domingo, 3 de agosto de 2014

ISRAEL RETIRA TROPAS TERRESTRES DE GAZA

Israel retirou a maior parte de suas tropas terrestres da Faixa de Gaza neste domingo, indicando que a operação de quase um mês contra o Hamas pode estar perdendo intensidade. Nesse período, mais de 1.800 palestinos e 60 israelenses foram mortos. O tenente-coronel Peter Lerner, porta-voz militar israelense, confirmou que a maior parte das tropas terrestres foi retirada de Gaza. Segundo ele, os militares haviam detectado cerca de 30 túneis escavados ao longo da fronteira e que seriam usados em um ataque sincronizado contra Israel. "Causamos danos substanciais a essa rede de túneis" e a ameaça agora é mínima, disse Lerner. O exército tinha milhares de soldados em Gaza no auge da operação. No sul de Israel, veículos blindados eram colocados em caminhões de transporte perto da fronteira de Gaza, enquanto soldados dobravam bandeiras e guardavam seus pertences e sacos de dormir. Lerner disse, no entanto, que a operação não terminou e que Israel continuará tentando reduzir a capacidade de ataque do Hamas.

BRASIL PRODUZ 3 MILHÕES DE LIXO A MAIS EM 2013, E PRODUZ UM GIGANTESCO DESPERDÍCIO DE ENERGIA

O brasileiro produziu mais lixo em 2013, em um aumento de 4,1% em relação ao ano anterior, o que representa quase 3 milhões de toneladas a mais no ano. Isso faz o Brasil se colocar na quinta posição entre os que mais produzem lixo no mundo, atrás de Estados Unidos, China, União Européia e Japão. Cerca de 20 mil toneladas por dia que nem sequer foram para o lixão, acabaram jogadas em córregos ou no meio da rua, afirma Carlos Silva, diretor-presidente da entidade Abrelpe, o sindicato cartelizador do lixo no Brasil. O Brasil continua sendo um prodígio de atraso e desperdício. Enquanto a Europa inteira proibiu a existência de aterros sanitários a partir de 2015, e partiu para a adoção das usinas de queima de lixo e geração de energia elétrica, no Brasil o governo ainda quer impor que os municípios instaurem aterros sanitários, uma solução muito atrasada, que não tem incorporação de tecnologia, e contamina solos e subsolos. Ao mesmo tempo, embora viva uma crise energética sem similar, o Brasil desperdiça uma gigantesca fonte de energia. A cada três toneladas de lixo queimadas é possível obter um megawatt de energia elétrica. Cada megawatt custa em torno de 100 dólares.

AÉCIO NEVES CONVOCA O ELEITOR GAÚCHO PARA A "CAMPANHA DA DECÊNCIA"

O candidato à Presidência da República pelo PSDB, Aécio Neves, participou de um comício, na tarde deste sábado, em Porto Alegre. Reunidos no ginásio Gigantinho, mais de seis mil militantes receberam o mineiro, que em um discurso breve conclamou os eleitores a elegerem a candidata da coligação ao governo do Rio Grande do Sul, Ana Amélia Lemos, do PP. "Está dada a largada para a campanha da decência, da dignidade, da verdadeira mudança", afirmou. "Farei minha campanha olhando no olho das pessoas. Mas nossa adversária não pode mais caminhar no meio do povo, porque não tem mais a confiança dos brasileiros", disse Aécio Neves, referindo-se à petista Dilma Rousseff. Frisando a proximidade com o público, a campanha de Aécio neves fez com que ele subisse no palanque passando pelo meio dos presentes, o que causou muito alvoroço. Durante o discurso de Ana Amélia, Aécio Neves se emocionou quando a candidata ao governo do Estado lembrou seu filho mais novo, que nasceu dia 8 de junho: "Eu queria que no dia dos pais você recebesse um presente. Que o Bernardo saia da incubadora e volte para casa". Prematuro, o menino continua internado. Sua irmã gêmea, Júlia, já recebeu alta.

ISRAEL DIZ ESTAR PRONTO PARA CONTINUAR GUERRA APÓS DESTRUIÇÃO DE TÚNEIS EM GAZA

Israel está preparado para continuar lutando contra terroristas islâmicos do Hamas na Faixa de Gaza depois que o Exército concluiu sua principal missão de destruir túneis na região da fronteira, disse no sábado o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu. "Após a conclusão da operação antitúneis, o IDF (Forças de Defesa de Israel) vai agir e continuar agindo de acordo com nossas necessidades de segurança, até chegarmos ao nosso objetivo de restaurar a segurança para você, cidadão de Israel", disse em um discurso televisionado. Além disso, ele disse que o grupo islâmico palestino Hamas vai pagar um "preço intolerável", se continuar fazendo ataques de foguetes contra Israel.

PREMIER ISRAELENSE DIZ QUE HAMAS PAGARÁ PREÇO "INTOLERÁVEL" POR MAIS ATAQUES

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, ameaçou no sábado exigir um "preço intolerável" do Hamas na Faixa de Gaza, se os ataques a partir do território palestino continuarem. "Nós não aceitamos a continuação dos disparos", disse Netanyahu a repórteres: "Ele (o Hamas) vai ter que entender... que pagará um preço intolerável, a partir de sua perspectiva, pela continuação dos disparos".

CGU RECEBE DENÚNCIA DE "FANTASMAS" PETISTAS EM ESCRITÓRIO DO SESI

Funcionários do Serviço Social da Indústria (Sesi) denunciaram à Corregedoria Geral da União no começo do ano a existência de fantasmas nos quadros da entidade, informa a Revista Época em sua edição deste fim de semana. Segundo a reportagem, todos os "fantasmas" foram indicados pelo ex-presidente e alcaguete Lula (delatava companheiros para o Dops paulista, durante a ditadura militar, conforme Romeu Tuma Jr em "Assassinato de Reputação") e outros próceres do PT. Os auditores da CGU, como caça-fantasmas, foram a campo. Em uma casa amarela, nº 787, da Rua José Bonifácio, no Centro de São Bernardo do Campo, em São Paulo, funciona o escritório de representação em São Paulo do Conselho Nacional do Serviço Social da Indústria, o Sesi. A casa fica a 40 metros do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em que Lula se projetou como um dos maiores líderes políticos do Brasil. O sindicato mais famoso do País continua sob o comando de Lula e seus aliados, diz Época. A casa amarela foi criada por esses aliados no governo Lula. Quem a banca são as indústrias do País, mostra a reportagem. Segundo a Época, o escritório é modesto, mas os salários são inimagináveis e para trabalhar lá é preciso ser amigo de petistas poderosos. Dois dos funcionários "fantasmas", segundo a publicação, são próximos de Lula, sua nora Marlene Araújo Lula da Silva e a mulher do ex-deputado João Paulo Cunha, condenado no processo do Mensalão, Márcia Regina Cunha. Marlene raramente aparece no serviço, apesar de ter um salário de R$ 13.500,00 mensais, enquanto Márcia, que está empregada como gerente de Marketing, recebe R$ 22 mil por mês, denuncia a publicação. O presidente do Sesi, Jair Meneghelli, nomeado por Lula e há 11 anos na entidade, recebe salário de quase R$ 60 mil, somando ao salário uma verba de representação.

