domingo, 1 de outubro de 2017

Amigos de Lula e gente do PT sondou a família sobre a delação do porquinho "petista" Palocci


De acordo com pessoas próximas a Lula, depois do depoimento do "porquinho" petista Antonio Palocci à Lava Jato, a mãe dele, Toninha, enviou mensagem de solidariedade ao grande chefão da organização criminosa petista e ex-presidente Lula, demonstrando contrariedade com a opção do filho. Desde a prisão de Antonio Palocci pela Operação Lava Jato, em setembro do ano passado, dirigentes do PT e interlocutores de Lula X9 procuraram a família do ex-ministro em busca de informações sobre a possibilidade de ele fechar um acordo de delação premiada. 

Agora próximas a Lula, PT e Palocci, dirigentes do partido em Ribeirão Preto e líderes nacionais da legenda confirmam que procuraram o pediatra Pedro Palocci, irmão mais velho do ex-ministro, atrás de informações sobre a delação. Conforme essas fontes, a partir de maio, quando Palocci contratou um advogado especializado em delações, seu irmão deixou de receber os petistas, que interpretaram as negativas como um sinal de que Pedro estaria incentivando a delação. As relações financeiras e societárias do ex-ministro com seu irmão são alvo de investigações da Lava Jato. Ele comprou o Hospital São Lucas, em Ribeirão Preto.

Em abril, antes de Palocci propor o acordo de delação, o ex-prefeito de São Bernardo do Campo, o petista Luiz Marinho, presidente do diretório estadual do PT e um dos mais próximos aliados de Lula, se encontrou com Antonia Palocci, de 82 anos, fundadora do PT na cidade, a dona Toninha, mãe de Palocci, durante uma passagem por Ribeirão Preto. Fundadora do PT e membro suplente do diretório municipal, a mãe de Palocci era uma das mais ativas militantes do partido na cidade.

Fernanda Lima resolve se mudar para os Estados Unidos com a família


Nesta semana, começaram a circular notícias de que Fernanda Lima, Rodrigo Hilbert e os filhos se mudaram para Los Angeles, Califórnia, nos Estados Unidos. O novo endereço da família motivou uma onda de críticas nas redes sociais dos apresentadores. Em um post de Rodrigo Hilbert no Instagram, na última sexta-feira, muitos internautas deixaram comentários sobre a possível decisão do casal de deixar o Brasil. A prática é cada vez mais comum em publicações recentes do casal. Uma das críticas dizia: “Ué…para o país do Trump? Alguém avisa a Fernanda Lima que o país dos sonhos que ela defende é Venezuela”, escreveu o perfil @gibelao que também usou a hashtag #vivaahipocrisia. 

Em resposta às críticas do seguidor, Fernanda Lima publicou um comentário defendendo os Estados Unidos, embora não tenha confirmado oficialmente a mudança: “O país dos sonhos que eu defendo é aquele em que meus filhos podem ir de metrô para escola, que podem andar sem medo pelas ruas, que podem se expressar livremente e que possam ter acesso a informação profunda e de qualidade para não falarem abobrinhas por aí. Um bom dia pra vc também”. Fernanda Lima defendeu os EUA ao rebater um comentário de um seguidor de Rodrigo Hilbert que criticava a mudança da família para o país. Por que? Porque tem dinheiro, ora bolas !!! Este pessoal não tem compromisso de mudar o Brasil. Aproveitar a vida enquanto está vivo e somente isto. É típico do povo brasileiro, hedonismo acima de tudo.

Fernanda Lima é sobrinha do ex-deputado federal Nelson Proença, e o pai dela é um perito judicial. A família sempre viveu em volta da política. 

Catalunha faz seu referendo da independência em meio a grande repressão com mais de 1.000 feridos



Passa de 1.000 o número de cidadãos feridos ou contundidos em confrontos com policiais neste domingo, na Catalunha, entre os quais duas pessoas em estado mais grave. De acordo com informações do sistema de emergências médicas do governo da região, um homem foi ferido no olho com uma bala de borracha e o outro sofreu um infarto ao ser expulso de um centro de votação. Entre os policiais, foram contabilizados nove feridos até o momento. Dentro os cidadãos contundidos, 128 estão hospitalizados. Só na cidade de Barcelona foram registrados 280 feridos. Outras 187 pessoas se machucaram durante os confrontos em Girona e 111 em Lleida.

O uso de balas de borracha está proibido na Catalunha desde 2014 quando uma mulher ficou cega depois de receber um tiro durante uma manifestação realizada em Barcelona em novembro de 2012. Entretanto, um porta-voz da polícia espanhola admitiu o uso do armamento nas ações deste domingo. O ministério público da Espanha está analisando a possibilidade de punir a polícia catalã por sua atuação como uma “polícia política” neste domingo. Em comunicado, a prefeita de Barcelona, Ada Colau, exigiu “o fim imediato da ações policiais contra a população indefesa”.