domingo, 29 de outubro de 2017

Nissan Leaf, o carro elétrico mais vendido no mundo, chegará ao Brasil em 2019


O Nissan Leaf, carro elétrico mais vendido do mundo, chegará ao Brasil em menos de dois anos. O modelo fará parte de uma nova estratégia da marca para o País, que vai incluir híbridos. O carro deve ser apresentado no País durante o Salão do Automóvel de São Paulo 2018, com início das vendas previsto para o começo de 2019.

A confirmação foi feita no Salão de Tóquio, aberto ao público até 5 de novembro, por José Luis Valls, presidente da Nissan América Latina. "O Brasil é o principal mercado na região, tem que ser um dos primeiros a receber o modelo. Teremos também outras opções que completarão a estratégia", disse Valls.

O Leaf está em sua segunda geração — algumas unidades da anterior circulam pelas cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro, mas sempre como táxis ou carros de polícia cedidos pela Nissan em um período de testes. O modelo atual é vendido em três versões e pode trazer baterias com autonomia de até 320 quilômetros. O motor elétrico gera o equivalente a 150 cv de potência.

De acordo com o presidente da Nissan América Latina, ainda é cedo para definir o preço do Leaf no Brasil. Seu bom desempenho global de vendas se deve aos valores praticados mundo afora — que partem do equivalente a R$ 95 mil com incentivos fiscais nos Estados Unidos —, mas não se espera nada abaixo de R$ 120 mil no mercado nacional. O desenho está alinhado aos demais carros da Nissan, sem ser tão futurista quanto o Leaf anterior.

As dimensões são similares às de uma perua de porte médio, embora o desenho remeta a um hatch. As rodas são grandes, de 17 polegadas e com pneus mais largos do que o comumente visto em elétricos. Há bom espaço no banco traseiro, onde os ocupantes viajam com os joelhos em posição alta, similar ao que ocorre em picapes médias. Isso ocorre por causa da posição das baterias, que ficam instaladas sob o assoalho. Tanto os assentos dianteiros como os traseiros podem ser equipados com sistema de aquecimento.

Contudo, o uso desse recurso deve diminuir significativamente a autonomia do modelo. O espelho retrovisor interno parece ter o dobro do tamanho normal, em contraste com o volante pequeno, idêntico ao do SUV compacto Nissan Kicks. Colocada no centro do painel, a central multimídia do Leaf traz o trivial nos dias de hoje: tela sensível ao toque, sistema de navegação por GPS, áudio com Bluetooth e recepção de sinal de TV digital, que só funciona quando o carro está parado.

Já o quadro principal de instrumentos não é 100% digital: o velocímetro mantém o tradicional ponteiro, dando um ar de anos 1990 a um carro modernoso. Outro detalhe que remete a um passado não tão distante é o tocador de CDs, item que vem sendo abandonado em projetos recentes de sonorização automotiva. As forrações são claras nas versões mais caras, com couro e partes que imitam camurça.

Os modelos mais em conta contam com acabamento em tecido preto. A parte da frente acomoda o motor e os tantos cabos por onde corre a energia. Há também as tubulações do sistema de ar-condicionado. Com 435 litros, o porta-malas é curto e profundo — bagagens grandes precisam ser empilhadas. O teto pode ser pintado de uma cor diferente do resto da carroceria, da mesma forma que o modelo Kicks. O câmbio é um seletor redondo, mas não há muito para o motorista escolher: para frente e para trás.

Carros elétricos como o Leaf não têm escalonamento de marchas, e a força é jogada para as rodas de forma imediata. Um botão aciona o sistema e-Pedal, que passa a frear o carro assim que o motorista tira o pé do acelerador. O recurso ajuda a recuperar parte da energia despendida nas frenagens, poupando a carga das baterias.

Caetano Veloso vai fazer show em mega invasão da organização terrorista MTST em São Bernardo do Campo


O cantor e compositor Caetano Veloso vai apresentar, nesta segunda-feira (30), um show gratuito na mega-invasão da organização terrorista MTST - Movimento dos Trabalhadores Sem Teto, instalada em São Bernardo do Campo. O evento apoia a luta por moradia e a marcha que membros da ocupação farão até o Palácio dos Bandeirantes na terça-feira (31). Caetano Veloso está atualmente em turnê com os filhos, Moreno, Zeca e Tom Veloso, buscando uma reciclagem de sua vida artística. A mega-invasão estão instalada em um terreno particular, no bairro Assunção, em São Bernardo do Campo (Grande SP). São cerca 6.500 famílias no local, distribuídas em barracos feitos com ripas de madeira e plástico. 

