domingo, 18 de dezembro de 2016

Governo Temer e Congresso estão patrocinando gigantesco assalto de até 100 bilhões de reais de recursos públicos


O Planalto vestirá sua melhor roupa para a festa desta terça-feira. Haverá a cerimônia de sanção do projeto de lei que moderniza as regras do setor de telecomunicações, ainda gerido por normas defasadas dos anos 90. No pacote, o governo está dando de bandeja às teles um patrimônio bilionário — coisa de 20 bilhões de reais, pelas estimativas mais modestas, ou de mais de 100 bilhões nas estimativas mais realistas —, exatamente em um momento de penúria e no qual se pede tanto sacrifício para o ajuste das contas públicas. Paralelamente, promove-se um perdão de outros 20 bilhões de reais em multas dessas mesmas teles, totalizando um presentaço fenomenal de 40 bilhões de reais, por baixo, em bondades. A maior agraciada com o pacote natalino é a enrolada Oi. O jabuti é assim: originalmente, quando os contratos das teles terminassem, em 2025, todas teriam a obrigação de devolver à União parte do patrimônio físico que vinham usando e administrando desde a privatização. São milhares de imóveis, além de carros, antenas, torres, cabos, instalações, redes. Agora, sob as “regras modernizadoras”, todo esse patrimônio, em vez de ser devolvido aos contribuintes como originalmente previsto, será incorporado pelas teles, com a condição de que elas invistam o valor equivalente em seus negócios. Quem não adoraria um presente assim? A questão, neste momento, é avaliar o exato valor desse patrimônio. Uma auditoria feita pelo Tribunal de Contas da União informa que o valor total pode passar de 100 bilhões de reais — uma fortuna capaz de aliviar em um ano até o déficit da Previdência.

Diretor do DNPM comprou imóvel de R$ 2,7 milhões tendo salário de apenas R$ 11 mil


Com remuneração líquida de R$ 11 mil no serviço público, o diretor do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), Marco Antônio Valadares Moreira, preso na Operação Timóteo, deflagrada pela Polícia Federal na sexta-feira, 16, comprou um apartamento de R$ 2,7 milhões num dos bairros mais nobres de Brasília. A aquisição do imóvel, em valor incompatível com a renda do servidor, está sendo investigada pela Corregedoria-Geral da União, órgão vinculado ao Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU). Conforme a escritura do negócio, registrada em novembro do ano passado, o apartamento, no Setor Noroeste, foi adquirido pelo diretor juntamente com a mulher, Lilian Amâncio Valadares Moreira. O documento registra que o valor foi integralmente pago em “moeda corrente nacional”. Moreira comanda a Diretoria de Procedimentos Arrecadatórios, responsável por gerenciar as receitas do DNPM. O setor cobra e distribui as cotas-partes da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (CFEM), o chamado royalty da mineração, a Estados e municípios. Este ano, a arrecadação já alcança R$ 1,6 bilhão. A Polícia Federal sustenta que Moreira, detentor de informações privilegiadas a respeito de dívidas de royalties, oferecia os serviços de dois escritórios de advocacia e de uma empresa de consultoria, que pertence a Lilian, a municípios com créditos de CFEM junto a empresas de exploração mineral. A pedido dos investigadores, a Justiça Federal em Brasília determinou o sequestro de bens do casal. Os inquéritos em curso apontam que eles podem ter recebido R$ 7 milhões por meio do esquema ilegal. A Polícia Federal alega que o núcleo captador da organização, formado por Moreira e sua esposa, cooptava prefeitos interessados em ingressar no esquema. O núcleo operacional, que seria composto por escritórios de advocacia e uma empresa de consultoria em nome da esposa do diretor, repassava valores indevidos a agentes públicos. Segundo registros da Receita Federal, Lilian é sócia da LCM Consultoria Financeira Especializada em Municípios. A suspeita de que a empresa "presta serviços" a prefeituras que recebem royalties da mineração, num possível caso de conflito de interesse, foi alvo de uma investigação interna da Corregedoria do DNPM, mas arquivada. Moreira disse que o imóvel foi adquirido há três anos, de forma parcelada. "Tenho uma herança que me foi disponibilizada pela família. Usei a minha herança e a senhora Lilian usou recursos dela", justificou. O diretor disse que deu todas as explicações solicitadas pela CGU. Ele explicou que a empresa de Lilian não opera mais e nunca pediu nada no setor comandado por ele no DNPM.

