quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

O Aedes aegypti é o novo fator de unidade nacional. Ou: Dilma cai das asas do mosquito

Por Reinaldo Azevedo - Não vou aqui fazer a lista das cidades onde houve panelaço quando a presidente Dilma apareceu na TV para falar sobre o combate ao mosquito Aedes aegypti. Não faço porque isso sempre tem de ser ampliado, incluindo cidades e bairros que não são citados. Parece-me que o prudente é considerar que houve protestos onde quer que as pessoas soubessem que ela iria se manifestar. Acho que se espalhou pelo Brasil inteiro. Na região onde estou, na Paulista, do 24º andar de um edifício, ouvi o mais ruidoso de todos os protestos até agora. Como há muita gente voltando pra casa, as buzinas brigavam com as panelas para ver quem se manifestava com mais clareza. Dilma está de parabéns! O ímpeto da presidente da República de transformar o mosquito num ativo político mereceu da população o devido repúdio e certamente vai contribuir para, como posso dizer?, elevar a temperatura em favor do impeachment. O governo vende por aí, de maneira determinada, que houve um arrefecimento dessa possibilidade. Acho que está a confundir desejo com realidade. A reação de tentar voar nas asas do mosquito deixou isso claro. 
Não tenho nada com isso
Como é praxe, a presidente buscou se eximir e a seus parceiros de petismo de qualquer responsabilidade. Afirmou: “O vírus zika, transmitido pelo mosquito, não tem nacionalidade. Começou na África, se espalhou pelo Sudeste da Ásia, pela Oceania e agora está na América Latina. E este foi um processo excepcionalmente rápido, a partir do ano passado".
Ora, presidente Dilma!
Sei que é difícil, mas um governante deveria ser proibido de usar bens púbicos e privados — resumidos na Rede Nacional de Rádio e Televisão — para dizer imprecisões e inverdades. Sim, essa é a geografia do vírus. Ela só se esqueceu de dizer que, ao chegar ao Brasil, o bichinho encontrou as circunstâncias ideais para se expandir. Afinal, o Aedes aegipti, seu hospedeiro, havia se transformado num verdadeiro fator de identidade e unidade nacionais. Muito se fala nessa dita-cuja. As mais variadas correntes políticas, artísticas e ideológicas tentaram defini-las. A literatura indianista estava em busca do elemento que as plasmasse. Foi parcial. Os Modernistas de 22 também se dedicaram a esse esforço — tanto que uma corrente até chegou a ter simpatias pelo fascismo em razão de seu nacionalismo exagerado. Mais recentemente, o Tropicalismo, um movimento musical, mas com imbricações em outras artes, também escarafunchou o solo em busca dessa identidade, da unidade. E nada! A verdade é que há tantos Brasis dentro do Brasil que todas essas tentativas falharam. Querem ver? O “samba” é coisa nossa? Não diz nada para o interior de São Paulo, Minas Gerais e Região Centro-Oeste, onde a identidade está na música sertaneja e variantes, ainda que modernizadas. Há o forró e assemelhados nordestinos. Nem uma coisa nem outra falam à memória cultural e afetiva do Sul e do Norte do País. E vai por aí. A ditadura militar tentou unir o País com estradas, ferrovias, aulas de Educação Moral e Cívica… Tudo inútil. Temos, finalmente, o mosquito. Só ele agora nos define e nos unifica moral, intelectual e existencialmente. Devemos isso ao PT de Dilma.

Governo da Flórida declara emergência pelo vírus da zika

O governador da Flórida (EUA), Rick Scott, declarou emergência de saúde em quatro condados após pelo menos nove casos de infecção pelo vírus da zika serem relatados no Estado. Oficiais de saúde acreditam que todos os casos foram de pessoas infectadas em viagens a países afetados pelo vírus. "Podemos garantir que a Flórida está preparada e se mantém à frente contra a disseminação do vírus da zika em nosso Estado", disse o governador". "Nós devemos estar preparados para o pior e esperar pelo melhor possível". Scott assinou uma ordem de combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor do zika, nos condados de Miami-Dade, Lee, Hillsborough e Santa Rosa, onde foram detectados os casos da doença. A ordem permite ao departamento de agricultura o uso de spray com repelentes contra o mosquito, e ainda dá poder de decisão sobre o zika ao Departamento de Saúde da Flórida. O serviço de saúde de Dallas, no Estado do Texas, nos Estados Unidos, relatou o primeiro caso local de transmissão do vírus no país.

