sábado, 7 de junho de 2014

PRODUTORES RURAIS AGUARDAM INÍCIO DA OPERAÇÃO DE TERMINAL EM PORTO NO MARANHÃO

Fora do eixo Miritituba Vila do Conde (PA) ou Santana (AP), outro empreendimento tem sido esperado com ansiedade pelos produtores do chamado Matopi (Mato Grosso, Tocantins e Piauí). Trata-se do Terminal de Grãos do Maranhão (Tegram), no Porto de Itaqui. O empreendimento, de R$ 600 milhões, está sendo tocado por um grupo de empresas que inclui Glencore, CGG Trading, Consórcio Crescimento (formado pela francesa Louis Dreyfus Commodities e a Amaggi Exportação) e NovaAgri. O primeiro dos quatro terminais do Tegram deverá ser inaugurado entre agosto e setembro. Até o fim do ano, os outros três terminais entram em operação, sendo um por mês. Inicialmente vão movimentar 5 milhões de toneladas de grãos, podendo atingir futuramente 10 milhões de toneladas. A operação será feita por esteiras que levarão os grãos até os carregadores (shiploaders) dos navios. “Como as condições do porto são boas, com uma profundidade de 15 metros, poderemos receber navios de 75 mil a 80 mil toneladas”, afirma o diretor de Logística da CGG Trading, Luiz Claudio Santos. Ele conta que 80% dos grãos que chegarão ao terminal serão transportados pela ferrovia Norte Sul e o restante por rodovia. Além dos investimentos no terminal, as empresas também vão gastar cerca de R$ 300 milhões para construir estruturas de armazenamento nas cidades do interior. “Com o Tegram, será possível explorar áreas que hoje estão ociosas. Há cerca de 2 milhões de hectares no Tocantins e outros 2 milhões de área de pastagem degradada que podem ser usadas para plantação de grãos. A expansão de terminais na região deve fortalecer a cabotagem no Brasil. Hoje muitos produtos feitos na Zona Franca de Manaus vão até Santa Catarina, por exemplo, de caminhão. “Estamos tentando convencer esses clientes de que a cabotagem é mais vantajosa. Temos conseguido grandes avanços”, afirma o diretor da Santos Brasil, Mauro Salgado. A empresa tem um terminal de contêineres em Vila do Conde, no Pará, desde 2008. “Vivemos o melhor momento desde que compramos o terminal. Neste ano, já crescemos entre 30% e 40% comparado ao período anterior, muito em função da cabotagem.” Mas a exportação de madeira, carnes, pescado e pimenta também reagiu e impulsionou o desempenho positivo, diz o executivo.

MARCHA PARA JESUS REÚNE MAIS DE 300 MIL PESSOAS EM CAMINHADA PARA A ZONA NORTE EM SÃO PAULO

Vestindo camisetas personalizadas da seleção brasileira, pelo menos 300 mil pessoas estiveram presentes na 22ª edição da Marcha para Jesus, em São Paulo. Os organizadores do evento falaram em "milhões de participantes" no site oficial. O uniforme com as inscrições do evento trouxe o número 33 nas costas, que representa a idade da morte de Cristo. O tema de 2014 foi "Conquistando Para Cristo". Organizada e presidida pelo apóstolo Estevam Hernandes, da Igreja Renascer, a marcha reuniu igrejas cristãs de várias denominações. Ela percorreu quatro quilômetros pela Avenida Tiradentes, da Praça da Luz, no centro, até a Praça Heróis da Força Expedicionária Brasileira, na zona norte. No percurso, oito carros de som variaram pregações, escola de samba, grupos de rap e cantores gospel. O evento ainda contou com bandas evangélicas como Eyshila, Renascer Praise e a cantora Ana Paula Valadão, organizadas em um palco na praça Campo de Bagatelle, na zona norte. A marcha teve início às 10 horas. "A marcha representa nosso desejo de expressar essa fé e declarar a bênção do Senhor sobre nosso país!", afirma Hernandes. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) organizou uma operação especial para o evento em 47 pontos do percurso, mas houve congestionamento nas zonas norte e oeste da cidade. Diferentemente de outras festas de rua, não houve uma cerveja sequer na Marcha. Quem buscava bebida encontrava sucos industrializados e refrigerantes.

JORNAL DIZ QUE RICARDO TEIXEIRA TEM R$ 100 MILHÕES EM CONTRA SECRETA EM MONTECARLO

O ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, teria mais de 30 milhões de euros (cerca de R$ 100 milhões) em uma conta secreta em Mônaco. A informação foi revelada pelo jornal eletrônico francês Mediapart, como parte de uma investigação conduzida sobre o banco Pache, uma filial do grupo Credit Mutuel. O caso estaria sendo investigado pelas autoridades monegascas por lavagem de dinheiro, em um processo conduzido pelo juiz Pierre Kuentz. Em gravações realizadas pela Justiça e obtidas pelo jornal francês, o nome de Ricardo Teixeira é citado pelo diretor do banco, Jürg Schmid. "Eu não quero ter de ficar explicando a situação a todos. Quando se faz barulho interno e externo, nós estaremos na rua", disse Schmid. "Nós, no banco Pasche, temos uma situação em que devemos provavelmente aceitar clientes que outros bancos certamente não aceitariam", disse. Ele explicaria de forma mais precisa sua declaração. "Eu tenho um, o grande brasileiro", afirmou. "Eu sei muito bem que nenhum outro banco de Mônaco queria abrir uma conta dele", disse. "Agora, ninguém o quer porque se trata verdadeiramente de uma fria", estimou. "Mas nós fizemos tudo, já que temos a declaração de imposto e a declaração dos tribunais que dizem que ele não foi condenado", declarou. "Evidentemente, ele é conhecido, mundialmente conhecido", afirmou: "Portanto, existe um risco de reputação". O banqueiro chegou a dar explicações sobre a origem do dinheiro. "Sabemos que ele recebeu dinheiro em troca de favores, mas não são políticos", disse. "Decidimos juntos que nós o receberíamos porque ele nos traz 30 milhões de euros e isso não é pouco", declarou Schmid. Segundo o jornal, nos últimos meses, Ricardo Teixeira teria feito diversas viagens até Mônaco. Ele teria passado pelo principado em janeiro, fevereiro, abril e maio de 2014, sempre ficando pelo menos dois ou três dias. De acordo com a publicação, o cartola se hospeda no luxuoso hotel Metropole e a conta é sempre paga pelo banco Pasche. Isso não seria por acaso: o hotel fica a poucos metros do banco.

PT SE ARTICULA PARA SALVAR ANDRÉ VARGAS DA CASSAÇÃO

Nas últimas semanas, o petista André Vargas vem procurando pessoalmente cada um dos integrantes do Conselho de Ética para clamar por misericórdia. Ele sabe que o período eleitoral aumenta consideravelmente o seu risco de cassação e pede apenas que os colegas engavetem o processo até as eleições. Se conseguir arrastar seu julgamento para depois de outubro, o deputado acredita que escapará da pior das punições. “O Vargas me pediu ajuda. Mas, em ano eleitoral, você acha que alguém vai ser louco de livrar a cara dele?”, diz o vice-presidente do Conselho de Ética, deputado José Carlos Araújo (PSD-BA). E completa: “Eu disse que ajudo, desde que não me prejudique, porque, por mais que você queira ajudar, tem hora que não dá. É ele ou eu, né?” É exatamente essa a aposta do parlamentar. Sem a pressão das urnas, o ex-vice-presidente da Câmara já ouviu de alguns dos membros do conselho que sua punição será branda, no máximo uma advertência pelo “mau comportamento”. Afinal, ele não é o único que tem amizade com criminosos, não é o único que usa jatos emprestados de empresários, não é o único que se aproveita do cargo para encher os bolsos de dinheiro viabilizando negócios escusos no governo.

