sábado, 6 de maio de 2017

JOSÉ ROBERTO GUZZO, EX-DIRETOR E VEJA E ATUAL COLUNISTA DE VEJA, DESANCA GILMAR MENDES, QUE MANDOU SOLTAR EIKE BATISTA, CLIENTE DO ESCRITÓRIO ONDE TRABALHA SUA MULHER



Leia o que diz José Roberto Guzzo: "O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, é uma fotografia ambulante do subdesenvolvimento brasileiro. Não há nada de especial com ele -- é apenas mais um, na multidão de altas autoridades que constroem todos os dias o fracasso do país. Mas o ministro habita o galho mais elevado do Poder Judiciário, e é ali, no fim das contas, que se resolve se o Brasil é governado sob o império da lei, como acontece obrigatoriamente nas nações bem sucedidas, ou se, ao contrário, é governado segundo os desejos pessoais dos que mandam na vida pública, como acontece obrigatoriamente do Terceiro Mundo para baixo. Com as decisões que tem tomado, tirando da cadeia milionários envolvidos no maior processo de corrupção da história nacional, Mendes optou por adotar a figura do grão-magistrado de uma república bananeira — ele e mais outros tantos, entre os seus dez colegas do STF. Um requisito essencial para bloquear o desenvolvimento de um país é utilizar a lei para anular a eficácia da própria lei e eliminar as noções de “justo” e “injusto”. É como funciona, precisamente, a nossa mais alta corte de Justiça. Todos sabem o que o ministro Gimar Mendes acaba de fazer. Soltou o campeão nacional Eike Batista, empresário-modelo dos ex-presidentes Lula e Dilma Rousseff, preso no Rio de Janeiro por corrupção e outros crimes; em seguida, foi o voto determinante na decisão de soltar o ex-ministro José Dirceu, cuja folha corrida não cabe no espaço desta e das demais páginas da corrente edição. Não se vão discutir aqui, em nenhum dos dois casos, a hermenêutica, a ideologia, a holística e outras charadas da suprema doutrina jurídica, que nossos altos magistrados costumam utilizar para dar uma cara científica às suas sentenças — o autor deste artigo não entende nada de direito e, além do mais, seria inútil tratar de coisas incompreensíveis para qualquer mente humana em regime normal de operação (…) O problema do ministro Gilmar Mendes é muitíssimo mais simples; ele é casado com dona Guiomar Mendes, e dona Guiomar Mendes trabalha no escritório de advocacia Sérgio Bermudes, do Rio de Janeiro, muito procurado por magnatas em busca de socorro penal. Um deles é Eike Batista. Ou seja: “Gil” mandou soltar um cliente do escritório de “Guio”. Pode? É claro que não. O ministro, pela interpretação normal da palavra integridade, teria de ter passado o julgamento de Eike para um de seus colegas; não pode estar no STF e, ao mesmo tempo, decidir causas em que sua mulher tem interesses. Ele e seus admiradores alegam que o ato não foi flagrantemente ilegal. Bom, só faltava que fosse — até as ditaduras mais soturnas tentam evitar decisões 100% ilegais. Mas foi, com certeza, flagrantemente esquisito. (…) Mas sempre é possível achar na lei uma pirueta para legalizar aquilo que os julgadores querem que seja legal; há 500 anos eles estão achando saídas para tudo. Contrariam o senso mais compreensível de justiça. Transformam qualquer coisa em fumaça. Têm horror ao que chamam de “pensamento leigo”. Acham a lógica comum uma ameaça ao estado de direito. Não estão preocupados com fazer justiça. O que querem é defender os próprios interesses ou — vá lá — suas ideias e suas vaidades pessoais. É uma história ruim". O escritório de Sérgio Bermudes, onde trabalha a mulher de Gilmar Mendes, é especialista em um tipo de advocacia muito estranha, a tal justiça arbitral. Nessa Justiça singularíssima, tudo é tratado em segredo absoluto acordado entre as partes, nada vem a público. Sérgio Bermudes e seu escritório são poderosíssimos na Corte Arbitral da FGV, onde têm grande ascendência. O mais inacreditável (coisas que só acontecem na república brasileira) é que estatais brasileiras e suas subsidiárias, que tratam com recursos públicos, vale dizer, do distinto público, utilizam os serviços dessas cortes arbitrais, onde tudo e todos os acordos ali feitos ficam absolutamente em segredo. Ha um Brasil, até hoje, que é só para iniciados. E a mulher do ministro Gilmar Mendes faz parte dessa corte. 

