domingo, 29 de janeiro de 2017

A morte da emblemática atriz Emmanuelle Riva, a diva protagonista do ontológico filme "Hiroshima, mon amour"


A atriz francesa Emmanuelle Riva morreu na sexta-feira (27), aos 89 anos, após "uma longa doença", segundo pessoas próximas à artista. Emmanelle Riva ficou famosa mundialmente por protagonizar o filme "Hiroshima, Meu Amor" (1959), do diretor francês Alain Resnais. "Até o fim permaneceu ativa", declarou sua agente, Anne Alvares Correa. O último filme que a atriz participou, "Paris Pieds Nus", de Fiona Gordon e Dominique Abel, deve estrear em março deste ano, afirmou Correa. 


"Emmanuelle Riva era uma mulher comovente, uma artista de rara exigência. Se vai uma voz inesquecível. Uma voz habitada pelo amor das palavras e da poesia", afirmou Frédérique Bredin, presidente do Centro Nacional do Cinema da França. Desde "Hiroshima, Meu Amor" até "Amor" (2012), do diretor austríaco Michael Haneke (último longa já lançado estrelado por Riva), "foi uma das atrizes mais corajosas do cinema francês", destacou Bredin em um comunicado. Por "Amor", Emmanuelle Riva recebeu em 2013 o prêmio César de melhor atriz e também uma indicação ao Oscar. 


"Hiroshima, mon amour" é um filme franco-japonês de 1959, dirigido pelo cineasta Alain Resnais, com roteiro da escritora Marguerite Duras. A história é sobre um relacionamento amoroso entre uma mulher francesa e um japonês. O filme fez uso inovador de flashbacks. É considerado um dos filmes mais importantes da história do cinema. Produziu muita polêmica na época de lançamento por possivelmente ofender descendentes alemães e por esse motivo ele foi tirado da competição oficial do Festival de Cannes em 1959, apenas sendo apresentado e sem poder concorrer a Palma de Ouro como os outros. É um dos grandes ícones do cinema francês e um dos mais famosos e influentes da Nouvelle Vague. O diretor Jean-Luc Godard disse sobre o filme: "O primeiro filme sem nenhuma referência cinematográfica". Outro diretor francês muito importante, Claude Chabrol, comentou sobre o filme de Alain Resnais: "O filme mais belo que eu já vi". O cineasta François Truffaut acrescentou este elogio: "Uma vez que você viu 'Hiroshima mon amour', se torna impossível fazer filmes da mesma maneira que você costumava fazer". O enredo do filme é de atriz francesa casada que passa seu último dia na cidade de Hiroshima terminando sua participação em um filme sobre a paz e o seu relacionamento amoroso com um casado arquiteto japonês, que aos poucos a lembra de um trágico amor que ela teve durante a guerra, com um soldado alemão. O filme analisa a memória, a psicologia, o comportamento dos personagens vivendo em um mundo sem perspectiva e com os traumas que os afligem. 

Solto pela Lava-Jato, Mariano Ferraz frequenta clube de elite


Depois de ser preso na Lava-Jato, o empresário Mariano Marcondes Ferraz está feliz no Rio de Janeiro. Vai com frequência ao Country Club carioca, reduto de endinheirados, para disputar animadas partidas de tênis. Recentemente, chegou para uma partida com quatro raquetes para jogar. Nem o bilionário Jorge Paulo Lemann, também sócio, aparece com tantos apetrechos. A família, aliás, vive ótima fase. A irmã de Mariano, Maria Pia, ganhou um presente incrível de Natal. Seu marido, Carlos Augusto Montenegro, do Ibope, a agraciou com uma casa no condomínio Jardim Pernambuco. Um imóvel ali não sai por menos de 7 milhões de reais. (O Antagonista)

