segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Fundos de investimento registraram captação recorde de R$ 260 bilhões em 2017

Os fundos de investimento tiveram captação líquida recorde de R$ 259,8 bilhões em 2017, o que representou um crescimento de 98,9% em relação ao ano anterior, informou a Anbima (associação das entidades de mercado de capitais) nesta segunda-feira (8). O patrimônio líquido dos fundos somou R$ 4 trilhões, segundo a associação. Os fundos multimercados tiveram maior ingresso no ano passado, com captação passando de R$ 19,6 bilhões em 2016 para R$ 101 bilhões no ano passado, representando um crescimento de 414%. Os fundos de ações, que registraram captação negativa de R$ 4,8 bilhões em 2016, conseguiram ter saldo positivo de R$ 20,6 bilhões em 2017. A captação da renda fixa foi de R$ 57,6 bilhões, estável em relação a 2016. Nos fundos de Previdência, a captação caiu 5%, para R$ 45,4 bilhões. 

Para Carlos Ambrósio, vice-presidente da Anbima, o ano passado ajudou a popularizar os fundos no Brasil, o que se reflete nos resultados recordes. "Os produtos acessíveis a todos os bolsos e a taxa de juros em queda contribuíram para atrair as atenções e as aplicações das pessoas físicas", complementa. 

No que diz respeito à rentabilidade, os fundos de ações lideraram os ganhos no ano passado. O tipo Small Caps, com ações de empresas de menor capitalização na Bolsa, teve retorno médio de 44,34% no ano passado. Na renda fixa, a maioria dos produtos superou o rendimento da poupança no ano passado, que foi de 6,65%. 

O tipo de renda fixa alta duração crédito livre, que pode aplicar em papéis de risco maior e de prazos mais longos, teve retorno médio de 14,20%. Já entre os fundos multimercados, os de tipo long and short direcional, que operam com ativos e derivativos ligados à renda variável, e macro –que operam com estratégias baseadas em cenários macroeconômicos de médio e longo prazos– registraram rentabilidades média de 15,61% e 14,08%. 

Terroristas comuno-petistas fizeram hoje o primeiro ataque diante do TRF 4 para amedrontar desembargadores que vão julgar Lula no dia 24


Noventa terroristas comuno-petistas fizeram hoje a primeira manifestação para amedrontar os desembargadores federais que julgarão a apelação do chefão da organização criminosa petista, Lula, no dia 24 de janeiro, no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre. Os terroristas comuno-petistas estenderam uma faixa de 40 metros na calçada em frente ao prédio do TRF 4, com os seguintes dizeres: "TRF 4 - Interrompa o Golpe". Ou seja, já deixaram a sentença que elaboraram na cabeça deles, a de que o julgamento se constitui em um "golpe", e deram uma ordem. Portanto, é possível imaginar que farão qualquer coisa caso não sejam atendidos. O TRF-4 é apresentado como antro de golpistas. 

Os 90 manifestantes lulopetistas intitulam-se membros de um esotérico Comitê em Defesa da Democracia e de Lula ser Candidato de Porto Alegre. O objetivo da manifestação, segundo eles mesmos, foi denunciar uma inexistente perseguição judicial ao ex-presidente, cujo processo teria tramitado em tempo recorde no tribunal. Se alguém tinha alguma dúvida sobre as intenções desses bandidos, agora não há qualquer dúvida. Outra coisa, os terroristas já estão em Porto Alegre, têm uma estratégia de ação definida e já estão em campo. Preparem-se, porque virão novas ações. Se o Exército e seu setor de inteligência não tomarem iniciativa, os terroristas comuno-petistas assaltarão Porto Alegre. 

Prumo contrata Siemens e Andrade Gutierrez para construir termelétrica no Porto do Açu


A Gás Natural Açu, subsidiária da Prumo Logística, aprovou a contratação de um consórcio formado por Siemens e Andrade Gutierrez para construir uma termelétrica de cerca de 1,3 gigawatt em capacidade no Porto do Açu, no Estado do Rio de Janeiro. A Prumo disse que as obras devem começar ainda no primeiro trimestre e que o contrato prevê o fornecimento pelas empresas de soluções de engenharia, suprimentos e construção do empreendimento. 
A termelétrica, chamada UTE GNA I, é fruto da aquisição pela Prumo de um projeto da Bolognesi Energia, que já possuía contratos de venda da produção, fechados em um leilão do governo federal para novos empreendimentos de geração. Após a aquisição, a Prumo negociou a mudança de titularidade e de localização do projeto, antes previsto para ser implementado em Pernambuco.

"A instalação da termelétrica é parte do Açu Gas Hub, projeto em desenvolvimento no Complexo Portuário do Açu, cujo objetivo é constituir uma solução logística para o recebimento, processamento, consumo e transporte de gás natural produzido nas Bacias de Campos e Santos, assim como importação e armazenagem de Gás Natural Liquefeito (GNL) importado", destacou a Prumo.