ISRAEL TEM EVIDÊNCIA DE QUE 47% DOS MORTOS EM GAZA ERAM COMBATENTES

Os grupos de direitos humanos de Gaza dizem que ao menos 80% dos 1.669 palestinos mortos eram civis, inclusive centenas de crianças. O Conselho de Direitos Humanos da ONU acusou na semana passada os israelenses de realizarem "ataques desproporcionais e indiscriminados" e abriu um inquérito para averiguar possíveis crimes de guerra. Israel, que perdeu 63 soldados e 3 civis nos confrontos, disse que tem feito o possível para evitar que inocentes se machuquem e que o Hamas facilita essas mortes ao operar em áreas densamente povoadas. "Há uma pesquisa sendo realizada no Exército, muito profissional e confiável, cuja conclusão é que pelo menos 47%o dos mortos são terroristas, com fotografias e nomes", disse Tzachi Hanegbi à emissora de televisão israelense Canal Dois, acrescentando que as informações serão apresentadas aos investigadores. Ele não deu mais detalhes do assunto. Israel rejeitou o anúncio do Conselho de Direitos Humanos da ONU, considerando a decisão tendenciosa, mas geralmente conduz suas próprias investigações sobre os combates. Israel diz que o Hamas e outras guerrilhas palestinas em Gaza são terroristas e que em conflitos passados usou uma definição mais ampla de combatentes, inclusive, por exemplo, policiais palestinos trabalhando para a gestão do Hamas.

VIDEO REVELA FRAUDE NA CPI DA PETROBRAS, MOSTRA A REVISTA VEJA

Um vídeo a que a revista Veja teve acesso revela que houve uma farsa na CPI da Petrobras. Segundo a denúncia exclusiva, a CPI foi criada com o objetivo de não pegar os corruptos. Ainda assim, o governo e a liderança do PT decidiram não correr riscos e montaram uma fraude que consistia em passar antes aos investigados as perguntas que lhes seriam feitas pelos senadores. Com 20 minutos de duração, o vídeo mostra uma reunião entre o chefe do escritório da Petrobras em Brasília, José Eduardo Sobral Barrocas, o advogado da empresa, Bruno Ferreira, e um terceiro personagem ainda desconhecido. A decupagem do vídeo, segundo a publicação, mostra que o encontro foi registrado por alguém que participava da reunião ou estava na sala enquanto ela ocorria. Veja descobriu que a gravação foi feita com uma caneta dotada de uma microcâmera. De acordo com a publicação, quem assiste ao vídeo do começo ao fim percebe claramente o que está sendo tramado naquela sala. Segundo a revista, a fraude consistia em obter dos parlamentares da CPI da Petrobras as perguntas que eles fariam aos investigados e, de posse delas, treiná-los para responder a elas. O momento mais cínico da farsa, segundo a Veja, descobre-se agora e se deu no depoimento de Nestor Cerveró. Depois que o ex-presidente e alcaguete Lula (delatava companheiros para o Dops paulista durante a ditadura militar) mandou o ex-presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, parar de confrontar a presidente Dilma Rousseff, Cerveró se tornou o principal motivo de apreensão do governo porque ameaçara desmentir a presidente diante dos parlamentares. Essa ameaça jamais se consumou. No vídeo, uma das falas de Barrocas desfaz o mistério: ele insiste em saber se estava tudo certo para que chegassem às mãos de Cerveró as perguntas que lhe seriam feitas na CPI. Outros personagens citados como peças-chave da transação são Paulo Argenta, assessor especial da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República; Marco Rogério de Souza, assessor da liderança do governo no Senado; e Carlos Hetzel, assessor da liderança do PT. De acordo com a denúncia, a eles coube fazer muitas das perguntas que alimentariam a cadeia de ilegalidades entre investigados e investigadores. Barrocas conta também que o senador Delcídio Amaral era peça-chave da operação para manter Cerveró sob o cabresto governista, porque o senador foi padrinho político do ex-diretor da Petrobras.