Procurador Rodrigo Janot dá parecer pela extinção de pena do petista João Paulo Cunha no Mensalão do PT

Em parecer enviado ao Supremo Tribunal Federal, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, se manifestou a favor do perdão da pena do ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha (PT-SP) pela condenação no esquema de corrupção do mensalão. Janot afirma que João Paulo Cunha cumpre os requisitos exigidos pelo decreto de indulto natalino que foi assinado pela presidente Dilma Rousseff no fim do ano passado. Pelas regras do indulto, o beneficiado fica livre de cumprir o restante da pena e de outras medidas judiciais, como se apresentar à Justiça periodicamente. O indulto está previsto na Constituição e é tradicionalmente concedido pelo presidente da República no Natal e leva em consideração critérios que são pré-estabelecidos pelo Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, ligado ao Ministério da Justiça. Entre as normas para o perdão estão cumprimento da pena em regime aberto, condenações menores que oito anos, não reincidentes e se reincidentes, desde que tenham cumprido um quarto da pena. João Paulo foi condenado a seis anos e quatro meses de prisão. O caso será analisado pelo ministro do STF Luís Roberto Barroso, relator da execução das penas do mensalão. Em julho do ano passado, João Paulo se formou em direito e foi contratado pelo escritório de advocacia criminal Luís Alexandre Rassi e Pedro Paulo Medeiros. Ele tem atuado na equipe de defesa de Francisco Mirto Florêncio da Silva, réu na ação penal da Operação Zelotes, que investiga esquema de venda de medidas provisórias. O ex-deputado José Genoíno (PT-SP) e o ex-tesoureiro do ex-PL (atual PR) Jacinto Lamas, condenados no esquema, já receberam o indulto do Supremo, tendo penas extintas, e, atualmente, são considerados homens livres.

Mais um delator, mais uma propina para o PT

O PT ganhou 1 milhão de reais em propina da Carioca Engenharia. A denúncia feita pelo dono da empreiteira, Ricardo Pernambuco Junior, um dos novos delatores da Lava Jato. Em seu depoimento, obtido pela ótima Camila Bomfim, da TV Globo, ele contou que o pagamento foi realizado em 2011, em quatro parcelas de 250 mil reais, em espécie, entregues diretamente ao tesoureiro do partido, João Vaccari Neto. Para lavar o dinheiro, a Carioca Engenharia usou uma rede de doleiros e empresas de fachada. O pagamento de propina tinha uma contrapartida, claro. Ricardo Pernambuco Junior disse a João Vaccari Neto: "É preciso que você me ajude para eu poder ajudá-los, sem isso não consigo fazer doações, pois nossa empresa vive de obras".

A fila de delatores

O dono da Carioca Engenharia acusou o PT de receber 1 milhão de reais em propina. Mas isso é só o comecinho. Há uma fila de delatores premiados na PGR, aguardando a vez. Os mais importantes são os executivos da Andrade Gutierrez. Há muitos outros, porém. O Antagonista foi informado, por exemplo, de que uma única empreiteira prometeu abater cinco senadores, dois dos quais intocados até agora.

Blogueiros inúteis

Os blogueiros pagos pelo PT são inúteis. Segundo Monica Bergamo, de fato, Lula entendeu que entrevistas combinadas com blogueiros vassalos não bastam “para o momento que ele atravessa”. Ele precisa de alguém capaz de falar com o Jornal Nacional. Nelson Jobim, por exemplo.

Lula em quatro parágrafos

Lula tenta calar jornalistas por meio de processos criminais. Não está dando certo e nem vai dar. Lula achou que a contratação de Nilo Batista intimidaria a imprensa e a Justiça que o investigam. Não deu certo. Lula agora recorre a Nelson Jobim, para influenciar os tribunais superiores e também tentar aproximar-se do alto tucanato. A ideia é convencer o PSDB a desistir da abertura de uma CPI sobre o triplex no Guarujá, o sítio em Atibaia e sabe-se lá mais o quê. Com os tucanos, tudo é possível. Em relação aos tribunais superiores, Nelson Jobim provou do que é capaz na primeira prisão de Renato Duque. O embate será entre provas concretas e embargos auriculares.