Conforme o chefete da organização terrorista, Guilherme Boulos, essa é a maior invasão realizada pelo MTST nos últimos anos. O número de famílias supera as 3.500 que estavam na invasão Copa do Povo, em Itaquera (zona leste), meses antes do Mundial. As primeiras 500 famílias, muitas com desempregados, chegaram no dia 2 de setembro. Segundo Boulos, o MTST decidiu ocupar a área após fazer um levantamento nas favelas de São Bernardo que indicou falta de moradia na região do ABC. "O trabalho demonstrou que o problema de moradia era crítico, como o crescimento da ocupação demonstrou. Ninguém veio aqui por escolha". Isso é típico de canalhice esquerdopata. A cidade tinha um prefeito petista. Enquanto ele esteve na prefeitura. São Bernardo do Campo ficou livre da atuação terrorista do MTST. Assim que assumiu um prefeito do PSDB, dando fim ao império vermelho na cidade, acabou a paz. 

Segundo Boulos, a organização terrorista que ele comanda decidiu invadir o terreno porque ele estava vazio havia mais de 30 anos. O local é organizado por setores e tem uma cozinha comunitária. A área fica na rua João Augusto de Sousa e pertence à construtora MZM, que no dia 6 conseguiu na Justiça a reintegração de posse. Boulos disse que o movimento não vai deixar a área enquanto não conseguir uma "solução pacífica que contemple o direito de moradia das famílias". "Temos que tratar a questão com política pública. Moradia não é caso de polícia", afirmou Boulos. O que ele quer é dinheiro para comandar a construção de moradias. E aí já se sabe o que acontecerá!!!!

Paraná alcança 80% do eleitorado recadastrado pelo sistema biométrico


Nesta semana o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná atingiu a marca de 6.359.245 eleitores revisados biometricamente. Isto representa exatos 80,07% do eleitorado estadual. Somente este ano foram registrados 2.084.165 atendimentos, o que equivale a 102,77% da meta prevista para este ano. Meta esta que foi atingida dois meses antes do prazo final de 2017, que termina dia 15 de dezembro. Até o momento, uma média de 208.416 eleitores foram atendidos por mês, incluindo aí os meses de janeiro, fevereiro e março que não contaram com os procedimentos de revisão obrigatória.

Para o presidente do TRE-PR, desembargador Adalberto Jorge Xisto Pereira, “esta vitória reafirma a excelência dos serviços prestados pela Justiça Eleitoral do Paraná, alcançada a partir de um detalhado planejamento, aliado ao esforço coletivo de magistrados, promotores, servidores, requisitados e demais envolvidos no processo de recadastramento biométrico. Além disso, devo ressaltar o apoio contínuo e irrestrito das prefeituras, câmaras municipais e imprensa, que nos auxiliaram sobremaneira na divulgação, o que resultou no comprometimento dos eleitores que atenderam ao nosso chamamento”.

O Paraná possui exatos 7.942.159 eleitores. Em 2009, o município de Balsa Nova, na região metropolitana de Curitiba, inaugurou a biometria no Estado. Desde então, a Justiça Eleitoral tem realizado um grande planejamento para que todos os eleitores sejam recadastrados biometricamente.

A meta do TRE/PR é que ao menos 85% dos eleitores votem nas eleições de 2018 já por meio da identificação das digitais. Com este objetivo, foi montado no interior do Estado, desde do dia 03 de abril passado, um grande mutirão de atendimento nas zonas eleitorais do interior.

Pedidos de aposentadoria disparam até setembro


Os pedidos de aposentadoria por tempo de contribuição dispararam em 2017. De janeiro a setembro foram registrados 1,167 milhão de requerimentos no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), uma alta de 36,14% em relação ao mesmo período de 2016. O pico de pedidos de aposentadoria por tempo de contribuição – modalidade que não exige idade mínima – ocorreu no mês de maio, com 171.063 requerimentos, uma alta de 84% na comparação com o mesmo mês de 2016. Esse aumento está em linha com a percepção da sociedade sobre a possibilidade de votação da reforma da Previdência. Nos meses de março e abril, entidades sindicais convocaram greve geral para protestar contra a reforma.

A divulgação das gravações dos executivos da JBS e as denúncias da Procuradoria-Geral da República contra o presidente Michel Temer congelaram as discussões sobre a reforma da Previdência no Congresso. Os pedidos de aposentadoria acabaram desacelerando em agosto e setembro. Mesmo assim, ainda estão em patamares superiores aos requerimentos de 2016.

Para o presidente do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Leonardo Gadelha, o aumento no pedido de aposentadorias reflete uma série de fatores, não apenas a reforma da Previdência. “Sazonalmente, existem mais pedidos na virada do ano. As pessoas juntam documentos no fim de ano e os pedidos aumentam entre janeiro e março. Tivemos uma grande greve em 2015 e muitos pedidos ficaram represados, trazendo reflexos para 2016 e 2017”, disse.

Ele admite que a perspectiva de reforma da Previdência contribuiu para o aumento. “Pode ser que o anúncio da reforma tenha feito algumas pessoas procurar o INSS. Diria que é a soma de todos os fatores”, afirmou Gadelha. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse nesta semana que a prioridade do governo agora é a aprovação da reforma da Previdência. Segundo ele, a reforma da Previdência é a prioridade número um do governo. A número dois é a reforma tributária.

