sábado, 14 de janeiro de 2017

Agora uma brasileira está a caminho do corredor da morte por tráfico de cocaína nas Filipinas


O Itamaraty está acompanhando o caso de uma brasileira de 20 anos presa desde outubro do ano passado por tráfico internacional de drogas em Manila, capital das Filipinas. Segundo a imprensa local, Yasmin Fernandes Silva foi abordada no dia 3 de outubro por policiais no aeroporto. Ela estava com mais de seis quilos de cocaína embutidos em um travesseiro. Yasmin embarcou em um vôo de São Paulo com parada em Dubai e, ao chegar em Manila, foi detida por agentes da imigração, que encontraram o travesseiro suspeito na bagagem. O governo brasileiro informou que a embaixada em Manila está acompanhando o caso desde outubro e que Yasmin está recebendo assistência consular, assim como apoio jurídico de um advogado local.  A prisão acontece em um momento em que o presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, aperta o cerco contra o narcotráfico e defende a volta da pena de morte para condenados por tráfico de drogas. Países asiáticos são conhecidos por serem duros na punição aos presos por tráfico, inclusive a estrangeiros. Em 2015, os brasileiros Marco Archer e Rodrigo Gularte foram executados na Indonésia após serem condenados pelo crime. Mesmo com os protestos do governo brasileiro, o Itamaraty não conseguiu evitar o cumprimento da sentença.

Camargo Correa prepara outra megadelação premiada, vai pegar Lula e Dilma mais uma vez


A delação premiada da Odebrecht não é a única que atinge Lula, Dilma e mais os seus aliados antigos, como o presidente Michel Temer, em que ele aparece por ter pedido e recebido R$ 10 milhões do departamento de propinas da empreiteira. De acordo com reportagem de Daniel Pereira, na revista Veja, vem aí a delação da Camargo Corrêa, que decidiu seguir os passos da Odebrecht e costurar um grande acordo de colaboração judicial. Ao todo, serão cerca de 40 delatores, que devem atingir cerca de 200 políticos. Lula e Dilma serão os principais protagonistas da lista, que revelará novas e tenebrosas falcatruas da organização criminosa liderada pelo PT. Mendonça Filho, ministro da Educação, também deve ser delatado, assim como outros nomes de peso, como Antônio Palocci, Renan Calheiro e Romero Jucá. Toda a alta escumalha petista e seus aliados constará da lista. Caso esta nova mega-delação apanhe o presidente Temer de modo consistente e escandaloso, nova crise política poderá acontecer no Brasil. E as consequências serão imprevisíveis.

Matança chega agora a presídio de Natal, no Rio Grande do Norte, como já era esperado


Uma rebelião iniciada por volta das 16h30min neste sábado, no presídio de Alcaçuz, o maior do Rio Grande do Norte, localizado na Região metropolitana de Natal, deixou pelo menos três mortos. O coordenador de administração penitenciária da cadeia, Zemilton Silva, disse, após checagem "visual", que viu ao menos três corpos e cabeças arrancadas — mas o número pode ser muito maior, pois a polícia ainda não havia entrado no local. O tumulto começou com a invasão de presos do pavilhão 1 no pavilhão 5, onde estão internos de uma facção criminosa rival. Os detentos estarvam soltos dentro da penitenciária e armados. Do lado de fora, há relatos de brarulho de tiro e quebra-quebra. Ainda não há confirmação se houve fugas.  

Policiais militares e agentes penitenciários informaram que irão esperar o dia amanhecer neste domingo para entrar nos pavilhões e checar a situação. No entanto, a área externa de Alcaçuz já estaria sob o controle das autoridades. As saídas foram bloqueadas e o Corpo de Bombeiros está fazendo barricadas no local. "A intervenção é impossível agora. No momento estão todos soltos lá dentro, e armados. Nossa missão é evitar que ele saiam", declarou o major Camilo, da Polícia Militar. A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed) emitiu nota na noite deste sábado informando que montou o Gabinete de Gestão Integrada (GGI) para executar as ações a serem empregadas na rebelião do presídio de Alcaçuz. "Já estão no local o Batalhão de Operações Especiais (BOPE), o Batalhão de Choque e a Força Nacional para evitar mais confrontos e controlar a situação. Há registro de mortes resultado de uma briga entre facções rivais". Alcaçuz fica em Nísia Floresta, cidade da Grande Natal. A unidade possui cerca de 1.150 presos e capacidade para 620 detentos, segundo a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc).