sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Pimenta nos olhos

O acrônimo Fernando Pimentel, que diz não ter dinheiro para pagar os servidores, colocou na rua um edital para contratação de agências de publicidade e propaganda no valor de R$ 100 milhões. Questão de prioridade.

Servicinho sujo

Tumultos em São Paulo e no Rio: alguém acreditava que os protestos do "Movimento Passe Livre" seriam pacíficos? Esse braço auxiliar do PT está aí para fazer justamente esse tipo de servicinho sujo. Eles só que não querem que a coisa saia fora do controle, como em 2013.

Morre, aos 92 anos, o estilista André Courrèges, que popularizou a minissaia

O estilista francês André Courrèges, símbolo da revolução indumentária dos anos 1960 que popularizou a minissaia, morreu aos 92 anos em sua residência próximo a Paris, anunciou nesta sexta-feira (8) sua "maison". Courrèges, que parou de trabalhar na década de 1990, morreu na quinta-feira (7) após uma batalha de 30 anos contra a mal de Parkinson, informou a Courrèges em comunicado. Entre vestidos curtos com linhas limpas, botas, toques de vinil e a onipresença do branco, o estilista captou o espírito da época e marcou seu tempo, soprando um vento de juventude e futurismo à moda. Uma de suas musas foi a cantora francesa Françoise Hardy, vedete dos anos 1960.

"Ao longo de sua vida, André Courrèges, com sua mulher, Coqueline, não parou de avançar e de inventar para estar sempre à frente. Um criador visionário que anteviu o que seria o século 21 e que acreditava no progresso. E isso é o que torna Courrèges tão moderno hoje", declararam Jacques Bungert e Frédéric Torloting, copresidentes do grupo Courrèges. Nascido em Pau (sudoeste da França) em 9 de março de 1923, filho de um mordomo apaixonado por arquitetura e pintura, começou a trabalhar no final da década de 1940 com o estilista Cristobal Balenciaga, com quem permaneceu por 11 anos. Lá conheceu sua futura mulher, com quem abriu em 1961 a sua própria casa de moda que logo se tornou um sucesso fenomenal. Seus desfiles eram impregnados de conceitos, com a instalação de uma enorme bolha transparente no Jardin des Plantes, em Paris, em 1980. Em 1985, investiu em um grande hotel de Tóquio para um evento de moda e música, durante o qual as maiores canções da música francesa foram interpretadas por 130 músicos. Aposentou-se em 1994, passando a se dedicar à pintura e à escultura, e deixando sua mulher à frente da casa, finalmente vendida em 2011 para a dupla Frédéric Torloting e Jacques Bungert.

A cantora Françoise Hardy foi a grande modelo-musa de Courrèges

México anuncia recaptura de "El Chapo", chefe do cartel de Sinaloa


Seis meses após uma fuga cinematográfica, o líder do poderoso cartel de Sinaloa, Joaquin "El Chapo" Guzmán, voltou a ser capturado, anunciou nesta sexta-feira (8) Enrique Peña Nieto, presidente mexicano, pela rede social Twitter. As autoridades ainda não forneceram informações sobre as circunstâncias ou o local da prisão. "Missão cumprida: nós o pegamos. Quero informar aos mexicanos que Joaquín Guzmán Loera foi detido", escreveu Peña Nieto. Em um segundo tuíte, o presidente parabenizou todo seu gabinete de segurança, pelo esforço nos últimos seis meses em recapturar Chapo. A recaptura ocorreu após tiroteio com fuzileiros navais em Los Mochis (Estado de Sinaloa). Cinco suspeitos teriam sido mortos e outros seis presos. Chapo foi capturado vivo e sem ferimentos. Em seu site, a Marinha mexicana publicou um comunicado sobre uma operação feita nessa cidade na madrugada desta sexta. Não está claro se trata-se da mesma ação que levou à prisão de Chapo. Foram apreendidos, segundo a Marinha, dois veículos blindados, oito fuzis, um revólver, um lançador de granadas e munições na casa onde estaria um dos líderes do Sinaloa, Orso Ivan Gastelum Cruz, que teria escapado. Também pelo Twitter, a DEA (agência antidrogas americana) parabenizou o México pela recaptura e saudou a coragem dos militares que participaram da operação.
Guzmán fugiu da prisão de segurança máxima Altiplano, na cidade de Almoloya de Juárez (90 quilômetros da capital), na noite de 11 de julho de 2015, saindo de sua cela por um túnel subterrâneo de 1,5 quilômetro de extensão. O episódio expôs o governo Peña Nieto, que havia promovido a prisão de Chapo, em 2014, como símbolo de sucesso na guerra do governo contra os cartéis. 

Nelson Marchezan Jr. já está em campanha pela prefeitura de Porto Alegre

Propaganda política do PSDB gaúcho que está sendo veiculadas nas emissoras de rádio é o lançamento da candidatura do deputado federal Nelson Marchezan para a prefeitura de Porto Alegre. Ele é o interventor e novo proprietário do PSDB no Rio Grande do Sul, nomeado por Aécio Neves.

Paris fechará a Avenue Champs-Elysées para carros uma vez por mês

Paris anunciou nesta semana que a icônica avenida Champs-Elysées será fechada para carros um domingo por mês, oferecendo espaço de lazer para pedestres e ciclistas. A prefeita da capital francesa, a socialista Anne Hidalgo, declarou na quarta-feira (6) que o programa deve ser implementado a partir de abril. Essa briga contra os carros é parte da plataforma mundial das internacionais comunistas.
 

O fechamento da Champs-Elysées se soma a outras medidas amigáveis em relação a pedestres e ao ambiente, como a pedestrianização de um trecho de via na margem direita do rio Sena, a ser realizada ainda em 2016. Cartão-postal de Paris, a avenida com museus e lojas de luxo ao longo de seus quase dois quilômetros de extensão foi fechada para carros e ocupada por milhares de pedestres em 27 de setembro como parte do evento europeu "Dia sem Carro". Na ocasião, a organização de monitoramento da qualidade do ar Aiparif registrou uma redução de cerca de 30% dos níveis de dióxido de nitrogênio na região da Avenue Champs-Elysées em comparação com outros domingos. Hidalgo também anunciou que, na edição de 2016 do "Dia sem Carro", a proibição de circulação de carros deve ser ampliada para toda a cidade. É possível que o fechamento da renomada avenida parisiense sofra resistência por parte de alguns moradores. Em uma enquete feita pelo site do jornal "Le Parisien" com 5.800 leitores, quase 47% se declararam contrários à medida. Um usuário identificado como "Coco20" disse que a medida transformaria a avenida em "mais um terreno para ladrões e terroristas". As forças de segurança francesas estão em alerta desde os atentados de 13 de novembro, quando 130 pessoas foram mortas por extremistas islâmicos em bares e em uma casa de shows em Paris. 

Arábia Saudita poderá abrir capital da maior produtora mundial de petróleo

A Arábia Saudita está considerando oferecer em bolsa ações da estatal petroleira Saudi Aramco, a maior produtora de petróleo do planeta, o que poderia resultar na criação da mais valiosa companhia de capital aberto do mercado. Mohammed bin Salman, de 30 anos, príncipe herdeiro assistente do reino, disse estar "entusiasmado" quanto a uma oferta pública inicial de ações da Saudi Aramco, e que uma decisão a respeito seria tomada "nos próximos meses". Os comentários dele, em entrevista à revista "Economist", surgiram em um momento no qual o maior exportador mundial de petróleo enfrenta dificuldades para conter um deficit orçamentário de quase US$ 98 bilhões, depois da espetacular queda de 70% que os preços do petróleo registraram nos últimos 18 meses. O governo saudita recentemente anunciou cortes de gastos, reformas nos subsídios e propôs privatizações a fim de controlar seu deficit cada vez mais alto.


A arrecadação anual do governo — estreitamente vinculada ao preço do petróleo — caiu em 34,5% no ano passado, de acordo com estimativas do Fundo Monetário Internacional (FMI). "Acredito que isso sirva ao interesse do mercado saudita e ao interesse da Aramco", disse o príncipe Mohammed. Ele afirmou que colocar ações do grupo no mercado criaria "mais transparência" e "combateria qualquer corrupção que possa existir em torno da Aramco". Se todo o capital da companhia saudita fosse colocado no mercado, ela teria avaliação da ordem dos trilhões de dólares. Em contraste, a Apple, fabricante do iPhone, hoje a mais valiosa companhia do planeta, tem avaliação de US$ 543 bilhões. O príncipe Mohammed se tornou o homem forte do governo saudita desde que seu pai, o rei Salman, assumiu o trono no ano passado. Além de servir como ministro da Defesa, ele comanda os esforços de reestruturação da economia saudita. Em maio, o rei separou a Saudi Aramco do Ministério do Petróleo e entregou o controle da empresa ao Príncipe Mohammed, em nova prova de sua crescente influência. Banqueiros e autoridades sauditas disseram que já houve discussões no passado sobre uma possível emissão de ações — no valor integral ou parcial da empresa. Mas os comentários do príncipe são o sinal mais claro até o momento de que a proposta conta com apoio nos mais altos escalões. A Arábia Saudita detém 16% das reservas confirmadas de petróleo do planeta, com 268 bilhões de barris. Elas equivalem a 11 vezes mais que as reservas detidas pela Exxon, cuja capitalização de mercado é de US$ 322 bilhões. "O objetivo é levar transparência à Saudi Aramco", disse um funcionário do governo, acrescentando que "mais dinheiro para expansão também ajudará, em um momento como este".

Joaquim Levy será diretor financeiro do Banco Mundial


O ex-ministro da Fazenda Joaquim Levy será nomeado diretor financeiro do Banco Mundial. O anúncio oficial deve ser feito na próxima segunda-feira (11), mas não há data definida para Levy assumir o posto. Trata-se do principal cargo financeiro da instituição, sediada em Washington. O Banco Mundial é um tradicional apoiador de programas petistas, como o Orçamento Participativo. Muitos petistas exercem influentes cargos de assessoria no Banco Mundial. A nomeação de Levy foi antecipada durante um debate aberto realizado na capital norte-americana nesta sexta-feira (8) pelo representante do Brasil no FMI (Fundo Monetário Internacional), Otaviano Canuto. Levy substituirá o francês Bertrand Badré, que exercia a função desde 2013. Entre as atribuições do cargo, conforme detalhadas no site do Banco Mundial, Levy será responsável pelas "estratégias de gerência financeira e de risco" do organismo, incluindo "o desenvolvimento de novos e inovadores produtos financeiros". A nomeação não viola a quarentena de seis meses que servidores públicos devem cumprir após deixar cargos de confiança, já que Levy não irá para o setor privado e continuará sendo funcionário do governo. Desde que deixou a chefia do ministério da Fazenda, em 18 de dezembro, circularam vários rumores sobre os próximos passos de Levy, mas esperava-se que ele passasse ao menos os primeiros meses em Washington, onde vivem a mulher e as duas filhas. Uma das opções era a de que Levy passasse o período de quarentena como pesquisador no Instituto de Economia Peterson antes de voltar ao mercado financeiro. Mas ela acabou sendo descartada em favor do novo cargo. Na hierarquia do Banco Mundial, Levy estará abaixo apenas do presidente da instituição, Jim Yong Kim. Isso tudo só demonstra a visceral ligação do sistema financeiro com o regime petralha. 

Receita Federal contabiliza queda de R$ 24,5 bilhões em multas em 2015

Em ano de significativa redução na arrecadação e deficit primário recorde, a Receita Federal contabilizou uma redução de R$ 24,5 bilhões nos lançamentos tributários em 2015, uma queda de 17% em relação a 2014. Os lançamentos tributários são créditos provenientes de autuações por impostos não pagos (segundo a Receita Federal) e multas. Esses lançamentos podem ser contestados pelos contribuintes antes de serem pagos e convertidos em arrecadação para o governo. Um levantamento interno da Receita Federal indica que os lançamentos totalizaram R$ 120 bilhões em 2015, R$ 37,9 bilhões a menos do que a estimativa publicada no Plano Anual da Fiscalização para o ano passado. Embora o impacto imediato nas receitas federais não seja equivalente aos R$ 24,5 bilhões a menos das autuações, o governo deixa de arrecadar alguns bilhões essenciais para o equilíbrio orçamentário. A perspectiva de receita do governo federal em 2016 é incerta. Há, por exemplo, uma previsão no Orçamento de arrecadação de R$21,1 bilhões com o projeto da repatriação de ativos não declarados no exterior. O governo espera também R$ 10,3 bilhões com a volta da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras), que não foi sequer aprovada no Congresso. Em 2014, houve 4,6% de lançamentos tributários pagos à vista pelos contribuintes autuados. Segundo o subsecretário de Fiscalização Iágaro Jung Martins, numa entrevista em 2015, em média 7% a 11% do valor autuado se converte em receitas efetivas para o governo em menos de 1 ano. Como os lançamentos tributários podem ser contestados pelos contribuintes por via administrativa ou judicial, os processos podem se estender por até 15 anos. O cálculo do impacto a longo prazo, portanto, é impreciso. Mesmo assim, 7% no 1º ano significaria, no mínimo, R$ 2,7 bilhões a mais para o Orçamento de 2016 se a estimativa do Plano Anual tivesse sido cumprida. Isso sem considerar as receitas efetivadas nos anos posteriores. Um fator determinante para a queda nos valores autuados foi a greve dos auditores fiscais da Receita Federal, os profissionais responsáveis por realizar as autuações. As paralisações começaram em abril e a greve foi instalada em 19.ago.2015. Toda a redução nas autuações ocorreu no 2º semestre do ano. Enquanto no 1º semestre, a arrecadação foi 40% superior ao mesmo período de 2014, nos últimos 6 meses do ano, a queda em relação a 2014 foi de R$ 47, 1 bilhões. "Os dados das autuações refletem diretamente a paralisação dos auditores. O resultado anual só não foi pior porque as metas do 1º trimestre de 2015 foram superadas", afirma Cláudio Damasceno, presidente do Sindifisco (Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil). Os prognósticos para 2016 não são positivos para a retomadas das autuações. Os auditores fiscais continuam em greve, com períodos de operação padrão, quando realizam o mínimo necessário. A reivindicação é de reajuste salarial de 55% para o piso e 35% para o teto de remuneração e reajuste de benefícios. A última proposta apresentada pelo Ministério do Planejamento foi rejeitada pela categoria em 28.dez.2015 e não há previsão de data para nova negociação.