Comunistas trotskistas confirmam neste final de semana o controle do PT no Rio Grande do Sul





Neste final de semana, Ary Vannazi, Pepe Vargas e Ivar Pavan disputam comando gaúcho do PT. Ary Vannazi, Pepe Vargas e Ivar Pavan disputam neste final de semana a presidência estadual do PT. O partido começou hoje sua convenção estadual. Não há muda nada entre eles. Todos os três fazem parte do partido comunista trotskista revolucionário clandestino DS - Democracia Socialista. Este partido comunista trotskista revolucionário clandestino parasita o corpo do PT desde o início da vida do partido no Rio Grande do Sul. Essa seção regional petista sempre foi comandada por comunistas trotskistas revolucionários clandestinos. A DS é uma organização comunista clandestina diretamente derivada do antigo POC (Partido Operário Comunista), existente na década de 60 e extinto no início dos anos 70. O POC resultou da junção da antiga Dissidência do PCB (Partido Comunista Brasileiro) com a POLOP (Política Operária), organização comunista trotskista revolucionária na qual a mulher sapiens petista Dilma Rousseff fez sua entrada na vida comunista. O "papa" da DS gaúcha é o economista e ex-deputado estadual Raul Pont, que já foi secretário geral nacional do PT no período do Mensalão. Esses caras todos mandaram no Rio Grande do Sul por dois governos, e na capital Porto Alegre por 16 anos seguidos. O Rio Grande do Sul e Porto Alegre não chegaram à falência por acaso. Viram como os eleitores gaúchos e portoalegrenses são espertos? E ainda tem gente com o peito de dizer que o gaúcho é o sujeito mais politizado do Brasil. Uma coisa é certa sobre o gaúcho: ele sabe que levar à falência qualquer coisa.

Tesouro vai vender ativos do Fundo Soberano

O Tesouro Nacional informou nesta sexta-feira (5) que terão início as operações de venda de ativos do Fundo Soberano. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, anunciou a decisão de vender as ações há cerca de um ano, com o objetivo de ajudar a conter o déficit público. Na época do anúncio, o valor estimado dos recursos do fundo era R$ 2 bilhões. Segundo nota do Tesouro, as operações com os ativos serão executadas em um programa prolongado de vendas, sujeito às condições de mercado e a ser realizado ao longo de dois anos. Serão vendidas ações do Banco do Brasil detidas pelo Fundo Fiscal de Investimento e Fiscalização (FFIE). Trata-se de um fundo privado do qual a União é cotista única, com ações do Fundo Soberano do Brasil. “A Secretaria do Tesouro recomendou à BB Gestão de Recursos DTVM S.A. que envide seus melhores esforços para a alienação das ações do Banco do Brasil de forma mais neutra possível em termos de impacto no preço do ativo, com o objetivo de assegurar liquidez em sua carteira compatível com a intenção de resgate de cotas”, informa o comunicado do Tesouro. O Fundo Soberano foi criado após o anúncio do programa de exploração do pré-sal com objetivo de funcionar como uma espécie de poupança com o excedente do superávit primário. Entre as finalidades apresentadas para justificar sua criação estavam a proteção da economia brasileira contra crises, a formação de poupança pública e a promoção de investimentos em ativos no Brasil e no Exterior. O fundo foi formado em 2008 com sobras do superávit primário equivalentes a 0,5% do Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e riquezas produzidos no País).

