terça-feira, 3 de novembro de 2015

“Avança Brasil” faz o certo e pede que Cunha encaminhe denúncia contra Sibá por quebra de decoro

Ao lado uma das páginas da petição contra Sibá Machado. O Movimento Avança Brasil encaminhou uma petição ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), cobrando que a Mesa da Casa encaminhe uma representação ao Conselho de Ética contra o deputado Sibá Machado (AC), líder do PT, por quebra de decoro. Assinam a petição Edson Gomes Barbosa, Cesar Orfali Junior, Frederico Cal, Willian Bull e Nilton Caccáos. Membros do Avança Brasil estão algemados a um dos pilares da Câmara (foto abaixo), cobrando que Cunha defira a denúncia contra a presidente Dilma. Só parlamentares de partido com representação na Casa ou a própria Mesa podem encaminhar a representação, mas, como informa o próprio site da Câmara, “qualquer cidadão é parte legítima para requerer que a Mesa Diretora represente contra um deputado, especificando os fatos e respectivas provas (art. 55 da Constituição)”. O texto técnico da Casa informa ainda: “No caso de requerimento de um parlamentar ou de cidadão, a Mesa verifica a existência dos fatos e das provas e encaminha ou não ao Conselho de Ética, cujo presidente instaurará o processo, designando relator. Quando a representação é feita por partido político, não há verificação pela Mesa, que encaminha o pedido diretamente ao Conselho de Ética”. Bem, a evidência de que Sibá quebrou o decoro é escancarada, como relata o documento enviado a Cunha — que aponta a intolerância do parlamentar e o claro incitamento à violência, evidenciados neste vídeo, em que o petista informa que iria reunir pessoas para atacar os integrantes do Movimento Brasil Livre, acampados nos gramados do Congresso. 


Dois dias depois, atendendo ao chamamento do líder, dois movimentos que atuam como esbirros do PT — o MST e o MTST — enviaram seus fascistas para atacar o acampamento do Movimento Brasil Livre, o que virou tema de debate na Câmara.


Faz bem o Avança Brasil, já que nenhum parlamentar teve a clareza de fazer o óbvio. Imaginem o que teria acontecido se, em lugar de Sibá, estivesse um parlamentar considerado de “direita” e se, ato contínuo, esquerdistas apanhassem de conservadores. O mundo viria abaixo. Que a Mesa da Câmara tenha a clareza de enviar a questão para o Conselho de Ética. Vamos ver se o incitamento à violência e à guerra campal será admitido como coisa corriqueira. Por Reinaldo Azevedo

Duque escolhe a prisão

Renato Duque ficou mais uma vez calado diante de Sergio Moro. Maria Auxiliadora, o seu marido vai pegar uma cana pesadíssima e ninguém vai tirá-lo de lá tão cedo.

Falso testemunho e denunciação caluniosa

Fausto Pinato, do PRB de São Paulo, está na lista tríplice para a relatoria do caso de Eduardo Cunha no Conselho de Ética da Câmara. Ele e seu pai, Edilberto Donizeti, são acusados dos crimes de falso testemunho e denunciação caluniosa. De acordo com a denúncia, Fausto e Edilberto imputaram os crimes de injúria e difamação a Jurandir de Oliveira e Silva, mesmo sabendo que ele era inocente. Para tanto, Fausto convenceu João Paulo de Jesus a acusar Jurandir, "mediante o oferecimento do cargo de assessor de campanhas políticas", assim como José Nunes, "brigado com a vítima". João e José, no entanto, confessaram a mentira.

15 milhões de reais obtidos ilicitamente

A Pepper recebeu 15 milhões de reais do PT. Um relatório do Coaf, reproduzido pela Época, "suspeita que o dinheiro seja proveniente de recursos obtidos ilicitamente”. A dona da Pepper embolsou diretamente 6,9 milhões de reais, e seu marido arrecadou outros 3,3 milhões de reais. A mulher de Fernando Pimentel, Carolina Oliveira, ficou com 260 mil reais. A reportagem de Thiago Bronzatto explica que "os dados das contas da Pepper e de seus sócios fazem parte do relatório 18.340, produzido pelo Coaf, que também fez um pente-fino na vida financeira de Lula, Antonio Palocci, Fernando Pimentel e Erenice Guerra. O órgão de combate à lavagem de dinheiro não arbitra sobre as operações. Ele apenas aponta as movimentações que são consideradas suspeitas de acordo com a lei e as regras do mercado, como saque em dinheiro vivo ou recebimentos de valores acima da capacidade econômica do cliente". Esse dinheiro todo vai bater à porta de Dilma Rousseff.

Delator da Lava Jato é sócio de Russomano

Celso Russomano lidera a corrida para a Prefeitura de São Paulo, segundo o Datafolha. Celso Russomano pode não chegar ao final da eleição, caso o Ministério Público resolva investigar a sociedade dele no restaurante Bar do Alemão, em Brasília. Um dos sócios de Russomano é Augusto Mendonça Neto, delator da Lava Jato que pagou propina para Renato Duque e o PT. Mendonça integra a sociedade no restaurante por meio da Yellowwood Consultoria, uma das empresas de fachada que ele usava para repasses.


Uma força para Cunha

Paulinho da Força será o nome do Solidariedade no Conselho de Ética da Câmara. Ele assume a vaga deixada por Wladimir Costa, que renunciou por questões de saúde. Nos bastidores, dizem que foi pressionado a sair pelo partido, após se manifestar publicamente a favor da cassação de Eduardo Cunha. Paulinho estava em busca de um nome que defendesse o presidente da Câmara e resolveu aplicar o velho ditado "se quiser algo bem feito, faça você mesmo". Nos últimos dias, Cunha submergiu em articulações que lhe garantam a maioria no colegiado. É possível que consiga.

Cunha e os 150 deputados sem decoro

Eduardo Cunha se defende na base do ataque, ainda que indireto. Disse ele ao virar alvo formal de processo de cassação no Conselho de Ética: "Se todo mundo que tivesse um processo fosse para o Conselho de Ética por quebra de decoro, deveria ter uns 150 deputados lá porque são mais ou menos uns 150 com processo". Cunha fez até a lista dos nomes de quem tem telhado de vidro e já está com o sacocheio@ de pedras.

Deputado quer Bumlai na CPI do BNDES

O deputado Sergio Vidigal, do PDT, apresentou hoje um requerimento para a convocação de José Carlos Bumlai pela CPI do BNDES. Na justificativa do requerimento, Vidigal alega que o BNDES "contornou uma norma interna e concedeu crédito de R$ 101,5 milhões ao pecuarista, amigo do ex-presidente Lula e que se tornou um dos alvos da Lava Jato". "Com dívidas de R$ 1,2 bilhão, o grupo São Fernando teve falência requerida na Justiça pelo próprio BNDES e pelo Banco do Brasil. O grupo deve R$ 330 milhões ao BNDES." Vidigal lembra ainda que Bumlai virou alvo da Lava Jato depois que dois delatores disseram que ele repassou R$ 2 milhões para uma nora de Lula e ajudou a quitar uma dívida de R$ 60 milhões da campanha petista de 2006.

A vida boa que eles tinham

Os bens de Alberto Youssef e Paulo Roberto Costa, que serão leiloados nos dias 13 e 23 de novembro, refletem a vida boa que os meliantes da Lava Jato levavam às custas do dinheiro público. O Estadão listou os bens: 
– 6 apartamentos do tipo flat no Hotel Blue Tree Premium, localizados em Londrina (PR), pertencentes à empresa GFD Investimentos Ltda, controlada por Alberto Youssef, com lances iniciais entre R$ 145 mil e R$ 190 mil (cada um);
– parte ideal (37,23%) do prédio Connect Smart Hotel (antigo Web Hotel Salvador), em Salvador (BA), em nome da GFD Investimentos Ltda – controlada por Alberto Youssef – que será vendido em 9 lotes: 8 partes ideais de 4% do imóvel (cada) avaliadas em R$ 418.194,06 (cada uma) e uma parte ideal de 5,23% do imóvel, avaliada em R$ 546.788,77;
– um terreno localizada no Condomínio Villagio de Engenho, em Cambé (PR), com área global de 1.266,62 m2, avaliado em R$ 180 mil – este imóvel não está registrado em nome de Alberto Youssef, porém com base em documentos que constam nos autos, sua propriedade fática foi a ele atribuída por decisão judicial;
– uma lancha denominada Costa Azul, ano 2013, com 13,70 metros de comprimento (45 pés), dois motores de centro com Eixo Volvo Penta, avaliada em R$ 3 milhões. A embarcação está em nome da empresa Sunset Global Investimentos e Participações Ltda, de propriedade de Paulo Roberto Costa, localizada na Marina do Condomínio Portobello Resort e Safari, em Mangaratiba (RJ).


O crime compensou até Sérgio Moro pegá-los

Escândalo da Fifa só aumenta

No dia em que José Maria Marin foi extraditado aos Estados Unidos, a polícia alemã cumpriu mandados de busca e apreensão na sede da DFB, a federação alemã de futebol. Promotores em Frankfurt iniciaram investigações sobre suspeita de evasão fiscal e encontraram indícios de que a Alemanha comprou votos para sediar a Copa do Mundo de 2006, por cerca de R$ 28 milhões. Uma bagatela, se comparada à fiança de US$ 15 milhões que Marin pagou à Justiça americana para acompanhar o processo em prisão domiciliar.