Aeronautas e aeroviários aprovam estado de greve em todo o País


Os aeronautas e aeroviários de Guarulhos, Porto Alegre, Recife, Campinas e das bases do Sindicato Nacional dos Aeroviários, representados pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Aviação Civil da CUT (Fentac, tudo petistas), aprovaram em assembleias realizadas na noite desta quinta-feira (7) estado de greve nos aeroportos de todo o Brasil, com a finalidade de pressionar as empresas a avançar nas reivindicações dos trabalhadores. O estado de greve indica que os trabalhadores podem entrar em greve a qualquer momento. A medida tem a finalidade de pressionar as empresas a avançarem nas reivindicações das categorias. Nas assembleias, as categorias aprovaram contraproposta salarial a ser apresentada às empresas aéreas no próximo dia 14, com reivindicação de reajuste salarial de 12% (10,97% de reposição da inflação da data-base, 1º de dezembro, e 0,93% de aumento real), aumento de 15% nos pisos salariais e demais benefícios econômicos e 20% na cesta básica. Por unanimidade, os trabalhadores rejeitaram a proposta que fora apresentada pelas companhias aéreas na rodada anterior de negociações, em 17 de dezembro, que não contempla nem reposição da inflação, nem ganho real. Desde outubro, foram realizadas cinco rodadas de negociação. Para o presidente da Fentac, Sergio Dias, diante dos avanços comprovados no setor, os aeronautas e aeroviários devem ser reconhecidos. "Não aceitaremos perdas salariais e tampouco demissões", disse.

Senador Álvaro Dias oficializa saída do PSDB e deve se filiar ao PV


O senador Álvaro Dias (PR) oficializou a sua desfiliação do PSDB e deve migrar para o PV nos próximos dias. Ele assinou o termo de sua saída nesta quinta-feira (7). Dias é líder da oposição no Senado. O desconforto do senador com o partido começou quando ele se afastou do grupo do governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), por ter sido deixado de lado na disputa pela indicação à candidatura tucana ao governo do Estado em 2010. Apesar de terem integrado a mesma chapa em 2014, os dois não retomaram a convivência. Segundo a assessoria de imprensa de Alvaro Dias, ele estava afastado da atividade partidária há mais de cinco anos. O senador também ficou insatisfeito com algumas decisões da bancada no Senado, como a que deu apoio ao presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), em meados de 2015, quando o peemedebista anunciou oposição ao governo da presidente Dilma Rousseff e ainda não havia sido denunciado pela operação Lava Jato. No início de dezembro, o senador acionou o Tribunal de Contas da União para pedir a investigação sobre as assinaturas do vice-presidente Michel Temer a, ao menos, sete decretos não numerados que autorizaram a abertura de crédito ao Orçamento, totalizando R$ 10,8 bilhões. A legalidade de decretos como esses é um dos motivos do pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, aceito por Cunha. Na ocasião, o PSDB não endossou o pedido feito por Alvaro Dias. Apesar de ter dito a interlocutores que não tinha a intenção de se candidatar à Presidência pelo futuro partido, o PV pode abrir espaço para que o senador seja o escolhido para concorrer ao Planalto em 2018. Durante as negociações, Alvaro Dias chegou a ser sondado também pelo PSB. Com a mudança, o PSDB passa a ficar com 10 senadores e o PV passa a ter representação no Senado. Segundo a assessoria do senador, a escolha do PV levou em consideração três aspectos: continuar na oposição ao governo federal, fazer oposição ao governo do Paraná e não ser uma sigla com integrantes envolvidos na Operação Lava Jato. Álvaro Dias teve duas passagens pelo PSDB. A primeira entre 1994 e 2001 e a segunda, desde 2003. Antes de ingressar no PSDB, o senador foi filiado ao PMDB, entre 1968 e 1989. Neste período, ele foi eleito deputado estadual, federal, senador e governador do Paraná. Ele também teve passagens pelo PST, PP, e PDT. Em 2001, Alvaro Dias saiu do PSDB porque o partido abriu um processo de expulsão contra ele na Comissão de Ética da Casa por ter dado apoio à CPI da Corrupção no Senado.

Terroristas esfaqueiam dois europeus em cidade egípcia no mar Vermelho

Funcionários de segurança do Egito informaram que dois terroristas esfaquearam e feriram dois turistas estrangeiros – um dinamarquês e um alemão – em um hotel na cidade de Hurghada, no mar Vermelho. As autoridades dizem que os policiais abriram fogo contra os atacantes logo após eles realizarem os ataques, matando um deles e ferindo outro. Não há informações ainda sobre a gravidade dos ferimentos nos turistas. O ataque, na noite desta sexta-feira no Egito, aconteceu horas depois de o braço local do Estado Islâmico ter reivindicado a responsabilidade por um ataque no dia anterior em um hotel no Cairo, perto das pirâmides de Gizé. Ninguém ficou ferido no ataque da quinta-feira. O Egito vem lutando contra uma insurgência de terroristas islâmicos liderados pelo Estado Islâmico e por grupos a ele ligados, como a Irmandade Muçulmana.

