quinta-feira, 21 de agosto de 2014

NO PARAGUAI, O DOUTOR HORROR, MÉDICO ROGER ABDELMASSIH, COMPROU COTA DE AVIÃO

O ex-médico Roger Abdelmassih comprou cotas de uma aeronave enquanto esteve foragido no Paraguai. Segundo investigadores, o avião ficou um ano parado até ser vendido. O negócio teria causado prejuízo a Abdelmassih que, embora vivesse num aparente luxo, não tinha uma situação financeira confortável e acabou se desfazendo de bem para se capitalizar. Abdelmassih também tentou fazer um empréstimo, mas não foi bem sucedido. A mulher dele, Larissa Maria Sacco teria, inclusive, se movimentado para receber, em vida, uma herança a que tem direito para capitalizar o casal. Um dos objetivos da família era fugir do Paraguai para o Líbano ou a Itália, plano que não foi concretizado, entre outros motivos, pela falta de recursos. Abdelmassih ficou três anos foragido no Paraguai após fugir do Brasil ao ser condenado pelo estupro de dezena de mulheres. A Polícia Federal chegou ao paradeiro do ex-médico com base em várias fontes. A informação sobre o possível paradeiro foi repassada à Polícia Federal por um jornalista que investigava o caso e tinha fontes no Ministério Público. O Ministério Público de São Paulo tinha informações sobre o possível paradeiro graças a uma interceptação telefônica no telefone de uma irmã do médico, mas só teria comunicado à Polícia Federal esse fato quando os investigadores já estavam no Paraguai.

VENEZUELA REDUZ OFERTA DE PETRÓLEO BARATO E ALIADOS BUSCAM CARGAS MAIS CARAS

Os carregamentos de petróleo e de combustíveis da Venezuela para seus aliados caíram para o menor nível em cinco anos, com a fraqueza da economia prejudicando a capacidade do país de manter acordos firmados pelo então ditador Hugo Chávez, oferecendo energia barata para países amigos e expandindo a influência diplomática do país. Os envios totais sob os acordos de cooperação com países da América Latina e do Caribe caíram 11% em 2013, para 243 mil barris por dia, menor volume desde 2007, segundo dados recentes da petroleira estatal venezuelana PDVSA. Diversos fatores estão por trás da queda: menor produção de petróleo e economia fraca no país, uma rede de refino doméstica que ainda não se recuperou totalmente de um grande acidente em 2012, sem falar de um acordo financeiro com a China que direciona boa parte do petróleo venezuelano para a Ásia. Alguns dos países beneficiados com o petróleo barato da Venezuela estão sendo forçados a buscar outras fontes. Nos oito meses até agosto, países da Jamaica à Argentina, que têm acordos de fornecimento com a Venezuela, compraram 140 carregamentos de petróleo, componentes e combustíveis para transporte e geração de energia no mercado livre, segundo informações de leilões. Mais de dois terços deste volume foram para o Equador, um dos mais próximos aliados da Venezuela. As compras, que apertaram a oferta de navios petroleiros, são bem mais caras que o petróleo obtido nos acordos de longo prazo. Chávez, que governou a Venezuela por 14 anos até morrer de câncer em março de 2013, usava a riqueza petrolífera do país para ajudar aliados e ampliar sua influência na América Latina e Caribe. O acordo Petrocaribe, assinado por Chávez em 2005, exige dos membros o pagamento de apenas 40% das compras em dinheiro, sendo o restante financiando por 25 anos a juros baixos ou pagos com produtos que variam desde arroz a calças jeans. Desde então, as exportações do combustível caíram ainda mais e a posição financeira da PDVSA enfraqueceu, limitando sua capacidade de ajudar aliados, embora o sucessor escolhido por Chávez, o presidente Nicolás Maduro, apoiar os acordos. "O país (Venezuela) está importando bastante combustível para cobrir a demanda doméstica, portanto comprar volumes extras para ajudar aqueles países é insustentável", disse um executivo de uma grande trading global de commodities envolvida no fornecimento de combustíveis para a Venezuela.

MULHER DO DOUTOR HORROR, O MÉDICO ROGER ABDELMASSIH, DEIXOU O PARAGUAI POR CIUDAD DEL ESTE

A mulher do Doutor Horror, o médico Roger Abdelmassih, a ex-procuradora da República Larissa Maria Sacco, de 37 anos, deixou o Paraguai, rumo ao Brasil, na mesma noite da prisão do ex-médico, na terça-feira, 19. A bordo de um carro da família, Larissa entrou no Brasil via Ciudad del Este, na fronteira com o Paraguai. Roger Abdelmassih foi preso em operação conjunta entre as polícias brasileira e paraguaia, quando buscava os filhos gêmeos na escola, em Assunção, capital do Paraguai. Os agentes chegaram até ele depois de encontrar a escola dos filhos. O fugitivo vivia numa casa em Villa Morra, bairro de classe média alta da capital paraguaia. Ele foi condenado, em 2010, por 48 estupros a 37 mulheres. O ex-médico foi trazido em avião da Polícia Federal, algemado, até Foz do Iguaçu e, de lá, para São Paulo. Na chegada ao Aeroporto de Congonhas, foi hostilizado por vítimas. Na quarta-feira, 20, já passou a primeira noite no Presídio de Tremembé, no Vale do Paraíba.

EMI AMEAÇA PROCESSAR TIRIRICA POR PARÓDIA DE ROBERTO CARLOS

Vestindo um terno branco, com um terço na mão direita e cantando uma paródia da música "O Portão" enquanto come um prato de carne, o primeiro vídeo da campanha do deputado federal Tiririca (PR) já causa polêmicas. Com duração de 1minuto e 25 segundos, a assessoria da campanha argumenta que a produção era para ser uma "brincadeira" com o comercial do cantor Roberto Carlos para o frigorífico Friboi, mas foi retirada do Youtube a pedido da editora de músicas EMI Songs por violação de direitos autorais. O vídeo original foi "quase que imediatamente" retirado do ar, afirmou o advogado José Diamantino Alvarez Abelenda, representante da empresa. As gravações que ainda estão no site são novos compartilhamento que, aos poucos, serão retirados da rede. Como não houve pedido de autorização para veicular a música, tanto Tiririca quanto o partido foram notificados para procurarem a EMI Songs e buscarem um acordo extrajudicial. Caso contrário, ambos serão processados. "Não é uma paródia porque deveria estar em um contexto engraçado, em um programa de comédia, por exemplo, não em um programa político", explicou Abelenda, acrescentando que não foi procurado por ninguém vinculado ao candidato, à campanha ou ao partido. Em campanha, o assessor de Tiririca, Osvaldenir Stocker, disse que a notificação foi enviada para o setor jurídico do PR e que o candidato não está envolvido com a questão. Ele explicou que o deputado "fez uma brincadeira com Roberto Carlos": "Nunca tivemos problemas (com outras paródias). Desta vez tivemos por ser eleição". Ele disse que todo o material de campanha de Tiririca já está gravado, "todos na linha de brincadeira". "Esse era apenas o vídeo de abertura da campanha, não vamos explorá-lo o tempo todo. Temos uma variedade de vídeos", disse.

JUSTIÇA AMERICANA INVESTIGA ASSASSINATO DO JORNALISTA PELOS TERRORISTAS DO CALIFADO

O secretário de Justiça dos Estados Unidos, Eric Holder, anunciou nesta quinta-feira, 21, que seu departamento deu início a uma "investigação penal" para apurar o assassinato do jornalista americano James Foley, decapitado por um integrante do grupo terrorista jihadista Estado Islâmico (EI - Califado): "O Departamento de Justiça está trabalhando ativamente para que se faça justiça neste caso". A declaração de Holder foi feita depois que o presidente Barack Obama prometeu fazer "o necessário para que se faça justiça" pela morte de Foley. O jornalista tinha 40 anos e havia sido sequestrado na Síria em novembro de 2012. "Os que tenham cometido tais atos têm que entender algo. Temos boa memória e nosso alcance é muito amplo. Não vamos esquecer o que ocorreu e as pessoas envolvidas terão que prestar contas de uma maneira ou de outra", acrescentou Holder. O secretário de Justiça elogiou o trabalho de Foley em zonas de risco. "Ele era um jornalista e era um símbolo do que é correto sobre os Estados Unidos". No final de junho, Washington lançou uma operação na Síria para libertar reféns americanos das mãos do grupo terrorista jihadista, mas a missão não teve êxito porque não acertou a localização das pessoas, revelou o Departamento de Defesa na quarta-feira. O governo americano não informou quantos reféns estariam na Síria e nem se Foley estava entre eles, mas os jornais The Washington Post e The New York Times, com base em fontes oficiais, asseguraram que o jornalista poderia ter sido um dos libertados nessa missão.

