domingo, 27 de abril de 2014

PMDB APÓIA REELEIÇÃO DE RAIMUNDO COLOMBO EM SANTA CATARINA

O PMDB de Santa Catarina decidiu mesmo pelo apoio à reeleição do governador Raimundo Colombo (PSD), apesar da ameaça de racha que ainda ronda o partido. O vitorioso foi o  senador Luiz Henrique, que correu o Estado em campanha pela reedição da aliança que o elegeu para o Senado em 2010 junto com Colombo. Luiz Henrique derrotou a posição do deputado federal Mauro Mariani e do ex-prefeito de Florianópolis, Dário Berger,  favoráveis a uma candidatura própria, na convenção realizada no sábado. O principal entrave à união com o PSD era a possibilidade de o partido do governador se aliar ao PP da família Amin. Os dois partidos são adversários no plano estadual desde a redemocratização. Os pepistas negociavam com Colombo a entrada na coligação de olho na vaga ao Senado, cenário ainda possível, mesmo com a decisão do PMDB, hoje, de apoiar a reeleição de Colombo. O governador prefere esse entre todos os cenários.

SETOR SUCROALCOOLEIRO FECHA SAFRA 2013/14 COM DÍVIDA RECORDE

O endividamento do setor sucroalcooleiro atingiu R$ 42,42 bilhões na safra de 2013/2014, encerrada em março, alta de 8% sobre a dívida de R$ 39,26 bilhões da safra anterior, de acordo com avaliação preliminar do diretor comercial para açúcar e etanol do Itaú BBA, Alexandre Enrico Figliolino. No entanto, com o aumento da produção, a dívida por tonelada de cana processada recuou de R$ 104,00 para R$ 99,00 informou o executivo, com base numa avaliação preliminar no setor feita com dados de 65 grupos, capazes de processar 429 milhões de toneladas por safra, ou 72% da moagem do Centro-Sul do País. De acordo com o diretor do Itaú BBA, o crescimento muito superior do endividamento ante o aumento da produção preocupa. “Desde 2003 o endividamento cresceu 19 vezes e a produção pouco mais que dobrou.” Na avaliação de Figliolino, entre os grupos avaliados, apenas 12 possuem situação considerada boa, com operação ajustada e baixa alavancagem. Outros 35 estão em situação mediana e 18 têm “operação muito ruim e alavancagem alta”. Para a safra 2014/2015, o cenário é desanimador para o setor, na avaliação de Figliolino. Os custos devem crescer 13%, com salários mais altos, quebra na safra, sem perspectivas de mudança na política de preços dos combustíveis antes das eleições. “Um terço do setor está indo pro brejo em dois ou três anos, ou seja, são 200 milhões de toneladas de cana, ou duas Tailândias”, afirmou: “Além da dívida desse terço só crescer, as usinas têm canaviais deteriorados e problemas de pagamento dos fornecedores". Curiosamente, segundo o executivo, o cenário de crise pode incentivar uma retomada nas fusões e aquisições de usinas, após apenas quatro operações nos últimos dois anos: “Acho que estamos em um ponto de inflexão da curva, e talvez este ano possamos ter anúncios de algumas transações do setor". A agência de classificação de riscos Fitch divulgou na sexta-feira comunicado alertando para o risco de default das empresas sucroalcooleiras brasileiras. Segundo a Fitch, estrutura de capital fraca e fluxo de caixa apertado combinados com previsões pouco promissoras para o setor elevam o risco de inadimplência em 2014. Quatro das seis companhias no portfólio da Fitch mostram alto ou moderado risco de refinanciamento e fontes alternativas limitadas de liquidez. Essas empresas devem continuar dependentes de crédito dos bancos locais, já que os mercados internacionais de dívida devem se tornar mais duros com companhias que pagam altos retornos em 2014. A Fitch espera recuperação modesta para os preços do açúcar na safra 2014/15.

JUSTIÇA ORDENA QUE A IRMÃ DE BERNARDO BOLDRINI FIQUE COM A TIA MATERNA

A Justiça do Rio Grande do Sul aceitou o pedido do Ministério Público e determinou que o bebê de um ano e seis meses, irmã do menino Bernardo Boldrini, de 11 anos, assassinado em Frederico Westphalen, no noroeste gaúcho, em 4 de abril, fique com a tia materna. A ordem foi dada no sábado, um dia depois de a promotora da Infância e Juventude da cidade gaúcha de Três Passos, Dinamárcia Maciel de Oliveira, protocolar uma medida cautelar protetiva para que Leandro Boldrini, de 38 anos, e Graciele Ugulini, de 32 anos, perdessem a guarda da filha. Os dois estão presos, suspeitos de participação no assassinato de Bernardo Boldrini, junto com a amiga do casal Edelvania Wirganovicz, de 40 anos.

