sábado, 13 de junho de 2015

Aécio Neves diz que o petista e ex-terrorista Fernando Pimentel ainda não começou seu governo em Minas Gerais

O senador Aécio Neves (PSDB) fez críticas ao governador de Minas Gerais, o ex-terrorista Fernando Pimentel (PT), e disse que ele ainda não iniciou o seu mandato: "Preferiu Pimentel até agora olhar para o retrovisor, preferiu até agora fazer críticas e não iniciou ainda o seu governo". As declarações foram dadas durante a convenção estadual do PSDB mineiro, neste sábado (13), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em Belo Horizonte, da qual participaram aproximadamente mil pessoas. Antes de chegar ao encontro, no início da tarde, o senador esteve no velório do compositor Fernando Brant, que morreu na noite anterior. Entre as denúncias contra Pimentel estão a de que sua campanha pagou R$ 440 mil a uma empresa citada na operação Lava Jato como suspeita de repassar propina ao ex-deputado André Vargas (sem partido-PR). Na última segunda-feira (8), o ministro Gilmar Mendes, do Tribunal Superior Eleitoral, determinou que o Tribunal Regional Eleitoral mineiro reabra um processo que investiga Pimentel e seu vice, Andrade, por suposto abuso de poder político na eleição de 2014. Aécio Neves minimizou as críticas ao próprio PSDB, feitas pelo ex-deputado Arnaldo Madeira. Um dos fundadores do partido, Madeira diz estar contrariado ao ver tucanos irem contrários a idéias que defendiam. "O PSDB é um partido democrático, todos têm direito a opinar", afirmou o senador. O senador Aécio Neves condenou, ainda, as declarações do ex-presidente Lula X9 (ele delatava companheiros para o Dops paulista durante a ditadura militar, conforme Romeu Tuma Jr, em seu livro "Assassinato de reputações") de que a culpa pelo que acontece ao PT seria da mídia: "O Brasil não tem governo. O ex-presidente conseguiu tentar dizer que a culpa pelo que acontece com o PT hoje, essa indignação que grande parte da sociedade tem em relação ao PT, é culpa da mídia". Para o tucano, o PT abandonou os interesses do País "ao não fazer as correções que precisariam ter sido feitas ao longo dos últimos anos para se preocupar única e exclusivamente com as eleições". Aécio Neves disse ainda que o governo federal não tem credibilidade para retomar o ritmo adequado do crescimento do País: "A presidente Dilma não tem nem confiança nem credibilidade mais para fazer o que precisa ser feito". O deputado federal Domingos Sávio, eleito novo presidente estadual do PSDB na convenção, da qual participaram o senador Antonio Anastasia e o prefeito de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, reforçou as críticas e disse que "Belo Horizonte não pode ir pelo mesmo caminho do Brasil".

A esquerdista socialista Hillary Clinton lança sua pré-candidatura à presidência dos Estados Unidos e ataca grandes fortunas