A MORTE DE FERNANDÃO, ÍDOLO DO INTERNACIONAL

Começou às 20h20 deste sábado o velório do corpo do ex-jogador Fernando Lúcio da Costa, de 36 anos, o Fernandão. A cerimônia acontece no Ginásio Luis Torres de Abreu, localizado na Serrinha, sede do Goiás Esporte Clube, no Setor Bela Vista, em Goiânia. O ex-atacante e mais quatro pessoas morreram em um acidente de helicóptero na madrugada deste sábado, em Aruanã, a 315 quilômetros da capital. Ídolo do Goiás e do Internacional, Fernandão era comentarista da Sportv há dois meses. O acidente ocorreu logo após o grupo deixar um acampamento às margens do Rio Araguaia em direção a Aruanã. Em uma das últimas imagens do ex-atleta, que foi publicada por um amigo nas redes sociais, ele aparece passeando de lancha ao som da música “Aqueles Olhos”, interpretada pela dupla sertaneja Leandro e Leonardo. A morte de Fernandão comoveu milhares de fãs. O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), divulgou uma nota de pesar sobre a morte do ex-jogador. O mesmo acidente matou um primo de Perillo, Antônio de Pádua, o Bidó. No texto, o governador diz: "As perdas são irreparáveis e não há palavras para expressar a dimensão da tragédia, que vitimou tantas pessoas queridas de nossos círculos familiares e de amizade e também da população de Goiás. Temos a plena certeza de que Deus guiará a todos na plena paz espiritual, reforçada pelas nossas orações". Em Porto Alegre, centenas de colorados fazem vigília em frente ao Beira-Rio, na Avenida Padre Cacique. Neste domingo, o Inter promoverá uma missa no auditório Araújo Vianna, às 17 horas, e também já anunciou que não irá usar a camisa 9 no próximo jogo do clube no Brasileirão, contra o Corinthians, após a Copa do Mundo. Fernandão estava com mais quatro pessoas em um acampamento às margens do Rio Araguaia, a cerca de 12 quilômetros do Centro de Aruanã, onde ele tinha uma fazenda. O grupo seguia do rancho para a sede da propriedade rural. O helicóptero caiu logo após decolar, por volta das 1h30, em uma faixa de areia. Além de Fernandão e Bidó, também morreram Edmilson de Sousa Lemes, cabo da PM e presidente da Câmara Municipal de Palmeiras de Goiás; Milton Ananias, coronel aposentado da Polícia Militar e quem pilotava a aeronave, e Lindomar Mendes Vieira, funcionário da fazenda. Imagens de um cinegrafista amador mostram o momento em que o ex-jogador é resgatado. No vídeo, é possível ver o Corpo de Bombeiros colocando Fernandão em uma maca. Muitas pessoas se aglomeraram no banco de areia para acompanhar o resgate. Das cinco pessoas que estavam a bordo, Fernandão foi o único encontrado com sinais vitais. No entanto, ele não resistiu aos ferimentos e morreu no caminho para o Hospital Municipal de Aruanã. O helicóptero está registrado no nome da empresa Planalto Indústria Mecânica Ltda, da qual ele era sócio. De acordo com informações da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a aeronave Esquilo, prefixo PT-YJJ, estava com a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) em dia e válida até fevereiro de 2015. Já o Certificado de Aeronavegabilidade venceria em fevereiro de 2019. Fernandão nasceu em Goiânia e iniciou a carreira nas categorias de base do Goiás Esporte Clube. Entre os anos de 1995 e 2001, conquistou cinco campeonatos estaduais, duas Copas Centro-Oeste e um Brasileiro na Série B, sempre na posição de meia. Depois, seguiu para a Europa, onde jogou pelo Olympique de Marselha e Toulouse, na França, quando passou a atuar como atacante. Ele também jogou no Al-Gharafa, do Catar. Em 10 de julho de 2004, estreou com a camisa do Internacional em uma partida contra o Grêmio, quando foi o responsável pelo milésimo gol da história do clássico GreNal. No Colorado, Fernandão ainda foi o capitão do time nas conquistas da Libertadores e Mundial de 2006. Em 2009 o atacante retornou ao Goiás e depois se transferiu para o São Paulo. Ele se aposentou em 2011, quando estava no São Paulo. Passou, então, a participar da diretoria do Internacional e, mais tarde, assumiu o posto de treinador do clube.