Schahin e o rolo paraguaio

O Antagonista mostrou ontem à noite que a CGU paraguaia investiga suspeita de superfaturamento na construção de uma linha de transmissão com dinheiro do Focem, um fundo de desenvolvimento da infraestrutura do Mercosul. A maior parte do dinheiro do Focem é brasileiro... A obra foi feita pelo consórcio CIE-Elecnor. A CIE é paraguaia, e a Elecnor é uma empresa de origem espanhola sediada no Brasil. O Antagonista descobriu que a Elecnor se associou à Schahin Engenharia e montou um consórcio em setembro do ano passado. Constam do contrato social, Milton Schahin e Rogério de Campos Vieira. A empresa foi arrestada no bojo do processo de recuperação judicial do grupo Schahin. E não podemos esquecer que Schahin é Bumlai e Bumlai é Lula.

Sergio Moro e as incertezas do período recursal

Sergio Moro está sempre cinco jogadas na frente. O Estadão noticia que o juiz mandou tirar a tornozeleira eletrônica e dar liberdade a Sérgio Cunha Mendes, o principal executivo da Mendes Júnior, para evitar que ele pudesse ter deduzida da sua pena de 19 anos e 4 meses, a ser confirmada ou não nas instâncias superiores, o período de prisão domiciliar. Escreveu Sergio Moro: “Resolvo alterar parcialmente as medidas cautelares, especificamente o recolhimento domiciliar com tornozeleira eletrônica. Apesar da medida ser imprescindível antes do julgamento, como entendeu o Supremo Tribunal Federal, entendo que no presente momento, prolatada a sentença, não se faz ela mais conveniente. É que tem ela o efeito colateral negativo de propiciar a futura detração da pena, ou seja, cada dia de recolhimento domiciliar equivale a um dia na prisão. A manutenção do recolhimento domiciliar por período recursal ainda incerto pode levar na prática a que o condenado cumpra toda a pena privativa de liberdade em recolhimento domiciliar". O nosso querido juiz sabe o quão incerto pode ser o tal período recursal.

Toffoli, eis a porta da frente

O ministro Dias Toffoli, presidente do TSE, tem a chance de entrar para a história pela porta da frente, se tomar a decisão de entregar a relatoria da ação de impugnação do mandato eletivo de Dilma Rousseff a Gilmar Mendes. Qualquer outra escolha poderá implicar enorme e incancelável mancha na sua biografia, acrescida da execração pública a que vem sendo submetidos integrantes e apoiadores do governo mais corrupto da história do Brasil. O Antagonista acredita ser porta-voz de milhões de brasileiros ao pedir a Dias Toffoli que Gilmar Mendes seja o relator.


Entregue a Gilmar, ministro

Será que Alckmin é mesmo tucano?

De acordo com o Datafolha, Celso Russomano lidera a corrida pela Prefeitura de São Paulo, com 34% das intenções de voto. Em segundo lugar, vêm Marta Suplicy, José Luiz Datena e, pasmem, Fernando Haddad. Ao atrasar a definição do candidato do PSDB, para atender única e exclusivamente às suas conveniências pessoais, Alckmin poderá levar a que o seu partido perca a eleição na maior cidade do país. Será esse o objetivo do governador? Será que o PSDB é mesmo o seu partido? Será Geraldo Alckmin realmente santista?

Por que a banca apoiaria o impeachment?

O Itaú anunciou um lucro líquido contábil de 5,945 bilhões no terceiro trimestre, 10% a mais do que o mesmo período do ano passado. O Bradesco, por sua vez, teve um lucro líquido no terceiro trimestre de 4,12 bilhões de reais, 6,3% a mais do que no trimestre equivalente de 2014. Para além da competência dos gestores de Itaú e Bradesco, há uma coisa muito errada num país em que bancos têm ganhos estratosféricos em meio a uma recessão violentíssima. Essa coisa muito errada se chama tamanho do Estado e seus gastos estúpidos, financiados com títulos do Tesouro a juros que fazem a alegria da banca. Os banqueiros não têm motivos para apoiar o impeachment de Dilma Rousseff. Pelo contrário, tem bilhões de razões para sustentá-la no poder.

A tese de extorsão é uma falácia

Sergio Moro prova, na sentença de condenação da cúpula da Mendes Júnior, que a tese de que a empreiteira foi extorquida (tese que as defesas de outras empreiteiras também tentam vender a jornalistas ingênuos) é uma falácia, quando se leva em conta a realidade do processo: "Quem teria ameaçado a Mendes Júnior para que ela pagasse propina até 2013? José Janene estava morto desde 2010 e Paulo Roberto Costa afastado da Diretoria da Petrobras desde abril de 2012. Já Alberto Youssef, o intermediador, não teria potencial para intimidar a Mendes Júnior. Ainda que saiba, por outro lado, que os valores eram também distribuídos a agentes políticos, isso não foi admitido por Sergio Mendes e por Rogério Cunha em seus interrogatórios, tornando toda a versão inconsistente com a realidade provada".

URGENTE - URGENTE - Polícia Federal marca para esta quinta-feira o depoimento do caçula de Lula, o "Ronaldinho II" da família


A Polícia Federal remarcou para a esta quinta-feira, dia 5, o depoimento de Luís Cláudio Lula da Silva, filho caçula do ex-presidente Lula, o "Ronaldinho nº 2" da famglia Lula da Silva. Ele falará à Polícia Federal em São Paulo, acompanhado do advogado Cristiano Martins. Luís Claudio, o Lulinhazinho ou Luleco, foi intimado no dia em que Lula completou 70 anos. A Polícia Federal queria ouví-lo na quinta-feira passada, mas Martins conseguiu remarcar a data. Lula ficou irritadíssimo e cobrou providências do ministro da Justiça, o "porquinho" petista José Eduardo Cardozo, que chegou questionar a Polícia Federal, mas depois se recolheu ante o risco de cometer ele mesmo um crime. Luís Claudio está sendo investigado na Operação Zelotes por ter recebido R$ 2,4 milhões do lobista Mauro Marcondes, comprador de Medidas Provisórias. Quinta-feira será um dia histórico.

Pesquisadores encontram fortaleza em Jerusalém mencionada na Bíblia


Após um século de buscas, arqueólogos descobriram os resquícios de uma antiga fortaleza grega que já foi um centro de poder em Jerusalém e um bastião usado para conter uma rebelião judaica comemorada no livro bíblico dos Macabeus. Há tempos os pesquisadores debatem a localização da cidade de Acra, construída mais de dois mil anos atrás por Antíoco Epifânio, rei do império selêucida helênico. Muitos afirmam que ocupava o local onde hoje se encontra a Cidade Velha de Jerusalém, com vista para a Igreja do Santo Sepulcro ou junto à colina onde dois templos judeus estiveram no passado e que hoje abriga o complexo da mesquita de Al-Aqsa. Mas os restos desenterrados pela Autoridade de Antiguidades de Israel e tornados públicos nesta terça-feira estão do lado de fora dos muros da Cidade Velha e dão vista para um vale ao sul, uma área na qual, segundo os arqueólogos, a construção de Jerusalém se concentrou nos tempos do rei bíblico David. Antíoco, que viveu entre 215 e 164 a.C., escolheu o local para Acra para poder controlar a cidade e monitorar a atividade no templo judeu, afirmou Doron Ben-Ami, que liderou a escavação. Com um comprimento estimado em mais de 250 metros e uma largura de 60 metros, ela teria dominado o campo. Debaixo do que uma década atrás era um estacionamento pavimentado, a equipe de Ben-Ami escavou uma colina artificial composta por várias camadas de terra deixadas por sucessivas culturas. Em uma área, eles descobriram pedras de uma seção de uma grande parede, a base de uma torre e um aterro em declive de fins defensivos que artefatos próximos, como moedas e alças de jarras de vinho, sugerem terem pertencido ao tempo de Antíoco. Pedras de estilingue de chumbo e pontas de flecha de bronze do período também foram encontradas, talvez remanescentes de batalhas entre forças pró-Grécia e rebeldes judeus que tentavam tomar a fortaleza. "Este é um exemplo raro de como rochas, moedas e terra podem se juntar em um episódio arqueológico único para abordar realidades históricas específicas da cidade de Jerusalém", afirmou Ben-Ami. A localização de Acra foi mencionada vagamente em pelo menos dois textos antigos – o Livro dos Macabeus, que trata da rebelião, e um relato escrito do historiador Flávio Josefo. 

