terça-feira, 5 de julho de 2016

Site O Antagonista lança o nome do advogado Eduardo Ferrão como possível delator que teria entregue nomes de ministros do STF e do STJ

Leiam o que saiu agora no site O Antagonista:
"Quem é o delator?
Brasil 05.07.16 08:48 - No último sábado, Jorge Bastos Moreno, que sabe tudo, disse que uma bomba devastadora estava prestes a ser detonada: a delação premiada de um dos maiores advogados de Brasília. Desde então, o Congresso Nacional e os tribunais superiores se perguntam quem pode ser o delator. As fontes ouvidas por O Antagonista apostam suas fichas em Eduardo Ferrão. Mas ninguém tem certeza absoluta".

Casta petista da alta burocracia quer se apossar de 1.500 imóveis funcionais, incluindo o ministro petista do Planejamento

Projeto para lá de malandro que está em gestação no Ministério do Planejamento prevê a venda dos imóveis funcionais do governo federal, dando preferência aos que hoje os ocupam. A jogada permitiria a compra dos valorizados apartamentos e casas pelos militantes do PT que ainda moram neles desde os governos Lula e/ou Dilma. O projeto pretende criar exceção à lei que obriga oportunidades idênticas a todos os interessados. O alvo da ambição dos petistas são 1.490 imóveis funcionais, dos quais apenas 149 estão desocupados. A venda de imóveis funcionais não tem a oposição do ministro petista Dyogo de Oliveira (Planejamento), que, aliás, mora em um desses imóveis desde 2013. A idéia é vender imóveis funcionais do governo aos atuais ocupantes, com preço abaixo do mercado e a  juros subsidiados por bancos públicos. Segundo o decreto n° 980, de 1993, pode ocupar imóvel funcional servidor nos cargos DAS 4, 5, 6, Natureza Especial e Ministro. Ou seja, a alta casta da burocracia pública. É preciso acabar com essa malandragem e esses malandros. 

Lula está sentindo o efeito do "ostracismo", aquele definido pelos gregos antigos

Informa a jornalista petista Monica Bergamo, da Folha de S. Paulo, uma espécie de Diário Oficial do PT, ex-namorada do ex-advogado do bandido petista mensaleiro José Dirceu, no processo do Mensalão, que o humor do poderoso chefão Lula tem preocupado amigos próximos. Segundo relatos, diz ela,  "há vezes em que o ex-presidente passa longos períodos sem nem ao menos sorrir. A rotina do petista também já não é a mesma. Além de ainda não ter dado palestras remuneradas neste ano (em 2011 foram 31 conferências), a procura de políticos e empresários por seus conselhos caiu consideravelmente". Como Lula é um ignorante, no sentido lato da palavra, um sujeito que nunca se preocupou em se educar, ele fica sem saber que sua condição atual é o que os gregos conheciam como "ostracismo", que o dicionário define assim: "ostracismo - substantivo masculino 1. hist na antiga Grécia, desterro político, que não importava ignomínia, desonra nem confiscação de bens, a que se condenava, por período de dez anos, o cidadão ateniense que, por sua grande influência nos negócios públicos e por seu distinto merecimento ou serviços, se receava que quisesse atentar contra a liberdade pública. 2. p.ext. exclusão de cargo público ou político". É isso, Lula está no "ostracismo", no qual ele próprio se colocou. Não há volta do ostracismo para o político. Se ele tivesse se dado ao trabalho de se educar um pouco, saberia destes perigos, e teria tomado outro rumo na vida, possivelmente.