A esquerdista socialista Hillary Clinton lançou hoje, com um grande comício em Nova York, a sua pré-candidatura à presidência dos Estados Unidos. Ela tenta ser indicada pelo partido democrata para disputar as eleições do ano que vem. Estavam presentes para apoiá-la o marido e ex-presidente Bill Clinton e a filha do casal, Chelsea, que subiram ao palco para abraçar a candidata ao término do discurso. Grande favorita às primárias do Partido Democrata, a ex-primeira-dama e ex-secretária de Estado americano de 67 anos já havia anunciado em 12 de abril a sua intenção de disputar as eleições do ano que vem. Desde então, ela vinha participando de pequenas reuniões, principalmente nos estados de Iowa (centro) e New Hampshire (nordeste). O discurso de Hillary foi focado na defesa da classe média e no ataque a grandes fortunas. "Prosperidade não pode ser apenas para CEOs e gerentes de fundos financeiros; a democracia não pode ser apenas para bilionários e empresas", disse: "A América não pode ter sucesso a menos que você tenha sucesso". Isso é populismo esquerdopata barato, que finalmente chegou aos Estados Unidos por meio do muçulmano Barack Obama. A pré-candidata afirmou que pretende acabar com as vantagens para os mais ricos que aumentaram as desigualdades no país. Estado onde mora, Nova York elegeu Hillary como senadora e é considerado por democratas um dos maiores exemplos das desigualdades que afetam os Estados Unidos, com Wall Street e grandes fortunas compartilhando espaço com os mais desfavorecidos. Para ilustrar a questão, a democrata expôs um dado: os 25 maiores gerentes de fundos de alto risco dos Estados Unidos ganham mais que todos os professores de ensino pré-escolar do país juntos. Hillary Clinton criticou os republicanos por favorecerem os poderosos com cortes de impostos e garantiu que, apesar de o partido contar com novas vozes, "todos continuam cantando a mesma canção". O ato ocorreu em um parque de Roosevelt Island, em Nova York. O lugar escolhido, que lembra o nome do presidente do "New Deal" com o qual os Estados Unidos responderam à Grande Depressão, é bastante simbólico para Hillary, que disse se inspirar nas políticas impulsionadas por Franklin Delano Roosevelt. "Igualdade de oportunidades. Trabalho para o qual possa trabalhar. Segurança para os que precisam. O fim dos privilégios para poucos. A defesa das liberdades civis para todos. Um amplo e constante crescimento dos padrões de vida", enumerou a candidata citando Roosevelt. "Não podemos conseguir a mudança e solucionar problemas se voltarmos às políticas econômicas que falharam antes", disse, lembrando que o país ainda está se recuperando de uma crise causada por essas idéias. "O sucesso não se mede por quanto ganham os americanos mais ricos, mas por quantas crianças saem da pobreza, quantos pequenos negócios abrem e triunfam, quantos jovens vão à universidade sem se afundarem em dívidas, quanta gente pode encontrar um bom trabalho", citou. Para tirar as dúvidas de muitos eleitores, que a vêem como alguém que está há décadas nos círculos de poder e afastada do cidadão comum, Hillary mencionou sua mãe, que cresceu sem pais durante a Depressão, e ressaltou a importância de todos terem uma oportunidade. Além de mostrar seu lado mais humano, a democrata utilizou o humor para responder algumas das críticas recebidas de republicanos, entre outros. "Todos os nossos presidentes chegam ao cargo mostrando-se muito vigorosos e depois vemos seus cabelos ficarem grisalhos e mais grisalhos. Eu tenho uma vantagem adicional: nunca verão meu cabelo grisalho na Casa Branca, uso tintura há anos!", ironizou a candidata, que se vencer as eleições do próximo ano será a segunda pessoas mais velha a chegar à presidência americana, com 69 anos. Fora da economia, ela se apresentou perante o eleitorado como uma grande defensora da mulher, dos homossexuais e dos imigrantes ilegais, para os quais defendeu um caminho rumo à cidadania, e não um "status de segunda classe". Hillary quase não mencionou a agenda internacional, mas quis destacar sua capacidade como líder capaz de enfrentar dirigentes estrangeiros, embora prefira a cooperação. "Temos de ser inteligentes, além de fortes", afirmou, apostando na diplomacia e na cooperação com povos ao redor do mundo, não só com governos. Segundo pesquisa da Universidade Quinnipiac, publicada no final de maio, Hillary Clinton teria 57% dos votos de eleitores democratas, muito à frente do senador de Vermont, Bernie Sanders (15%), e mais ainda do vice-presidente Joe Biden (9%), que até o momento não lançou sua candidatura. De acordo com a consulta, só os republicanos Rand Paul e Marco Rubio representariam uma ameaça para Hillary Clinton.