Conselho de Ética da Câmara abre processo que pode cassar o mandato de Eduardo Cunha


Investigado por corrupção e lavagem de dinheiro pelo Supremo Tribunal Federal, o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), agora terá de se defender também no Conselho de Ética da Casa. O colegiado instaurou nesta terça-feira processo que pode levar à cassação do mandato do peemedebista por envolvimento no propinoduto da Petrobras. Como a investigação pode durar até 90 dias, uma decisão definitiva só deverá ser tomada no ano que vem. Eduardo Cunha passou a ser alvo do Conselho de Ética após PSOL e Rede ingressarem com ação pedindo a perda do mandato por quebra de decoro parlamentar pelas suspeitas contra ele - o peemedebista foi citado em depoimentos de investigados pela Operação Lava Jato como um beneficiário de 5 milhões de dólares do esquema de desvios de recursos da Petrobras. As legendas alegam que Eduardo Cunha não prestou esclarecimentos sobre as suas contas bancárias secretas mantidas na Suíça. Pior: mentiu durante depoimento à CPI da Petrobras justamente por ter negado possuir conta no Exterior. Nesta tarde, foram sorteados três deputados para assumir a relatoria do caso: José Geraldo (PT-PA), Vinicius Gurgel (PR-AP) e Fausto Pinato (PRB-SP). Adversário político de Eduardo Cunha, o deputado Júlio Delgado (PSB-MG), que disputou as eleições pela presidência da Câmara contra o peemedebista, atendeu ao apelo do presidente do colegiado, José Carlos Araújo (PSD-BA), e aceitou não disputar a relatoria. José Carlos Araújo (PSD-BA) disse que vai conversar individualmente com os três deputados e escolher um deles até quarta-feira. A primeira função do relator será elaborar, em até dez dias, um documento pela admissibilidade da investigação ou arquivamento imediato. Nos bastidores, Eduardo Cunha já traça uma estratégia para escapar imune da ação no Conselho de Ética. O primeiro passo é a contratação de um advogado renomado para assumir a defesa do peemedebista. A função deve ficar sob a responsabilidade do ex-ministro Francisco Rezek. Em outra frente, o presidente da Câmara deve repetir estratégia adotada na CPI da Petrobras e comparecer pessoalmente ao colegiado para prestar esclarecimentos antes mesmo de ser formalmente chamado para depor. O peemedebista também tem nas mãos um poderoso instrumento de barganha com o governo e o PT para fugir da cassação: os pedidos de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Embora deputados petistas tenham sido responsáveis pela maior parte das assinaturas que gerou o processo no Conselho de Ética, a orientação do partido é a de adotar cautela e, ao menos por enquanto, poupar o peemedebista. O Conselho de Ética ainda instaurou nesta terça-feira processo contra outros dois deputados: Roberto Freire (PPS-SP) e Alberto Fraga (DEM-DF), ambos questionados pelo PCdoB. Fraga é alvo de denúncia por dizer em plenário que "mulher que bate como homem, tem de apanhar como homem também". Já Roberto Freire se envolveu em bate-boca com a líder do PCdoB, deputada Jandira Feghali (RJ), e, na ocasião, segurou-a pelo braço. A parlamentar classificou o ato como uma agressão física. As representações foram protocoladas em maio, mas ficaram paralisadas na Mesa Diretora, presidida por Cunha, até a semana passada, quando foram liberados ao colegiado junto com o processo contra o peemedebista. Deputados e assessores do Conselho de Ética avaliam a estratégia como uma manobra de Eduardo Cunha para sobrecarregar os trabalhos do colegiado.

Greve na Petrobras reduz produção de petróleo em 25% até agora


A paralisação de trabalhadores da Petrobras reduziu a produção de petróleo da empresa em 25% entre domingo e segunda-feira, disse nesta terça-feira a petista Federação Única dos Petroleiros (FUP), filiada à Central Única dos Trabalhadores (CUT). "Nas primeiras 24 horas da nossa greve, nós paralisamos na Bacia de Campos algo em torno de 450 mil barris de petróleo, que somados ao resto do País, devem chegar próximo a meio milhão de barris de petróleo", disse o coordenador-geral da FUP, José Maria Rangel. A produção de petróleo da Petrobras no Brasil em setembro foi de cerca de 2 milhões de barris por dia. Ou seja, depois de o PT ter feito o serviço grosso no sentido de quebrar a Petrobras, agora a peonada se reuniu, também sob o comando do PT, para dar o golpe final na estatal.
Mesmo assim, a ação preferencial da empresa subia 1% por volta das 11h30, enquanto o Ibovespa avançava 0,7% no mesmo horário. Trabalhadores da plataforma de petróleo P-38 da Petrobras aderiram à greve iniciada na semana passada, elevando para 43 o número de unidades marítimas participando do movimento na Bacia de Campos, região responsável por mais de 70% do petróleo produzido no Brasil, informou nesta terça-feira o petista Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF). Na segunda-feira à noite, 25 plataformas estavam completamente paradas, oito com poços restringidos (com reduções na produção que variam de 20% a 97%) e nove passadas para as equipes de contingência da Petrobras. "No Terminal de Cabiúnas (Tecab), em Macaé, os grupos que entraram a partir das 23h do dia primeiro seguem o indicativo do Sindipetro-NF e ocupam o terminal, porém sem o controle da produção", disse a entidade em nota. A greve dos funcionários petistas filiados à FUP tem como principal objetivo protestar contra o plano de desinvestimentos da Petrobras. Ou seja, a peonada petista quer acabar de liquidar com a Petrobras, o que o PT fez em grande parte. "O condenável esquema de corrupção, envolvendo ex-diretores e ex-gerentes, não pode servir de pretexto para privatizar uma empresa, cujos investimentos gerados respondiam, até há bem pouco tempo, por 13% do PIB", afirmou a petista FUP, relegando totalmente a incrível onda de corrupção e má gestão que levou a Petrobras ao ponto de a mais endividada do planeta, devendo mais de 500 bilhões de reais. Os 12 sindicatos associados à FUP, incluindo o Sindipetro-NF, entraram em greve no domingo. Já Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), que representa outros cinco sindicatos do país, havia iniciado paralisações na quinta-feira.

Prepare-se, Dilma

A Petrobras será julgada nos Estados Unidos entre 8 de agosto e 17 de outubro de 2016. O juiz da Corte de Nova York, Jed Rakoff, decidiu que fará um único julgamento para as ações coletivas e as mais de 20 ações individuais abertas por investidores contra a estatal. O Antagonista está em contato com as partes envolvidas no processo e sabe que o papel de Dilma Rousseff no esquema de propinas da Petrobras será amplamente investigado. O de Lula também.

Empreiteiros na cadeia

O juiz Sergio Moro condenou toda a cúpula da Mendes Júnior. Trata-se da mesma empreiteira acusada de pagar propina a Renan Calheiros, em 2007. Renan Calheiros ainda manda no Senado e manobra contra o impeachment de Dilma Rousseff. Mas Sergio Moro ao menos conseguiu enfiar na cadeia aqueles que o pagavam. É pouco? Não, não é pouco.

Queda e queda

Os economistas consultados pela pesquisa Focus, do Banco Central, pioraram mais uma vez a expectativa em relação ao PIB: queda de 3,05% em 2015 e de 1,51% em 2016. Inflação? 9,91%.

Seis frentes contra Lula

Investigadores fecham o cerco a Lula em seis frentes. Diz o Valor: “O Ministério Público Federal e a Polícia Federal estão fechando o cerco ao ex-presidente em ao menos seis frentes de apuração criminal. Documentos anexados a estas investigações mostram o avanço sobre negócios ligados direta ou indiretamente ao petista”.
As seis frentes são:
1 – Lobby para o estaleiro de Eike Batista, com o pagamento de Fernando Baiano a José Carlos Bumlai.
2 – Contrato fraudado da sonda Vitória 10.000 para quitar dívidas da campanha de 2006.
3 – Denúncia de Ricardo Pessoa de que ele repassou propina para o caixa 2 de Lula em 2006.
4 – Venda da MP Caoa, recompensada com pagamento a Lulinhazinho.
5 – Lobby internacional para a Odebrecht.
6 – Palestras forjadas para lavar o dinheiro de propina das empreiteiras investigadas na Lava Jato.
O inquérito sobre os 50 milhões de euros pagos em Macau para autorizar a fusão entre a Oi e a Portugal Telecom não foi incluído na lista do Valor. A fazenda reformada pela OAS, em nome de laranjas, também ficou de fora, assim como o triplex no Guarujá. Mas não importa: seis frentes já indicam o caminho a seguir.

Prefeito petista Fernando Haddad fica em quarto lugar e toma sova nas pesquisas eleitorais de São Paulo

Instituto Datafolha de hoje
Russomano, 34%
Marta Suplicy e Datena, 13%
Fernando Haddad, 12%
Marco Feliciano, 4%
João Dória, 3%

Secretário Feltes e boa parte da base aliada acham que o chefe da Casa Civil de Sartori anda muito ausente

Os dois secretários de maior visibilidade do governo de José Ivo Sartori, no Rio Grande do Sul, estão em rota de colisão. São os secretários da Casa Civil, Márcio Biolchi, e da Fazenda, Giovani Feltes, ambos deputados federais e do PMDB, assim como o governador. A bronca é de Feltes, que acha que Biolchi prefere ficar longe dos holofotes quando os anúncios são ruins, sobrando o picadeiro para ele. As queixas contra Biolchi não partem apenas de Giovani Feltes, mas de boa parte dos deputados da base aliada, que querem mais articulação, inteligência e atenção por parte da Casa Civil, já que é por ali que sai a interlocução política do governo Sartori. É evidente que esse é o prenúncio da saída de Marcio Biolchi da Casa Civil. Aliás, ele já avisou que não emplaca 2016 ocupando o lugar. Marcio Biolchi quer voltar a morar em Brasília, onde está sua família e ele tem casa. Ele não suporta mais a maratona semanal de avião para lá e para cá. Assim, sabedores disso, todos os "aliados" se assanham em face de troca iminente de cargo. E muitos já querem até antecipá-la. Ser da base aliada é ocupar-se o tempo inteiro em levar vantagem. Já votar favorável aos projetos do governo que supostamente apóia é outra história. "Base aliada" é a maior lorota que foi criada desde a invenção do segundo turno nas eleições brasileiras. Foi isso que desestabilizou o regime democrático no País.  