PRESIDENTE DO ATLÉTICO DE MINAS GERAIS DESISTE DE CANDIDATURA A DEPUTADO FEDERAL PELO PSB, IRRITADO COM A SOLUÇÃO MARINA SILVA

Apontado por lideranças políticas mineiras como candidato com potencial para ser um campeão de votos, o presidente do Atlético Mineiro, Alexandre Kalil, anunciou nesta quinta-feira, 21, que não vai mais concorrer ao cargo de deputado federal pelo PSB. Ele justificou a decisão pelo "momento" vivido pelo time no Campeonato Brasileiro (8º colocado entre 20 times), mas afirmou que não vai "se rebaixar a ser político". "Temos de cuidar do Atlético. Isso aqui não é Cruzeiro. A torcida do Atlético não aceita ninguém aproveitar nada do Atlético. Entendo isso porque também nunca aceitei. Então, estou livre desta m... de política. Não vou me rebaixar a ser político também", disse Kalil, sem perder a chance de provocar o arquirrival. O ex-presidente do Cruzeiro, Zezé Perrella (PDT), tornou-se senador após a morte de Itamar Franco (PMDB), de quem era suplente, em 2011, e o atual mandatário do clube, Gilvan de Pinho Tavares, é candidato a deputado estadual. Segundo Kalil, o Galo precisa da sua "presença", o que seria inviável durante este período de campanha eleitoral. Apesar de responsabilizar o mau momento do time por sua decisão, o dirigente sinalizou que a morte de Eduardo Campos, que era o candidato do PSB à Presidente e que comandava o partido, também teria tido influência no processo. "Fiquei muito abalado com a morte do Eduardo Campos, que veio a Belo Horizonte me filiar e infelizmente aconteceu o que todos nós sabemos que aconteceu. Isso me abalou profundamente, fiquei muito triste com a morte dele", disse. O mandatário do Galo também afirmou que os rumos do PSB após a morte de Campos e a indicação da ex-ministra Marina Silva para disputar a Presidência também tiveram influência na decisão. "Nada neste partido me interessa. O que me interessava caiu de avião. Nem piso no partido", disse ele.

O PETISTA JORGE VIANA DIZ QUE A CANDIDATURA DE MARINA SILVA CRIA SITUAÇÃO "NOVA"

O senador petista Jorge Viana (AC), amigo pessoal há mais de duas décadas da ex-ministra Marina Silva, admitiu nesta quinta-feira que a entrada dela na disputa presidencial cria uma situação "absolutamente nova" e é motivo de apreensão para a candidatura à reeleição de Dilma Rousseff. "Eu diria que a entrada dela, no mínimo, acende a luz vermelha no PSDB e a luz amarela no PT", disse. Primeiro-vice presidente do Senado, Viana disse que a candidatura de Marina estabelece uma disputa direta com o candidato tucano à Presidência, Aécio Neves, e ainda deixa mais clara a possibilidade de realização de um segundo turno na corrida ao Palácio do Planalto. Para ele, é "óbvio" que seria melhor disputar um segundo turno contra Aécio Neves. "Se pudéssemos escolher o adversário - quando isso é possível de acontecer na política é o melhor dos cenários -, nosso adversário que escolheríamos seria o PSDB. Poderíamos comparar facilmente os oito anos do governo do PSDB com os anos do governo do PT, que trouxeram muito mais conquistas para o povo brasileiro", frisou. Viana disse que a entrada de Marina não acaba com a polarização entre petistas e tucanos na corrida eleitoral, porque, na sua avaliação, ela está dividida entre o governo e as candidaturas de oposição, como é o caso dela. Mas reconhece que a ex-ministra "embaralha" a disputa, uma vez que ela fez parte do governo do PT - foi ministra de Meio Ambiente do governo Lula - e traz ainda "novidades" nos temas que defende em sua prática política.

ARGENTINA MANTÉM ESTIMATIVA DE ÁREA DE TRIGO 2014/15 EM 4,5 MILHÕES DE HECTARES

O governo argentino manteve sua estimativa de área plantada com trigo em 4,5 milhões de hectares em 2014/15, em safra cujo cultivo tem sofrido dificuldades por excesso de umidade que ameaça impedir a implantação em algumas áreas agrícolas. A previsão do Ministério da Agricultura representa um aumento de 23% em relação ao ano anterior, e está acima dos 4,1 milhões de hectares previstos pela Bolsa de Buenos Aires, que na semana passada reduziu sua estimativa devido ao excesso de umidade no país. A Argentina é um dos principais exportadores de trigo, cujo plantio da temporada 2014/15 está quase terminando. O país tradicionalmente é o maior fornecedor ao Brasil. O governo ainda não publicou as previsões para a colheita de trigo 14/15. Na temporada anterior, a produção argentina do cereal foi de 9,2 milhões de toneladas, com base em uma área plantada de 3,65 milhões de hectares. Em seu relatório mensal de agosto, o Ministério da Agricultura também manteve suas estimativas de recordes para safras 2013/14 de soja e milho, em 53 milhões e 33 milhões de toneladas, respectivamente.

MINISTRA DO STJ VOLTA A FAVOR DO CORONEL USTRA

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) iniciou nesta quinta-feira, 21, o julgamento do recurso especial do coronel da reserva Carlos Alberto Brilhante Ustra contra decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo, que o reconheceu como responsável por torturas contra presos políticos nos anos da ditadura. Ao apresentar seu voto na abertura da sessão, a ministra Nancy Andrighi, relatora do processo, defendeu o pedido do coronel e a extinção da ação. De acordo com a ministra, a ação declaratória contra o militar não tem procedência. Nancy lembrou que ele também foi beneficiado pela Lei da Anistia de 1979. Destacou passagens da lei e afirmou que seu objetivo principal foi a pacificação nacional após o fim da ditadura. De acordo com informações publicadas no site Migalhas, especializado em questões jurídicas, a ministra disse que a lei foi “um passo importante e necessário para romper definitivamente com aquele triste passado, para reescrever a história pensando no futuro”. O voto da relatora foi seguido pelo ministro João Otávio de Noronha. A sessão teve que ser suspensa em seguida, porém, com o pedido de vista apresentado pelo ministro Paulo de Tarso Sanseverino. Ainda não há data prevista para a retomada do julgamento. O caso está sendo julgado pela 3ª Turma do STJ, que conta atualmente com quatro ministros. Ao comentar o voto da relatora, o defensor do coronel, advogado Paulo Esteves, disse que ela seguiu o que determinam as leis do País. “Prevaleceram a Constituição e a Lei da Anistia”, afirmou. Ustra comandou o Destacamento de Operações de Informações – Centro de Operações de Defesa Interna (DOI-Codi), do 2.º Exército, entre setembro de 1970 e janeiro de 1974. Segundo a Comissão Nacional da Verdade, aquele foi um dos principais centros de tortura de presos políticos no período da ditadura. Em 2008, os ex-presos políticos César Augusto Teles, Maria Amélia Teles e Criméia Alice Schmidt de Almeida, que foram torturados nas dependências daquela instituição militar, recorreram à Justiça para obter uma declaração legal apontando o coronel como responsável pelas violências. Queriam o estabelecimento de uma relação jurídica de responsabilidade civil entre eles e o militar. O caso chegou ao Tribunal de Justiça de São Paulo em 2012. Saiu dali a primeira decisão judicial de segunda instância, desde o fim da ditadura, em 1985, que declarou oficialmente que um agente do Estado foi responsável por torturas. Segundo os desembargadores paulistas, o coronel Ustra não cumpriu sua obrigação legal de preservar a integridade física e moral de pessoas mantidas sob a custódia do Estado. A ação cível, sem pedido de indenização, prisão ou suspensão de aposentadoria, foi a brecha legal encontrada pelas vítimas de torturas para atingir o coronel. Em todas as tentativas anteriores de responsabilizá-lo por violações de direitos humanos, seus advogados já haviam recorrido à Lei da Anistia, com sucesso. A decisão da ministra Nancy não constitui uma novidade no cenário jurídico. De maneira geral, as cortes superiores têm defendido que todos os agentes públicos acusados violações de direitos humanos foram beneficiados pela Lei da Anistia. Também pesa na discussão a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que, ao julgar um pedido feito pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), sobre o alcance da lei, afirmou que beneficiou também os agentes públicos.