Morre o colunista político Villas Boas Correa


O jornalista político Luiz Antônio Villas-Bôas Corrêa morreu na noite de quinta-feira (15), aos 93 anos, no Rio de Janeiro. Ele estava internado no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital São Lucas desde o dia 9 de dezembro e morreu em decorrência de uma parada cardíaca, segundo informações da assessoria de imprensa do hospital. Villas-Bôas Corrêa nasceu em 1923, no Rio de Janeiro, e se formou pela Faculdade Nacional de Direito em 1947. Começou no jornalismo em 1948, no extinto jornal A Notícia. Depois disso passou pelo Diário de Notícias, O Dia, Jornal do Brasil e O Estado de S. Paulo. Também trabalhou nas TVs Bandeirantes e Manchete, além da Rádio Nacional.

Henry Heimlich, criador da famosa "manobra" médica, morre aos 96 anos


Henry Heimlich, o médico que desenvolveu uma técnica para desbloquear as vias aéreas que salvou milhares de vítimas de sufocamento, morreu neste sábado (17), aos 96 anos, nos Estados Unidos. Ele estava internado no Christ Hospital, em Cincinnati, devido a um ataque cardíaco que sofreu na última segunda-feeira (12), disse sua família. Um cirurgião toráxico, que muitas vezes rivalizava com a comunidade médica estabelecida, Heimlich disse que a manobra que recebeu seu nome salvou mais de cem mil vidas. Ele afirmou ter usado ele mesmo em maio passado em outro residente da casa de repouso de Cincinnati, onde morava. "Isso me fez apreciar o quão maravilhoso foi ser capaz de salvar todas aquelas vidas", disse ele uma vez ao Cincinnati Enquirer. Heimlich desenvolveu a técnica inovadora em 1974 depois de ler sobre a alta taxa de mortes em restaurantes que foram atribuídas a ataques cardíacos, mais tarde descobertas tendo o sufocamento por alimentos como a causa. Uma pessoa comum pode ser um herói com a "Manobra de Heimlich" – não requer nenhum equipamento, nenhuma grande força e apenas treinamento mínimo. A sabedoria popular na época pedia repetidamente tapa nas costas da pessoa lutando com uma obstrução da passagem para os pulmões. Mas, Heimlich, que estava então no Hospital Judaico em Cincinnati, acreditava que os tapas nas costas poderiam forçar o bloqueio mais profundo. Para provar seu método, ele pegou cães anestesiados de laboratório, bloqueou suas vias aéreas com pedaços de carne presos a cordas em caso de emergência, e desenvolveu uma técnica que tornaria seu nome conhecido no mundo todo. Heimlich escreveu sobre sua descoberta para uma revista médica e começou a se espalhar devido à cobertura da mídia. Um homem no Estado de Washington que veio ao resgate de um vizinho foi creditado como sendo a primeira pessoa a usar a Manobra de Heimlich pouco depois de ler uma reportagem do jornal sobre o assunto. O médico carismático também ativamente promoveu a técnica, incluindo aparições em programas de televisão. 

Renato renova contrato e será técnico do Grêmio por mais um ano


O Grêmio e Renato Gaúcho chegaram a um acordo. O treinador vai ampliar seu vínculo com o clube gaúcho no começo da semana. As bases foram acertadas e a oficialização depende apenas da assinatura de documentos. A negociação durava desde a terça-feira (13). Reuniões dia após dia pautaram as movimentações do Grêmio, representado pelo vice de futebol Adalberto Preis e pelo diretor Odorico Roman, e de Renato, representado pelo empresário, Gerson Oldenburg. O agente de Renato confirmou o acerto. Após reunião, publicou foto com o vice de futebol e o diretor de futebol do Grêmio e desejou boa sorte ao técnico no clube por mais um ano de vínculo. O tempo de contrato, que chegou a ser proposto para dois anos, ou até "tempo indeterminado", acabou sendo fechado em um ano. Desta forma, o clube começará a montagem do elenco imediatamente para as competições da temporada que vem. Renato assumiu o Grêmio em agosto deste ano. Abalado pelos maus resultados e a demissão de Roger, o time parava de brigar pelas primeiras posições no Brasileiro. Porém, desde a chegada dele cresceu de rendimento e acabou conquistando a Copa do Brasil, quebrando um jejum de títulos nacionais de 15 anos.