LULA BAIXA AO HOSPITAL POR CAUSA DE LABIRINTITE

O ex-presidente Lula (alcaguete da ditadura militar que delatava companheiros para o Dops paulista, conforme Romeu Tuma Jr) teve no sábado uma crise de labirintite, e passou a noite no hospital Sírio Libanês, a boutique da saúde no Brasil. Nota do próprio Lula informa que o problema já foi superado, e Lula encontra-se bem, descansando em sua residência em São Bernardo do Campo (SP). Em nota divulgada na tarde deste domingo, o hospital Sírio-Libanês informou que o ex-presidente Lula foi "liberado para a realização de suas atividades normais", depois de receber alta pelaa manhã. De acordo com o hospital, os exames realizados por Lula apresentaram resultados "dentro da normalidade". As equipes médicas que acompanharam a internação de Lula foram coordenadas pelos médicos Roberto Kalil Filho e Milberto Scaff.

FORTUNATI JÁ TEM UM ROMBO DE R$ 230 MILHÕES POR TER SE COLOCADO COMO REFÉM DE DILMA, CAIXA ECONÔMICA FEDERAL SÓ LIBERA A CONTA GOTAS AS VERBAS DOS CONTRATOS DA COPA

Do jornalista Políbio Braga - Além da lentidão e até paralisia da maior parte das 14 obras que inicialmente a prefeitura de Porto Alegre incluiu no pacote de Mobilidade Urbana das Obras da Copa, o prefeito José Fortunati enfrenta outro problema decorrente da imprevisão com que decidiu começar tudo ao mesmo tempo, mesmo antes do início dos desembolsos do empréstimo prometido por Dilma junto a Caixa Econômica Federal. O efeito mais devastador ocorre com as finanças municipais, que neste final de semana fecharam com déficit de R$ 230 milhões. Caso a Caixa Econômica Federal continue liberando o dinheiro a conta-gotas, o prefeito José Fortunati terá problemas até mesmo para manter os salários em dia e pagar o 13º salário. Ele se colocou nas mãos de Dilma Roussef, o que implica em custo político grave porque este é ano eleitoral e o prefeito não terá como negar-lhe apoio. Até agora a prefeitura de Porto Alegre só recebeu um décimo do empréstimo de R$ 466 milhões da Caixa Econômica Federal para as obras da Copa e de mobilidade urbana. Esse dinheiro todo é para tocar as conhecidíssimas Obras da Copa, um conjunto de 14 grandes obras de mobilidade urbana iniciadas pelo prefeito José Fortunati, mesmo sem ter o dinheiro prometido por Dilma nas mãos.