TRE-PE LIBERA USO DA IMAGEM DE EDUARDO CAMPOS POR ADVERSÁRIOS DO PSB. É O CERTO! O RESTO É CENSURA OBTUSA

Parece só uma bobagenzinha, mas não é. Um liminar da Justiça Eleitoral de Pernambuco proibia que coligações que se opõem ao PSB usassem a imagem de Eduardo Campos. É claro que era uma censura inaceitável, estúpida. Sobretudo porque todas elas elogiavam a atuação do ex-governador.

“Ah, mas é tirar uma casquinha da morte do adversário!” É mesmo? Por acaso, os aliados de Campos também não fizeram exploração político-eleitoreira de sua morte? Atenção! Deveria ser livre o uso da imagem ainda que fosse para criticá-lo, ora bolas! A propósito: houve ou não dinheiro público para organizar o velório de Campos? Aquela faixa, com a frase “Não vamos desistir do Brasil”, estendida num carro do Corpo de Bombeiros, era ou não campanha político-eleitoral? A resposta é “sim”. E que se note: nem estou dizendo que o Estado deveria se eximir de organizar o seu velório. Acho legítimo que se tenha feito uma solenidade oficial. Afinal, a sua figura e a sua morte transcendem a vida privada.
Por isso mesmo, é absolutamente ridículo — e autoritário — que se proíba a referência a seu nome, por aliados ou por adversários. O homem que teve seu velório organizado pelo Estado não era propriedade privada do PSB ou da família Campos. Por Reinaldo Azevedo

O PETISTA ALEXANDRE PADILHA DIZ QUE SUA MULHER FARÁ PARTO NO SUS; SERÁ QUE ELA VAI ENFRENTAR A FILA?!!!

Ex-ministro da Saúde, o candidato ao governo de São Paulo, o petista Alexandre Padilha, aproveitou a confirmação da gravidez de sua mulher Thássia para exaltar o Sistema Único de Saúde (SUS). Em publicação postada nesta quinta-feira no Facebook, Padilha contou que acompanhou a primeira consulta da mulher em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e se disse "extremamente orgulhoso" por ela decidir fazer o acompanhamento da gestação e o parto pelo SUS. "Tenho que dizer que estou extremamente orgulhoso da opção dela de fazer o pré-natal e parto pelo SUS, mesmo cientes do tanto que precisamos avançar para garantir um Parto Humanizado para toda a nossa população", disse. "Eu e Thássia passamos por uma experiência única. Dois defensores do SUS como somos, cientes do que se avançou nestes 25 anos, mas mais cientes ainda de tudo o que precisamos avançar e melhorar para garantir uma Saúde de Qualidade para toda a população, fomos a uma UBS do município de São Paulo, mais próxima do local de trabalho da Thássia, para a sua 1ª consulta de pré-natal", escreveu o candidato. Ora, o sujeito é medido, a mãe é médica, é colega de todos os médicos que atuem no SUS, duvido que a mulher tenha tido que esperar na fila.

A PETISTA DILMA QUER MINISTROS DEFENDENDO A DIRETORIA DA PETROBRAS

A presidente petista Dilma Rousseff afirmou nesta quinta-feira que ela e todos os ministros de seu governo têm obrigação de defender a Petrobrás e seus diretores. Ela deu a declaração após ser questionada sobre a atuação dos ministros José Eduardo Cardozo (Justiça) e Luís Inácio Adams (Advocacia-Geral da União) em favor de diretores da estatal que são alvo de apuração do Tribunal de Contas da União."Gente, que maluquice! Veja bem, ó: a Graça Foster e a diretoria inteira da Petrobrás representam a União", disse a presidente da República. "É de todo interesse da União defender a Petrobrás, a diretoria da Petrobrás. Nada tem de estranho esse fato. Pelo contrário, é dever do ministro da Justiça, de qualquer ministro do governo, defender a Petrobrás". Dilma deu a declaração em entrevista coletiva concedida durante visita às obras de transposição das águas do rio São Francisco no município de Floresta, em Pernambuco. "No meu governo, não precisa do ministro da Justiça só, ou do Adams. A presidente defenderá a Petrobrás", frisou Dilma. Para Dilma, as críticas à gestão da estatal são uma arma política de seus adversários eleitorais. A presidente, candidata à reeleição neste ano, avalia que, a cada eleição, há uma "tentativa" de se fazer uma CPI da Petrobrás. "Eu acho extremamente equivocado colocar a maior empresa de petróleo da América Latina, sempre durante a eleição, como arma política", afirmou.

SECRETÁRIO DO GOVERNO PAULISTA INFORMA QUE ILHA SOLTEIRA OPERAVA DESDE JUNHO ABAIXO DA COTA

A Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira opera desde o início de junho com o reservatório abaixo da cota mínima, afirmou nesta quinta-feira (21) o secretário estadual de Recursos Hídricos, Mauro Arce. Uma liminar dada pela Justiça Federal de Jales (SP) a associações de criadores de peixes determinou que a Companhia Energética de São Paulo (Cesp) e o Organizador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) deixem de gerar energia abaixo da cota mínima, sob pena de multa diária de R$ 100 mil. A medida visa a garantir a atividade indispensável para o sustento das famílias. De acordo com o secretário, o consumo da água para geração de energia levou o reservatório a um nível crítico, baixando 32% da capacidade total. A cota mínima é de 328, mas a operação ocorre com conta de 321: "As águas baixaram tanto que tivemos de reposicionar os sistemas de captação de algumas cidades paulistas". Segundo ele, apesar da decisão judicial, até a tarde desta quinta-feira a usina operava normalmente. Até aquele momento, a Cesp ainda não havia sido notificada, segundo o secretário. Ele disse que a situação dos reservatórios é complicada em todo o Sudeste e atingiu níveis críticos também nos rios Grande e Parnaíba. Órgãos do governo paulista acusaram o ONS de dar prioridade à geração de energia, causando a queda no nível do reservatório que levou à paralisação do transporte pela hidrovia Tietê-Paraná, em Araçatuba. O governador Geraldo Alckmin (PSDB) disse que a Companhia Energética de São Paulo (Cesp) vai cumprir a decisão judicial que mandou suspender a operação na Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira.

COLLOR DE MELO DIZ QUE FOI VÍTIMA DE "GOLPE PARLAMENTAR"

O senador Fernando Collor (PTB-AL) afirmou nesta quinta-feira, 21, em seu programa eleitoral na televisão, que foi vítima de um "golpe parlamentar" que lhe tirou da Presidência da República em 1992. Candidato à reeleição ao Senado, Collor negou que tenha havido um "golpe popular" para derrubá-lo e destacou que os movimentos das ruas - uma referência indireta às passeatas protagonizadas pelos caras-pintadas - foram todos "orquestrados". "Fui afastado da Presidência da República supondo que as acusações que me faziam à época eram verdadeiras. Sem nenhuma prova disso", declarou. No início da propaganda, uma locutora afirmou que a carreira política de Collor foi interrompida por "falsas acusações" e que ele foi "perseguido e cassado por políticos". O ex-presidente exaltou o fato de ter sido absolvido pelo Supremo Tribunal Federal em duas ocasiões, em 1994 e em abril deste ano. Neste último caso, o STF o absolveu por falta de provas do crime de peculato. Ele era suspeito de desviar dinheiro público de contratos de publicidade. O programa apresenta o discurso que Collor fez na tribuna do Senado no dia 28 de abril, no qual comemorou sua última absolvição pelo STF. E cobrou reparações por causa do processo de impeachment a que foi submetido. "Quem poderá me devolver tudo aquilo que eu perdi, a começar pelo meu mandato presidencial?", questionou. Na ocasião, em cena exibida na propaganda, senadores do PT se solidarizaram com o ex-presidente por conta do resultado do julgamento. Ao final, a locutora pediu aos adversários de Collor para não usar de "baixarias": "Collor é ficha limpa. O guerreiro resistiu e venceu".