A mulher pelada de Renan Calheiros

Renan Calheiros, oito anos atrás, foi acusado de repassar propina da Mendes Jr. para sua amante, Mônica Veloso. A repórter Beatriz Bulla informa que o ministro Luiz Edson Fachin, ontem à noite, finalmente liberou o caso para julgamento no STF. Ele pertence a um tempo em que a Playboy ainda mostrava mulheres peladas, como a própria Mônica Veloso. E pertence também a um tempo em que eu, Diogo, ainda chamava os políticos de "meio vagabundos", como se pode ler na capa da revista. (O Antagonista)


Mônica e Diogo juntos, com oito anos de atraso

Antagonizando mundo afora

A Euronews fez uma reportagem sobre a intimação de Lula e Marisa como investigados no caso do triplex do Guarujá e escolheu tuíte de um post de O Antagonista para ilustrar o caso. Excelente escolha.

O novo depoimento do delator de José Dirceu

Fernando Moura, o delator que mentiu e se arrependeu, prestará às 14h novo depoimento ao juiz Sérgio Moro.. A audiência foi solicitada pelo MPF e autorizada por Moro. Moura terá a chance de explicar ao juiz por que mentiu e prestar novo depoimento como réu colaborador para instruir a ação da Pixuleco. Os procuradores ainda avaliam se o delator quebrou ou não o acordo, e qual será sua punição por ter mentido.

A sentença de morte do Brasil

O Brasil assina uma sentença de morte ao emitir títulos da dívida com taxa de juro real (descontada a inflação) entre 6% e 7% enquanto o PIB encolhe. Esta é a visão do bilionário gestor de títulos de renda fixa global Bill Gross, que dedicou ao Brasil parte de seu relatório de fevereiro. Para ele, o país “engana o mundo” ao rolar US$ 100 bilhões em swaps cambiais e, simultaneamente, ostentar US$ 300 bilhões em reservas.

Renan no STF

O que Dilma Rousseff está disposta a fazer para salvar Renan Calheiros no STF? Essa é a questão do dia.

CPMF na cueca

José Guimarães propôs enfiar uma emenda para recriação da CPMF na PEC que prorroga a Desvinculação de Receitas da União (DRU), que já está em fase avançada de tramitação. O petista acha que vai conseguir agilizar a aprovação do imposto, mas acabará adiando a aprovação da PEC da DRU, que perderá o apoio da oposição.

Fachin é Fachin?

Primeiro foi o voto favorável ao velho rito do impeachment, agora Edson Fachin desengaveta o "Renangate". Dilma está irritadíssima com Dilma.

Presente de Natal da Odebrecht

A Odebrecht reformou o sítio de Lula de outubro a dezembro de 2010. O engenheiro que tocou a reforma, Frederico Barbosa, disse para a Folha de S. Paulo que realizou o trabalho durante suas férias. O Antagonista perguntou aos assessores de imprensa da empreiteira se o engenheiro de fato estava de férias naquele período e se as férias foram registradas. Surgiu, então, uma nova versão. Frederico Barbosa não reformou o sítio durante suas férias, e sim no "recesso" de Natal. Quem reformou o sítio de Lula, portanto, foi Papai Noel.

Nomes para AGU

Lauro Jardim informa que três nomes estão sendo cotados para substituir Luís Inácio Adams na AGU: Beto Vasconcelos, Flávio Caetano e Paulo Henrique Kuhn. O Antagonista registra: Beto Vasconcelos foi citado na Operação Porto Seguro e Flávio Caetano foi coordenador jurídico da campanha pixulequenta de Dilma. Esperamos a ficha de Paulo Henrique Kuhn.

Palanques para Dilma

O Estadão informa que o Palácio do Planalto montou palanques "em nove cidades de cinco estados e distribuiu sete ministros entre eles para anunciar, simultaneamente, a entrega de 7.480 moradias do programa Minha Casa, Minha Vida". Os palanques foram montados pela Focal, de Carlos Cortegoso?

1 Gleisi = 1 Delcídio

O PT no Senado decidiu indicar Gleisi Hoffmann para o comando da poderosa Comissão de Assuntos Econômicos, que era presidida por Delcídio Amaral. Faz sentido.

Gilmar e a cassação de Dilma no TSE

Numa votação simbólica por 10 x 1, o plenário do STF confirmou Gilmar Mendes como próximo presidente do TSE, substituindo Dias Toffoli em maio - o único voto contrário foi o de Gilmar, que por elegância votou em Rosa Weber. O que importa é que o ministro assumirá a condução dos trabalhos já na reta final do julgamento da ação de impugnação de mandato eleitoral de Dilma Rousseff.