Justiça suspende obrigação de Samarco, Vale e BHP depositarem R$ 1,2 bilhão


A Justiça Federal suspendeu por tempo indeterminado a decisão que obrigava a mineradora Samarco e suas acionistas Vale e BHP Billiton a depositarem R$ 1,2 bilhão como garantia de futuras ações de recuperação e reparação dos danos socioambientais decorrentes da tragédia de Mariana (MG). A decisão ocorre após as mineradores assinarem um Termo de Ajustamento Preliminar com o Ministério Público Federal. O prazo para depósito já havia sido prorrogado algumas vezes. Na última ocasião, a data estabelecida era 19 de janeiro. Em sua decisão, o juiz Mário de Paula Franco informou que a suspensão se deve à "demonstração de atitudes concretas e à postura cooperativa das partes, do Ministério Público Federal e das instituições envolvidas, em buscarem a solução da presente lide". O Termo de Ajustamento Preliminar estabelece que as mineradoras irão contratar especialistas indicados pelo Ministério Público Federal para analisar o andamento dos programas de reparação dos danos da tragédia ambiental de Mariana, considerada a maior do País, que ocorreu em novembro de 2015. No episódio, a barragem de Fundão, pertencente à Samarco, se rompeu e liberou mais de 60 milhões de metros cúbicos de rejeitos. Dezenove pessoas morreram. Houve devastação da vegetação nativa, poluição da Bacia do Rio Doce e destruição dos distritos de Bento Rodrigues e de Paracatu, além de outras comunidades. A reparação dos danos foi negociada em um acordo entre a Samarco, a Vale, a BHP, o governo federal e os governos de Minas Gerais e do Espírito Santo. O documento estima um investimento de R$ 20 bilhões ao longo de 15 anos. As partes estão levando adiante os programas combinados, mas a Justiça ainda analisa se homologa esse acordo. O Ministério Público Federal contesta os termos. Em uma ação impetrada na Justiça Federal, que tramita paralelamente, o Ministério Público calcula os prejuízos em R$ 155 bilhões. De acordo com o Termo de Ajustamento Preliminar, a análise dos programas de reparação dos danos poderá fundamentar, em junho, um Termo de Ajustamento de Conduta Final (TACF). Se as mineradoras e o Ministério Público Federal chegarem a um consenso, a ação de R$ 155 bilhões poderá ser extinta. O Termo de Ajustamento Preliminar também sugere a substituição do depósito de R$ 1,2 bilhão pela garantia provisória de R$ 2,2 bilhões. Essa garantia seria composta por aplicações financeiras, seguro e bens da Samarco.

Após ordem de Trump, imigrantes com visto são barrados nos Estados Unidos



O decreto do presidente Donald Trump para barrar a entrada de cidadãos de sete países muçulmanos nos Estados Unidos foi posto em prática imediatamente na noite de sexta-feira. Refugiados e imigrantes a caminho do território americano quando a ordem foi assinada foram barrados ao chegarem no país, neste sábado. O departamento de Segurança Interna confirmou que aqueles que possuem visto de residência, o green card, também estão sujeitos à medida. Cidadãos do Irã, Iraque, Líbia, Somália, Sudão e Iêmen estão impedidos de entrar nos Estados Unidos ao menos pelos próximos noventa dias. Refugiados da Síria serão barrados por tempo indeterminado. De acordo com o jornal The New York Times, dois cidadãos do Iraque com visto americano foram detidos ao desembarcarem em Nova York, na sexta-feira. Seus advogados entraram com processo judicial contra Trump e o governo americano, além de um pedido de habeas corpus para libertá-los.  Os advogados afirmaram ao Times que um dos iraquianos, Hameed Khalid Darweesh, trabalhou para o governo americano no Iraque durante 10 anos. O outro, Haider Sameer Abdulkhaleq, estava indo aos Estados Unidos para se reunir com a esposa, que trabalha para uma empresa americana, e seu filho. Oficiais do aeroporto do Cairo, no Egito, informaram também que seis refugiados do Iraque e um do Iêmen foram impedidos de entrarem em um vôo da EgyptAir com direção ao JFK, em Nova York, horas após o anúncio da medida. O grupo estava acompanhado de representantes da agência de refugiados da Organização das Nações Unidas (ONU). Por causa de acordo entre Egito e Estados Unidos, a lista de passageiros é enviada previamente às autoridades americanas. De acordo com o Comitê Árabe-Americano Anti-Discriminação, pessoas estão preocupadas com “familiares, colegas e amigos” e receberam relatos de estrangeiros que chegaram aos Estados Unidos e foram orientados a retornarem para casa no próximo vôo.

Kiko vai se entregar

Francisco de Assis Neto, o Kiko, foragido da Operação Eficiência, avisou por meio do advogado que vai se entregar. Ele disse que estava de férias nos EUA. (O Antagonista)

Ministério Público Federal consegue recuperar apenas 10% da propina de Eike Batista

O Ministério Público Federal só recuperou 10% dos US$ 16,5 milhões pagos como propina por Eike Batista a Sérgio Cabral (PMDB-RJ) com ações da Vale, da Petrobrás e da Ambev. Ao liquidar os papéis, os procuradores conseguiram meros US$ 1,6 milhão. Os papéis dessas empresas viraram micos. Sérgio Cabral é um corrupto tomador de propina muito incapaz no mercado acionário. 