ELETROBRAS PAGARÁ NESTA SEXTA-FEIRA R$ 452 MILHÕES PARA A PETROBRAS

A Eletrobras paga 452 milhões de reais à Petrobras, parte de uma dívida da empresa de energia com a petrolífera, disse a jornalistas nesta quinta-feira o diretor financeiro da estatal elétrica, Armando Casado. Segundo ele, na próxima semana Eletrobras e Petrobras discutirão sobre valor controverso da dívida relacionada a compra de gás, de 1,7 bilhão de reais.

MILITANTES IRAQUIANOS VÃO SE REAGRUPAR, DIZ O PENTÁGONO

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, disse que os ataques aéreos norte-americanos ajudaram o Iraque e as forças curdas a recuperarem sua estabilidade, mas ele acredita que as hordas terroristas do Estado Islâmico, o Califado, vão se reagrupar e organizar uma nova ofensiva. O presidente dos líderes de juntas militares, general Martin Dempsey, afirmou que é possível conter os terroristas, mas que isso não pode ser feito de forma permanente sem atacar o grupo na Síria. Dempsey disse que não estava prevendo ataques aéreos no território sírio, mas que o problema deve ser enfrentado diplomaticamente, politicamente e militarmente pelos Estados Unidos e por seus aliados. Hagel disse que todas as opções estavam sendo consideradas, incluindo ataques aéreos na Síria. Os Estados Unidos restringiram sua ação militar no Iraque, mas as preocupações com a segurança na região são crescentes. Os comandantes do Estado Islâmico têm estendido seu controle enquanto trabalham de fortalezas seguras na Síria.

PSB CORRE PARA PÔR MARINA SILVA NA RUA E DISSIPAR DIFERENÇAS INTERNAS COM A REDE

Na corrida contra o tempo para dar a arrancada na campanha de Marina Silva à Presidência pelo PSB, socialistas e "marineiros" tentam remover as diferenças, pressionados pelo desembarque do coordenador de campanha e ainda sob choque com a morte de Eduardo Campos. O partido, que conseguiu oficializar na quarta-feira após horas de negociações, os nomes de Marina Silva como candidata à Presidência e do deputado federal Beto Albuquerque (PSB-RS) como vice, corre atrás do prejuízo, uma vez que há uma semana as ações estão paralisadas por causa da tragédia com Campos e das decisões políticas que tiveram que ser tomadas. Além das articulações internas, o partido teve nesta quinta-feira uma nova rodada de negociações com partidos da coligação. A ex-senadora deve ainda se reunir na sexta-feira com o presidente do PSL, Luciano Bivar, aliado que manifestou descontentamento com a condução do PSB para formatar a nova chapa. Em meio a tantos ajustes, o PSB ainda teve que debelar no meio do caminho uma crise no comando da campanha, com a saída do coordenador-geral, o socialista Carlos Siqueira, ligado a Campos.

DILMA EXALTA OBRAS NA TV E LULA ATACA "CERTA IMPRENSA"

A presidente Dilma Rousseff, candidata à reeleição pelo PT, usou seu programa eleitoral na TV nesta quinta-feira para exaltar obras de infraestrutura realizadas em seu governo, enquanto o ex-presidente e alcaguete Lula  (delatava companheiros para o Dops paulista durante a ditadura militar, conforme Romeu Tuma Jr) acusou "certa imprensa" de atuar como "o principal partido de oposição" à sua afilhada política. Dilma apareceu em locais de grandes obras de seu governo, como integração do rio São Francisco, na região Nordeste, e a usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. A presidente aproveitou para alfinetar o PSDB ao afirmar que, quando Lula chegou ao governo em 2003, o Brasil tinha perdido "a capacidade de planejar e executar grandes programas sociais e grandes obras de infraestrutura". "Muita gente no Brasil não sabe que estamos realizando uma obra deste porte. Pois é, estamos", disse Dilma sobre a usina de Belo Monte. "Por isso, quando falam que o Brasil está parado, eu até acho graça", disparou. Principal fiador da campanha de Dilma em 2010, papel que retomou nesta eleição, Lula disse no programa desta quinta que "certa imprensa" esconde os feitos do governo Dilma e voltou a pedir voto para sua afilhada política. "Eu tenho certeza que você já está surpreso com tanta coisa que a Dilma fez e que você não sabia", disse.

PETROBRAS CONFIRMA POTENCIAL DA ÁREA DE MOITA BONITA

A Petrobras informa que a perfuração do terceiro poço na área de Moita Bonita, na concessão BM-SEAL-10, na Bacia de Sergipe-Alagoas, comprovou a extensão da descoberta de gás e petróleo leve, naquela área, conforme divulgado ao mercado em 24 de agosto de 2012. O poço, que é informalmente conhecido como Moita Bonita 3 (3-BRSA-1244-SES / 3-SES-182), é o segundo poço de extensão perfurado na área. Ele está localizado a 82 km do litoral de Sergipe, a cerca de 5 km do poço descobridor Moita Bonita 1-BRSA-1088-SES (1-SES-168) e em profundidade dágua de 2.790 metros. "Durante a perfuração foi constatada a existência de reservatórios com espessura de 40 metros, com boas condições de permeabilidade e porosidade, confirmando as expectativas do projeto", afirma a empresa em comunicado ao mercado. Após a conclusão da perfuração foi realizado ainda um teste de formação que confirmou a presença de óleo de 41º API e a boa produtividade do reservatório. A acumulação Moita Bonita integra o programa de desenvolvimento da Bacia de Sergipe-Alagoas em águas ultraprofundas. A estatal, que é operadora do BM-SEAL-10, com 100% de participação, dará continuidade às atividades previstas na área.

PETROBRAS TEM MENOR DEFASAGEM ANTE COMBUSTÍVEIS NO EXTERIOR DESDE 2013

A defasagem do preço da gasolina e do diesel vendidos pela Petrobras no Brasil deve atingir, neste mês, seu menor patamar desde o ano passado, pelo menos, na comparação com os valores internacionais, seguindo uma queda nos preços do petróleo nos mercados globais. As cotações do petróleo Brent, negociado na Europa, e as do WTI, nos Estados Unidos, tiveram queda de cerca de 10 dólares o barril desde junho, atingido mínimas de vários meses, o que pressiona os preços dos combustíveis no Exterior, que não são controlados como ocorre no Brasil. A situação deve trazer um alívio para a Petrobras, que tem amargado prejuízos na área de Abastecimento, segundo dados de um estudo da GO Associados divulgados nesta quinta-feira e de acordo com avaliação de especialistas. A defasagem do preço da gasolina, ante o valor registrado na refinaria nos Estados Unidos, deve ficar em 11% em agosto, abaixo da defasagem de 13% em julho e dos 18% de junho, segundo cálculos da GO. Esse percentual para a gasolina é o menor registrado pela consultoria desde novembro do ano passado, quando houve o último reajuste do combustível no Brasil, de 4% nas refinarias. Já a diferença do preço do diesel, o combustível mais vendido pela Petrobras, deverá ficar em 4%, de acordo com a GO, o menor nível desde os registros divulgados pela consultoria, que vão até agosto de 2013. Em agosto do ano passado, a defasagem do diesel ante a cotação externa era de 22%.

COORDENADOR DE MOBILIZAÇÃO DO PSB TAMBÉM DEIXA A FUNÇÃO

Além do coordenador-geral da campanha do PSB à Presidência da República, Carlos Siqueira, o coordenador de mobilização e articulação da campanha, Milton Coelho, também anunciou ao presidente da sigla, Roberto Amaral, que deixará a coordenação. Membro da Executiva Nacional do PSB, Coelho disse que, sem Eduardo Campos, seu "compromisso com a coordenação da campanha acabou". "Meu compromisso era com o Eduardo", resumiu o pessebista. Coelho disse que já vinha conversando com os dirigentes do PSB sobre sua saída. Ele não quis dar mais justificativas sobre a decisão, mas destacou que não deixará a Executiva da legenda. Mais cedo, Siqueira causou a primeira crise da campanha, agora com a ex-senadora Marina Silva na cabeça de chapa. Siqueira acusou Marina de "mandar no partido" e disse que a candidata está "longe de representar o legado" de Eduardo Campos.