Justiça dos Estados Unidos investiga contrato da Nike com a CBF

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos investiga um acordo de patrocínio de US$ 160 milhões entre a empresa de material esportivo Nike e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A informação foi publicada hoje (13) pelo jornal americano Wall Street Journal. A investigação faz parte do processo que apura indícios de corrução na Fifa, entidade que gerencia o futebol mundial. De acordo com a reportagem, após a assinatura do contrato, em 1996, a empresa pagou US$ 40 milhões em despesas de marketing que não estavam previstas no acordo inicial. O valor foi depositado em uma conta bancária na Suíça, em nome de uma empresa brasileira de marketing esportivo. No dia 27 de maio, o Departamento de Justiça indiciou nove executivos da Fifa e cinco parceiros da entidade, sob a acusação de associação criminosa e corrupção. O caso envolve suspeitas de pagamento de propina no valor US$ 151 milhões. A partir da acusação, o Ministério da Justiça americano e a polícia da Suíça prenderam sete membros da Fifa.

Congresso do PT foi uma inutilidade, rejeitou proposta de mudança na política econômica do governo da petista Dilma Rousseff

O PT rejeitou hoje (13), durante a reunião de encerramento do 5º Congresso Nacional do partido, em Salvador, proposta para mudar a estratégia econômica do governo da presidente Dilma Rousseff, apresentada por integrantes da legenda e colocada em votação no plenário. Todas as deliberações aprovadas no congresso vão constar no documento final do encontro, chamado Carta de Salvador. Durante o congresso, o PT também decidiu manter aliança política com PMDB. Por maioria de votos, os delegados do partido encaminharam ao Diretório Nacional a deliberação final sobre as formas de financiamento da legenda. No entanto, prevalece a decisão anterior da cúpula da legenda de não aceitar mais doações financeiras de empresas. As emendas que criticavam o ministro da Fazenda, Joaquim Levi, e propunham a volta da cobrança da CPMF, conhecido como imposto do cheque, foram rejeitadas pela maioria. No discurso de encerramento do congresso, o presidente do PT, Rui Falcão, defendeu apoio dos militantes ao governo da presidente Dilma Rousseff.  "Todo o debate que foi feito revela que, depois desse congresso, o PT vai ter que mudar mais. O PT não será mais o mesmo, seja nas suas relações internas, seja acentuando nossa autonomia de formular políticas públicas em relação ao nosso governo, que nós apoiamos, mas queremos que avance. Queremos dar sustentação, mas queremos empurrar também para que a gente não ingresse numa fase recessiva e para que nosso País volte à trajetória de desenvolvimento econômico", disse Falcão. É engraçado, o tipo quer fazer parecer que não foi o PT e suas políticas populistas alucinadas que jogaram o Brasil na violenta crise econômica que agora resultado em multidões de desempregados. O presidente também prestou solidariedade ao presidiário João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do partido, preso na Operação Lava Jato, da Polícia Federal. Falcão defendeu ainda manifestações livres e democráticas, como as passeatas em defesa dos direitos LGBT, conhecidas como Parada Gay. "Vaccari foi preso injustamente, numa campanha nítida para tentar criminalizar o PT. Ele não fez nada além de seguir as orientações partidárias e nossas diretrizes, no que dizia respeito à arrecadação financeira. Vaccari nunca se apropriou de nenhum centavo em benefício próprio, nunca cometeu nenhuma irregularidade, e está sendo incriminado, porque o alvo específico é atingir nosso partido”, declarou o presidente. Na quinta-feira (11), na abertura do congresso, a presidente Dilma Rousseff disse que o governo teve a coragem de fazer os ajustes fiscais e pediu aos militantes que apoiem as medidas e ajudem a defender sua gestão de críticas. Segundo Dilma, as mudanças na economia não reduzem o compromisso do governo com as causas defendidas historicamente pelo partido. Ontem (12), no segundo dia do congresso do partido, o ex-presidente Lula X9 (ele delatava companheiros para o Dops paulista, durante a ditadura militar, conforme Romeu Tuma Jr, em seu livro "Assassinato de reputações") lançou uma campanha para arrecadar fundos para a legenda. O ex-presidente fez a primeira doação simbólica e pediu que a militância petista volte a fazer contribuições financeiras para o partido. A iniciativa ocorreu após o partido ter anunciado que não vai mais aceitar doações de empresas privadas.