Henrique Pizzolato pode ter companhia ilustre

O mensaleiro Henrique Pizzolato pode ganhar em breve a companhia do lobista Mauro Marcondes, ex-representante da Anfavea e velho amigo de Lula dos tempos de peleguismo sindical no ABC... Marcondes é o sujeito que pagou pela aprovação de medidas provisórias que beneficiaram a indústria automotiva e depois depositou R$ 2,4 milhões na conta da empresa de Luiz Claudio Lula da Silva, o Lulinhazinho ou Luleco. Marcondes foi transferido hoje da Policia Federal de São Paulo para a carceragem em Brasília e está à disposição da juíza Célia Ody Bernardes, que poderá transferi-lo para a Papuda.

Adams tenta evitar sangria do PT

Luis Inácio Adams, o advogado-geral do PT, tenta conter a sangria de quadros da legenda em direção à Rede Sustentabilidade, de Marina Silva. Adams enviou a Roberto Barroso um parecer contrário à ação que questiona as restrições à mudança de partido de políticos com mandato parlamentar, informa o Jota. A minirreforma eleitoral prevê a perda de mandato daquele parlamentar que se desfiliar de um partido para criar outra legenda. O AGU alega que o texto da lei preservou uma janela de 30 dias sem o risco de perda de mandato. A Rede alega que já estava em processo de filiação quando a lei foi aprovada, pois obteve o registro uma semana antes. Como já noticiamos, o partido de Marina virou refúgio predileto de petistas.

Petrobras devolve duas sondas de perfuração a empresa americana


A empresa americana Diamond Offshore informou nesta segunda-feira (2) que chegou a acordo com a Petrobras para a devolução de duas sondas de perfuração de poços que prestavam serviços à estatal. A informação foi dada durante a divulgação do balanço da companhia relativo ao terceiro trimestre de 2015. Segundo a Diamond, as sondas Ocean Alliance e Ocean Clipper tiveram os contratos encerrados antecipadamente no dia 30 de outubro. O primeiro venceria em meados do ano que vem e o segundo, no fim deste ano. Em troca, a Petrobras concedeu extensão do prazo de uma terceira sonda da empresa, Ocean Courage, em 875 dias, até meados de 2020. O acordo representa, para a Diamond, uma perda de US$ 91 milhões na receita estimada com sua carteira de contratos, informou a companhia. A Petrobras vem renegociando contratos com o objetivo de adequar a frota de sondas e embarcações à redução de atividades proposta na revisão de seu plano de negócios. Além disso, busca redução nos gastos com o aluguel de equipamentos. Na última quarta-feira (28), a diretora de exploração e produção da companhia, Solange Guedes, disse que as negociações renderam, até agora, uma redução média de 13% no valor dos contratos. A sonda Ocean Courage, por exemplo, teve a tarifa reduzida de US$ 465 mil para US$ 380 mil por dia, informou a Diamond. A revisão representa uma queda de 18,2% no valor pago pela Petrobras.

Cartola José Maria Marina será extraditado aos Estados Unidos nesta terça-feira

O ex-presidente da CBF José Maria Marin embarca de Zurique, na Suíça, para os Estados Unidos no máximo até quarta-feira (4), mas a defesa acredita que a viagem já aconteça nesta terça-feira (3) se toda a documentação estiver finalizada até o início da noite na Suíça. Até mesmo seus advogados não sabem exatamente o horário, e serão avisados apenas alguns minutos antes, mas a informação é que a viagem deva acontecer na terça, no máximo quarta pela manhã da Suíça. O cartola Marin aceitou ser extraditado para responder a processo nos Estados Unidos, onde cantará como um verdadeiro "canarinho", entregando todo mundo que puder, para tentar se salvar da cadeia. Ele deve viajar em um vôo comercial, sob a escolta de policiais do FBI, algemado. Marin, de 83 anos, está preso em Zurique desde o dia 27 de maio, acusado pelas autoridades americanas de envolvimento em um esquema de corrupção relacionado a direitos de transmissão e marketing de competições. Foi detido com outros seis cartolas numa operação na véspera do congresso da Fifa. O cartola concordou na terça-feira (27) em ser transferido para o território americano. Os advogados do cartola negociam há meses com as autoridades americanas uma espécie de prisão domiciliar, mediante a fiança, enquanto o brasileiro responde às acusações. Por ter imóvel na cidade americana, ele tentaria obter o mesmo benefício dado ao ex-presidente da Concacaf, Jeffrey Webb, que aceitou ser transferido para os Estados Unidos em julho. A fiança pode chegar a pelo menos US$ 7 milhões. O governo suíço já havia aprovado a extradição de outros cinco cartolas presos na mesma operação: o costarriquenho Eduardo Li, o venezuelano Rafael Esquivel, o britânico Costas Takkas, o uruguaio Eugenio Figueiredo e o nicaraguense Julio Rocha. O escândalo levou à renúncia do presidente da Fifa, Joseph Blatter, no dia 2 de junho e à convocação de novas eleições na entidade em fevereiro de 2016. Suspeito de envolvimento na investigação conduzida pelos americanos, o presidente da CBF, Marco Polo del Nero, tem evitado deixar o Brasil, temendo ser alvo de um pedido de prisão no Exterior. Responsável pela defesa de Marin em Berna, o advogado suíço Georg Friedli invocou a proteção do ex-presidente da CBF para não emitir comentários sobre os termos do acordo que levou o cartola a abandonar a contestação da extradição para os Estados Unidos. Friedli disse que não comentaria se Marin passaria à condição de delator do esquema de corrupção na Fifa nem se ele aceitou pagar multa em troca de benefícios de responder às acusações nos Estados Unidos em regime de prisão domiciliar mediante pagamento de multa. Com a súbita aceitação da extradição para os Estados Unidos, Marin segue o mesmo caminho do ex-presidente da Concacaf e um dos vices da Fifa, Jeffrey Webb, que em julho foi transferido para os Estados Unidos. Webb, que já se declarou inocente das acusações de corrupção e lavagem de dinheiro perante um juiz de Nova York, aceitou um acordo no qual pagou US$ 10 milhões (R$ 38,6 milhões, pela cotação desta quarta) para ficar em prisão domiciliar nos Estados Unidos. Pelos termos do acordo, Webb teve de alugar uma casa a menos de 20 milhas (32 km) do tribunal em Nova York e pagar, ele próprio, por uma empresa privada de segurança para monitorar o uso de sua tornezeleira eletrônica 24 horas por dia. Marin é dono de um apartamento em Nova York. Desde que foi preso na Suíça, em maio deste ano, Marin nunca falou à imprensa sobre as acusações de que integrou esquema de corrupção para a negociação de contratos envolvendo torneios organizados pela Conmebol e pela CBF. Seus advogados, no entanto, têm dito que que são frágeis as supostas provas apresentadas à Justiça suíça pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos, que investiga o caso. Alegam que no pedido de extradição não há revelações concretas de que o dirigente cometeu os crimes.

Otávio Azevedo, a cabeça da engrenagem

Ainda sobre o pagamento de "várias dezenas de milhões de euros ao universo restrito de Lula da Silva", para que saísse a fusão entre a Oi e a Portugal Telecom, o jornal português O Público noticia que: "O presidente da Andrade Gutierrez é réu no processo Lava-Jato, sendo-lhe atribuídos os crimes de corrupção, de lavagem de dinheiro e de organização criminosa. Otávio Azevedo é considerado a cabeça da engrenagem que possibilitou o acordo entre a PT e a Oi em Julho de 2010. Um negócio que necessitou de múltiplas autorizações políticas dos dois lados do Atlântico e que começou a ser preparado no final de 2007 como resposta à intenção firme da Telefónica de adquirir os 50% da brasileira Vivo que estavam nas mãos da PT e que era o motor de crescimento da empresa portuguesa." Só para reforçar o que já publicamos: Otávio Azevedo é considerado a cabeça da engrenagem. Otavio Azevedo é o herói de dois submundos.


Estão vendo a cabeça aqui?

Estados Unidos vão investigar fraude também em carros de luxo da Volkswagen, da Porsche e da Audi


A Agência de Proteção Ambiental, órgão do governo americano responsável pela regulamentação da área ambiental, disse nesta segunda-feira que a Volkswagen instalou controles fraudulentos de emissão de poluentes em veículos a diesel das marcas Porsche e Audi dos anos de 2014 a 2016. Os veículos a diesel incluem Porsche Cayenne e cinco modelos da Audi, incluindo o sedan A6 e o SUV Q5. A revelação fará chegar também aos modelos de luxo Porsche e Audi a investigação que a Agência já faz em outros veículos fabricados pela montadora alemã. Em setembro, a Volkswagen admitiu ter instalado em 11 milhões de carros em todo o mundo um software, conhecido como dispositivo de desativação, que pode enganar testes de emissões. A fraude permitiu que os veículos fossem aprovados em testes de emissão de poluentes. Nas ruas, os carros com o dispositivo fraudulento emitiam mais poluentes do que os testes revelavam. Os "dispositivos de desativação iludem, anulam ou tornam inoperantes os elementos do sistema de controle das emissões dos veículos", disse a Agência em uma carta aos fabricantes.