Justiça de Minas Gerais decreta apreensão judicial de bens de Eike Batista


A 1ª Vara Empresarial de Belo Horizonte decretou a apreensão judicial dos bens de Eike Batista para que dívidas referentes à MMX Sudeste, empresa de mineração criada pelo empresário, sejam quitadas. De acordo com o recuperador judicial da empresa, Bernardo Bicalho, que entrou com a ação na Justiça, o débito é de R$ 790 milhões. A Justiça poderá apreender bens imóveis, aplicações financeiras e ações até atingir este valor. Eike Batista foi preso em janeiro na Operação Eficiência, após dois doleiros dizerem que ele pagou US$ 16,5 milhões (ou R$ 52 milhões) a Sérgio Cabral, ex-governador do Rio de Janeiro, em propina. Desde domingo (30), ele cumpre prisão domiciliar em sua casa, no Jardim Botânico, na Zona Sul do Rio de Janeiro. Eike estava preso no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, e foi solto depois que o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, concedeu habeas corpus na semana passada. Segundo a decisão da juíza substituta da 1ª Vara Empresarial de Belo Horizonte, Soraya Brasileiro Teixeira, o patrimônio pessoal de Eike Batista poderá ser usado para pagar o débito da empresa, que está em recuperação judicial desde 2014. Na época, a MMX disse que “ a medida visa preservar o valor da Companhia, sua função social e o estímulo à atividade econômica, atendendo de forma organizada aos interesses de seus credores e acionistas e contingenciando de maneira responsável os recursos existentes em caixa." A juíza comparou a MMX Sudeste a uma pirâmide financeira, cujo objetivo era dar lucro para os donos e prejuízo para credores e investidores. O advogado de Eike Batista, Fernando Martins, disse que os fundamentos da decisão estão sendo avaliados para se posicionar. Os bens do empresário já estão bloqueados por causa de outros processos judiciais. De acordo com a página da MMX na internet, o sistema Sudeste é formado pelas unidades Serra Azul e Bom Sucesso, ambas em Minas Gerais. Só a Serra Azul teria capacidade instalada para produzir anualmente cerca de 6 milhões de toneladas de minério de ferro.

Lobos voltam à Dinamarca após quase 200 anos



Grupos de lobos (entre eles, uma fêmea), voltaram a fazer parte da fauna da Dinamarca pela primeira vez em dois séculos, informou na quinta-feira um zoólogo que constatou o retorno por meio de testes de DNA. No século XIX, esses animais desapareceram completamente do país, exterminados por caçadores. “Sabíamos que desde 2012 alguns lobos tinham entrado na Dinamarca. Agora temos a prova de que há uma fêmea”, e existe a possibilidade de que ocorra algum nascimento nesta primavera, contou o pesquisador Peter Sunde, da Universidade de Aarhus. Esses animais vieram da Alemanha para se instalar no oeste da Dinamarca, a região agrícola com a menor densidade populacional do país escandinavo. “Eles percorreram um longo caminho, mais de 500 quilômetros. Acreditamos que são espécies jovens rejeitadas por suas famílias que buscam novos terrenos de caça”, explicou o pesquisador. Isso foi comprovado por meio de uma análise de DNA proveniente das pegadas dos animais, além de vídeos feitos em locais onde se suspeitava que havia a presença de lobos. Os cientistas estabeleceram o perfil genético de cinco indivíduos, quatro machos e uma fêmea, mas é possível que haja mais exemplares. A localização é mantida em segredo para não atrair possíveis caçadores. “O lobo é um animal cuja caça não é autorizada, e por isso devemos protegê-lo”, informou o diretor da Agência de Meio Ambiente, Henrik Hagen Olesen. Em outros países nórdicos, nos quais os animais possuem uma população mais expressiva, a caça aos lobos também é objeto de grandes discussões entre habitantes, pecuaristas, caçadores, governos, União Européia e defensores dos animais selvagens. 

Começou a intensa fritura de Maria Silva Bastos Marques na presidência do BNDES, os bandidos querem voltar a se apossar dos recursos do público


Circula a informação de que o presidente Michel Temer (PMDB) já teria decidido demitir Maria Silvia Bastos Marques da presidência do BNDES. Michel Temer tem algo em comum com Itamar Franco, além do fato de os dois terem assumido mandatos tampões após o impeachment dos titulares (Collor de Melo e Dilma Rousseff); os dois são como o personagem Forrest Gump, aquele que estava sempre no lugar certo, na hora certa, embora não tivesse a menor noção disso. Só os diferencia o fato de que Itamar Franco era um tremendo simplório, convicto de sua simploriedade, E isto foi o motivo de seu sucesso, o maior da história da República brasileira, o Plano Real, porque ele deixou trabalhar em paz quem entendia do "métier". Já Michel Temer é um Forrest Gump pretensioso, cheio de soberba, metido a entender de tudo. Entrará para a história como chefe de um "mandarinato" inútil, que travou a retomada do caminho brasileiro. No momento essa figura pomposa lastimável está empenhado, devidamente emprenhado por bicuíras et caterva, a detonar a economista Maria Silvia Bastos Marques da presidência do BNDES, posto que assumiu no dia 1º de junho de 2016. Puseram Maria Silvia no cargo justamente para dar credibilidade a um governo que começava sem qualquer credibilidade. Precisavam de alguém como ela para substituir o mais do que desastrado economista petista Luciano Coutinho. Este camarada conduziu o BNDES da maneira mais criminosa que podia ter sido conduzida em toda a historia mundial. A caixa preta do BNDES ainda não foi aberta, mas, com toda certeza, deixará o Petrolão como história de batedores de carteira. Maria Silvia Bastos Marques é uma mulher com uma carreira consagrada como administradora. 


