quarta-feira, 4 de abril de 2018

General Luiz Gonzaga Schroeder Lessa diz que Supremo vai detonar a violência no País se livrar o bandido corrupto Lula da cadeia

Se conceder nesta quarta-feira (4) o habeas corpus preventivo ao bandido corrupto, lavador de dinheiro, chefe da organização criminosa petista e ex-presidente Lula, condenado em segunda instância por corrupção e lavagem de dinheiro, o Supremo Tribunal Federal estará induzindo a violência entre os brasileiros, na opinião do general de Exército da reserva Luiz Gonzaga Schroeder Lessa. O general, que foi comandante militar do Leste e da Amazônia, disse que, se votarem a favor do habeas corpus, os ministros estarão “propagando a luta fratricida, em vez de amenizá-la”.



"O que querem no momento é abdicar da justiça e fazer politicagem na mais alta corte do país”, afirmou Lessa. Segundo ele, se o Supremo permitir ainda que Lula seja candidato e se eleja ao Planalto, a única alternativa será a intervenção militar. “Se acontecer tanta rasteira e mudança da lei, aí eu não tenho dúvida de que só resta o recurso à reação armada. Aí é dever da Força Armada restaurar a ordem. Mas não creio que chegaremos lá”, afirmou. Na noite desta terça (3), véspera do julgamento sobre o habeas corpus de Lula no STF, o comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, disse em rede social que repudia "a impunidade". Ele se disse ainda "atento às suas missões institucionais", sem detalhar o que pretendeu dizer com a expressão. "Asseguro à Nação que o Exército Brasileiro julga compartilhar o anseio de todos os cidadãos de bem de repúdio à impunidade e de respeito à Constituição, à paz social e à democracia, bem como se mantém atento às suas missões institucionais", escreveu.