FARSA NA CPI DA PETROBRAS; OPOSIÇÃO PEDE ANULAÇÃO DE DEPOIMENTOS E PROMETE ACIONAR A PROCURADORIA GERAL DA REPÚBLICA

Os partidos de oposição ao governo cobraram no sábado a anulação dos depoimentos prestados à CPI da Petrobras no Senado e anunciaram que vão protocolar pedido de investigação à Procuradoria-Geral da República sobre as fraudes reveladas por VEJA. PSDB, PPS e DEM também analisam acionar o Conselho de Ética contra parlamentares da base governista que protagonizaram a farsa. Reportagem de VEJA desta semana revela que o governo e lideranças do PT no Senado montaram uma estratégia para treinar os principais depoentes da comissão de inquérito, repassando a eles previamente as perguntas que seriam feita na CPI e combinando as respostas que seriam dadas. Segundo lideranças dos partidos de oposição ouvidas pelo site de VEJA, os parlamentares envolvidos podem responder por quebra de decoro – especialmente os senadores José Pimentel (PT-CE) e Delcídio Amaral (PT-MS). No caso de Pimentel, a oposição exige que ele seja destituído imediatamente da relatoria da CPI. Para a oposição, os responsáveis pelo teatro governista podem ser responsabilizados pelos crimes de obstrução da justiça, estelionato, fraude, improbidade por uso de servidores para fins privados, falso testemunho de depoentes, advocacia administrativa e possível violação do sigilo funcional – se servidores tiverem repassado documentos sigilosos da CPI para o Poder Executivo. Parlamentares de oposição vão investigar se a fraude também ocorreu na CPI mista da Petrobras, que reúne deputados e senadores.  “A CPI tem prerrogativa de um órgão de investigação para localizar culpados de crimes. Essa operação do Palácio do Planalto é equivalente a obstruir a ação da justiça”, disse o líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy (BA). Em gravações obtidas por VEJA, o chefe do escritório da Petrobras em Brasília, José Eduardo Sobral Barrocas, revela que um gabarito foi distribuído aos depoentes mais ilustres para que não houvesse contradições em nenhuma das oitivas. Paulo Argenta, assessor especial da Secretaria de Relações Institucionais; Marcos Rogério de Souza, assessor da liderança do governo no Senado; e Carlos Hetzel, secretário parlamentar do PT na Casa, formularam as perguntas que acabariam sendo apresentadas ao ex-diretor Nestor Cerveró, apontado como o autor do “parecer falho” que levou a estatal do petróleo a aprovar a compra da refinaria de Pasadena, no Texas, um negócio que causou prejuízo de quase 1 bilhão de dólares à empresa. O ex-presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra, também fez chegar às mãos de Graça Foster, sua sucessora no comando da empresa, e de José Sergio Gabrielli, ex-dirigente da estatal, todas as perguntas que seriam feitas pela CPI – e as respostas que deveriam ser dadas. “É revoltante constatar que a presidente Dilma permitiu toda essa operação. E se não permitiu, porque a prática do PT é sempre dizer que nada sabia, ela foi estupidamente incapaz de impedir essa ação criminosa, que teve a participação de auxiliares dela na Secretaria de Relações Institucionais e da própria direção da Petrobras”, afirmou Imbassahy. “O vídeo revelado por VEJA mostra a farsa montada pelo governo na CPI e merece uma investigação profunda. Toda a suposta moralidade do PT havia sido desmascarada no episódio do Mensalão, e agora no governo Dilma se faz uso de uma dos mais importantes instrumentos do Congresso, que é a CPI”, disse o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP): “Essa CPI chapa branca do Senado já havia sido denunciada como instrumento do governo. Agora vieram à luz as provas". Para o deputado Marcos Pestana (PSDB-MG), a fraude nos depoimentos da CPI mostra que o governo, ao contrário do que propagandeia, tem “tolerância com malfeitos” e não quer investigar as denúncias sobre a Petrobras. “A máquina do governo Dilma opera para evitar investigação pela CPI da corrupção na Petrobras”, criticou. Advogados do PPS pretendem acionar a Procuradoria-Geral da República. A avaliação do partido é que a fraude é equivalente à recusa de um delegado ou um promotor em investigar um suspeito por interesse pessoal. “Vamos exigir que a presidência da CPI da Petrobras determine a abertura imediata de investigação e adote providências para punir os responsáveis por mais essa farsa armada pelo PT e pelo governo da presidente Dilma Rousseff. Isso é clara obstrução da investigação, que em processos judiciais costuma render decretação de prisão preventiva”, afirmou o líder do PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno (PR), que defende ainda a anulação dos depoimentos: “Não é possível que alguém escolhido para investigar atue descaradamente para beneficiar os suspeitos. Isso é inadmissível e não resta outro caminho que não seja a substituição deles em face da suspeição de conluio." “Todos os depoimentos no Senado que foram comprovadamente manipulados por obra e graça do Palácio do Planalto deve ser anulados porque não têm valor legal. A CPI do Senado já era um teatro desde o início porque o governo tentou bloquear os trabalhos”, afirmou o líder do Democratas na Câmara, Mendonça Filho (DEM-PE). “Temos que buscar a apuração de todos os fatos e podemos ir à Procuradoria-Geral da República e ao Conselho de Ética”, disse ao site de VEJA.

IBOPE APONTA MARCONI LIDERANDO A CORRIDA ELEITORAL EM GOIÁS

Pesquisa Ibope encomendada pela TV Anhanguera aponta o atual governador de Goiás e candidato à reeleição, Marconi Perillo (PSDB), com 35% das intenções de votos do eleitorado goiano. . Na segunda posição aparece o ex-governador Iris Rezende (PMDB), com 26%, seguido pelo ex-prefeito de Senador Canedo e empresário Vanderlan Cardoso (PSB), com 8%, e pelo ex-prefeito de Anápolis, Antônio Gomide (PT), com 6%. A professora Marta Jane (PCB), tem 2%, a frente do advogado Alexandre Magalhães (PSDC) e do professor Weslei Garcia (PSOL), ambos com 1%.

IBOPE DEMONSTRA QUE O PT VAI PERDENDO AS ELEIÇÕES EM TODOS OS ESTADOS

Após a última rodada de pesquisas do Ibope fica claro que o PT não lidera a corrida eleitoral em nenhum lugar do País. A última vez na qual o governo perdeu as eleições de 1972 para o Senado em 16 dos 22 Estados da época,  em todos os Estados, foi no finalzinho da ditadura militar, quando seus generais já estavam totalmente desgastados. Perde no Rio Grande do Sul com Tarso Genro para Ana Amélia: no Paraná, com Gleisi Hoffmann, para Beto Richa: em São Paulo, com Alexandre Padilha para Geraldo Alckmin (se elege no primeiro turno): no Rio de Janeiro, com Lindbergh Farias para Garotinho: no Distrito Federal, com Agnelo Queiroz para José Roberto Arruda; e já empata tecnicamente em Minas Gerais, onde Fernando Pimentel começa a ceder o lugar para o tucano Pimenta da Veiga. O quadro é desesperador, pois com o início da campanha na TV a rejeição ao PT deve acertar em cheio a candidatura Dilma.