LABORATÓRIO LAVANDERIA DO DOLEIRO YOUSSEF, PREFERIDO PELOS PETISTAS, MANDOU US$ 113 MILHÕES PARA O EXTERIOR

O laboratório Labogen, controlado pelo doleiro Alberto Youssef, o preferido dos petistas, lavou US$ 113,38 milhões, entre janeiro de 2009 e dezembro de 2013. O poderio do esquema foi descoberto com a quebra de sigilo bancário e fiscal da empresa no âmbito da Lava Jato – operação deflagrada pela Polícia Federal em 17 de março, que derrubou organização criminosa liderada por Youssef e seu aliado principal, Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás. O sofisticado esquema do “laboratório lavanderia” desprezou o surrado modelo dólar cabo – transferência virtual de valores para paraísos fiscais – e deu lugar ao uso de contratos de câmbio para importações fictícias de medicamentos. O dinheiro foi parar na China. A Lava Jato descobriu que o laboratório firmou 1.945 contratos de câmbio em nome de duas coligadas, a Labogen Química Fina e Biotecnologia e a Indústria e Comércio de Medicamentos Labogen. A primeira realizou 1.294 operações, que somaram US$ 75,31 milhões. A outra efetuou 651 “transações de papel”, ao valor global de US$ 38,07 milhões. A lavanderia pode ter ocultado dinheiro sujo em volume ainda maior, alcançando a cifra máxima de US$ 184,44 milhões em quatro anos. A Procuradoria da República descobriu que as contas de outras três empresas foram utilizadas para movimentar recursos que o laboratório do doleiro amealhou por meio de contratos superfaturados em órgãos públicos. Essas três empresas – Hmar Consultoria em Informática, GFD Investimentos e Piroquímica Comercial (fabricante de produtos farmacêuticos) – fecharam naquele período 991 contratos de câmbio para remessa de mais US$ 71,06 milhões para a China. A Polícia Federal e a Procuradoria da República querem identificar os beneficiários reais do dinheiro ilícito aportado em contas de doleiros de Hong Kong e Taiwan, praças escolhidas pelo laboratório para avançar o ciclo da lavagem. O laboratório é o foco central da Lava Jato porque liga o doleiro ao ex-diretor da Petrobrás – ambos presos em março – e ao deputado petista paranaense André Vargas. O ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha, pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PT, é citado na Lava Jato. Usando o laboratório como carro-chefe, o doleiro tentou obter contrato milionário no Ministério da Saúde, amparado em um programa de parceria da pasta. No grampo da Polícia Federal, André Vargas – que só pode ser investigado pelo Supremo Tribunal Federal por ser deputado – disse que Padilha indicou o executivo Marcus Moura para atuar no Labogen. O ex-ministro nega relações com o doleiro e rechaça a versão de que recomendou um profissional para o laboratório. O ministério diz que não celebrou contrato com o Labogen. Para a Polícia Federal, “pode-se estar diante de mais uma ferramenta para sangria dos cofres públicos, uma vez que os relatórios de inteligência financeira indicam claramente a atuação da empresa Labogen para objetivos bem distintos de seu objeto social”. A Procuradoria imputa a Youssef e a Costa lavagem de dinheiro ilícito arrecadado a partir de corrupção e peculato. O ex-diretor da estatal teria recebido R$ 7,95 milhões em propinas no âmbito das obras supostamente superfaturadas da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. A “lavanderia” entrou em operação quando Youssef assumiu o controle do laboratório – oficialmente sob direção do administrador Leonardo Meirelles, “operador e testa de ferro” do doleiro, segundo a Polícia Federal. A produção da “lavanderia” impressionou os investigadores. Os contratos de câmbio se sucederam em ritmo frenético, quase sempre em valores relativamente baixos, em média de até US$ 100 mil cada um, justamente para evitar cair no radar dos órgãos fiscalizadores. “A organização criminosa agia estruturalmente ordenada, caracterizada pela divisão formal de tarefas e com o objetivo de obter, direta ou indiretamente, vantagem indevida derivada dos crimes de peculato, corrupção ativa e corrupção passiva e lavagem de dinheiro em detrimento da Petrobrás, entre 2009 até 2014”, sustenta a Procuradoria.

DILMA CANCELOU NO SÁBADO A IDA À FEIRA DO AGRONEGÓCIO EM SÃO PAULO

A presidente Dilma Rousseff cancelou no sábado a visita que faria nesta segunda-feira à 21ª edição do Agrishow, maior feira de tecnologia do agronegócio brasileiro. Dilma havia confirmado presença na abertura da feira, que acontece em Ribeirão Preto (SP), ao presidente da Agrishow, Maurilio Biagi Filho, durante reunião na semana passada do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, o Conselhão, organizado pelo governo federal para ouvir empresários. A presidente decidiu enviar o ministro da Agricultura, Neri Geller, como representante do Palácio do Planalto. Com o cancelamento, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) será o principal convidado do Agrishow. O evento acontece na região onde estão as principais usinas do setor sucroalcooleiro do País. Os usineiros ameaçam retirar apoio à reeleição de Dilma por discordar da política de incentivo à gasolina e por não terem conseguido ainda sensibilizar o governo na campanha pela ampliação da proporção, de 25% para 27,5%, da mistura de etanol à fórmula da gasolina. Biaggi chegou a ser cogitado para ser vice na chapa petista ao governo paulista, que deve ser encabeçada por Alexandre Padilha, mas declinou do convite.