Prisioneiro dentro do Brasil

Ricardo Teixeira
Teixeira: longe dos EUA
A propósito, Ricardo Teixeira decidiu não voltar mais aos EUA, onde tem uma casa. Teme pisar no país e ser imediatamente convocado a prestar contas à Justiça americana. Por Lauro Jardim

Tentativa de grampo

Hawilla
Teixeira está certo de que Hawilla queria gravá-lo
Ricardo Teixeira tem dito a interlocutores ter a certeza de que J. Hawilla tentou gravá-lo, assim como fez com José Maria Marin. Há dois anos, o dono da Traffic, que aceitou colaborar com a Justiça americana para desbaratar o escândalo na Fifa, o convidou para um almoço na churrascaria Smith & Wollensky, em Miami. Teixeira ficou intrigado com a insistência de Hawilla em marcar o encontro e as perguntas feitas durante a conversa. Por Lauro Jardim

Eike Batista e o sócio de José Dirceu

Se Lula comemora quando jornalistas são demitidos, jornalistas podem se vingar fazendo jornalismo. Um exemplo é a reportagem da Veja sobre as negociatas de Eike Batista com a Petrobras. Em 2012, a OSX de Eike Batista, em sociedade com a Mendes Júnior, que está para ser condenada pela Lava Jato, ganhou um contrato para construir duas plataformas de petróleo por 1,8 bilhão de reais. Meses depois, Eike Batista repassou 6 milhões de reais para a empresa de consultoria de Júlio Oliveira Silva, sócio de José Dirceu na JD Consultoria e empregador de Erenice Guerra. Júlio Oliveira Silva embolsou o dinheiro, "mas não prestou serviço algum - fato confirmado a Veja por dois ex-executivos do consórcio".

Os 7 mil cabos eleitorais de Fernando Pimentel

A IstoÉ cruzou os dados sobre os 7 mil cabos eleitorais da campanha de Fernando Pimentel, em Minas Gerais, e descobriu que um terço é composto por beneficiários do Bolsa Família. Alcirene Olidia Ferreira, por exemplo, foi contratada na reta final da campanha por 1.200 reais. O valor é similar ao total de 1.232 reais que ela recebeu do Bolsa Família de junho de 2014 a abril deste ano. Já Alcileia Neves de Paiva embolsou da campanha petista 800 reais. Em 11 meses, ela ganhou 1.617 reais em ajuda federal. Para Aloysio Nunes Ferreira, do PSDB, os casos se assemelham à compra de voto. Há também outra possibilidade: a de que o cadastro de beneficiários de programas sociais tenha sido utilizado para criar fantasmas e justificar gastos de campanha. O PT apostou todas as suas fichas em Minas Gerais, tanto na campanha de Fernando Pimentel quanto na de Dilma Rousseff. Se a campanha para o governo do Estado cometeu ilegalidades, as mesmas devem ter sido cometidas na campanha para presidente da República. Não dá para separar uma da outra.

O passivo oculto de Dilma

O Estadão conta que, segundo o relatório técnico que vai embasar a decisão do TCU sobre as contas da gestão Dilma Rousseff, "37,1 bilhões de reais gerados pelas pedaladas fiscais foram omitidos do balanço de 2014". O TCU tratou essa omissão como “passivo oculto”. O total de "distorções no balanço" encontradas pelos técnicos do TCU é, porém, muito maior: 281 bilhões de reais, incluindo os restos a pagar que não foram registrados corretamente pelo governo. O relatório aponta que foram feitas “estimativas contábeis inadequadas ou inexistentes” e que os ativos imobilizados da União têm “problemas graves de mensuração, por causa de deficiências na depreciação de bens móveis e imóveis”.

