sebastião Cerchiari, diretor de operações da Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista, empresa que incorporou a EPTE em 2001. Ambos são acusados de corrupção passiva e não constavam na relação de indiciados da Polícia Federal, embora tenham sido investigados. Já o vereador Andrea Matarazzo (PSDB), indiciado pela Polícia Federal, não foi acusado pelo Ministério Público. Também foram denunciados, por lavagem de dinheiro, José Geraldo Villas Boas, ex-presidente da Cesp e dono de uma das offshores acusadas de lavar dinheiro do esquema, os lobistas Romeu Pinto Junior, Jean-Pierre Courtadon, Jean Marie Lannelongue, além do ex-diretor de marketing da Alstom, Daniel Huet, e o lobista Jorge Fagali Neto.

EIKE BATISTA VENDE HOTEL GLÓRIA, NO RIO DE JANEIRO, PARA UM FUNDO SUÍÇO

O grupo EBX, do empresário Eike Batista, fechou na manhã de sábado a venda do Hotel Glória, no Rio de Janeiro, para o fundo suíço Acron. Em agosto do ano passado o fundo assinou contrato de exclusividade para a compra do empreendimento. Na época, a transação custou ao Acron 225 milhões de reais. O investimento total do grupo suíço no Glória deve girar em torno de 500 milhões de reais. Eike Batista comprou o hotel em 2008, por 80 milhões de reais. No ano passado, o grupo EBX colocou o empreendimento à venda por não ter encontrado um parceiro para operar o empreendimento. A compra do hotel é o primeiro negócio no Brasil do Acron, que tem controle familiar e é especializado no setor imobiliário. O fundo tem investimentos em mais de 40 propriedades, entre eles hotéis e imóveis comerciais. Desde 2010, o hotel, rebatizado de Glória Palace, passa por reformas financiadas pelo BNDES. As obras deveriam terminar antes da Copa do Mundo, mas, com os sucessivos atrasos nos prazos, devem ficar prontas apenas em 2015.

ARGENTINA QUEIMA RESERVAS E FECHA SEMANA COM DÓLAR ESTÁVEL

Após uma semana de flexibilização do "cerco ao dólar", o governo da Argentina conseguiu estabilizar a cotação da moeda americana no mercado formal. Para isso, queimou reservas monetárias e agora concentra seus esforços para conter a inflação. O Banco Central conseguiu manter o peso estável nesta semana, após ofertar dólares no mercado cambial, com uma perda média de 180 milhões de dólares diários em reservas. O órgão informou na sexta-feira que as reservas internacionais voltaram a cair mais 170 milhões de dólares ao longo do dia e se situaram em 29,17 bilhões de dólares, seu nível mais baixo desde 2006. Com esses movimentos, o preço do dólar no mercado oficial foi mantido sem muitas alterações nos últimos cinco dias, após as turbulências cambiais da semana passada, quando o peso argentino teve desvalorização de 17%.

O BANDIDO PETISTA MENSALEIRO JOSÉ DIRCEU PEDIRÁ À JUSTIÇA PARA DORMIR EM CASA AOS FINS DE SEMANA

Assim que for autorizado a trabalhar fora do complexo penitenciário da Papuda, o ex-ministro da Casa Civil, o bandido petista mensaleiro José Dirceu, pretende requerer o direito de visitar a família a cada 15 dias nos finais de semana. O benefício foi garantido pela Vara de Execuções Penais do Distrito Federal ao ex-tesoureiro do PT, o também bandido petista mensaleiro Delúbio Soares, que neste fim de semana está na casa emprestada por um amigo em Brasília. Responsável pela defesa do ex-ministro, o advogado José Luís de Oliveira Lima admitiu, na sexta-feira, que vai encaminhar o pedido de visita externa depois que José Dirceu começar a trabalhar em um escritório de advocacia em Brasília. A análise do trabalho externo havia sido suspensa pela Vara de Execuções Penais por 30 dias para que fosse investigada suspeita de que José Dirceu teria usado um telefone celular na Papuda. No entanto, despacho assinado na semana passada pelo presidente interino do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, determinou que a Vara de Execuções Penais analise o requerimento de trabalho externo. Oliveira Lima espera uma decisão para esta semana. Se o bandido petista José Dirceu for autorizado a dar expediente no escritório de advocacia, ele será transferido do presídio onde está atualmente para outro, no qual ficam alojados os presos que trabalham fora da penitenciária, entre os quais, Delúbio Soares.