NÍVEL DE RESERVATÓRIOS DE ÁGUA DEVE SEGUIR BAIXO EM MAIO

O nível dos reservatórios das hidrelétricas do subsistema Sudeste e Centro-Oeste, o maior importante do País, deve continuar baixo no próximo mês. A previsão de aumento é de apenas 1,6%, passando de 36,9% em abril para 38,5% em maio. O dado consta no relatório executivo do Programa Mensal de Operação (PMO), divulgado na sexta-feira pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). Se o cenário for confirmado, as usinas não chegarão ao patamar de 43%, que garantiria o abastecimento de energia no fim de 2014 e começo de 2015. Em fevereiro, o diretor-geral do ONS, Hermes Chipp, disse que o abastecimento nesse período estaria garantido se o nível dos reservatórios das hidrelétricas das regiões Sudeste e Centro-Oeste atingisse algo entre 43% e 45% até o fim de abril. O documento aponta ainda que no mesmo período, os reservatórios do Sul devem registrar uma queda de 1,6% (de 46,2% para 44,6%), enquanto os do Nordeste serão elevados em 1,5%, de 41,7% para 43,2%. Na região Norte, castigada pelas chuvas, os reservatórios têm o melhor nível, sendo que devem apresentar elevação de 5,2%, de 83,8% para 89,0%. O relatório diz que no mês de abril o comportamento das afluências (quantidade de água que chega aos reservatórios das hidrelétricas) apresentou relativa melhora nas regiões Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste, em relação ao verificado nos meses anteriores. O documento aponta ainda que na semana de 26 de abril a 2 de maio deverá ocorrer chuva fraca a moderada nas bacias dos rios Uruguai, Jacuí e Iguaçu. Nas bacias dos rios Tocantins e São Francisco ocorrerão pancadas de chuva. A projeção de Chipp feita em fevereiro considerou que as afluências em março e abril atingissem 76% da média histórica. "Se chegarmos a isso até o fim de abril, será um nível adequado para não precisarmos de grandes afluências no período seco", afirmou na época. De acordo com Chipp, se os reservatórios chegassem a algo entre 43% e 45% até o fim de abril, as afluências entre maio e novembro poderiam ficar em 85% da média sem comprometer o abastecimento até 2015.

TCU MANDA PETISTA DELCÍDIO AMARAL E MAIS 12 DIRETORES RESSARCIREM A PETROBRAS EM R$ 14 MILHÕES

O senador Delcídio do Amaral (PT), mais 12 diretores da Petrobras e a empresa Termoceará Ltda estão sendo investigados pelo Tribunal de Contas da União, por “prática de ato de gestão ilegal”, além de terem sido condenados a ressarcir R$ 14 milhões aos cofres da estatal. Esta apuração é a continuidade do acórdão do próprio tribunal, de 2010, que apontou o senador sul-mato-grossense e o ex-diretor da área internacional da Petrobras, Nestor Cerveró, como responsáveis por assinar contratos “expressivamente desfavoráveis à Petrobras”. No item 9.1 deste acórdão, datado de 10 de novembro de 2010, os ministros da corte decidiram “converter os presentes autos (de uma auditoria) em tomada de contas especial, autorizando, desde já, a citação dos responsáveis”, referindo-se aos diretores da estatal. Logo depois, são citados os responsáveis e as respectivas infrações; a inclusão de Amaral e Cerveró na investigação em andamento se dá por “submeterem à aprovação da Diretoria Executiva, por meio do DIP ENERGIA n. 05/2000, os documentos contratuais para participação da Petrobras no consórcio da usina termelétrica Barbosa Lima Sobrinho – antiga Eletrobolt – com as seguintes irregularidades”, citando que foram usados “termos contratuais expressivamente desfavoráveis à Petrobras”, por atribuírem os riscos regulatórios, do mercado de energia, do mercado de combustível e o risco cambial à estatal, enquanto “ao investidor privado era atribuído somente o risco de projeto e estrutura de financiamento”.

AGÊNCIA DE CLASSIFICAÇÃO DE RISCO ELEVA NOTA DA DÍVIDA DA ESPANHA

A agência de classificação de risco Fitch anunciou na sexta-feira ter elevado a nota da dívida soberana da Espanha, de BBB para BBB+. De acordo com a agência, o aumento na nota foi consequência da melhoria das perspectivas econômicas e da redução do déficit público. Com a subida de classificação, a Espanha está três níveis acima do nível em que a dívida do país é considerada fora do grau de investimento, após a melhoria nas condições financeiras e a redução do risco de que o sistema bancário represente uma carga fiscal para a economia. Em relação ao processo de consolidação fiscal, a Fitch destacou o esforço realizado para diminuir o déficit fiscal entre 2012 e 2013, anos de recessão econômica. No último dia 11, a Fitch atualizou a perspectiva de Portugal de negativa para positiva e manteve a nota de crédito do país em BB+, o primeiro nível do grau de investimento.