Lula recebe a visita de chefão do tráfico venezuelano

Na semana passada, Diosdado Cabello, presidente da Assembléia Nacional da Venezuela, esteve no Brasil, em visita não-oficial. Foi recebido por Lula duas vezes, segundo a Veja. Seria mais um convescote bolivariano-lulista, não fosse Diosdado Cabello um dos maiores barões da cocaína do mundo, ligado ao Cartel dos Sóis. Um ex-guarda-costas do sujeito delatou às autoridades americanas que Diosdado Cabello comanda 90% da exportação da cocaína produzida pelas Farc. O currículo é tão pesado que ele só se atreve a viajar a Cuba - e ao Brasil. Logo depois que Diosdado Cabello desembarcou em São Paulo, a Polícia Federal deu início à operação para prender uma quadrilha que, da Venezuela, internou ilegalmente no país o equivalente a 3 bilhões de reais. O chefe venezuelano dessa bandidagem especializada em evasão de divisas e lavagem de dinheiro é José David Cabello, ministro das Indústrias e diretor do Centro Nacional de Comércio Exterior bolivariano. Ele é irmão de Diosdado. Lula tem milhões de motivos para comemorar as dificuldades dos jornais brasileiros.

VERBA INDENIZATÓRIA CRIA "FARRA PLURIPARTIDÁRIA"

A soma das despesas com a verba indenizatória dos dez deputados federais campeões de gastos é de R$ 1,66 milhão em 2015. A “bancada dos gastões”, formada por Marcos Rogério (PDT), Nilton Capixaba (PTB), Marco Tebaldi (PSDB), Alceu Moreira (PMDB), Silas Câmara e Heuler Cruvinel, do PSD, Paulão e Sibá Machado, do PT, Balhmann (PROS) e Márcio Marinho (PRB), gastou entre R$ 156 mil e R$ 194 mil cada. O único deputado federal que não gastou a verba indenizatória é Wadih Damous (PT-RJ), ex-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil-RJ. Fernando Francischini (SD-PR), que passou só algumas horas como deputado na legislatura, nos fez pagar R$ 103 de multa por passagem. A bancada do PT, a segunda maior da Câmara, é também a que mais gastou com o cotão este ano: R$ 5,6 milhões com seus 63 deputados.

Petrobras anuncia a descoberta de outra grande reserva de petróleo na Bacia de Santos


Uma megarreserva de petróleo em águas profundas, no pré-sal da Bacia de Santos, foi descoberta pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). A área, localizada no litoral de São Paulo, tem características e volume similares às da principal área produtora no País, o campo de Tupi, que possui reserva provada de 5 bilhões a 8 bilhões de barris de óleo. A agência cogitou incluir a área, que está fora da região regulada pelo modelo de partilha, no próximo leilão de concessões, que acontecerá no dia 7 de outubro, mas a ideia foi vetada pelo governo federal. O tamanho exato da nova área ainda não está definido, uma vez que ainda não foram feitas perfurações exploratórias no local, apenas estudos sísmicos. Fonte do alto escalão do governo informou que os estudos realizados até agora indicam uma reserva de "grande dimensão", mas, como não foram perfurados poços, ainda não é possível dimensionar as reservas. O campo de Tupi, na Bacia de Santos, foi a primeira grande reserva descoberta nas águas profundas. O campo está em produção desde 2010 - dois anos após a declaração de comercialidade. Atualmente, é o principal campo produtor do pré-sal no País, responsável por 44,7% de todo o volume extraído dessa região, segundo dados de abril. Apesar de a acumulação de óleo estar abaixo da camada de sal, em águas profundas, a área fica fora do polígono do pré-sal - região entre os Estados de Espírito Santo e Santa Catarina. Por lei, o petróleo descoberto em águas profundas nesse limite geográfico só pode ser explorado pelo modelo de partilha. Por essa legislação, a Petrobras é obrigatoriamente operadora única e integrante do consórcio com pelo menos 30% do investimento necessário ao desenvolvimento da área. Da mesma forma, a União deveria ser sócia na área, por meio da Pré-sal Petróleo S.A. (PPSA), e receber uma parcela do óleo produzido, garantindo mais receitas ao Tesouro Nacional do que com os leilões de concessão, de áreas localizadas fora do polígono do pré-sal. A legislação de partilha foi aprovada em 2009 para regular a exploração das áreas do pré-sal e após a crise da estatal, decorrente da Operação Lava Jato, tem sido criticada por políticos e empresas multinacionais. A ANP propôs a inclusão da área na 13ª Rodada de Licitações, que acontecerá no dia 7 de outubro. Nesse dia, os blocos licitados serão regulados pelo regime de concessão, no qual os ganhos da União se restringirão ao bônus pago no leilão pelas petroleiras e às participações governamentais, como os royalties. Isso cheira a grande marquetagem petista, porque um campo dessa ordem não daria resultados práticos antes de dez anos no mínimo. 