Citado por empreiteiro, diretor nega influência do PT em fundo de pensão


Citado em uma das mensagens do empreiteiro Léo Pinheiro em que a Procuradoria-Geral da República vê indício de acerto de propina para o PT, o diretor do Funcef (fundo de pensão dos funcionários da Caixa), Carlos Augusto Borges, disse que mantinha contato com o ex-presidente da OAS em virtude do fundo ser sócio da construtora na Invepar, que explora concessões de infraestrutura em transportes no Brasil. "No momento da mensagem citada, havia a discussão de aumentar o capital da Invepar por meio de um IPO (abertura de capital), que mais tarde não foi concretizado por falta de uma janela de oportunidade no mercado", disse Borges. Além de deter concessões de rodovias, trens e metrô, a Invepar é responsável pelo aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. A empresa tem como acionistas a OAS (24,4%) e os fundos de pensão de servidores do Banco do Brasil (Previ, 25,6%), da Petrobras (25%) e o Funcef (25%). Nesta sexta-feira (8), o procurador-geral Rodrigo Janot viu os indícios de uma rede de pagamento de propinas a partidos políticos em operações de fundos de pensão. O diretor do Funcef foi citado em uma troca de mensagens de Léo Pinheiro com um outro sócio da OAS, Antônio Carlos Mata Pires. No dia 16 de maio de 2013, Pinheiro relatou, por meio do serviço de troca de mensagens Whatsapp, que havia sido procurado por Carlos Borges que estaria "preocupado". Pinheiro disse que no Funcef estaria "tudo bem", mas o problema seria na Caixa Econômica Federal. "Coincidentemente ou não, acabei de receber uma ligação de JV (João Vaccari), querendo um encontro comigo pessoalmente. Pode ser um impute de CB (Cargos Borges)", escreveu Léo Pinheiro na mesma mensagem. Na interpretação de Janot, Vaccari procurou Pinheiro "provavelmente para receber a parte da propina". O procurador lembrou que o tesoureiro afastado do PT, que foi preso na Lava Jato desde abril de 2015, já foi mencionado em outros esquemas envolvendo desvios em fundos de pensão. "Não conheço o contexto da citação da mensagem, mas não houve qualquer operação de compra de debênture (título de dívida) da OAS ou de qualquer empresa do grupo pelo Funcef. A relação era apenas por causa da sociedade da Invepar", disse Borges. Funcionário de carreira da Caixa desde 1980, Borges chegou foi vice-presidente do banco estatal durante o governo Lula. Ligado ao grupo dos bancários dentro do PT, cujo principal expoente no governo é o ministro Ricardo Berzoini (Secretaria-Geral de Governo), Carlos Borges conheceu Vaccari no meio sindical nos anos 1980. 

Acusado por Cerveró, o petista José Sérgio Gabrielli diz que está "protegido pelos orixás"


O ex-presidente da Petrobras, o petista macumbeiro José Sergio Gabrielli negou, nesta sexta-feira (8), que tenha participado de esquema de desvio de recursos da estatal em benefício das campanhas do hoje ministro Jaques Wagner (Casa Civil) ao governo da Bahia. Para provar seu distanciamento da administração pública e da política, Gabrielli disse estar, neste momento, no "glorioso Pelourinho", em Salvador. "Sou um cidadão aposentado da universidade. Tenho quatro anos fora da Petrobras. Estou no glorioso Pelourinho, vivendo as energias dos orixás baianos e não tenho como escapar das acusações", queixou-se. Ao responder se seria necessário apelar por maior proteção divina, Gabrielli disse: "Estou protegido pelos orixás. Certamente já estou protegido". Gabrielli disse, porém, que a ausência de provas contra ele não se deve aos orixás. Mas à sua inocência: "Não tem nada que chegue a mim. Não tem nada contra mim. Só tem disse-me-disse". Em sua delação, o ex-diretor da Petrobras, Nestor Ceveró, disse que "houve um grande aporte de recursos para o candidato Jaques Wagner, dirigido por Gabrielli". Wagner foi eleito ao governo da Bahia em 2006 e reeleito em 2010. Gabrielli havia decidido transferir para a Bahia o setor financeiro da estatal e, para isso, foi construído um prédio em Salvador, de acordo com o relato de Cerveró. "Foi construído o prédio para a área financeira da Petrobras, onde também houve propina para a eleição", diz Cerveró no depoimento feito à Procuradoria antes de fechar seu acordo de delação. O prédio foi erguido em contrato de locação firmado em 2010 entre a Petrobras e o Petros, o fundo de pensão dos funcionários da estatal. Gabrielli alega que a eleição de Wagner foi anterior à transferência. Ele afirma ainda que essa operação "nunca foi de responsabilidade do presidente da Petrobras". Segundo ele, a denúncia "é incoerente do ponto de vista da lógica". "É juntar informações disparatadas para tentar construir um discurso absolutamente fantasioso", reagiu.

Itaipu volta a liderar produção mundial de energia


A usina Itaipu Binacional ultrapassou a hidrelétrica Três Gargantas, na China, em geração de energia e voltou a assumir a liderança mundial em produção no ano passado. A primeira posição havia sido perdida para a chinesa em 2014, devido à seca registrada no Brasil. A hidrelétrica que pertence ao Brasil e ao Paraguai gerou 89,2 milhões de MWh em 2015, um crescimento de 1,6% em relação a 2014. Já a chinesa produziu 87 milhões de MWh no ano passado. Segundo a binacional, a produção no ano passado ficou abaixo da média histórica dos últimos anos, mas pode ser considerada "excelente" considerando as condições do clima, principalmente no primeiro semestre. Para 2016, a expectativa é que Itaipu volte a produzir acima de 90 milhões de MWh, o que não ocorre há dois anos. "A nossa busca incessante é chegar a 100 milhões de MWh", disse Jorge Samek, presidente da Itaipu Binacional. A produção de tal volume representaria o uso de praticamente a totalidade da capacidade instalada. Itaipu tem capacidade instalada de 14 mil MW, menor do que a de Três Gargantas, que tem 22,4 mil MW instalados. Segundo Samek, a binacional consegue gerar mais energia do que a concorrente chinesa por causa da oferta abrangente de água e da capacidade de armazenamento dos reservatórios. "Todos os principais rios do Sudeste e do Centro-Oeste obrigatoriamente passam por Itaipu", diz. Já Três Gargantas, assim como a usina Belo Monte (PA), é fio d'água, ou seja, não possui reservatório de armazenamento. A energia produzida por Itaipu em 2015 seria suficiente para suprir o consumo de todo o Nordeste do Brasil por um ano e um mês; a região Sudeste, por quatro meses; e o Sul por um ano, segundo a empresa. Também seria capaz de atender toda a demanda da cidade de São Paulo por três anos; Curitiba por 18 anos; e Foz do Iguaçu por 155 anos e oito meses. Atualmente, Itaipu responde por 15% de toda a energia elétrica consumida no Brasil e atende mais de 75% do mercado paraguaio de eletricidade. Itaipu é uma obra do regime militar brasileiro.