D’Alessandro deixa o Inter e retorna ao River Plate


O meia argentino Andrés D'Alessandro, um dos maiores ídolos da história do Internacional, está deixando o clube gaúcho após sete anos e meio. A saída foi confirmada em uma entrevista coletiva do presidente do Internacional e do jogador, às 16 horas, no Estadio Beira Rio. Ele irá por empréstimo de um ano. O meia de 34 anos vai jogar no River Plate, de Buenos Aires, o clube que o revelou. D'Alessandro possui vínculo com o Inter até o fim de 2017, mas não deverá retornar a Porto Alegre após o empréstimo com o River. No clube desde 2008, o jogador conquistou vários títulos, incluindo o hexacampeonato estadual (2009, 2011, 2012, 2013, 2014 e 2015), a Copa Sul-Americana de 2008 e a Libertadores de 2010. A competição continental foi justamente o que mais seduziu D'Alessandro e a diretoria do River a chegar a um acordo. Atual campeão, o time de Buenos Aires vinha tentando repatriar o jogador havia vários anos. Torcedor confesso do River, D'Alessandro se profissionalizou pela equipe em 2000 e conquistou três vezes o campeonato argentino antes de rodar por clubes europeus.

Vaccari decide se manter calado na CPI dos Fundos de Pensão


O ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, afirmou nesta quarta-feira que não responderá aos questionamentos de deputados da CPI dos Fundos de Pensão. "Exercerei meu direito de ficar calado", disse Vaccari, sob vaias de beneficiários dos fundos Postalis e Funcef, que acompanhavam a audiência na Câmara, em Brasília (DF). A ministra do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, concedeu, na véspera, uma liminar em habeas corpus para que Vaccari pudesse ficar em silêncio e ser assistido pelo advogado Luiz Flávio Borges D'Urso. Ele foi convocado a depor por suspeita de tráfico de influência nos fundos de pensão para desviar recursos e atender a interesses do PT. A influência de Vaccari nos fundos foi citada por delatores da Operação Lava Jato, como Milton Pascowitch. O nome dele também aparece em mensagens interceptadas no celular do executivo da OAS, Léo Pinheiro. "Nunca vi ninguém que veio aqui para ficar sentado e calado ser inocente. Quem veio para ficar calado é porque tinha culpa. Seu silêncio será ensurdecedor para os beneficiários", disse o presidente da CPI, deputado Efraim Filho

MP pede cópia de provas à CPI dos Fundos de Pensão


O procurador federal Anselmo Henrique Cordeiro Lopes pediu à CPI dos Fundos de Pensão o compartilhamento de provas produzidas na comissão relativas ao fundo de pensão dos servidores da Caixa Econômica, a Funcef. A CPI tem quinze dias para encaminhar documentos ao Ministério Público, que investiga desde o fim de 2014 ato de improbidade administrativa e direcionamento dos investimentos do fundo de pensão para favorecimento de empresas. A CPI deve votar no dia 16 os requerimentos de convocação do ministro da Casa Civil, Jaques Wagner (PT), e do executivo da OAS, Léo Pinheiro.

Economia de Caxias do Sul recuou devastadores 18,7% no ano passado

Maior município do interior do Rio Grande do Sul e mais importante pólo da indústria metal-mecânica, portanto maior pólo da industria dinâmica do Estado, a economia de Caxias do Sul sofreu uma queda de 18,7% no ano passado, conforme dados liberados hoje pela Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul (CIC) e Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL). Já tinha ocorrido fechamento negativo em 2015 em relação ao ano anterior: uma queda de 7,3%. Indústria e comércio registraram as maiores retrações: 23% e 29%, respectivamente. Para o vice-presidente de Indústria da CIC, Carlos Zignani, a economia sofre os reflexos da instabilidade política e se ressente da falta de confiança nos rumos do País. Zignani acredita que a economia local viverá um primeiro semestre ainda negativo, e espera alguma retomada somente a partir do segundo semestre de 2016. O ano de 2015 se encerrou com um total de 165.560 postos de trabalho em Caxias do Sul, com a perda de 14.171 vagas, 7,9% a menos que em 2015 em relação a 2014. A indústria foi o setor com pior desempenho, com queda de 13% no volume de empregos.