O EXPLOSIVO BRAÇO POLÍTICO DO PT PAULISTA NO MUNDOS DOS PERUEIROS

CARGA PESADA – O deputado Luiz Moura e seu irmão, o vereador Senival Moura: a explosiva base do PT na Zona Leste de São Paulo (Vera Massaro/Alesp e Renatod'Sousa/Câmara Municipal de São Paulo)
CARGA PESADA – O deputado Luiz Moura e seu irmão, o vereador Senival Moura: a explosiva base do PT na Zona Leste de São Paulo (Vera Massaro/Alesp e Renatod’Sousa/Câmara Municipal de São Paulo)
Por Felipe Frazão, na VEJA.com: Os irmãos petistas Senival Moura, vereador em São Paulo, e Luiz Moura, deputado estadual, começaram o ano com planos eleitorais ambiciosos. Com base política em expansão na Zona Leste da capital paulista, consolidada com o apoio de cooperativas de perueiros, a dupla planejava uma vaga para Senival na Câmara dos Deputados, em Brasília, renovar o mandato de Luiz Moura na Assembleia Legislativa e deixar como representante do clã na Câmara Municipal o novo aliado Vavá dos Transportes – eleito pelos condutores de ônibus. Tudo isso com o aval do líder Jilmar Tatto, deputado federal e atual secretário municipal de Transportes. Há duas semanas, entretanto, o projeto dos Moura começou a ruir. No auge de uma greve-surpresa de motoristas e cobradores de ônibus que travou São Paulo, veio a público a informação de que Luiz Moura havia sido flagrado por policiais em uma reunião com sindicalistas na garagem de uma cooperativa na qual também estavam dezoito membros da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Policiais do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) apuravam os ataques incendiários a ônibus na cidade.
Integrante da corrente PT de Lutas e de Massas, Luiz Moura foi eleito com 104.705 votos em 2010. Ex-líder dos perueiros, é um velho conhecido da Justiça: ex-assaltante, escapou da cadeia em 1993 e passou dez anos foragido até ser levado ao Partido dos Trabalhadores pelas mãos do irmão Senival. Nas últimas semanas, tornou-se um fardo eleitoral para o partido. Em comunicado aos militantes, a tendência petista Articulação de Esquerda tratou do assunto com as seguintes palavras: “Este caso tem potencial explosivo, pois se trata de uma acusação relacionada ao crime organizado”. O grupo avaliou que o PT não poderia “ficar na defensiva”. Dias depois, a Comissão Executiva do PT paulista, articulada com as correntes internas e o comando do Diretório Nacional, rifou a pré-candidatura de Luiz Moura à reeleição ao suspender sua filiação por sessenta dias. Ele não poderá participar da Convenção Estadual, na semana que vem, quando o partido distribuirá as legendas aos candidatos em São Paulo.
Acuado, Luiz Moura parou de participar de agendas públicas e tem faltado às aulas do curso de Direito, segundo colegas da Universidade Cruzeiro do Sul, na Zona Leste. Reservadamente, fez correr o recado que ameaça reagir: vai à Justiça contra a suspensão e rejeita devolver o mandato ao PT, caso seja desfiliado. Ouvido no Diretório Estadual por uma hora, Luiz Moura “negou tudo” e não quis se afastar por iniciativa própria, segundo um dos presentes. Em pronunciamento na Assembleia, Luiz Moura afirmou que estava na reunião da cooperativa para impedir a greve e que tentam manchar sua biografia: “Querer me atribuir um crime dessa magnitude, me envolver com facção criminosa, é um absurdo. O que estão fazendo comigo e minha família é imoral”. Ele também se mostrou indignado com o presidente do PT de São Paulo, Emídio de Souza, responsável pelo processo disciplinar que pode resultar em sua expulsão.
A decisão da cúpula petista tem como pano de fundo, obviamente, a campanha eleitoral deste ano. O partido quer afastar qualquer integrante que represente um flanco exposto. Adotou-se a mesma estratégia que a direção nacional do PT impôs no caso do deputado federal André Vargas (PR), investigado por suposta associação ao doleiro Alberto Youssef. O discurso adotado pelo comando da campanha do ex-ministro Alexandre Padilha ao governo de São Paulo é que, assim como Vargas, Luiz Moura tem um “problema de ordem pessoal”, desvinculado das instâncias partidárias.
Há quatro anos, contudo, um cálculo igualmente pragmático fazia de Luiz Moura um candidato ao qual diversos figurões petistas queriam se associar, a ponto de doarem a ele, por meio dos respectivos comitês, recursos e material de campanha estimados em quase 275.000 reais. Na lista, aparecem os nomes de Jilmar Tatto, os ministros Marta Suplicy (Cultura) e Aloizio Mercadante (Casa Civil), os mensaleiros João Paulo Cunha e José Genoino, e os deputados federais Arlindo Chinaglia, Cândido Vaccarezza, Carlos Zarattini e Devanir Ribeiro. Ou seja: nas eleições de 2010, nenhum deles julgou inadequado fazer a chamada “dobradinha” ou partilhar material de campanha com o ex-assaltante que tentava se eleger deputado. Além disso, conforme revelou VEJA, a prestação de contas da campanha de Luiz Moura à Justiça Eleitoral contém outro dado revelador: um de seus doadores é o ex-presidiário Claudemir Augusto Carvalho, condenado por furto, roubo e, segundo a polícia, membro do PCC.
Em 2005, Luiz Moura ganhou o perdão judicial depois de fugir da cadeia. Senival já era suplente de vereador e assumiria o primeiro mandato dois anos depois. Em 2008, ele obteve a maior votação do PT para a Câmara Municipal de São Paulo. Internamente, era considerado uma potência para captar votos na Zona Leste de São Paulo. O segredo: Senival comandava uma categoria com enorme capilaridade na região, os chamados perueiros.
Senival filiou-se ao PT em 1989, segundo dados da Justiça Eleitoral. É visto no partido como um militante histórico – ao contrário do irmão, filiado em 2006. Ambos nasceram em Batalha (AL), mas fixaram residência em Guaianases, bairro pobre cercado por loteamentos irregulares e favelas na divisa com Ferraz de Vasconcelos (SP). Senival foi fundador do Sindilotação, entidade que representa perueiros da Grande São Paulo. Ele mantém influência principalmente nas cooperativas Cooperalfa e Transcooper Leste – da qual Luiz Moura é presidente de honra. O setor de transporte alternativo é investigado pela polícia por suspeita de lavagem de dinheiro do crime organizado. Procurado em seu gabinete na Câmara Municipal para falar sobre a trajetória política da família, Senival não retornou contato.
Atualmente, ambos possuem imóveis em outros bairros e atuam como empresários. Senival constituiu, em março deste ano a SPM, uma empresa na Zona Leste que tem como objeto social o transporte rodoviário de passageiros em linhas fixas e de cargas, de acordo com dados da Junta Comercial de São Paulo. No fim de abril, o vereador registrou uma nova academia na Zona Norte, aberta com a mulher e os dois filhos. Luiz Moura, por sua vez, possuiu ao menos quatro postos de combustível em seu nome: dois na Zona Leste e dois na Zona Sul. Os postos lucram também com aluguel de espaços para lojas comerciais. Um deles, no Brooklin, vende entre 400.000 e 500.000 litros de gasolina por mês, estimam funcionários.
Copa Senival
Um delegado de Polícia Civil que morou em Guaianases e foi titular do 68º DP de Lajeado, na mesma região, conta que nos relatórios feitos para a Secretaria da Segurança Pública sobre lideranças comunitárias do bairro, o nome de Senival é recorrente. Ele diz que mesmo depois de eleitos, Senival e o irmão cultivaram o contato direto com eleitores e sempre auxiliaram em “carências da população não supridas pelo Estado”.
Senival e Luiz Moura são conhecidos na periferia Leste pela concessão de benesses. A mais recente são cursos de corte e costura oferecidos no recém-inaugurado escritório político do deputado estadual. Senival, por sua vez, organiza há mais de seis anos um torneio de futebol de várzea que reúne cerca de 5.000 atletas amadores. O regulamento proíbe o uso de camisas com o nome de outros políticos. Também não são novos, dentro e fora do PT, relatos de agressividade e truculência por parte de cabos eleitorais da dupla contra os de outros candidatos na região, embora não se fale abertamente sobre o assunto. Na “Copa Senival”, o vereador distribui uniformes e auxilia no transporte dos times de periferia, segundo participantes. Em troca, os irmãos ganharam a fidelidade eleitoral dos moradores de Guaianases e região. Não há uma só eleição em que um Moura capte menos de 11.000 votos nominais em Guaianases – e a influência se espalha para Cidade Tiradentes, Itaim Paulista, São Miguel Paulista e Ermelino Matarazzo.
Petistas de São Paulo dizem que um dos primeiros caciques do partido a perceber o potencial dos Moura nas urnas foi o ex-presidente da Câmara dos Deputados Arlindo Chinaglia (PT-SP). Em 2002, ano em que Senival passou da militância ao protagonismo como candidato pela primeira vez, Chinaglia doou 12.000 dos 18.000 reais que Senival declarou à Justiça ter arrecadado. Senival não se elegeu, mas Chinaglia obteve votação histórica em Guaianases: mais de 12.000 votos nominais, quase 10.000 a mais que na eleição anterior. O atual vice-presidente da Câmara dos Deputados não foi localizado por sua assessoria de imprensa.
Chinaglia havia participado da gestão da ex-prefeita Marta Suplicy, como secretário de Implementação das Subprefeituras. Na prática, as administrações regionais descentralizaram o orçamento da prefeitura – a ideia era aproximar o poder Executivo local das áreas pobres, tanto para investimentos quanto para atendimento de demandas. Atualmente, as subprefeituras são controladas politicamente pelos 55 vereadores paulistanos e alguns deputados estaduais, que indicam chefes de gabinete e supervisores de Esportes, Cultura e Habitação. Não é diferente com os Moura. Eles têm aliados em postos de comando nas subprefeituras de Guaianases e Ermelino Matarazzo.
A dobradinha também funcionou para Jilmar Tatto, atual secretário de Transportes de Haddad. Na eleição de 2010, Tatto aplicou 200.000 reais na campanha de Luiz Moura, em transferência de seu comitê. O resultado foi expressivo: 14.000 votos nominais em Guaianases e 13.000 no Itaim Paulista, quantidades somente superadas pelas obtidas nos seus redutos da Zona Sul, Parelheiros e Grajaú. A relação entre os Moura e Tatto é estreita – o secretário afirma se tratar de um contato “estritamente partidário”. Na última sexta-feira, o site de VEJA revelou que um ex-assessor de Senival, réu em processo criminal por receptação e venda de carga roubada, foi nomeado para um cargo na SPTrans, comandada por Tatto. Em nota, a empresa que fiscaliza os ônibus na capital paulista disse ter acionado a Corregedoria Geral do Município para analisar a nomeação do assessor. Mas silenciou sobre quem o indicou. Em ano eleitoral, os irmãos Moura, agora, podem se tornar uma carga para o PT.