DILMA E GLEISI SUFOCAM O PARANÁ: DE CADA R$ 42,60 ARRECADADOS, O GOVERNO FEDERAL REPASSA APENAS R$ 1,00 PARA O ESTADO

Uma sina acompanha o Paraná há mais de uma década e será um desafio para o governador que for eleito em outubro: o Estado é um dos que mais contribuem com tributos federais, mas não sai do fim da fila dos investimentos regionalizados previstos no orçamento da União. Levantamento feito pelo jornal Gazeta do Povo com dados de 2002 a 2013 revela que, em média, o paranaense destinou R$ 42,60 em impostos para Brasília para receber R$ 1,00 em empenho de recursos para obras ou aquisição de equipamentos no Estado. No ranking das 27 unidades da federação, o Paraná fica em 24º lugar, com uma situação mais favorável apenas que São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal. O desempenho de “patinho feio” se manteve estável ao longo das últimas três gestões dos governos estadual e federal. Em 2002, último ano dos governos Fernando Henrique (PSDB) e Jaime Lerner (PFL, atual DEM), o Paraná já aparecia como 25º colocado nos investimentos federais regionalizados por habitante. Nos oito anos de Lula (PT) e Roberto Requião (PMDB), variou entre 23º e 26º na distribuição per capita; performance que se repetiu com Dilma Rousseff (PT) e Beto Richa (PSDB). O levantamento produzido pela Gazeta do Povo foi dividido em duas etapas. Na primeira, filtrou o que está incluído como investimento empenhado na execução regionalizada das leis orçamentárias de 2002 a 2014, por meio da ferramenta Siga Brasil, do Senado. Depois, comparou os balanços anuais das arrecadações por Estados divulgados pela Receita Federal para o mesmo período. Na técnica orçamentária, o empenho é a etapa em que o recurso é reservado para a posterior realização do gasto. Já a terminologia “investimento” é utilizado apenas para obras, como a construção de uma rodovia, e para a aquisição de equipamento e de material permanente. O período pesquisado não foi ampliado porque o Siga Brasil não possui dados de execução orçamentária regionalizada anteriores a 2002. Também não foram contabilizados investimentos de empresas estatais. A soma do levantamento engloba todos os investimentos “rastreáveis” na execução regionalizada, ou seja, aqueles que aparecem com a localidade definida (Estado ou município). As despesas previstas no orçamento federal se destinam a municípios, estados, regiões ou ao país como um todo. Cerca de 50% dos investimentos totais são definidos como “nacionais”, ou seja, não é possível aferir ao certo em que localidade foram alocados – o que certamente aumenta o volume de investimentos feitos nos Estados, mas não se sabe em quanto. “É um sério problema de transparência”, alerta o diretor da associação Contas Abertas, Gil Castello Branco. “Outro fato é que, no Brasil, o investimento público foi e continua sendo muito baixo”, diz o professor de Orçamento Público da Universidade de Brasília, James Giacomoni. Em relação ao volume total de arrecadação federal, o Estado era, em 2002, o 5º em contribuição por habitante. Entre 2003 e 2010, variou entre 4º e 6º na comparação per capita. Nos últimos três anos, ficou duas vezes em 6º até voltar ao 5º lugar em 2013. O levantamento mostra que, apesar de não ter evoluído nos rankings e se manter quase sempre atrás dos vizinhos Santa Catarina e Rio Grande do Sul em todos os indicadores por habitante, o volume total de investimentos federais no Paraná cresceu mais que a arrecadação da União no Estado. No período, os valores investidos subiram 185%, de R$ 324,744 milhões para R$ 925,044 milhões. Já a quantia arrecadada subiu 129%, de R$ 18,599 bilhões para R$ 42,675 bilhões (todos os números estão corrigidos pelo IPCA). Na outra ponta da tabela dos investimentos, o 2º estado mais populoso do País, Minas Gerais, foi o que recebeu mais investimentos em valores absolutos durante quase todos os anos. Quando é feita a relação entre arrecadação e investimento, no entanto, cai para 19º na média do período – pagou R$ 14,10 para receber R$ 1,00 em obras. Quem aparece no topo desse ranking são Acre, Tocantins e Roraima, os únicos que precisaram desembolsar menos de R$ 1,00 para ter R$ 1,00 em investimento federal. Ao contrário dos fundos de Participação dos Estados e Municípios, que são de caráter obrigatório e redistributivo, os investimentos previstos na Lei Orçamentária não precisam ser concentradas nos Estados mais pobres.

NO BERÇO DO PT NO BRASIL, DILMA DESABA NAS PESQUISAS, EMPATA NO PRIMEIRO TURNO É DERROTADA POR AÉCIO NEVES NO SEGUNDO TURNO

A presidente Dilma Rousseff (PT) e o senador Aécio Neves (PSDB) estão tecnicamente empatados em sondagem eleitoral realizada nas sete cidades do Grande ABC (sp). É o que aponta levantamento do DGABC Pesquisas, encomendado pelo Diário do Grande ABC. A petista, que concorre à reeleição, obtém 26,3% das intenções de voto nos sete municípios, enquanto o tucano é citado por 24,2% dos entrevistados no questionário estimulado. A margem de erro da pesquisa é de 1,9 ponto percentual, o que provoca a igualdade técnica na corrida presidencial. Ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) está em terceiro lugar, com 8% dos votos estimulados. No total, 17,7% dos eleitores da região dizem que anularão ou votarão em branco; outros 15,4% não sabem em quem vão apostar nas urnas. O cenário atual apresenta desaceleração da candidatura de Dilma. Embora não seja possível fazer comparação técnica com o estudo apresentado pelo Diário do Grande ABC em novembro – já que não estavam colocados todos os 11 presidenciáveis –, a tendência de queda da petista é evidente. Há oito meses, Dilma foi lembrada por 34,6% dos entrevistados. Aécio foi citado por 18,8% e Eduardo por 10,5%. Os percentuais indicavam vitória do nome do PT no primeiro turno, algo que, pela sondagem de julho, não deve se ratificar. Dentre os presidenciáveis até então coadjuvantes na corrida eleitoral, Pastor Everaldo Pereira (PSC) tem 2,7% das intenções de voto estimulado do recente estudo. Luciana Genro (Psol) possui 1,4%, enquanto 1,1% afirmam que vão votar em José Maria Eymael (PSDC), 1% em José Maria de Almeida (PSTU), 0,8% em Levy Fidelix (PRTB), 0,6% em Eduardo Jorge (PV), 0,4% em Mauro Iasi (PCB), e 0,4% em Rui Costa Pimenta (PCO). Em um eventual segundo turno, Dilma seria derrotada por por Aécio Neves. O tucano é lembrado por 38,9% dos entrevistados e a petista por 31,3%. Em cenário que a chefe da Nação enfrenta Eduardo Campos, há empate técnico. O socialista tem 34,1% das intenções de voto no segundo turno, enquanto Dilma possui 31,9%. O DGABC Pesquisas também levantou índices de transferência de votos, questionando eleitores dos candidatos no primeiro turno em quem apostariam em eventual segunda etapa eleitoral. Se Dilma e Aécio duelassem hoje em fase final da corrida presidencial, o tucano absorveria 60,8% dos sufrágios de Eduardo. Dilma conquistaria 12,7%. Já no panorama entre Dilma e Eduardo, 63% dos eleitores de Aécio Neves dariam apoio ao ex-governador de Pernambuco. Somente 10,7% de quem endossou a campanha do tucano votaria na atual presidente da República. As entrevistas foram coletadas entre os dias 28 e 31, com 2.800 eleitores das sete cidades. O levantamento está registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), sob protocolo BR-00259/2014. Todas as cidades governadas por petistas no Grande ABC apresentam empate técnico entre a presidente Dilma Rousseff (PT). Além de Santo André, São Bernardo e Mauá, administradas, respectivamente, por Carlos Grana (PT), Luiz Marinho (PT) e Donisete Braga (PT), a igualdade técnica é vista em Ribeirão Pires, cujo prefeito é o peemedebista Saulo Benevides – o PMDB indicou o vice, Michel Temer, para manter chapa com Dilma. Os levantamentos por cidade têm margem de erro de cinco pontos percentuais. Com isso, nem mesmo Marinho, coordenador de campanha de Dilma no Estado de São Paulo, consegue fazer com que a petista supere Aécio Neves na cidade onde governa – o duelo está em 27,5% para a chefe da Nação contra 21,6% ao tucano. Em Santo André, o placar é 25,7% para Aécio ante 23,7% para Dilma. Em Mauá, de 30,3% para petista contra 22% para o tucano. Em Ribeirão, a diferença é de 27,3% para a presidente da República contra 23,3% para o senador. Aécio supera Dilma em São Caetano. No município administrado por Paulo Pinheiro (PMDB) e que tradicionalmente rejeita candidatos do PT, o tucano é citado por 36,3%. São 19,5 pontos percentuais à frente da atual presidente da República, que é lembrada por 16,8%. A petista só vence em Rio Grande da Serra, com 29,5% das intenções de voto contra 17% de Aécio. Terceiro colocado nas pesquisas de intenções de voto, o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), registra seu melhor desempenho em Diadema, gerida por Lauro Michels (PV). São 9,3% dos entrevistados que revelam que votarão no socialista. Já o candidato do PV à Presidência da República, Eduardo Jorge, sequer pontuou entre os eleitores que moram na cidade governada pelo verde Lauro Michels. O levantamento ouviu 2.800 pessoas, sendo 400 eleitores em cada uma das sete cidades do Grande ABC.