INFRAERO QUER ROMPER CONTRATO COM EMPRESA RESPONSÁVEL POR OBRA NO AEROPORTO DE FORTALEZA

A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) abriu um processo administrativo para rescindir unilateralmente o contrato com o consórcio responsável pelas obras de reforma e ampliação do Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza.  O consórcio tem cinco dias úteis a partir do recebimento da documentação para apresentar defesa. A rescisão do contrato foi recomendada pelo Ministério Público Federal no Ceará, que argumentou que o consórcio demonstrou não ter condições técnicas e financeiras de cumprir os cronogramas de execução das obras do aeroporto. A recomendação enviada à Infraero é baseada em relatório do Tribunal de Contas da União que constatou a existência de atrasos injustificados na execução da obra do Terminal de Passageiros 2. Na recomendação, o Ministério Público Federal sugere à Infraero a abertura de novo procedimento de contratação pública para a continuidade das obras de reforma e ampliação do aeroporto. Segundo a Infraero, o terminal provisório vai ampliar a capacidade do aeroporto dos atuais 6,2 milhões de passageiros por ano para 6,9 milhões. A previsão de entrega do terminal, que ficará disponível por 90 dias, é no próximo mês. A demanda prevista para 2014 é 6,8 milhões de passageiros. O responsável pelas obras no aeroporto de Fortaleza é o Consórcio Novo Fortaleza, formado pelas empresas Consbem Construções, Paulo Octávio Investimentos Imobiliários e MPE Montagens e Projetos Especiais. O grupo venceu a licitação feita em 2012, por meio de Regime Diferenciado de Contratação (RDC), para realizar obras de reforma, ampliação e modernização do terminal de passageiros do aeroporto.

CRIMINOSOS ESPERARAM O CORONEL MALHÃES CHEGAR PARA REVIRAR A CASA

A Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense tomou depoimento de Cristina Batista Malhães, viúva do coronel Paulo Malhães, assassinado na quinta-feira em seu sítio em Cabuçu, no município de Nova Iguaçu. De acordo com o delegado adjunto Fabio Salvadoretti, os três homens que invadiram a casa do militar estavam no local quando o coronel e sua mulher chegaram. No entanto, só começaram a revirar a casa após a chegada do casal. O caseiro não percebeu a chegada dos bandidos. O delegado disse que foram levados celulares, dois computadores, impressoras, jóias e pelo menos quatro armas da coleção do coronel, além de R$ 700,00.

CMN REMANEJA R$ 3,2 BILHÕES PARA FINANCIAR ÔNIBUS, CAMINHÕES E INOVAÇÃO

O Conselho Monetário Nacional remanejou R$ 3,2 bilhões para reforçar os financiamentos de ônibus, caminhões e programas de engenharia de inovação com recursos do BNDES. As mudanças foram anunciadas na sexta-feira após reunião extraordinária do conselho, composto pelos ministros da Fazenda, Guido Mantega; do Planejamento, Miriam Belchior, e pelo presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. Em relação à linha de crédito para ônibus e caminhões, o CMN ampliou o orçamento em R$ 1,7 bilhão, de R$ 106,9 bilhões para R$ 108,6 bilhões. Os recursos saíram das linhas de financiamento para o Subprograma Bens de Capital – Demais Itens, que estavam com demanda abaixo do esperado e tiveram o limite de crédito reduzido de R$ 121 bilhões para R$ 119,3 bilhões. No caso dos financiamentos do Subprograma Proengenharia/Inovação Produção, o limite de crédito foi elevado em R$ 1,5 bilhão, de R$ 2,8 bilhões para R$ 4,3 bilhões. O dinheiro saiu das linhas de crédito para a compra de transformadores, cujo orçamento passou de R$ 6,8 bilhões para R$ 5,3 bilhões. As linhas de crédito que sofreram remanejamento fazem parte do Programa de Sustentação do Investimento (PSI). Criado em 2009, o programa opera R$ 372 bilhões em recursos do BNDES para financiamentos de bens de capital (máquinas e equipamentos usados na produção), pesquisa, desenvolvimento, inovação e exportação.

ALCKMIN DEFENDE INVESTIGAÇÃO DA LIGAÇÃO DO PETISTA ALEXANDRE PADILHA COM DOLEIRO

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) disse na sexta-feira que deve ser investigado o suposto envolvimento do ex-ministro da Saúde, Alexandre Padilha, pré-candidato do PT ao governo de São Paulo, com o Laboratório Labogen - controlado pelo doleiro Alberto Youssef, o Primo. A afirmação foi feita durante coletiva de imprensa em Mogi das Cruzes, na região metropolitana de São Paulo, onde Alckmin anunciou investimentos na área da saúde. "Acho que tem que ser explicado e investigado. Esse é um assunto federal, e não do Estado, mas é óbvio que tem de ter investigação", disse Alckmin ao ser questionado sobre o que pensava sobre as informações apontadas pelo relatório da Operação Lava Jato da Polícia Federal. Depois, perguntado se a denúncia teria reflexos nas eleições estaduais de outubro, o governador afirmou: "Não misturo essas coisas com as eleições".