Aos 60 anos (ela nasceu em 27 de dezembro de 1956, em Bom Jesus do Itabapoana, no Rio de Janeiro), ela é uma administradora e executiva brasileira com mestrado e doutorado em economia. Foi a primeira e única mulher a ocupar a presidência da Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), a maior siderúrgica integrada da América Latina. Por isso ganhou a alcunha de "Dama de Aço". É viúva do jornalista Rodolfo Fernandes. Foi secretária municipal de fazenda da cidade do Rio de Janeiro de 1993 a 1996 na gestão do prefeito César Maia e ficou conhecida como a "Mulher de 1 Bilhão de Dólares", referência ao valor do caixa do município deixado após sua saída, um fato inédito. Foi uma das poucas mulheres a ocupar um cargo de diretoria no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Incluída na lista da Revista Time como única mulher entre os doze executivos mais poderosos do mundo, no primeiro ano de sua gestão dobrou o faturamento da CSN. Antes de entrar para essa empresa, havia rejeitado convite do então presidente da república, Fernando Henrique Cardoso, para conduzir a Petrobras. Assumiu em janeiro de 2007 a presidência da Icatu Hartford, grupo líder em seguros de vida, previdência e capitalização, no ranking de empresas não ligadas a bancos de varejo. Qual é o motivo para a fritura de Maria Silvia Bastos Marques na presidência do BNDES? A explicação é simples. O BNDES é uma das grandes pragas nacionais. É a entidade mãe de intervencionismo na economia nacional. O BNDES é resultado direto do neokeynesiasmo macunaímico, aquela concepção econômica segundo a qual onde não há sobra de capital privado necessário para investimentos na economia então é necessária a intervenção do Estado para suprir esse papel. O BNDES é a instituição dos sonhos dos páracapitalistas estatais brasileiros, essa turma que monta negócios próprios com dinheiro do público (ou seja, dos contribuintes). Para disponibilizar dinheiro para os páracapitalistas estatais (aqueles que nunca envolvem seus patrimônios pessoais no desenvolvimento de seus negócios), os governos emitem títulos (endividam o Estado, endividam os contribuintes, geram inflação, prejudicam os cidadãos), pegam o dinheiro no mercado pagando altíssimos juros, repassam o dinheiro para o BNDES, que financia os páracapitalistas estatais a juros de avô para neto, a custo zero, Como essa cambada de filhos da puta jogou o País em uma crise monumental, a maior de toda sua a história como nunca antes tinha acontecido, foi preciso estancar a emissão de títulos (endividamento púbico) para continuar financiando os parasitas corruptos páracapitalistas estatais brasileiros. E como a arrecadação da União caiu brutalmente, além de as contas públicas apresentarem monumentais déficits, então só restaria aos vagabundos "Forrest Gump" do momento o BNDES para reativar a política criminosa "neokeynesiasta". Assim voltariam a ativar a economia e criar empregos. Assim imaginam os vagabundos, os marginais da política brasileira . Para retomar essa política econômica bandida, uma derivação da "nova matriz econômica" petista, é preciso afastar Maria Silvia Bastos Marques da presidência do BNDES e os criminosos corruptos possam se apossar novamente da instituição, recomeçando o jogo que miserabiliza a população brasileira em benefício das elites bandidas. O que está por trás da tentativa de derrubada de Maria Silvia Bastos Marques da presidência do BNDES é isso e tão somente isso. Ainda sofreremos muito até nós vermos livres desse indesejável "Forrest Gump" Michel Temer. Que saudades de Itamar Franco!!!! (Por Vitor Vieira)