Eike Batista contratou advogado por indicação de seu filho Thor

A indicação do advogado Fernando Martins para defender Eike Batista na Operação Eficiência partiu de seu filho Thor. Martins é ex-agente da Polícia Federal. Aliás, a segurança de Eike Batista e dos seus filhos era feita por ex-agentes da Polícia Civil e da Polícia Federal. (O Antagonista)

O plano B de Eike Batista, o bilionário da pirâmide papel, virou o plano A

Uma das máximas de Eike Batista era que seus planos B costumavam virar planos A. Foi o que aconteceu, segundo ele dizia, com o estaleiro barrado em Santa Catarina. Instalado no "Superporto" do Açu (o nome era esse mesmo), o estaleiro seria o maior das Américas. Empregaria 10.000 pessoas quando estivesse pronto e 3.500 durante a construção, como diz o comunicado da empresa à CVM. O superestaleiro deveria ter começado a funcionar em 2012. Atualmente, é um mar de ruínas de concreto. O estaleiro da OSX, de Eike Batista, deveria ser originalmente construído na região de Biguaçu, no litoral de Santa Catarina. Em 2010, porém, o ICMBio negou a licença ambiental para o empreendimento. A negativa ocorreu um dia depois da oferta inicial de ações da OSX, operação em que Eike Batista levantou US$ 1,7 bilhão para erguer o estaleiro. O problema apontado pelo órgão ambiental era o risco à vida de cerca de 60 golfinhos que viviam na região. Depois disso, as ações da OSX afundaram. O Rio de Janeiro foi o plano B para o estaleiro de Eike Batista. Foi em março de 2010 que o ICMBio negou a licença ambiental para Eike Batista construir seu estaleiro em Santa Catarina. Em junho, sem conseguir reverter o parecer do ICMBio, Eike Batista deu entrada em um pedido de licenciamento paralelo no Rio de Janeiro. Na época, o grupo já construía o chamado "Complexo do Porto do Açu", que, originalmente, teria um porto, uma siderúrgica e uma termelétrica. Lá, deu tudo certo. Em fevereiro de 2011, a OSX conseguiu a licença prévia para erguer o estaleiro no litoral norte fluminense. (O Antagonista)

A petista Marisa Letícia deve permanecer sedada ainda nos próximos dias



Segundo fontes próximas à família do poderoso chefão da organização criminosa petista e ex-presidente Lula, o quadro clínico de sua mulher, a galega italiana Marisa Letícia, internada no hospital Sírio-Libanês, está melhorando. Ela teria passado a última noite bem, evoluindo, segundo apontam novas tomografias realizadas no hospital Sírio-Libanês, no centro de São Paulo. Contudo, os médicos continuarão com a sedação até a semana que vem. A medida ainda evita stress desnecessário da paciente – o nervosismo poderia reverter, para pior, a situação. Marisa Letícia sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) na última terça-feira (24) e precisou passar por uma cirurgia de emergência para estancar o sangramento. Desde então, ela continua internada na UTI, sob supervisão de equipe de médicos liderada pelo diretor da divisão de cardiologia do Sírio, Roberto Kalil Filho.

Sartori vai conseguir pagar 85% da folha do funcionalismo em dia neste mês

O governo do Rio Grande do Sul, do muito incompetente e inapetente peemedebista José Ivo Sartori, pagará a quase totalidade da folha do funcionalismo gaúcho neste dia 31 de janeiro xará de pagar a totalidade da Folha dos servidores do Executivo no dia 31 de janeiro, terça-feira. A Secretaria da Fazenda já avisou que quitará 84% das matrículas (97% disso são de professores). A Secretaria da Fazenda confirma o pagamento de pelo menos R$ 5 mil líquidos para os servidores do Executivo, no dia 31 de janeiro. A folha de pagamento dos servidores rodou com nove faixas, como tem sido nos últimos meses, mas há dinheiro em caixa para depositar o mínimo de R$ 5 mil, mais a segunda parcela do 13º salário e o terço de férias para mais da metade dos professores. O adicional de férias do magistério custa R$ 90 milhões. A Fazenda vai pagar R$ 55 milhões em janeiro e R$ 35 milhões em fevereiro. Mas, nenhum gaúcho deve se deixar dominar pela euforia. A crise retorna já em fevereiro, quando não haverá receita extra do IPVA.