Platini abandona candidatura à presidência da Fifa


Suspenso de atividades ligadas ao futebol por oito anos, o francês Michel Platini afirmou nesta quinta-feira (7) que desistiu oficialmente da sua candidatura à presidência da Fifa. "Eu estou me retirando da corrida pela presidência da Fifa. O tempo não me favorece, eu não tenho os meios para competir em igualdade com os outros candidatos. Eu não estou tendo a chance de jogar o jogo. Tchau, tchau, Fifa, tchau tchau presidência da Fifa", declarou à Associated Press. Apesar de ter abdicado da eleição, marcada para o dia 26 de fevereiro, ele disse que continuará tentando reverter a punição imposta pelo Comitê de Ética da entidade. "Eu gasto mais tempo em salas de audiência do que em campos de futebol falando sobre 4-3-3, 4-4-2 ou notícias de futebol", disse. "Eu estou levando isso filosoficamente, vamos esperar e ver o que acontece, mas a injustiça me revolta e eu estou tentando combatê-la", completou. Platini afirmou também que teria o apoio de 150 federações na eleição, que o consideravam "a pessoa certa para resolver os problemas da Fifa". Ele ainda deixou em aberto a possibilidade de voltar à entidade após o período de punição, caso não consiga revertê-la. O francês não explicitou apoio ao secretário-geral da Uefa, Gianni Infantino, candidato da federação europeia ao pleito, e disse que não será fácil para o suíço vencer a disputa. Em 21 de dezembro de 2015, o ex-presidente da Fifa Joseph Blatter e o ex-presidente da Uefa Michel Platini foram suspensos pelo Comitê de Ética por oito anos. O comitê considerou os dois dirigentes, que já estavam suspensos por 90 dias desde outubro, culpados de "conflito de interesses" e de "gestão desleal". A investigação teve início após decisão do procurador-geral suíço de iniciar procedimentos criminais contra Blatter pelo pagamento de 1,8 milhão de euros (R$ 8,3 milhões) em 2011 a Platini. Os dois dirigentes afirmam que o pagamento do valor ocorreu como remuneração de um trabalho de Platini prestado à Fifa em 1998. Não há, porém, contrato escrito entre a entidade e o dirigente francês. A Procuradoria também está investigando a indicação das Copas de 2018 e 2022 para a Rússia e Qatar, respectivamente. Platini deve pagar ainda uma multa de 74 mil euros (R$ 320 mil), maior que a multa atribuída a Blatter, fixada em 46.295 euros (R$ 200 mil).

Siderúrgicas e Vale perdem R$ 80 bilhões em valor de mercado em um ano


A combinação de demanda fraca no mercado interno e excesso de oferta no mercado global vem afetando há meses as ações das siderúrgicas brasileiras e da Vale. O valor de mercado da mineradora e de CSN, Gerdau e Usiminas, que são listadas na BM&FBovespa, encolheu 80 bilhões de reais nos últimos doze meses, de acordo com a Economática. A Vale que era avaliada em 111,3 bilhões de reais no dia 7 de janeiro do ano passado, perdeu 53,7% do seu valor, encerrando hoje a 51,7 bilhões de reais. A CSN, do empresário Benjamin Steinbruch, que valia 7,8 bilhões de reais, caiu 42,6%, para 4,5 bilhões de reais. Já a Usiminas teve tombo ainda maior: caiu 74,5% - de 9,2 bilhões para 2,34 bilhões hoje de reais. A Gerdau S/A recuou 65%, de 16,7 bilhões para 5,84 bilhões de reais. Com a crise econômica, as siderúrgicas estão fazendo ajustes de produção no país. A CSN deve desligar nas próximas semanas um dos seus dois altos-fornos de Volta Redonda (RJ), o que deve gerar a demissão de cerca de 3.000 trabalhadores, de acordo com o sindicato local - a CSN não comenta a informação. Já a Usiminas, que já tinha desligado um alto-forno no ano passado, deverá desligar outro na unidade de Cubatão (antiga Cosipa) até o fim deste mês. No início de dezembro, a Gerdau desativou a área de laminação de aço em Simões Filho (BA) e transferiu a produção para outras unidades. A expectativa, no curto prazo, é de que os papéis dessas empresas continuem pressionados, já que não há perspectiva de recuperação dos preços internacionais do minério de ferro e a demanda por aço no Brasil deve seguir fraca. "Aguardamos medidas do governo, que incluem a taxação de aço importado e estímulos para exportação, uma vez que os resíduos tributários tiram a competitividade da indústria, apesar do dólar", disse Marco Polo de Mello Lopes, presidente do Instituto Aço Brasil (IABr).

Guarulhos está no top 3 dos grandes aeroportos mais pontuais do mundo


O aeroporto internacional de Guarulhos, em São Paulo, foi considerado o terceiro mais pontual do mundo entre os terminais de grande porte pela consultoria britânica OAG, que monitora viagens aéreas. O ranking de pontualidade de 2015, divulgado nesta quinta-feira (7), foi liderado pelo aeroporto de Haneda, em Tóquio (Japão), com média de 91,25% da chamada OTP ("on-time performance", ou desempenho pontual). Em seguida, vieram os terminais de Munique (Alemanha), com 87,71%, e de Guarulhos, com 87,47%. Também tiveram destaque duas companhias aéreas brasileiras: Azul e Gol ficaram no top 3 de pontualidade entre as empresas consideradas de baixo custo ("low cost") pela OAG. A Azul liderou o ranking, com média de OTP de 91,03%, seguida pela norueguesa Norwegian Air Shuttle (86,67%) e pela Gol (86,45%). Entre as grandes companhias, a airBaltic, da Letônia, foi a mais pontual: 94,39% de OTP. Em segundo e terceiro lugares, respectivamente, vieram Copa Airlines (91,69%), que opera no Brasil, e Japan Airlines (90,,44%). A brasileira TAM ficou em 7º lugar nessa lista. A lista da OAG não é a única a medir a pontualidade de voos no mundo. A FlightStats, organização que faz serviço semelhante, também divulgou, na quarta-feira (6), seu ranking de 2015. A japonesa Japan Airlines (JAL) liderou o ranking entre as maiores companhias, com 89,44% dos voos "on-time", seguida por Iberia e ANA – a brasileira TAM repetiu o 7º lugar. Nos dados segmentados para a América Latina, a Copa foi a mais bem avaliada, à frente de TAM e Avianca. Entre os grandes aeroportos, Haneda (Tóquio, Japão), Doha (Qatar) e Istambul (Turquia) foram os destaques, nos dados da FlightStats.