PETISTA DILMA DIZ QUE É PRECISO DESCONGESTIONAR PORTOS AO INAUGURAR COMPLEXO NO PARÁ

A presidente Dilma Rousseff afirmou na sexta-feira, ao inaugurar complexo portuário no Pará, que é preciso descongestionar as Regiões Sul e Sudeste para escoar a safra do País. O complexo de Miritituba-Barcarena abre uma nova rota de escoamento de produtos agrícolas que utiliza a BR-163 e os rios Tapajós e Amazonas. "O governo vem realizando investimentos para implantar uma logística que vai desenvolver uma nova rota exportadora pelo Norte do País", disse Dilma, que ressaltou a importância de investimentos privados no setor para aumentar a competitividade. A operação do novo corredor logístico começa por um terminal da Bunge, mas diversas empresas já investem na região com o objetivo de elevar a sua competitividade na exportação de soja e milho, já que o sistema promete reduzir custos da cadeia produtiva.

JÉRÔME VALCKE MINIMIZA PREOCUPAÇÃO COM SEGURANÇA NA COPA DO MUNDO

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, minimizou na sexta-feira a preocupação com a segurança no Brasil durante a disputa da Copa do Mundo. Assim, adotou um tom diferente ao do diretor de marketing da entidade, Thierry Weil, que reconheceu na última quinta-feira que os episódios violentos no País têm preocupado a entidade e os patrocinadores do evento. "Foi um momento muito triste, aconteceu um incidente, mas não houve uma revolução. Do jeito que você pergunta, parece que houve uma revolução. Nunca tive a idéia de que isso pudesse colocar em risco a Copa", disse Valcke, no Rio de Janeiro, no encerramento de mais uma semana de visitas ao País para vistoriar as obras do Mundial. Nos últimos dias, cenas de violência no Brasil ganharam espaço no noticiário internacional, como os conflitos entre manifestantes e policiais em Copacabana, no Rio de Jnaieor, em protesto de moradores do conjunto de favelas Pavão-Pavãozinho, contra a morte de um dançarino amigo de traficantes. Além disso, nas últimas semanas, vários ônibus foram incendiados em São Paulo. Valcke, porém, tratou de não alardear preocupação com a segurança, garantindo que problemas acontecem em todo o mundo, além de exibir confiança de que o governo manterá tudo sob controle no Brasil durante a Copa do Mundo. "Não existe um país que não tenha problema com segurança. É uma questão de todos os países", completou o dirigente.

CCEE FECHA EMPRÉSTIMO COM 10 BANCOS E AFIRMA QUE NÃO HÁ RISCO ELÉTRICAS

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) assinou na sexta-feira com um sindicato de 10 bancos contrato de empréstimo para ajudar as distribuidoras de energia, que estão tendo fortes gastos pela compra de energia mais cara no curto prazo. Os bancos públicos federais Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal arcarão com a maior fatia no financiamento, de 2,45 bilhões de reais cada. A operação tem custo de CDI mais 1,9% ao ano, com quitação até outubro de 2017. Os consumidores pagarão o empréstimo a partir dos reajustes tarifários no ano que vem, por meio de um encargo a ser acumulado na Conta no Ambiente de Contratação Regulada (Conta-ACR) a partir de fevereiro do próximo ano. A garantia do empréstimo, por sua vez, será dada por recursos recolhidos por meio de encargos na conta de luz na Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). "Os associados da CCEE não serão responsáveis pela falta de pagamento", afirmou o presidente do Conselho da CCEE, Luiz Eduardo Barata. O pagamento do empréstimo em parcelas mensais aos bancos terá início em fevereiro de 2015. Além de Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, os bancos mais relevantes na operação incluem Bradesco e Itaú Unibanco, com 2 bilhões de reais cada, e Santander Brasil, com 1 bilhão de reais. Participam ainda Citibank (500 milhões de reais), BTG Pactual (400 milhões de reais), Bank of America Merrill Lynch (200 milhões de reais), JPMorgan (100 milhões de reais) e Credit Suisse (100 milhões de reais). A necessidade de recursos para cobrir os gastos das distribuidoras durante o ano deverá ser melhor estimada após leilão de energia que ocorrerá em 30 de abril, destinado a reduzir a necessidade de compra de energia mais cara pelas distribuidoras no curto prazo. A primeira tranche do empréstimo a ser repassada para as distribuidoras para cobrir as compras de energia de curto prazo feitas em fevereiro, no total de 4,7 bilhões de reais, estará na conta para as concessionárias nesta segunda-feira. O leilão de energia existente marcado para 30 de abril será decisivo para definir mais claramente quanto as distribuidoras de energia precisarão em recursos ao longo do ano e em quanto a conta de energia dos consumidores aumentará no ano que vem. No leilão, as distribuidoras precisam contratar mais de 3,3 gigawatts médios de energia para reduzir a necessidade de comprar energia muito cara no curto prazo, diante da forte geração térmica acionada. Os preços que poderão ser praticados no leilão são de até 271 reais por megawatt-hora, bastante inferiores aos praticados no mercado de curto prazo atualmente, entre 620 e 820 reais. Entre empresas com sobra de energia para vender no leilão estão companhias da Eletrobras e a Petrobras. O empréstimo da CCEE com o sindicado de bancos foi aprovado em assembleia da câmara na terça-feira por 87% dos presentes.