FARSA NA CPI DA PETROBRAS: OPOSIÇÃO PEDE ANULAÇÃO DE DEPOIMENTOS E PROMETE ACIONAR PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA

Os partidos de oposição ao governo cobraram neste sábado a anulação dos depoimentos prestados à CPI da Petrobras no Senado e anunciaram que vão protocolar pedido de investigação à Procuradoria-Geral da República sobre as fraudes reveladas por VEJA. PSDB, PPS e DEM também analisam acionar o Conselho de Ética contra parlamentares da base governista que protagonizaram a farsa. Reportagem de VEJA desta semana revela que o governo e lideranças do PT no Senado montaram uma estratégia para treinar os principais depoentes da comissão de inquérito, repassando a eles previamente as perguntas que seriam feita na CPI e combinando as respostas que seriam dadas. Segundo lideranças dos partidos de oposição ouvidas pelo site de VEJA, os parlamentares envolvidos podem responder por quebra de decoro – especialmente os senadores José Pimentel (PT-CE) e Delcídio Amaral (PT-MS). No caso de Pimentel, a oposição exige que ele seja destituído imediatamente da relatoria da CPI. Para a oposição, os responsáveis pelo teatro governista podem ser responsabilizados pelos crimes de obstrução da justiça, estelionato, fraude, improbidade por uso de servidores para fins privados, falso testemunho de depoentes, advocacia administrativa e possível violação do sigilo funcional – se servidores tiverem repassado documentos sigilosos da CPI para o Poder Executivo. Parlamentares de oposição vão investigar se a fraude também ocorreu na CPI mista da Petrobras, que reúne deputados e senadores. “A CPI tem prerrogativa de um órgão de investigação para localizar culpados de crimes. Essa operação do Palácio do Planalto é equivalente a obstruir a ação da justiça”, disse o líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy (BA). Em gravações obtidas por VEJA (vídeo acima), o chefe do escritório da Petrobras em Brasília, José Eduardo Sobral Barrocas, revela que um gabarito foi distribuído aos depoentes mais ilustres para que não houvesse contradições em nenhuma das oitivas. Paulo Argenta, assessor especial da Secretaria de Relações Institucionais; Marcos Rogério de Souza, assessor da liderança do governo no Senado; e Carlos Hetzel, secretário parlamentar do PT na Casa, formularam as perguntas que acabariam sendo apresentadas ao ex-diretor Nestor Cerveró, apontado como o autor do “parecer falho” que levou a estatal do petróleo a aprovar a compra da refinaria de Pasadena, no Texas, um negócio que causou prejuízo de quase 1 bilhão de dólares à empresa. O ex-presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra, também fez chegar às mãos de Graça Foster, sua sucessora no comando da empresa, e de José Sergio Gabrielli, ex-dirigente da estatal, todas as perguntas que seriam feitas pela CPI – e as respostas que deveriam ser dadas. “É revoltante constatar que a presidente Dilma permitiu toda essa operação. E se não permitiu, porque a prática do PT é sempre dizer que nada sabia, ela foi estupidamente incapaz de impedir essa ação criminosa, que teve a participação de auxiliares dela na Secretaria de Relações Institucionais e da própria direção da Petrobras”, afirmou Imbassahy. “O vídeo revelado por VEJA mostra a farsa montada pelo governo na CPI e merece uma investigação profunda. Toda a suposta moralidade do PT havia sido desmascarada no episódio do mensalão, e agora no governo Dilma se faz uso de uma dos mais importantes instrumentos do Congresso, que é a CPI”, disse o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP). “Essa CPI chapa branca do Senado já havia sido denunciada como instrumento do governo. Agora vieram à luz as provas.” Para o deputado Marcos Pestana (PSDB-MG), a fraude nos depoimentos da CPI mostra que o governo, ao contrário do que propagandeia, tem “tolerância com malfeitos” e não quer investigar a denúncias sobre a Petrobras. “A máquina do governo Dilma opera para evitar investigação pela CPI da corrupção na Petrobras”, criticou. Advogados do PPS pretendem acionar a Procuradoria-Geral da República. A avaliação do partido é que a fraude é equivalente à recusa de um delegado ou um promotor em investigar um suspeito por interesse pessoal. “Vamos exigir que a presidência da CPI da Petrobras determine a abertura imediata de investigação e adote providências para punir os responsáveis por mais essa farsa armada pelo PT e pelo governo da presidente Dilma Rousseff. Isso é clara obstrução da investigação, que em processos judiciais costuma render decretação de prisão preventiva”, afirmou o líder do PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno (PR), que defende ainda a anulação dos depoimentos. “Não é possível que alguém escolhido para investigar atue descaradamente para beneficiar os suspeitos. Isso é inadmissível e não resta outro caminho que não seja a substituição deles em face da suspeição de conluio." “Todos os depoimentos no Senado que foram comprovadamente manipulados por obra e graça do Palácio do Planalto deve ser anulados porque não têm valor legal. A CPI do Senado já era um teatro desde o início porque o governo tentou bloquear os trabalhos”, afirmou o líder do Democratas na Câmara, Mendonça Filho (DEM-PE). “Temos que buscar a apuração de todos os fatos e podemos ir à Procuradoria-Geral da República e ao Conselho de Ética”, disse ao site de VEJA. “A denúncia de manipulação da CPI coloca o Congresso muito mal e mostra que a independência e autonomia do parlamento estão sendo subtraídas pela interferência nefasta do Executivo”, afirmou.
José Eduardo Barrocas
TEATRO: Parecia uma encenação — e era mesmo. As perguntas que seriam feitas pelos parlamentares ao ex-presidente da Petrobras Sergio Gabrielli foram enviadas a ele antes do depoimento por José Eduardo Barrocas, chefe do escritório da estatal em Brasília, que aparece no detalhe da foto