EPE DEVE FIXAR PREÇO-TETO MAIS ALTO EM LEILÃO DE ENERGIA A-5 PARA ATRAIR TÉRMICAS

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) pretende definir um preço-teto de energia no leilão A-5, marcado para 12 de setembro, suficientemente alto para atrair a participação de usinas térmicas na competição, disse o presidente da entidade, Maurício Tolmasquim, na sexta-feira. Ao estabelecer preços mais atrativos para as térmicas, o governo quer evitar que a proporção de térmicas na matriz elétrica brasileira caia, já que o objetivo é garantir a contratação de 7.500 megawatts de novas térmicas até 2023. No leilão, vende energia quem oferecer os preços mais baixos em relação aos preços-teto estabelecidos pelo governo federal. O leilão A-5 contratará energia para ser entregue a partir de 2019. No leilão A-5 haverá um produto separado para competição entre térmicas a biomassa, térmicas a gás natural, incluindo gás natural liquefeito (GNL), e a carvão. O presidente da EPE disse ainda que as térmicas a biomassa terão boas chances de se viabilizarem no A-5 por serem as mais competitivas. "O preço-teto vai ser definido pela térmica a carvão ou a gás...bem mais caro que a térmica a biomassa. Então, no próximo leilão A-5, eu diria que vai ser um momento muito bom pra biomassa porque, a rigor, o preço dela é mais barato", disse ele. Cerca de 20 gigawatts de térmicas a gás se cadastraram para participar do leilão A-5, sendo a maioria de gás natural liquefeito (GNL). Tolmasquim acrescentou que alguns dos investidores estudam construir terminais próprios de regaseificação de GNL importado para abastecer as térmicas, enquanto outros negociam com a Petrobras o aluguel de terminais de regaseificação.

MANDRAKE NEOTROTSKISTA PETISTA ARNO AUGUSTIN DIZ QUE GOVERNO ESTÁ COMPROMETIDO COM O CRÉDITO

O secretário do Tesouro Nacional, o Mandrake neotrotskista petista Arno Augustin, afirmou na tarde de sexta-feira, após evento na capital gaúcha, que o governo está comprometido com a concessão de crédito e continuará agindo desta forma. "Nós podemos manter um crescimento da economia proporcional ao de outros países importantes, mas obviamente isso significa a continuidade de um conjunto de esforços, inclusive de crédito", disse. Augustin fez as declarações ao ser questionado pela imprensa depois de sua participação no fórum organizado pelo jornal espanhol El País em Porto Alegre. Um pouco antes, em sua apresentação no mesmo seminário, o ex-presidente e alcaguete Lula (delatava companheiros para o Dops paulista durante a ditadura militar, conforme Romeu Tuma Jr) havia se dirigido diretamente ao secretário na platéia ao fazer diversos comentários sobre política econômica. Lula disse que Augustin teria que explicar um dia a ele por que o crédito estava sendo "barrado no Brasil" se o País não tinha inflação de demanda. Em outro momento, falou que o pensamento de "tesoureiro" de Augustin impedia a concretização de certas medidas mais ousadas no Brasil. Augustin afirmou que é preciso dar condições de financiamento para a economia brasileira que permitam a continuidade de uma situação de emprego que não foi tão afetada pela crise internacional, se comparada a outros países. Segundo o Mandrake neotrotskista Arno Augustin, o governo brasileiro sabe que é importante prover crédito às empresas e às pessoas, e por isso o Banco Central tem uma determinada política monetária que corresponde ao nível de crédito que se entende adequado a cada momento.

DILMA AFIRMA QUE PRONATEC 2 TERÁ MAIS DE OITO MILHÕES DE VAGAS

A presidente Dilma Rousseff anunciou na sexta-feira que será lançada nos próximos dias a segunda fase do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), prevista para ser implementada em um eventual segundo mandato, com a oferta de mais de 8 milhões de vagas. O programa de ensino profissionalizante é um dos trunfos eleitorais de Dilma para conquistar a reeleição em outubro, ao lado dos programas Minha Casa, Minha Vida e Mais Médicos. "Nessa etapa nós estamos fazendo 8 milhões de matrículas", prometeu a presidente sem divulgar a nova meta. "Meu compromisso é garantir que Pronatec seja permanente e que ele aumente o número de vagas disponíveis", disse Dilma em discurso durante cerimônia de formatura de 2 mil alunos do Pronatec em Florianópolis (SC).

JUSTIÇA PAULISTA DECRETA A PRISÃO PREVENTIVA DOS LINCHADORES DO GUARUJÁ

O juiz da 1ª Vara Criminal de Guarujá (SP), Leonardo Grecco, acatou o pedido do Ministério Público e da Polícia Civil e decretou a prisão preventiva dos cinco homens acusados de participação ativa no linchamento da dona de casa Fabiane Maria de Jesus, de 33 anos, morta no último dia 5 de maio, após ser violentamente espancada por dezenas de moradores da favela de Morrinhos, onde morava. Valmir Barbosa, Lucas Rogério Fabrício Lopes, Carlos Alex Oliveira de Jesus, Abel Vieira Batalha Júnior e Jair Batista dos Santos, que foram reconhecidos nas imagens feitas pelos celulares dos próprios moradores como os protagonistas da ação criminosa, vão continuar detidos na cadeia anexa ao 1º Distrito Policial de Guarujá. Os cinco acusados foram denunciados por homicídio triplamente qualificado e, se forem condenados, poderão cumprir pena de até 30 anos de reclusão. A morte da dona de casa chocou o País. Ela foi agredida pelos moradores do bairro onde morava, ao ser confundida com uma suposta sequestradora de crianças, que teve o seu retrato falado postado em uma página do Facebook.

BANCO DO BRASIL APROVA NOVO PROGRAMA DE RECOMPRA DE ATÉ 3,5% DAS AÇÕES EM CIRCULAÇÃO

O Conselho de Administração do Banco do Brasil aprovou na sexta-feira novo programa de recompra do equivalente a até 3,5% de suas ações em circulação no mercado. Os papéis serão adquiridos para manutenção em tesouraria e posterior alienação ou cancelamento sem redução do capital social. O prazo do programa é de 365 dias. O Banco do Brasil recomprará até 50 milhões de ações de um total de 1.411.929.905 de papéis em circulação no mercado. O Conselho também aprovou na sexta-feira o encerramento do programa de recompra de ações iniciado em 14 de junho de 2013 e tomou conhecimento da renúncia de Paulo Rogério Caffarelli ao cargo de membro do Conselho de Administração. Caffarelli assumiu recentemente o cargo de secretário-executivo do Ministério da Fazenda.

EQUIPE DE EDUARDO CAMPOS NEGA QUE TENHA TENTADO COMPRAR SEGUIDORES

O perfil oficial do candidato à Presidência Eduardo Campos no Twitter respondeu abertamente a um perfil que se oferece para comprar seguidores. "Olá, @publicidadees, pode nos enviar a proposta por DM. #Equipe40", diz o tuíte publicado na quinta-feira às 19h31 por @eduardocampos40, perfil certificado do presidenciável. Também na quinta-feira, às 17h36, o perfil @publicidadees havia tuitado "Compre 50mil seguidores em qualquer rede social e ganhe mais 50mil de brinde. Interessados chamar por DM". A última postagem do @publicidadees antes dessa era de 29 de abril, também falando sobre promoção para comprar seguidores na rede social. "Promoção relâmpago. 50mil seguidores reais no instagram por 800 reais a vista, promoção válida até quarta-feira. Chama por dm", diz o tuíte. Contatada, a assessoria de Eduardo Campos disse que o perfil recebe diariamente diversos contatos e que, "por padrão, é solicitado para que essas pessoas enviem o conteúdo de suas demandas por mensagem direta". A nota afirma que o tuíte em questão seguiu esse procedimento: "São falsas as informações de que negociamos compra de seguidores. A prova irrefutável disso é que nosso perfil oficial no Twitter conta com cerca 27 mil seguidores, número modesto, que representa um trabalho que começou há apenas alguns meses". O perfil do @publicidadees se identifica no Twitter como: "Empresa de Publicidade em Mídias Sociais. A maior concentração de seguidores por metro quadrado. Entre em contato conosco: Contatogilliardi@r7.com.