Exército sírio toma controle de estação de água que abastece Damasco




O exército sírio tomou o controle neste sábado (28) de uma estação de bombeamento vital para o abastecimento de água potável para Damasco, privada do fornecimento há mais de um mês, anunciou a emissora estatal. Após intensos combates que se prolongaram por semanas, as tropas leais ao presidente Bashar al-Assad entraram na estação de bombeamento de Ain al-Fijah, onde se encontra o principal poço de água que abastece a capital, localizado a 15 km a sudeste do cerco. "O Exército içou a bandeira síria sobre a instalação", indicou a emissora sem dar mais detalhes. As tropas do governo lançaram uma ofensiva para expulsar os rebeldes da fonte em 20 de dezembro. Dois dias depois foi cortado o fornecimento de água para a capital. O diretor do Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), Rami Abdel Rahmane, confirmou que, segundo suas fontes no local, dezenas de membros das forças governamentais entraram na instalação de bombeamento. A esquerdopata ONU havia classificado como "crime de guerra" a privação do fornecimento de água potável a qual estavam submetidos os cinco milhões e meio de habitantes de Damasco. A guerra civil na Síria foi provocada pelo muçulmano comuno-democrata Barack Obama, ex-presidente dos Estados Unidos, que fomentou a maldita "Primavera Árabe" no País, e desatou um conflito, no qual se manteve obliquamente como grande aliado da organização terrorista Estado Islâmico, redundando em grande genocídio. Ao final da história, o ditador Bashar al-Assad está retomando o controle da Síria com o determinado apoio da Russia.

Governo gaúcho retomará na terça-feira os pagamentos da dívida com a União

Embora as negociações com o ministro Henrique Meirelles tenham começado, neste mês de janeiro o governo gaúcho terá que recomeçar a pagar as prestações mensais da dívida que tem com a União. O governo estadual teve meio ano de carência. Na terça-feira, dia 31, prazo fatal, o Estado depositará R$ 15 milhões da dívida com a União, que estava suspensa até dezembro. Não são os R$ 230 milhões contratuais, mas valor ajustado por acordo ainda em negociação. O governo estadual voltará a pagar em parcelas crescentes, até voltar aos R$ 230 milhões, pelo menos enquanto não for fechado o acordo de renegociação. Outros R$ 40 milhões terão de ser repassados em janeiro por conta da reposição do período em que o pagamento esteve suspenso por liminar da Justiça. O governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori (PMDB) poderá pagar porque a receita do ICMS foi maior em janeiro e houve reforço das cobranças do IPVA. Até quinta-feira, a arrecadação de IPVA somava R$ 810 milhões.

Prefeito de Canoas já se entendeu com a grande maioria dos vereadores da cidade

Nada de novo acontece na política brasileira. Não seria diferente em Canoas, cidade da grande Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. O novo prefeito, Luiz Carlos Busato, de PTB, rapidamente "construiu" sólida maioria na Câmara de Vereadores. O PTB, seu partido, elegeu apenas quatro vereadores. É a maior bancada, junto com o PT, que também tem quatro vereadores, mas está na oposição. O PMDB, aliado de Busato, elegeu dois vereadores. No total, o prefeito tem conseguido o apoio de 15 dos 21 vereadores. Por que será que tantos vereadores dão apoio ao novo prefeito? 


Embora tenha assumido com o caixa arrebentado e esteja sendo obrigado a administrar uma herança maldita de grandes proporções, o novo prefeito de Canoas, o município mais importante da Grande Porto Alegre depois da capital (350 mil habitantes), Luiz Carlos Busato, sentou na mesa com os representantes dos servidores municipais e acertou aumento salarial para toda a categoria. Isto foi um péssimo exemplo. "Serão 1,28% em janeiro e 5% em maio, mas estes já calculados sobre os 1,28% anteriores, o que no total renderá um aumento de 6,32%", disse o novo prefeito, que até dezembro foi deputado federal do PTB e é líder do PTB no Rio Grande do Sul, onde o partido tem Sérgio Zambiasi como seu proprietário. O líder trabalhista venceu uma eleição improvável, derrotando a candidata do ex-petista e candidato presuntivo do PDT ao governo estadual, o petista Jairo Jorge. O orçamento de Canoas vai a R$ 1,6 bilhão por ano. É o quarto maior entre todos os municípios do Rio Grande do Sul. O prefeito quer se apresentar como o campeão de gastos inúteis promovidos pelo petista Jairo Jorge, mas não explica porque mantém os 24 contratos com as empresas Mecanicapina e W. K Borges, cujo proprietário, Claudiar Kras Borges, passou uma temporada no presídio de Osório, recentemente, com hospedagem bancada pelo Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul. E mantém esses contratos apesar de as empresas de Claudiar Kras Borges terem participado de fraude eleitoral em novembro, conforme documento por inquérito do Ministério Público Federal. 