Ações da Petrobras nos Estados Unidos despencaram 92% em sete anos


A ADR da Petrobras fechou a US$ 4,82 na Nasdaq (a Bolsa de Nova York) na semana passada. E o que significa isso? Uma perda de 92% desde que o Brasil conseguiu seu grau de investimento, em 30 de abril de 2008, quando cada ADR valia US$ 60,00. O valor de mercado da Petrobras é de modestos US$ 33,4 bilhões. Abaixo do registrados por petrolíferas de segundo escalão, como a Conoco Phillips (US$ 66 bilhões).

Coty compra divisão de cosmésticos da brasileira Hypermarcas por R$ 3,8 bilhões


A multinacional de cosméticos Coty, uma das maiores do mundo, comprou nesta segunda-feira (2) toda a divisão de cosméticos da brasileira Hypermarcas, por cerca de R$ 3,8 bilhões. A aquisição ainda precisa passar por instâncias regulatórias, e deve ser fechada até o final de março de 2016, informou a Coty em comunicado. A compra abrange marcas como Risqué, Monange, Bozzano, e Cenoura & Bronze da divisão de cosméticos da Hypermarcas, que gerou receita de R$ 977,5 milhões em 2014. Elas se juntarão a um portfólio que inclui marcas como OPI, líder mundial no setor de esmaltes, e diversos perfumes, entre eles Calvin Klein e Davidoff — a Coty teve receita líquida de US$ 4,4 bilhões no exercício social encerrado em 30 de junho de 2015. Em comunicado ao mercado publicado na quinta-feira, a empresa informou que "os recursos provenientes da transação serão utilizados preponderantemente para redução do endividamento líquido da companhia". Com a venda, a Hypermarcas fica mais perto de um antigo objetivo de se tornar uma empresa exclusivamente farmacêutica, deixando de lado sua carteira de itens de bens de consumo para focar a produção de medicamentos. Ela já ocupa hoje posição de liderança no ranking de fabricantes de remédios no Brasil. Assim, a transação não inclui os negócios de produtos descartáveis, composto por fraldas das marcas Pom Pom, Cremer Disney, Sapeka e Bigfral, assim como preservativos (Jontex, Olla e Lovetex), adoçantes (Zero-Cal, Finn e Adocyl) e dermocosméticos (Episol, Epidrat, Hydraporin, dentre outras). "Quando finalizada, a transação marcará um passo transformador para a Hypermarcas, cujo foco estratégico estará voltado para o mercado farmacêutico, que oferece potencial atrativo de crescimento e rentabilidade no longo prazo", disse a empresa no comunicado. Do lado da Coty, o movimento ajuda a empresa a se fortalecer no mercado brasileiro, e mira a fusão com a divisão de beleza da multinacional Procter & Gamble, prevista para o segundo semestre de 2016. No comunicado, a companhia afirma que o centro de fabricação e distribuição da Hypermarcas em Goiás servirá para integrar o negócio da Coty, assim como, futuramente, da P&G no Brasil. "Nós esperamos que a força das marcas, a impressionante equipe de liderança e a infraestrutura robusta fortaleçam a posição competitiva da Coty e complemente a fusão prevista com o setor de beleza da P&G", afirmou Bart Becht, presidente interino e presidente do conselho da Coty. O negócio fechado nesta segunda-feira surpreende o mercado, que esperava que a Hypermarcas anunciasse primeiro a venda de sua divisão de fraldas, que têm sido alvo de rumores de uma transação iminente desde o início do ano. A aquisição realizada pela Coty, empresa fundada em Paris em 1904, ocorre em um momento de incertezas sobre a atração de investidores estrangeiros no Brasil. Fundada em 2001, a Hypermarcas é campeã em medicamentos isentos de prescrição médica, com marcas como Benegrip, Engov e Rinosoro. É vice-líder em cosméticos para a pele e detém a terceira posição em medicamentos genéricos. A companhia também é líder em preservativos, com 50% do mercado, e adoçantes, que têm penetração no varejo farmacêutico. Em julho, a Coty fechou um acordo de US$ 12,5 bilhões para comprar a unidade de beleza da Procter&Gamble, com marcas como Clairol e Wella. A empresa tem buscado explorar melhor sua presença no mercado mundial de beleza. No ano passado, chegou a fazer uma oferta formal à Chanel pela marca Bourjois e, em 2012, fez uma tentativa fracassada de adquirir a Avon, com uma oferta superior a US$ 10 bilhões.

Empresas aéreas reforçam o caixa e podem vender participação

O mercado financeiro colocou em xeque a capacidade financeira das empresas aéreas de voltar a dar resultado. As quatro maiores empresas latinas - Latam, Gol, Avianca e Copa - perderam US$ 13 bilhões do seu valor de mercado desde janeiro de 2014, e hoje valem 68% menos. Se a crise avançar, fusões e aquisições podem ser a saída para a sobrevivência das empresas, dizem fontes de mercado. Por enquanto, elas estão reforçando o caixa. Em setembro, a Gol captou empréstimos de US$ 300 milhões e mais US$ 146 milhões com dois acionistas - a família Constantino e a companhia aérea americana Delta - em uma operação que elevou a fatia da Delta na Gol para 9,48%. A empresa tinha R$ 2 bilhões em caixa em junho, mas é a mais exposta ao mercado brasileiro e foi a que mais perdeu valor. A Gol já estuda fazer uma operação de venda e "rearrendamento" de aviões e pode captar até US$ 400 milhões. Se a crise se agravar, a empresa poderá vender participações maiores à Delta, mas, no curto prazo, a opção está descartada pelos controladores, justamente porque o valor da empresa está depreciado. A Delta é avaliada em US$ 40 bilhões. Já a Latam, dona da TAM e da LAN, tinha US$ 1,6 bilhão em caixa em junho, mas seu risco financeiro é considerado pelos analistas de mercado menor do que o da Gol. A razão é que a Latam tem mais condições de fazer caixa com vôos em mercados mais rentáveis, como Chile, Peru e Colômbia, e tem acesso a mercado de capital externo. A Azul e a Avianca não divulgam sua posição de caixa. O presidente da Azul, Antonoaldo Neves, disse que a empresa encerrou o segundo trimestre de 2015 "com o maior caixa de sua história", formado em parte pelos US$ 100 milhões captados com a venda de 5% da Azul à United Airlines este ano. Segundo ele, a empresa tem opções para levantar capital se necessário, como a venda do seu programa de milhagem, o Tudo Azul, a fundos de private equity. A Avianca Brasil viu fracassar uma proposta para que a Avianca colombiana investisse na empresa. As duas têm os mesmos controladores, os irmãos José e Germán Efromovich, mas a colombiana tem outros acionistas. José Efromovich disse que a Avianca Brasil "tem caixa para enfrentar a crise se ela não perdurar": "Mas o caixa não é eterno".

Defesa de José Dirceu abre mão de habeas corpus que não pediu



O criminalista Roberto Podval, que coordena o núcleo de defesa do bandido petista mensaleiro José Dirceu, o "guerreiro do povo brasileiro" conforme o PT e os petistas, pediu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) que homologue a desistência de um habeas corpus em favor do ex-ministro-chefe da Casa Civil (Governo Lula) que não é de sua autoria. Podval foi surpreendido, na semana passada, com pedido formulado por outro advogado, Joaquim José dos Santos, que não faz parte de sua equipe e nem tem procuração do ex-ministro, mas mesmo assim requereu a revogação do decreto de prisão imposto pelo juiz federal Sérgio Moro, da Operação Lava Jato. José Dirceu foi preso em 3 de agosto na Operação Pixuleco, desdobramento da Lava Jato, sob acusação de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.


O pedido do advogado estranho ao escritório de Podval foi rejeitado liminarmente pelo ministro Ribeiro Dantas, do STJ. Segundo o ministro, o processo não foi instruído com cópia da decisão de Sérgio Moro nem do decreto de prisão de José Dirceu, "o que impede a análise do pedido". Ribeiro Dantas assinalou que o habeas não foi impetrado pelos advogados de José Dirceu, mas por terceiro, "em clara ofensa ao princípio da voluntariedade recursal". O ministro observou, ainda, que embora o artigo 654 do Código de Processo Penal estabeleça que o habeas corpus possa ser impetrado por qualquer pessoa, no caso não se trata de "parte indefesa, mas sim de réu devidamente assistido". Ribeiro Dantas advertiu para o fato de que a impetração do habeas sem a prévia autorização de José Dirceu poderia, inclusive, "comprometer a estratégia traçada por seus defensores, de modo a turbar o trâmite dos feitos já em curso no Superior Tribunal de Justiça". Tão logo foi informado da decisão do ministro do STJ, o criminalista Roberto Podval entregou petição na Corte por meio da qual pede a homologação da desistência do habeas que não pediu, independentemente do julgamento de mérito. A petição é subscrita também pelo advogado Daniel Romeiro, do escritório de Podval. Recentemente, situação semelhante ocorreu no âmbito do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4) onde foi protocolado habeas corpus preventivo em favor do ex-presidente Lula – também neste caso, o advogado autor do habeas não faz parte da equipe de defesa do petista. “Lamentavelmente, tem sido comum, em casos de repercussão, a impetração de habeas corpus por causídicos mal ou bem intencionados, em favor de figuras públicas”, ponderam Roberto Podval e Daniel Romeiro. “Tanto é assim que alguns tribunais passaram a recomendar a apresentação de procuração do paciente, muito embora tal requisito não esteja normativamente estabelecido. Foi o que aconteceu no presente caso. José Dirceu não conferiu poderes tampouco autorizou o manejo de qualquer ação constitucional por qualquer defensor outro que não os subscritores e demais membros desta banca de advocacia". Podval informa o ministro Ribeiro Dantas, "por absoluta honestidade processual", que José Dirceu constituiu exclusivamente seu escritório para cuidar da defesa nos autos do processo em curso na 13.ª Vara Federal Criminal de Curitiba, sob tutela do juiz Sérgio Moro. O criminalista afirma que detém poderes específicos para pleitear a soltura de José Dirceu "por meio das ações constitucionais e recursos que, a seu critério técnico, estão sendo manejados oportunamente". 