QUEDA DE DUAS TORRES DE TRANSMISSÃO RESTRINGE FORNECIMENTO DE ENERGIA DE ITAIPU ATÉ A VÉSPERA DA COPA

O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) informou na sexta-feira que houve queda de duas torres de transmissão de linha entre Foz do Iguaçu e Ivaiporã, no Sul do País, na quinta-feira, provocando o desligamento automático de dois circuitos da linha e reduzindo o envio de energia da hidrelétrica de Itaipu para o Brasil, mas sem causar corte no abastecimento do País.
Os dois circuitos têm previsão para retornar à operação em 11 de junho, véspera do início da Copa do Mundo, informou o ONS no Sumário Executivo do Programa Mensal de Operação, divulgado na sexta-feira. Durante o período de desligamento dos circuitos, a usina de Itaipu opera com limitações, a 4.200 MW nas cargas pesada e média, em 60 Hertz, e a 3.800 MW na carga leve. Como base para comparação, em 4 de junho, um dia antes da queda das torres, a produção da energia de Itaipu em 60hz foi de 4.980 MW médios, segundo o Informativo Preliminar Diário de Operação do ONS. Na frequência de 50 Hz foram gerados 4.745 MW médios para o Brasil. Das 20 unidades geradoras de Itaipu, dez geram em 50 Hz, que é a freqüência usada no Paraguai, e dez em 60 Hz, freqüência utilizada no Brasil. Existe uma estação conversora, no lado brasileiro, para transformar em 60 Hz a energia gerada em 50 Hz que não é utilizada pelo país vizinho. A linha de transmissão Foz do Iguaçu - Ivaiporã, operada por Furnas, do grupo Eletrobras, é um sistema em corrente alternada formada por três circuitos. Essa linha já chegou a sofrer quedas por tempestades no passado, além de desligamentos. Em 2009, a queda de três linhas que transmitem energia de Itaipu, localizadas entre o Paraná e São Paulo, causou um apagão que atingiu 18 Estados do País.

PETROBRAS ESPERA ABOCANHAR A CRESCENTE PRODUÇÃO DAS EMPRESAS PETROLÍFERAS NO BRASIL

A Petrobras avalia que poderá se beneficiar nos próximo anos do crescimento da produção de petróleo de concorrentes e sócias instaladas no Brasil, ao aumentar suas compras de óleo no mercado interno em meio à expansão de seu parque de refino. Aliada ao crescimento de sua própria produção, essa poderia ser uma alternativa para a Petrobras reduzir as importações, que têm afetado negativamente as suas finanças e o resultado da balança comercial do País. O volume adquirido atualmente no mercado interno é ainda muito pequeno, menos de 1% da produção nacional, mas a estatal tem interesse em absorver parte da produção crescente das demais empresas que operam no País. A produção dessas petroleiras saltou 164% em abril, na comparação com o mesmo período do ano passado, para 393,6 mil barris de óleo equivalente ao dia (boe/d), segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), enquanto a extração da Petrobras cresceu 1,3% na mesma comparação, para 2,273 milhões de boe/dia. A empresa comprou de terceiros, parceiros ou não, cerca 15,8 mil barris por dia em 2013, ante uma produção nacional de quase 2 milhões de barris/dia. Com um crescimento expressivo da produção das outras petroleiras que atuam no Brasil, a participação da Petrobras no total produzido de petróleo e gás no País recuou para 85,2% da extração nacional em abril, ante uma fatia de 93,8% uma ano antes. A Petrobras ressaltou que por enquanto as suas importações de petróleo não têm caído de forma relevante. "Tomando-se por base o período de janeiro a abril, a diferença do volume de petróleo importado entre 2013 e 2014 foi aproximadamente de 3%", afirmou em nota. Compras de combustíveis no mercado internacional, a preços superiores aos de venda no mercado interno, estão por trás de perdas gigantes da estatal na sua divisão de abastecimento. A definição da quantidade de petróleo importado depende do volume de petróleo nacional produzido pela estatal e do nível de processamento de óleo cru nas refinarias, que têm operado a pleno vapor para fazer frente ao consumo interno. A Petrobras destacou que possui um parque de refino, com unidades distribuídas pelo País, com capacidade de processamento de petróleo superior a 2 milhões barris por dia, com perspectivas de expansão. Ao final de 2014, deverá entrar em operação unidade da Refinaria do Nordeste (Rnest), com capacidade para 115 mil barris/dia. A segunda unidade da Rnest, em Pernambuco, não deve começar antes de meados de 2015. Uma unidade de refino no Comperj, no Rio de Janeiro, deve começar a produzir em 2016. Com o crescimento na produção no País projetado para este ano, após dois anos de recuo na extração, a estatal disse que prevê elevar suas exportações em 2014, após ter exportado quase 200 mil barris/dia de petróleo em 2013. A empresa não fez uma estimativa do aumento.

JUSTIÇA PAULISTA MANDA GOVERNO DO PETISTA FERNANDO HADDAD EXONERAR O SUBSECRETÁRIO DAS SUBPREFEITURAS QUE É CONDENADO POR IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

A Justiça paulista condenou na sexta feira, por improbidade administrativa, o ex-secretário municipal do Verde e Meio Ambiente, Ricardo Teixeira (PV), atual titular da Secretaria das Subprefeituras do governo Fernando Haddad (PT). Em sentença de seis laudas, a juíza Simone Gomes Rodrigues Casoretti, da 9ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, também condenou a administração Haddad a exonerar Teixeira do cargo de secretário, “cessando imediatamente a sua atuação perante o Executivo municipal, sob pena de multa diária de R$ 10 mil”. A juíza acolheu ação civil pública contra o município de São Paulo e Ricardo Teixeira. Na ação, a Promotoria de Defesa do Patrimônio Público e Social sustentou que Teixeira, vereador eleito pelo Partido Verde, que compõe a base aliada do governo petista, “foi nomeado, pelo atual prefeito, em janeiro de 2013, para o cargo de Secretário Municipal do Verde e do Meio Ambiente, fato que lhe proporcionou a indicação de 300 cargos em comissão”. Segundo a promotoria, “tal nomeação não poderia ter ocorrido”, uma vez que Ricardo Teixeira foi condenado por improbidade administrativa, com sentença confirmada em segunda instância, por ter participado da contratação efetuada pela DERSA – Desenvolvimento Rodoviário S/A de um escritório de advocacia em inexigibilidade de licitação”. Com base em tal condenação o Ministério Público pediu a exoneração de Teixeira do cargo comissionado de secretário municipal, sob os argumentos de ofensa aos princípios da moralidade, impessoalidade e eficiência, “vez que na época da nomeação a sanção já produzia efeitos”. Em sua sentença, a juíza Simone Casoretti decidiu que “no mérito, a ação procede”. “O réu Ricardo Teixeira foi condenado por improbidade administrativa, em segunda instância, por órgão colegiado, à pena de proibição de contratação com o poder público, pois participou de contratação de escritório de advocacia, sem licitação, quando era diretor de Operações da Dersa Desenvolvimento Rodoviário S/A". A juíza advertiu. “ Não importa se o ato de improbidade administrativa por ele praticado foi culposo ou doloso, muito menos interfere na questão a aplicação da chamada Lei da Ficha Limpa, que sequer foi cogitada na inicial e não tem aplicação na espécie, mas sim o que interessa é verificar se Ricardo Teixeira, condenado por improbidade administrativa, tem idoneidade para exercer função pública, em cargo de confiança, secretário municipal, em virtude das sanções que lhe foram impostas, cuja decisão, embora não transitada em julgado, já pode ser executada, vez que os recursos especial e extraordinários estão sujeitos apenas ao efeito devolutivo". “Dúvidas não há sobre a condição de ímprobo do réu Ricardo Teixeira, vez que foi punido com a sanção de não contratar com o poder público, atuou de forma ilegítima ao permitir a contratação sem licitação, desprezou os princípios da legalidade e impessoalidade, motivo pelo qual não é pessoa idônea nem de confiança para ocupar cargo público em comissão”, assinalou a juíza. Simone Casoretti prossegue. “Na verdade, deve o agente público, em toda sua conduta, no exercício das prerrogativas próprias do cargo, agir para a satisfação dos interesses públicos, dentro de suas atribuições, com honestidade, boa-fé, lealdade para com os administrados.” A juíza argumenta, ainda. “Nítido o desrespeito à moralidade administrativa, pois é inconcebível que aquele condenado por ato de improbidade administrativa venha exercer cargo público em comissão ou de confiança. Tal fato indica descaso para com os interesses públicos e demonstra a intenção do réu na utilização do prestígio de seu cargo para obter vantagens pessoais, situação inadmissível em um Estado Democrático de Direito".