GOVERNO DILMA RECONHECE NECESSIDADE DE AUMENTAR ESFORÇO DIANTE DE ATRASOS EM OBRAS DA COPA DO MUNDO

Com obras atrasadas e prazos expirados, o representante do governo brasileiro na organização da Copa do Mundo, Luis Fernandes, reconheceu na sexta-feira a necessidade de um esforço maior no trabalho até a abertura do Mundial para evitar problemas durante o evento. A menos de 50 dias da Copa, o Brasil ainda tem muito trabalho pela frente para finalizar as obras e a colocação das instalações temporárias em estádios, projetos de infraestrutura e outros compromissos firmados quando o País foi confirmado como sede do Mundial, em 2007. Em Porto Alegre, há a expectativa de que finalmente no fim de semana seja anunciada a empresa responsável pelas instalações temporárias do Beira-Rio, mas ainda existem problemas na infraestrutura do entorno do estádio e mesmo obras internas ainda não foram totalmente concluídas. A cena se repete em São Paulo e Cuiabá, duas cidades visitadas pelo secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke nos últimos dias. Tanto na Arena Corinthians quanto na Arena Pantanal as obras ainda não foram finalizadas e a Fifa não sabe nem mesmo quantas cadeiras os estádios terão no total. Os compromissos assumidos, e já com prazos estourados, exigem do governo um esforço coletivo para que novos problemas não venham a acontecer, segundo o secretário-executivo do Ministério do Esporte, Luis Fernandes.

PORTA-VOZ DA ORGANIZAÇÃO TERRORISTA E NAZISTA IRMANDADE MUÇULMANA É PRESO NO EGITO

Autoridades do Egito anunciaram na sexta-feira a prisão do porta-voz da organização terrorista e nazista Irmandade Muçulmana, Yasser Mehrez, acusado de incitar a violência após a prisão do ex-presidente do partido, Mohamed Morsi, em julho do ano passado. Mehrez estava foragido há 10 meses, na tentativa de escapar da repressão ao partido islâmico.

ESPANHA REJEITA EXTRADIÇÃO DE ACUSADO DE TORTURA

A Justiça espanhola rejeitou a extradição para a Argentina de um agente vinculado ao regime de Franco ao considerar que os crimes dos quais é acusado não podem ser considerados crimes contra a humanidade e, portanto, prescreveram. Em uma decisão publicada na sexta-feira, o Supremo Tribunal de Justiça pediu que sejam suspensas as medidas contra Jesús Muñecas, ex-capitão da Guarda Civil durante a ditadura do general Francisco Franco (1939-1975). Muñecas foi acusado de supostos delitos de tortura. Vários presos que ainda estão vivos deram testemunhos contra ele de espancamento e tortura em 1968. A corte espanhola descreveu os atos como reprováveis, mas de qualquer maneira prescritos. O prazo de prescrição é de 10 anos. Segundo a decisão, a denúncia foi um episódio isolado, que não liga Muñecas à causa geral de genocídio e crimes contra a humanidade investigada pela juíza argentina Maria Servini de Cubría. O Supremo Tribunal deve se pronunciar nas próximas semanas sobre a extradição para a Argentina do ex-inspetor de polícia Antonio González Pacheco, apelidado de "Billy the Kid'', acusado de 13 delitos de tortura durante a ditadura. A juíza instrui desde 2010 uma investigação por crimes contra a humanidade cometidos na Espanha entre 1936 e 1977, período que inclui a Guerra Civil, o regime de Franco e os dois anos entre a morte do ditador e a celebração das primeiras eleições democráticas. A ação foi ajuizada no país sul-americano por associações de vítimas, que não conseguiram abrir um processo na Espanha. Algumas dessas vítimas ofereceram testemunho por videoconferência à juíza direto da embaixada argentina em Madri.