Três anos depois da denúncia da PGR, STF coloca na pauta exame de inquérito contra Renan Calheiros

O Supremo Tribunal Federal (STF) vai julgar se abre ação penal, três anos após a Procuradoria-Geral da República ter oferecido denúncia contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Se a acusação for acolhida pelo plenário do Supremo, Renan passa a ser réu, respondendo pelos crimes de peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso. Relator do caso, o ministro Luiz Edson Fachin liberou para a pauta de julgamento o inquérito que apura se Renan usou dinheiro de empreiteira para pagar pensão a uma filha que teve fora do casamento. O escândalo, ocorrido em 2007, foi um dos fatores que levaram Renan a renunciar à presidência do Senado na época. 

Dilma e Lula decidem se dar o abraço de afogados. Querem saber? Eu acho é bom!

Por Reinaldo Azevedo - Consta da mitologia criada sobre Dilma Rousseff que ela foi, como vou dizer? - professora de marxismo. Eu duvido um pouco. Em primeiro lugar, porque, fora o tatibitate do Marx escrevendo sobre ideologia ou relendo a história, aquele troço não é simples — o que não quer dizer que seja nem bom nem correto. Mas fácil não é. Se, hoje, já bastante madura, a presidente tem um raciocínio notavelmente confuso, a gente pode imaginar como era quando tinha pouca experiência. Como sabemos, ela sempre perde a luta para a sintaxe. Raciocínio confuso costuma combinar com escolhas igualmente atrapalhadas. Dilma chegou a ter a chance de se salvar, já escrevi aqui, lá pelo começo do ano passado. Deveria ter apeado do PT, enviado ao Congresso uma emenda parlamentarista e proposto um governo de coalizão. Não o fez. Preferiu se agarrar ao partido. Está afundando junto com ele, e continuo a achar que não conclui o seu mandato. O “esfriamento” do impeachment me parece aquela bonança que antecede a tempestade. O povo de verdade ainda não disse o que acha da crise. A imagem de Lula se desintegra, se esfarela. E não porque alguém conspire contra ele, mas porque, a gente nota, o homem se mostra incapaz de dar explicações convincentes. E que se note: isso só está em curso porque, finalmente, alguém teve a ousadia de cobrar. E, como se sabe, até agora, não foi Rodrigo Janot, não foi o Ministério Público Federal. A Operação Triplo X, no que diz respeito a Lula, por enquanto, é apenas um trocadilho. Eis aí. De novo, com um pouco de inteligência política, só um pouquinho, Dilma poderia tentar passar pela porta estreita e tentar se descolar de Lula. Ocorre que ela se cercou de conselheiros… lulistas! E estes a convenceram de que ela só se salva se ele se salvar. Por mim, acho o conselho excelente porque intuo que todos eles naufragarão juntos. Nesta quarta-feira, na abertura do ano legislativo, Jaques Wagner, ministro da Casa Civil, conclamou parlamentares da base a fazer a defesa de Lula. O ministro disse aos aliados que o ex-presidente é alvo de uma perseguição e que a história de Lula “precisa ser respeitada”. Para muitos, a fala de Wagner teve um tom de desabafo, quase um pedido de ajuda. Wagner só ecoava a cascata dos petistas no Senado, que decidiram argumentar abertamente não em favor de Lula, mas, até onde dá para entender, de sua inimputabilidade e, pois, da impunidade. O petista Jorge Viana (AC) presidiu a primeira sessão do ano e mandou brasa, prestem atenção: “Vamos tratar o presidente Lula com respeito porque ele merece o respeito por tudo de bom que fez pelo nosso povo, pelo nosso País. Vamos deixar o presidente em paz com sua família, sua esposa, Marisa, para que ele possa ter o direito de uma vida depois de ter sido presidente da República”. Como? Observo que Viana nem mesmo se ocupou de declarar que Lula é inocente. Pede que o deixem em paz em razão da sua biografia. Também fazendo de conta que nenhuma suspeita pesa contra o ex-presidente, Humberto Costa (PE), líder do partido no Senado, afirmou: “São ataques sistemáticos, que têm como objetivo desqualificá-lo como homem público e desconstruir a imagem de um presidente que deixou o cargo nos braços dos brasileiros, com mais de 80% de aprovação popular”. Questão: se Lula tivesse deixado o poder com 100% de aprovação, isso lhe daria o direito de pairar acima das leis? A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), investigada numa operação parente da Lava Jato, também resolveu dar a sua opinião, aí com um pouco menos de, vá lá, sagacidade do que os outros. E provocou: “Talvez vocês pudessem acusar o Lula de ter tirado 40 milhões de pessoas da miséria, de ter feito o maior programa de investimento em moradia popular que este País já teve”. Digamos que assim seja: Lula está se enrolando todo por isso? Eis por que, apesar da aparente calmaria, eu duvido que Dilma vá conseguir sair do sufoco e salvar o próprio pescoço. Os petistas ainda não se deram conta do quão velho e ultrapassado é esse discurso. Vá às ruas, converse com as pessoas comuns, vejam a quantas anda a imagem daquele que eles insistem em tratar como demiurgo. Em vez de se livrar da mistificação e recomendar a seus ministros que se mantenham longe dessa operação, que coisa de governo não pode ser, Dilma se deixa convencer de que ela só será salva se Lula conseguir recuperar o seu prestígio. Não é um sinal de inteligência política. Querem saber? Dado o que eles pensam, eu acho é bom.