PREÇO DA ENERGIA DISPARA E A PREVISÃO É DE CALAMIDADE PARA O ANO DE 2014

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) divulgou na sexta-feira o preço de referência usado pelo mercado livre de energia elétrica para a próxima semana. O valor passou de 476 reais por megawatt-hora (MWh) para 822,83 reais a partir de segunda-feira. O salto só não foi maior porque a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) fixou para o ano este teto. Nos cálculos da CCEE, o valor real do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD), que é a taxa usada como referência nos contratos de energia do mercado livre, seria de 1063,69 reais por MWh para o Sudeste, região responsável por 70% do fornecimento de energia do País. Trata-se do maior patamar da história, superando até mesmo as épocas de racionamento de energia. Essa elevação inédita significa que o mercado está apostando em um quadro nada otimista para o setor elétrico em 2014, que beira a calamidade, mesmo com os reservatórios de água das usinas hidrelétricas acima dos níveis registrados em janeiro do ano passado. O cálculo do PLD é feito com base em projeções que levam em conta o cenário atual de abastecimento. Tal alta reflete, segundo especialistas, fatores climáticos, o aumento da demanda e a falta de planejamento da Empresa de Pesquisa Energética (EPE). Com as altas temperaturas registradas em dezembro e janeiro, é natural que se gaste mais energia com refrigeradores, ventiladores e aparelhos de ar condicionado — o que impacta diretamente a demanda. Ao mesmo tempo, os reservatórios são penalizados devido à rápida evaporação da água e falta de chuvas. Além disso, as perspectivas climáticas para 2014 não são animadoras – previsões usadas no cálculo da PLD apostam em menos precipitações em relação a anos anteriores. Assim, as usinas terão dificuldades em conseguir preencher o déficit em seus reservatórios e, talvez, nem mesmo compensar os gastos do ano, no cenário mais pessimista. Hoje, o reservatório do Sudeste/Centro Oeste usa 40,57% de sua capacidade de armazenamento, contra 37,46% em janeiro de 2013. Problemas no planejamento energético do governo também tiveram papel crucial na subida dos preços — e podem fazer com que os consumidores paguem mais caro pela energia em 2015. Ocorre que as distribuidoras vêm tendo de comprar mais energia no mercado livre, justamente onde os valores estão batendo recordes. Tais empresas são abastecidas, geralmente, por leilões públicos de energia organizados pela EPE. Contudo, nas últimas licitações, a estatal fixou preços muito abaixo dos padrões de mercado, o que fez com que muitas geradoras optassem por não comercializar seus megawatts/hora, impactando a oferta energética. “Há um problema muito sério de planejamento e forma como o modelo (do sistema elétrico) está programado”, disse Mariana Amim, diretora jurídica da Associação Nacional dos Consumidores de Energia (Anace). As distribuidoras são impedidas de negociar livremente com as geradoras, mas, se os pleitos organizados pelo governo não forem suficientes para preencher sua demanda, elas são obrigadas a compensar seu déficit comprando energia no mercado livre e pagando o preço do PDL. Erik Rego, diretor da consultoria Excelência Energética, disse que as distribuidoras precisaram contratar 7,5% de toda sua energia ofertada neste mercado neste início de ano, o equivalente a 3,5 mil MWh. Isso significa um impacto aproximado de 1 bilhão de reais em seu caixa, levando em consideração um preço médio de 393 reais/MWh em janeiro. “As distribuidoras terão de pagar até a segunda semana de fevereiro essa conta. E se o PDL se mantiver em seu preço máximo (822 reais/MWh), essa conta pode passar de 2 bilhões de reais no pagamento de março”, afirma. Ao invés de deficitárias, as distribuidoras devem acumular sobras de 3% a 5% de oferta de energia para conseguirem sustentabilidade econômica. Mas, com os últimos leilões frustrados, a conta não fechou e é possível que elas continuem precisando de ajuda do Tesouro para arcar com suas contas. Este cenário piora ao se constatar que 2014 indica dificuldade fiscal e necessidade de corte de gastos. “O Tesouro precisará cobrir o custo das térmicas ligadas e o preço alto no mercado livre. Dificilmente vai repassar para o consumidor porque é ano eleitoral. Mas, depois das eleições, um aumento da conta de luz será inevitável”, comentou Adriano Pires, consultor de energia e diretor do Centro Brasileiro de Infra Estrutura (CBIE). “Tudo isto está acontecendo por um erro de política do governo, que resolveu que tinha de baixar o preço (da energia) e que controlava a lei da oferta e da demanda do setor”, acrescentou. Para ele, o governo "quebrou" a Eletrobras — empresa mais prejudicada pela promessa de desconto da conta de luz. O religamento das termelétricas também impactou diretamente o PDL recorde. Tais usinas garantem, hoje, a oferta de energia no País, uma vez que o Brasil tem dificuldades em aumentar sua capacidade de armazenamento nas hidrelétricas. Contudo, o custeio das térmicas requer gastos altíssimos, especialmente para as que funcionam à base de óleo diesel.