Jihadista do Estado Islâmico mata a própria mãe em público



Um jihadista sírio de 20 anos matou em público a própria mãe após ela tentar convencê-lo a abandonar o grupo terrorista Estado Islâmico (EI). A informação foi divulgada nesta sexta-feira pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). Lina, de 40 anos, viajou os 50 quilômetros que separam Tabaqa, onde residia, de Raqqa, reduto do Estado Islâmico na Síria, para pedir que Ali Saqr retornasse para casa. Ela temia pela morte do jovem em um dos bombardeios à cidade realizados pela coalização internacional liderada pelos Estados Unidos. Ali Saqr lutou ao lado do Exército Sírio Livre e também da Frente Al-Nosra, braço sírio da Al-Qaeda, antes de unir-se ao EI. Segundo o OSDH, ele relatou o pedido da mãe aos superiores, que determinaram a detenção da mulher por abandono da fé. Após a prisão, o jovem foi incumbido de matar Lina com um tiro na cabeça em uma praça, diante de quase 100 pessoas. O Observatório contabilizou cerca de 50 "crimes" que a monstruosa doutrina do EI pune com a morte, entre eles adultério, homossexualidade, zoofilia e "exposição dos órgãos genitais". O EI comete com frequência todo tipo de atrocidades, que vão da destruição de monumentos considerados patrimônio mundial da humanidade até as execuções por decapitação ou a escravidão e agressões sexuais.

Justiça suspende licitação vencida por filho do presidente do TCU


A Justiça do Rio de Janeiro suspendeu nesta quinta-feira (7) a licitação para operação do teleférico do Complexo do Alemão (zona norte). A disputa havia sido vencida por empresa do advogado Tiago Cedraz, filho do presidente do Tribunal de Contas da União, Aroldo Cedraz. Na decisão que concede a liminar, a juíza Karla Velloso afirma que o motivo para desclassificação da concorrente derrotada não consta de forma clara no edital de licitação. O consórcio Rio Teleféricos, formado por duas empresas de Tiago Cedraz — Providência Teleféricos e Hanover Administração de Bens —, havia oferecido o preço de R$ 2,7 milhões por mês para administrar o serviço por três anos. A MPE Engenharia ofereceu um valor menor (cerca de R$ 2,6 milhões mensais), o que representaria uma diferença de R$ 2 milhões ao fim do contrato. Contudo, ela foi desclassificada porque os itens de sua planilha de custos para execução do serviço incluíram o seu ganho direto — o chamado fator K. A juíza considerou que o edital não é claro sobre a forma como a planilha deveria ser apresentada, motivou pelo qual considerou irregular a desclassificação da MPE. "Considerando que o certame já foi homologado e que o contrato para a execução dos serviços pode ser assinado a qualquer momento, faz-se necessário o deferimento da liminar pretendida, a fim de evitar o risco de dano irreparável tanto para a impetrante, quanto para o próprio poder público, uma vez que, no quesito menor preço, a proposta da impetrante é mais vantajosa para a administração pública, conforme reconhecido na decisão que a desclassificou", diz a decisão. Em nota, a Secretaria Estadual de Transporte afirmou que ainda não foi notificada da decisão judicial e que o recurso administrativo da MPE contra o resultado da licitação está sob análise. O Consórcio Rio Teleféricos não se pronunciou até a publicação desta nota. O advogado havia dominado a operação de teleféricos na cidade com uma empresa criada em abril. Antes de vencer a disputa pelo sistema do Alemão, uma empresa de Tiago Cedraz já operava desde junho os teleféricos da favela da Providência. A construção dos dois teleféricos contou com verba federal, do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento). O TCU é o responsável por monitorar a aplicação dos recursos da União em convênios com Estados e municípios. O advogado passou a ser alvo de um inquérito da Polícia Federal após ter seu nome citado pelo empreiteiro Ricardo Pessoa, da UTC, em acordo de delação premiada. Ele disse ter pago R$ 50 mil mensais ao advogado para receber informações do TCU. 

Polícia israelense mata terrorista árabe que atacou bar em Tel Aviv, matando três pessoas


Forças de segurança de Israel mataram o terrorista que atirou contra clientes de um bar de Tel Avivna última sexta-feira, deixando três vítimas. Segundo a polícia, Nashat Melhem, um árabe israelense de 29 anos, foi seguido quando ia para uma mesquita na sua cidade natal, Arara, no norte do país, e morto após trocar de tiros com os agentes. Em 1º de janeiro, Melhem abriu fogo com um fuzil automático contra pessoas que estavam em um estabelecimento da movimentada rua Digenzoff, no centro de Tel Aviv. O gerente do bar, Alon Bakal, de 26 anos, e Shimon Ruimi, de 30 anos, morreram no local. O atirador fugiu depois dos disparos em um táxi. Mais tarde, o motorista do veículo, o israelense Amin Shaban, foi encontrado morto. Melhem foi reconhecido em imagens de câmeras de segurança pelo próprio pai, Mohammed, que o denunciou às autoridades. Ele e outros parentes do atirador foram detidos por suspeita de ligação com o caso. O ataque aconteceu em meio a uma onda de agressões de terroristas islâmicos contra israelenses. Em três meses, esses ataques contra civis e soldados israelenses deixaram mais de 20 mortos, a maioria a facadas ou atropeladas.

Atriz Irene Ravache diz que se sente traída pelo PT

A atriz Irene Ravache disse, quanto à política do País, que se sentiu completamente traída como cidadã pelo PT. "Quando surgiu o PT eu achei que o 'gigante' finalmente ia acordar. Um partido novo, que era um sucesso na oposição, um partido que diz o que eu tenho vontade de dizer", relembra Ravache. "Fiquei feliz quando Lula ganhou, porque achei: agora nós vamos. Eu achava que nós estávamos muito bem na foto. Como meus namorados foram sempre muito elegantes, eu nunca fiquei sabendo se me traíram ou não. Então, eu nunca tinha passado por uma traição até o PT. Fiquei no chão!", afirma a atriz. "Daí foi uma traição com direito a tango, a 'eu não mereço isso', sabe o que eu queria? Uma explicação! A mulher com uma boa explicação até aceita de volta", comenta Irene.


Sobre a crítica teatral, Irene declara que quem diz que não lê ou não se importa com a crítica é mentira. Mas eu sempre espero que o crítico me veja e além disso, goste muito de teatro. "Por vezes os críticos de teatro são críticos de gastronomia também, por vezes nem curtem teatro! E acho que os críticos ficam muito à mercê de seus editores". 