SOLDADO ISRAELENSE DESAPARECIDO É DECLARADO MORTO

O exército israelense anunciou na noite de sábado, 2, a morte do soldado Hadar Goldin, de 23 anos. Anteriormente, acreditava-se que o militar tinha sido capturado na Faixa de Gaza, em uma emboscada do Hamas nesta manhã. A emboscada encerrou em apenas 90 minutos uma trégua de 72 horas acertada entre Israel e o Hamas, resultado de enorme esforço diplomático dos Estados Unidos e da ONU. Dois companheiros de Goldin também morreram no ataque. Israel voltou a castigar a Faixa de Gaza com disparos de tanques, terminando a sexta-feira com mais de 100 palestinos mortos e mais de 400 feridos. Neste sábado, foram pelo menos 72 mortos - a maioria em Rafah, onde tropas procuravam o soldado desaparecido. Com a confirmação da morte de Goldin, aumenta para 62 o número de soldados israelenses mortos desde o início da ofensiva, no dia 7. Outros três civis, dois israelenses e um tailandês também morreram, atingidos por foguetes do Hamas. Do lado palestino, segundo o Ministério da Saúde em Gaza, foram 1.665 mortos - a grande maioria, civis - e mais de 8.300 feridos. Politicamente, a captura de soldados israelenses é mais dramática do que sua morte, pois dá início a um debate interno, sobre se Israel deve negociar com o inimigo, e em que termos. Em 2011, o soldado Gilad Shalit foi solto pelo Hamas, após cinco anos de cativeiro, em troca da libertação de 1.027 palestinos.

TSE MULTA O PETISTA MERCADANTE POR PROPAGANDA ELEITORAL PARA DILMA

O Tribunal Superior Eleitoral decidiu na sexta-feira multar o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, por propaganda eleitoral antecipada em favor da presidente Dilma Rousseff (PT). A multa aplicada ao ministro é de 7.500 reais. Em 15 de junho – três semanas antes do início da campanha eleitoral – Mercadante utilizou-se da estrutura do Planalto para responder a críticas do tucano Aécio Neves sobre a organização da Copa do Mundo – e defender Dilma como a mais preparada para o cargo de presidente da República. O ministro decidiu convocar para um domingo uma coletiva a pretexto de realizar um balanço do monitoramento da Copa. Para o Ministério Público Eleitoral, Mercadante, durante o evento, “passou-se a ação de cunho político-eleitoral, com manifesta propaganda eleitoral extemporânea em favor de Dilma Rousseff”. A manifestação de Mercadante contrária ao que classificou como o “governo tucano” é irregular, segundo o MPE, porque “que leva ao conhecimento geral, ainda que de forma dissimulada”, a defesa da recondução de Dilma Rousseff ao cargo de presidente. Na sessão de sexta-feira, o TSE ainda rejeitou recurso do PSDB que questionava Dilma por o que os tucanos consideraram propaganda eleitoral antecipada no pronunciamento em rede nacional de rádio e TV durante o Dia Internacional da Mulher, em 8 de março. Apesar de a petista ter feito referências a programas de qualificação técnica ou de inserção ao ensino superior, não diretamente relacionados às comemorações pelo Dia da Mulher, a maioria dos ministros entendeu que não houve propaganda antecipada ou irregular.

PLATAFORMA DA BR DEIXOU DE PRODUZIR 2,4 MIL BARRIS/DIA

A Petrobras informou que foi retomada a produção normal da Plataforma Namorado 1 (PNA-1), atingida na quarta-feira (30) por um foco de incêndio durante serviço de manutenção de uma viga da estrutura metálica, que opera no Campo de Namorado, na Bacia de Campos, no norte fluminense. A produção da PNA-1, com 2,4 mil barris de petróleo por dia, foi interrompida até o início da tarde de quinta-feira (31), quando foram concluídas as atividades de reparo da linha do equipamento de separação e iniciado o procedimento de retorno à produção. A companhia comunicou o fato às autoridades e iniciará imediatamente a investigação com o objetivo de apurar as causas. Em nota, a estatal informou que o foco de incêndio foi rapidamente controlado por um operador e pelo técnico de segurança da unidade, não havendo a necessidade de atuação da brigada de emergência. Não houve danos à integridade das pessoas a bordo. Nesta mesma unidade, também foi constatado um vazamento de água oleosa para o convés da plataforma em uma das linhas do equipamento. Embarcações especializadas e sobrevoo de helicóptero não identificaram manchas de óleo no mar.

COPA DAS COPAS DA PETISTA DILMA DERRUBOU A INDÚSTRIA E PODE GERAR DESEMPREGO A PARTIR DE AGORA

A produção industrial brasileira caiu 6,9% em junho na comparação com junho de 2013. Esse foi o resultado negativo mais intenso desde setembro de 2009 neste tipo de comparação, quando o recuo havia sido de 7,4%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O órgão ainda destacou que este é o quarto resultado negativo consecutivo nesta base de comparação. Em todas as bases de comparação, os resultados negativos foram puxados pelo desempenho do setor de veículos automotores, reboques e carrocerias, que apresentou queda de 36,3% em junho na comparação com junho de 2013; recuo de 12,1% em junho na comparação com maio e baixa de 16,9% no primeiro semestre na comparação com o mesmo período de 2013. A Copa do Mundo, afirma o IBGE, influenciou a forte queda do indicador em junho, em função do menor número de dias trabalhados e das jornadas reduzidas. "A magnitude da queda tem relação direta com menor número de dias trabalhados, redução da jornada de trabalho, férias coletivas, cortes de turnos de trabalho, que ficaram como uma marca do mês de junho. E o evento Copa do Mundo tem relação com esses fatores", disse André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE. Segundo ele, não apenas os jogos do Brasil prejudicaram a indústria, mas o "simples fato de haver várias cidades recebendo jogos", o que aumentou o número de feriados. Mas o movimento de queda não fica restrito ao mês de junho, ressaltou Macedo. Ele observou que o recuo anunciado foi o quarto dado negativo consecutivo na margem. "O perfil de queda ritmo de produção é algo que não é característico só desse mês", disse. "Foi em outubro de 2013 que começou o ritmo de queda maior da produção. A Copa potencializou", acrescentou. A taxa acumulada em 12 meses atingiu queda de 0,6% em junho, o primeiro resultado negativo desde março do ano passado, quando estava com queda de 0,9%. Segundo o IBGE, o resultado mostrou "clara perda de ritmo" em relação aos resultados da taxa acumulada em 12 meses verificados em março (2,0%), abril (0,7%) e maio (0,2%). No mês, a produção industrial recuou 1,4% em junho ante maio, o resultado negativo mais intenso desde dezembro de 2013, quando a queda foi de 3,6% em relação a novembro do ano passado. E, pelo quarto mês seguido, o indicador mensal também apresenta resultados negativos. No acumulado no primeiro semestre de 2014, a produção da indústria registra queda de 2,6% ante o mesmo período do ano passado.