Empreendimentos turísticos alavancam economia no Vale do Juruá, no Acre


Dados levantados pela Secretaria de Estado de Turismo e Lazer (Setul) do Acre apontam o crescimento da economia associado ao aumento de empreendimentos turísticos no Vale do Juruá. Segundo a Setul, entre 2013 e 2014 houve um crescimento geral do setor no que diz respeito ao fluxo de visitantes no estado, com um percentual de 33,5%. No Vale do Juruá, os meios de hospedagem cresceram 8%, em um total de 27 hotéis. O número de leitos saltou para 1.847, isto é,  um crescimento de 24,7%. A renda gerada com hospedagens de maio a setembro de 2015 superou os R$ 500 mil. O governo do Acre articula uma série de projetos de fomento ao turismo na região em função desse crescimento.  


Os números de empreendimentos turísticos também são animadores, chegando a 56 na região, onde são 31 apenas em Cruzeiro do Sul. Em 2014, só na ExpoJuruá foram movimentados mais de R$ 23 milhões naquela cidade. O mercado profissional também está sendo aquecido constantemente. Investimentos em formação técnica têm sido a aposta do Estado, que qualificou recentemente uma nova turma de guias de turismo em Cruzeiro do Sul, por intermédio do Instituto Dom Moacyr (IDM). De acordo com a gestora da Setul, Rachel Moreira, o governo tem um olhar especial para aquela região, sempre com o intuito de fortalecer as atividades do setor. "Dentro das principais ações que constam no Plano e Lei de Turismo para o Vale do Juruá, estão capacitações em ecoturismo, empresariado, turismo de aventura e de base comunitária, fortalecimento da gastronomia e requalificação do Igarapé Preto, entre outras", informou. 


Já estão a caminho projetos de qualificação turística e ambiental no Rio Croa e no Igarapé Preto, além da entrega de três aldeias com infraestrutura adequada para receber turistas e da elaboração do inventário gastronômico de Cruzeiro do Sul.

Planos de previdência privada batem recorde

A mudança de regras na Previdência Social fez o tema aposentadoria ressurgir com força nos investimentos. Preocupados com o futuro incerto dos benefícios do INSS, mais brasileiros passaram a aplicar em planos de previdência privada. A captação de janeiro a setembro bateu recorde, foram R$ 26,1 bilhões, crescimento de 45,8% ante o mesmo período do ano passado (R$ 17,9 bilhões). Enquanto a indústria de fundos amarga uma saída líquida (aplicações menos resgates) de R$ 30,2 bilhões no acumulado em 12 meses, a previdência privada tem captação de R$ 39,4 bilhões. Nem mesmo a renda fixa, queridinha dos investidores em momentos de juro alto, tem tido um bom desempenho. Em 12 meses, até 27 de outubro, os saques superaram as aplicações em R$ 25,4 bilhões, segundo a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). Parte da explicação para o protagonismo da previdência está na crise fiscal e econômica. Para diminuir o rombo nas contas públicas, o governo alterou a regra da aposentadoria, que agora irá se basear na fórmula conhecida como regra 85/95. A solução é apenas paliativa e espera-se que o governo proponha a idade mínima em 60 e 65 anos, respectivamente, para mulheres e homens. "Em momentos de crise, onde se comenta muito as dificuldades do Estado de manter os benefícios da previdência, aumenta a consciência do público de que pra ter uma aposentadoria digna, já que ele tem perspectiva de viver mais anos, será preciso ter mais condição financeira", diz o vice-presidente da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (FenaPrevi), Lúcio Flávio de Oliveira. Momentos como o que o Brasil passa ajudam o investidor a perceber que ele é o responsável por fazer uma poupança previdenciária, segundo Oliveira. A crise econômica também influenciou a tomada de decisão. "A inflação em alta corrói o poder de compra dos consumidores, o que deixa as pessoas preocupadas com o futuro. Elas entendem que é necessário ter uma aposentadoria complementar", afirma a diretora da Anbima, Luciane Ribeiro. A própria natureza da previdência, um produto essencialmente voltado para o longo prazo, explica o motivo para o baixo número de saques. "O projeto que está vinculado à previdência é de longo prazo. Isso torna o produto menos suscetível a variações do mercado", diz o superintendente comercial da Brasilprev, Guilherme Rossi. A diretora de previdência e vida resgatável da Mapfre, Maristela Gorayb, afirma que o "timing" da previdência é diferente. "Se o investidor precisa sacar, opta por tirar de outros produtos primeiro, como os fundos de renda fixa voltados para curto e médio prazos", diz. No curto prazo, inclusive, especialistas não consideram os planos de previdência a melhor opção. "Se você tem um objetivo de investir por menos de dez anos tem que fazer muita conta para ver se vale a pena", diz Maristela. Benefícios como a alíquota regressiva de Imposto de Renda, que chega a 10% depois de dez anos de aplicação, só são colhidos no longo prazo. Em relação à carteira de investimento, o brasileiro é conservador na previdência. "O investidor buscou menos risco, aplicou na previdência com renda fixa, reflexo do cenário de incerteza", diz a diretora da Mapfre. Historicamente, este tipo de plano lidera o mercado. Com R$ 450 bilhões de patrimônio, a renda fixa representa 96,5% da previdência. O juro alto tem garantido um bom retorno. A previdência renda fixa acumula rentabilidade de 12,43% em 12 meses, até 27 de outubro, desempenho maior do que a inflação de outubro medida pelo IPCA-15 (9,77%). Na Brasilprev, um dos destaques foram os planos voltados a menores de idade. Rossi afirma que tais planos têm participação significativa na captação por causa da periodicidade. Pais ou outros responsáveis investem todos os meses. Desde o ano passado, cresceu 8% o valor do tíquete médio investido nos planos para menores. Em julho de 2014, era de R$ 131 contra R$ 141 do balanço de julho de 2015, o último divulgado pela Brasilprev. "No acumulado dos últimos cinco anos, a alta foi de 40,3%", afirma a gerente da área de Inteligência e Gestão de Clientes da Brasilprev, Soraia Fidalgo. 

Petrobras deve demitir 1,5 mil na Bahia



Os trabalhadores da Petrobras, em greve desde a semana passada, tem um ponto na pauta de negociação sem relação com melhorias nos salários. A turma quer que a estatal reveja o plano de negócios apresentado no meio deste ano, que prevê uma série de desmobilizações e vendas de ativos financeiros. O problema para eles é que esses processos têm como efeitos colaterais as demissões de trabalhadores terceirizados, que representam parte significativa da força de trabalho que atua na empresa. Na Bahia, desde o início do ano, foram demitidos mais de 1,2 mil pessoas por conta da suspensão de contratos de exploração e na redução do pessoal administrativo, de acordo com o diretor da petista Federação Única dos Petroleiros (FUB) na Bahia, Leonardo Urpia. Até o final do ano, a estimativa é de mais 300 demissões, o que deve elevar o número de baixas a 1,5 mil. "Só nesta semana, soubemos de mais 10 desligamentos, e a perspectiva é de novas baixas", afirma. Por isso, os representantes dos trabalhadores consideram fundamental discutir o plano de negócios. Outra fonte de preocupação para os trabalhadores da empresa é o Centro Financeiro da Petrobras (Cofip), instalado no Stiep, que concentra as áreas financeira, tributária e contábil e emprega mais de 400 pessoas, entre terceirizados e funcionários de carreira. Os trabalhadores dizem que a estatal retomou os planos de transferir a operação da Bahia para o Rio de Janeiro. Nos últimos 30 dias, segundo a FUP, foram demitidos 60 trabalhadores da área na Bahia. "Existe um processo claro de desmobilização. A empresa tentou fazer isso em 2013 e não conseguiu por conta da pressão que foi feita pela sociedade", lembra Leonardo Urpia. O Cofip funciona na Bahia desde 2008 e, na época da implantação, foi comemorado como uma conquista do estado. A Petrobras informou através da assessoria de imprensa que não pretende se pronunciar a respeito do assunto.  Além do desgaste causado pela operação Lava Jato, a estatal enfrenta dois desafios de natureza econômica. O primeiro é comum a todo o setor de petróleo no mundo: o preço do barril. Muitos projetos futuros da companhia, dentre eles o pré-sal, só se viabilizam com o petróleo mais caro. "Tem muita coisa que foi planejada com o petróleo entre US$ 90 e US$ 110", diz Leonardo Urpia. A cotação do produto na última sexta-feira era de US$ 48,00. Além disso, a estatal sofre com o dólar valorizado. “A empresa tem 75% de sua dívida em dólar, como é comum na indústria do petróleo. O que não é comum é a cotação da moeda passar tão rapidamente dos R$ 3,00 para os R$ 4,00”, lamenta. Em meio ao cenário, o clima entre os trabalhadores, principalmente os terceirizados, é de suspense em relação ao futuro. Tem gente com mais de dez anos na empresa que já perdeu o emprego. Outros, também com tempo na casa, que estão vendo a porta da rua se abrindo cada vez mais. A Petrobras é uma estatal super-inchada e tem que fazer um forte arrocho do emprego em seus quadros. A estatal é a empresa mais endividada do mundo, com 500 bilhões de reais em dívidas (quase tudo em dólar). 