José Eduardo Cardozo manda que Policia Federal investigue vazamento de diálogos de empreiteiro


O ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) determinou à Polícia Federal, nesta quinta-feira (7), que investigue o vazamento do relatório contendo as mensagens do telefone do empreiteiro Léo Pinheiro, sócio e ex-presidente da OAS. O material, sigiloso, contém 600 páginas e foi enviado pela Polícia Federal à Procuradoria-Geral da República. Parte do documento foi publicado nesta quinta-feira pelo jornal "O Estado de S. Paulo" e mostra contatos entre Pinheiro e o ministro da Casa Civil, Jaques Wagner. Os diálogos indicam que o ministro, então governador da Bahia, atuou em favor da OAS junto ao Ministério dos Transportes. Mostram também pedido de apoio financeiro a campanhas de aliados de Wagner. Outros trechos revelam contatos de Pinheiro com o petista Ademir Bendine, o amigo da Val, presidente da Petrobras e que, na ocasião, era presidente do Banco do Brasil. Alvo da Operação Lava Jato, Pinheiro está preso, acusado de participação no esquema de corrupção da Petrobras. 

Lewandowski decide a favor e governo economiza R$ 1,6 bi de seguro-defeso


Atendendo a um pedido do governo, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, suspendeu nesta quinta-feira (7) um decreto legislativo aprovado em dezembro pelo Congresso que garantia o pagamento do seguro-defeso, uma espécie de seguro desemprego para pescadores artesanais que ficam impedidos de exercer sua atividade durante a época da reprodução dos peixes. A liminar evita que o Planalto tenha que desembolsar R$ 1,6 bilhão, além de outros R$ 3 milhões em custos operacionais, gerado pelo atendimento a 487 mil pescadores. Pela norma, cada pescador recebe um salário mínimo mensal por até cinco meses como forma de compensação pelo período de proibição da pesca artesanal. O Planalto questiona decisão do Congresso que revogou uma portaria interministerial que tinha suspendido o pagamento do seguro-defeso por 120 dias. O governo diz que a ideia era fazer um recadastramento dos pescadores por suspeita de fraudes, sendo que irregularidades são investigadas pela Polícia Federal e pelo Tribunal de Contas da União. Na ação, a Advocacia-Geral da União sustentou que o Congresso extrapolou suas atribuições e atuou em tema exclusivo do Executivo. "Compete ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em conjunto com o Ministério do Meio Ambiente, fixar as normas, critérios, padrões e medidas de ordenamento do uso sustentável dos recursos pesqueiros", alegou. A AGU apontou que há "iminente lesão ao erário, visto que o pagamento indevido dos benefícios, depois de realizado, muito dificilmente poderá ser desfeito, sendo de difícil recuperação aos cofres públicos".

Luciana Genro abandona CC de R$ 16,9 mil, que passa para seu ex-maridão, Roberto Robaina

A ex-deputada federal Luciana Genro resolveu demitir-se do cargo de coordenadora da bancada do Psol na Assembléia. O Psol possui apenas um deputado, Pedro Ruas, mas tem direito a uma gorda posição na Folha de Pessoal. Cargo e salário, R$ 16,9 mil mensais, permanecerão na família. Irá tudo para o ex-maridão de Luciana, Roberto Robaina, pai do seu filho, Fernando.

Jair Bolsonaro, uma expressiva novidade na política brasileira, representando o voto conservador

As recentes pesquisas apontam uma novidade: com toda certeza, o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) já mostra vitalidade política para aparecer como destaque como candidato à Presidência da República na representação do voto conservador. Isso é uma novidade forte na política brasileira.

Em São Paulo, hoje: Aécio, 32,8%; Marina, 22,5%, Lula, 9,9%. Bolsonaro, 6,1%. Alckmin também venceria fácil.

Caso as eleições presidenciais fossem hoje, os paulistas elegeriam facilmente Aécio Neves ou Geraldo Alckmin, mesmo que os adversários fossem Lula ou Marina Silva. Os dados são do Instituto Paraná Pesquisas. Na estimulada, portanto mostrando os nomes aos eleitores, o primeiro turno mostraria o seguinte resultado:
Cenário 1
Aécio, 32,8%
Marina, 22,5%
Lula, 9,9%
Bolsonaro, 6,1%
Ciro Gomes, 5,1%
Luciana Genro, 3%
Eduardo Jorge, 2%
Temer, 1,8%
Não sabe, 7,6%
Nenhum 9,1%
Cenário 2
Alckmin, 30,4%
Marina, 22,7%
Lula, 9,5%
Bolsonaro, 6,1%
Ciro, 5%
Eduardo Jorge, 1,9%
Temer, 1,6%

Paraná Pesquisas diz que em SP o candidato Aécio venceria o segundo turno contra Lula: 58,8% x 17,7%

Cenário 1
Aécio, 58,8%
Lula, 17,7%
Não sabe, 10,7%
Nenhum, 12,8%
Cenário 2
Aécio, 44,6%
Marina, 34,7%
Não sabe, 9,6%
Nenhum, 11,1%,

86,7% dos paulistas desaprovam o governo Dilma Roussef

A pesquisa feita em São Paulo pelo Instituto Paraná Pesquisas apresentou resultados devastadoramente ruins para o governo Dilma Roussef. Veja dois blocos diferentes de questões
Cenário 1
Aprova, 10,6%
Desaprova, 86,7%
Não sabe ou não opinou, 1,8%
Cenário 2
Ótimo, 1,4%
Bom, 3,6%
TOTAL - 5%
Regular, 16,2%
Ruim, 17%
Péssimo, 59,8%
TOTAL - 76,8%

66,3% dos paulistas apóiam o impeachment de Dilma Roussef

O resultado das apurações do Instituto Paraná Pesquisas demonstra que a imensa maioria dos paulistas aprovam o impeachment de Dilma. Acompanhe:
Aprovam - 66,3%
Desaprovam - 24,7%
Neutros, 6,8%
Não sabem ou não opinam, 2,2%

Brahma (Lula), Lindinho (senador Lindbergh Faria, PT) e ministros Wagner, Edinho e Henrique Alves, todos na lista suja de Leo Pinheiro, da OAS