Ministro da Saúde anuncia 3 bilhões de reais em créditos para resolver as dívidas dos hospitais filantrópicos


O ministro da Saúde, Ricardo Barros (PP), anunciou na manhã de sexta-feira, em Florianópolis, o repasse de R$ 156,7 milhões para a pasta em Santa Catarina e uma linha de crédito para os hospitais filantrópicos de R$ 3 bilhões para o Brasil. A verba anunciada, que chega para dar um fôlego nos hospitais e municípios catarinenses, será distribuída em 55 serviços diferentes entre 35 municípios de Santa Catarina. A linha de crédito promete aliviar as dívidas dos hospitais filantrópicos. Além disso, foram citadas obras do ministério e a entrega de 31 ambulâncias do Samu para a frota do Estado. Para Ricardo Barros, esse recursos, reunidos, vão aliviar a crise na saúde catarinense: "Este ano teremos recursos para apoiar o mutirão de cirurgias que Santa Catarina permanece fazendo. Serão R$ 340 milhões no orçamento para apoiar este processo. Todos os pedidos de Santa Catarina foram atendidos, indistintamente. Haverá, sim, um grande avanço no Estado para a área de saúde. Estamos fazendo o possível diante da situação fiscal que passa o Brasil". 

Cármen Lúcia se reúne com filha de Teori e diretor da Polícia Federal

A presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, reuniu-se na sexta-feira (27) com o diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello, para tratar das investigações sobre o acidente aéreo que matou o ministro Teori Zavacki na semana passada em Paraty (RJ). No mesmo encontro estava presente a filha do ministro, Liliana Zavascki, e o marido dela. Eles foram a Brasília para acompanhar a entrega dos objetos pessoais que estavam no apartamento funcional ocupado por Teori. A Polícia Federal investiga as causas do acidente e adotou como procedimento periciar os objetos na presença de parentes. Logo após a morte de Teori Zavascki, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal em Angra dos Reis abriram inquéritos para apurar as causas do acidente aéreo. Relator das investigações da Operação Lava Jato na Suprema Corte, Teori Zavascki morreu na quinta-feira (19), aos 68 anos. Mais quatro pessoas estavam na aeronave que, no momento da queda, próxima à Ilha Rasa, já se preparava para pousar no pequeno aeroporto de Paraty. 

Nova embaixadora dos Estados Unidos na ONU avisa que o país vai mostrar sua força


A nova embaixadora americana na Organização das Nações Unidas (ONU), Nikki Haley, afirmou hoje (27) que os Estados Unidos vão "mostrar sua força", e transmitiu uma advertência clara aos que são contrários às políticas do presidente Donald Trump. As informações são da Agência France Presse. "Para aqueles que não nos apoiam estamos anotando seus nomes", afirmou Haley aos jornalistas na seda da ONU em Nova York. Governadora da Carolina do Sul, a republicana Nikki Haley, de 44 anos e filha de imigrantes indianos, foi a primeira mulher a integrar a equipe do governo de Trump.

Theresa May e Donald Trump querem ampliar cooperação militar e econômica


A primeira-ministra britânica, Theresa May, se reuniu na sexta-feira (27) com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, no primeiro compromisso internacional do norte-americano na Casa Branca. Em entrevista coletiva após o encontro, Theresa e Trump afirmaram que pretendem ampliar a cooperação econômica e militar entre os dois países, inclusive com a possibilidade de um acordo de comércio bilateral. Segundo Theresa May, os dois líderes conversaram também sobre medidas práticas para combater o Estado Islâmico. Segundo ela, Trump disse estar “100% comprometido” com o Tratado do Atlântico Norte (Otan), apesar de o norte-americano ter criticado o grupo durante sua campanha eleitoral e manifestado intenção de revê-lo. Na quinta-feira (26), a primeira-ministra britânica pediu uma “renovação da relação especial” entre os Estados Uniddos e o Reino Unido durante discurso em reunião com Trump e senadores e congressistas republicanos na Filadélfia. “Estou encantada que o novo governo tenha transformado o acordo comercial entre nossos países em uma de suas prioridades. Esse tratado deve servir para ambos e servir para os interesses mútuos”, afirmou Theresa May. A discussão de um acordo bilateral desagrada a União Européia, que havia pedido que os britânicos encerrassem os detalhes sobre a saída do bloco antes de iniciarem novas negociações comerciais. A imprensa européia e norte-americana já compara a relação de Theresa May e Donald Trump à da primeira-ministra Margaret Thatcher e do presidente republicano Ronald Reagan, na década de 1980.