Compositor Fernando Brant morre em Minas Gerais


Na noite desta sexta-feira, o compositor mineiro Fernando Brant morreu em Belo Horizonte (MG), aos 68 anos, de complicações decorrentes de uma cirurgia de transplante de fígado. Ele havia sido submetido a uma primeira operação na terça-feira passada. O órgão transplantado teve rejeição, e o músico passou por um segundo transplante, na madrugada de sexta-feira. A família confirmou a morte por volta das 21h40, de acordo com o portal. Brant foi fundador do movimento Clube da Esquina, e compôs músicas como Travessia, conhecida na voz de Milton Nascimento. Ele ainda teve parcerias com Lô Borges, Wagner Tiso, Márcio Borges e Nivaldo Ornelas, e participou da composição de canções como "Maria, Maria", "Planeta Blue" e da versão em português de "Canção da América", entre outras.

França absolve ex-chefe do FMI de acusações sobre escândalo sexual

Um tribunal francês absolveu nesta sexta-feira (12) o ex-diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, do crime de proxenetismo agravado (exploração de prostituição), do qual era acusado. Strauss-Khan, de 66 anos, mostrou-se impassível durante a leitura da sentença e só assentiu com a cabeça quando o juiz o declarou inocente de ter contratado prostitutas para festas libertinas em Paris, Bruxelas e Washington entre 2008 e 2011.
 

Na França, recorrer aos serviços de uma prostituta não é ilegal, mas incitar ou organizar seu trabalho é considerado crime. Strauss-Kahn, que foi acusado junto a outras 13 pessoas por "proxenetismo agravado", nunca negou sua participação nestas festas, mas sempre sustentou que ignorava que as mulheres que participavam delas fossem prostitutas contratadas por seus amigos. "Quando você lê a acusação dá a impressão de que isso (as orgias) era uma atividade frenética, mas isso só aconteceu quatro vezes por ano, não mais que isso. Não era uma atividade fora de controle", disse ele após as acusações. O próprio promotor havia pedido a absolvição do ex-diretor do FMI, ao considerar que não havia provas contra ele. A decisão judicial coloca fim a quatro anos de escândalos sexuais que acabaram com a carreira política de Strauss-Khan.