UM A CADA CINCO APROVADOS NA USP NÃO FAZ A MATRÍCULA

Aproximadamente um em cada cinco convocados pela lista de aprovados da Fuvest de 2014, divulgada na sexta-feira, não deve fazer a matrícula para estudar na Universidade de São Paulo (USP), segundo a média dos últimos anos. Em 2013, 18,9% dos aprovados na primeira chamada do vestibular não se inscreveram. Na edição anterior, esse índice foi maior, de 21,7%. Com o objetivo de mapear os motivos pelos quais parte dos selecionados desiste da USP, a universidade aplicou questionários aos candidatos das edições de 2011 e 2012 que foram aprovados, mas não se matricularam. O levantamento revelou que, além da qualidade de ensino, aspectos pessoais dos candidatos pesam bastante na escolha da instituição. A localização da faculdade na cidade ou a distância em relação ao município de origem do candidato foram os motivos mais fortes para desistências. Depois, as dúvidas vocacionais surgem como razões expressivas para o não ingresso na USP. Em 2011 e 2012, por exemplo, cerca de 15% dos que se matricularam em outra faculdade em um curso diferente daquele em que foram aprovados na Fuvest alegaram dúvidas na escolha de carreira. Nesse estudo, a Fuvest esclarece que a real proporção de desistentes em 2011 foi menor porque também havia candidatos com o ensino médio incompleto que estavam impedidos de iniciar a graduação. De acordo com a universidade, a taxa final de aproveitamento das vagas é alta — menos de 2% ficam ociosas após todas as chamadas do vestibular.

CLUBES VÃO A BRASÍLIA PARA RENEGOCIAR DÍVIDA MONSTRUOSA

Com uma dívida tributária que supera os R$ 2,5 bilhões, os grandes clubes de futebol voltaram a recorrer aos gabinetes de Brasília para renegociar seus débitos. Abriram duas frentes de discussão, uma no Ministério do Esporte e outra no Congresso. Em ambas tentam parcelar a conta em 240 vezes, um carnê que levará 20 anos para ser pago. A renegociação de impostos devidos é alvo de restrições da área fiscal do governo, temerosa diante do histórico de inadimplência dos clubes. As equipes já puderam aderir a programas de recuperação fiscal e à Timemania, o que não estancou a alta dos débitos com a União. Nos últimos anos, dirigentes justificam que a receita gerada pela loteria esportiva ficou aquém do projetado. A dupla Gre-Nal é favorável à adoção do Fair Play Financeiro, apontado como meio para evitar novos calotes. O sistema, que prevê perda de pontos e rebaixamento para equipes que não cumprirem o parcelamento, recebe elogios de Pedro Daniel, responsável pela área de esporte da BDO, empresa de auditoria e consultoria que estuda as dívidas dos grandes clubes. O Fair Play está previsto em uma proposta apresentada por uma comissão de clubes, da qual o Inter faz parte, que conta com apoio da CBF. O Ministério do Esporte aprova o sistema. É engraçado.... os governos cedem sempre aos cartolas tubarões, que só enriquecem às custas do futebol, e nunca cobram contrapartidas legais em termos de resultados administrativos e financeiros, com responsabilizações judiciais desses próprios cartolas. É o único jeito de resolver os problemas e crises permanentes dos clubes de futebol.

O "ALCAGUETE" LULA DÁ CONSELHO A CARLOS LUPI, SOBRE ACUSAÇÃO DE CORRUPÇÃO: "ISSO SAI NA URINA, PROCESSE A EMPRESÁRIA QUE O DENUNCIOU"; POR QUE ELE NÃO PROCESSA TUMA JUNIOR, QUE O CHAMA DE X9 DA DITADURA MILITAR?

O ex-presidente petista Lula, "alcaguete" do DOPS paulista durante a ditadura militar, conforme o delegado Romeu Tuma Jr, conversou com Carlos Lupi (PDT) sobre a denúncia de corrupção da qual seu ex-ministro do Trabalho é alvo. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, Lula confortou Lupi e o incentivou a processar a empresária Ana Cristina Aquino, que acusa o pedetista de receber propina para acelerar o registro de um sindicato. "O Lula me falou: 'Lupi, esquece, isso sai na urina'", relatou o ex-ministro. "Ele disse que é isso aí, que eu tô certo em processar", completou ele, sobre o conselho do ex-presidente. A denunciante diz que levou uma bolsa com R$ 200 mil ao gabinete de Lupi à época em que chefiava o Ministério do Trabalho; ele disse que irá processá-la por calúnia, injúria e difamação. Já o próprio petista Lula não faz a menor menção a processar o delegada Romeu Tuma Jr, portanto aceita a pecha que este lhe colou, de delator de companheiros a serviço da represssão política da ditadura militar, quando trabalhou como alcaguete do DOPS paulista, recrutado pelo antigo delegado Romeu Tuma (pai). Conforme relato de Tuma Jr, que trabalhou como investigador do pai, Lula foi X9 do órgão, um delator de companheiros, como o relatado caso de Luis Gushiken. É por isso que intelectuais petistas, artistas e jornalistas petistas, professores petistas, andam tomando monumentais porres nos bares das principais cidades brasileiros onde petistas costumam se encontrar, e se lastimam profundamente entre eles, sem que possam desmintir desta vez o que é dito sobre seu maior ídolo, um vulgar delator de companheiros.