POLÍCIA CIVIL GAÚCHA INDICIA O QUARTO SUSPEITO PELA MORTE DO MENINO BERNARDO BOLDRINI

Mais um suspeito de participar do assassinato do menino Bernardo Boldrini, de 11 anos, no dia 4 de abril, no noroeste gaúcho, foi indiciado. Trata-se de Evandro Wirganovicz, irmão de Edelvânia Wirganovicz, de 40 anos, que já virou ré no caso, assim como o pai do menino, o médico Leandro Boldrini, de 38 anos, e sua mulher, Graciele Ugulini, de 31 anos. Evandro foi preso às vésperas de a Polícia Civil da cidade de Três Passos concluir o inquérito,que indiciou os três por homicídio quadruplamente qualificado (motivos torpe e fútil, emprego de veneno e recurso que dificultou a defesa da vítima) e ocultação de cadáver. Com base no depoimento de um policial, a polícia confirmou que ele esteve presente no local em que o menino foi enterrado dias antes. Para os policiais, Evandro ajudou Graciele e Edelvânia a abrir a cova em que o corpo de Bernardo foi depositado. O complemento do inquérito policial foi entregue na sexta-feira. O Ministério Público deve oferecer denúncia contra Evandro, que está preso, e aguardar a manifestação da Justiça. Bernardo desapareceu na sexta-feira 4 de abril, em Três Passos, cidade a 470 km de Porto Alegre. O corpo foi encontrado no dia 4, no interior da cidade vizinha de Frederico Westphalen, dentro de um saco plástico e enterrado às margens do rio Mico, na localidade de Linha São Francisco.

PESQUISA APONTA QUE 53% DOS BRASILEIROS ACHAM QUE FOI DECISÃO ERRADA SEDIAR A COPA DO MUNDO

Mais da metade dos brasileiros (53%) acredita que sediar a Copa do Mundo foi uma decisão equivocada. Além disso, 52% dos cidadãos acham que o legado deixado pelo evento para a imagem do Brasil será negativo. As percepções foram constatadas na pesquisa "Brasil além da bola", feita pela TNS Brasil, empresa global de pesquisa de mercado e opinião, em parceria com Lightspeed Research. De acordo com o levantamento, que ouviu 968 pessoas em nove capitais entre maio e junho, 39% dos entrevistados acreditam que a imagem do País no Exterior ficará pior após o evento. Na comparação da Copa do Mundo com a Olimpíada de 2016, que será sediada no Rio de Janeiro, 42% acham que os dois eventos serão iguais e 38% acreditam que a disputa olímpica será "melhor ou muito melhor" do que a Copa. Para o líder da área de pesquisa política e social da TNS Brasil, Paulo Cidade, críticas sobre a organização da Copa mudaram os sentimentos dos brasileiros. "Quando o Brasil foi escolhido como país sede, em 2007, o objetivo inicial era mostrar a nova fase positiva do País, e que este momento teria ressonância na organização do mundial, porém a percepção final não é essa, sobretudo em função dos problemas envolvendo construção de estádios e questões polêmicas envolvendo a organização do evento", afirmou ele.

TRT GAÚCHO VAI DECIDIR NESTA SEGUNDA-FEIRA SE GREVE DOS MOTORISTAS E COBRADORES DE ÔNIBUS FOI LEGAL

A greve de 15 dias dos motoristas e cobradores de ônibus, que paralisou Porto Alegre durante 15 dias em fevereiro deste ano, ainda repercute nos tribunais. Sem acordo sobre a forma de compensação dos dias parados, trabalhadores e patrões acompanharão a questão ser resolvida no Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região nesta segunda-feira. Os trabalhadores haviam remetido na quinta-feira cinco propostas ao Sindicato da Empresas de Ônibus de Porto Alegre (Seopa), apresentadas pelo Sindicato dos Rodoviários, pelos magistrados da Seção de Dissídios Coletivos do TRT4 e pelo Ministério Público do Trabalho, após reunião com a patronal. Mas não foram aceitas pelo Seopa. As propostas envolviam a possibilidade de descontos e compensação dos dias parados. Seriam descontos de alguns dias e compensação de outros, ou desconto de parte do período durante as férias dos trabalhadores, segundo o TRT4. A negociação em torno dessas propostas ocorreria nesta sexta-feira, no entanto, com a recusa do Seopa, o encontro não foi realizado. Um dos principais representantes dos grevistas, Alceu Weber, teme o que possa ocorrer caso o resultado do julgamento desta segunda-feira seja a manutenção do caráter de ilegalidade da paralisação: "Áudios e vídeos comprovam quem queria a greve e levou a categoria à ilegalidade. O que as empresas de ônibus querem é seguir punindo o trabalhador com esses descontos. Eles não se dão conta de que o Brasil está em um outro patamar de consciência". Weber não descarta que ocorram manifestações por parte dos trabalhadores. Quem anda de ônibus em Porto Alegre sabe que motoristas e cobradores estão novamente prontos para outra greve. Eles têm mantido uma atitude agressiva em relação aos passageiros em todas as viagens dos ônibus, como se estivessem dando avisos. Já os donos das empresas de ônibus, descontentes com o processo licitatório em andamento na prefeitura, a partir de decisão judicial, querem que o clima de desordem se instale, para que fiquem no mesmo lugar em que sempre estiverem, com contratos bilionários obtidos sem licitação, sem qualquer concorrência. Resumindo: todos os moradores de Porto Alegre estão nas mãos de um cartel formado por meia dúzia de empresas de ônibus.

JÁ ESTÁ EM OPERAÇÃO O ESQUEMA DE CONTROLE AÉREO PARA A COPA DO MUNDO

Entrou em funcionamento na sexta-feira a sala de operações de onde é feito o monitoramento do tráfego aéreo e dos aeroportos brasileiros em função da Copa do Mundo. É o chamado Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea, no Rio de Janeiro, onde trabalham representantes de 17 instituições, com o objetivo de concentrar em um só local informações que ajudem as autoridades na tomada de decisões, a fim de garantir a segurança do espaço aéreo brasileiro até o dia 16 de julho, três dias após o fim do campeonato. Telões informam em tempo real sobre a meteorologia, situação de pátios, pistas e os terminais dos aeroportos nas cidades-sede, além do posicionamento das aeronaves no espaço aéreo. A sala master monitora 90 aeroportos, incluindo as bases aéreas. Para dar conta da demanda, houve reforço no quadro de funcionários do setor aeroportuário e crescimento no número de vagas no pátio de aeronaves. Alguns dos procedimentos adotados foram testados durante a Copa das Confederações, a Rio +20 e a Jornada Mundial da Juventude, que trouxe o papa Francisco ao Brasil. Noventa aeroportos integram o plano de ação para a Copa do Mundo. Foram selecionados 29 aeroportos prioritários, nas cidades-sede e a uma distância máxima de 200 quilômetros delas. Cabe à Agência Nacional de Aviação Civil e ao Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea coordenarem os pousos e decolagens nas 16 bases aéreas, nos 29 aeroportos de maior movimento, além de outros 45 aeroportos sob monitoramento.

PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA PEDE QUE BANDIDOS PETISTAS MENSALEIROS JOSÉ DIRCEU E DELÚBIO SOARES RECEBAM AUTORIZAÇÃO PARA TRABALHO EXTERNO

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu na sexta-feira ao Supremo Tribunal Federal a revogação da decisão do presidente da Corte, Joaquim Barbosa, que cassou os benefícios de trabalho externo do ex-ministro da Casa Civil e bandido petista mensaleiro José Dirceu, e do ex-tesoureiro do PT e também petista mensaleiro Delúbio Soares, condenados no processo do Mensalão. O parecer foi anexado aos recursos apresentados pelas defesas ao plenário do Supremo. Segundo o procurador, o entendimento de que não é necessário o cumprimento de um sexto da pena, firmado pelo Superior Tribunal de Justiça, é acertado. Para Janot, não há previsão legal que exija o cumprimento do lapso temporal para concessão do trabalho externo a condenados em regime semiaberto. Para o procurador, não há motivos para que o benefício não seja concedido, sendo que os requisitos legais foram preenchidos pelos condenados e pelas empresas que ofereceram os empregos. No mês passado, para cassar os benefícios, Joaquim Barbosa entendeu que José Dirceu, Delúbio Soares e outros condenados no processo não podem trabalhar fora da prisão por não terem cumprido um sexto da pena em regime semiaberto. Com base no entendimento, o ex-ministro nem chegou a ter o benefício autorizado para trabalhar em um escritório de advocacia em Brasília. Joaquim Barbosa afirma que o entendimento do Superior Tribunal de Justiça não vale para condenações em regime inicial semiaberto. Para justificar a aplicação integral do Artigo 37, Joaquim Barbosa cita decisões semelhantes aprovadas em 1995 e em 2006, no plenário da Corte.

MOVIMENTO PASSE LIVRE PROMOVE "CATACRAÇO" NA RODOVIÁRIA DE BRASÍLIA

Faltando poucos dias para a Copa do Mundo, o Movimento Passe Livre (MPL), no Distrito Federal, fez ato na Rodoviária de Brasília para divulgar o projeto Tarifa Zero, que prevê transporte público gratuito. Os integrantes do movimento pularam as catracas do metrô e incentivaram quem por ali passava a fazer o mesmo. Os funcionários do metrô e a polícia não tentaram conter o "catracaço", que durou aproximadamente dez minutos. A questão do transporte foi o que desencadeou as manifestações em junho do ano passado. Recentemente, greves e paralisações no transporte coletivo ocorreram em cidades como São Paulo, São Luís, Fortaleza e Salvador. Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal, cerca de 50 integrantes do movimento divulgaram o projeto, em cartazes e panfletos. A rodoviária é um dos lugares mais movimentados do centro de Brasília, de onde saem ônibus para as demais regiões administrativas do Distrito Federal e cidades do entorno. É também a estação central das linhas de metrô. No Distrito Federal, as tarifas variam de R$ 1,50 a R$ 3,00 para passagens de ônibus e custam R$ 3,00 no metrô. Estudantes têm isenção.

AMÉRICA LATINA APRESENTA 32% DA POPULAÇÃO VIVENDO NA CLASSE MÉDIA

Pela primeira vez em dez anos, o percentual de integrantes da classe média na América Latina chegou a 32% da população que vive na região, cerca de 580 milhões. Antes desse período, o total da população com ganhos acima de 50 dólares por dia na região era de menos de 20%.  As informações foram apresentadas na sexta-feira pelo vice-presidente do Banco Mundial para América Latina e o Caribe, Jorge Familiar. Para o gerente regional de Relações Internacionais para a América Latina do banco, Sergio Jellinek, o avanço da classe média deve ser comemorado, mas apresenta novos desafios para os gestores da região. Segundo Familiar, apesar dos países da região terem avançado nas políticas econômicas e melhorado a qualidade das políticas fiscais nos últimos dez anos, é preciso um esforço maior para que essas nações estejam em condições de firmar acordos e alianças entre si e com os países desenvolvidos frente aos impactos provocados pelas mudanças climáticas. O executivo do Banco Mundial ressaltou ainda que, embora as metas de pobreza extrema tenha sido alcançadas, reduzindo pela metade a pobreza na região nesse período, é preciso construir condições de desenvolvimento sustentável e de manutenção do ritmo de erradicação da pobreza nos países latino-americanos.

POLÍCIA FEDERAL INVESTIGA VÍNCULO DE PAULO ROBERTO COSTA COM EMPRESA CONTRATADA PARA A COPA DO MUNDO

A Polícia Federal suspeita que o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, esteja vinculado a uma empresa que prestou consultoria ao Ministério do Esporte no planejamento da Copa do Mundo de 2014. Durante a Operação Lava-Jato da Polícia Federal, que investiga um esquema de desvio de recursos públicos e lavagem de dinheiro, foram apreendidos papéis referentes a contratos da Value Partners do Brasil, que recebeu 15,6 milhões de reais entre 2010 e 2013 para auxiliar no gerenciamento e realização do Mundial. A empresa integrou o Consórcio Copa 2014, contratado pelo governo em 2009 para prestar assessoria em tarefas como a elaboração de um plano de obras de infraestrutura prioritárias nas cidades-sede e a análise de projetos de lei relacionados à Copa. A contratação inicial era vigente por dois anos e foi renovada por mais dois. Segundo as investigações, as empresas do consórcio receberam, ao todo, ao menos 29,4 milhões de reais. Uma auditoria do Tribunal de Contas da União identificou irregularidades nesses pagamentos. Os documentos foram encontrados em um computador apreendido na residência de Paulo Roberto Costa, no Rio de Janeiro, durante buscas da Operação Lava Jato. O ex-diretor é suspeito de participar de um suposto desvio de recursos da Petrobras, entre 2009 e 2014, de contratos superfaturados de obras da refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Ele foi preso em março pela Polícia Federal e solto no mês passado, por ordem do Supremo Tribunal Federal. Constam ainda no material apreendido planilhas de preços do Ministério do Esporte, que serviram de referência para a licitação, cartas e ofícios das integrantes do consórcio para autoridades da pasta, recibos de transações financeiras entre as sócias, além de papéis referentes a contratos, distratos e alterações na sociedade das prestadoras de consultoria. A Value Partners do Brasil é uma extensão da empresa com sede na Europa, onde é controlada pelo italiano Alberto Antoniolli. Segundo documentos apreendidos, anteriormente a empresa operava com o nome Spectrum Strategy e prestou serviços a entidades esportivas internacionais, incluindo a Fifa. Há ainda citações a negócios da Value com a União das Federações Européias de Futebol (Uefa). O relatório das apreensões menciona ainda dois boletos de pagamento a uma imobiliária que apresentam como "sacado" o gerente executivo da Value Partners do Brasil, Rogério Carvalho dos Santos. Carvalho disse que a empresa procurou Paulo Roberto Costa visando uma parceria com a consultoria do ex-diretor, a Costa Global, após ele deixar a Petrobras em 2012. O gerente da Value Partners afirmou que a empresa fez um contato "institucional" com o ex-diretor da Petrobras e que isso não se converteu em assinatura de contrato. Segundo Carvalho, é rotineira a associação com pessoas que "são abridores de porta" no mercado. No entanto, Santos disse que a sociedade não foi adiante por falta de interesse de Paulo Roberto Costa: "Não foi celebrado nenhum contrato". Além desses documentos, a Polícia Federal também encontrou na casa de Paulo Roberto Costa papéis de negócios da Value Partners com a Petrobras Distribuidora, nos quais consta uma planilha de preços de licitação para consultoria, além de dois contratos da empresa com a subsidiária da estatal, um deles, de 200.000 reais, para "avaliação econômico-financeira de uma distribuidora de produtos químicos"; o outro, de 495.000 reais, para serviços na área de "eficiência energética".