MINISTÉRIO PÚBLICO DE BRASÍLIA INSISTE QUE NÃO HOUVE PEDIDO INDISCRIMINADO DE QUEBRA DE SIGILO TELEFÔNICO DO PALÁCIO DO PLANALTO

Em nota divulgada na tarde desta sexta-feira, 25, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios afirma que “não houve pedido indiscriminado de quebra de sigilo telefônico” do Palácio do Planalto para apurar o suposto episódio envolvendo o uso de celular do ex-ministro e bandido petista mensaleiro José Dirceu no Complexo Penitenciário da Papuda. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, considerou “totalmente desarrazoado” o pedido da promotora Márcia Milhomens Sirotheau Corrêa de quebrar o sigilo telefônico de áreas que abarcam a Papuda e o Palácio do Planalto. Na nota, contudo, o Ministério Público do Distrito Federal afirma que “foram apenas solicitadas informações sobre os dados telefônicos para esclarecer se o sentenciado efetivamente praticou falta grave” e que “não se pretendeu levantar informações sobre qualquer pessoa estranha ao quadro de internos do estabelecimento prisional”.

DILMA TOMA VAIAS EM BELÉM, EM PROTESTO CONTRA A COPA

A presidente Dilma Rousseff enfrentou na sexta-feira um protesto contra a Copa do Mundo em uma cerimônia na qual entregou máquinas financiadas pelo PAC 2 a prefeitos paraenses em Belém (PA). Seu discurso foi interrompido por três vezes por gritos como "não vai ter Copa" e ainda "da Copa, da Copa, da Copa eu abro mão / eu quero é dinheiro para saúde e educação". O evento era patrocinado pelo próprio Palácio do Planalto. Em cerimônias como essa, a platéia é toda composta por convidados do governo federal. Eram cerca de 20 manifestantes que gritavam contra a Copa, e incluíam servidores públicos da Universidade Federal do Pará, do Incra e do Judiciário. Os gritos começaram assim que Dilma chegou ao evento. Tão logo foi anunciada sua presença, ela foi saudada por parte da platéia pelo grito de "olê, olê, olê, olá, Dilma, Dilma!". Quando o grito cessou, vieram os protestos contra a Copa, reforçados por faixas com os dizeres "técnicos grevistas", de um sindicato do Judiciário em greve, e "SOS. Incra". Quando o ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, começou a falar, o grito contra a Copa voltou. A fala da presidente durou 20 minutos. Na segunda das três vezes em que foi interrompida, ela fez referências a uma faixa, na platéia, que denunciava condições precárias de um pronto-socorro de Belém. Anunciou, então, que havia acertado com o governador Simão Jatene (PSDB) a liberação de verbas para um hospital atualmente fechado. Mas não disse uma palavra sobre a Copa do Mundo. Na terceira interrupção, Dilma deu sinais de impaciência: "Gente, eu já estou terminando. É da democracia. Eles têm o direito de falar o que quiserem. Vocês também. Agora, eu queria pedir. A gente pode se manifestar desde que a gente não prejudique a maioria".

GOVERNO FIXA COTAS PARA EXPORTAÇÃO DE LÍTIO E BERÍLIO

O governo federal fixou cotas de exportação de lítio, berílio, zircônio e nióbio para o exercício de 2014. A resolução da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) estabelecendo tais limites foi publicada no Diário Oficial da União na sexta-feira. A medida cita que esses elementos são considerados "de interesse para a energia nuclear". A regra vale para os elementos "sob a forma de minerais, minérios e concentrados, com base nos óxidos contidos". Os limites são de até 50 toneladas em óxido de berílio contido (BeO); até 50 toneladas em óxido de lítio contido (Li2O); até 300 toneladas em óxido de nióbio contido (Nb2O5); e até 1.000 toneladas em óxido de zircônio contido (ZrO2). A Coordenação de Matérias Primas e Minerais (COMAP) da CNEN ainda vai expedir edital abrindo inscrições para as empresas interessadas em obter cotas para 2014. Os totais autorizados serão subdivididos em 50% para cada semestre.