Fundo soberano da Noruega, o maior do mundo, perde 29 mil milhões com escândalo da Volkswagen



O fundo soberano da Noruega sofreu, no terceiro trimestre, a maior quebra em quatro anos, penalizado pela crise nas bolsas chinesas e pelo escândalo da Volkswagen (VW). Os resultados são divulgados numa altura em que o governo norueguês se prepara para levantar dinheiro do fundo, pela primeira vez desde que este foi criado, para tapar défices orçamentarios. O fundo, que tem mais de 778 bilhões de euros sob gestão, perdeu 29,4 bilhões (uma quebra de 4,9%) no terceiro trimestre. As ações que o fundo detém desvalorizaram 8,6%, enquanto os títulos obrigacionistas valorizaram 0,9%. Já com os bens imobiliários, o fundo obteve um retorno de 3%. Foi a primeira vez em seis anos que o fundo soberano registou perdas. O fundo soberano da Noruega foi criado em 1998 e é o maior do mundo, com 778 mil milhões de euros sob gestão. O fundo gere as receitas provenientes do petróleo e detém investimentos em mais de oito mil empresas, incluindo nas cotadas portuguesas. “Temos de esperar flutuações nos resultados quando há grandes movimentações no mercado”, salienta o presidente executivo do fundo, Yngve Slyngstad, citado pela Bloomberg. “Isto poderá ter um impacto considerável no curto prazo. Ainda assim, o fundo tem um horizonte de longo prazo e está numa boa posição para enfrentar a volatilidade de curto prazo”, acrescenta. O responsável refere-se aos receios em torno do abrandamento da economia chinesa e às expectativas de que a Reserva Federal norte-americana venha a subir a taxa de juro diretora ainda este ano, dois fatores que abalaram os mercados internacionais. Só na China, as ações do fundo norueguês derraparam 21,3%, enquanto os investimentos nos mercados acionistas dos países emergentes desvalorizaram 16,6%. Ao mesmo tempo, a Noruega, cuja economia é fortemente dependente do petróleo, tem sofrido o impacto da desvalorização dos preços da matéria prima. Para enfrentar essa crise, que já levou o desemprego a disparar para 4,6%, o governo vai levantar quase 400 milhões de euros do fundo soberano. 

Greve na Petrobrás já parou 23 plataformas da Bacia de Campos



Os trabalhadores em greve querem da Petrobras querem impedir a venda de ativos da petroleira e a perda de postos de trabalho RIO - Das 44 plataformas instaladas na Bacia de Campos para a produção de petróleo e gás natural, 23 tiveram o funcionamento completamente interrompido durante a greve liderada pela petista Federação Única dos Petroleiros (FUP). Outras oito plataformas operam parcialmente. Com isso, cerca de 500 mil barris de petróleo por dia (bpd) deixaram de ser produzidos desde o início do movimento, às 19h deste domingo, 1º de novembro, estima o Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF), ligado à federação. O volume representa 25% da produção total da Petrobrás. Em cinco plataformas da Bacia de Campos, a produção está sendo mantida por pessoal de contingência selecionado pela Petrobrás. O diretor do Sindipetro-NF, Leonardo Ferreira, acusa a empresa de escalar para o trabalho funcionários que ocupam cargos de coordenação, sem experiência na rotina operacional. Em nota oficial, a Petrobrás informou que toma medidas para garantir "a segurança dos trabalhadores e das instalações" e também para manter abastecido o mercado interno de combustíveis. Segundo a empresa, as consequências da greve ainda são avaliadas. "Em alguns locais, estão ocorrendo bloqueios de acessos, cortes de rendição de turno e ocupação", traz o comunicado da Petrobrás. A produção na Bacia de Campos poderá parar, caso a direção da Petrobrás se negue a negociar com os petroleiros, disse Ferreira, do Sindipetro-NF. Ao mesmo tempo, ele nega que seja essa a intenção dos grevistas. "O que queremos, de fato, é forçar a direção a sentar com os trabalhadores para conversar. Como o mercado será abastecido é um problema da Petrobrás, não nosso", afirmou. A Bacia de Campos responde por pouco mais de 70% da produção nacional de petróleo dos 2 milhões de bpd de petróleo extraídos no País. Para paralisar totalmente o Norte Fluminense, os grevistas ainda têm que intervir no funcionamento de sete plataformas, que hoje estão em pleno funcionamento.  A pauta de reivindicação da FUP não inclui ganhos trabalhistas, mas tem caráter político, segundo Ferreira. O alvo é o plano de desinvestimento da Petrobrás. Os sindicalistas querem evitar a venda de ativos da petroleira e a perda de postos de trabalho. No mês passado, a direção da Petrobrás anunciou que o conselho de administração aprovou a venda de 49% da Gaspetro, subsidiária de distribuição de gás natural, e que ainda procura um sócio para a BR Distribuidora. Essa tem sido a solução apresentada pela Petrobrás em resposta ao alto endividamento que compromete a sua capacidade de investimento.

Chesf propõe redução de vazão em Sobradinho e Xingó

Hidrelétrica de Xingó
Antes mesmo de qualquer previsão de chuva para os próximos meses, a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf) apresentou pedido para reduzir a vazão do rio São Francisco dos atuais 900 metros cúbicos por segundo (m³/s) para 800 m³/s nos reservatórios de Sobradinho (BA) e Xingó (AL). O pedido foi formalizado dois dias depois da reunião promovida pela Agência Nacional de Águas (ANA) para avaliar os efeitos da defluência reduzida no rio. O ofício que formaliza o pedido, assinado pelo superintendente de Operação da Chesf, João Henrique de Araújo Franklin, irá reduzir o nível do Velho Chico, em média, em 15 centímetros no trecho Sobradinho/Itaparica, e em 20 cm no trecho Xingó/Foz, conforme consta no próprio documento oficial, e deve começar a vigorar em 1º de dezembro. Na última reunião promovida pela ANA, ficou acertado que a defluência permanece em 900 m³/s até o final de novembro. O presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, Anivaldo Miranda, lembrou que o colegiado questionou tais pedidos da Chesf. “O Comitê considera recomendável adiar qualquer decisão sobre novas reduções, pelo menos até o final do período úmido, que começa a partir de novembro, na região das cabeceiras do São Francisco”, opinou. Desde abril de 2013, o setor elétrico tem feito pedidos recorrentes para reduzir a vazão do São Francisco, com o argumento de que se trata de medida emergencial. De lá para cá, a defluência praticada nos reservatórios de Sobradinho e Xingó caiu de 1.300 m³/s e foi reduzida paulatinamente até o volume atual de 900 m³/s. O pedido da Chesf ainda será analisado pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Chuvas escassas e irregulares reduzem potencial da soja no Mato Grosso e Goiás

Lavouras de soja em Mato Grosso e Goiás, Estados situados na principal região produtora do Brasil, estão sofrendo com chuvas irregulares e escassas que já reduziram o potencial produtivo da safra, afirmou na sexta-feira um analista sênior da consultoria AgRural. "Para essas lavouras, não vamos ter mais uma supersafra... Tem perda de potencial produtivo... Essas primeiras áreas não serão excepcionais", afirmou Fernando Muraro, que visitou recentemente importante área produtora de Mato Grosso, na região da BR-163, e o sudoeste de Goiás. Pelas estimativas oficiais da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgadas no início do mês, Mato Grosso deverá colher até 29,2 milhões de toneladas em 2015/16, uma alta de 4,3% ante a temporada passada. A Conab estimou ainda que Goiás poderia alcançar uma colheita de até 10,4 milhões de toneladas, avançando 20% ante a colheita passada, prejudicada por chuvas abaixo da média. Segundo Muraro, os problemas recaem, em geral, sobre as primeiras lavouras semeadas, de ciclo mais curto de aproximadamente cem dias, que tiveram problemas de germinação e no desenvolvimento inicial, deixando as plantações desuniformes. "Você imagina a situação, uma cultivar de cem dias passou 30 dias com sol intenso e chuvas escassas", afirmou Muraro, lembrando que muitos produtores utilizam a chamada soja precoce para viabilizar o plantio de algodão ou milho, posteriormente. "Safrinha plantada em março aumenta o risco. Áreas marginais de safrinha vão deixar de existir", comentou. Produtores de soja de Mato Grosso duplicaram a área plantada na última semana mas o ritmo geral ainda é o mais lento desde 2010, devido à falta de chuvas. A Somar Meteorologia prevê chuvas diárias de cerca de 5 a 30 milímetros nos próximos dias em Goiás e Mato Grosso, até o início da próxima semana, o que pode trazer algum alívio para as plantações. "Se não chover de forma intensa e generalizada, o replantio será geral", acrescentou Muraro, destacando que eventual replantio deverá aumentar os custos em momento em que produtor estão tentando economizar com insumos. Em sua última projeção, a AgRural estimou a safra brasileira de soja em 99,4 milhões de toneladas, mas o número poderá sofrer redução na próxima divulgação, incluindo os efeitos climáticos para as lavouras do Centro-Oeste.