PETROBRAS FIRMA ACORDO COM NEXI E BANCO MIZUHO

A Petrobras informou na sexta-feira que assinou acordo de emissão de garantia para empréstimo no valor de US$ 500 milhões destinados a projetos de construção e conversão de 12 cascos de plataformas do tipo FPSO (unidade que produz, armazena e transfere petróleo e gás). O acordo foi firmado com a agência japonesa de seguro de crédito Nippon Export and Investment Insurance (NEXI) e com o Banco Mizuho. Segundo a estatal, essas plataformas estão sendo construídas para o desenvolvimento dos projetos do pré-sal, na Bacia de Santos, sendo oito (P-66, P-67, P-68, P-69, P-70, P-71, P-72, P-73) para os blocos BM-S-9 e BM-S-11 e as demais (P-74, P-75, P-76 e P-77) para a áreas da Cessão Onerosa. Na sexta-feira, no Palácio do Planalto, em Brasília, foi realizada a troca dos documentos previamente assinados, na presença da presidente Dilma Rousseff, do primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, da presidente da Petrobras, Graça Foster, do presidente da NEXI, Kazuhiko Bando, e do gerente executivo do Banco Mizuho, Hiroshi Suchiro.

JUSTIÇA RECONHECE QUE RUY BERBERT FOI MORTO SOB CENSURA

A Justiça reconheceu que o guerrilheiro Ruy Carlos Berbert, foi morto sob tortura, aos 24 anos, na cadeia pública de Natividade, hoje Tocantins, em 1972. Pela decisão, o documento de óbito deixará de apontar suicídio, versão oficial colocada em xeque pelo jornal O Estado de S. Paulo, há dois anos, com a publicação de fotos do corpo e relatórios inéditos. A mudança do registro de cartório levou a mãe do guerrilheiro, Ottília Vieira Berbert, 95 anos, moradora da cidade paulista de Jales, a agradecer ao juiz do caso por apagar a imagem do filho dependurado na cela. Ottília disse que nunca acreditou que o filho pudesse se matar. O advogado Rodrigo Berbert Pereira, sobrinho do guerrilheiro, autor da ação que pediu a mudança na certidão de óbito, contou que a certeza da família, de tradição espírita, do assassinato do guerrilheiro nunca foi suficiente para apagar uma imagem incômoda. Localizadas numa pasta do Arquivo Nacional, em Brasília, as fotos do corpo do guerrilheiro estendido num estrado na prisão forçaram um novo encontro da família com o passado. Ottília não teve acesso às imagens, mas foi informada da existência de documentos que sugeriam que o filho passou por maus tratos num interrogatório. Para surpresa da família, ela deu aval para que o único neto, Rodrigo, recorresse à Justiça para a retificação do óbito. Um perito que analisou as fotografias a pedido dos Berbert avaliou que as marcas no pescoço não podiam ser de um suicídio unilateral. O guerrilheiro também não teria condições de subir no telhado de cinco metros de altura e de lá se enforcado num lençol. O corpo foi enterrado sem avaliação de um médico legista. Dois farmacêuticos deram o atestado da morte. A versão oficial destaca que Berbert se matou um dia depois da prisão efetuada pelo delegado local. O jornal revelou, porém, que agentes do Centro de Informações do Exército (CIE), núcleo de extermínio de guerrilheiros, organizou uma força tarefa que envolveu homens da 3ª Brigada de Infantaria, da Polícia Federal, da Aeronáutica e do DOI-CODI, para combater militantes do Movimento de Libertação Popular (Molipo), grupo de Berbert, na região. O relatório da Operação Ilha, como foi batizada a força-tarefa, destaca que a polícia teria feito a prisão do guerrilheiro a 31 de dezembro de 1971, depois de receber informação de agentes do CIE. Em 1992, a família já tinha entrado na Justiça para garantir que o guerrilheiro fosse reconhecido como o homem enterrado a 2 de janeiro de 1972, no cemitério de Natividade, com o codinome de João Silvino Lopes. A certidão de óbito de Lopes foi, então, corrigida com o nome de Ruy Carlos Vieira Berbert. Estudante de Letras da Universidade de São Paulo (USP), Ruy Carlos Vieira Berbert foi um dos integrantes do Molipo que recebeu treinamentos em Cuba e retornou ao Brasil. A  ditadura militar brasileira fez uma verdadeira caçada aos guerrilheiros no interior do País.

EMBARQUE DE MINÉRIO NO BRASIL CRESCE 5% EM JULHO, MAS A RECEITA CAI DEVIDO A PREÇOS BAIXOS

As exportações de minério de ferro do Brasil cresceram 5% em julho frente o mesmo mês do ano anterior, para 31,18 milhões de toneladas, marcando o maior patamar mensal desde dezembro de 2013, mas a receita com os embarques recuou 18% por preços mais baixos, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) divulgados na sexta-feira. O preço da tonelada exportada do minério em julho foi de 70,1 dólares, queda de 21,9% frente os 89,8 dólares/tonelada de julho de 2013, com a cotação global da commodity sendo pressionada por uma maior oferta do produto. O faturamento com as exportações de minério de ferro - principal produto da pauta de vendas externas do Brasil - foi de 2,18 bilhões de dólares em julho, frente os 2,66 bilhões do mesmo mês de 2013.

AÉCIO NEVES DIZ QUE HÁ PESSIMISMO NO BRASIL DECORRENTE DA INSEGURANÇA

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, afirmou na sexta-feira que há pessimismo no País decorrente da insegurança causada pela falta de clareza da presidente Dilma Rousseff em relação ao futuro. "O pessimismo não é algo patológico, como quer fazer crer o governo. O cenário de pessimismo é consequência de una construção desse governo que gera insegurança em todos os agentes econômicos e na sociedade. O governo mascara números, faz avaliações sempre confrontadas com a realidade e o ministro Mantega talvez seja o melhor exemplo disso", disse o tucano, depois de participar de gravações para o programa de TV. Candidata à reeleição, Dilma repete com frequência que é preciso combater o discurso "pessimista" propagado por setores que, segundo ela, tentam influenciar os rumos da eleição. A exemplo da presidente, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse, na quinta-feira, que há um "pessimismo artificial " e negou que o governo planeje um "tarifaço" em 2015, para compensar reajustes represados este ano.