A comunista Marina Silva, a "santinha da floresta", diz que anunciará logo decisão sobre candidatura



Marina Silva, a "santinha da floresta", comunista ex-militante do PCdoB e do PCR, disse esta semana que sua candidatura "ainda está em processo de definição”. Ela falou isso na manhã de sábado, em Porto Alegre, durante a reunião de seu partido, a Rede Sustentabilidade. Em 2014, Marina Silva recebeu 22,2 milhões de votos no primeiro turno da corrida ao Planalto, ficando em terceiro lugar. Sobre a disputa anterior, Marina Silva disse que foi marcada pela “campanha do ódio, da corrupção, da mentira e do medo”.

Claro, como ela é uma "santinha da floresta", ela não faz nada disso. A ex-ministra petista tem viajado pelo Brasil para participar de encontros de seu partido. Antes de falar aos correligionários em Porto Alegre, palestrou sobre sustentabilidade para universitários na noite de sexta-feira em São Leopoldo, na região metropolitana, na esquerdopata Unisinos. “Voltei agora de Sergipe, estou no Rio Grande do Sul hoje, amanhã estarei em São Paulo, essa é a minha rotina de vida”, comentou.

Enquanto Marina Silva não anuncia sua decisão, políticos da Rede ventilam outras possibilidades para a candidatura própria. Se antes já se falava na chance de uma chapa com Joaquim Barbosa, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa, agora é o nome do também ex-ministro do Supremo, Ayres Britto, que tem ganhado força na Rede. 

“O ministro Ayres Britto é um amigo querido, conversamos muito, mas nunca falamos sobre filiação. Ele nunca declinou nenhum interesse para participar do processo político eleitoral. Ele é uma figura política que tem ajudado muito o Brasil”, disse Marina sobre a participação do jurista em uma chapa majoritária. “Tem que ver se ele está disposto. É uma possibilidade também, pela proximidade com Marina”, disse a VEJA o deputado federal João Derly (Rede-RS), também ex-comunista, eleito pelo PCdoB.
.
Sobre a polarização política que tem dividido o País, a "santinha da floresta" Marina Silva disse que “se multiplica como pepino na cerca”, expressão em referência à planta trepadeira que se desenvolve com rapidez. E considera o fenômeno como prejudicial ao Brasil. “O Brasil é um país que tem vivido sobre a égide da polarização: República x Império, Arena x MDB, Ditadura x Democracia, PT x PSDB. Isso tem feito muito mal para a sociedade brasileira. Esse é um momento de encontrar um caminho que não seja do embate, do ódio, que se discuta as propostas e não os rótulos como foi em 2014. Em 2014, não se debateu o Brasil”, falou ela, apresentando-se, é claro, como a Madre Teresa de Calcutá do Brasil, como se fosse possível eliminar toda a sua história política revolucionária. 

Delator diz que Romário recebeu R$ 5 milhões para apoiar a candidatura do governador Pezão no Rio de Janeiro



Romário vai ter que mostrar que é bom de drible fora de campo também. Em sua delação, o ex-assessor de Pezão, Hudson Braga, diz que o baixinho recebeu 5 milhões de reais para apoiar o atual governador na eleição de 2014.

Exposição de "arte" em colégio de Cambé causa repulsa nacional

Um trabalho de “arte” vem causado uma grande polêmica entre estudantes, pais, igreja católica e evangélicos em Cambé, cidade localizada no oeste do Paraná. A exposição foi feita por alunos do Colégio Estadual Dom Geraldo Fernandes, no Jardim Silvino, e chocou a comunidade local ao serem queimadas e rasgadas páginas da Bíblia, nas quais foram foram feitas colagem de manchetes sobre abusos sexuais cometidos por padres e pastores. Outra imagem política da exposição de "arte" foi a de uma boneca cometendo suicídio. Colado à boneca, a frase inscrita: “Solução para seus defeitos”. Outro ponto polêmico foi relacionado ao aborto. A exposição de "arte" dos estudantes mostra formas como o aborto pode ser praticado. Segundo o delegado Roberto Fernandes de Lima, uma mãe registrou queixa por se sentir incomodada com a exposição. O delegado considerou o evento realizado um absurdo e garantiu que, na segunda-feira, a direção da escola será intimada para prestar depoimento. Na sequência pais e alunos também devem ser ouvidos. Alguns pais procuraram a delegacia de Cambé onde foi confeccionado um boletim de ocorrência e também encaminharam denuncia ao Ministério Publico. Uma comissão formada por pais foi até a Câmara de Vereadores de Cambé cobrando uma ação por parte dos vereadores. A degradação moral da sociedade brasileira vem assumindo ares de calamidade nacional. A juventude está completamente dominada pelo amoralismo, tem desprezo pela educação formal e vive obcecada pela questão sexual e por idéias de assassinatos e justiçamentos. Essa juventude representa o fim da noção de ordem, da possibilidade vida social institucionalizada. Em resumo, é a barbárie patrocinada pelo sistema oficial de ensino.