BETO ALBUQUERQUE SE OFERECE PARA SER COORDENADOR INTERINO DA CAMPANHA DA AMBIENTALEIRA MARINA SILVA

O candidato à vice-Presidência da República na chapa liderada pela ambientaleira Marina Silva, deputado federal Beto Albuquerque (PSB), atribuiu a saída do coordenador de campanha do partido, Carlos Siqueira, a um "pequeno desentendimento" e disse que pode assumir a função temporariamente, até a sigla encontrar um nome de consenso para a tarefa. Em entrevista coletiva em Porto Alegre, nesta quinta-feira, Beto Albuquerque lembrou que, desde a morte de Eduardo Campos, que concorreria à Presidência, há uma semana, todos os integrantes da coligação estão extenuados pela busca inicial dos corpos, velório, sepultamento e, posteriormente, tratativas políticas, dormindo menos de quatro horas por noite. "Neste momento de tensão houve um atrito, vencível", justificou. Referindo-se à reunião de quarta-feira à tarde, lembrou que "Marina não ofendeu ninguém, é uma mulher delicada e generosa". Admitiu ainda que, assumindo a condição de candidata, Marina Silva queira ter algumas pessoas de sua confiança em áreas estratégicas de sua campanha. "Isso foi compreendido errado, a meu juízo, pelo Carlinhos, que eu prezo imensamente, e ele se estressou com aquela nossa reunião", avaliou, afirmando que "isso está resolvido". "Vamos escolher um coordenador. Eu posso até assumir interinamente essa coordenação, até que a gente resolva", afirmou: "O que está em jogo é mudar o Brasil e não vamos nos perder em intrigas de uma ou outra pessoa. Esse assunto para nós é assunto resolvido". Beto Albuquerque ressalvou, no entanto, que sua disposição para a tarefa é transitória, porque logo terá de viajar muito, em campanha, por todo o País.

PEDIDA PRISÃO PREVENTIVA DE VEREADOR PETISTA PAULISTA ACUSADO DE PARTICIPAR DE BRIGA DE TORCIDAS

A Polícia Civil de São Paulo pediu nesta quinta-feira (21) à Justiça a prisão preventiva do vereador Raimundo Faustino (PT), de Francisco Morato, acusado de participar, domingo passado (17), da briga entre torcidas que provocou a morte do torcedor palmeirense Gilberto Torres Pereira, de 31 anos. Na noite de quarta-feira (20), Pereira teve morte cerebral confirmada pelo Hospital Estadual de Franco da Rocha. O rapaz foi espancado e sofreu traumatismo craniano durante confronto entre integrantes das torcidas organizadas Mancha Verde, do Palmeiras, e Gaviões da Fiel, do Corinthians, no centro da cidade de Franco da Rocha, na Grande São Paulo. De acordo com o boletim de ocorrências, a briga começou por volta das 7 horas de domingo, quando integrantes das duas torcidas se encontraram na Estação Franco da Rocha da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). Seis pessoas foram presas em flagrante no domingo e a policiais civis começaram a investigar o envolvimento de um vereador na briga. O parlamentar foi visto por policiais militares em meio ao tumulto. Segundo a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo, a polícia aguarda o comunicado oficial sobre a morte do torcedor para alterar a acusação das sete pessoas indiciadas. Inicialmente, elas foram acusados de tentativa de homicídio, rixa, lesão corporal e de promover tumulto. Com a confirmação da morte, eles passarão a responder por homicídio consumado.

ALTA COMISSÁRIA DA ONU RENUNCIA E CRITICA INCAPACIDADE DO CONSELHO DE SEGURANÇA, O MUNDO ESTÁ LIVRE DE UMA ESQUERDOPATA

A alta comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Navi Pillay, que está demissionária, denunciou nesta quinta-feira (21) a incapacidade do Conselho de Segurança para pôr fim aos conflitos. "Os membros do conselho nem sempre tomaram decisões firmes e responsáveis para pôr fim às crises", disse Navi Pillay, que deverá abandonar formalmente nos próximos dias o cargo que detinha há seis anos. Ela é uma perigosa esquerdopata que só causa problemas. "Penso sinceramente que uma resposta mais forte do Conselho de Segurança poderá salvar centenas de vidas", acrescentou. A sul-africana disse ainda que a utilização do direito de veto constitui "uma tática de curto prazo e, definitivamente, contraproducente", ao mesmo tempo que exortou os 15 Estados-Membros a "desenvolverem um conceito mais alargado de interesse nacional". O uso do direito de veto pelos cinco membros permanentes do conselho – Reino Unido, França, Rússia, China e Estados Unidos – revela profundas divisões. Em maio, Rússia e China vetaram um projeto de resolução que permitia ao Tribunal Penal Internacional (TPI) acusar a Síria de crimes de guerra. Do mesmo modo, os Estados Unidos, que vetam com regularidade acusações contra Israel, invalidaram recentemente um documento particularmente forte sobre o conflito em Gaza. Mas esses vagabundos esquerdopatas para os Direitos Humanos da ONU não são capazes de condenar e combater o terrorismo islâmico, do qual as organizações nazistas-islâmicas Hamas e Hezbollah são grandes expoentes. O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, referiu, por seu turno, que a incapacidade do conselho para superar divisões e a lentidão das respostas podem "medir-se com todas as vidas perdidas", além de que diminuem a credibilidade da ONU. Por isso, apelou aos Estados-Membros para que encetem “uma nova era de colaboração, cooperação e ação”. Esse é outro esquerdopata que precisa ser afastado.

MÉDICO AMERICANO CURADO DE EBOLA DIZ QUE "FOI UM MILAGRE"

O médico americano Kent Brantly, infectado pelo vírus ebola, recebeu alta nesta quinta-feira (21). Antes de deixar o Hospital Universitário de Emory, em Atlanta, nos Estados Unidos, ele concedeu uma entrevista coletiva, ao lado dos médicos que o trataram. "O dia de hoje é um milagre na minha vida e estou muito feliz por estar vivo e poder encontrar minha família", disse. O médico e a missionária americana Nancy Writebol, que deixou o hospital na última terça-feira (19), foram tratados com o medicamento ZMapp. Ambos contraíram o vírus na Libéria. Bastante emocionado durante a entrevista, Brantly disse que "Deus permitiu que sua vida fosse salva", em resposta a milhares de orações em favor de sua recuperação. Ele também falou sobre a descoberta da infecção pelo vírus do ebola: "No dia 23 de julho, me levantei passando um pouco mal e logo minha vida teve uma reviravolta, quando inesperadamente fui diagnosticado". Kent Brantly e Nancy Writebol foram retirados do território liberiano no começo deste mês em um avião equipado para mantê-los isolados e não permitir que os dois contaminassem outras pessoas. O diretor da Unidade de Doenças Infecciosas do hospital, Bruce Ribner, disse estar muito contente com o resultado do tratamento. "Os dois pacientes americanos não representam nenhum risco para a saúde pública e as análises do sangue deles apresentaram resultado negativo do vírus", contou. Ribner destacou que a equipe hospitalar aprendeu mais sobre o tratamento de infecções pelo ebola. "Aprendemos que a recuperação é demorada, porque de fato esta é uma doença bastante devastadora", disse. "Mas em geral os pacientes podem ser tratados e completamente curados", acrescentou. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) mais de 1,3 mil pessoas morreram no Oeste africano em decorrência da contaminação pelo ebola. O vírus se propaga por meio de contato direto com fluidos corporais, como sangue e suor. Sem um tratamento reconhecido até o momento, as infecções podem levar à morte em até 90% dos casos, segundo a OMS.

PRESIDENTE DO ATLÉTICO MINEIRO, PUXADOR DE VOTOS PARA O PSB EM MINAS GERAIS, DESISTE DE CANDIDATURA A DEPUTADO, CONTRARIADO COM MARINA SILVA

No mesmo dia em que Carlos Siqueira, coordenador nacional da campanha do PSB à Presidência, deixa o posto dizendo que foi tratado com "muita deselegância" por Marina Silva, Alexandre Kalil, presidente do Atlético mineiro, que prometia angariar votos para o partido em Minas Gerais, reduto eleitoral do tucano Aécio Neves, desiste de se candidatar a deputado federal, contrariado com Marina Silva. Questionado se continuaria no PSB, partido ao qual se filou em outubro passado, o presidente do Atlético mineiro respondeu: "Este partido, estou pouco me lixando para ele, não tem nada que me interessa. O que me interessava caiu de avião".