Contêineres vão alojar presos no presídio destruído de Alcaçuz

Cerca de 1.000 presos da Penitenciária de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, serão acomodados em contêineres até a desativação completa do presídio, que está completamente destruído. O governo potiguar decidiu alugar 50 contêineres, que serão adaptados para servir de cela. As unidades serão instaladas dentro dos muros de Alcaçuz. Cada uma terá capacidade para alojar 20 detentos, totalizando 1.000 vagas. A medida foi tomada em caráter de emergência, em razão da destruição do presídio. Há muitos anos Videversus prega que sejam montados uma espécie de presídio de campanha, formado por contêineres. Esses acampamentos de prisioneiros podem ser montados em grande rapidez e custam barato. É uma maneira de os Estados gerarem vagas prisionais em grande velocidade, o que é necessário para encarcerar a gigantesca quantidade de bandidos que andam soltos, e aqueles que os juízes soltam por falta de vaga nos presídios. A primeira grande política de segurança no País consiste em prender bandidos; a segunda, em armar a população; a terceiro, liquidar os infames mecanismos de progressões de pena. Bandido tem que penar, tem que pagar por inteiro a pena a que foi condenado. 

Juízes auxiliares do STF concluíram na sexta-feira a fase de depoimentos de delatores da Odebrecht

Os juízes auxiliares do Supremo Tribunal Federal concluíram na sexta-feira (27) a fase de depoimentos complementares dos 77 delatores ligados à empreiteira Odebrecht na Operação Lava Jato. Com a conclusão, as delações estão prontas para serem homologadas. Em razão da morte do ministro Teori Zavaski, relator da Lava Jato no STF, os integrantes da Corte discutem reservadamente, desde o início da semana, a quem cabe fazer a homologação. A homologação poderá ser feita pela presidente Cármen Lúcia, em função do período de recesso na Corte, que termina na quarta-feira (1º). A medida também poderia ser tomada pelo novo relator, que seria sorteado entre os integrantes da Segunda Turma, colegiado integrado por Teori. Um dos últimos depoimentos foi o do empresário Marcelo Odebrecht. Ele prestou depoimento na manhã de sexta-feira (27) na sede da Justiça Federal, em Curitiba. O objetivo foi confirmar se o executivo, que está preso na capital paranaense desde junho de 2015, concordou por vontade própria, e sem ser coagido, em firmar acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal para fornecer detalhes sobre o esquema de corrupção envolvendo a empreiteira Odebrecht e a Petrobras. Outro executivo da empresa também foi ouvido por Marcio Schiefler na sexta-feira. Esta é uma etapa formal do processo para que a delação premiada possa ser homologada, isto é, para que se torne juridicamente válida. O ministro Teori Zavascki, que morreu na queda de um avião na semana passada, era relator da Lava Jato no STF e havia autorizado que seus juízes auxiliares colhessem os depoimentos de confirmação ainda em janeiro, durante o recesso do Judiciário. Os depoimentos haviam cessado após a morte do ministro relator, mas os juízes auxiliares do ministro foram autorizados, na última terça-feira (24), a retomar os procedimentos. A ordem partiu da presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, a quem cabe decidir sobre atos urgentes durante o recesso.

Médicos fazem reexame para checar possível infecção no cérebro de Marisa Letícia


O Hospital Sírio Libanês, maior boutique da saúde do Brasil, abriu investigação interna para saber se o material acima foi pirateado por algum profissional do hospital. O jornalista Claudio Tognolli foi quem primeiro divulgou a reprodução. Ele disse que não conseguiu o furo via alguém do Hospital Sírio Libanês, portanto sobrou a suposição de que ele obteve tudo no hospital de São Bernardo do Campo, que foi o primeiro a atender a petista Marisa Letícia. A ex-primeira-dama Marisa Letícia, mulher do poderoso chefão da organização criminosa petista e ex-presidente Lula, segue internada em coma induzido na UTI. Ela apresenta quadros clínico, neurológico e tomográfico estáveis, segundo o boletim médico divulgado às 11h50 de sexta-feira. A pressão intracraniana também está sob controle, "com as medidas de suporte intensivo", ressalta a nota. Marisa Letícia passou por mais uma tomografia na manhã de sexta-feira para verificar se houve melhora na infecção que se formou em seu cérebro. Os médicos que acompanham Marisa pediram o novo exame para avaliar se o grau de infecção provocado pela hemorragia cerebral melhorou ou piorou. O médico Roberto Kalil Filho, chefe da junta que atende Marisa Letícia, explicou que a atividade cerebral só chega ao seu pico depois de no mínimo três dias de um trauma como o AVC. Na sexta-feira, quando completou-se o terceiro dia, o médico estava esperançoso de que fosse possível fazer uma melhor avaliação das regiões do cérebro afetadas pela hemorragia.

Bovespa pediu explicações ao Banrisul após ações subirem de 14% em um dia

A especulação sobre a privatização do Banrisul, que ganhou novos contornos na quinta-feira, após uma reportagem do jornal Valor Econômico, fez as ações do banco subirem de mais de 14% em um dia e levou a Bovespa a cobrar uma explicação da instituição. Na manhã de sexta-feira, o Banrisul respondeu à Bolsa de São Paulo com um comunicado em que informou não ter identificado "nenhuma informação que tivesse partido do Banco ou mesmo de seu controlador, o Estado do Rio Grande do Sul, que justificasse tal movimentação". No documento, a instituição afirma que a movimentação atípica se deu mesmo por causa do texto do jornal. De acordo com a reportagem do Valor, fontes do governo federal teriam admitido que "dificilmente o problema do Estado será resolvido sem a venda". Apesar da declaração do ministro, o secretário da Fazenda, Giovani Feltes, negou o interesse do Estado em vender o banco e afirmou que a privatização não é condição para fechar o acordo de socorro financeiro ao Estado. Na noite de quinta-feira, entretanto, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que a venda do Banrisul estará na mesa de negociação do socorro financeiro do governo federal ao Estado. Ele informou que não vai impor a venda do banco como condição de auxílio, mas a sua federalização ou privatização poderia ampliar as vantagens oferecidas na ajuda. Apesar das reações do governo gaúcho, o valor das ações do banco subiram, fechando o dia com uma variação de 14,21% em relação à quarta-feira. O aumento na cotação das ações BRSR6, do Banrisul, movimentou cerca de R$ 65 milhões. Na sexta-feira, as ações continuaram subindo, chegando a 16,5% por volta das 10h20min.

Putin tem um novo brinquedinho de guerra, o ultramoderno caça Mig-35


A Rússia apresentou nesta sexta-feira seu novo avião símbolo: o caça Mig-35, uma aeronave multifuncional de última geração que, segundo seus construtores, não encontra similares no mundo. O novo avião de combate, que começará a ser produzido em série em 2019, foi exibido à imprensa no aeroporto de Lujovitsi, cerca de 140 quilômetros ao sudeste de Moscou. A aeronave herdou a composição aerodinâmica do Mig-29 — um dos caças mais populares da quarta geração — dotada de tecnologia que a torna indetectável para os radares e que pode levar até sete toneladas de armas. “É uma máquina de combate ótima para conflitos de alta intensidade”, explicou na apresentação Sergei Korotkov, vice-presidente de Inovações da Corporação Aeronáutica Unida da Rússia (OAK). Korotkov destacou que o Mig-35, por suas características, pode usar todo o espectro de armas existentes, inclusive as mais avançadas e aquelas desenvolvidas especialmente para caças pesados. Segundo a fabricante Mig, seu novo caça leve foi concebido e adaptado para os mercados de 30 países, razão pela qual tem grande potencial de exportação. Oficialmente, os voos de teste do novo caça Mig-35 começaram nesta quinta-feira e foram presenciados por meio de videoconferência pelo presidente russo, Vladimir Putin, que aprovou. “É uma máquina realmente única”, disse o chefe do Kremlin após ver o caça no ar. O Mig-35 tem um raio de ação de combate de 1.000 quilômetros, pode desenvolver uma velocidade de até 2,25 Mach (quase 2.800 km/h) e alcançar uma altura máxima de 17.500 metros.