Léo Pinheiro usava apelidos para se referir aos políticos, como "Brahma" sobre o ex-presidente Lula. No caso de Lindbergh, a referência identificada pelos investigadores é a alcunha "lindinho". A crise política esquentou muito mais nesta sexta-feira, depois das "traduções" das mensagens obtidas pela Operação Lava-Jato com a apreensão do celular do ex-presidente da OAS José Adelmário Pinheiro Filho, conhecido nos meios empresarial e político como Léo Pinheiro. Com certeza elas gerarão uma nova lista de investigados a ser encaminhada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, ao Supremo Tribunal Federal. A avaliação preliminar é de que as conversas de Léo Pinheiro escancaram os "intestinos de Brasília" e relações "pouco republicanas" de políticos com empresários na capital federal. Ao menos três ministros aparecem nos diálogos obtidos na investigação: o ministro-chefe da Casa Civil, Jaques Wagner (PT); o ministro da Comunicação Social, Edinho Silva (PT); e o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves (PMDB). O ex-tesoureiro do PT, João Vaccari, e o ex-deputado federal e ex-líder do partido na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), já investigados na Lava Jato, também surgem nas mensagens. As mensagens do celular de Pinheiro foram transcritas pela Polícia Federal e Ministério Público Federal no Paraná, onde correm as investigações da Lava-Jato na primeira instância. No fim de 2015, a Polícia Federal encaminhou à Procuradoria os casos em que há menção a políticos com foro privilegiado. O celular de Léo Pinheiro levou ao conhecimento de investigadores tanto conversas diretas com os políticos, como contatos com intermediários e menções aos parlamentares e ministros. Ainda há conversas sobre o ex-tesoureiro do PT condenado no mensalão, Delúbio Soares, e sobre o advogado Tiago Cedraz, filho do presidente do Tribunal de Contas da União, Aroldo Cedraz. No total, o material com mensagens de Léo Pinheiro tem quase 600 páginas. O envolvimento do ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, está entrelaçado às ações de Eduardo Cunha.

LIXO - UM GIGANTESCO DESPERDÍCIO ENERGÉTICO NO BRASIL

Todas as cidades da Europa têm usinas de queima do lixo para geração de energia elétrica. Isso acontece desde 2014, porque a Comunidade Européia havia emitido uma diretiva proibindo a continuidade da operação de aterros sanitários no âmbito da Comunidade Européia até o início de 2015. No Brasil, vanguarda do atraso em tudo, não há uma só usina para queima do lixo e geração de energia elétrica. Em tese, de cada três toneladas de lixo queimadas é possível se produzir um megawatt/hora de energia elétrica. Com o preço da energia calculado em torno de 100 dólares o megawatt, isso daria um grande rendimento para empreendedores privados e órgãos públicos. A queima do lixo gera um tipo de energia garantida, sem interrupção, o que não acontece nas outras fontes (na hidrelétrica, uma usina deixa de produzir, ou reduz sua produção, quando baixa o nível da represa; na eólica, deixa de produzir quando há falta de vento; na solar, deixa de produzir quando nuvens ocultam o sol). Outra vantagem: a energia é gerada já no local onde deverá ser consumida, evitando custos altos de transmissão, Mais um detalhe: aumenta a arrecadação de impostos da cidade onde opera, uma vez que energia elétrica recolhe no mínimo 25% de ICMS, e os municípios têm participação (retorno) garantido neste imposto. Do ponto de vista ambiental não há qualquer restrição atual à atuação destas usinas, já que elas têm emissões praticamente nulas, de qualquer espécie. Portanto, o Brasil está jogando no lixo uma fonte fantástica de energia. Na Europa, atualmente, há país importando lixo para queimá-lo e produzir energia. No caso de Porto Alegre, por exemplo, o desperdício é o mais monumental que se possa imaginar. A prefeitura da cidade já foi condenada, com trânsito em julgado, na 3ª Vara da Fazenda Pública, a promover a remediação ambiental da área do lixão da zona norte, uma imensa área na cabeceira norte da pista do aeroporto internacional Salgado Filho, onde estão depositadas mais de 10 milhões de toneladas de lixo, jogadas diretamente sobre o solo nu, contaminando o subsolo da região e o lençol freático, e poluindo de maneira brutal a foz do rio Gravataí e as águas do rio Guaíba com os dois canais que conduzem chorume direto para lá, sem qualquer tratamento. O custo para a remoção e tratamento do solo remanescente seria incalculável para a prefeitura e os habitantes da capital gaúcha. Assim, a grande solução seria a construção na área de uma usina de queima de lixo e geração de energia elétrica, que iria consumindo diariamente os mais de 10 milhões de toneladas de lixo depositadas no local, assim como queimaria o lixo coletado diariamente. No local poderia funcionar uma usina com capacidade de geração de energia elétrica maior do que a da maior usina hidrelétrica gaúcha, a de Dona Francisca, localizada no alto curso do rio Jacui. E, deixando de transportar o lixo até Minas do Leão, a 112 quilômetros da capital gaúcha, e deixando de pagar o aterro sanitário da Revita (Grupo Solvi), a prefeitura de Porto Alegre faria uma economia enorme, de centenas de milhões de reais. Os donos de empresas no ramo lixeiro, no Brasil, não estão interessados na solução das usinas de queima de lixo para geração de energia elétrica. As usinas representariam o fim de um rentável negócio, que exige muito pouco investimento. Um aterro sanitário pode ser explorado por décadas. Então os donos de aterros ficam fazendo merchandising em novelas da Rede Globo, gastando fortunas, para tentar provar que seus aterros geram energia a partir do gás metano produzido na decomposição do lixo enterrado. Sim, geram, mas é uma geração marginal de energia, sem qualquer expressividade diante do potencial energético do lixo. Por Vitor Vieira

Banco Central liquida banco mexicano Azteca

O Banco Azteca começou a ser liquidado hoje por decisão do Banco Central. Este banco pertence ao bilionário mexicano Carlos Slim. Ele tinha como seu lobista contratado o bandido petista mensaleiro José Dirceu, o "guerreiro do povo brasileiro" dos petistas. Slim não queria a liquidação para não respingar em suas outras operações financeiras na América Latina. 

PPS protocola pedido de investigações imediatas sobre ministro Jaques Wagner

O PPS acaba de pedir oficialmente ao Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, que inicie investigações sobre ligações perigosas entre o ministro Jaques Wagner e a OAS. O dono da OAS, Leo Pinheiro, delator na Lava Jato, disse que deu dinheiro sujo da Petrobrás para o ministro, usando para isto o ex-presidente da estatal, José Gabrielli.

Petróleo do Mar do Norte cai novamente de preço

O preço do barril do petróleo tipo Brent, mercado spot, Mar do Norte, caiu um pouco mais na jornada desta sexta-feira, cotado agora a R$ 34,02, queda de 1,5%.

Governo gaúcho suspende tratamento preventivo de hemofilia

O governo do Rio Grande do Sul suspendeu o fornecimento do tratamento preventivo a pacientes com hemofilia, que inibe sangramentos espontâneas que se não contidos podem levar a pessoa à morte. 500 pessoas possuem o distúrbio no Estado. São 12 mil no Brasil. A denúncia é da Federação Brasileira de Hemofilia.