JUSTIÇA ACEITA PEDIDO DE SUZANE VON RICHTHOFEN PARA PERMANECER CUMPRINDO PENA NO REGIME FECHADO

A 1ª Vara de Execuções Criminais de Taubaté revogou, nesta quinta-feira, a decisão que autorizava Suzane Von Richthofen a cumprir pena no regime semiaberto e ordenou que ela fique no presídio. Nesta semana, a detenta enviou uma carta à direção da Penitenciária Feminina 1 de Tremembé pedindo para permanecer no local e esperar a instalação de uma ala de semiaberto – o que só deve ocorrer em seis meses. Na carta, ela informou que não tem interesse de sair do presídio por temer por sua vida. O advogado teria feito o pedido sem consultá-la. "Anoto que a Lei de Execução Penal prevê a progressão como um direito e não uma obrigação. Logo, se não há interesse, não há como impor o benefício à sentenciada", informou a juíza Sueli Zeraik de Oliveira Armani, que ainda determinou a desconstituição dos advogados de Suzane. A detenta passará a ser representada pela Defensoria Pública. Suzane von Richthofen cumpre pena de 38 anos e seis meses de prisão na penitenciária pela morte dos próprios pais, em 2002. A defesa tentava transferência para o regime semiaberto desde 2009. Na semana passada, a Justiça concedeu a progressão.

EMPRESA AÉREA WEB JET É CONDENADA POR OFENSA RACISTA A CLIENTE

A empresa de aviação Webjet Linhas Aéreas foi condenada pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul a pagar R$ 12,5 mil por danos morais e materiais a uma cliente. Conforme o Tribunal de Justiça, a questão começou com um problema na fila do check-in da empresa, seguida de ofensas raciais por parte de uma funcionária da companhia. A autora da ação argumenta não ter conseguido embarcar no vôo apesar de ter chegado na fila de embarque com 50 minutos de antecedência. Ao questionar uma funcionária da Webjet, ela relatou que recebeu como resposta que deveria "ficar em seu lugar". Também disse ter sido chamada de "negra", com uma conotação ofensiva. Segundo o entendimento dos magistrados, foi comprovada falha de serviço da empresa já que a autora estava na fila de embarque antes do encerramento do horário de check-in. De acordo com a decisão, pelo relato das testemunhas, não restaram dúvidas sobre o tratamento de discriminação à autora do processo. A Webjet recorreu à decisão, mas o relator do caso negou o recurso. No entanto, a indenização aplicada pela Justiça é irrisória. A Web Jet deveria ter sido condenada no mínimo a dez vezes mais pelo tamanho da ofensa racista.

MICHEL TEMER DIZ NÃO VER IRREGULARIDADE EM DOAÇÕES FEITAS POR GRAÇA FOSTER

O vice-presidente Michel Temer disse nesta quinta-feira (21) que não vê nenhuma irregularidade no fato de a presidente da Petrobras, a petista Graça Foster, ter doado dois imóveis a parentes após a compra da Refinaria de Pasadena, no Texas, Estados Unidos. “Sob o foco jurídico, é a coisa mais natural que acontece. A idéia é essa: houve uma doação com usufruto. Todo mundo faz doação com usufruto enquanto viver. Só depois, é que essa doação se concretiza”, explicou Temer, após participar do seminário Brasil nos Trilhos, organizado pela Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos) e a Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF). Temer acrescentou que a doação é anterior à decisão do Tribunal de Contas da União. “Pelo que li nos jornais, a doação foi feita bem antes, pelos idos de março. Portanto antes da primeira decisão do TCU. Não houve ilegalidade nenhuma. É a coisa mais comum fazer doações. Agora, sobre qual é a razão para ela doar, essa é uma questão subjetiva”, acrescentou o vice-presidente. Nesta quinta-feira, durante evento no Rio de Janeiro, o presidente do TCU, Augusto Nardes, informou que vai investigar a transferência de bens de Graça Foster a seus dois filhos.

NÚMERO DE CALOTEIROS AGORA NO BRASIL É DE 57 MILHÕES DE PESSOAS

O número de pessoas inadimplentes bateu recorde este ano, segundo levantamento inédito da Serasa Experian. A pesquisa aponta que 57 milhões de brasileiros têm dívidas em atraso e, por isso, tiveram o nome incluído na lista de inadimplentes. O número é maior do que o verificado em agosto de 2013, quando foram registrados 55 milhões. No mesmo mês de 2012, eram 52 milhões de pessoas.

A POLÍCIA FEDERAL E JOSÉ SERRA: POLÍCIA DE ESTADO OU ESTADO POLICIAL. OU: INTIMAÇÃO NA BOCA DA URNA NUM CASO SURREALISTA

É surrealista. Durante a gestão de José Serra à frente do governo de São Paulo, houve uma licitação para a compra de 40 trens para a CPTM. A espanhola CAF e a alemã Siemens disputaram. A primeira venceu porque ofereceu o menor preço. A outra empresa disse que entraria na Justiça. Serra advertiu: se a Siemens conseguisse anular a disputa, ele cancelaria a concorrência porque se negava, em nome do interesse público, a pagar mais por aquilo que valia menos.

Um executivo da Siemens alega ter tido uma conversa informal com Serra em que este teria sugerido que a empresa, em vez de tentar anular a licitação, entrasse em entendimento coma CAF para evitar atraso na entrega dos trens. Serra nega que a conversa tenha ocorrido. Quem conhece seu estilo sabe que não existe “conversa informal” sobre assunto público.
Pois bem: quando a “denúncia” apareceu, escrevi neste blog, no dia 8 de agosto de 2013, que seria a primeira vez na história da humanidade que um governante seria acusado de beneficiar um cartel impondo um PREÇO MAIS BAIXO! É estupefaciente!
“Serrista!”, gritaram os idiotas. Pois é. Depois de apurar detidamente o caso, o Ministério Público Estadual concluiu, em março deste ano, que não houve qualquer irregularidade. Reproduzo trecho de uma reportagem do Estadão (em azul):Os técnicos da Promotoria sustentam que o negócio, aquisição de 384 carros da empresa espanhola CAF, é o único em que não houve acerto. Para os peritos, “o cartel formado pelas empresas Siemens, Alstom, Mitsui e Hyundai-Rotem não obteve êxito em fraudar a licitação tendo em vista, especialmente, a participação da CAF, empresa estranha ao cartel”. A análise pericial fortalece a versão de Serra, de que atuou contra o cartel nesta licitação. O tucano chegou a dizer que merecia a “medalha anticartel”.
Tudo conforme eu havia escrito lá atrás. Pois não é que a Polícia Federal decidiu chamar Serra para depor? Sim, na boca da urna, a PF, subordinada ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, houve por bem intimá-lo. Cumpre lembrar que também essa denúncia é uma daquelas feitas aos petistas do Cade.
A Polícia Federal precisa decidir se é uma polícia a serviço do estado brasileiro ou um ente a serviço de um estado policial. É claro que se está criando um fato eleitoral, para ganhar as páginas dos jornais e pautar os jornalistas. Serra lidera todas. Por Reinaldo Azevedo

A CONFISSÃO DO HAMAS: IMPRENSA OCIDENTAL, INCLUINDO A NOSSA - E COM AS EXCEÇÕES DE PRAXE - DEVERIA SENTIR UMA PROFUNDA VERGONHA

Escrevi nesta quinta-feira sobre a crise na candidatura de Marina Silva em que me refiro à tendência de amplos setores da imprensa de pôr a torcida à frente dos fatos; o desejo acima das evidências. Por isso mesmo, esses, de quem falo, deveriam se envergonhar diante da confissão que fez Saleh al-Arouri, um dos porta-vozes do Hamas, em Istambul, na Turquia. Ele estava lá, pasmem!, para participar de um evento promovido pela União Internacional de Acadêmicos Islâmicos. Que coisa!