PARQUES EÓLICOS DOMINAM O LEILÃO A-3 DE VENDA DE ENERGIA COM DESÁGIO DE 2,28%

Usinas eólicas e o projeto de expansão da hidrelétrica Santo Antônio, no rio Madeira, foram os únicos empreendimentos a vender eletricidade no leilão de energia A-3 realizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) na sexta-feira, dentro das expectativas de agentes do mercado. O leilão vendeu energia de 968,6 megawatts (MW) de usinas, dos quais 551 MW correspondem a novos projetos eólicos e que foram vendidos ao preço médio de 129,97 reais por megawatt-hora. O valor representa um deságio de 2,28% (porcentagem abaixo do teto) frente ao preço máximo estabelecido de 133 reais por MWh e o volume totalizando 265,6 MW médios. Já a energia da expansão de hidrelétrica Santo Antônio, referente à uma capacidade de 417,6 MW, vendeu 126,9 MW médios de energia, sem deságio, ao preço de 121 reais por MWh. Assim, o preço médio da energia negociada no leilão foi de 126,18 reais por MWh, sendo que o certame movimentou cerca de 10,17 bilhões de reais em contratos negociados. Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs) e usinas térmicas a biomassa não venderam energia no leilão, como já era esperado, em momento em que os investidores dessas fontes reclamam das condições e preços nas competições. No leilão havia 7 mil megawatts (MW) de projetos habilitados para participação, sendo 6.159 MW de usinas eólicas, 235 MW de pequenas centrais hidrelétricas (PCHs), 198 MW de térmicas a biomassa e 418 MW da ampliação da hidrelétrica de Santo Antônio. A principal distribuidora de eletricidade a contratar energia no leilão foi a CEA (AP), com 19% do total. Em seguida, a Cemig D contratou 12% e a Light, 11,6%. A Copel contratou 10,5% do total. O leilão começou às 10 horas, em São Paulo, e foi operacionalizado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

AÉCIO NEVES DEVE SE LICENCIAR DO SENADO FEDERAL EM AGOSTO PARA FAZER A CAMPANHA PELA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) deve se afastar do mandato no início de agosto para se dedicar exclusivamente à disputa presidencial. Além da liberdade de percorrer o País com foco na campanha, também pesa na decisão do tucano a avaliação de que no período eleitoral o calendário de atividades no Congresso é reduzido. De agosto a outubro, estão previstas apenas oito sessões de votação. A licença, no entanto, deverá ser por um prazo menor do que 120 dias – após esse prazo, é obrigatória a convocação do suplente.

BANCO CENTRAL PRORROGARÁ PROGRAMA DE INTERVENÇÃO NO CÂMBIO

O Banco Central brasileiro anunciou na sexta-feira que estenderá a partir de 1º de julho o programa de intervenção no mercado de câmbio, com a oferta de swap cambial, o equivalente à venda de contratos de dólar no mercado futuro. "Considerando que a necessidade de proteção cambial (hedge) demandada pelos agentes econômicos vem sendo atendida pelo programa de leilões de swap e venda de dólares (...) e ainda com o objetivo de continuar provendo hedge cambial e liquidez ao mercado de câmbio, o Banco Central estenderá, a partir de 1º de julho de 2014, o programa de leilões de swap cambial", disse o Banco Central em comunicado. A autoridade monetária, contudo, não forneceu detalhes sobre o programa, como prazos, montantes das operações e extensão. O programa de intervenção do Banco Central no mercado de câmbio foi anunciado em agosto de 2013 em meio à forte alta da moeda estrangeira frente ao real.

STJ MANDA SOLTAR PAULO OCTÁVIO, APÓS HABEAS CORPUS

O empresário e ex-governador do Distrito Federal, Paulo Octávio, conseguiu um habeas corpus que o libera da carceragem onde estava cumprindo prisão preventiva desde a última segunda-feira, quando foi preso ao sair do seu escritório, no Setor Hoteleiro Norte, em Brasília. Paulo Octavio foi denunciado pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, acusado de pagamento de propina para a liberação de alvarás de construção. A liberação foi concedida pelo ministro Sebastião Reis Júnior, da 6ª Turma do Superior Tribunal de Justiça. Os advogados do empresário alegaram ilegalidade na prisão. Escutas telefônicas autorizadas pela Justiça revelam conversas com Carlos Jales, ex-administrado da cidade de Taguatinga, também suspeito de integrar o grupo que pagava propina a servidores públicos com o  objetivo de liberar autorizações para construções irregulares. Conhecida como Operação Átrio, a operação começou no início de novembro do ano passado. Segundo o Tribunal de Justiça do Distrito Federal, ele é réu em sete processos e vai responder por organização criminosa, falsidade ideológica, corrupção ativa e corrupção passiva.

MARINA SILVA ROMPE PUBLICAMENTE COM O PSB DE SÃO PAULO POR CAUSA DO APOIO A GERALDO ALCKMIN

A ex-senadora Marina Silva divulgou nota na qual condena a aliança entre o PSB, de Eduardo Campos, e o PSDB, de Geraldo Alckmin, em São Paulo. Diz ela: "Juntamente com todos os integrantes da Rede Sustentabilidade, discordo da indicação aprovada ontem (na sexta-feira) na reunião do diretório estadual do PSB de São Paulo de apoiar o projeto político do PSDB.  Desde já, deixamos clara nossa posição de que, caso essa indicação não seja revertida, seguiremos caminho próprio e independente em São Paulo". A "Madre Teresa da Floresta" é uma política de alma petista, que se encostou no PSB com seu partido fracassado (ela demonstrou uma total incompetência até para fundar um partido, a Rede Sustentabilidade) apenas para detonar a candidatura presidente de Eduardo Campos. Desde que ela se colocou como vice na chapa de Eduardo Campos, não transferiu um só apoio ao candidato. Pelo contrário, ao detonar as alianças que ele tinha construído, conseguiu derrubar Eduardo Campos nas pesquisas eleitorais. É óbvio que Marina Silva está trabalhando para o PT, só não vê quem não quer.

NO DATAFOLHA, GERALDO ALCKMIN SERIA REELEITO NO PRIMEIRO TURNO; O PETISTA ALEXANDRE PADILHA TEM APENAS 3%; JOSÉ SERRA LIDERA PARA O SENADO FEDERAL

Se a eleição para o governo do Estado de São Paulo fosse hoje, informa a Folha, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) seria reeleito no primeiro turno, com 44% dos votos — no cenário em que Gilberto Kassab (PSD) é candidato (5%) — ou com 47%, quando o ex-prefeito não aparece na lista. Nas duas hipóteses, o segundo colocado é Paulo Skaf (PMDB), com 21%. No primeiro caso, Alexandre Padilha, do PT, aparece com 3%; no segundo, com 4%. Esses são os números da mais recente pesquisa Datafolha, com margem de erro de dois pontos para mais ou para menos. Todos os quadros que aparecem no post foram publicados pelo jornal.

DATAFOLHA GOVERNO DE SP1
Datafolha governo de SP2
Como se pode observar, desde junho do ano passado, quando todos os políticos eleitos sofreram uma queda considerável — a da presidente Dilma foi a mais espetacular —, o cenário segue estável em São Paulo, com Alckmin tendo uma ascensão fora da margem de erro (de 40% para 44%). A situação do petista Alexandre Padilha segue bastante difícil.
Nos últimos dias, os lobbies petistas têm se movimentado freneticamente para plantar a informação de que pesquisas qualitativas estariam a indicar que o ex-ministro é um azougue eleitoral e que acabará repetindo a trajetória de Fernando Haddad, que arrancou na fase final e acabou se elegendo prefeito. Pois é… Ocorre que as circunstâncias, desta feita, são outras.
Os petistas avançaram na capital, em 2012, desconstruindo a imagem de Celso Russomanno, que chegou a liderar as pesquisas de intenção de voto. Desta feita, os petistas não terão como fazer picadinho de Paulo Skaf porque estariam investindo contra o seu principal aliado na esfera federal: o PMDB. O ainda presidente da Fiesp entrou no partido com as bênçãos de Michel Temer, vice-presidente.
Fazer o quê? Restará aos petistas juntar forças com Skaf no ataque ao candidato tucano, sempre correndo o risco de o agora peemedebista manter a dianteira em relação ao petista e se consolidar como o segundo colocado num eventual segundo turno. Nem os petistas mais otimistas contam com a possibilidade de uma disputa final entre PMDB e PT.
Senado
Neste ano, há a renovação de um terço do Senado, e cada estado elegerá um senador. Segundo a pesquisa Datafolha, o tucano José Serra desponta como o favorito, com 41% das intenções de voto. Em segundo lugar, está Eduardo Suplicy, com 32%. Ele está no cargo, santo Deus!, há 24 anos! E quer mais oito! Como naquele poema de Ascenso Ferreira, cabe a pergunta: “Pra quê?”. E a resposta: “Pra nada!”.
Datafolha Senado SP
Por Reinaldo Azevedo