Gastos com infraestrutura devem cair 19% em 2015, diz consultoria


Os gastos com obras e aquisição de novos equipamentos no setor de infraestrutura devem sofrer, neste ano, uma queda de 19% em relação ao que foi feito em 2014, e devem somar apenas R$ 106 bilhões. Com isso, a participação do setor no PIB (Produto Interno Bruto) cairá para 1,8%, o menor patamar desde 2011 e abaixo da média da década passada. É o que aponta relatório da Inter B. Consultoria. As quedas mais graves previstas são proporcionalmente mais significativa nos setores de telecomunicações e aeroportos, com redução estimada na casa dos 30%. Outros setores que devem registrar forte perda são os de rodovias, com queda de 27%, e mobilidade urbana (20%). No setor de energia elétrica, a queda seria de 9%, próxima a dos setores de portos (8%), saneamento (10%) e ferroviário (11%). Somente o setor de hidrovias teria um aumento (58%), mas o valor dos investimentos nesse setor é baixo e não passaria de R$ 1 bilhão no ano. A consultoria não considera o setor de petróleo e gás nessa estimativa. Os números foram consultados junto a orçamentos públicos e planos de investimentos de companhias do setor. A queda é atribuída ao ajuste das contas públicas que os governos, que participam com cerca de metade dos investimentos realizados nesses setores, estão realizando. "Na medida em que o investimento por definição é 'uma aposta no futuro', e sendo os ativos de infraestrutura de longa duração, o elemento de incerteza cobra um prêmio e leva ao retraimento dos investimentos", informa o documento. Os investimentos em infraestrutura em geral são considerados um forte impulsionador do crescimento econômico porque geram estímulos para outros setores. O estudo mostra que o investimento em infraestrutura vinha crescendo sua participação no PIB, saindo da média de 2,12% na década passada para 2,18% (2011), 2,27% (2013) e 2,37% (2013). No ano passado, contudo, o valor ficou estagnado porque os gastos de estatais e dos governos praticamente não cresceram. Já o das empresas privadas subiu 12%. O relatório foi elaborado antes do lançamento pela presidente Dilma Rousseff da nova etapa do Plano de Investimento em Logística, realizado na terça-feira (9). O plano prevê investimentos de R$ 198 bilhões em ferrovias, rodovias, portos e aeroportos que vão ser concedidas, sendo R$ 70 bilhões até 2018. A consultoria, no entanto, não pretende rever seus números por considerar que os investimentos previstos no programa são para os anos seguintes e teriam efeito apenas marginal em 2015. O estudo aponta que, para que os investimentos cresçam são necessários mais que os planos que o governo vem lançando. "Muito do que se requer é mais bom senso econômico, menos voluntarismo, e a disposição de defender o setor frente às barganhas políticas que levam a investimentos de elevados custos e má qualidade, agências regulatórias fragilizadas (quando não capturadas) e dificuldade de atrair recursos privados de qualidade para financiar e investir no setor", relata o trabalho.

Recurso impede libertação de Pantera Negra preso há 43 anos em solitária

Albert Woodfox, de 68 anos, mantido na solitária em uma prisão do Estado americano da Lousiana há mais de quatro décadas, terá de permanecer detido por, ao menos, algumas semanas. Um tribunal federal de apelações dos Estados Unidos negou nesta sexta-feira (12) a soltura imediata de Woodfox, membro dos Panteras Negras, grupo terrorista, marxista, de defesa dos negros americanos.


Na segunda-feira, o juiz federal James Brady ordenou que Woodfox fosse libertado imediatamente e vetou um novo julgamento. O Estado, no entanto, apelou da decisão. Para impedir que o preso seja libertado antes do julgamento do recurso, o Estado entrou com pedido para bloquear temporariamente a ordem de soltura. O Tribunal de Apelações do Quinto Circuito havia concedido o bloqueio até esta sexta-feira e, agora, renovou a ordem até que o recurso seja julgado. A corte, no entanto, determinou celeridade no processo. "Embora seja impossível prever a data da audiência, isso significa ao menos algumas semanas – ou meses– até que Albert seja finalmente libertado", afirmou Tory Pegram, coordenadora da campanha pela libertação. Woodfox passa 23 horas por dia em uma cela de dois metros por três metros, sozinho. Ele é a segunda pessoa a passar mais tempo em solitária ao longo da história dos Estados Unidos. Em 1972, ele foi acusado, ao lado de outro Pantera Negra, Herman Wallace, pela morte de um guarda penitenciário. Os dois foram colocados na solitária no mesmo dia e, um ano depois, condenados à prisão perpétua. Woodfox nunca assumiu a autoria do crime e diz ter sido perseguido por causa da militância dentro da prisão. Sua condenação já foi revogada por três vezes na Justiça. Em todas as ocasiões, o procurador-geral da Lousiana recorreu e, em fevereiro deste ano, decidiu iniciar o processo para levar o detento a um terceiro julgamento. Na quinta-feira, um grupo de deputados da Assembleia Legislativa da Louisiana apresentou uma resolução pedindo que o procurador-geral do Estado retire o recurso contra Woodfox. O projeto, no entanto, foi rejeitado. De acordo com a autora da proposta, a democrata Patricia Smith, o Estado já gastou muito dinheiro tentando manter a condenação do preso. "Manter alguém na solitária por 40 anos é absolutamente inconcebível", afirmou: "Todas as testemunhas estão mortas. Ele não pode ter um julgamento justo".