Numa gravação que veio a público, liberada pelos organizadores do evento, afirmou sobre o sequestro e morte de três adolescentes judeus: “Houve muita especulação sobre essa operação, alguns disseram que era uma conspiração. A vontade popular foi exercida em toda a nossa terra ocupada e culminou na operação heróica das Brigadas Al-Qassam, ao aprisionar os três colonos em Hebron”.
Aprisionar apenas? Os meninos foram sequestrados, baleados e tiveram os corpos queimados. Embora tudo apontasse escandalosamente para uma ação do Hamas, a imprensa ocidental, com raras exceções, insistia em fechar os olhos para o fato, ocupada que estava em condenar Israel. Como não lembrar aqui, neste ponto, o comportamento politicamente delinquente do Itamaraty?
Que se note: o Hamas praticou esses sequestros poucos dias depois de celebrar um entendimento com o Fatah, de Mahmoud Abbas, que comanda a Autoridade Nacional Palestina. É verdade: colonos judeus, em represália, sequestraram e mataram um adolescente árabe. Estão presos. Entenderam a diferença? É espantoso que um sujeito participe de uma conferência num país quase democrático, como a Turquia, confesse uma ação terrorista e saia de lá ileso.
Negociação com o Hamas, como pedem muitos? Qual? Sobre quais bases? Israel, com alguma frequência, negocia, sim, mas até a página 15: faz um enorme esforço para libertar cidadãos às vezes sequestrados pelo terror. Pode trocar um único soldado por centenas de terroristas presos, mas, depois, vai ao encalço dos facínoras.
E foi o que fez de novo. A aviação israelense matou, num bombardeio aéreo no sul de Gaza, os líderes terroristas Muhamad Abu Shamala, Raed al-Attar e Mohamad Barhum. Outras cinco pessoas morreram. Foi uma operação organizada pelo Shin Bet, o serviço secreto israelense.
Vamos ver: as forças de segurança de Israel sabiam que os três estavam lá, naquele edifício, tramando novas ações terroristas contra o país. Alguém tem alguma idéia melhor sobre o que deveria ser feito com eles? Fatos, fatos, fatos. Vamos aos fatos. O Hamas prometeu vingar a morte dos terroristas. Já sabemos como. A propósito: se Israel os tivesse poupado, o grupo agiria de outro modo? Por Reinaldo Azevedo

TERRORISTAS EXIGIRAM US$ 132 MILHÕES PARA LIBERTAR JORNALISTA DECAPITADO

No vídeo que mostra a decapitação do jornalista americano James Foley, um terrorista afirma que a execução é uma retaliação aos ataques aéreos do Exército americano contra o Estado Islâmico. Na verdade, até recentemente, o que os selvagens facínoras queriam mesmo era dinheiro. O grupo exigia o pagamento de 132,5 milhões de dólares (quase 300 milhões de reais) para libertar Foley. A informação tem como fonte familiares do jornalista, ex-reféns dos terroristas e também representantes de uma empresa para a qual o americano prestava serviços. Os Estados Unidos — ao contrário de vários países europeus que já destinaram milhões ao terror, por meio de resgates pagos — recusou-se a pagar, informou o jornal The New York Times. Em reportagem publicada no final de julho, o The New York Times afirmou que governos europeus, mesmo negando oficialmente o pagamento de resgates, destinaram pelo menos 125 milhões de dólares (282 milhões de reais) para a libertação de reféns desde 2008, sendo que 66 milhões de dólares (149 milhões de reais) haviam sido entregues a grupos terroristas apenas em 2013. O texto destaca que o sequestro de cidadãos europeus tornou-se uma das principais fontes de recursos para a Al Qaeda e seus afiliados. O Estado Islâmico também usa o sequestro de cidadãos como arma para conseguir grandes quantias de dinheiro, apresentando um problema para o governo Barack Obama, uma vez que Foley não era o único americano mantido pelos terroristas. Pelo menos mais três estão com sua vida ameaçada. Um deles, o também jornalista Steven Sotloff, foi apresentado no mesmo vídeo em que Foley é executado como uma possível próxima vítima da brutalidade do EI. “A vida deste cidadão americano, Obama, depende de sua próxima decisão”, diz o carrasco. O grupo mantém ainda cidadãos da Grã-Bretanha, que, assim como os Estados Unidos, nega-se a pagar resgates. Além de dinheiro, os terroristas pedem a troca de reféns por prisioneiros, incluindo Aafia Siddiqui, um neurocientista paquistanês treinado no MIT que tem ligações com a Al Qaeda e atualmente está preso no Texas, informou o jornal americano.

JUSTIÇA OBRIGA BNDES A DAR DETALHES DE SEUS EMPRÉSTIMOS À POPULAÇÃO

A Justiça Federal do Distrito Federal condenou o BNDES a tornar públicas todas as informações sobre empréstimos concedidos a empresas públicas ou privadas nos últimos dez anos — e de hoje em diante. O BNDES alega sigilo bancário como argumento para não fornecer informações sobre os empréstimos. Contudo, a juíza Adverci Rates Mendes de Abreu, da 20ª Vara, concluiu que o sigilo não deve ser cumprido quando se trata de dinheiro público. Entre as informações que deverão ser públicas nos termos da Lei de Acesso à Informação estão os valores emprestados, os prazos do investimento, o grau de risco, as taxas de juros, os valores de aquisição de ações, a forma de captação do recurso utilizado, as garantias exigidas, os critérios ou justificativas de indeferimento de eventuais pedidos de apoio financeiro e a compatibilidade do apoio concedido com as linhas de investimento do Banco. A sentença também condena o BNDES a repassar ao Ministério Público Federal as informações requisitadas sobre as atividades realizadas pela instituição ou suas sua subsidiária – a BNDESPAR, algo que não ocorria até então. A multa de descumprimento da sentença é de 50 mil reais por dia. A decisão foi tomada após análise da ação civil pública que questionava o banco por sua atuação na tentativa de fusão entre o Carrefour e o Pão de Açúcar, operação na qual o BNDES investiria 4,5 bilhões de reais. O banco tem utilizado, ao longo da década, dinheiro público emprestado a juros subsidiados para financiar grupos privados sem qualquer função de desenvolvimento social. Questionado pelo Ministério Público à época, o banco se negou a passar informações sobre o negócio. Em julho, a instituição autorizou 2,7 bilhões de reais para a B2W, empresa de e-commerce dona de Lojas Americanas e Submarino. O banco também financiou a construção do porto de Mariel, em Cuba, sem informar o exato destino dos recursos.

HAMAS ADMITE QUE GRUPO SEQUESTROU E MATOU ADOLESCENTES JUDEUS ESTUDANTES DA BÍBLIA

Uma autoridade da organização terrorista Hamas disse nesta quarta-feira que membros do grupo sequestraram os três adolescentes israelenses cujas mortes em junho provocaram uma espiral de violência que levou à atual guerra em Gaza. É a primeira vez o grupo terrorista islâmico reconhece envolvimento no caso. Em uma conferência em Istambul, Saleh al-Arouri, autoridade do Hamas na Cisjordânia que vive exilado na Turquia, confirmou as acusações israelenses de que o grupo militante islâmico foi responsável pele sequestro dos adolescentes. “Houve muita especulação sobre esta operação, alguns disseram que era uma conspiração”, disse al-Arouri a delegados durante reunião da União Internacional de Acadêmicos Islâmicos, na quarta-feira. “A vontade popular foi exercida em toda a nossa terra ocupada, e culminou na operação heróica das Brigadas Al-Qassam em aprisionar os três colonos em Hebron”, disse, referindo-se ao braço armado do Hamas. Até então autoridades do Hamas se recusavam a confirmar ou negavam envolvimento. As Brigadas Al-Qassam prometeram nesta quinta-feira vingar a morte de três de seus comandantes, atingidos na madrugada por disparos da aviação de guerra israelense contra um edifício da cidade de Rafah, no sul de Gaza. Em um comunicado divulgado na internet, a milícia palestina disse que Israel “pagará um enorme preço pelo assassinato” de Muhamad Abu Shamala, Raed al-Attar, Mohamad Barhum e outras cinco pessoas. A ação foi confirmada pelo exército israelense e comemorada pelo primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, que parabenizou o serviço secreto – Shin Bet – e as Forças Armadas. O chefe de governo disse que a ofensiva contra o território prosseguirá “até que Israel alcance seus objetivos de segurança”. A operação já deixou cerca de 2.050 palestinos e 67 israelenses mortos. Os três comandantes morreram após a aviação de guerra israelense disparar cinco mísseis sobre uma casa na cidade de Rafah, vizinha à fronteira com o Egito, na qual os líderes do Hamas descansavam. Mohamed Abu Shamala e Raed al-Attar eram alvos prioritários de Israel, especialmente o primeiro, que de acordo com o serviço de inteligência participou da captura em 2006 do soldado israelense Gilad Shalit, que permaneceu cinco anos em poder das milícias palestinas até ser libertado em uma troca com prisioneiros.