Oposição venezuelana apresenta plano para antecipar eleição presidencial


Um partido da coalizão opositora MUD (Mesa da Unidade Democrática), que hoje controla a Assembleia Nacional da Venezuela, apresentou nesta terça-feira (2) um pré-projeto de emenda constitucional para abreviar o mandato do presidente Nicolás Maduro e convocar eleições no final do ano. Após a morte de Hugo Chávez, em 2013, Maduro foi eleito por um período de seis anos. Mas a oposição deixou claro que pretende usar todos os mecanismos institucionais ao alcance de sua maioria parlamentar para tirá-lo do poder o mais rápido possível para reerguer uma Venezuela mergulhada num desastre econômico e social. O pré-projeto de emenda foi entregue à Secretaria do Parlamento (unicameral) por Andrés Velásquez, secretário-geral do partido Causa R, que tem três deputados na maioria opositora. 


"A Venezuela vive uma crise extrema e irreversível, e quem nos levou a este abismo não só não dá nenhum sinal de retificação como persiste no erro. Por isso propomos à consideração do plenário uma espécie de vacina, que seria a aprovação de uma emenda constitucional", disse Velásquez. A emenda pretende encurtar o mandato presidencial para um período de quatro anos com apenas uma reeleição possível, ao contrário do modelo atual, que não impõe limite a candidaturas do presidente em exercício. Segundo Velásquez, a emenda também busca limitar a permanência de prefeitos e governadores (eleitos para períodos de quatro anos) a duas reeleições consecutivas. Hoje não há limites. Já os magistrados teriam sua permanência encurtada dos atuais 12 para seis anos. Com isso, a Assembleia Nacional poderia substituir juízes que tiverem cumprido o prazo. Para ser implementada, a emenda precisa ser transformada em projeto de lei, aprovada pela maioria dos deputados e submetida a consulta popular. O Tribunal Supremo de Justiça (TSJ, suprema corte), porém, poderá tentar bloquear a medida ao alegar que é inconstitucional. 


Além da emenda, a oposição dispõe de outros mecanismos para tentar derrubar Maduro. Um deles é convocar uma Constituinte para refundar o Estado, mas a oposição só poderá fazê-lo caso recupere a supermaioria de dois terços do Parlamento, que foi colocada em xeque com a impugnação de três deputados eleitos pela MUD sob acusação de compra de votos. Outra opção seria promover um referendo revogatório quando acabar a primeira metade do mandato presidencial – em abril, no caso. Para organizá-lo, é preciso que 20% dos eleitores registrados (equivalente a 4 de milhões de venezuelanos) assinem em favor da proposta. Maduro será automaticamente destituído se o referendo for aprovado por número igual ou maior à votação obtida quando foi eleito, em 2013. Se a destituição ocorrer até o início de 2017, novas eleições acontecem. Se for depois disso, quem assume até o fim do mandato é o vice-presidente. Maduro promete resistir de todas as maneiras a tentativas de destituí-lo e acusa a oposição de querer aplicar um golpe de Estado disfarçado.