Meirelles ainda não começou a discutir a venda do Banrisul com Sartori


A possibilidade de privatizar o Banrisul não foi comentada na primeira reunião entre o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, e o governador José Ivo Sartori. Na terça-feira, em Brasília, eles iniciaram as tratativas do socorro financeiro ao Estado. A negociação ainda não chegou ao ponto de indicar quais estatais o Piratini colocará à disposição da União para garantir um reforço extra no caixa. A eventual venda do Banrisul foi noticiada pelo jornal Valor Econômico. Mas, a equipe econômica do governo federal não coloca o banco como condicionante para fechar o acordo com o Rio Grande do Sul. O assunto pode aparecer nas próximas semanas, mas não está na mesa. Fontes do Tesouro Nacional garantem que a discussão do socorro está em fase inicial, com a troca de documentos entre as partes. No momento, o Tesouro Nacional faz um pente-fino na situação financeira do Estado. O órgão checa se o déficit apresentado pelo Piratini bate com dados da União e realiza projeções de receitas e despesas. Concluído o diagnóstico, será a vez de formatar o ajuste. Sartori já foi avisado por Meirelles que o tamanho da ajuda será proporcional ao valor de mercado dos ativos que ele pretende repassar à União para privatização posterior. Além do Banrisul, a Corsan desperta interesse em Brasília. Segundo participantes da reunião de terça-feira, o encontro tratou da recuperação fiscal de forma "genérica". Além de Sartori e Meirelles, estavam na mesa o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, e o secretário da Fazenda, Giovani Feltes.  Na conversa, Meirelles fez um relato da negociação do socorro ao Rio de Janeiro, que inclui a venda da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae). A estatal e a antecipação de royalties do petróleo garantirão recursos extras ao Rio, além da carência de 36 meses no pagamento da dívida com a União. Sartori, por sua vez, descreveu seu ajuste fiscal, explicou os projetos já aprovados na Assembleia e o que ainda precisa ser votado, como o fim da exigência de plebiscito para privatizar a CRM, Sulgás e CEEE. Ao final da reunião, o governador negou categoricamente, diante dos repórteres, a chance de vender o Banrisul. Sua posição é conhecida no Palácio do Planalto. Entre técnicos da Fazenda, corre a avaliação de que, sem o Banrisul, a ajuda será insuficiente para equilibrar as contas do Piratini. Assessores políticos do governo federal, que acompanham a negociação, não descartam a discussão a fundo da privatização do banco. Apenas a carência no pagamento da dívida não será suficiente para garantir salários de servidores em dia.

Eliseu Padilha quer a Ecosul duplicando a BR 116, sem licitação, por mais tempo de concessão

O ministro Eliseu Padilha disse que o governo federal vai sugerir que a duplicação da BR-116 no Rio Grande do Sul fique a cargo da Empresa Concessionária de Rodovias do Sul (Ecosul), que assumiria a obra em aproximadamente 115 quilômetros, entre Camaquã e Pelotas. Este trecho já é pedagiado, mas a concessionária é responsável apenas pela conservação da pista existente. Segundo Eliseu Padilha, a Ecosul teria, em contrapartida, seu contrato prorrogado por mais alguns anos. Hoje o vínculo, que se iniciou em julho de 1998, tem previsão de término em julho de 2023. "O que o governo vai tentar ver é se a Ecosul, que é a concessionária, não tem interesse na forma dessa nova medida provisória que aí está. Ela pode perfeitamente fazer algum tipo de negociação. Qual é a negociação que interessa ao governo? A duplicação entre Camaquã e Pelotas feita rapidamente. Porque o Dnit fará de Porto Alegre (a duplicação começa em Guaíba) até Camaquã, que não está concedida. Ainda está com o Dnit". Eliseu Padilha destacou que os demais 96 quilômetros, entre Guaíba e Camaquã, ficariam sob responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). O Ministério dos Transportes prepara um novo plano de pedágios para rodovias federais do Rio Grande do Sul. Porém, na atual previsão, este trecho não está incluído. Atualmente, as obras de duplicação da BR-116 já estão 59% concluídas. Porém, não há qualquer ponto novo com circulação de veículos. Há alguns trechos quase prontos que, somados, representariam em torno de 60 quilômetros de pista nova. Eles estão localizados nos lotes 01, 02, 06, 08, e 09. Para 2017, a duplicação tem apenas R$ 61 milhões previstos para investimento. Dos nove trechos de obra, apenas um tem um ritmo considerado adequado de trabalho. É o lote 07, da construtora Sultepa. O motivo é que a empresa ficou um tempo sem realizar obras no local por ter entrado em recuperação judicial. Dessa forma, havia recurso represado, que a empresa está tendo acesso agora. Outros três estão ativos, mas com pouca movimentação: 01, 04 e 08. Os demais lotes estão parados: 02, 03, 05, 06 e 09. Do total de R$ 1 bilhão previsto para a obra, o Dnit já pagou cerca de R$ 614 milhões. Os trabalhos iniciaram-se em datas distintas, com sete meses de diferença entre o lote que começou primeiro — em outubro de 2012 — ao que começou por último — em maio de 2013. A previsão era de que toda a obra fosse concluída em 2015.