ANP MULTA PETROBRÁS EM R$ 7 MILHÕES POR IRREGULARIDADES EM PLATAFORMA EM CAMPOS

A Petrobrás recebeu multa de R$ 7 milhões da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) devido a não conformidades com o regulamento nos sistemas de medição de gás da plataforma Cherne-1, responsável pela produção de algumas áreas da Bacia de Campos. A decisão está em ata de reunião da autarquia de 23 de julho. A Petrobrás recorreu da multa, mas o recurso foi negado pela diretoria da agência nessa reunião. "A multa foi devida à detecção de não conformidades com o Regulamento Técnico de Medição nos sistemas de medição de gás natural da unidade de produção", disse a ANP em nota. É a segunda vez em duas semanas que a estatal recebe multa devido a irregularidades relacionadas à medição da produção. Também no mês passado, a estatal foi multada em R$ 5,55 milhões pela autarquia por irregularidades na inspeção dos sistemas de medição da produção da plataforma Cidade de Angra dos Reis, no Campo de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos. "As não conformidades deste caso não guardam nenhuma relação com o caso do FPSO Cidade de Angra dos Reis (Reunião de diretoria de 16/7)", afirmou a agência na nota.

EM BUSCA DA REELEIÇÃO, DILMA NÃO TEM PORTA-VOZES NA CAMPANHA E CONCENTRA RESPOSTAS NO GOVERNO

Se o time de campanha da reeleição de Dilma Rousseff for comparado com o de 2010, é possível dizer que quatro anos atrás ela estava cercada de jogadores experientes com posições bem definidas e que a equipe atual tem apenas uma estrela, a própria presidente, e jogadores menos conhecidos atuando apenas nos bastidores. Em 2010, havia uma coordenação formada pelo triunvirato Antonio Palocci (então ex-ministro da Fazenda e que viria a assumir a Casa Civil no início do governo Dilma), José Eduardo Dutra (então presidente nacional do PT) e José Eduardo Cardozo (atual ministro da Justiça), além da própria Dilma e do capitão do time, o presidente Lula. Agora, formalmente só falam pela campanha o presidente do PT e coordenador-geral da campanha, Rui Falcão, e a própria Dilma. A principal justificativa para essa mudança é que hoje Dilma é a presidente da República, e não mais apenas candidata a presidente. Estrategistas da campanha de Dilma argumentam também que poderia haver conflitos de opiniões com integrantes do governo se a campanha tivesse porta-vozes e, portanto, crises desnecessárias ao longo da corrida eleitoral. Ministros, que não podem integrar formalmente os quadros da campanha, têm sido escalados para defender as ações do governo. Mas não se espera que eles apontem para o que pode acontecer num eventual segundo mandato de Dilma. Nas últimas semanas, a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e o secretário de política econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland, participaram de debates de infraestrutura e macroeconomia na TV. Falcão disse que a porta-voz da campanha para falar de economia é a própria presidente e não há intenção de nomear nenhum expoente do partido para a tarefa. Em 2010, Palocci tinha esse papel. Nem mesmo com uma situação de baixo crescimento da economia, investimentos em queda e inflação alta, Falcão vê necessidade de ter porta-vozes para essa frente.

ONS REDUZ ESTIMATIVA DE CHUVAS PARA AGOSTO E PLD SOBE ACIMA DO ESPERADO

O preço de energia de curto prazo dado pelo Preço de Liquidação de Diferenças (PLD) subiu muito acima do esperado pelo mercado para a próxima semana, enquanto o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) reduziu as previsões de chuva para hidrelétricas em agosto. O PLD na carga pesada da próxima semana subiu a 817,53 reais por megawatt-hora (MWh), alta de 38% ante o PLD anterior, de 593,73 reais por MWh. Na carga média, o PLD ficou em 815,20 reais por MWh e, na leve a 797,56 reais por MWh, segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). Comercializadoras esperavam que o PLD ficasse na casa dos 600 reais para a próxima semana, o que seria apenas uma pequena elevação em relação ao preço atual. O ONS espera agora que as chuvas fiquem abaixo da média em todas as regiões do país em agosto, segundo a revisão do Programa Mensal de Operação (PMO) divulgada na sexta-feira. Para o Sul do país, a previsão de chuvas para hidrelétricas foi reduzida de 117 para 91% da média histórica. No Sudeste, a estimativa de afluências em agosto passou de 93 para 86% da média histórica. Para Nordeste e Norte as previsões ficaram estáveis em relação à semana passada, de 57% e 81% da média histórica, respectivamente.

BRASIL REDUZ DÉFICIT NA BALANÇA COMERCIAL DO SETOR DE PETRÓLEO EM JUNHO

As importações de petróleo e derivados pelo Brasil mais uma vez superaram as exportações, mas o déficit ficou bem abaixo do registrado um ano atrás, em um momento em que o País está extraindo mais petróleo, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior divulgados na sexta-feira. As importações de petróleo, combustíveis e lubrificantes no último mês somaram em 4,58 bilhões de dólares, ante exportações de 2,94 bilhões de dólares (déficit de 1,64 bilhões de reais). Em julho de 2013, as importações atingiram 4,94 bilhões de dólares, contra exportações de 1,16 bilhões de dólares (déficit de 3,78 bilhões). Em junho, o déficit da balança comercial do setor de petróleo havia sido de 1,32 bilhões de dólares. Os dados mais recentes de produção de petróleo no País, de maio, apontaram crescimento de 9,8% ante 2013, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A demanda brasileira por petróleo e combustíveis maior que a capacidade de produção, aliada às compras no exterior por preços menores que os repassados aos consumidores, tem gerado sucessivos prejuízos na área de abastecimento da Petrobras nos últimos anos.

EMBARQUES DE AÇÚCAR BRUTO DO BRASIL CRESCEM 10% ANTE 2013

A exportação de açúcar bruto do Brasil aumentou 10% em julho ante um ano atrás, para 2,04 milhões de toneladas, o maior volume desde outubro de 2013, com o tempo mais seco favorecendo os embarques, segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) divulgados na sexta-feira. O volume também supera o montante de 1,49 milhão de toneladas embarcadas em junho. O faturamento obtido com os embarque avançou para 804 milhões de dólares, contra 763 milhões de dólares de julho de 2013 e 594,5 milhões de dólares apurados em junho. A receita cresceu na esteira dos maiores embarques, uma vez que o preço médio da tonelada embarcada foi menor tanto na comparação anual (menos 4,1%) como em relação a junho (menos 1,3%).