Juiz dos EUA autoriza investidores a processarem Petrobras coletivamente


Um juiz dos Estados Unidos abriu caminho nesta terça-feira para que investidores processem a Petrobras em grupo, em um litígio que envolve a recuperação de bilhões de dólares em perdas decorrentes do escândalo de corrupção envolvendo a estatal brasileira. Em uma decisão divulgada na terça-feira (2), juiz distrital norte-americano Jed Rakoff, em Manhattan, certificou duas classes de investidores, ao dizer que suas demandas são suficientemente semelhantes para serem feitas em grupo. Uma classe de investidores é composta por aqueles que adquiriram títulos de dívida da Petrobras em duas ofertas públicas, em 2013 e 2014, e será liderada pelo Tesouro do Estado norte-americano da Carolina do Norte e pelo sistema de aposentadoria de funcionários do Havaí. A outra classe comprou uma série de ativos mobiliários da Petrobras entre janeiro de 2010 e julho de 2015, e será liderada por Universities Superannuation Scheme de Liverpool, na Inglaterra. "A Petrobras foi uma empresa enorme, com investidores ao redor do mundo", escreveu Rakoff em uma decisão de 49 páginas. "Não obstante o tamanho da Petrobras e de seus numerosos e distantes investidores, os interesses dos membros da classe estão alinhados e a mesma má conduta é alegada nas demandas". Uma ação coletiva pode facilitar a recuperação de grandes somas de recursos por investidores, mais do que se as ações fossem individuais, mas não é garantia de que os investidores serão compensados. A Petrobras é acusada de inflar o valor de mais de 98 bilhões de dólares em ações e títulos durante vários anos. O escândalo de corrupção, que está sendo investigado pela operação Lava Jato, ajudou a derrubar o valor de mercado da petroleira brasileira para menos de US$ 20 bilhões, ante cerca de US$ 300 bilhões há menos de oito anos. Rakoff nomeou o escritório de advocacia Pomerantz LLP para representar ambas as classes de investidores. Em novembro, o mesmo juiz decidiu agrupar em um só julgamento a ação coletiva e as outras 19 individuais e sugere que aconteça não antes de 8 agosto e não depois de 17 de outubro de 2016. Rackoff informou que adotará o mesmo júri e que organizará o julgamento em duas fases. Na primeira, serão decididos temas em comum e, na segunda, questões individuais

Zelotes: Cristina diz que não sabia de ilícitos do marido lobista

Cristina Mautoni tentou convencer o juiz Vallisney de Oliveira de que tinha papel meramente burocrático no escritório Marcondes & Mautoni - que leva seu nome. Segundo detalhes do depoimento publicados pelo Estadão, ela alegou que o marido não lhe dava detalhes dos negócios e que apenas realizava pagamentos e outras funções administrativas. Ela negou, obviamente, que tenha pago a quantia de R$ 4 milhões a colaboradores do PT para a aprovação da MP 471. Como O Antagonista mostrou em posts anteriores, o valor aparece em documentos apreendidos pela Zelotes e pode estar relacionado à propina para Luís Cláudio Lula da Silva, o Luleco. "Eu nunca paguei R$ 4 milhões ao PT. Todos os pagamentos que ele (Mauro) me mandava fazer eram sempre transferência eletrônica ou deposito bancário. Ele não me pedia para pagar em dinheiro. Se ele me pedisse eu o largaria na hora. Se eu desconfiasse de alguma coisa eu teria encerrado naquele momento meu relacionamento."

TSE notifica Temer, Dilma escapa

O TSE pretendia notificar Dilma Rousseff hoje na ação eleitoral (Aime 761) que pode cassar o seu mandato. O oficial de justiça conseguiu entregar a notificação a Michel Temer, mas não encontrou Dilma Rousseff no Palácio do Planalto. Ela passou a tarde no Congresso. De amanhã não passa.

A hora da verdade para Temer

A pergunta agora é se Michel Temer vai mesmo tentar se desvincular de Dilma Rousseff na ação de cassação de mandato que corre no Tribunal Superior Eleitoral. Se a resposta for "sim", não será apenas porque ele, uma vez desvinculado da chapa original, poderá suceder Dilma Rousseff via TSE. Será também porque o impeachment não esfriou para o vice-presidente e a ala que o sustenta no PMDB.

Vamos pagar ainda mais aos bandidos

No seu discurso ao Congresso, Dilma Rousseff defendeu a ampliação dos acordos de leniência espúrios para estados, municípios e Distrito Federal, a fim de "preservar empresas e empregos por ela gerados". Dilma Rousseff só quer salvar os empresários que contribuíram, em todos os níveis, para as campanhas do PT e aliados. É um governo que pune os cidadão honestos com mais impostos e beneficia bandidos com o dinheiro que pagamos. (O Antagonista)