FUNDO DE PENSÃO DOS CORREIOS PERDEU R$ 200 MILHÕES APLICADOS EM TÍTULOS ARGENTINOS POR CAUSA DO CALOTE DO PAÍS

Os carteiros brasileiros estão entre as vítimas do calote técnico da Argentina. O Postalis, fundo de pensão da categoria, viu um investimento de R$ 370 milhões registrar perdas de 51% porque estava aplicado em títulos da dívida do país vizinho. O investimento se deu por meio de um fundo operado pelo Bank of New York Mellon, que informou o prejuízo em fato relevante. O Brasil Sovereign II Fundo de Investimento de Divida Externa - Fidex afirmou que deu baixa em ativos entre R$ 185 milhões e R$ 197,9 milhões ao fazer provisões para aplicações em títulos da dívida argentina. Contribuiu para a perda uma mudança no método de avaliação de investimentos, conforme a nota. As aplicações que levaram ao prejuízo são ativos estruturados com derivativos embutidos e prometem aos investidores ganhos maiores do que se obteria de títulos de dívida convencionais. Em troca, implicam riscos de maiores perdas em situações como um default. O Postalis admitiu que é o único investidor do fundo, no qual fez aportes de R$ 370 milhões entre 2005 e 2008. Segundo a nota, o investimento previa a aplicação de ao menos 80% do valor em títulos da dívida pública externa brasileira, mas os títulos foram trocados por outros ligados à dívida argentina, à revelia do instituto e contra o regulamento do fundo . Ou seja, a entidade acusa o banco de operar o fundo de forma irregular. O Postalis diz que as perdas somam aproximadamente R$ 190 milhões e que já contratou advogados no Brasil e nos Estados Unidos para buscar uma solução. O fundo Brasil Sovereign II Fundo de Investimento de Dívida Externa - Fidex tem histórico problemático. Era gerido pela Atlântica Administração de Recursos. Em março de 2012, sua administração foi passada para o BNY Mellon. Em agosto daquele ano, a Securities and Exchange Commission (SEC, autoridade reguladora do mercado acionário dos Estados Unidos) processou o dono da Atlântica, Fabrizio Neves, por fraude ao sobretaxar os clientes em US$ 36 milhões usando taxas escondidas nas operações com notas estruturadas. O Postalis também fez investimentos ruins. O fundo aportou R$ 135,85 milhões no Banco BVA, que teve a liquidação extrajudicial decretada pelo Banco Central em 2013. Do investimento, o Postalis só recuperou cerca de R$ 45 milhões. Em meados de 2013, o fundo de pensão tinha R$ 127,5 milhões em ações do grupo EBX, de Eike Batista, que passa por grave crise. Criado em 1981, o Postalis reúne 130 mil funcionários na ativa e aposentados dos Correios, com um patrimônio de R$ 8 bilhões. É o 14º maior fundo de pensão do País em ativos.

PSL RACHA COM MARINA SILVA, QUE PERDE APOIO DE 780 VEREADORES NO BRASIL

Além de um dos seus coordenadores de campanha em nível nacional o PSL anunciou que está liberando seus diretórios para apoiarem os candidatos que julgarem melhor. O presidente do PSL, Luciano Bivar, disse na tarde desta quinta-feira  que Marina Silva deverá perder entre seis e oito segundos, dos dois minutos e três segundos hoje à sua disposição no guia eleitoral. "Mas a perda maior serão os 780 vereadores e 36 prefeitos", ressaltou Bivar.

SEGUNDO HOMEM NA HIERARQUIA DO PSB SE IRRITA COM MARINA E DEIXA A CAMPANHA

O secretário-geral do PSB, Carlos Siqueira, que ocupava a coordenação de campanha do partido à Presidência da República, irritou-se com a candidata Marina Silva e deixou a campanha. “Eu não estou deixando porque eu não estava (na campanha da Marina). Eu estava na campanha do Eduardo Campos. Nela eu sempre estive. Agora é uma nova fase e tem que ter uma nova coordenação. Eu disse claramente isso a ela na quarta-feira, que eu não ficaria na sua coordenação”, disse Siqueira, ao chegar à sede do partido nesta quinta-feira. Ele afirmou que não vai recuar da decisão “de forma alguma”: “Eu estava na coordenação de uma pessoa que era do meu partido, que eu tinha estrita confiança. Agora, terminou essa fase e vai começar uma campanha com uma nova candidata. E essa nova candidata deve escolher seu novo coordenador". Ao longo de toda a quarta-feira, tensões marcaram as reuniões que antecederam a confirmação da candidatura de Marina. Ela pediu que funções como a coordenação da campanha e finanças fossem assumidas por nomes mais próximos a ela. A coordenação-geral ficou com o deputado licenciado Walter Feldman, porta-voz da Rede Sustentabilidade e braço direito de Marina. O cargo era ocupado por Carlos Siqueira. O PSB ficou apenas com a coordenação adjunta. Ao anunciar as mudanças aos membros do partido e da Rede, a ex-senadora afirmou que aguardaria a indicação dos socialistas para o nome que comporia a coordenação com Feldman. Siqueira sentiu-se desprestigiado, uma vez que Marina não citou seu nome. “Essa mulher me maltratou”, afirmou aos presentes à reunião. Na quarta, Henrique Costa, responsável pela tesouraria, foi substituído por Bazileu Margarido, que ocupava o posto de coordenador-adjunto da campanha. Costa, que não é filiado ao PSB, foi indicado ao cargo por Eduardo Campos. Com carreira em instituições financeiras, ele cursou economia com a viúva do ex-governador de Pernambuco, Renata Campos. Irritado com Marina, Siqueira abandonou a reunião. E só voltou mais tarde, quando membros do PSB conseguiram acalmá-lo. Feldman afirmou que Siqueira pode ter interpretado mal a afirmação de Marina. Segundo ele, a ex-senadora é “muito rigorosa nas decisões democráticas” e não se sentiu à vontade para anunciar um nome pelo PSB. “Ele esperava ser indicado pela Marina. Nós queríamos que ele fosse indicado pelo partido. Isso é o correto. Nós demos todos os indicativos de que queríamos que fosse ele”, afirmou. Feldman diz esperar que Siqueira recue da decisão. “Ele é uma pessoa capaz e que estava muito envolvida no projeto. O Siqueira desenvolveu com a gente uma relação muito positiva”, afirmou Bazileu Margarido. Segundo ele, Marina tentou conversar com Siqueira na noite de quarta, mas não houve conciliação. Membros do partido presentes à reunião negam que Marina tenha sido grosseira e creditam a decisão de Siqueira à pressão emocional. O racha interno um dia depois da oficialização da nova chapa presidencial mostra a caminhada conjunta do PSB e da Rede não se dará da maneira pacífica que se tentou demonstrar na noite de quarta – houve, inclusive, uma carta-compromisso para consolidar a união. No documento, o presidente socialista, Roberto Amaral, afirma que os dois partidos serão “generosos, unidos e solidários” e superarão “eventuais divergências” e repudiarão “interesses menores”. Na prática, não é o que se percebe. “Tem gente aqui que tem um ego muito grande. Não dá pra ser desse jeito”, diz um articulador da Rede, evidenciando o clima de tensão entre as legendas. Siqueira recusou-se a relatar a reunião da noite, em que o partido anunciou o nome de Marina na corrida ao Planalto. Como secretário-geral do PSB, cabe a ele relatar as reuniões da sigla. A função ficou, então, com Joilson Cardoso, secretário Nacional Sindical do PSB. Fontes no partido afirmam que a decisão de Siqueira reflete um esgotamento há muito percebido entre os membros da sigla. Embora sua relação com Marina não fosse claramente de enfrentamento, tampouco era de calmaria. De acordo com membros do partido, é bastante difícil negociar com membros da Rede. E a pressão exercida pelo setores do PSB contrários à ex-senadora recaia toda sobre o secretário-geral. Além disso, Siqueira estaria bastante estressado desde a morte de Campos e já havia sinalizado a intenção de ficar em Brasília, com o presidente do PSB, Roberto Amaral, dedicado a eleger deputados e senadores pela sigla. “Isso não é divergência com a campanha. É um problema pessoal de um companheiro que quer mudar de função e vai mudar”, disse o presidente do PSB. Para ele, a saída de Siqueira não traz prejuízos. “Eu acho a participação dele mais importante junto a mim. Ele vai trabalhar ao lado do presidente do partido. Eu preciso reforçar a minha estrutura”, disse Amaral. O substituto de Siqueira, segundo Amaral, deve assumir a coordenação-geral, e não adjunta, como pretendia a Rede. O novo nome pode ser anunciado ainda nesta quinta-feira. (Veja)