Sojicultores chegam a 3,5 milhões de hectares plantados no Mato Grosso


O plantio da safra de soja em Mato Grosso chegou na semana passada a 3,5 milhões de hectares, o equivalente a 38% dos 9,2 milhões de hectares previstos para o Estado no ciclo 2015/2016. De acordo com relatório do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), só nos últimos oito dias houve um avanço de 18,46% no trabalho de campo, bem mais acelerado que na semana anterior. A região do Estado com maior porcentual de área semeada é a Oeste, com 50,74% do total. Depois aparece o Médio Norte, que concentra a maior área de produção de soja em Mato Grosso, com 46,29%. O trabalho de campo com menos avanço foi registrado no Nordeste mato-grossense, onde as plantadeiras passaram por 15,41% da área prevista para o ciclo 2015/2016. O aumento no ritmo de plantio foi registrado pelo Imea em meio a preocupações manifestadas pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT). Em nota a entidade destacou que a meteorologia ainda prevê chuvas irregulares para as regiões produtoras do Estado. “Os insumos estão na fazenda, há a preocupação com as janelas de plantio da segunda safra, como milho e algodão. O plantio ideal de soja é até final de outubro, para colher até final de fevereiro e iniciar a segunda safra”, explicou, no comunicado, o diretor técnico da Aprosoja-MT, Nery Ribas. Apesar do trabalho mais acelerado e o iminente final da janela, em comparação com a safra 2014/2015, o plantio está atrasado em 2,51%. Na mesma época no ano passado, os sojicultores mato-grossenses haviam semeado 40,54% do total.

Seca no Brasil é pior do que se pensava

Novos dados de satélite mostram que a seca no Brasil é pior do que se pensava, com o Sudeste perdendo 56 trilhões de litros de água em cada um dos últimos três anos, disse um cientista da agência espacial dos Estados Unidos (Nasa) na sexta-feira. A pior seca do País nos últimos 35 anos também tem levado o Nordeste brasileiro, região maior, mas menos povoada, a perder 49 trilhões de litros de água a cada ano nos últimos três anos, comparando com os níveis normais, afirmou o hidrólogo da Nasa, Augusto Getirana. Os brasileiros estão bastante conscientes da seca, dado o racionamento de água, blecautes e reservatórios vazios em partes do País, mas esse é o primeiro estudo que documenta exatamente a quantidade de água que tem desaparecido dos lençóis de água e reservatórios, disse Getirana. “É muito maior do que eu imaginava”, disse Getirana: “Com as mudanças climáticas, isso vai acontecer com mais e mais frequência". O sistema da Cantareira, que fornece água para 8,8 milhões de moradores de São Paulo, tinha, por exemplo, menos de 11% da sua capacidade no ano passado, segundo autoridades locais. A pesquisa de Getirana, publicada no Journal of Hydrometeorology, tem como base 13 anos de informações dos satélites Recuperação da Gravidade e Experimento Climático (Grace, na sigla em inglês) da Nasa, que circulam a Terra detectando mudanças no campo de gravidade causadas pelos movimentos da água no planeta. O País não tem uma falta de água absoluta, afirmou o pesquisador. O problema é que as regiões muito povoadas, particularmente o Sudeste, dependem de aquíferos e reservatórios locais, que não estão sendo reabastecidos devido à seca. Teoricamente, a água pode ser transportada de outras partes do País para cidades afetadas, disse ele, mas os custos financeiros e logísticos seriam enormes. As novas informações de satélite devem representar um chamado de alerta para os políticos gerenciarem melhor a água e atuarem em relação às mudanças climáticas para lidar com a crise, declarou Getirana. Os dados não permitem que os pesquisadores façam previsões de quanto tempo a seca vai durar, disse ele, acrescentando que os níveis de água continuaram a cair nos últimos meses.

Rio Negro sobe, mas cenário de seca ainda não muda em Manaus


A cota do Rio Negro na sexta-feira (30) era de 15,99 m. A medição realizada no Porto de Manaus aponta que, após meses de vazante, o nível subiu 7 cm desde a quinta-feira (20). A mudança pode indicar a aproximação do período de enchente. Mesmo com subida do rio, o cenário de seca ainda não mudou na região. Casas flutuantes e embarcações ficaram encalhadas e o lixo ficou aparente em algumas áreas da capital durante a seca deste ano. A descida do rio sofreu influência do El Niño. De acordo com o engenheiro civil responsável pela medição do Rio Negro no Porto de Manaus, Valderino Pereira, ainda não é possível afirmar que a vazante chegou ao fim. "Este final de vazante é cheio de variações do rio. Fica difícil a gente saber algumas afirmações. O que eu posso dizer é que a vazante praticamente acabou. Já encheu 7cm em dois dias. Pode ser a enchente propriamente dita, ou pode ser repiquete", disse ele. De acordo com a medição realizada no Porto Privatizado de Manaus, o nível do negro desceu o total de 7,26 m entre o dia 1º de outubro e a quarta-feira (28). Durante a seca, o lixo que antes era levado por igarapés e pelo Rio Negro fica concentrado em alguns pontos da capital. Grande quantidade de resíduos se acumula no bairro São Raimundo e orla da Manaus Moderna.


De janeiro a março, ainda com o rio mais cheio, a Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp) informou que recolheu cerca de mais de 236 mil toneladas de resíduos sólidos em Manaus. Para fazer a retirada do lixo de forma mais rápida, a Semulsp disponibilizou duas balsas, botes, escavadeiras hidráulicas e equipe extra de trabalhadores na operação. O baixo volume de água do Rio Negro mudou paisagens em algumas áreas da cidade. Antes inundada pela quarta maior enchente da história, a faixa de areia da Manaus Moderna, área central da cidade, dá espaço para veículos e pedestres. Na Zona Sul, barcos estão encalhados em terra firme. No Lago do Aleixo, a terra que antes estava inundada rachou.


A redução de chuvas e o calor intenso causados pelo fenômeno El Niño contribuem para a rápida queda do nível do rio, segundo especialistas. De acordo com o superintendente do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), Marco Antônio de Oliveira, a vazante pode durar algumas semanas. "A atenção tem que ser dada para região do Alto Rio Negro, onde só vai finalizar no mês de janeiro ou fevereiro. A tendência é que o rio continue caindo na região de Barcelos até São Gabriel da Cachoeira. Agora, no Rio Amazonas e Solimões já é um final de vazante. O rio não deve descer mais que no ano de 2010, pelo menos por enquanto", disse ele. A cheia - subida do rio - ocorre geralmente entre maio e julho. Na capital, a vazante - período de descida das águas - do Rio Negro tem início no segundo semestre e pode terminar até no mês de fevereiro do ano seguinte, conforme registros do CRPM. 

Documentos mostram lobby do trotskista Marco Aurélio "Top Top" Garcia no BNDES

Telegramas trocados entre o Itamaraty e a embaixada do Brasil em Luanda (Angola), mostram a atuação de Marco Aurélio “Top Top” Garcia, assessor da Presidência da República, pressionando o BNDES a agilizar empréstimos a ditaduras africanas. Os documentos, obtidos pela coluna, mostram por que a ação do aspone Garcia reforçou no Ministério Público a convicção de que houve tráfico de influência. Os documentos constam de investigação criminal contra Lula, em tramitação na Justiça Federal (nº 1.16.000.000991/2015-8). Em um dos telegramas, Top Top Garcia tranquiliza o ministro angolano Georges Chikoti, dizendo que Dilma continuará com a política de Lula. O telegrama do assessor Marco Aurélio Garcia a Georges Chikoti, fazendo pose de chanceler, é datado de 4 de dezembro de 2012. Entre 2013 e 2014, o BNDES repassou R$ 3,2 bilhões para a Angola e outros R$ 3 bilhões para a Venezuela. (Claudio Humberto)

GOVERNO TEME SAQUES E ARRASTÕES AINDA ESTE ANO

Órgãos de inteligência já advertem o governo para os efeitos sociais da “rápida deterioração” da economia, com o aumento do desemprego fazendo aumentar os riscos de desordem, “com saques a lojas e supermercados”, conforme informe ao qual esta coluna teve acesso. O índice de desemprego em setembro continua inédito, mas analistas de inteligência e informações estimam que já superou a barreira dos 10%. Arapongas observam que o “arrastão”, crime típico de delinquentes juvenis, já tem sido praticado por adultos sem passagens na polícia. Para os órgãos de inteligência, os arrastões de adultos sem histórico criminoso são coisa de pessoas desesperadas, e não de criminosos. Com o agravamento da recessão, o mês de outubro poderá registrar um recorde no número de desempregados.